Arquivo da tag: Líderes

Jovem de Bananeiras representa a cidade no quarto módulo dos jovens líderes do RN

O jovem Ícaro Cássio esteve, durante esse final de semana, participando do quarto módulo jovens líderes no Rio Grande do Norte. Ícaro representou a cidade de Bananeiras após receber convite do deputado Estadual riograndense Allysson Bezerra (SOLIDARIEDADE).

Para Ícaro participar de um encontro como esse fortalece a juventude para vida pública e traz novas experiências para sua vida pessoal. “Fico muito feliz em poder participar de um encontro como esse, levando é claro o nome da nossa querida Bananeiras. Foi uma experiência fantástica e transformadora, acredito que para uma política transformadora momentos como esse para mim e todos os jovens que almejam a vida pública são fundamentais”, comentou Ícaro.

O QUE É JOVENS LÍDERES

PROCURA-SE JOVENS LÍDERES PARA MUDAR O RN. 

  1. POR QUE JOVENS LÍDERES. 

Neste momento de maior turbulência política neste século no Brasil, quais são as referências para os jovens que irão compor a próxima geração de políticos e que irá conduzir os destinos do nosso estado e do nosso país?

  1. O QUE É.

É para ocupar este espaço que o Partido Solidariedade do Rio Grande do Norte e a Fundação 1º de Maio, criou o Projeto Jovens Líderes RN. O projeto consiste numa série de ações coordenadas que vão preparar jovens lideranças políticas do estado para assumirem, de forma correta e sem amarras a grupos tradicionais da política local, o protagonismo na política do Rio Grande do Norte nos próximos anos. Pessoas que nos representem de verdade. 

  1. NÃO É POLÍTICA TRADICIONAL. 

Não estamos falando aqui dos herdeiros dos políticos tradicionais do nosso país, mas dos milhares de jovens que, apesar de terem a vocação e o desejo, não conseguem enxergar a porta de entrada para fazer política boa no Brasil. Pessoas com ideias novas para a política. 

  1. A AÇÃO INICIAL. 

A ação inicial do projeto é a Escola para Jovens Líderes. Turmas de jovens são preparadas para construir projetos políticos visando candidaturas, recebendo conteúdo para que possam ter sucesso político, eleitoral e administrativo em suas campanhas e, principalmente, em seus futuros mandatos. Nesta segunda fase da escola, que se inicia em 2019, vamos preparar candidatos a vereador, prefeito e vice-prefeitos de 2020. Líderes que vão transformar o RN. 

  1. A ESCOLA. 

A ideia da Escola para jovens líderes tem como objetivo preparar uma nova geração de políticos para o estado, através de cursos em diversas áreas: gestão pública, comunicação e marketing, ética na política, cases de sucesso eleitoral, história, entre outras. Só muda se todos participarem. 

  1. QUEM PODE PARTICIPAR. 

Jovens de todas as idades que queiram iniciar a preparação política da forma correta que queiram contribuir para a mudança da mentalidade política do Rio Grande do Norte, visando às gerações futuras. Em momentos difíceis como o atual é que se muda a história.

  1. COMO VAI FUNCIONAR. 

Esses jovens são reunidos, mensalmente, em seminários para discutir os mais diversos temas relacionados à construção de uma estratégia político/eleitoral e receber orientações sobre como se monta uma carreira política. Quantas pessoas são necessárias pra realizar as verdadeiras mudanças?

  1. O DIFERENCIAL. 

A Escola para Jovens Líderes NÃO irá se basear nas estratégias tradicionais de fazer política, disputar eleições ou administrar a coisa pública. Os alunos irão desenvolver técnicas de comunicação e de formação política para vencerem eleições com baixo custo e alto nível de preparação programática. Tudo pode começar com você. 

  1. COMO SE INSCREVER

Preencha o formulário de inscrição aqui neste site. Aguarde o contato de nossa equipe para os próximos passos.

 

Redação FN

 

 

Flamengo derrota o Atlético-MG e encosta nos líderes

Depois de alguns tropeços, o Flamengo voltou a dar alegrias aos seus torcedores. Em partida disputada na tarde deste domingo, no Maracanã, a equipe rubro-negra derrotou o Atlético-MG por 2 a 1, gols marcados por Willian Arão e Lucas Paquetá, em jogadas do lateral peruano Trauco; O gol do time mineiro foi marcado pelo zagueiro Leonardo Silva. O resultado fez o time da Gávea reassumir a terceira colocação com 48 pontos ganhos e voltar a sonhar com a liderança do Campeonato Brasileiro. O Atlético-MG, por sua vez, permanece com 42 pontos ganhos e segue afastado das primeiras posições. O Alético-MG é o sexto colocado.

