Arquivo da tag: maior

Aposta de MG leva R$ 76,5 mi da Mega-Sena; prêmio é o 2º maior do ano

megasenaAcumulado há oito sorteios, o prêmio da Mega-Sena finalmente teve vencedor. Um apostador de Varginha (MG) ganhou sozinho o valor de R$ 76.548.193,31. Os números do concurso 1.871 saíram na noite deste sábado (29). São eles: 03- 11- 17- 33- 52- 58.

Outras 275 apostas dividiram a bolada da quina e levaram, cada uma, R$ 20.893,81. Já a quadra teve 15.560 vencedores, e cada um ganhou R$ 527,52.

O próximo concurso, o 1.872, tem estimativa de prêmio de R$ 2,5 milhões e excepcionalmente será sorteado na noite da quinta-feira (3), em vez da quarta (2), como sempre ocorre.

Este foi o décimo e último sorteio no mês de outubro, e o prêmio estava acumulado há oito sorteios. O valor é o segundo maior do ano, perdendo apenas para o do concurso 1.810, de 20 de abril. Na ocasião, um jogo de Cabrobó (PE) garantiu, sozinho, R$ 92.303.225,84.

O prêmio desta noite também se tornou o nono maior da história dos concursos regulares da Mega. O líder do ranking (ver abaixo) foi o concurso 1.764, em 25 de novembro de 2015, no qual uma aposta vencedora levou R$ 205.329.753,89.

O que dá para fazer?

O prêmio de R$ 75 milhões aplicado na poupança renderia mais de R$ 493 mil. O valor também seria suficiente para comprar 150 imóveis de R$ 500 mil cada um. Ou, então, adquirir 500 carros de luxo, no valor de R$ 150 mil cada um.

No último concurso, o 1.870, os números sorteados foram: 18 – 20 – 30 – 32 – 33 – 40.

Dos dez sorteios realizados em outubro, em apenas dois houve vencedores: no primeiro sorteio do mês, no dia 2, válido pelo concurso 1.862; e no deste sábado.

No sorteio anterior com vencedores, duas apostas de Belo Horizonte acertaram os seis números e dividiram o prêmio de R$ 5.830.364,24.

A chance de se acertar as seis dezenas da Mega-Sena é de uma em 50.063.860 possibilidades.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Pessoas com renda maior são mais estressadas

estresseUm estudo realizado pela Universidade Estadual da Pensilvânia, mostrou que pessoas que tem mais dinheiro possuem uma vida mais estressante, do que as que possuem salário mais baixo.

A descoberta foi feita, após pesquisadores analisarem a rotina de trabalho de 122 pessoas que moram em uma cidade da região nordeste dos Estados Unidos. Essas pessoas foram equipadas com computadores portáteis.

Os pesquisadores pediram que em diversos momentos do dia, os trabalhadores usassem os computadores para informar o nível de estresse e de felicidade que sentiam.

O resultado foi que pessoas com rendas e níveis de escolaridade superior informaram que estavam cerca de 28 por cento mais estressadas e 8,3 por cento menos felizes, de forma geral, que os trabalhadores com rendas e níveis de escolaridade inferiores.

Fonte: Pav Blog

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

PB é o 3º estado com maior número de registro de microcefalia no país

(Foto: Nacho Doce/File Photo/Reuters)
(Foto: Nacho Doce/File Photo/Reuters)

A Paraíba é o 3º estado brasileiro com maior número de casos de microcefalia no país. Levantamento feito até o dia 8 deste mês pelo Ministério da Saúde aponta para a ocorrência de 181 vítimas no período.

Sozinha, a Paraíba tem mais casos do que as regiões Norte e Centro-Oeste, que juntas totalizam 172 ocorrências.

O estado de Pernambuco lidera o ranking com 389 casos, seguidos da Bahia, com 319.

Neste mesmo período, 486 mortes são suspeitas e podem ter ligação com a infecção por zika e a microcefalia. Dentre esses registros, 170 óbitos tiveram confirmação de que foram causados pela malformação e/ou alteração do sistema nervoso central. Outros 96 foram descartados.

