Arquivo da tag: Mão

DEM pede a mão de cubana em casamento

ramonaA médica Ramona Matos está em Brasília, “duela a quien duela”.

A fantástica odisseia da cubana do programa “Más Médicas” começou com uma simples informação equivocada e acabou em casamento.

Ao sair de seu consultório em Pacajá, no Pará, a médica perguntou ao dono de uma quitanda: “Donde está Miami?”.

O quitandeiro até entendeu o “donde”, mas confundiu Miami com o Motel “Me Ame” e acabou apontando na direção de Brasília.

Ramona caminhou, e caminhou, e caminhou, e caminhou mais um pouco. Estava achando tudo muito distante e demorado, mas pensava com perseverança: “Miami, aqui vou eu”.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Ao chegar a Brasília, perguntou onde poderia encontrar o presidente Barack Obama.

Um engraçadinho a levou ao deputado Agripino Maia e apontou: “É aquele ali”.

Ao ouvir o nome “Agripino”, a médica achou que o deputado reclamava de um resfriado. Foi logo receitando um Luftal e uma colher de Emulsão Scott.

Em seguida, chegou o deputado Ronaldo Fenômeno, em seu cavalo caiado de branco, que homenageou a refugiada com o toque de seu berrante: “múúúúúúú”.

O DEM lhe prometeu cama, comida e roupa lavada. Ela aceitou e viveram felizes para sempre.

O ato selou a adesão oficial da Câmara dos Deputados, onde o casal passará a lua de mel, ao programa “Minha Casa, Minha Vida”.

A Executiva do DEM (representada na foto abaixo pelas três pessoas sem pé nem cabeça) autorizou a operação, denominada “Amor à primeira vista”.

A cerimônia foi celebrada pelo pastor Marco Feliciano, que embora estivesse sem um exemplar da Bíblia, improvisou com uma lista telefônica.

Ao final, os parlamentares do DEM entoaram a música “com quem será”.

A médica de Cuba lançou o buquê, que foi pego pelo deputado Onyx Lorenzoni.

Créditos da foto: Arquivo
cartamaior

PT não vai abrir mão de candidatura própria por nomes de PP e PSC, ‘espero que não seja empecilho’

charliton-machadoO presidente do diretório estadual do PT, Charliton Machado, afirmou que o partido não pretende abri mão da candidatura de Nadja Palitot para outro candidato do Blocão (PP-PSC-PT).
“O partido expressou de forma clara que terá candidatura própria nas eleições”, lembrou Charliton e ainda argumentou, “o PT é o maior partido do bloco, tem o maior número de prefeitos e vereadores e tem a presidenta do Brasil”, disse.
Entretanto, o presidente já tenta apaziguar qualquer reação dos partidos aliados. “O PSC indicou o nome de Leonardo Gadelha e reconhecemos que é um grande nome, poderia ser senador. Vamos conversar com os partidos para chegar no consenso”, falou, indicando que o plano é convencer os demais de que Nadja é a candidata.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Charliton afirma que o PT não vai impor a candidata, mas não vai medir esforços pela candidatura própria. “Esperamos que não seja um empecilho para manter a aliança”, concluiu.

Pedro Callado

Criança perde dois dedos da mão esquerda em tiro acidental

DedosUma criança de 12 anos perdeu dois dedos da mão esquerda após sofrer um tiro acidental de espingarda enquanto caçava com um amigo, também criança, na cidade de Cacimba de Dentro, no Curimataú da Paraíba. O acidente aconteceu no Sítio Caraúbas.
A dona de casa Maria de Lourdes Galdino afirmou não saber que o filho estava caçando com outro colega. “Ele disse que iria sair e eu pedi para não ir. Ele saiu e eu não soube para onde ele foi. Quando foi à tarde eu soube que o menino tinha atirado nele”, disse.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Para a assistente social Isolda Soares, casos como esse são comuns porque a explicação para que um pai deixe uma criança manusear uma arma está na cultura.
“Ainda é muito comum cultivarem essa questão de ter armas em casa, seja ela a cartucheira, seja a espingarda para caçar e dão aos filhos como se eles tivessem maturidade suficiente para manuseá-las sem causar maiores consequências”, afirmou.
portalindependente

Sem abrir mão de ser flamenguista, Luxa diz: ‘Hoje sou profissional’

Vanderlei Luxemburgo concede entrevista coletiva nas Laranjeiras (Foto: Rafael Cavalieri)
Vanderlei Luxemburgo concede entrevista coletiva
nas Laranjeiras (Foto: Rafael Cavalieri)

Vanderlei Luxemburgo não perdeu tempo. Quase 24 horas depois de Abel Braga deixar o comando técnico do Fluminense, o novo treinador assumiu o clube, arregaçou as mangas e foi para o campo. Teve orientação a Fred, ensaio de saída de bola, aprimoramento de cobranças de falta, pênaltis e algumas jogadas ensaiadas. Depois de colocar a mão na massa, o técnico concedeu entrevista coletiva para ser apresentado nas Laranjeiras.

