Arquivo da tag: Lusa

Com Fred no centro das atenções, Flu joga contra a Lusa no Engenhão

O primeiro encontro entre Fluminense e Portuguesa no Engenhão será especial para Fred. Quando entrar em campo às 21h deste sábado, o atacante completará 400 jogos na carreira, 127 deles pelo Tricolor, que se tornará o clube que mais vezes defendeu. É um ingrediente a mais para deixá-lo no centro das atenções, numa semana em que chegou às Laranjeiras com seu novo carro, um Porsche Panamera avaliado em R$ 950 mil.

O atacante, que voltou de lesão no empate por 0 a 0 com o Inter, no domingo passado, tentará ajudar o Fluminense a encerrar a sequência de três empates e conseguir a primeira vitória em casa neste Campeonato Brasileiro. O time soma seis pontos e ocupa o décimo lugar, pouco acima da Portuguesa, que tem quatro e está em 12º. Na última rodada, os paulistas conseguiram seu primeiro triunfo na competição ao baterem o Atlético-GO.

O Fluminense continua bastante desfalcado, mas terá pela segunda vez seguida o trio ofensivo formado por Deco, Fred e Wellington Nem. Será um desafio para a defesa da Portuguesa, que contra os goianos pela primeira vez no torneio não sofreu gol.

O árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva (PA) apita a partida. Ele será auxiliado por Carlos Berkenbrock e Kleber Lucio Gil, ambos de Santa Catarina. O Premiere exibe a partida para todo o Brasil. O GLOBOESPORTE.COM acompanha todos os lances em Tempo Real, com vídeos exclusivos.

header as escalações 2

Fluminense: Abel Braga resolveu fazer mistério em relação ao dono da lateral direita. Ele já tem o time na cabeça, mas não o divulgou. Bruno e Wallace brigam pela vaga. Na esquerda, Carlinhos deve jogar, mas Carleto está de sobreaviso caso as dores musculares não melhorem. De resto, o time atua sem novidades: Diego Cavalieri, Wallace (Bruno), Gum, Anderson e Carlinhos (Carleto); Edinho, Jean, Wagner e Deco; Wellington Nem e Fred.

Portuguesa: satisfeito com a primeira vitória da Lusa no Brasileirão, conquistada diante do Atlético-GO, na última rodada, o técnico Geninho não deve fazer muitas alterações na equipe titular. Ricardo Jesus disputa com Vandinho uma vaga no ataque. Recuperado de lesão muscular, Michael volta a ficar à disposição da comissão técnica. Assim, a Portuguesa deve entrar em campo com Gledson; Gustavo, Rogério e Lima; Luis Ricardo, Boquita, Moisés, Léo Silva e Raí; Ananias e Vandinho (Ricardo Jesus).

quem esta fora (Foto: arte esporte)

Fluminense: não há ninguém suspenso, mas o departamento médico tricolor continua cheio. Ao todo, cinco jogadores ainda se recuperam de lesões: o volante Diguinho (entorse no tornozelo esquerdo); o zagueiro Leandro Euzébio (hérnia de disco); o meia Thiago Neves (submetido a uma artroscopia) e os atacantes Rafael Sóbis (lesão na coxa direita) e Rafael Moura (tendinite nos tornozelos). Além deles, o volante Valencia, já recuperado de um estiramento na coxa direita, segue trabahando a parte física.

Portuguesa: o técnico Geninho tem problemas para escalar a equipe. O lateral-esquerdo Marcelo Cordeiro, o zagueiro Leandro Silva e o meia Maylson, entregues ao departamento médico, são desfalques. O goleiro Dida e o zagueiro André Luis já treinam normalmente com o restante do elenco, mas não foram relacionados para a partida.

header pendurados (Foto: ArteEsporte)

Fluminense: Edinho.

Portuguesa: Gustavo e Luís Ricardo.

header o árbitro (Foto: ArteEsporte)

Dewson Fernando Freitas (PA) apita a partida, auxiliado por Carlos Berkenbrock (Fifa/SC) e Kleber Lucio Gil (SC). Dewson participou de dois jogos no Brasileiro de 2011, não aplicou nenhum cartão vermelho, nenhum pênalti e assinalou 66 faltas (média de 33) em um campeonato que registrou média de 0,3 vermelho, 35,8 faltas e um total de 116 pênaltis. Ele faz sua estreia neste campeonato.

header fique de olho 2
Fluminense:
Fred entrará em campo pela 400ª vez na carreira. São 127 jogos pelo Tricolor, superando os 126 pelo Lyon, clube que ele havia defendido mais vezes até então. Desde a sua estreia, em março de 2009, marcou 84 gols, uma média de 0,67 por partida. O atacante apressou sua volta aos gramados contra o Inter, após recuperar-se de lesão muscular na coxa direita, e foi substituído aos 29 minutos do segundo tempo.