Além dos casos comprovados de microcefalia, 3.055 casos ainda são investigados pelos estados e pelo Ministério. Desde o início dos registros, 9.814 casos foram notificados – destes, 4.726 foram descartados. Apenas 381 pacientes com confirmação de microcefalia tiveram a comprovação por critério laboratorial específico para a existência do vírus da zika.

Mesmo com o baixo número de registros de confirmação para o vírus nos casos da malformação, o Ministério “ressalta que esse dado não representa, adequadamente, a totalidade do número de casos relacionados ao vírus. A pasta considera que houve infecção pelo zika na maior parte das mães que tiveram bebês com diagnóstico final de microcefalia”.

Vírus se espalha
O vírus da zika se espalhou ao redor do mundo. Nesta segunda-feira (10), a Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que ele provavelmente irá se propagar pela Ásia. A informação foi divulgada após centenas de casos serem notificados em Cingapura e dois bebês tailandeses terem nascido com microcefalia.

O vírus, transmitido principalmente por mosquitos, foi detectado em 70 países, incluindo pelo menos 19 países da região Ásia-Pacífico, de acordo com o diretor da OMS para a segurança sanitária e emergências, Li Ailan.

A diretora da OMS, Margaret Chan, disse que os líderes da região expressaram preocupações sobre o surto, acrescentando que os especialistas ainda estavam batalhando para encontrar formas de combater o flagelo. “Infelizmente, os cientistas ainda não têm respostas para muitas questões críticas”, disse Chan.

Nos Estados Unidos, uma nova área de transmissão local foi encontrada emMiami. Na Flórida, estado mais afetado pela infecção do zika, foram reportados até esta semana 1.021 casos de zika, incluindo 155 infecções não relacionadas a viagens e 106 infecções em grávidas este ano.


Casos confirmados por estado e região
Alagoas – 84
Bahia – 319
Ceará  – 149
Maranhão – 157
Paraíba – 181
Pernambuco – 389
Piauí – 99
Rio Grande do Norte – 140
Sergipe – 124
Nordeste – 1.642
Espírito Santo – 31
Minas Gerais – 8
Rio de Janeiro – 130
São Paulo – 31
Sudeste – 200
Acre – 2
Amapá – 9
Amazonas – 18
Pará – 1
Rondônia – 7
Roraima – 10
Tocantins – 18
Norte – 65
Distrito Federal – 9
Goiás – 29
Mato Grosso – 48
Mato Grosso do Sul – 21
Centro-Oeste – 107
Paraná – 4
Santa Catarina – 4
Rio Grande do Sul – 11
Sul – 19

MaisPB com G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Greve dos bancários completa 30 dias e é a maior desde 2004

(Foto: Agência RBS)
(Foto: Agência RBS)

A greve dos bancários completa 30 dias nesta quarta-feira (5). É a maior paralisação da categoria desde 2004, segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). Até o dia anterior, a paralisação fechou 13.104 agências e 44 centros administrativos, o que representa 55% do total de agências de todo o Brasil.

Uma nova reunião de negociação foi agendada para esta quarta-feira, em São Paulo.

O dia em que foi registrado o maior número de agências fechadas foi 27 de setembro, quando 13.449 fecharam as portas.

Historicamente, a greve mais longa da categoria foi em 1951. Durou 69 dias e resultou na criação do dia dos bancários.

Desta vez, a greve entra no seu segundo mês. Os bancos e os bancários não conseguem chegar a um acordo sobre o dissídio da categoria.

Os bancários pedem a reposição da inflação do período mais 5% de aumento real (totalizando 14,78% de reajuste), valorização do piso salarial – no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 3.940,24 em junho) e PLR de três salários mais R$ 8.317,90.

Antes do início da greve, no dia 29 de agosto, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) propôs reajuste de 6,5%. Duas novas propostas foram apresentadas depois do início da paralisação, nos dias 9 e 28 de setembro, de reajuste de 7%. Todas foram rejeitadas pelos bancários, que decidiram manter a greve por tempo indeterminado.

