Arquivo da tag: Livre

Bananeiras realiza Conferência Livre de Cultura nesta quinta

lau siqueiraA Prefeitura Municipal de Bananeiras através da Secretaria de Cultura e Turismo promoverá nesta quinta-feira (16), às 14h no Espaço Cultural Oscar de Castro a Conferência Livre para a renovação do Conselho de Cultura, com a participação do Secretário de Estado Lau Siqueira.

Artistas, músicos, artesãos, cantores, associações e demais interessados na manutenção da cultura do nosso município deverão participar para que assim, se possa fortalecer as políticas públicas voltadas para a cultura no Município.

O objetivo dos Conselhos Municipais é a participação popular na gestão pública para que haja um melhor atendimento à população. A proliferação destes Conselhos representa um aspecto positivo ao criar oportunidades para a participação da sociedade na gestão das Políticas Públicas.

O Conselho Municipal de Cultura é um instrumento democrático e participativo da comunidade, com atribuições normativas, deliberativas, consultivas e fiscalizadoras das questões afetas à cultura.

Ascom-PMB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Prefeito eleito de Osasco deixa prisão e fica livre para tomar posse

Aloisio Mauricio /Fotoarena/Folhapress
Aloisio Mauricio /Fotoarena/Folhapress

O prefeito eleito de Osasco, Rogério Lins (PTN), deixou nesta sexta-feira (30) a prisão do Tremembé, no interior de São Paulo, após a Justiça conceder alvará de soltura ao político. O desembargador Fábio Gouvêa, da Seção de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo, expediu a sentença.

Dessa maneira, Lins fica liberado para participar da cerimônia de posse na Câmara Municipal de Osasco, marcada para 8h deste domingo (1º).

O político, no entanto, terá que pagar uma fiança de R$ 300 mil até a segunda-feira (2), ou então poderá ser preso novamente. Segundo o advogado de defesa de Lins, Flávio Christensen Nobre, o desembargador acatou um pedido para que a fiança fosse protelada até o primeiro dia útil de 2017 por causa do recesso de fim de ano.

O prefeito eleito estava preso desde domingo (25) pela acusação de improbidade administrativa. Ele era considerado foragido desde 6 de dezembro.  Atualmente vereador em licença, Lins foi alvo de um mandado de prisão preventiva na Operação Caça Fantasmas, que apura um suposto esquema milionário de fraudes na contratação sem concurso público de centenas de servidores, mantendo funcionários fantasmas nos gabinetes.

Fiança

Na quinta, o desembargador concedeu liberdade ao prefeito eleito e a outros 13 vereadores da cidade mediante o pagamento de fiança de R$ 300 mil para cada um dos acusados, além da entrega do passaporte. Eles também estão proibidos de deixar o Brasil. Na documentação apresentada à Justiça Eleitoral para as Eleições 2016, Lins declarou um patrimônio de R$ 253.486,39 em bens, valor inferior à fiança imposta pelo TJ-SP.

Horas antes de ser preso, no domingo, Lins gravou um vídeo (abaixo) no qual se defende das acusações. “Não tenho dúvida que a verdade virá à tona e a nossa inocência será comprovada”, disse. Ainda no vídeo, ele diz respeitar o trabalho do Ministério Público e da Justiça e diz voltar ao Brasil “de cabeça erguida”.

 

Zebra nas eleições

Considerado uma zebra no início da campanha, Lins bateu em segundo turno o atual mandatário de Osasco, Jorge Lapas (PDT). Com 100% das urnas apuradas, Lins obteve 61,21% dos votos, contra 38,79% de Lapas.

Aos 38 anos de idade, ele é empresário. Possui duas empresas em Osasco. Quando as urnas lhe deram a vitória, Lins foi taxativo ao declarar seu compromisso com a ética e o bem público. Ele afirmou que iria “respeitar o dinheiro público da nossa população”.

