Arquivo da tag: Maicon

Maicon assume falha e se declara “principal culpado” por empate do SP

mirasolO empate por 2 a 2 com o Mirassol não sairá da garganta do São Paulo tão cedo, principalmente depois que o time do Morumbi chegou a abrir dois gols de vantagem com o estreante Lucas Pratto e Rodrigo Caio. O zagueiro Maicon assumiu a responsabilidade pelo resultado.

“Eu tenho uma parcela muita grande de culpa nisso. Foi um momento meu de displicência. Acabei complicando com o gol deles e isso deixou o time deles mais forte. Então eu me vejo como o principal culpado”, disse o jogador ao Premiere na saída de campo.

Já aos 30 minutos do segundo tempo, o zagueiro tentou um drible em Rafhael Lucas, que tinha acabado de entrar no lugar de Zé Roberto, e não teve sucesso. O atacante do Mirassol ficou cara a cara com Sidão e conseguiu, com tranquilidade, fazer o primeiro gol da equipe visitante. Xuxa selou o empate aos 46.

“Dentro de casa, com 2 a 0, dava para a gente controlar o jogo. Mas acabamos dando um vacilo que faz parte do futebol. A gente estava numa sequência boa de vitórias. Lógico que um empate dentro de casa é sempre ruim, mas é levantar a cabeça e seguir em frente”, disse o meio-campista Cícero.

Outros jogadores não demoraram para detectar os erros que permitiram o empate. “Tivemos um pouco de desatenção no fim do jogo, achamos que estava ganho e permitimos o empate. Agora, é levantar a cabeça”, disse o meia Lucas Fernandes, que entrou no segundo tempo no lugar de Cueva.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Maicon Andrade vira luta com ponto no fim e conquista medalha de bronze

 (Foto: REUTERS / Peter Cziborra)
(Foto: REUTERS / Peter Cziborra)

Prazer, Maicon Andrade! Os entusiastas do taekwondo o conhecem como uma das promessas do Brasil na modalidade. Neste sábado, na Arena Carioca 3, porém, o lutador expandiu as fronteiras e deu seu cartão de visitas ao grande público após conquistar a medalha de bronze com a vitória por 5 a 4 – dramática, diga-se – contra o britânico Mahama Cho. De pouco conhecido ao pódio nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro: aos 23 anos de idade, o atleta de Ribeirão das Neves (MG) escreve a página mais relevante de sua curta – e já vitoriosa – história.

A proximidade de uma medalha olímpica, aparentemente, deixou Maicon Andrade e Mahama Cho intimidados. Os atletas, combativos em seus confrontos anteriores, travaram um primeiro round morno, com pouca movimentação e troca discreta de golpes. Eles se estudavam, ameaçavam chutes laterais – sem contundência – e ainda se acostumavam com a ideia de que estavam na luta mais importante de suas carreiras.

No segundo round, Cho arriscou um chute giratório para tentar acertar Maicon. O brasileiro desenhou um chute rodado, contudo, passou sem qualquer contato físico. Na sequência, o britânico “esquentou” e, ao esticar a perna, conectou ótimo chute alto: 3 a 0. O anfitrião ainda descontou e anotou seu primeiro ponto. Apesar da vantagem no placar, a luta ficou franca, enfim. Maicon apostou nas combinações de chutes, mas foi para o intervalo com dois pontos atrás no placar.

taekwondo, Maicon Andrade, Mahama Cho (Foto: REUTERS / Peter Cziborra)Maicon Andrade e Mahama Cho travaram uma batalha dura durante os três rounds (Foto: REUTERS / Peter Cziborra)

O terceiro round começou sob gritos de “eu acredito!” E Maicon seguiu à risca: foi para cima e fez a vantagem cair para um ponto. Logo depois, a virada relâmpago: 4 a 3. A alegria, porém durou pouco, com empate ligeiro do britânico. A menos de dez segundos do fim, quando o “golden point” surgia no horizonte, Maicon desempatou, anotou 5 a 4 e explodiu o “caldeirão”. Houve tempo de pedir replay por um suposto chute na face desferido pelo brasileiro – pedido indeferido pela arbitragem. A dois segundos do fim, bastou a Maicon Andrade segurar o placar e correr para as arquibancadas e se jogar nos braços da mãe, dona Vitória, dos treinadores e dos amigos.

Com a bandeira do Brasil em punho, Maicon circulou a arena e recebeu aplausos e gritos de incentivo dos compatriotas. Próximo da área de combate, colocou a bandeira no chão, a beijou e agradeceu. O esforço do jovem, que trabalhou como garçom e pedreiro no início da carreira, enfim, foi recompensado.

globoesporte

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br