Transtorno

A paralisação tem causado problemas para quem precisa fazer operações bancárias. Algumas situações não podem ser resolvidas em canais de autoatendimento e outros recursos alternativos.

GREVES ANTERIORES
2011 Duração 21 dias
Reajuste pedido pelos bancários 12,8%
Reajuste conseguido após negociação com os bancos 9%
Inflação do ano anterior 5,91%
2012 Duração 9 dias
Reajuste pedido pelos bancários 10,25%
Reajuste conseguido após negociação com os bancos 7,50%
Inflação do ano anterior 6,5%
2013 Duração 23 dias
Reajuste pedido pelos bancários 11,93%
Reajuste conseguido após negociação com os bancos 8%
Inflação do ano anterior 5,84%
2014 Duração 7 dias
Reajuste pedido pelos bancários 12,5%
Reajuste conseguido após negociação com os bancos 8,5%
Inflação do ano anterior 5,91%
2015 Duração 21 dias
Reajuste pedido pelos bancários 16%
Reajuste conseguido após negociação com os bancos 10%
Inflação do ano anterior 6,41%

Esse é o caso da dona de casa Claudia Erika Silva da Cruz, 23 anos, de Caraguatatuba(SP). Seu marido trabalhava como frentista em um posto de gasolina, mas foi dispensado e não consegue sacar o seguro-desemprego. “Quando ele foi dar entrada no seguro-desemprego, teve que abrir uma conta na Caixa. Só que o cartão não chegou e deram um provisório”, relata. “[Sem o cartão definitivo] Ele tinha que sacar na agência em que ele abriu a conta, em São Sebastião. O primeiro mês deu para sacar. O segundo não, porque entrou em greve, não deu para fazer mais nada”, diz. “E o cartão não chegou.”

O casal tem uma filha de 8 meses, e o benefício é atualmente a única fonte de renda da família. “Meu marido está fazendo uns bicos, mas com bicos não dá para contar”, reclama Erika.

Valdenir Jose de Sousa, de São Paulo, está desempregado há um mês e não consegue sacar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e dar entrada no seguro-desemprego. “A gente liga na ouvidoria e ninguém passa informação nenhuma. Já venceu o aluguel, tem [fatura do] cartão de crédito dia 8. O dinheiro que eu tinha sobrando já foi todo”, preocupa-se.

Em Maceió, o auxiliar de serviços gerais Isac de Lima, de 23 anos, não consegue receber seu salário porque está sem o cartão da sua agência. Ele disse que o cartão chegou antes do início da greve, mas não conseguiu buscar.

“Faz tempo que estou tentando receber e não consigo. Só estou podendo sacar dentro da agência e não recebi os dois últimos salários por isso. É complicado porque tenho filho para criar e a situação está difícil.”

Resposta dos bancários
O secretário de Imprensa da Contraf, Gerson Carlos Pereira, reconhece os transtornos causados pela paralisação, mas afirma que a greve é a única forma de a categoria buscar um reajuste que considera justo. “A gente pede desculpas para esse povo que está sofrendo nesses 30 dias, mas a gente também pede a compreensão deles”, diz.

“Ninguém gosta de fazer greve. Mas a população tem que entender também que somos pais de família, nós pagamos nossas contas também. Então nós precisamos também ter um salário justo”, diz Pereira.

Alternativas
A Febraban lembra que os clientes podem usar os caixas eletrônicos para agendamento e pagamento de contas (desde que não vencidas), saques, depósitos, emissão de folhas de cheques, transferências e saques de benefícios sociais.

Nos correspondentes bancários (postos dos Correios, casas lotéricas e supermercados), é possível também pagar contas e faturas de concessionárias de serviços públicos, sacar dinheiro e benefícios e fazer depósitos, entre outros serviços.