“É tolerância zero com a corrupção”, declarou à época.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Homicídio no centro de Pilõezinhos faz população pedir “praça livre” para as famílias

praca-sao-sebastiaoO final de semana em Pilõezinhos (PB) foi marcado por um homicídio no centro da cidade, bem no coração da Praça de São Sebastião, onde está instalado um espetinho que comercializa bebidas alcoólicas, carnes e outros aperitivos próprios para bares. O episódio põe fim a um “ciclo sem crimes violentos letais e intencionais contra a vida” de pelo menos quatro anos.

O assassinato do jovem Osiel, irmão de “Dragão” que cumpre pena por passagens pela polícia, morto provavelmente num acerto de contas de uma briga iniciada em Guarabira, levanta uma discussão sobre a necessidade da volta de uma “praça livre” para o encontro e passagem das famílias, principalmente no período noturno.

As manifestações neste sentido foram apontadas por internautas que se expressaram nas redes sociais pedindo o fim do espertinho em cima da praça central. “Não podemos passar para a Missa, temos que desviar pelas laterais por que a praça está tomada de bebida e gente estranha”, reclamou um cidadão na internet.

“Queremos uma praça para as crianças, jovens e as famílias. São músicas indecentes, pessoas perigosas de outras cidades, brigas no centro da cidade. Perdemos nossa paz”, comentou outro internauta.

“E se uma bala acertasse um inocente, uma criança que ali passava ou brincava?”, alertou uma mãe.

Até agora a gestão atual, sob a responsabilidade do prefeito Nado Mendes (PMDB), não se manifestou e, segundo informações do povo colhidas pelo ManchetePB, foi a administração quem autorizou a instalação do comércio de bebidas na praça.

A administração que se instalará em janeiro começou a receber cobranças pelo fim do comércio de bebidas na praça de São Sebastião, o principal acesso as igrejas católica e evangélica, no qual se localiza também residências de idosos e os prédios da Câmara Municipal e Secretaria de Saúde.

Não existe ainda uma posição oficial da gestão atual ou da futura sobre o tema, mas se depender da opinião pública, a farra que acontece no centro da cidade e coloca em risco vidas, vai terminar.

Rafael San

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Equipamentos para academia ao ar livre em Solânea devem custar R$ 243,6 mil

academiaOs moradores do município de Solânea deverão contar, já nos próximos meses, com uma academia ao ar livre que será construída pela prefeitura. O pregão presencial para a compra dos equipamentos já foi aberto e os custos, segundo Diário de Justiça do Tribunal de Contas do Estado, serão de R$ 243.649,95.

As academias ao ar livre já são uma realidade em várias cidades paraibanas e, principalmente, em João Pessoa. Elas atraem um grande público de cidadãos que querem manter a saúde em dia, mas não têm condições de pagar um ambiente privado.

Além disso, o fato de ser ao ar livre faz com que ela se torne mais atrativa por causa do clima e da temperatura agradáveis que atraem a simpatia dos moradores. Essas academias têm aparelhos que ajudam a trabalhar a força muscular e a ativar as articulações.

No entanto, é importante sempre ter a orientação de um profissional e um acompanhamento na hora de se exercitar.

academia_print

Focando o Notícia

Pastor sugere a execução de gays por um ‘Natal livre de Aids’

pastor-aidsA declaração de um pastor evangélico norte-americano do estado do Arizona durante uma pregação para fieis gerou enorme polêmica. De acordo com o religioso, “o mundo pode se livrar da AIDS até o Natal se todos os gays forem executados”. O sermão de Steven Anderson foi feito no último dia 30 de novembro.

Argumentando que membros da comunidade LGBT são “portadores de diversas doenças por causa do julgamento de Deus”, o religioso defendeu que homossexuais e bissexuais integram a mesma categoria de pecadores e, segundo a Bíblia, todos são considerados sodomitas. As informações são do Huffington Post.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Se um homem se deitar com outro homem, como se fosse com mulher, ambos terão praticado abominação; certamente serão mortos, o seu sangue será sobre eles”, disse o pastor citando Levítico 18:22.

“E isso, meu amigo, é a cura para Aids. Está ali mesmo na Bíblia o tempo todo, e eles gastam bilhões de dólares em pesquisa e testes. É curável – ali mesmo. Porque se você executasse os homossexuais como Deus recomenda, você não teria a Aids correndo solta”, destacou.

