Arquivo da tag: major

Major reformado do 4° BPM morre atropelado neste domingo em Guarabira

Acabou de chagar à nossa redação a informação de que o Major reformado da PM Francisco Evangelista da Silva, 66 anos de idade, residente no bairro do nordeste, em Guarabira, morreu atropelado por um caminhão pipa, que presta serviço à empresa Guaraves, na tarde deste domingo (17). O acidente aconteceu por volta das 16:30h, nas imediações do IFPB, na saída de Guarabira para Araçagi, no Agreste paraibano.

Ainda não se tem muitos detalhes do que teria acontecido, mas de acordo com a versão dada pelo motorista do caminhão, identificado como Pedro Sérgio Firmino Muniz, o Major Evangelista, como era mais conhecido, teria se jogado debaixo do caminhão, como uma ação suicida. Outra informação ainda dá conta de que testemunhas teriam presenciado o fato.

De acordo com alguns colegas da PM e ligados ao Major Evangelista, há algum tempo ele enfrentava problemas de saúde, inclusive apresentando sintomas de depressão.

O motorista do caminhão disse que ainda chegou a visualizar o Major se dirigindo à rodovia, ainda diminuiu a velocidade, mas não conseguiu evitar o atropelamento. Ele permaneceu no local aguardando a chegada das autoridades policiais.

Uma investigação deverá apontar se realmente tratou-se de suicídio ou acidente.

O Major Evangelista trabalhou durante muitos anos no 4º BPM, sediado em Guarabira, era casado e deixou pelo menos três filhos, um deles também faz parte dos quatros da PM.

 

 

 

 folhadobrejo

 

 

Major Givaldo Medeiros é promovido a tenente coronel da PM

O Diário Oficial do Estado circulou hoje com ato do governador João Azevêdo promovendo o guarabirense major PM Givaldo Medeiros ao posto de tenente coronel PM, com atuação no 4º Batalhão de Polícia Militar.

Givaldo já foi sub-comandante do 4º BMP e realizou importante de trabalho de enfrentamento ao crime e, sobretudo, o desmantelamento do tráfico de drogas e tantas outras ações. Foi coordenador na região do PROERD (Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência), formando centenas de crianças de diversas escolas de Guarabira e região. Também dirigiu um programa de rádio que tratava especificamente sobre a as ações do PROERD.

Em seu perfil na rede social Facebook, o agora tenente coronel comemorou a promoção, ressaltando ter entrado na PM 1989 para servir à sociedade.

“Há tempo para plantar e tempo para colher, há tempo para sorrir e tempo para chorar, há tempo para trabalhar e tempo para descansar! Tudo tem seu tempo, mas tudo tem que ser no tempo de DEUS!. Obrigado Senhor por essa graça em minha vida profissional. Em 1989 eu eu comecei minha carreira profissional na Briosa Polícia Militar da Paraíba como soldado para servir a sociedade e hoje estou recebendo minha merecida promoção a Tenente Coronel por tempo de serviço. São 30 anos de proteção divina nessa minha carreira Militar e amanhã sairei dela com a certeza do meu dever cumprido. DEUS no comando sempre!”, postou.

 

portal25horas

 

 

Polícia age rápido e prende dois acusados de atentar contra o Major Pablo em João Pessoa

presoA Polícia Militar após diligências conseguiu prender dois homens acusados de serem autores da ação criminosa que culminou com o disparo contra o Major Pablo, lotado no destacamento de Cabedelo. 

Os acusados presos são Luciano Lira Barbosa (foto), 34anos, preso na Rua Almeida Barreto, 2007 e José Aílton Silva Diniz , 21 anos, preso no mesmo endereço do comparsa.

Mais informações a qualquer momento.

O caso

O major da Polícia Militar foi baleado na tarde desta quinta-feira (30), em uma padaria, na Avenida Dom Pedro II, no bairro da Torre, em João Pessoa. De acordo com relatos de testemunhas, ele teria reagido a um assalto e sido atingido na coxa esquerda.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Da Redação
Do ExpressoPB

Major Fábio anuncia apoio à candidatura de Marina Silva à Presidência da República

major-fabio-300x196O Fórum dos Servidores Públicos Civis e Militares do Estado da Paraíba realizou na noite desta terça-feira (26), na sede da Caixa Beneficente da Polícia Militar, mais um debate entre os candidatos a governador. O Major Fábio (PROS), aproveitou a oportunidade para anunciar o seu apoio à candidata Marina Silva.