Um dos problemas encontrados é em relação ao seu time de coração. Rubro-negro assumido, ele já comandou o Flamengo três vezes. A torcida ficou dividida quanto ao nome do substituto de Abel. Muitos não queriam a contratação. Mas Luxemburgo argumenta:

– Todos nós temos um time. Cansei de ir ao estádio torcer pelo Flamengo. Mas hoje sou profissional. O Fla é meu adversário, não meu inimigo. Em 1986 eu vivi uma situação engraçada. O presidente do Flu disse que no clube não entrava rubro-negro. Eu perguntei: ‘Por onde saio (risos)’?. Eu não vou abrir mão de ser flamenguista. Mas hoje eu quero bater no Flamengo toda vez que eu o enfrentar no comando do Fluminense.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Com passagem pelo profissionais do Fluminense, Luxa teve a experiência, embora curta, de dirigir o time principal tricolor em sua carreira. Na década de 1980, o treinador, então comandante dos juniores do Flu, viajou com a equipe pó-de-arroz para excursão pela Europa e comandou o time contra o Manchester United, da Inglaterra, e o Bayern de Munique, da Alemanha, entre outros jogos. Agora ele espera reescrever a história e diminuir a rejeição por parte dos tricolores.

– A rotina de treinador é essa mesmo. A rejeição ontem era uma, hoje já diminuiu e amanhã, se vencermos, tudo melhora ainda mais. Não podemos esquecer que o Abel, mesmo com toda sua identificação com o Fluminense, foi questionado após algumas derrotas.

O novo técnico dividiu opiniões no clube também. Desejado pelo presidente da patrocinadora, Celso Barros, não ganhou a simpatia de algumas pessoas. O próprio presidente tricolor, Peter Siemsen, tinha suas restrições. O contrato vai até o fim do ano, data em que o mandato de Siemsen será encerrado.

– A opção do contrato foi porque o mandato da diretoria termina no fim do ano. Foi por isso. Queremos chegar à Libertadores e se posível conquistar algum título em 2013. Depois vamos conversar. No Grêmio tive esse problema. Fui contratado por um presidente e meses depois entrou uma nova diretoria – explicou.

Luxemburgo treino fluminense (Foto: Roberto Filho)Luxemburgo já comandou o treino do Fluminense
(Foto: Roberto Filho)

O desafio é grande. O treinador pega o time na zona de rebaixamento, com cinco derrotas seguidas. Para afastar a crise, Luxa espera repetir o sucesso do elenco campeão brasileiro no ano passado.

– Estou chegando para substituí-lo (Abel Braga) e dar continuidade a um trabalho vencedor. Um grupo de muita qualidade que está vivendo um momento ruim. Mas é um time que perdeu apenas três jogos até ser campeão brasileiro em 2012. Vamos tentar reviver isso e trazer o Fluminense de volta ao espaço que ele deve estar, no topo da tabela.

Um dos problemas apontas pelo treinador é o fato de a torcida ter se acostumado com títulos recentes. Em 2010 e 2012, vieram o Brasileiro. Também no ano passado, o Carioca.

– Um time que está acostumado a ganhar fica indignado com a derrota. Quem ganha muito relaxa inconscientemente. Tudo vai acontecer de forma natural. Ele vai ter que praticar ganhar. Você não ganha porque foi campeão no ano passado. Só vai ganhar se quiser ganhar. Esse é o ponto importante.

Luxemburgo chegou acompanhado do auxiliar técnico Junior Lopes e do preparador físico Antônio Mello. A nova comissão representará ainda um alívio para os cofres tricolores. O valor na folha de pagamento que será de responsabilidade do clube vai cair em cerca de R$ 120 mil em relação ao que era pago para a comissão técnica de Abel Braga. Aos funcionários demitidos na última segunda, o Tricolor deve mais de R$ 2 milhões em salários e premiações atrasadas.

Luxemburgo, fred e deco treino fluminense (Foto: Roberto Filho)Vanderlei Luxemburgo comandou o treino desta terça-feira no Fluminense (Foto: Roberto Filho)

Técnico busca volta por cima

Treinador que mais vezes conquistou o Campeonato Brasileiro (venceu cinco no total: 1993/1994, com o Palmeiras; 1998, com o Corinthians; 2003, com o Cruzeiro e 2004, com o Santos), Vanderlei Luxemburgo vive um momento de baixa e busca a volta por cima na carreira. Desde 2006, só levantou taças estaduais. Foi campeão paulista três vezes, duas com o Santos e uma com o Palmeiras, campeão mineiro com o Atlético-MG e campeão carioca com o Flamengo.

