Arquivo da tag: Lucas

Vasco confirma acerto com meia-atacante Lucas Crispim

O Vasco confirmou, na manhã desta quarta-feira, através de seu site oficial, a contratação do meia-atacante Lucas Crispim. Revelado na base do Santos, o jogador de 19 anos (completa 20 no dia 19 de junho), ficará no clube por empréstimo até o fim do ano, com opção de compra ao término do acordo. O Vasco não divulgou detalhes sobre a apresentação do reforço, que deve acontecer até o fim desta semana.

Lucas Crispim chegou ao Rio nessa terça-feira e apareceu ao lado de outros recém-chegados do Vasco, Rafael Silva e Anderson Salles, em um jantar. O encontro foi registrado pelo empresário Gustavo Carmo.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Lucas Crispim vasco   (Foto: Marcelo Sadio/Vasco da Gama)Lucas Crispim posa com a camisa cruz-maltina para o site oficial do clube  (Foto: Marcelo Sadio/Vasco da Gama)

Menino da Vila, Crispim ainda não atuou profissionalmente e ficou conhecido pelo relacionamento que teve com a irmã de Neymar, Rafaella. O jovem pertence à empresa Think Ball, que também levou o meia Douglas ao Vasco, e tem contrato com o Santos até dezembro de 2016. Ele está no Peixe desde 2007. Há três anos, o garoto rejeitou oferta para jogar no Genoa, da Itália.

No Vasco, Crispim também vai lutar para aparecer no elenco. O meio de campo vascaíno tem Douglas, como titular absoluto, Dakson como reserva imediato e o colombiano Montoya, que também disputa posição no ataque. Crispim também atua pelas pontas, o que se torna uma alternativa a mais para o esquema com três atacantes do técnico Adilson Batista.

Confira a ficha do jogador:

Nome completo: Lucas de Figueiredo Crispim
Nascimento: 19/06/1994
Naturalidade: Brasília (DF)
Altura: 1,78m
Clubes:
2005: Genoma Colorado/Internacional-RS (DF)
2006: CFZ-DF
2007: Santos
Títulos:
2008: IV Copa Saudade Sub-15
2009: Copa Ouro Sub-15, Copa Nacional (Sub-15) e Campeonato Paulista (Sub-15)
2010: Campeonato Paulista Sub-17 2012: Jogos da Juventude Sub-18, Jogos Regionais Sub-18 e Campeonato Paulista Sub-20
2013: Copa São Paulo de Futebol Júnior

 

 

Por 

Felipão convoca Osvaldo para o lugar de Lucas, cortado por contusão

Osvaldo, nesta quarta-feira, durante viagem paraBuenos Aires (www.saopaulofc.net)
Osvaldo, nesta quarta-feira, durante viagem para
Buenos Aires (www.saopaulofc.net)

O atacante Osvaldo, do São Paulo, foi convocado nesta quarta-feira, pelo técnico da Seleção, Luiz Felipe Scolari, para o lugar do cortado Lucas. O jogador do Paris Saint-Germain está fora dos amistosos contra Itália, dia 21, em Genebra, na Suíça, e Rússia, dia 25, em Londres, na Inglaterra, por conta de lesão no tornozelo esquerdo. Em seu lugar, vai o jogador que vem se destacando no Tricolor.

Osvaldo se destacou no São Paulo no ano passado justamente jogando com Lucas, ídolo da equipe do Morumbi. Com a saída do meia-atacante para o futebol francês, o atacante cearense ganhou os holofotes e cresceu ainda mais. Nesta temporada, ele tem sete gols até aqui, contando Libertadores e Campeonato Paulista.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Essa é apenas a segunda convocação de Felipão nessa segunda passagem pela Seleção. Em sua estreia, no dia 6 de fevereiro, o Brasil perdeu por 2 a 1 para a Inglaterra, no estádio de Wembley, em Londres. Antes de convocar o grupo para a Copa das Confederações, há mais dois amistoso programados.

O primeiro deles dia 6 de abril, contra a Bolívia, em Santa Cruz de La Sierra. A partida terá renda revertida para a família do garoto Kevin Espada, morto por um sinalizador no empate por 1 a 1 entre San José e Corinthians, no último dia 20 de fevereiro, em Oruro, pela Libertadores da América.