O Major Fábio provocou o candidato do PMDB na Paraíba para anunciar a sua decisão. “Vital costuma dizer, nas suas entrevistas e debates, que vai usar a sua amizade com Dilma para trazer recursos para a Paraíba. Candidato, a Presidenta da República será Marina e a sua amizade com Dilma não vai valer muito. Eu voto em Marina Silva: a Paraíba e o Brasil precisam mudar!” Desde o início o Major Fábio demonstrou simpatia pela REDE, juntando-se aos seus representantes na Paraíba na coleta de assinaturas para a criação do partido.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Na Paraíba, não existe palanque bem definido em relação à candidata da REDE/PSB. O candidato Ricardo Coutinho (PSB), membro do partido do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, adotou uma postura discreta em relação à candidatura de Marina já que o PSB da Paraíba se coligou ao PT na disputa proporcional. Além disso, percebe-se que é o Major Fábio que tem assumido um perfil mais parecido com a presidenciável Marina Silva em suas propostas e coragem para mudar.

assessoria

Major e 24 PMs do caso Amarildo começam a ser julgados nesta quinta

major-edsonsantos-amarildoA audiência de instrução e julgamento do major Edson Santos e de outros 24 policiais militares, todos acusados de participar da tortura e do sumiço do pedreiro Amarildo de Souza na Rocinha, começam nesta quinta-feira (20) no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), no Centro. Eles respondem pelos crimes de tortura, ocultação de cadáver, fraude processual e formação de quadrilha. A audiência está marcada para as 14h.

Na primeira sessão, será feita a colheita oral de provas em juízo. Ao todo, são 19 testemunhas de acusação, segundo a promotora Carmem Elisa Bastos, e 200 de defesa, de acordo com o advogado Saulo Salles, que defende o major Edson. A previsão é de que outras audiências sejam marcadas para haver tempo de ouvir a todos.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Relembre o caso
Amarildo sumiu após ser levado por policiais militares para ser interrogado na sede da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) durante a “Operação Paz Armada”, de combate ao tráfico na comunidade, entre os dias 13 e 14 de julho de 2013.

Na UPP, teria passado por uma averiguação. Após esse processo, segundo a versão dos PMs que estavam com Amarildo, eles ainda passaram por vários pontos da cidade do Rio antes de voltar à sede da Unidade de Polícia Pacificadora, onde as câmeras de segurança mostram as últimas imagens de Amarildo, que, segundo os policiais, teria deixado o local sozinho — fato não registrado pelas câmeras.

Após depoimentos, foram identificados quatro policiais militares que participaram ativamente da sessão de tortura a que Amarildo teria sido submetido ao lado do contêiner da UPP da Rocinha. Segundo informou o Ministério Público, testemunhas contaram à policia sobre a participação desses PMs no crime. Após seis meses de buscas pelo corpo do pedreiro, a Justiça decretou a morte presumida de Amarildo.

A morte presumida substitui o atestado de óbito, que só pode ser emitido quando há o corpo — o cadáver de Amarildo nunca foi encontrado —, e permite à família receber pensão ou indenização, entre outras funções. Na primeira instância, a ação declaratória havia sido julgada improcedente.

Tortura
De acordo com a promotora Carmem Elisa Bastos, do Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco), o tenente Luiz Medeiros, o sargento Reinaldo Gonçalves e os soldados Anderson Maia e Douglas Roberto Vital torturaram Amarildo depois que ele foi levado para uma “averiguação” na base da UPP. Ainda segundo eles, outros PMs são suspeitos de participar ativamente da ação.

Enquanto, segundo a promotora, o ajudante de pedreiro era torturado por quatro policiais, outros 12 ficaram do lado de fora, de vigia. Oito PMs que estavam dentro dos contêineres que servem de base à UPP foram considerados omissos porque não fizeram nada para impedir a violência.

Outros cinco policiais que decidiram colaborar com as investigações disseram que o major Edson, então comandante da UPP, estava num dos contêineres, que não têm isolamento acústico, e podia ouvir tudo.

Segundo o MP-RJ, mais 15 policiais militares, entre eles três mulheres, foram denunciados pelo órgão, totalizando 25 acusados pelo crime.