Em seu último trabalho no Grêmio, os números até foram positivos. Luxa foi demitido há exatamente um mês, no dia 30 de junho, com 64,8% de aproveitamento: 52 vitórias, 21 empates e 18 derrotas em 91 jogos. Mas foram as derrotas em momentos importantes que minaram o trabalho do treinador. Em um ano e meio, o clube foi eliminado antes da final de dois Campeonatos Gaúchos, caiu na semifinal da Copa do Brasil, nas quartas de final da sul-americana e nas oitavas da Libertadores. A única “conquista” foi o terceiro lugar no último Campeonato Brasileiro e a consequente vaga na competição sul-americana.

 

Globoesporte.com

Jovem é assassinado em Mari/PB e tem dedos de uma das mãos decepados

Casos de policiaA Polícia Militar da cidade de Mari, zona da mata paraibana, registrou nas primeiras horas da manhã desta sexta-feira (22) o assassinato de um jovem na área periférica da cidade.

A vítima trata-se de Luís Carlos de Oliveira Mendes, conhecido como Bidú, 24 anos. A polícia recebeu a informação do crime através de populares hoje pela manhã, mas há indícios de que o crime tenha ocorrido durante a madrugada.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A vítima teve 4 dedos de uma das mãos praticamente decepados por um objeto cortante e ao redor do corpo encontra-ve algumas pedras, o que a polícia supõe que o mesmo tenha sido alvejado a pedradas.Como o corpo está de bruços, só a perícia poderá informar que tipo de arma foi usada para assassinar a vítima.

O crime ocorreu em uma localidade conhecida como Ladeira da Merda via que dá acesso a Rua da Aliança.

A polícia informou a imprensa que Bidú tinha envolvimento com drogas, mas desconhece até o momento a autoria do crime e deve fazer diligências no sentido de desvendar o crime.

Mais informações a qualquer momento.

Veja as imagens (Click para ampliar):

Da Redação 
Do Expresso PB/Fotos Exclusivas: @ExpressoPB 

‘Já abri mão de muito dinheiro em nome da ética’, diz Regina Volpato em sua casa

Pela primeira vez, Regina Volpato abre sua casa à CARAS Online e revela detalhes de sua vida pessoal e carreira. Conhecida por sua elegância e ética, a apresentadora do ‘Se Liga Brasil’ afirma que já abriu mão de dinheiro para seguir os seus valores. Hoje, ela se orgulha de sua carreira e espera dar uma guinada em 2013

Lailson Santos
Lailson Santos

“Ela é linda de viver, tem uma voz maravilhosa e é especialista em assuntos que mexem com o coração da gente”. Essas foram as palavras de Hebe Camargo (1929-2012) ao receber Regina Volpato (44) em seu programa homônimo na RedeTV!. Na ocasião, Regina estava afastada das telinhas, desde encerrou a versão soft do Casos de Família, do SBT, e contou com a campanha da rainha para retomar a carreira.

“Ela não pode ficar de fora da TV, é um talento”, disse Hebe, que passado alguns meses, viu sua afilhada e amiga ser de fato contratada pela emissora, comandar o Manhã Maior e agradecer as várias contribuições em uma nova participação. Hebe explicou a admiração: “Eu assisto muito televisão, então observo as pessoas e penso: ‘Essa nasceu para isso, é uma estrela’”, continuou.

Ao lado de Daniela Albuquerque (30), Regina brilhou e esbanjou talento na atração e, assim como Hebe, conseguiu elevar o nível e trazer elegância a um programa popular. Com o dom da comunicação, voz agradável e suave, a apresentadora driblou os percalços do ao vivo, se esquivou das fofocas de bastidores e recebe elogios de colegas de trabalho e telespectadores.

Pela primeira vez, a reservada apresentadora abre a sua casa à CARAS Online, revela detalhes de sua vida pessoal, sonhos e seus próximos projetos. “Sinto falta de conversar com o público”.   

 Ao contrário de muitas celebridades, você não se expõe tanto e afirma até que é tímida. É timidez mesmo ou uma maneira de preservar a sua vida?