Outras polêmicas

Esta não é a primeira vez que o pastor Anderson – que, segundo o seu website, não possui nenhuma formação acadêmica mas tem 140 capítulos inteiros da Bíblia decorados na cabeça – chama atenção pelo fundamentalismo. No início do ano, o pastor condenou o divórcio e disse que quem se casa mais de uma vez está cometendo adultério.

O religioso também defende a tese de que mulheres não podem se manifestar nas igrejas. “Elas precisam ficar em silêncio”.

Anderson é acusado de ser fundamentalista e disseminador de ódio entre os fieis.

Pragmatismo Político

Padres que pregavam ‘amor livre’ para praticar pedofilia chocam Espanha

padres“Boa tarde filho, sou o padre Jorge”. “Não conheço nenhum padre Jorge”, respondeu o interlocutor. “Filho, acalme-se, aqui é o papa Francisco”.

Essas são as palavras que um atônito jovem escutou ao telefone. Ele havia escrito uma carta ao argentino meses antes, para denunciar anos de supostos abusos por parte de um grupo de religiosos da diocese de Granada, no sul da Espanha.

O escândalo foi noticiado pelos sites de internet espanhóis, atraindo cada vez mais atenção estrangeira. O próprio papa se referiu à polêmica na terça-feira (25).

Até o momento, três sacerdotes católicos e um professor de religião foram detidos.

“Eu li sua carta e escrevi ao bispo dizendo que ele comece uma investigação”, explicou o papa na terça-feira.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

“Recebi essa notícia com grande dor, com uma dor muito grande, mas a verdade é a verdade e não podemos escondê-la”, disse.

Mas qual é a trama em cuja investigação o papa se envolveu pessoalmente?

O clã dos Romanones
Acusações de escândalos sexuais , abusos de autoridades eclesiásticas, detenções, heranças duvidosas, segredos e um grupo com sobrenome aristocrático: “os Romanones”.

Os ingredientes são de um romance de intriga, crime e suspense. Mas não é ficção.

Daniel (nome fictício) tem 24 anos e há alguns meses denunciou ─ em uma carta dirigida ao papa ─ que entre os 13 e os 18 anos foi submetido a constantes abusos por parte de um grupo de sacerdotes católicos, os “Romanones”.

O jovem, membro da organização católica Opus Dei e professor universitário, entrou em contato com os sacerdotes investigados quando era coroinha na paróquia de San Juan María Vianney, localizada em um bairro de Granada.

Segundo seu depoimento, a rede seria comandada por um dos detidos, o padre Román M.V.C (de quem deriva o nome do clã) e realizaria atos sexuais em diversas de suas propriedades na província de Granada.

Ele afirmou que os religiosos justificavam suas práticas sexuais com a frase: “o amor é livre, eleva o espírito”.

Vítimas
As acusações recaem sobre dez sacerdotes e dois laicos.

Não se sabe exatamente quantos meninos e meninas podem ter sido vítimas do grupo, que supostamente atraía os jovens conquistando sua confiança ou afastando-os de suas famílias.

Daniel disse que decidiu fazer a denúncia principalmente por não saber a extensão da rede e quantas pessoas foram vítimas dela. Ele acrescentou não querer que as pessoas que arruinaram sua infância façam o mesmo com outros meninos e meninas.

Encorajado pelo respaldo do papa, Daniel apresentou uma denúncia formal perante a Fiscalização Central de Andaluzia, em outubro.

Detenções
O processo foi acelerado a partir do momento em que a denúncia foi feita.

O órgão judicial encarregado da causa ordenou na segunda-feira (24) a detenção de três sacerdotes e um leigo. Mas a Justiça ainda vai decidir se eles responderão ao processo em liberdade.

Os detidos são Román M.V.C, a quem o denunciante identifica como “o diretor”, Francisco C.M, e Manuel M.M. Todos eles tiveram algum vínculo com a paróquia de Vianney.

Eles foram encaminhados à Chefatura Superior de Polícia de Andaluzia Oriental e negaram qualquer relação com os crimes ao ser interrogados.