Depois disso, o próximo amistoso será no dia 24 de abril, contra o Chile, no estádio do Mineirão. Nessas duas partidas, Felipão deve chamar apenas jogadores que atuam no futebol brasileiro. Com base nesses cinco jogos é que o treinador vai definir o grupo que vai para a Copa das Confederações.

 

 

Globoesporte.com

Lucas é apresentado pelo PSG de olho no posto de melhor do mundo

Lucas em sua apresentação no PSG (Foto: Daniela Scatolin / TV Globo)

Lucas foi apresentado oficialmente nesta terça-feira, em Doha, no Catar, como jogador do Paris Saint-Germain. Ainda sem número na camisa, o ex-são-paulino aguarda a definição da situação de Nenê para, quem sabe, herdar a camisa 10 do atacante brasileiro. Sem medo da pressão, logo em sua primeira entrevista pelo clube francês, o ex-são-paulino afirmou que pretende se tornar o melhor jogador do mundo e até mesmo gostou das palavras do novo técnico Carlo Ancelotti que o comparou com Lionel Messi.

– Não tenho medo da pressão, jogador de futebol vive disso… Vim aqui para fazer o meu melhor. Fico feliz com as palavras do técnico. Vou jogar contra grandes times e grandes jogadores. Farei de tudo para alcançar o objetivo de ser o número um – disse o atleta.

O meia-atacante, que se apresentou ao time francês no último dia de 2012, ainda não sabe se vai participar do amistoso da equipe no país árabe. Caso não seja selecionado para a partida, a estreia ficará para a primeira do ano no Campeonato Francês,  no dia 12 de janeiro.

Motivado, o jogador usa o exemplo de Ronaldinho Gaúcho e Ronaldo para marcar época na Europa. No entanto, Lucas garante que também é fã de outro jogador que os brasileiros não guardam boas recordações em Copas do Mundo: Zidane.

– Meu ídolo, sempre falei, é o Zidane, apesar de ter sido o carrasco do Brasil. Também sempre gostei de ver Robinho, Ronaldinho Gaúcho, Robinho e Denílson, que são jogadores que partem para cima dos adversários. São jogadores que marcaram a história de grandes clubes, e eu espero fazer o mesmo – revelou.

Lucas, apresentação PSG (Foto: Daniela Scatolin / TV Globo)Lucas é apresentado oficialmente em Doha, no Catar (Foto: Daniela Scatolin / TV Globo)

O jovem de 20 anos revelou ter aproveitado a ajuda de outro ex-craque do São Paulo para conhecer a nova casa. Antes de partir para a intertemporada do clube, no Catar, Lucas conversou com Raí, de passagem marcante pelo PSG, para conhecer mais sobre o clube e a cidade, mas já revelou seus planos para os próximos anos.

– Falei bastante com o Raí, e ele me aconselhou a me concentrar em jogar pelo Paris Saint- Germain e a aprender francês. Morar em Paris será uma grande experiência para mim, vou em busca de meus objetivos pessoais, quero ser campeão com o PSG e ser o melhor do mundo. Eu gosto de vencer tudo que disputo – revelou.

A pressão por jogar em um time que vem sendo questionado, apesar do grande investimento do dono da equipe Nasser Al Khelaifi em contratações, não intimida Lucas. Ele afirma que pretende casar bem o desempenho no PSG com a presença na seleção brasileira.

Lucas com sua mãe Fatima, apresentação PSG (Foto: Daniela Scatolin / TV Globo)Atleta posa com a camisa ao lado da mãe, Fátima
(Foto: Daniela Scatolin / TV Globo)

– Meu objetivo é ajudar o grupo a ganhar títulos. Esta equipe é competitiva, e penso que teremos sucesso. Não esqueço a seleção brasileira, e este objetivo de ser o melhor jogador do mundo. Nunca penso em perder em campo. Não tenho medo de pressão. Vou fazer o melhor todos os dias para honrar a camisa que visto.

O ex-atleta do São Paulo também destacou a importância de Leonardo, diretor do PSG, em sua contratação e agradeceu o apoio do técnico Carlo Ancelotti.