Acho que são os dois. Em festas, por exemplo, não sou daquelas que mais falam, que mais aparecem, pois é da minha natureza observar mais. Não é por acaso que moro neste lugar, onde tenho o meu quintal, o jardim, onde é silencioso… E por consequência gosto de preservar a minha intimidade para ir tranquilamente à feira, à padaria, gosto de ter esse direito. Se eu me exponho, eu perco isso. Não compreendo as pessoas que falam sempre de si mesma, falam sempre da vida pessoal, aí quando são abordadas, não gostam. Poxa vida, você deu essa liberdade. Eu me mantenho reservada e as pessoas me respeitam.

– Você compara a sua vida ao movimento das tartarugas. Explica melhor…

As tartarugas ficam no fundo do mar um tempão e aí elas sobem pegam o ar e voltam para o fundo. Fiquei olhando e vi que isso acontece comigo. Estou sempre envolvida com o trabalho, daí quando acho que já deu, que preciso me renovar, colocar a cabeça para fora, eu vou, saio e me preparo para voltar. É como agora, neste momento. Olha, não tenho nada em vista – é faro – mas acho que em 2013 vai acontecer alguma coisa na minha carreira: uma guinada, outro rumo, pode até ser na RedeTV!, pode até ser no ‘Se Liga Brasil’, mas eu acho que vai dar um outro colorido para minha carreira.

– O ‘Se Liga Brasil’ é o tipo de programa que te satisfaz como profissional?

Sou muito grata por exercer a minha profissão sempre. Hoje, estou em um projeto da emissora e visto a camisa para que dê certo. Por intuição, sinto falta de conversar com as pessoas [Regina trabalha somente no estúdio]. Sempre gostei de ouvir histórias, comecei a carreira na Fundação Roberto Marinho, entrevistando adultos que estavam retomando os estudos depois de uma vida muito dura. Então, hoje sinto falta de conversar com estes guerreiros anônimos, que na vida real são verdadeiros artistas.

– Você é conhecida como uma apresentadora elegante e que trabalha em nome da ética. Como é fazer parte de um sistema de televisão que muitas vezes busca a audiência a fórceps?

Trabalhar com aquilo que gosto e ser reconhecida pela qualidade do meu trabalho é um troféu. Nesta carreira, é muito difícil olhar para trás e sentir orgulho do que se fez. Eu me sinto realizada totalmente pela minha história. Já tive que renunciar muita coisa, tive que dizer “não” a muitas outras. Muitas vezes abri mão de ter dinheiro em nome da ética, investi em  projetos que não traziam muita remuneração, mas que faziam sentido para mim. Esse tipo de escolha, que custa muito caro e que me enche de orgulho, são escolhas que o público se identifica. O telespectador não é bobo, não é idiota, não dá para ludibriar. Dá para enganar durante um tempo, mas não o tempo todo. As pessoas identificam quem é sério e quem não é. E eu sempre sou elogiada.

– Foi em nome da ética que você deixou de apresentar o ‘Casos de Família’, que se tornou mais pesado a partir de 2009?

Não gosto de fazer o que eu não gosto de ver. Não gosto de violência, não gosto que coloque o outro em uma situação constrangedora, que tire proveito de alguém menos favorecido por qualquer motivo. Não gosto disso, então não vou promover esse tipo de situação. Para mim é inconcebível fazer graça com alguém que senta na minha frente e divide dores, amarguras, angustias. Respeitar a dor do outro é básico, em qualquer situação. Quando apresentei o ‘Casos de Família’, mesmo nos programas mais engraçados, eu procurava entender o outro e levar de uma maneira gostosa e respeitável.

– Os seus trabalhos sempre são para a classe mais popular. Você gosta de apresentar para este público?

Eu adoro comunicação popular, sempre gostei. Para mim, comunicação de verdade é comunicação que todo mundo entende. Mas acho que isso não tem nada a ver com baixo nível, gritar, falar errado. Tudo bem o entrevistado falar errado, mas quem se dispõe a apresentar não deve. Falar corretamente não é falar difícil e ser popular não é gritar ou formular frases malfeitas. O Silvio Santos e a Hebe são pessoas populares e que conseguem trazer a elegância.

– Hebe e Silvio são figuras em que você se espelha?

Lógico. Para começo de conversa, eu devo muito aos dois. E sem dúvidas são dois modelos. Ontem eu estava assistindo Silvio Santos e vi que vai ao auditório, ele brinca, faz as graças, mas não fala errado, não grita, é super correto. Eu devo ao Silvio porque ele me deu uma oportunidade maravilhosa, porque ele me ensinou, porque ele foi tolerante comigo, porque foi um bom patrão. Também devo muito a Hebe.

– A Hebe sempre te elogiava nos programas e dizia ter muita admiração por você. Eram de fato amigas?