PMs presos
O major Edson Raimundo dos Santos, ex-comandante da UPP Rocinha, e o tenente Luiz Felipe de Medeiros, subcomandante da unidade, tiveram a prisão decretada em outubro, após denúncia do Ministério Público que constatou a participação dos dois no desaparecimento e morte do pedreiro Amarildo de Souza.

Os policiais foram levados inicialmente para a Unidade Prisional da PM, em Benfica, na Zona Norte, juntamente com outros oito denunciados, mas, a pedido do Ministério Público, os oficiais foram transferidos para Bangu 8.

Os dois tiveram o pedido o pedido de habeas corpus negado pela 8ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, na tarde desta quarta-feira (23). Os dois vão permanecer na penitenciária Bangu 8, no Complexo de Gericinó, na Zona Oeste do Rio. Outros 13 policiais envolvidos no caso também foram presos.

 

 

G1

Major e sobrinho brigam, arma de PM dispara e atinge menor no rosto em Cuitegí

casos-de-policiaUma briga envolvendo um major reformado da Polícia Militar terminou deixando o adolescente de 17 anos baleado, com um tiro no rosto, na cidade de Cuitegi, no Brejo paraibano, nesta sexta-feira (13). O menor se trata do sobrinho do PM Marcos Antônio Trindade, 52 anos, que está foragido.

Segundo informação do coronel Valério do 4º Batalhão da Polícia Militar, a briga aconteceu porque o sobrinho destruiu a casa da avó, mãe do PM, na última quarta-feira. Ainda segundo ele, o garoto é usuário de drogas e tem três passagens pela polícia. No dia que quebrou móveis da residência ele chegou a ameaçar a avó de morte.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Nesta sexta-feira, o major foi até a casa da mãe para tirar satisfação sobre o acontecido e terminou entrando em uma briga corporal com o adolescente. Segundo informações de testemunhas que estavam no local no momento da discussão, a arma do PM disparou acidentalmente atingindo o rosto do menor.

A vítima foi socorrida para o Hospital Regional de Guarabira. A bala encontra-se alojada próximo ao maxilar. O adolescente está  em estado grave e será transferido para o hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa.

 

portalcorreio

Estudante de Direito e irmão de major é assassinado em praça da Capital

190 PB
190 PB

Um estudante de Direito e irmão de um major da Polícia Militar foi assassinado na tarde deste sábado (11) quando conversa com amigos em uma praça no bairro da Torre, em João Pessoa.

André Luiz de Araújo Cavalcanti, 24 anos, estava voltando do trabalho (gerente de uma vidraçaria) quando foi aproveitar o sábado conversando com amigos na Praça São Gonçalo e foi surpreendido por homens desconhecidos que efetuaram dois tiros na cabeça dele.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

De acordo com informações do delegado de Homicídios, Marcos Paulo, os amigos fugiram e na localidade ninguém quis falar sobre o caso. O delegado vai investigar o caso.

Pedreiro assassinado por “amigo”

Um pedreiro foi perseguido e assassinado a tiros no bairro dos Funcionários II. O principal suspeito é um “amigo” que trabalhava com ele no ramo de construção. O crime foi por volta das 10h40 deste sábado (11).

José Leonardo dos Santos Silva, 18 anos, estava fazendo compras com a esposa na feira do bairro do Grotão quando um homem deu um tiro nele. A vítima fugiu e sofreu perseguição pelo suspeito e um comparsa, quando chegou próximo ao campo de futebol localizado no bairro dos Funcionários II foi alcançado pelos acusados que fugiram em uma motocicleta após disparar vários tiros.

A mulher do pedreiro foi atrás do marido e ainda o encontrou com vida. Ele acusou um “amigo” que trabalha com ele de tê-lo ferido. Ele é conhecido como Emanuel e também é pedreiro. Ela ainda informou à polícia que há alguns dias eles haviam se desentendido por causa de um pagamento.

O capitão Elson do 5º BPM está em diligência com o objetivo de deter o suspeito. O delegado de Homicídios, Odilon Ribeiro, também esteve no local e trabalha com a hipótese de vingança.

Outros assassinatos neste final de semana

Duas pessoas foram assassinadas a tiros no bairro de Mangabeira, em João Pessoa com as mesmas características. Eles estavam caminhando no meio da rua quando foram surpreendidos por desconhecidos que efetuaram vários disparos.