– Fico contente de saber que o treinador confia em mim. O futebol é minha vida. Farei de tudo para alcançar os objetivos e dar alegrias aos torcedores. Quando eu entro em campo eu não tenho medo de nada, de me machucar, vou para cima e aqui, no PSG, os torcedores podem esperar um Lucas com determinação, raça, e que não se intimida. Darei meu melhor pelo clube depois de ter feito isso no São Paulo. O Paris é um grande clube. É um belo objetivo, e Leonardo me ajudou nesta tomada de decisão.

A venda de Lucas abarrotou os cofres do Morumbi. O São Paulo lucrará cerca de R$ 118 milhões.

Globoesporte.com

Nice Almeida – Meu pequeno grande Lucas

 

Há exatos 11 anos a minha vida começava a operar de forma inversa. Tudo passou a funcionar ao contrário. Depois de um parto muito complicado, pela interseção de Nossa Senhora e a misericórdia de Deus, eu recebia a graça de ir para casa levando nos braços o meu pequeno Lucas. Naquele momento, vendo aquele ser tão frágil achei que começaria em minha vida o momento onde eu iria ensinar. Foi o contrário!

Foi ele quem passou a me dar lições diárias de como a vida deve ser vivida.

Ele me ensinou a apagar a luz ao sair do quarto;

Ele me ensinou a desligar o computador ao terminar de usá-lo;

Ele me corrigiu quando soltei uma frase gramaticalmente errada;

Ele deu um ‘tapinha’ na minha boca quando eu falei um palavrão;

Ele passou praticamente a noite inteira acordado verificando a minha temperatura quando estive doente;

Ele me ligou pedindo pra eu não me preocupar, pois já havia tomado remédio, feito compressas e controlado a própria febre;

Ele me liga várias vezes por dia pra saber se está tudo bem enquanto estou no trabalho;

Ele me ensinou a dizer ‘eu te amo’ dezenas de incansáveis vezes ao dia;

Ele me ensinou que o lixo pode ser reciclado e me deu uma tremenda bronca quando joguei um papel no chão;

Ele me ensinou que aquelas coisas velhas que a gente não usa mais podem ser doadas para quem precisa;

Ele olhou pra mim e disse: “mãe a senhora é a melhor cozinheira do mundo”, mesmo quando estávamos comendo apenas arroz com feijão;

Ele me ensinou a juntar as minhas mãos e rezar, e dizer a Deus o quando somos gratos por termos um ao outro, o quanto somos gratos pela nossa existência e pelos nossos dias de vida.

O meu pequeno grande Lucas é o responsável pelo meu crescimento, pela minha maturidade adquirida. Foi ele quem me ensinou o verdadeiro e mais sublime amor. Aquele que só mãe e filho sabem sentir.

O texto é de inteira responsabilidade do assinante

Lucas faz três, acaba com jejum, e São Paulo afunda Sport no Z-4

Lucas não fazia gols há dez jogos, contando Campeonato Brasileiro e Copa Sul-Americana. Eram dois meses de jejum, desde a vitória por 4 a 0 sobre o Botafogo, no dia 30 de agosto. Suas últimas atuações haviam sido abaixo da média. Alguns já apontavam o cansaço do jovem, escalado à exaustão no São Paulo e convocado sempre por Mano Menezes para a seleção brasileira. Erro grave duvidar de um jogador como ele.

Lucas se cansou, sim. Mas de passar em branco. Foram três gols, fato inédito na carreira, para decretar a vitória do São Paulo por 4 a 2 sobre o Sport. Uma vitória que valeu muito. Valeu a vantagem de sete pontos sobre o quinto colocado, agora o Internacional, na luta pela vaga na Libertadores. Valeu a volta de Luis Fabiano, que participou de três gols em ótima atuação no retorno ao time. Valeu a certeza de opções no banco, já que Maicon e Douglas substituíram bem os titulares Jadson, suspenso, e Osvaldo, lesionado. E valeu até mesmo a aproximação do terceiro colocado, Grêmio, que empatou e tem agora dois pontos a mais.

E também causou a tristeza de 31.599 torcedores fanáticos pelo Sport. Esperançosos após dois triunfos consecutivos, eles lotaram a Ilha do Retiro e até se animaram com o gol de Gilberto, logo no início, e com as chegadas rápidas pelas laterais. Mas a precisão de Lucas, a falha incrível de Saulo, que soltou a bola nos pés do atacante são-paulino, e erros imperdoáveis do time ainda no primeiro tempo fizeram a esperança virar desespero. A apatia no segundo tempo não era de quem precisava vencer a qualquer custo.