A Hebe sempre me recebeu com muito carinho e me orientava muito. Ela ligava para mim várias vezes e me incentivava. Tanto que a primeira vez que pisei na RedeTV! foi através de um convite dela para participar do programa “Hebe”. Lá, ela falava: “A Regina tem que vir pra cá, não pode ficar fora do ar, faz muita falta”. Ela conversava comigo e , quando decidi dar um tempo com o “Casos de Família”, recebi um telefonema dela para saber se estava tudo bem. Era uma pessoa que, apesar de todos os compromissos, conseguia estar presente na vida dos amigos. Ela dizia que é a minha madrinha e de fato é. Foi uma honra todos os momentos em que estivemos juntas.

– Sua entrada na RedeTV! ocorreu quando a emissora estava com ânimos quentes. A Keyla Lima, que apresentava o ‘Manhã Maior’,havia feito um discurso bastante espinhoso em sua despedida. Como foi entrar na atração no dia seguinte?

Eu já frequentava a emissora anteriormente, mas na despedida da Keila eu não estava presente. Pelo que vi, a produção estava tão envolvida em terminar o programa e continuar ele com uma nova apresentadora – pois, quando muda uma apresentadora, muda tudo – que esta questão da Keila passou, tudo foi no embalo. Só depois é que a história foi tomando um corpo e as pessoas começaram a ver aquele trecho. Comigo, talvez por muita elegância, a produção e nem ninguém repercutiu. Todos sabiam que eu estava extremamente nervosa, pois estava há mais de 2 anos fora do ar, e que aquele era um momento importante. Eu estava emocionadíssima por voltar e querer dar conta, então a questão da Keila foi menor que a minha vontade de querer fazer dar certo.

– Como este período em que você ficou afastada da TV?

Eu sofri muito, pois sentia todos os dias muita falta de exercer a minha profissão. Não teve um dia em que eu dissesse: “Ai, que bom, hoje eu não tenho que trabalhar”. Era sempre, ai, que falta, ai que saudade.  Fiquei fora porque não tinha aparecido nenhuma oportunidade concreta e que tivesse dado certo. Procurei entender aquele momento como: “A vida está dando esse momento para você se reciclar”. E foi isso que eu fui fazer. Fiz uma porção de coisas legais e acabou sendo importante para outros aspectos.

– Ao lado da Daniela Albuquerque, você já enfrentou algumas situações imprevistas do ao vivo, que pipocaram na internet. Você perdeu o medo de dar vexame?

Quando você gagueja, comete alguma gafe na vida, isso passa. Com a câmera no rosto, a proporção é outra. Mas posso dizer que perdi 100% o medo de dar vexame. E não só no programa, mas na vida. Eu perdi e, olha, tenho me divertido. Vou estar até em escola de samba.

– Será destaque de alguma escola de samba? Sabe sambar?

É verdade, serei destaque da Vila Isabel, fui apresentada neste mês na escola. Teve festa das passistas e eu, com a minha ginga toda (risos). Não sei sambar nem com os braços e é por isso que estou saindo de destaque. Ainda estamos vendo o vestido, mas uma coisa eu garanto: pelada eu não vou, né? (risos).

Você está mais bonita agora que na época do “Casos de Família”. Fez algo?

Não fiz. Acho que estou mais relaxada, tenho uma vida mais serena, perdi o medo de dar vexame… Hoje, tenho mais tempo para treinar, correr, fazer ioga, cuidar da minha alimentação, a minha realidade é mais tranquila, tudo isso ajuda. Nunca fiz plástica e não tenho nenhuma intervenção cirurgia. Pode ser que mais para frente eu queira fazer algo, mas hoje eu acho o corpo muito sagrado e tenho medo. Se eu estou saudável, está tudo funcionando bem, porque eu vou inventar moda?

– Em casa, depois do trabalho, o que você faz para relaxar?

Eu adoro ficar em casa. Abro o meu vinho, o meu espumante, vou para o Ofurô, fico lendo. Aqui tem passarinho, tem bastante verde. Quando eu quero relaxar mesmo, eu fico na minha casa. É por isso que não costumo sair para badalação e ainda tenho a desculpa de que tenho que dormir cedo para trabalhar cedo.

– Você tem um belo piano na sala. Toca?

Olha, já fui uma ótima pianista, de ganhar concurso e tudo. Era a melhor a aluna do conservatório. Eu estudei piano dos 6 anos até os 17, mas parei quando vim para São Paulo. Para você ter ideia, os meus pais não tinham dinheiro para comprar piano e eu estudava na mesa, até eles conseguirem um piano usado. Quando eu vim para São Paulo, parei. Desde 2006, tenho este piano, toco muito de vez em quando, só para mim, para relaxar, mas não é nem 1/3 de quando eu tocava na infância.