O G1 procurou o Banco Central para questionar o impacto da paralisação sobre serviços bancários. Segundo o BC, os dados das operações no mês de setembro, quando foi iniciada a greve, serão publicados somente no final de outubro.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

PSB conquista maior número de prefeituras na PB e cresce em relação a 2012; PMDB cai

ricardo-vitoriaO PSB, do governador Ricardo Coutinho, foi o partido que elegeu o maior número de prefeitos na Paraíba. A apuração das urnas, nas eleições desse domingo (2), deu aos socialistas o comando de 53 prefeituras. Entre elas estão Sousa, com Fábio Tayrone, Sapé, com Roberto Feliciano e Mamanguape, com Maria Eunice.

O PSB quase dobrou o número de prefeituras conquistadas em relação ao pleito de 2012, quando venceu em 28 municípios. O resultado de 2016 representa um aumento de 89,29% comparado ao último pleito municipal. Em 2012, o PSB aparecia como a segunda legenda com mais prefeitos eleitos.

O PSDB também subiu no ranking dos partidos detentores do maior número de prefeitos. Das 25 vitórias de chapas majoritárias em 2012, os tucanos passaram para 36 municípios conquistados, vencendo novamente em Campina Grande, segundo maior colégio eleitoral da Paraíba, com Romero Rodrigues reeleito.

Na contramão do crescimento está o PMDB, que apesar de eleger 31 prefeitos neste pleito, caiu em relação a 2012, quando foi o partido com mais vitórias. Nas eleições municipais passadas os peemedebistas venceram em 56 cidades paraibanas, uma queda de 44,64%. Esse ano ficou em terceiro no ranking atrás do PSB e do PSDB.

Ainda na Paraíba nas eleições de ontem, o PSD saiu vitorioso em 26 municípios, ficando na quarta posição dos partidos com mais prefeituras a partir de 2017. Seguido aparece o DEM e o PTB com 17 conquistas, cada.

O PR, do deputado federal Wellington Roberto, elegeu 13 prefeitos, o PDT nove e o PP seis. O PTdoB, PSC e PSL venceram e três municípios, cada, e o PRB em dois. Já o PT, PTN, PMN e PRP só tiveram um prefeito eleito, cada.

blogdogordinho

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Abstenção é a maior das últimas eleições municipais no país

urna-eletronicaMais de 25 milhões de eleitores (17,58%) não compareceram às urnas para votar no primeiro turno das eleições municipais em todo o país. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o número de faltosos totalizou 25.330.431. No total, 118.755.019 eleitores foram às urnas no dia 2 de outubro.

O presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes, considerou normal o percentual de abstenção, apesar de o número ter sido superior aos pleitos municipais de 2012 e de 2008.

“Agora, tivemos uma abstenção de 17,5%, um índice relativamente baixo se levarmos em conta as eleições de 2014 [para presidente e governador], quando tivemos quase 20% de abstenção. Um pouco maior esse índice, todavia, em relação a 2012, quando tivemos abstenção de 16,41%”, afirmou.

Em 2012, no primeiro turno das eleições municipais, 22,73 milhões de eleitores não compareceram às urnas para votar. No primeiro turno de 2008, o índice de abstenção foi mais baixo, de 14,5%. Há oito anos, 18,7 milhões de eleitores não compareceram às urnas.

Estados
O Rio de Janeiro foi o estado com maior percentual de abstenção, com 21,54%, seguido por Rondônia (20,99%), São Paulo (20,73%) e Mato Grosso (20,63%). O menor índice de abstenção foi registrado no Piauí, com 11,75%, seguido pela Paraíba (12,28%) e Santa Catarina (13,01%).

Cidades
Nove cidades do país tiveram índice de abstenção (quando o eleitor não comparece para votar) acima de 30% nestas eleições. Seis desses nove municípios ficam em Minas Gerais, inclusive os cinco primeiros colocados.

CIDADES COM MAIOR ABSTENÇÃO

A cidade em que mais pessoas deixaram de votar foi Minas Novas, onde o índice de abstenção foi de 34,76%. Em seguida vem Rio Vermelho, com 33,5%, e em terceiro lugar, Berilo, com 32,16%.