O Sport só volta aos gramados no outro domingo, em São Januário, contra o Vasco. Mais um confronto difícil na luta para ficar na Série A, apesar da queda livre dos cariocas. O Leão é o 17º colocado, quatro pontos atrás do Bahia, primeiro fora da zona de rebaixamento. Já o São Paulo não terá uma semana de folga. Na quarta-feira, a equipe entrará em campo pela Copa Sul-Americana, em Santiago, contra a Universidad de Chile. E no Brasileirão, o próximo confronto será contra ninguém menos que o líder Fluminense, também no domingo, no Morumbi.

lucas sport x são paulo (Foto: RUBENS CHIRI/PERSPECTIVA/Agência Estado)Lucas posa para fotos dos parceiros após primeiro gol (Foto: RUBENS CHIRI/PERSPECTIVA/Agência Estado)

Tudo errado para Saulo, tudo certo para Lucas

Saulo entrou em campo ovacionado pela torcida do Leão, ainda emocionada com as lágrimas derramadas pelo goleiro após defender pênalti contra o Atlético-GO, na rodada anterior. Lágrimas de alegria que virariam de dor e vergonha na semana seguinte.

O goleiro deve ter se animado com seu início, ao espalmar chute forte de Rafael Toloi, e outro bem colocado por Douglas. E também com o início do Sport. Nos cumprimentos, Rogério Ceni havia dito a Cicinho, companheiro de tantos títulos em 2005, que era um prazer revê-lo. Prazer que virou incômodo nas bolas paradas do lateral-direito, agora no Leão. Ele bateu escanteio na cabeça de Gilberto, que abriu o placar. Logo em seguida, a parceria se repetiu em cobrança de falta, mas Ceni conseguiu espalmar com o pé.

Atrás no placar, o Tricolor melhorou. Maicon foi centralizado e Douglas passou a ser o “novo Osvaldo”, aberto pela esquerda. O time se acertou e a maré de Saulo começou a mudar quando Lucas acertou um chute improvável, de longe. Um golaço! Só não tão improvável quanto seu segundo gol. No cruzamento de Luis Fabiano, a bola parecia dominada nas mãos do goleiro, mas escapou. E escapou nos pés de Lucas. Festa da minoria na Ilha. Desespero da maioria, principalmente de Saulo, que voltou a fazer cara de choro ao se desculpar com as arquibancadas.

Como se não bastasse, até quem estava a favor resolveu jogar contra. Após boa tabela de Cortez e Luis Fabiano, muito participativo, Rivaldo tentou cortar e encobriu o próprio goleiro, marcando contra o terceiro gol são-paulino. O nervosismo do Sport era nítido. O São Paulo parou de dar espaços e os anfitriões não chegaram mais pelas laterais, onde Cicinho e Renê deram muito trabalho nos minutos iniciais.

Rogério Ceni Saulo (Foto: Reprodução)Rogério Ceni consola Saulo após falha do goleiro
do Sport no primeiro tempo (Foto: Reprodução)

Vitória que só não virou goleada ainda no primeiro tempo porque Douglas perdeu chance incrível. De bom mesmo para Saulo, só o abraço consolador de Rogério Ceni antes de irem para o vestiário. E a compreensão dos torcedores.

Hat-trick e tranquilidade

Rivaldo, que era vaiado a cada toque na bola depois do gol contra, nem voltou. Entrou Marquinhos Gabriel. Mas não mudou a apatia do Sport, que já entrou em campo derrotado no segundo tempo. Para quem precisava fazer dois gols para empatar e amenizar a desesperadora situação da tabela, a equipe não teve o menor poder de reação. Hugo, pela esquerda, esbravejou com os parceiros. Não adiantou nada.

Maicon, que dava a cadência ao meio-campo do São Paulo, teve de sair, lesionado. Ney Franco optou por Ademilson, demonstração clara de que apostava no contra-ataque para ampliar a vantagem. Aposta certeira!

Não com Ademilson, mas com a dupla de craques que pode levar a equipe à Libertadores do ano que vem. Lucas, pelo meio após a mudança, tabelou com Luis Fabiano e deslocou Saulo. Mais um do camisa 7 e tranquilidade para os visitantes.