O resultado refletiu o andamento da partida. O Flamengo saiu na frente no primeiro minuto, permitiu a reação do adversário na primeira etapa, mas desempatou no começo do segundo tempo e soube administrar a vantagem. O Atlético foi uma equipe sem qualquer inspiração durante a maior parte do jogo. O time alvinegro só incomodou a defesa adversária em jogadas de bola parada numa demonstração da fragilidade do seu ataque. Só nos minutos finais é que a equipe de Thiago Larghi partiu para o ataque e desperdiçou algumas chances para empatar.

Na próxima rodada, o Flamengo vai enfrentar o Bahia, na Fonte Nova; o Atlético-MG vai receber o Sport, no Independência.

Lucas Paquetá marcou o gol da vitória do Flamengo
Lucas Paquetá marcou o gol da vitória do Flamengo

Foto: Celso Pupo / Fotoarena / Estadão Conteúdo

O jogo

Logo no primeiro minuto de jogo, o Flamengo marcou. O peruano Trauco investiu pela esquerda em grande arrancada e cruzou para Willian Arão, livre na área. O meia rubro-negro bateu, de primeira, no canto direito de Víctor.

Desnorteado pelo gol sofrido no primeiro ataque do adversário, o Atlético não conseguia armar jogadas ofensivas e se limitava a trocar passes no meio campo sem causar danos à retaguarda da equipe da casa.

Motivado e contando com o apoio da torcida, o Flamengo criou nova situação de perigo aos oito minutos, Trauco, novamente, fez ótimo lançamento para Lucas Paquetá que tentou usar a cabeça para levar vantagem sobre a zaga, mas a bola correu demais e Victor fez a defesa.

Os atacantes da equipe carioca marcavam a saída de bola atleticana e os zagueiros eram obrigados a dar chutões para tirar a bola da defesa, prejudicando a ação dos meias e atacantes.

Aos 13 minutos, após cruzamento de Matheus Sávio, Henrique Dourado conseguiu colocar a bola nas redes, mas a arbitragem invalidou a jogada, marcando impedimento do Ceifador.

Aos 22 minutos, o Atlético-MG deixou tudo igual. Pará derrubou Fábio Santos ao lado da área. Luan levantou na área e Leonardo Silva subiu mais do que todo mundo para cabecear e colocar a bola nas redes cariocas.

Depois do gol de empate, o Atlético passou a controlar melhor o jogo e a trocar passes com mais objetividade, mas o Flamengo não reduziu seu ritmo, o que tornou o jogo mais equilibrado, com intensa disputa entre as duas intermediárias.

Aos 34 minutos, Maidana fez lançamento para Chará na área. O colombiano bateu forte para grande defesa de Diego Alves que evitou a virada do time mineiro.

Logo depois, o técnico Thiago Larghi decidiu alterar a forma de jogar da equipe e trocou o argentino Tomás Andrade pelo equatoriano Cazares.

Nos minutos finais da primeira etapa, o Flamengo voltou a ser mais ofensivo e empurrou o Atlético-MG para trás, mas encontrava dificuldades para concluir as jogadas.

Jogadores do Flamengo comemoram gol de Willian Arão
Jogadores do Flamengo comemoram gol de Willian Arão

Foto: André Fabiano / Código 19 / Estadão Conteúdo

No último lance importante do primeiro tempo, Cuéllar recebeu de Paquetá, na entrada da área, e chutou forte, mas a bola passou longe da trave mineira.

O Flamengo voltou para o segundo tempo com Vitinho na vaga de Matheus Sávio. E o primeiro momento de perigo aconteceu aos seis minutos quando Éverton Ribeiro acionou Vitinho e o atacante chutou forte, mas Emerson desviou para escanteio.

Aos oito minutos, o Flamengo passou à frente. A exemplo do que aconteceu no primeiro gol, Trauco fez boa jogada pela esquerda e cruzou para a cabeçada certeira de Lucas Paquetá.

Depois de desempatar , o Flamengo passou a atuar com mais tranquilidade, tocando a bola com inteligência, enquanto o Atlético errava muitos passes e não conseguia construir boas jogadas de ataque.

Aos 19 minutos, Paquetá recebeu de Vitinho, invadiu a área e se chocou com Luan. O jogador rubro-negro pediu a marcação de pênalti, mas o árbitro nada viu de irregular no lance.

O Atlético não conseguia se acertar e só aparecia nos erros do Flamengo, como aconteceu aos 20 minutos. O goleiro Diego Alves saiu jogando errado e Chará ficou com a bola, mas Trauco conseguiu evitar a conclusão do adversário. Dois minutos depois, Luan recebeu de Cazares e chutou forte, mas a bola saiu, levando perigo para o gol carioca.

Para defender o resultado, o técnico Maurício Barbieri tirou o atacante Henrique Dourado e colocou o volante Piris da Motta. Aos 30 minutos, o time mineiro, mesmo sem jogar bem, quase chegou ao empate. Após cruzamento de Fábio Santos, a bola desviou em Léo Duarte e bateu no travessão. O golero Diego Alves foi mais rápido do que os atacantes mineiros e ficou com o rebote.