Além das cidades mineiras, um município no Ceará, um no Amazonas e um na Bahia completam a lista.

Menor índice
A cidade catarinense de Presidente Castello Branco teve o menor índice de abstenção, com 1,55%. Apenas 25 dos 1.611 eleitores da cidade não compareceram para votar.

Na sequência, aparecem dois municípios gaúchos: Travesseiro e Mampituba, ambos com 1,67%. A cidade de Capitão, também no Rio Grande do Sul, registrou 1,83% de abstenção.

Por André Luís Nery

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

PSOL é o partido com o maior nº de candidatos a prefeito nas capitais

psolO PSOL é o partido com o maior número de candidatos a prefeito nas capitais do país, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Das 26 capitais, o PSOL participa da disputa às prefeituras em 24 – fica de fora apenas em Macapá e Rio Branco.

O curioso é que Macapá foi a primeira capital do país a ter um prefeito do PSOL na história. Clécio Luis, eleito em 2012, deixou, no entanto, o partido, e hoje concorre à reeleição pela REDE.

Já o PT concorre à vaga em 18 capitais – fica de fora em Salvador, São Luís, Cuiabá, Teresina, Rio de Janeiro, Porto Velho, Florianópolis e Aracaju.

Outros dois partidos também têm candidatos em mais da metade das capitais nestas eleições. São eles o PMDB (16 disputas) e o PSTU (14). Já o PSDB concorre em exatamente metade das cidades (13).

Já na outra ponta do ranking, cinco siglas participam de apenas uma disputa a prefeito no país: PTC (em Maceió), PTdoB (Belo Horizonte), PCB (Belém), NOVO (Rio de Janeiro) e PSL (Porto Alegre).

A cidade com a disputa com mais candidatos é Campo Grande, em que 15 pessoas vão disputar a vaga a prefeito. Campo Grande, aliás, é o município com mais candidatos não apenas entre as capitais, mas entre as 5.568 cidades do país.

Se forem levadas em conta todas as cidades do país, o PMDB aparece na frente: disputa em 2.352 cidades. O PSDB aparece em segundo, em 1.734 municípios. O PT, que chegou a concorrer em 1.829 cidades em 2012, hoje busca vencer em 991.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Ricardo autoriza maior obra com recursos estaduais da história de Guarabira

ricardo-assinandoO governador Ricardo Coutinho assinou, neste sábado (24), a ordem de serviço autorizando o início das obras do contorno rodoviário de Guarabira, trecho com 8 km de extensão, sendo 4,8 km a construir e 3,2 km para restaurar. A obra vai beneficiar cerca de 58 mil habitantes e está orçada em aproximadamente R$ 8 milhões. Mais de 2.150 veículos passam diariamente pelo local.

Durante a solenidade, Ricardo ressaltou que o contorno rodoviário de Guarabira será uma das obras mais importantes para a mobilidade da cidade. “Estamos em um período de crise nacional, mas resolvemos fazer esta obra porque sabemos da importância que ela tem para os moradores. Guarabira vai ganhar uma obra de mobilidade urbana que vai dar um novo ritmo ao trânsito e trazer um reflexo positivo para a região. Isso também está acontecendo em João Pessoa, onde hoje liberamos mais um trecho do Viaduto do Geisel e acabamos com os engarramentos naquela área. Se um de vocês de Guarabira ou outra cidade for à capital, vai notar que não há mais congestionamentos nas proximidades do Geisel”, disse.

O governador ainda lembrou de outras ações feitas nos últimos anos, em Guarabira, pelo Governo do Estado. “Ampliamos o Hospital Regional, investimos na UPA, na Ciretran, em reformas de escolas, entre outras ações aqui na cidade. E em breve, queremos fazer a Escola Técnica de Guarabira para melhorar a educação para os jovens da região”, pontuou.

As rodovias PB 057/073 vão passar por serviços como terraplenagem em cortes e aterros, sistema de drenagem para águas pluviais e subterrâneas, bueiros, pavimentação em CBUQ, gramagem em taludes de aterros, paisagismos, sinalização horizontal e vertical.