O jogo, muito aberto desde o início, finalmente ganhou ritmo mais lento. Satisfeito com a vitória, o São Paulo tentou administrar e ainda teve uma ótima chance com Luis Fabiano. Ele poderia ter tocado para Rhodolfo, mas imagine como se sente um artilheiro nato quando seu time faz quatro gols e nenhum é dele. O Fabuloso tentou o cantinho, errou, e ouviu seu nome gritado pelos tricolores, como de costume.

No Sport, Hugo seguiu ditando o ritmo. Primeiro, recebeu na entrada da área, bateu com força e obrigou Rogério a fazer uma defesa impressionante. Depois, em cobrança de pênalti sofrido por Gilberto, marcou um merecido gol. Nem comemorou. Ou por já ter sido campeão pelo São Paulo, em 2007 e 2008, ou porque o time da casa não tinha muito a comemorar.

Sport x São Paulo (Foto: Antonio Carneiro/Pernambuco Press)Wellington tenta o desarme durante vitória do São Paulo na Ilha (Foto: Antonio Carneiro/Pernambuco Press)
Globoesporte.com

Com coro por Ganso e Lucas genial, São Paulo bate a Lusa no Morumbi

A torcida do São Paulo gritou o nome de quatro jogadores no Morumbi: o ídolo Rogério Ceni, o craque Lucas, o artilheiro Luis Fabiano e o santista Ganso. Sim, ele ainda nem chegou, deve assinar contrato na segunda-feira, mas já foi bem-vindo. “Uh, terror, o Ganso é tricolor!”, festejaram os torcedores, esperançosos de que seu talento possa consertar parte dos problemas da equipe.

Problemas que voltaram a aparecer, mas não impediram a vitória por 3 a 1 sobre a Portuguesa, no Morumbi. Novamente, o talento individual se sobrepôs a uma atuação por muitas vezes atrapalhada e apressada, com exceção de mágicos 15 minutos. Talento principalmente de Lucas, que não fez o seu, mas infernizou os zagueiros e deu gols para Cortez e Luis Fabiano decidirem o jogo.

A Portuguesa mostrou bem menos do que vinha fazendo no Campeonato Brasileiro. Com um time recuado, sem criatividade, só marcou após um erro de Rafael Toloi. Sorte e mérito do incrível Bruno Mineiro, que aproveitou a chance e fez seu nono gol em 11 jogos. Geninho terá trabalho para consertar sua defesa. Foi muito fácil para o São Paulo se aproximar de sua área. Os três gols poderiam ter sido quatro, cinco, seis… Mesmo sem uma atuação inspirada.

Inspiração que poderá vir com Ganso. Para aquele jogador maduro e genial do início da carreira, há lugar ao lado de Jadson, Lucas e Luis Fabiano. Ney Franco terá de se virar para fazer o time marcar. Mas para o Ganso dos últimos tempos, será complicado se juntar ao trio.

Os dois times voltam a jogar pelo Campeonato Brasileiro no próximo fim de semana. No sábado, às 21h, a Portuguesa encara outro grande paulista, o Santos, no Pacaembu. Já o São Paulo volta a jogar no Morumbi: recebe o Cruzeiro, adversário direto por uma vaga na Libertadores, no domingo, às 16h.

Lucas, São Paulo e Portuguesa (Foto: Marcos Bezerra / Futura Press)Lucas, do São Paulo, parte pra cima da Portuguesa (Foto: Marcos Bezerra / Futura Press)

Tricolor começa a mil, mas falha na zaga

Quinze minutos de sonho e 30 de marasmo para o São Paulo. Resumo simples do primeiro tempo. As trocas de passes entre Maicon, Jadson, Lucas, Osvaldo e Luis Fabiano assustaram a Portuguesa e espantaram o torcedor no Morumbi. Nos dez primeiros minutos, a equipe criou três grandes chances de abrir o placar. O craque Lucas deitou e rolou, o artilheiro Luis Fabiano perdeu e Osvaldo, “patinho feio” num quarteto em que os outros três estão convocados para a seleção brasileira, colocou o São Paulo na frente, aos 5 minutos.

A Lusa parecia assustada e recuada demais, principalmente com os dribles de Lucas. Pra lá, pra cá, tão rápido que quase chegou ao ponto de driblar a ele mesmo. Mas tudo passa. O susto passou, e aos poucos Bruno Mineiro ganhou companhia no ataque, inclusive na marcação da saída de bola do São Paulo, que teve dificuldade em sair de trás.