Portuguesa: um dos principais destaques da Lusa na ótima campanha na Série B do ano passado, o lateral-direito Luís Ricardo tem participação em grande parte das jogadas ofensivas da equipe. Favorecido pelo esquema com três zagueiros adotado por Geninho na última rodada, o jogador apareceu com frequência no ataque e deu assistência para Ricardo Jesus marcar o primeiro gol da partida.

header o que eles disseram

Abel Braga, técnico do Fluminense: “A Portuguesa é um time que passou por uma reformulação grande. Conversei até isso com o Geninho. Mas senti que a vitória sobre o Atlético-GO trouxe uma mudança de ambiente. Os jogadores estão mais leves. Era importante para eles nesta Série A, após a Série B brilhante que fizeram. Jogos como esse costumam gerar problemas, e nós vamos ter de lutar muito para vencer”.

Geninho, técnico da Portuguesa: “Sabemos da dificuldade desse jogo, mas estamos preparados. A expectativa de vencer é muito grande. Precisamos nos manter centrados e focados no resultado positivo“.

header números e curiosidades

* O último confronto entre os times foi pela Copa do Brasil de 2010, com duas vitórias tricolores: 1 a 0 no Canindé e 3 a 2 no Maracanã. Pelo Brasileiro, não se enfrentam desde 2008, quando o Flu venceu por 3 a 1 no Maracanã, com gols de Washington, Tartá e Romeu (Edno descontou).

* A última vitória da Lusa sobre o Fluminense no Rio de Janeiro foi pelo Torneio Rio-São Paulo de 2002. No dia 23 de feveirero, os paulistas fizeram 4 a 3 no Maracanã, gols de Evandro (duas vezes), Uribe e Márcio Goiano. Magno Alves, duas vezes, e Flávio marcaram para o Flu.

* O Fluminense jogou 14 vezes no Engenhão neste ano, com seis vitórias, cinco empates e três derrotas, marcando 18 gols e sofrendo 14.

header último confronto v2

O último duelo entre Fluminense e Portuguesa contou com um show de Fred. O atacante marcou os três gols do Tricolor na vitória por 3 a 2 sobre a Lusa, que selou a classificação do time para as quartas de final da Copa do Brasil. O confronto foi realizado no Maracanã, dia 22 de abril de 2010.

Globoesporte.com

Palmeiras começa bem, mas sofre no fim, e Lusa busca empate na estreia

O Palmeiras parece não aprender com alguns erros do passado, e isso custou ao time uma boa vitória na estreia no Campeonato Brasileiro. Neste sábado, diante da Portuguesa, no Pacaembu, a equipe começou bem, viu Luan fazer seu primeiro gol no ano, mas sofreu com a reação dos rivais rubro-verdes, que buscaram o empate em 1 a 1 e comemoraram a igualdade conquistada fora de casa. O gol que o Verdão levou, mais uma vez, foi pela bola aérea. O baixinho Rodriguinho cabeceou sem marcação e decretou o resultado final. Um alívio para a Lusa, abalada pelo rebaixamento no Campeonato Paulista.

Valdivia e Marcos Assunção foram poupados, mas começar bem o campeonato poderia significar um ganho de moral para a decisão de quarta-feira contra o Atlético-PR, que vale vaga nas semifinais da Copa do Brasil – no jogo de ida, empate em 2 a 2. No entanto, o time que mais empatou no Brasileirão do ano passado (17 vezes em 38 jogos) começou a atual edição da mesma forma. E Felipão ainda viu Leandro Amaro, Barcos e Daniel Carvalho saírem machucados.

Já a Portuguesa de Geninho tem muito a comemorar. Fraca tecnicamente e até entregue em alguns momentos do jogo, a Lusa teve méritos ao se lançar para o ataque e reagir. A pequena torcida rubro-verde no Pacaembu celebrou e tirou onda com os palmeirenses, que vaiaram a equipe e o técnico Luiz Felipe Scolari. De forma irônica, o comandante aplaudiu sua própria torcida.

O Palmeiras joga duas vezes na próxima semana: contra o Atlético-PR, quarta-feira, em Barueri, pelo jogo de volta das quartas de final da Copa do Brasil, e domingo, contra o Grêmio, às 16h, no Olímpico, pela segunda rodada do Brasileirão. A Lusa volta a campo só no próximo sábado, às 18h30m, quando recebe o Vasco no Canindé.

Desencanta, Luan!