Para o secretário executivo de Comunicação Institucional, Célio Alves, a obra tem repercussão não apenas em Guarabira, mas em toda a região. “Este contorno que o governador autorizou o início das obras vai favorecer, além dos moradores de Guarabira, a população das cidades vizinhas que passam diariamente pelo local. É uma obra de mobilidade urbana que permite que o trânsito flua com tranquilidade e segurança. Fui criado nesta cidade e sei o quanto é uma ação necessária e pedida pelo povo”, observou.

“Ricardo é o melhor governador do Brasil porque faz obras e ações por toda a Paraíba. Estamos andando pelo Estado e percebemos como a população fica satisfeita com obras como esta. O contorno de Guarabira vai acabar com problemas relacionados ao trânsito na área. Estrada representa desenvolvimento e qualidade de vida para os cidadãos”, ressaltou o deputado estadual, Gervásio Maia Filho.

A vendedora Ana Cristina afirmou que o contorno vai fazer com que ela e outros trabalhadores cheguem mais rápido ao trabalho. “Fiquei muito feliz em saber que a obra do contorno de Guarabira vai ser feito pelo Governo. Era um pedido de muitos moradores, porque a gente sabe a dificuldade que é para passar naquela área. Desde já eu agradeço a Ricardo por trazer mais este benefício para os guarabirenses”, comemorou.

Com Secom

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Paraíba gera 2º maior saldo de empregos do país em agosto

desempregoMesmo em cenário agravado pela forte recessão econômica, a Paraíba voltou a ser destaque na geração de empregos com carteira assinada no país. Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta sexta-feira (23) pelo Ministério do Trabalho, mostram que o Estado gerou 5.905 vagas no mês de agosto, o segundo maior saldo do país. O desempenho ficou atrás apenas de Pernambuco (9.887) entre as 26 unidades de federação e do Distrito Federal. Já o país manteve saldo negativo, no último mês, com 33.953 postos.

Segundo dados do Caged, o saldo positivo de agosto da Paraíba foi puxado pelo maior volume de contratações nos setores da agropecuária (2.921), da indústria de transformação (2.710) e de serviços (520). Foi o melhor agosto em geração de vagas do Estado dos últimos três anos, potencializado pelo início da safra da zona canavieira e da fabricação de etanol e açúcar pelas usinas.

Os municípios paraibanos que mais contribuíram com contratações foram Mamanguape (1.224), Santa Rita (1.078) e Sousa (105). Já a capital paraibana liderou a queda do emprego no mês de agosto com saldo negativo de 143 vagas.

Cenário regional – A Paraíba foi responsável por 30% dos 19.903 empregos gerados nos nove Estados do Nordeste em agosto. A região apresentou o maior saldo do país no último mês. O Sul registrou apenas 1.857, enquanto Sudeste (-50.862), Centro-Oeste (-2.586) e Norte (-1.825) apresentaram saldo negativo.

O país manteve a trajetória de queda pelo 17º mês seguido. Em agosto, o saldo negativo de 33.953 vagas foi oriundo de 1,253 milhão de admissões contra 1,287 milhão de desligamentos. No acumulado do ano, o nível de emprego formal apresentou declínio de 651,288 mil postos de trabalho. A Paraíba registrou em oito meses saldo negativo -7,769 mil, o menor entre os nove estados do Nordeste. A região acumula perdas de 204,9 mil vagas.

Entre os Estados, a maior queda no nível de emprego formal foi registrada no Rio de Janeiro, com o fechamento de 28.321 vagas, dados influenciados também pelo fim dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos. Também houve perda de vagas em Minas Gerais (-3.121), devido o fim do ciclo de produção de café, e Espírito Santo (-4.862).