– Você cozinha?

Eu cozinho e sou especialista em aproveitar o que tem na geladeira. Então, sempre tenho coisas gostosas: lula, camarão, carne, molho vermelho. Quando dá vontade de comer um risoto, vou lá e faço. Ultimamente tenho feito bastante frutos do mar. Fiquei muito tempo sem fazer e agora estou retomando este hábito.

– Você passa uma imagem de uma mulher muito equilibrada. Você nunca perde a cabeça?

Quando dou uns gritos, a minha filha Rafaela (15) fala: “Todo mundo pensa que você é sempre equilibrada” (risos). Sou normal, perco a cabeça sempre, dou uns gritos. Faço isso quando a Tina [uma cachorrinha podle, de 8 anos] faz xixi no tapete, quando mentem para mim, quando subestimam a minha inteligência, com algum combinado não cumprido, tudo isso me deixa bem brava. Uma pessoa equilibrada é alguém com todos os sentimentos e sensações. Eu desconfio de quem é feliz o tempo todo. Ficar brava é normal, a questão é como você trabalha esse sentimento. Tem gente que dá lampadada, eu calço um tênis e vou correr. Mas admito que já me peguei gritando com a Rafaela no supermercado (risos).

– Qual é o seu sonho?

Sou muito grata, feliz e realizada pelo que já conquistei, mas profissionalmente eu ainda não fiz algo que fosse a minha cara e que fosse um projeto meu. Eu sou otimista por natureza, então torço para que aconteça em 2013. Mas se não acontecer, pode ser que acontece no outro ano ou que nunca aconteça. Tanta gente quer fazer um monte de coisas e não consegue, e tudo bem. O importante é você fazer a sua parte, o restante é consequência.

 

Caras

Exames da perícia apontam resíduos de pólvora na mão de Walmor

Corpo de Walmor Chagas segue para a cremaçãono último sábado (19). (Foto: Renato Ferezim/G1)
Corpo de Walmor Chagas segue para a cremação
no último sábado (19). (Foto: Renato Ferezim/G1)

O resultado dos exames residuográficos na mão direita do ator Walmor Chagas apontou resíduos de pólvora. O laudo foi divulgado pela Polícia Civil e aponta que o ator cometeu suicídio. O exame não constatou resíduos de pólvora nas mãos do caseiro José Arteiro de Almeida, que trabalhava para Walmor. O ator, de 82 anos, foi encontrado morto na chácara onde vivia na cidade de Guaratinguetá, no interior de São Paulo, na tarde de sexta-feira (18).

De acordo com o delegado titular do 2° Distrito Policial de Guaratinguetá, Antonio Luiz Marcelino, o resultado dos exames apontam que o suicídio é a única possibilidade no caso.

“O laudo mostra que havia resquícios de pólvora na mão direita de Walmor. No caso do caseiro, não havia nenhum resquício em nenhuma das duas mãos. Isso confirma o suicídio, que era a principal suspeita da polícia”, explicou ao G1.

A Polícia Civil também aguarda dois laudos para juntar ao inquérito: a necrópsia do Instituto Médico Legal (IML) e a perícia feita no local do crime. Mesmo assim, o resultado deles não irá, segundo o delegado, alterar a convicção de que houve suicídio.
“Não há a possibilidade de esses laudos mudarem a conclusão. Foi suicídio. Apesar disso, precisamos desse laudos para dar andamento no inquérito”, disse.

Foi recolhida da casa do ator uma arma calibre 38, que teria sido usada por ele para atirar na própria cabeça. O revólver estava no colo de Walmor Chagas e, segundo Marcelino, não tem registro.

Apesar da conclusão, a investigação sobre o caso continua nos próximos dias. “Já sabemos que foi realmente suicídio, mas queremos saber o que pode ter motivado isso. Vamos ouvir vizinhos, parentes e pessoas próximas ao ator para atestar o estado psíquico dele e quem sabe descobrir a motivação para essa tragédia”, afirmou.

Por cautela, a Polícia Civil de Guaratinguetá abriu dois inquéritos para investigar a morte do ator. Um dos inquéritos ficou com a delegacia de Marcelino, responsável pela região da chácara onde o caso ocorreu e o outro com a Delegacia de Investigações Gerais (DIG).

O corpo do ator Walmor Chagas foi cremado às 17h do último sábado (19) no cemitério e crematório Parque das Flores, em São José dos Campos (SP), em uma cerimônia restrita a parentes e amigos próximos.