Além disso, há alguns dias, foi denunciado o desaparecimento de vários computadores de um chalé em Pinus Puente (Granada), que é de propriedade dos acusados.

Também há uma segunda denúncia, formulada por uma outra suposta testemunha, que forneceu aos investigadores mais dados e nomes.

O subdelegado do governo, Santiago Pérez, afirmou que não há mais prisões previstas por enquanto.

Reação da hierarquia
Enquanto isso, a Igreja Católica na Espanha demonstrou estar chocada e consternada com os eventos.

A Conferência Episcopal, por meio de seu porta-voz, José María Gil Mamayo, expressou repulsa e pediu perdão às “possíveis vítimas”.

O arcebispo de Granada, Francisco Javier Martínez, protagonizou no domingo uma cena pouco usual na catedral da província: deitou no solo junto com outros membros da diocese por vários minutos – um gesto que só é realizado Sexta-feira Santa.

“Os males da Igreja são os males de cada um de nós”, disse o arcebispo durante a homilia. Ele disse que tudo isso é “uma ferida dolorosíssima para (Jesus) Cristo”.

G1

 

“Passe livre” de Campos é questionado até pela prima

 PASSEDesde que o presidenciável Eduardo Campos afirmou que se eleito, irá implantar o passe livre no transporte público para cerca de 20 milhões de estudantes de todo o país, o ex-governador vem sendo questionado sobre a real possibilidade de implantar a medida. As últimas traulitadas vieram da Frente de Luta pelo Transporte Público e da própria prima a vereadora do Recife, Marília Arraes (PSB), que na última sexta-feira (19) anunciou que irá apoiar a reeleição da presidente Dilma Rouseff (PT). Tanto Marília quanto a Frente de Luta pelo Transporte Público ressaltam que a promessa de Campos não encontra eco nos sete anos em que esteve à frente do Executivo Pernambuco, já que ele não implantou a medida quando era o governador do Estado.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

 

“Não sei se ele vai conseguir implantar isso aí no nível nacional, se ele ganhar a eleição, o que é bastante difícil de acontecer, de acordo com o que as pesquisas indicam”, disse Marília em entrevista à Rádio Jornal. “É uma pena que o passe livre não foi implantado em todo o Estado. A gente teve sete anos para implantar o passe livre em Pernambuco. Será que será possível cumprir essa promessa nacional?”, complementou.

Em nota, a Frente de Luta pelo Transporte Público disse ter recebido “com perplexidade” a declaração de Campos, uma vez que que durante a sua gestão o governo “nunca abriu ou promoveu discussão acerca do Passe Livre Estudantil”. A nota também ressalta que a “redução das passagens propagada por Eduardo Campos foi um mero repasse da desoneração da PIS/COFINS (imposto federal) levado a cabo pelo governo federal, e que ainda assim não foi feito de maneira proporcional em todas as tarifas de ônibus”.

A redução das tarifas, da ordem de R$ 0,10 foi anunciada por Campos pouco depois dos protestos pela melhoria dos serviços públicos que marcaram o país em meados do ano passado. Para o movimento social, a promessa feita pelo socialista tem caráter meramente eleitoreiro.

Leia abaixo a íntegra da nota da Frente de Luta pelo Transporte Público:
No Governo Eduardo Campos, nunca houve discussão sobre Passe Livre!
Nós da Frente de Luta pelo Transporte Público de Pernambuco, movimento que reúne diversas entidades estudantis, de trabalhadores, usuários do transporte e da juventude em geral, vimos por meio desta demonstrar nossa estranheza e perplexidade com as afirmações de Eduardo Campos na sabatina promovida pela Folha de São Paulo.

