Arquivo da tag: maltrata

“Isso não é esporte porque maltrata os animais” dispara ambientalista contra as vaquejadas

paula-francineteA presidente da APAN- Associação Paraibana dos Amigos da Natureza, Paula Francinete conversou nesta terça-feira (11) com o PB Agora sobre a vaquejada que na Paraíba é considerada esporte de acordo com a lei n° 10.428 do deputado estadual Doda de Tião (PTB), aprovada em janeiro de 2015.

Para ela vaquejada não pode ser considerada esporte porque ela leva o sofrimento de um animal e comparou a lei que aprova o “esporte” aos tempos em que os romanos davam cristãos para leões e divertiam as pessoas nas arenas.

“Nós não consideramos esporte algo que leve ao sofrimento de qualquer ser. Era esporte levar cristãos para serem devorados por leões. Não queremos voltar a essa barbárie. Somos contra porque é um divertimento montado em cima de maus tratos  aos animais. Em 1934 quando Getúlio Vargas era presidente se fez uma lei para criminalizar os maus tratos aos animais e depois outras leis aperfeiçoaram essa questão. Nós defendemos a vida em abundância e supõe que todos os seres vivos tenham direito a viver tranquilamente e seguir seu ciclo biológico e como defensora desse equilíbrio nós somos contra a vaquejada e a essa lei do deputado”, explicou Paula Francinete.

Paula revelou ainda que tramita na justiça uma ação contra a constitucionalidade desta lei, mas ainda não há um parecer sobre o tema.

PB Agora

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Como o Feminismo maltrata os homens

Senti-me motivada a traduzir esse texto porque de uma forma irônica o autor conseguiu se posicionar a favor do feminismo genialmente! E o fato de ser um homem o falante – da sua posição masculina — a forte produção de sentido criada pelo autor gritou ainda mais aos meus olhos. Agradeço o interesse.

Por Micah J. Murray*. Tradução de Daniela Vieira Palazzo**

feminismoOntem, alguém me disse no Facebook que o Feminismo valoriza mulheres às custas dos homens e que, para tal, nos castra.

Ele estava certo.

Para os homens, o advento do Feminismo nos colocou no status de classe secundária. Desigualdade e discriminação se tornaram parte do nosso dia-a-dia.

Por causa do Feminismo, homens não podem mais andar nas ruas sem medo de serem assediados, perseguidos e até abusados sexualmente por mulheres. Quando um homem é agredido, ele é responsabilizado – pelo jeito como se vestiu, estava “pedindo por isso”.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Por causa do Feminismo, não existem mais grandes conferências cristãs sobre como um varão deve agir, onde milhares de homens podem celebrar Jesus e sua masculinidade (e talvez zombar de estereótipos femininos).

Por causa do Feminismo, os púlpitos das igrejas e holofotes são muitas vezes voltados para mulheres. Os homens são encorajados a apenas trabalhar no berçário ou na cozinha. Às vezes dizem aos homens que se mantenham em silêncio na igreja.

Por causa do Feminismo, as mulheres ganham mais dinheiro do que os homens nos mesmos empregos.

Por causa do Feminismo, é difícil encontrar filmes com um protagonista/herói masculino hoje em dia. A maioria dos filmes blockbusters apresenta uma mulher corajosa que salva o mundo e fica com um belo homem como troféu, em recompensa aos seus feitos.

Por causa do Feminismo, o esporte profissional feminino é um negócio imensamente lucrativo, onde mulheres são globalmente idolatradas. Os homens só aparecem brevemente, nos intervalos comerciais, onde seus corpos são tidos/vistos como objetos.

Por causa do Feminismo, todo o controle de natalidade é provido por e para as mulheres, sem questionamentos ou debate, enquanto os homens têm de lutar para conseguir que as companhias de seguros paguem por suas prescrições de Viagra. Quando os homens falam a esse respeito, líderes conservadores de direita, favoráveis aos valores da família tradicional, os rotulam de “vagabundos” e “putos”.

Por causa do Feminismo, o corpo masculino está constantemente sob o escrutínio público. Se um homem aparece de topless na TV é um escândalo nacional, resultando em enormes multas e boicotes. Blogueiras escrevem regularmente sobre como precisamos ser mais conscientes ao escolher nossas roupas para evitar seduzir mulheres para o pecado. Humoristas insistem que bermudas “não são realmente calças” e, portanto, os homens devem cobrir-se porque “ninguém quer ver isso.”

Por causa do Feminismo, os homens não possuem representatividade na Casa Branca e as mulheres ocupam mais de 80% dos assentos no Congresso. Quando um homem vai para o escritório, sua aparência física e escolhas de vestuário são discutidas quase tanto quanto suas políticas e ideias.

Por causa do Feminismo, os homens devem lutar por uma voz na esfera pública. Em questões de teologia, política, ciência e filosofia, a perspectiva feminina é muitas vezes considerada padrão, normal, e imparcial. Perspectivas masculinas são negadas por serem muito subjetivas ou muito emocionais. Quando falamos, nós, muitas vezes, somos rotulados como irritados, rebeldes, subversivos ou perigosos.

Mas sejam fortes, caras.

Um dia seremos iguais.

*Micah J. Murray é escritor, diretor criativo e gerente de mídias sociais. Escreve no blog RedemptionPictures.com sobre igreja, fé, política e família.

**Daniela Vieira Palazzo tem 32 anos, é gaúcha de Pelotas, professora universitária em transição e mestranda em Linguistica Aplicada. É feminista e pesquisa na linha dos estudos de gênero e da Análise Critica do Discurso (ACD) — especialmente acerca de corpo/corporiedade e moda.

Fonte: Blogueiras Feministas