Por volta das 21h desta sexta-feira (11), um homicídio aconteceu em Mangabeira VIII, quando José de Lima Fenandes, 24 anos, se dirigia a pé em direção à praia de Jacarapé, Litoral Sul, e foi alvejado com vários tiros por homens desconhecidos. Ele ainda chegou a ser socorrido para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena em João Pessoa, mas não resistiu a gravidade dos ferimentos e morreu ao dar entrada na unidade.

Já na madrugada deste sábado (11), Irinaldo Inácio Francisco de Morais, 21 anos, foi assassinado também enquanto caminhava na rua. Dessa vez, dois homens em uma motocicleta chegaram disparando cerca de oito tiros contra a vítima que morreu no local.

 

 

portalcorreio

Major Fábio aceita convite de Roberto Freire para disputar o Governo da PB

majorO deputado federal Major Fábio confirmou, na noite desta quinta-feira (17), que migrará do Democratas (DEM) para o Mobilização Democrática (MD), criado com a fusão do PPS e PMN.

O deputado disse que foi convidado pelo presidente nacional do PPS e agora presidente do MD, Roberto Freire, para ser candidato a governador da Paraíba em 2014.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Major Fábio revelou que a presidente do MD no Estado será a jornalista Lídia Moura, presidente do PMN na Paraíba.

Deputada Gilma Germano, que preside o PPS na Paraíba perdeu o comando do partido e deve procurar outro partido.

MaisPB com Balanço Geral – 98FM

Major Fábio anuncia saída do DEM: ‘não dá para continuar apoiando esse governador’

major-fabioO deputado federal Major Fábio (DEM) afirmou nesta sexta-feira (8) que está deixando o partido dos Democratas. Segundo ele, ficar no DEM se tornou insuportável já que ele discorda da aliança com o Governo do Estado.

Fábio ainda declarou que pode ter cometido uma falha, já que falou sobre a saída com a imprensa, mas ainda não dialogou com o presidente do partido Efraim Moraes. “Ainda vou falar com ele, gosto muito dele e do deputado Efraim Filho, mas não dá para continuar com um Governo que não respeita os servidores”, justificou.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O deputado federal ainda disse não se importar com o risco de perder seu mandato. “Não tem problema, todo o direito que o DEM tiver, pode entrar na Justiça e reivindicar meu mandato. Eu vou tentar sair da melhor forma possível”, colocou.

“Não da para continuar em um partido que apóia esse governador que está aí. Vou sair no momento certo”, concluiu.

Pedro Callado / Fernando Braz

 

Justiça condena emissora de TV a pagar R$ 30 mil a major da Polícia Militar da Paraíba

O juiz da 11ª Vara Civil de João Pessoa, Rodrigo Marque da Silva Lima, condenou a emissora Rede Record de Televisão a pagar a uma indenização de R$ 30 mil ao major Gutemberg Nascimento de Lima da Polícia Militar da Paraíba. A imagem do oficial foi veiculada em rede nacional da emissora como acusado de participar de um grupo de extermínio que vem agindo na Paraíba. A indenização é por danos morais, ato ilícito, investida caluniosa contra o major e vários outros crimes.

Em sua sentença, o juiz destacou que o exercício da liberdade de expressão e informação mediante meios de vasta divulgação social, exige extrema cautela, não devendo ultrapassar os limites impostos pelo dever de informar com responsabilidade.

De acordo com o juiz a emissora de TV associou e divulgou a imagem do oficial como líder de um grupo de extermínio na Paraíba, sem que tal afirmação esteja, ao menos, respaldada em prova documental inquisitorial no mesmo sentido de origem pública.

Na ação, o major Gutemberg destacou que as investidas ofensivas à sua imagem são inverídicas e por isso sofreu grandes danos morais com a repercussão dada ao fato criminoso. “A justiça tarda, mais não falha e eu só tenho a lamentar esse ato de injustiça, de inverdades cometidas por um parlamentar eleito para defender o povo contra um agente público e, acima de tudo um cidadão de bem com larga folha de prestação de serviços a comunidade. Espero que outros policiais que se sentirem prejudicados com ações caluniosas desse tipo, que tiveram sua dignidade e sua moral abaladas que procurem a Justiça para reivindicarem os seus direitos”, destacou o major.

Paulo Cosme

Paraíba.com.br