Secom-PB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Portuguesa perde em MG e cai para a 4ª divisão na maior crise da história

portuguesaNoventa e seis anos após sua fundação, tendo conquistado um vice-campeonato brasileiro, três títulos estaduais paulistas e um lugar cativo na história do futebol nacional, a Portuguesa perdeu para o Tombense por 2 a 0, no interior de Minas, e foi rebaixada à quarta divisão do país.

Foi seu quarto rebaixamento em apenas três anos. Em 2013, o time fundado por imigrantes portugueses estava jogando na Série A, a elite do futebol brasileiro.

Algumas dezenas de torcedores saíram da capital paulista e enfrentaram mais de 12 horas de estrada para torcer pela salvação do quarto time mais importante da cidade, que precisava de uma vitória e de um tropeço do Macaé para se livrar do rebaixamento na Série C.

O Botafogo-SP ajudou a Portuguesa e empatou com o Macaé, mas a Portuguesa não conseguiu superar o Tombense.

Logo aos 29min do primeiro tempo, o atacante Alex balançou as redes a favor do clube de Tombos de Minas e começou a decretar a queda lusa. No segundo tempo, Bileu aumentou o placar com um belo chute de direita. Apesar da vitória, o Tombense não se classificou porque precisava de um empate do Juventude, que acabou vencendo.

Mas o calvário da Portuguesa não começou na tarde deste domingo. Ao longo dos 18 jogos deste campeonato, a equipe acumulou 12 derrotas e apenas quatro vitórias. Seu saldo de gols de -13 foi o segundo pior de seu grupo. O Guaratinguetá, disparado a pior equipe da chave com incríveis -41 gols de saldo, venceu apenas uma partida no campeonato: justamente contra a Portuguesa.

Os dois morreram abraçados e terão que jogar a quarta divisão no que vem.

Derrocada relâmpago começou com o “caso Héverton”

Mas a derrocada lusitana foi construída rapidamente desde o famigerado escândalo que a rebaixou para a Série B em 2013. O time havia se salvado da queda em campo, mas a escalação irregular do meia Héverton em um jogo contra o Grêmio mudou a classificação do campeonato e acabou rebaixando a Portuguesa (e, consequentemente, salvando o Fluminense, que havia caído em campo).

No ano seguinte, a Portuguesa conseguiu fazer uma campanha ainda pior e terminou o ano na lanterna da Série B, acabando rebaixada à terceira divisão. Em 2015, conseguiu se manter na Série C, embora tenha sido rebaixada no Campeonato Paulista. Agora, na quarta divisão nacional e na segunda estadual, chega ao fundo do poço da sua história.

O desempenho dentro das quatro linhas foi resultado direto de uma desorganização sem precedentes fora delas. Com uma situação política conturbada, o clube atrasou salários de atletas e comissão técnica, deixou de pagar até conta de luz e hoje vive a ameaça de ter uma parte de seu estádio, o Canindé, leiloada para o pagamento das dívidas.

Portuguesa não conseguiu mostrar futebol, mas também deu azar

Em Minas, a Portuguesa foi dominada na maior parte do jogo. O atacante Nunes, um dos mais experientes do time, errou um chute que poderia ter aberto o placar no começo da partida. Os paulistas chegaram a botar duas bolas na trave, mostrando que também não estavam com muita sorte, mas atacavam de maneira desorganizada e não conseguiram impor maior pressão.

Com apoio de sua torcida, o Tombense parecia mais tranquilo e fez seus dois gols aproveitando contra-ataques bem armados. No final, quando a Portuguesa tentava desesperadamente diminuir o marcador, era o time da casa quem se mostrava mais perto de chegar a um terceiro gol.

Os classificados do Grupo B da Série C são Guarani, Boa Esporte, Botafogo-SP e Juventude. Eles jogam um mata-mata com os classificados do grupo A para definir os quatro que sobem à Série B. Os classificados do Grupo A saem ainda neste domingo.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 


INSTAGRAM @focandoanoticia


Focando a Notícia - CNPJ: 11.289.729/0001-46
Proibida reprodução total ou parcial deste site sem aviso prévio
jornalismo@focandoanoticia.com.br
(83) 99301.2627