Com três volantes, o Flamengo bloqueava a entrada da sua área e impedia que o time alvinegro chegasse ao ataque em boas condições para finalizar. O atacante Vitinho que havia entrado no intervalo, foi substituido por Marlos Moreno.

Sem outra alternativa, o Atlético-MG se lançou ao ataque e poderia ter chegado ao empate aos 44 minutos. Após cruzamento na área, a bola sobrou para o zagueiro Leonardo Silva que chutou com perigo, mas a bola saiu. No último minuto dos acréscimos, o Atlético-MG quase deixou tudo igual. Cazares bateu falta, a bola desviou em Réver e se chocou com o travessão.

Leonardo Silva comemora gol do Atlético-MG
Leonardo Silva comemora gol do Atlético-MG

Foto: André Fabiano / Código 19 / Estadão Conteúdo

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO-RJ 2 x 1 ATLÉTICO-MG

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)

Data: 23 de setembro de 2018, domingo

Horário: 16h00 (horário de Brasília)

Público: 36.018 pagantes

Árbitro: Rodolpho Toski Marques (Fifa-PR)

Assistentes: Ivan Carlos Bohn (PR) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)

Cartão Amarelo: Pará. Henrique Dourado(Fla); Emerson, Denilson(Atlet)

Gols:

FLAMENGO: Willian Arão no primeiro minuto do primeiro tempo e Lucas Paquetá, aos oito minutos do segundo tempo

ATLÉTICO-MG: Leonardo Silva, aos 22 minutos do primeiro tempo

FLAMENGO: Diego Alves; Pará, Réver, Léo Duarte e Trauco; Cuéllar, Willian Arão, Lucas Paquetá, Everton Ribeiro e Matheus Sávio(Vitinho)(Marlos Moreno); Henrique Dourado(Piris da Motta)

Técnico: Maurício Barbieri

ATLÉTICO-MG: Victor; Emerson, Léo Silva, Maidana e Fábio Santos; José Welison, Elias, Tomás Andrade(Cazares) e Luan(Edinho); Chará e Ricardo Oliveira(Denilson)

Técnico: Thiago Larghi

 

Gazeta Esportiva

Santos fica no zero com o Coxa e perde chance de encostar nos líderes

O Santos entrou em campo com a missão de tirar a diferença para os líderes do Campeonato Brasileiro, mas não soube aproveitar os tropeços dos rivais diretos. Cometendo muitos erros na hora de concluir e se safando de uma derrota por mais uma boa atuação de Vanderlei, o time da Baixada ficou no 0 a 0 com o Coritiba na noite deste domingo, no Couto Pereira.

Com o resultado, o Santos perde a chance de encostar no Grêmio, vice-líder, e no Corinthians, líder, que perderam pontos na rodada. Com 37 conquistados, o time continua três atrás dos gaúchos e dez atrás do rival, que entra em campo na próxima quarta, contra a Chapecoense, para fazer um jogo atrasado da 20ª rodada.

Na próxima vez em que entrar em campo, os comandados de Levir Culpi terão pela frente o Cruzeiro, em jogo marcado para as 19h (de Brasília) do domingo, no Mineirão. Do outro lado, Marcelo Oliveira e sua trupe recebem o Vitória, na segunda-feira, dia 28, mais uma vez no Couto Pereira.

Santos cria, mas ataque desperdiça

O primeiro tempo da partida mostrou o Santos bem postado no campo e com bastante espaço para criar as jogadas, principalmente pelo lado direito. Contando com bons passes de Lucas Lima e uma participação razoável de Léo Cittadini, o time paulista só não abriu o placar por incompetência da dupla Copete e Kayke.

O colombiano, que faz ótima temporada, teve talvez o seu pior primeiro tempo com a camisa santista, errando lances fáceis. No melhor deles, em contra-ataque de cinco santistas contra quatro do Coxa, ele tentou passe difícil, com a perna direita, e mandou nos pés do zagueiro.

O centroavante, porém, conseguiu ter um destaque negativo maior por perder duas boas chances de marcar. A melhor veio aos 25 minutos de bola rolando, após “casquinha” de Bruno Henrique. Esperto, ele tomou a frente do zagueiro e ficou cara a cara com Wilson, mas chutou mal, para fora. Depois, aos 45, recebeu na entrada da área e tentou de esquerda, mas mandou na bandeira de escanteio.

Times mudam, placar, não

A etapa final começou com o Peixe tentando abrir vantagem logo de cara, talvez impulsionado pelas palavras do técnico Levir Culpi. Em boa performance, Lucas Lima deu duas boas enfiadas para Bruno Henrique, mas a zaga conseguiu travar na hora certa.

O Coxa, porém, conseguiu se acertar no ataque e passou a levar perigo. Iago, aos oito minutos, quase marcou ao chutar forte, no ângulo, mas parou em boa defesa de Vanderlei. Na resposta, Bruno Henrique recebeu pela esquerda, encarou a marcação e cruzou. A zaga afastou mal e a bola ficou com Léo Cittadini, que chutou por cima do gol.