Pousada onde vive o caseiro e que fica a alguns metros da casa onde o ator foi encontrado morto. (Foto: Reprodução/TV Vanguarda)Pousada onde vive o caseiro e que fica a alguns
metros da casa onde o ator foi encontrado morto.
(Foto: Reprodução/TV Vanguarda)

‘Ele estava bem’, diz caseiro
Segundo o relato de um funcionário, o caseiro José Arteiro de Almeida, o corpo do artista foi achado caído na cozinha com um tiro na cabeça por volta das 16h30 de sexta-feira (18). Almeida disse ainda ao G1, por telefone, que, no momento da morte, Walmor estava sozinho dentro da casa. Ele afirmou também que uma empregada e uma cozinheira haviam acabado de deixar o local.

Almeida, que trabalha há 30 anos com o ator, diz que Walmor Chagas não demonstrava nenhum indício de que poderia tirar a própria vida. “Ele apenas relatou nos últimos dias que estava preocupado com o diabetes. As pernas também já não estavam tão firmes, mas ele estava bem”, disse.

O sítio onde o ator vivia fica no bairro Gomeral, na zona rural de Guaratinguetá, em uma área de difícil acesso. Os bombeiros receberam o chamado às 17h15, mas só conseguiram chegar ao local por volta das 18h30.

Carreira
Com mais de 60 anos de carreira, o gaúcho Walmor de Souza Chagas atuou em mais de 40 peças, cerca de 20 filmes e mais de 30 novelas. Era considerado um dos grandes atores do teatro brasileiro.

Ele nasceu em Alegrete, no Rio Grande do Sul, em 28 de agosto de 1930. No começo dos anos 50, foi para São Paulo em busca de uma chance no cinema.

Em 1952, Chagas fundou o Teatro das Segundas-Feiras, com Ítalo Rossi, encenando “Luta até o amanhecer”, de Ugo Betti. Ele estreou no Teatro Brasileiro de Comédia em 54, na peça “Assassinato a domicílio”, de Frederick Knott, com direção de Adolfo Celi.

Ao lado de Eva Wilma, o ator estreou no cinema em “São Paulo Sociedade Anônima” (1965), de Luís Sérgio Person, interpretando Carlos, um jovem da classe média. Sua primeira novela foi na TV Globo em 1974, na trama de “Corrida do ouro”.

Em 1992, Chagas chegou a apresentar o programa “Você decide”. Após oito anos afastado dos palcos, o ator retornou em 1999 na peça “Um equilíbrio delicado”.

Seus últimos trabalhos foram “Cara ou Coroa” e “A Coleção Invisível”, no cinema; e as novelas “A favorita” e “Os mutantes”, na televisão. Chagas era viúvo da atriz Cacilda Becker, com quem teve uma filha, Maria Clara Becker Chagas.

A organização do Prêmio Shell de Teatro anunciou no dia 21 de dezembro de 2012 que Walmor Chagas seria o grande homenageado na edição de 2013 do evento, que deve acontecer em março, “por seu papel histórico como ator e produtor em 64 anos de atividade no teatro brasileiro”.

 

 

G1

Adeus de Love: em débito com atleta e CSKA, Fla abre mão do artilheiro

Foto: Fábio Castro/Agif/Gazeta Press

Ao recusarem conceder entrevista sobre a saída de Vagner Love do Flamengo, o presidente Eduardo Bandeira de Mello e o atacante deixaram a impressão de que o pronunciamento feito na Gávea na noite deste sábado foi uma manobra ensaiada. Sem responder perguntas, ambos mostraram desconforto ao falar sobre o rompimento. O jogador deu a entender que não gostaria de sair do clube. Disse estar de “coração na mão” por conta da decisão de aceitar a oferta para voltar ao CSKA. Segundo o mandatário e o atleta, ela foi tomada em conjunto.

Principal expoente do time na última temporada, Love deixa o Flamengo insatisfeito e sentindo-se de mãos atadas. O processo até a saída irritou profundamente o Artilheiro do Amor. Na noite de sexta-feira houve uma reunião tensa em um dos quartos do hotel Windsor, que serve de concentração para a delegação rubro-negra durante a pré-temporada no Rio de Janeiro. Trancados, o diretor executivo Paulo Pelaipe, Vagner Love e o empresário Evandro Ferreira discutiram os trâmites da rescisão.[bb]

Em janeiro de 2012, sob condução do ex-vice de finanças Michel Levy, o Flamengo aceitou pagar em quatro parcelas € 10 milhões (R$ 27 milhões na cotação atual) pelos direitos econômicos do atacante. Ao longo do ano passado, os russos receberam € 4 milhões (R$ 10,8 milhões).