Osvaldo, São Paulo e Portuguesa (Foto: Idário Café / VIPCOMM)Com Dida no chão, Osvaldo abre o placar para
o São Paulo (Foto: Idário Café / VIPCOMM)

Antes de se perder totalmente em campo, o Tricolor ainda criou mais uma chance. O cruzamento do improvisado lateral-direito Wellington encontrou a cabeça de Fabuloso, que desperdiçou sua terceira oportunidade.

Daí pra frente, o sonho inicial se transformou em terror. Mas não o “terror” que a torcida já cantava na arquibancada e vem da Baixada Santista. Um terror proporcionado por um time apressado e que errou demais. A Lusa nem precisou se esforçar muito. Conseguiu trocar mais passes no campo de ataque e aproveitou erro de Rafael Toloi.

O zagueiro, que já havia ficado no chão no gol de cabeça sofrido contra o Atlético-MG, errou o tempo da subida e desviou para trás, nos pés de Bruno Mineiro, que marcou seu nono gol em 11 jogos no Campeonato Brasileiro, e fez a festa da Fabulosa no Morumbi. Calma… Da Leões da Fabulosa! A torcida rubro-verde, presente em número minúsculo.

Foi assim, com a Fabulosa em festa e o Fabuloso em baixa, que terminou a etapa inicial.

Vitória tricolor vem no segundo tempo

O São Paulo tem Jadson, o maior garçom do Brasileirão com oito passes para gols, e está prestes a ter Ganso. E em determinado momento do segundo tempo, Toloi e Rhodolfo estavam armando, ou tentando armar as jogadas de ataque. Claro que não deu certo, e claro sinal de que a equipe continuou um bom tempo sem atuar bem.

Ao menos a marcação se encaixou melhor e parou de dar liberdade para que Léo Silva, Boquita e Mosiés trocassem passes no meio de campo. A marcação só não foi capaz de impedir o lindo giro de Ananias, que quase acertou o ângulo de Rogério Ceni. Seria um golaço!

Mas com o jogo tão equilibrado e nem tão bem disputado, golaço seria luxo. O importante era balançar as redes. O São Paulo deixou isso claro. Seria um golaço se o chute de Lucas entrasse direto no gol de Dida, mas havia um Cortez no meio do caminho. O lateral-esquerdo, posicionado como centroavante, desviou e não deu chance a Dida.

A vantagem e a chance perdida por Bruno Mineiro foram suficientes para Ney Franco desmontar seu esquema super ofensivo e trocar Osvaldo por Casemiro. Os donos da casa cresceram. Geninho respondeu com Rodriguinho no lugar de Ananias. O problema é que a Lusa já não tinha a mesma organização para sair da defesa para o ataque.

Como se esse fosse o maior problema… O problema mesmo, com letras garrafais, se chamava Lucas. Endiabrado, ele entrou na área como se estivesse chegando em casa, com as portas abertas, e esticou o tapete vermelho para Luis Fabiano fazer seu 12º gol no Brasileirão, isolando-se na artilharia do torneio. Aplausos para a dupla e o Morumbi, novamente, com o Fabuloso calando a Fabulosa.

Lucas e Luis Fabiano, São Paulo e Portuguesa (Foto: Idário Café / VIPCOMM)Luis Fabiano marca e faz graça, ao lado de Casemiro e Lucas (Foto: Idário Café / VIPCOMM)

Globoesporte.com

Mourinho dá aval para Real Madrid contratar Lucas, do São Paulo

Lucas tem o aval de Mourinho (Foto: Gaspar Nobrega / vipcomm)

Se Kaká pode estar de saída, outro brasileiro pode chegar no Real Madrid na próxima temporada. José Mourinho deu o aval para o assinar contrato com o meia Lucas, do São Paulo. O agente do jogador, Wagner Ribeiro, já confirmou que o presidente do clube espanhol, Florentino Perez, o procurou sobre a possibilidade de negociação, segundo a “TV Marca”. Wagner se encontrou com Florentino recentemente.

O preço inicial fixado pelo meia é de € 50 milhões (R$ 124,7 milhões). Outros clubes europeus também estão de olho Lucas, como Chelsea, Paris Saint Germain, Manchester United e Barcelona.

Globoesporte.com