O jogo caiu com o passar do tempo, à medida em que a chuva ficava mais forte, e só voltou a ter lances de perigo nos minutos finais. Neto Berola, porém, conseguiu mais atrapalhar do que ajudar o Coxa, perdendo três chances claras de marcar. Na melhor, em rebote da trave após chute de Alan Santos, ele preferiu segurar a bola em vez de chutar para o gol vazio.

FICHA TÉCNICA 

CORITIBA 0 X 0 SANTOS

Local: Estádio Major Antônio Couto Pereira, em Curitiba (PR)

Data: 20 de agosto de 2017, domingo

Horário: 19 horas (de Brasília)

Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa-SC)

Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa-SP)

Cartões amarelos: Márcio, Matheus Galdezani, Neto Berola (Coritiba); Lucas Lima (Santos)

CORITIBA: Wilson; Léo, Márcio, Walisson Maia e William Matheus; João Paulo, Alan Santos, Matheus Galdezani (Neto Berola) e Carleto (Filigrana); Iago Dias (Anderson) e Alecsandro

Técnico: Marcelo Oliveira

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Lucas Veríssimo e Zeca; Alison, Léo Cittadini e Lucas Lima; Copete, Bruno Henrique e Kayke (Nilmar)

Técnico: Levir Culpi

Gazeta Esportiva

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

9º Encontro de Líderes conta com a participação do prefeito paraibano Douglas Lucena

douglasO Prefeito de Bananeiras, Douglas Lucena está em São Paulo onde participou nessa sexta-feira (25) do 9º Encontro de Líderes promovido pela Comunitas. Organização da sociedade civil brasileira, a Comunitas, tem como objetivo contribuir para o aprimoramento dos investimentos sociais corporativos e estimular a participação da iniciativa privada no desenvolvimento social e econômico do país.

Neste encontro, Douglas está representando os municípios de Bananeiras, Areia, Remígio, Solânea e Conde, juntamente com outros líderes para discutir os desafios na gestão pública municipal e a construção de uma Agenda Brasil.

O 9º Encontro de Líderes conta com a participação de líderes públicos, como Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente da República, e de vários importantes prefeitos do país, além disso, alguns dos maiores líderes empresariais, como Carlos Jereissati Filho, presidente do Iguatemi; Jorge Gerdau, presidente do conselho de administração do Grupo Gerdau; José Roberto Marinho, vice-presidente do Grupo Globo; Pedro Paulo Diniz, da Península Participações; Ricardo Villela Marino, vice-presidente executivo e membro do conselho do Itaú Unibanco; Roberto Setúbal, presidente do Banco Itaú; e Rubens Ometto, presidente do Conselho de Administração da Cosan, que participarão de rodas de conversa sobre “competitividade e planejamento de longo prazo nas cidades” e “inovação e engajamento da sociedade na gestão pública”.

Além de todos esses nomes de peso político e empresarial, o evento também traz Jan Gehl, arquiteto e urbanista dinamarquês especialista em criar “cidades para pessoas”. Ele construiu a sua carreira com base no princípio da melhora da qualidade de vida urbana através da reorientação do planejamento das cidades em favor de pedestres e ciclistas.

Para Douglas Lucena esse encontro propicia uma integração de altíssimo nível entre prefeitos e alguns dos atores econômicos mais importantes e influentes do país, que auxiliam gestões municipais com um modelo de governança que serve de exemplo para o país. Diretamente, por meio do Programa Juntos, mais de 48 milhões foram investidos nos últimos 4 anos em 12 municípios. É uma parceria muito promissora e os horizontes de nossa região se ampliam certamente. Nosso povo sentirá os efeitos positivos dessa articulação. Buscando sempre melhorias para a qualidade na gestão em meio ao processo de crise em que o país se encontra nos mostra o compromisso que a gestão tem com a população de Bananeiras.

Ascom-PMB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Santos aumenta tabu contra o SP e se aproxima dos líderes do Brasileirão

santosCom um gol-relâmpago no segundo tempo, o Santos venceu o clássico contra o São Paulo, realizado no Pacaembu. Nesta quinta-feira (13), o tento de Copete garantiu três pontos para a equipe de Dorival Júnior, que volta a sonhar com a chance de título no Campeonato Brasileiro – o líder Palmeiras apenas empatou com o Cruzeiro.

A vitória leva ao Santos para os 54 pontos, na quarta colocação. O Palmeiras lidera o torneio com 61. Na parte de baixo, o quinto jogo sem vencer deixa o São Paulo com o sinal de alerta em relação ao rebaixamento. Com 36 pontos, a equipe de Ricardo Gomes está apenas três pontos à frente do Internacional, primeira equipe na zona da degola.

O resultado do clássico aumenta, também, o tabu no duelo. Contando com o jogo desta quinta-feira, o Santos chegou ao sexto jogo sem saber o que é derrota, com cinco vitórias e um empate. O último triunfo são-paulino aconteceu em 3 de junho de 2015: 3 a 2, no Morumbi.