Atolada em penhoras e com quase todas as receitas deste ano comprometidas, a nova diretoria não resistiu ao flerte do CSKA, que começou em agosto e se intensificou após o Réveillon. O ex-clube de Love acenou com uma proposta simples: “esquecer” os € 6 milhões (R$ 16,2 milhões) pendentes para a conclusão do negócio e ter o jogador de volta. Além disso, fez uma proposta salarial vantajosa ao artilheiro.

Atolada em penhoras e com quase todas as receitas deste ano comprometidas, a nova diretoria não resistiu ao flerte do CSKA, que começou em agosto e se intensificou após o Réveillon

O Flamengo disse a Love que não teria como arcar com a dívida com o CSKA. No acordo entre os clubes, o saldo deveria ser quitado até 2014. O Rubro-Negro também tinha uma dívida com Vagner. Ele recebia um salário de cerca de R$ 500 mil. Os pagamentos de luvas e de R$ 1,2 milhão de direitos de imagem estavam atrasados. Diante do quadro que via pela frente, a atual diretoria procurou o atacante e também deixou claro que não teria como pagá-lo. Love se viu com apenas uma opção: sair do clube. Ele abriu mão da maior parte do débito referente a direitos de imagem.[bb]

Segundo relatos de funcionários do Windsor, após a reunião, Love desceu ao saguão irritado e contou da iminente saída para outros jogadores. Ele decidiu deixar a concentração na mesma noite, mas foi convencido a dormir no hotel e treinar na manhã de sábado. Após a sessão de treino, um outro encontro sacramentou a rescisão e finalizou a segunda passagem do Artilheiro do Amor no Flamengo. Love foi ao CT na parte da tarde, mas não treinou. Apenas se despediu. Aos companheiros, disse que viajará a Moscou na próxima terça-feira.

A decisão de abrir mão do goleador surpreende porque, na última semana de 2012, Pelaipe se reuniu com ele e reiterou o desejo de mantê-lo. Na ocasião, houve até uma garantia de que os débitos seriam quitados. Vagner também ouviu do dirigente a promessa de que o Flamengo teria um time forte neste ano.

Um ano a mais de contrato

Vagner Love tinha mais três anos de contrato com o Flamengo e não dois como fora divulgado há um ano, na época de sua contratação. Em janeiro de 2012, o Rubro-Negro informou que o vínculo iria até o fim de 2014. Na hora da assinatura, no entanto, houve uma composição financeira, e o jogador fechou por quatro temporadas.

Na segunda passagem, Love disputou 52 jogos e marcou 24 gols. Somando os seis meses em que esteve no clube em 2010, Love disputou 81 partidas e marcou 47 vezes (média de 0,58 gol/jogo). Ele não conquistou título algum no clube de coração.[bb]

Globoesporte.com

Sapo Brejeiro: Maranhão finca pé, descarta consenso e diz que não abre mão da presidência do PMDB

O ex-governador José Maranhão (foto) descartou, nessa segunda-feira (02/11), a hipótese de ser candidato a vice-presidente do PMDB, abrindo mão da presidência para uma candidatura de consenso do prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rêgo. Maranhão frisou que Veneziano é candidato do partido ao Governo do Estado em 2014 e reafirmou sua disposição de ser candidato a presidente do PMDB, deixando claro que não abre mão de sua pretensão.

Maranhão deve disputar o comando do partido contra uma ala comandada pelo deputado federal Manoel Júnior, o ex-senador Wilson Santiago e o deputado estadual Gervásio Filho. O grupo quer que o prefeito de Campina se mantenha na neutralidade nessa disputa.

A eleição para renovação do comando do PMDB da Paraíba será no dia 18 de dezembro próximo. “Sou candidato de todo jeito. Não vou desistir de minha candidatura e não sei de nenhuma proposta”, disse José Maranhão.

Portal Correio

Agricultor tem mão decepada a golpe de facão durante briga em Cruz do Espírito Santo

O agricultor José Raimundo Ilhós, 32 anos, teve a mão esquerda decepada com um golpe de facão. O crime aconteceu por volta das 21h30 de sábado (13) na cidade de Cruz do Espírito Santo.

De acordo com a polícia, o agricultor se envolveu numa briga com outro homem na praça pública da cidade. Em meio a luta corporal, José Raimundo acabou tendo a mão esquerda decepada com um golpe de facão.

Imediatamente, o membro foi colocado em um balde com gelo e trazido para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena para um possível reimplante.

José Raimundo também foi socorrido para o Hospital de Trauma onde permanece internado.

Os moradores da cidade ficaram revoltados com o fato e durante toda a noite de sábado familiares e amigos do agricultor que teve a mão decepada saíram à procura do acusado dispostos a vingar o crime.

Paulo Cosme/Vinicius Henriques