O candidato à presidência da República pelo PSB durante seus quase 8 anos de governo nunca abriu ou promoveu discussão acerca do Passe Livre Estudantil em Pernambuco. Desde que assumiu o governo, já naquela época com o discurso de democratizar a gestão do Transporte Público criou o Consórcio Grande Recife em lugar da antiga EMTU – Empresa Metropolitana de Transporte Urbano, no entanto na prática não vimos mudanças concretas na política do Transporte

Os usuários continuaram não sendo ouvidos para as decisões e o Grande Recife continuou com a mesma estruturação de loteamento de cargos de sua ampla aliança política no Estado de Pernambuco. Não à toa que é uníssona na sociedade pernambucana a crítica ao modelo de expansão do Transporte feito exclusivamente por Terminais Integrados (quem utiliza diariamente, os chama de “currais” integrados, pois o povo é tratado como porco) em detrimento de uma integração temporal por bilhetagem eletrônica, ainda uníssono é o descontentamento com a não unificação das tarifas, onde temos ônibus com menor distância com preço de passagens mais caras do que outros com maior distância.

Tudo isto demonstra uma irracionalidade no atual sistema de transporte na Região Metropolitana do Recife (administrado pelo Governo do Estado) que vem sendo denunciada ao longo dos últimos anos e foi motivo de uma carta aberta endereçada pessoalmente ao então governador, Eduardo Campos, onde apresentamos 13 pontos, no meio das manifestações do ano passado, que igualmente sequer obtivemos resposta. Outro ponto que nós, juntamente com outros diversos movimentos sociais, temos reivindicado como desdobramento do direito social ao transporte (Proposta de Emenda Constitucional da Deputada Luiza Erundina do PSB – partido de Eduardo Campos!) é o Passe Livre Estudantil e para os trabalhadoras desempregados/as.

Só ano passado realizamos cerca de 22 protestos, ações de rua, ocupação da Câmara Municipal, do Consórcio Grande Recife, e fomos recebidos apenas uma vez pelo segundo escalão do Governo (o então subsecretário da Casa Civil, Marcelo Canuto e o presidente do Consórcio Grande Recife, Nelson Menezes) que em resposta aos 13 pontos esposados na carta aberta endereçada ao Governador, nos afirmou que nenhum daqueles pontos era de interesse do governo e nos mandou procurar as “Conferências Municipais e Regional do Transporte” para que pudéssemos apresentar nossas propostas. Tal atitude já revela de maneira clara que a gestão de Eduardo Campos não teve/tem nenhum interesse em discutir a temática do Passe Livre. Ainda assim, procuramos acompanhar as conferências, mas para não surpresa nossa (como de costume na atual gestão) as mesmas em sua maioria não aconteceram.

A resposta ao pleito da juventude foi uma dura repressão por parte do Governo Eduardo Campos, onde protestos pacíficos sofreram constantemente tentativas de sufoco por parte da Polícia Militar de Pernambuco, onde militantes foram indiciados, onde o DCE da UNICAP foi invadido pela PM em uma reunião do movimento… A prova é tanta que o então secretário de Defesa Social, Wilson Damázio, não aguentou a pressão dos organismos internacionais, nacionais e regionais de defesa dos Direitos Humanos e pediu exoneração do cargo.

Neste ínterim, a proposta de Passe Livre a ser executava em uma eventual eleição de Eduardo Campos para Presidente da República soa como oportunismo eleitoral e merece todo descrédito da população pernambucana, sabedora que em nenhum momento houve um lampejo sequer para adotar o Passe Livre em Pernambuco.

Ainda assim, o presidenciável do PSB tenta confundir o cidadão brasileiro ao apontar que em Recife, temos “Passe Livre”. Antes de mais nada, importante não subestimar a inteligência do povo, Eduardo Campos não era prefeito do Recife, era governador do Estado. Em segundo lugar, quando a prefeitura apresentou a proposta de Passe Livre a ser aprovada na Câmara Municipal, Eduardo Campos sequer era mais governador. E em terceiro e mais importante, o referido projeto da prefeitura é bastante limitado e foi feito sem ouvir uma única vez os representantes da juventude e dos estudantes na cidade. Lembrando que a Câmara Municipal tinha construído uma comissão especial, formada por vereadores e representantes da sociedade, logo após a ocupação do prédio público com intuito de elaborar um projeto, mas o que vimos foi um verdadeiro atropelo e a nossa não participação neste processo, tanto que os vereadores da oposição se retiraram da Comissão.