Na próxima rodada, o Santos recebe o Grêmio, na Vila Belmiro, no domingo (16). Um dia depois, o São Paulo visita o Fluminense, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro.

São Paulo volta sonolento e Santos não perdoa

Depois de um primeiro tempo em que terminou pressionando o Santos, o São Paulo foi surpreendido logo no minuto inicial da segunda etapa. Contra uma defesa desorganizada, Lucas Lima achou Copete livre na entrada da área. O colombiano teve calma para dominar e bater rasteiro no canto direito de Denis, que não conseguiu tocar na bola.

São Paulo vai melhor no primeiro tempo, mas sofre na armação

O São Paulo começou melhor a partida. Com chances mais claras, o time de Ricardo Gomes conseguiu anular o Santos na primeira etapa. O principal destaque foi o atacante Robson, autor das principais jogadas, vindo sempre pelo centro do campo. As chances do São Paulo, no entanto, quase sempre eram criadas por desarmes, com a bola no pé, o time do Morumbi sentia dificuldades para conseguir criar oportunidades reais.

Kelvin perde vaga, mas entra rápido

Nos treinos que antecederam o clássico, Ricardo Gomes dava indício de que poderia fazer mudanças no time titular do São Paulo. E assim foi. Para a partida, o treinador optou por Robson no time titular no lugar de Kelvin. O camisa 30, no entanto, ficou ponto tempo no banco de reservas. Aos 30 minutos da primeira etapa, Carlinhos sentiu a coxa esquerda e precisou deixar a partida, sendo substituído por Kelvin.

Torcida perde a paciência com o São Paulo

O São Paulo entrou em campo com a incômoda sequência de quatro jogos sem vencer no Campeonato Brasileiro. A situação fez com que a torcida presente no Pacaembu mostrasse muita impaciência com o time. E os maiores alvos da pressão foram o técnico Ricardo Gomes e o volante Wesley. O primeiro chegou a ouvir gritos de “burro”, enquanto o segundo foi muito vaiado quando deixou a equipe para a entrada de Cueva.

Lágrimas no banco santista

Reprodução/Premiere

O lateral Victor Ferraz não conseguiu conter o choro no banco de reservas do Pacaembu, enquanto recebia atendimento médico. O jogador deu lugar a Daniel Guedes no time santista aos 7 minutos do segundo tempo, por causa de dores no tornozelo direito.

Michel Bastos não fica nem no banco

Vivendo uma temporada irregular e com polêmicas, Michel Bastos foi cortado da partida. A versão do São Paulo é que foi uma opção da comissão técnica. Dessa maneira, o meia não ficou nem no banco de reservas.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 0 X 1 SANTOS

Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Pacaembu (SP)
Data: 13/10/2016, quinta-feira
Horário: 21h (de Brasília)
Público: 28.321 pagantes
Renda: R$ 578.430,00
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves e Elio Nepomuceno de Andrade Junior, ambos do RS
Cartões amarelos: Mena e Robson (São Paulo); Luiz Felipe e Copete (Santos)
Gols: Copete (1’/2ºT), para o Santos

SÃO PAULO: Denis; Buffarini, Maicon, Rodrigo Caio, Mena; Hudson (Jean Carlos), Thiago Mendes, Wesley (Cueva), Carlinhos (Kelvin); Chavez e Robson. Técnico: Ricardo Gomes

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz (Daniel Guedes), Luiz Felipe, David Braz, Zeca; Thiago Maia, Renato, Jean Mota, Lucas Lima (Yuri); Copete e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Atlético Mineiro resolve no primeiro tempo, vence Ponte Preta e segue na cola dos líderes

ponteDepois de sair do Moisés Lucarelli vivo na briga pelo título da Copa do Brasil, em confronto pelas oitavas de final, o Atlético Mineiro venceu mais uma vez a Ponte Preta para seguir na luta pelo título do Campeonato Brasileiro.

Na tarde deste sábado, em Campinas, Júnior Urso e Clayton, para o Atlético, e Roger, da Ponte, foram os responsáveis pelo placar de 2 a 1 que, que deixou a equipe mineira com 52 pontos, dois a menos que o Palmeiras, que ainda jogará pela 28ª rodada, e Flamengo, líder e vice neste momento.

Esta foi a primeira vitória do Atlético fora de casa no returno, deixando a Ponte Preta com 39 pontos, na 10ª posição, e mais distante da briga por uma vaga na Copa Libertadores de 2017.

GOLAÇO FEITO E PERDIDO

O Atlético Mineiro resolveu a partida logo no primeiro tempo do jogo. O primeiro gol foi um verdadeiro golaço. A jogada começou com o toque de Pratto para Cazares, que deu belo passe na esquerda para Fabio Santos. O lateral cruzou na medida para Júnior Urso, que voou para abrir o placar.