Luan começou a temporada de forma tímida, jogando pouco e tendo de passar por uma cirurgia no pé que o tirou de combate por quase três meses. Neste sábado, ele foi uma das novidades do time alviverde – o atacante entrou na vaga de Mazinho – e correspondeu rapidamente às expectativas. Com disposição e velocidade, o jogador comandou a maioria das ações pelo lado esquerdo do ataque.

Luan gol Palmeiras (Foto: Piervi Fonseca / Ag. Estado)Luan comemora o gol do Palmeiras sobre a Lusa, no Pacaembu (Foto: Piervi Fonseca / Ag. Estado)

O Verdão se mostrou seguro, tocando a bola com paciência e procurando brechas na retraída defesa rubro-verde. Preocupado com o domínio rival, o técnico da Lusa, Geninho, chamou seus defensores em vários momentos para corrigir posicionamento. A perda do artilheiro Ricardo Jesus logo nos primeiros minutos só aumentou a tendência defensiva da equipe rubro-verde. Depois de levar uma batida na cabeça, ele foi levado para um hospital para ser examinado. Apenas precaução: Ricardo deixou o Pacaembu consciente. Rodriguinho entrou em seu lugar e se transformaria num dos personagens principais da partida.

O Palmeiras se lançou tanto ao ataque que fez a Portuguesa acordar. O lado esquerdo do Verdão, com Luan e Juninho, deu brechas na parte defensiva. Por ali, Luis Ricardo fez uma linda jogada e até entraria com a bola no gol, não fosse uma defesa difícil praticada por Bruno. Mesmo assim, as jogadas com o lateral-direito foram pouco para uma equipe que precisa pensar em sua manutenção na Série A.

O Verdão, por sua vez, tem mais qualidade. Um toque de calcanhar de Barcos deu início à jogada que terminaria no pé esquerdo de Luan, aos 37 minutos. O atacante acertou o canto direito de Weverton e mostrou que não perdeu o jeito durante o tempo fora do time. Primeiro gol na temporada para o “operário” de Felipão, justamente no Brasileirão, campeonato que o atacante tanto gosta. No ano passado, ele foi o artilheiro do Palmeiras na competição, com nove gols.

Lusa sufoca e empata

O time que quer ser campeão brasileiro precisa de um elenco qualificado e com opções. No segundo tempo, o Palmeiras mostrou que melhorou muito nesse aspecto em relação ao ano passado. Sem Leandro Amaro, com dores no quadril, Felipão lançou Maurício Ramos – o padrão defensivo foi mantido. E quando Daniel Carvalho sentiu uma fisgada na coxa e pediu para sair, o técnico tinha duas boas opções: Mazinho e Felipe. O primeiro foi o escolhido.

Titular nos últimos três jogos, Mazinho jogou pela primeira vez como meia, sua posição original. Antes ele fazia a função de Luan, quando o atacante estava suspenso pelo STJD. Mais recuado, o meia fez a bola chegar algumas vezes a Hernán Barcos, que na estreia de sua camisa 9 foi pouco acionado e ainda saiu depois de sentir dores na região da virilha. O próprio Mazinho apareceu como elemento surpresa ao invadir a área e quase fazer o segundo gol do Verdão, aos 14 minutos.

Com a Lusa sem reação, o Palmeiras passou a estudar variações táticas. Patrik ficou mais aberto à direita, quase como um ponta, e Luan fez o mesmo do outro lado. Depois foi Cicinho quem fez papel mais ofensivo, com boas jogadas pela direita. A torcida alviverde, passando frio no Pacaembu, só esperava o fim do jogo para comemorar os primeiros três pontos no Brasileirão.

Seria fácil para o Verdão tocar a bola, fazer o tempo passar e se poupar para o duelo contra o Furacão, pela Copa do Brasil. Mas a equipe de Felipão parece “gostar” de sofrer nos minutos finais, mesmo diante de equipes inferiores. E isso quase sempre é sinônimo de castigo. Foi o caso neste sábado.

Com campo para jogar, a Lusa foi para cima e passou a rondar a área palmeirense com bastante perigo. Acuado, o Verdão via o adversário crescer cada vez mais. Até que, aos 41, após cruzamento da direita, Rodriguinho subiu livre – Henrique, que estava em sua marcação, não esboçou nenhuma reação – e empatou a partida. O susto fez o Verdão ir para cima. Aos 46, Maikon Leite, recebeu na direita, já dentro da área, e mandou a bomba, que explodiu no travessão. Foi o último lance de destaque da partida.

A Turma do Amendoim, grupo de corneteiros palmeirenses, passou a xingar o técnico Luiz Felipe Scolari, que retribuiu com sorrisos irônicos. Já a pequena torcida da Lusa respira a aliviada: um ponto conquistado no retorno à Série A.

Globoesporte.com