Por outro lado, a redução das passagens propagada por Eduardo Campos foi um mero repasse da desoneração da PIS/COFINS (imposto federal) levado a cabo pelo governo federal, e que ainda assim não foi feito de maneira proporcional em todas as tarifas de ônibus (ou seja, foi estipulado um valor de 10 centavos e reduzido estes valor de todos os anéis – A, B, D e G – quando na verdade a redução era para ser proporcional em cima de cada valor de passagem).

Ante o exposto, vimos através desta nota esclarecer que em Pernambuco não há Passe Livre e que Eduardo Campos em nenhum momento, como governador, encaminhou ou aprofundou a discussão sobre tal temática, sendo assim merece descrédito e repulsa a utilização de um direito social – reivindicado com muita luta, suor e com muito gás lacrimogênio, balas de borracha e spray de pimenta no rosto da juventude – como um discurso puramente eleitoreiro!

 

247

Lei do passe livre para estudantes da rede estadual é republicada na Paraíba

Imagem Ilustrativa
Imagem Ilustrativa

Uma nova versão da lei que estabelece o Passe Livre para estudantes da rede estadual de educação na Paraíba foi publicado no Diário Oficial desta terça-feira (15). O novo texto estabelece que a gratuidade será oferecida no transporte coletivo intermunicipal de características urbanas, o que não estava claro na primeira publicação. O restante do texto permanece com o mesmo conteúdo e a nova publicação foi “republicada por incorreção”, mantendo a data de sanção como 9 de julho e como data para que a lei entre em vigor o dia 10 de julho.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Veja a nova publicação na página 1 do Diário Oficial.

O primeiro texto da lei foi publicado na quinta-feira (10), instituindo a gratuidade e estabelecendo um limite de 60 viagens mensais por estudante durante o período letivo. O texto, no entanto, não deixava claro se a lei tratava do transporte urbano ou do transporte intermunicipal. Veja a primeira publicação na página 2 do Diário Oficial.

O projeto de lei foi aprovado no dia 10 de junho e cita em sua justificativa a lei municipal que instituiu o mesmo benefício para estudante da rede municipal de ensino em João Pessoa em 2013, além da experiência de outras cidades e estados.

A lei foi sancionada pelo presidente da Assembleia Legislativa, mas garante que os recursos para garantir o passe livre serão provenientes do Orçamento Estadual. O G1 fez contato com o procurador-geral do Estado, Gilberto Carneiro, para que ele comentasse este aspecto da lei, mas até as 18h30 ele não atendeu às ligações.

Em João Pessoa, o passe livre para a rede municipal começou a funcionar em abril de 2013. Três meses depois, em julho, a Câmara Municipal de Campina Grande aprovou o passe livre para estudantes da rede municipal.

 

G1

Estudantes têm passe livre nos transportes coletivos da PB; lei já está vigor

Imagem Ilustrativa
Imagem Ilustrativa

Os estudantes da rede estadual de ensino, a partir desta quinta-feira (10), têm direito ao passe livre no sistema de transporte público coletivo na Paraíba. A lei que prevê a gratuidade no estado foi publicada no Diário Oficial do Governo do Estado. Os estudantes só podem usufruir desse benefício se estiverem matriculados.

A rede pública estadual de ensino tem quase 300 mil alunos matriculados este ano, segundo dados divulgados pelo Censo Escolar elabora pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

 

De autoria do deputado estadual Anísio Maia (PT), a lei estabelece que os estudantes têm direito a utilizar, de forma gratuita, até 60 viagens por mês e por estudante, durante o período letivo. Os recursos para pagar o passe livre estudantil serão oriundos do orçamento estadual e de convênios com a União.

O benefício será de uso pessoal e intransferível. “Os cartões de passe livre estudantil são de uso pessoal e intransferível, estando sua utilização sujeita à fiscalização dos operadores do transporte público e do órgão competente”, determina a lei.

A lei deve ser cumprida em todo território estadual.Ela não dá direito ao estudante em transporte coletivo interestadual. A lei foi promulgada pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ricardo Marcelo (PEN).

 

PortalCorreio