Aos 37 veio o seugndo gol. Leandro Donizete deu lançamento na medida para Clayton, que carregou a bola até a área e teve muita tranquilidade para escolher o canto, esperar o goleiro Aranha e mandar para a rede.

Os atleticanos ainda poderiam ter marcado o terceiro e tinham tudo para isso. Aos 41, Cazares recebeu livre, driblou o goleiro e tinha tudo para fazer mais um golaço. Só que ele foi displicente ao finalizar, errando o gol aberto.

UM ADMINISTRA, O OUTRO BUSCA

Na segunda etapa o Atlético Mineiro passou a administrar o placar construido no primeiro tempo. A Ponte Preta  tentava criar chances de diminuir o placar, mas era a equipe visitante que ficava mais tempo com a bola nos pés .

Até que, aos 34, Roger colocou emoção no jogo. Wellington Paulista levantou para a área e o camisa 9 matou no peito para finalizar com categoria e diminuir a vantagem do Atlético no jogo.

Depois gol da Ponte, porém, o Atlético também buscou mais o ataque na tentativa de resolver o jogo de uma vez por todas. Mas ninguém marcou e a equipe mineira segue sonhando com o título, enquanto a Libertadores fica mais distante do time de Campinas.

PRÓXIMA RODADA

O próximo compromisso do Atlético-MG já é nesta quarta-feira. Na 29ª rodada, o time mineiro vai até Itaquera para enfrentar o Corinthians, em jogo marcado para as 21 horas (de Brasília). Já a Ponte Preta entra em campo apenas no próximo sábado, também 21 horas, contra o Cruzeiro, no Mineirão.

FICHA TÉCNICA
PONTE PRETA 1 x 2 ATLÉTICO-MG

Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)
Data: 01 de outubro de 2016, sábado
Horário: 16h30 (de Brasília)
Árbitro: Diego Almeida Real (RS)
Assistentes: José Eduardo Calza (RS) e Alexandre Pruinelli Kleiniche (RS)
Cartões amarelos: João Vitor, Wendel (Ponte Preta), Otero, Júnior Urso (Atlético-MG)
Gols: PONTE PRETA: Roger, aos 34 minutos do segundo tempo; ATLÉTICO-MG: Júnior Urso, aos 15, e Clayton, aos 37, minutos do primeiro tempo;

PONTE PRETAAranha; Jeferson, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Breno Lopes; João Vitor (Wellington Paulista) e Wendel (Matheus Jesus); Thiago Galhardo, Felipe Azevedo e Ravanelli (Zé Roberto); Roger
Técnico: Eduardo Baptista

ATLÉTICO-MG: Victor; Carlos César, Gabriel, Leonardo Silva e Fábio Santos; Leandro Donizete e Júnior Urso; Cazares (Robinho), Clayton (Maicosuel) e Otero (Hyuri); Pratto
Técnico: Marcelo Oliveira

espn

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Atlético-MG sofre, mas se recupera em duelo direto com o Atlético-PR e pressiona líderes

© Vinnicius Silva/Raw Image/Gazeta Press
© Vinnicius Silva/Raw Image/Gazeta Press

Depois de perder por 3 a 0 para o Santos, o Atlético-MG se recuperou no Campeonato Brasileiro. Na manhã deste domingo, no Independência, a equipe mineira fez novo confronto direto, contra o xará paranaense, e levou a melhor com vitória por 1 a 0, com gol marcado por Robinho.

O resultado garante o Atlético-MG no G-4 e ainda pressiona os líderes da Série A, que ainda jogam nesta 21ª rodada. Os mineiros subiram para 38 pontos com a vitória, apenas um a menos que o Palmeiras, que encara a Ponte Preta às 16h, e dois acima do Santos, que enfrenta o Coritiba às 18h.

O primeiro e único gol do jogo foi marcado aos 39 minutos de partida. Carlos invadiu a área pela direita, colocou entre as pernas de Thiago Heleno, que o derrubou. O árbitro Braulio da Silva Machado marcou o pênalti, apesar da reclamação paranaense, e Robinho converteu, deslocando o goleiro Santos.

A arbitragem, por sinal, foi controversa. Antes do pênalti, o trio já havia errado ao anotar impedimento em lance que, com a jogada já parada, acabou em gol do Atlético-MG. Do outro lado, o Atlético-PR reclamou de duas supostas penalidades, em lances de bola na mão dentro da área mineira.

No intervalo, o técnico do Atlético-PR, Paulo Autuori, se mostrou bastante irritado com a atuação do trio de arbitragem e perdeu alguns minutos reclamando com Braulio no centro do gramado. Enquanto isso, era vaiado pela torcida alvinegra, que não tem boas recordações de sua passagem pela equipe.

Já na segunda etapa, se os visitantes tiveram alguma coisa para reclamar foram de sua ineficiência no ataque, com direito a boas chances perdidas logo nos dez minutos iniciais, com André Lima e Lucas Fernandes. Vale lembrar, que o Atlético-PR perdeu Walter, que retornou para o Goiás.

Na reta final do confronto, inclusive, os presente no Independência demonstraram certa insatisfação com o rendimento da equipe, pressionada pelos visitantes – Victor, por exemplo, precisou fazer ótima intervenção para evitar gol de cabeça de Thiago Heleno aos 37 minutos da segunda etapa.

Embora não tenha empolgado seu torcedor, o Atlético-MG comemora uma vitória importante mesmo desfalcado. Fred e Rafael Carioca estiveram suspensos, e Cazares, Marcos Rocha, Erazo, Luan e Júnior Urso estão no departamento médico – fora Douglas Santos e o reserva Uilson, na seleção olímpica.

Enquanto os mineiros sonham com a liderança, o Atlético-PR se distancia cada vez mais do G-4. Com três derrotas seguidas, após perder também para Flamengo e Palmeiras, o time estaciona nos 30 pontos e pode até perder o sétimo lugar, sendo ultrapassado por Ponte, Chapecoense ou Fluminense.

Pela 22ª rodada do Brasileiro, o Atlético-PR tenta se reabilitar na Arena da Baixada, contra o Botafogo, na próxima segunda-feira (29), enquanto o Atlético-MG enfrenta mais um concorrente direto pelas primeiras posições da tabela, contra o Grêmio, em Porto Alegre, domingo (28).

ESPN

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Procurador alerta líderes religiosos sobre abuso de poder durante as eleições

politicaO procurador da República Alexandre Assunção e Silva, que desempenha suas atividades no estado do Piauí e é coautor do artigo a “Desincompatibilização dos sacerdotes e o abuso do poder religioso nas eleições”, discorreu sobre o tema.

Ele esclareceu que a prática acontece quando um candidato ao cargo eletivo utiliza a posição de líder religioso para obtenção de votos, infringindo a legislação eleitoral.

– Já se conseguiu identificar no direito eleitoral que a posição de líder religioso favorece as práticas ilícitas eleitorais. É evidente que o direito eleitoral deve evitar a prática ilícita de qualquer candidato, inclusive pelos religiosos. Ela (a prática) está aumentando e nós sabemos que há muitas pessoas que foram eleitas para cargos do Poder Legislativo, que são líderes religiosos, se valendo da estrutura das igrejas que eles atuavam. Nem sempre, é evidente, que pode ter acontecido o ilícito. Mas, muitas vezes pode acontecer um ilícito e isso decorre de uma omissão da legislação eleitoral, de não exigir precisamente que o líder religioso, seja um pastor ou padre, se afastem três meses antes das eleições de suas funções religiosas – explicou.

Alexandre disse que expressamente a lei diz que não se pode fazer campanha eleitoral dentro de igrejas.

Sobre líderes religiosos, que não são candidatos, usar a estrutura de sua igreja apoiando terceiros no pedido de votos estão sujeitos a punições.

– Isso pode levar a propositura de uma ação até para cassação do mandato. A pessoa que pediu voto fez com conhecimento do candidato e pode caracterizar um ilícito que prejudique o candidato – disse.

A utilização de ações e estruturas de entidade filantrópica pode acarretar sanção legal e abuso do poder econômico. Os candidatos devem se afastar da direção dessas entidades, pois podem ter candidaturas impugnadas.

– O simples fato de alguns líderes religiosos apoiarem determinados candidatos isso não é irregular, mas na medida em que esse apoio ocorrer dentro do culto, ocorrer dentro da igreja isso será ilegal e fica vedado. Na medida também que o líder influenciar todos os outros fiéis para que eles votem em determinado candidato pode caracterizar um abuso do meio de comunicação dentro da igreja, fazer uma carreata, passeata da igreja para apoiar candidato foi identificado pela própria jurisprudência como ilícito. O ideal que as igrejas ficassem o mais distante possível da política – alertou.

A participação de candidatos na liturgia de cultos é permitida, se não for pedir votos. Mas, o procurador recomenda que as participações na liturgia de cultos sejam suspensas pelo menos três meses antes das eleições. É proibida a distribuição de material pelos candidatos dentro das igrejas.

Ameaças de cunho religioso por líderes aos fiéis por causa de votos devem ser denunciadas.

*As informações foram veiculadas na Rádio Campina FM. 

paraibaonline

 

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Com líderes da oposição, ‘Fora, Dilma’ reúne 795 mil pelo Brasil, diz PM

manifestoPelo menos 59 cidades em todos os Estados brasileiros e o Distrito Federal participaram neste domingo (16) da terceira grande manifestação nacional do ano contra o governo da presidente Dilma Rousseff, com público geral calculado pelas Polícias Militares estaduais em 795 mil pessoas. Dilma, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o PT foram novamente os principais alvos dos atos, que pediram o impeachment da presidente.

Na primeira manifestação, no dia 15 de março deste ano, o público estimado pelas PMs dos Estados foi de 2 milhões. Em 12 de abril, ao menos 560 mil participantes foram para as ruas, segundo as PMs. As corporações do Rio de Janeiro e de Pernambuco não divulgaram estimativa de público neste domingo (16). As PMs também não registraram nenhum grave incidente de violência ou vandalismo pelo país.

Dois dos principais nomes da oposição no Brasil participaram pela primeira vez das manifestações nas ruas. Em Minas Gerais, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) afirmou que não aceita “tanta impunidade, corrupção e mentira” e foi carregado nos ombros por populares. Já em São Paulo, onde ocorreu a maior manifestação, na avenida Paulista, com 135 mil pessoas segundo o Datafolha e 350 mil segundo a PM, o senador José Serra (PSDB-SP) foi muito assediado e teve o nome conclamado pelos ativistas.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Na semana que antecedeu os protestos, a presidente Dilma manteve uma agenda de eventos em que tentou se reaproximar de movimentos sociais. Outra reação do governo foi apoiar a chamada Agenda Brasil, relações de propostas elaborada por senadores governistas e ministros para tentar ajudar na recuperação econômica do país.

O ministro da Comunicação Social, Edinho Silva, disse, por meio de sua assessoria, que o governo “viu as manifestações dentro da normalidade democrática”. Segundo o blog do Fernando Rodrigues, Dilma mandou os ministros não concederem entrevistas. Na tarde deste domingo, a presidente se reuniu com seus ministros da articulação política para avaliar os protestos.

Um dos principais alvos das manifestações, o ex-presidente Lula ainda não é investigado pela Lava Jato, apesar de seu envolvimento com o empreiteiro Marcelo Odebrecht, preso pela operação. Um boneco inflável de Lula vestido de presidiário foi colocado na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Cerca de 1.500 pessoas participaram neste domingo de um ato em solidariedade ao ex-presidente na frente do seu instituto, na zona Sul de São Paulo.

Enquanto o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), foi alvo de críticas em algumas capitais, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), não foi diretamente criticado pelas organizações dos eventos. Ambos também tiveram seus nomes citados na Lava Jato este ano. Após assumir oposição a Dilma, Cunha está analisando na Câmara pedidos de impeachment contra a presidente.

‘Anticomunismo’ e apoio a Moro

Em São Paulo, a avenida Paulista ficou toda tomada por manifestantes. Os grupos Vem Pra Rua, Revoltados On Line e Movimento Brasil Livre foram os principais organizadores.

Palavras de ordem contra Dilma, o PT e os ideais de esquerda do partido foram a tônica do ato. “Quem acha que comunismo deve ser crime no Brasil?”, diz um homem sobre o carro de som dos Revoltados Online. “Eeeeeu”, responde o público. “O comunismo matou mais do que o nazismo”, diz o discurso. O Vem Pra Rua chegou a puxar uma vaia para Renan Calheiros e entoou gritos de “pé na bunda dela porque o Brasil não é a Venezuela”.

Em Curitiba, cerca de 60 mil pessoas participaram dos atos, que também deram apoio ao juiz federal Sergio Moro em razão de sua atuação na operação Lava Jato. Outro nome elogiado foi o secretário de Segurança do Estado de São Paulo, Alexandre de Moraes, que esteve na avenida Paulista em um veículo da tropa de choque da Polícia Militar e foi saudado pelos manifestantes com gritos de “Viva a PM”.

 

Uol

Papa Francisco recebe líderes de movimentos sociais em Roma

papaMais de 100 líderes de grupos sociais e leigos, 30 bispos engajados com a realidade dos movimentos sociais em seus países e 50 agentes pastorais, além de alguns membros da Cúria Romana, participam esta semana do Encontro Mundial dos Movimentos Populares, que ocorre em Roma até amanhã (29).

O evento é organizado e promovido pelo Pontifício Conselho da Justiça e da Paz, em colaboração com a Pontifícia Academia das Ciências Sociais. Entre os representantes brasileiros está o secretário-geral da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil, dom Leonardo Steiner. Os participantes foram recebidos hoje (28) pelo papa Francisco.

O cardeal Peter Turkson, presidente da entidade que promove o evento, destacou que o encontro tem po robjetivo fortalecer a rede de organizações populares, favorecer o conhecimento recíproco e promover a colaboração entre eles e as Igrejas locais, representadas por bispos e agentes pastorais comprometidos na promoção e tutela da dignidade e dos direitos da pessoa.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook
“Sustentados, muitos de nós, pela fé em Cristo, que se fez pobre entre os pobres, e fortes pelo magistério social de Sua Santidade e da Sua preocupação para com as vítimas da indiferença e do egoísmo de um sistema social e econômico elitista, estamos reunidos hoje, no Vaticano, para receber do senhor, Santo Padre, palavras que nos iluminem e nos apoiem em nosso difícil caminho para a construção de uma sociedade mais justa e solidária, onde ninguém seja considerado um descarte, mas visto com o olhar de Deus, que abraça todos os seus filhos, especialmente aqueles a quem o Senhor chama de “meus irmãos e irmãs menores”, disse o cardeal.

Agência Brasil