Arquivo da tag: liderança

Flamengo goleia Corinthians e segue com folga na liderança

O Flamengo goleou o Corinthians por 4 a 1 hoje (3), no Maracanã, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro, com três gols do atacante Bruno Henrique e um belo gol de Vitinho. Mateus Vital fez o “gol de honra” do Timão. A vitória mantém a liderança do Fla com folga na competição. A vantagem para o Palmeiras é de oito pontos: 71 contra 63.

Se o Fla mantém a boa fase, o Corinthians se afunda na crise. Agora são oito jogos sem vencer. Além disso, o técnico Fábio Carille, apesar de não assumir publicamente, “perdeu o grupo”. A goleada complica ainda mais a situação do treinador corintiano, que balança no cargo e pode deixar o Alvinegro a qualquer momento.

O jogo taticamente foi como a maioria esperava: ataque contra defesa. O Timão, com sua retranca demasiada, suportou até o fim do primeiro tempo, quando sofreu dois gols de Bruno Henrique: aos 45 e 46 minutos. Se não bastasse, o atacante do Fla fez o terceiro logo no primeiro minuto do segundo tempo.

Após mais uma vitória, o Flamengo tem clássico contra o Botafogo na quinta-feira (7), às 20h, no Engenhão, pela 31ª rodada da competição. O Corinthians, por sua vez, enfrenta o Fortaleza na próxima quarta-feira (6), às 19h30 (de Brasília), na Arena de Itaquera.

 

Uol Notícias

 

 

Flamengo vence Chape e avança na liderança da Série A

O Flamengo venceu a Chapecoense por 1 a 0, na tarde deste domingo (6), e avançou mais ainda na liderança do Campeonato Brasileiro, série A.

O gol da partida foi marcado por Bruno Henrique, aos 34 minutos do primeiro tempo. Ele recebeu um cruzamento de Rafinha e sem marcação balançou as redes na  Arena Condá que recebeu um público de 12.152 torcedores, conforme dados divulgados.

Com o resultado positivo, o ‘Mengão’ chega a 52 pontos, seis a mais que o vice-líder, o Palmeiras. Já a Chape com 15 pontos segura a lanterna da competição.

Na próxima rodada, na quinta-feira (10), o Flamengo pega o Atlético Mineiro, no Maracanã.

MaisPB

 

 

Flamengo vence, segue isolado na liderança e aumenta a crise do Cruzeiro

Cruzeiro e Flamengo se enfrentaram neste sábado, no Mineirão, e entraram em campo atravessando momentos completamente distintos. O time da casa, vivendo uma das maiores crises de sua história, precisava do triunfo para sair da zona de rebaixamento. O Rubro-Negro, curtindo uma fase espetacular, mirava os três pontos para seguir isolado na ponta do Brasileirão. Melhor para os cariocas, que venceram por 2 a 1, com gols de Gabigol e Arrascaeta, e seguem, com autoridade, na posição mais cobiçada da Série A: a primeira. O Cruzeiro, com a derrota, segue na 17ª colocação e pode até ser ultrapassado pelo CSA na rodada.

Teve de quase tudo na primeira etapa. E se teve de quase tudo, teve, claro, gol do Gabigol. O artilheiro do Brasileirão abriu o placar logo aos seis minutos, após bom cruzamento de Gerson. O VAR sugeriu a revisão do lance em função de uma possível falta no início da jogada, mas o árbitro confirmou o gol. O Cruzeiro equilibrou as ações, levou perigo com um chute de Pedro Rocha e, aos 35 minutos, o mesmo Pedro Rocha sofreu pênalti de Rodrigo Caio. Dessa vez, o VAR respeitou a decisão da arbitragem e não sugeriu a revisão. Thiago Neves cobrou muito bem, com força, no canto, e deixou tudo igual. O empate por 1 a 1 foi o placar levado pelas equipes para o intervalo da partida.

A etapa final começou muito movimentada, com chances para os dois lados, bola na trave de Diego Alves, grande intervenção de Fábio após cabeçada de Bruno Henrique e uma total imprevisibilidade. O 1 a 1 durou 20 minutos, já que aos 21 apareceu a famosa e quase implacável “lei do ex”. Após linda jogada e cruzamento de Willian Arão, Gabigol, com um lindo corta-luz, deixou Arrascaeta livre para estufar as redes de Fábio. O maior artilheiro do novo Mineirão decretou a vitória flamenguista e, claro, deixou furiosos os torcedores do Cruzeiro que pegavam no pé dele desde o início do jogo. Os dois times ainda tiveram mais algumas chances, mas o 2 a 1 permaneceu até o fim.

 

Globo Esporte

 

 

Palmeiras joga mal e perde liderança do grupo na Libertadores

Uma atuação sem criatividade e uma grande falha na defesa causaram ao Palmeiras a primeira derrota na Copa Libertadores na noite desta terça-feira. Em Buenos Aires, o time foi mal e perdeu por 1 a 0 para o San Lorenzo, pela fase de grupos. A equipe argentina assumiu a liderança da chave com o resultado, com sete pontos, ante seis do time alviverde.

Depois de vencer nas duas primeiras rodadas da Libertadores, o Palmeiras exibiu um futebol ruim e de pouco poderio ofensivo. O time do técnico Luiz Felipe Scolari sofreu a segunda derrota no ano (a outra foi para o Corinthians) e reabilitou os argentinos. O San Lorenzo só tinha vencido duas vezes em 2019 e amarga a 21ª posição entre os 26 participantes do campeonato local.

A derrota deixa o Palmeiras com duas grandes responsabilidades pela frente. No domingo, o time recebe o São Paulo para ir à final do Campeonato Paulista e na quarta seguinte, enfrenta o Junior Barranquilla no Allianz Parque com a missão de se recuperar na Copa Libertadores.

O Palmeiras começou o jogo com a postura de controlar o San Lorenzo. Com marcação adiantada, troca de passes e paciência, a equipe conseguiu diminuir o ímpeto adversário. As ausências de Ricardo Goulart e Scarpa prejudicaram, mas o time ganhou mais capacidade de segurar o jogo com a presença de Moisés.

O San Lorenzo incomodou no primeiro tempo apenas pela direita. O colombiano Juan Salazar era rápido, enfrentava sozinho a marcação e gerou o principal lance de perigo. O jogador deixou dois palmeirenses no chão e tocou para Castellani acertar a trave, aos 18 minutos de partida.

O susto não fez o Palmeiras se encolher. Moisés matou no peito, deu uma bicicleta e acertou o travessão logo depois. Os contra-ataques se apresentavam como boa arma, porém faltou capricho na hora de armar as jogadas.

O time teve duas mudanças no intervalo para conseguir chegar mais ao ataque. Felipe Melo e Lucas Lima entraram no time. As alterações avançaram o time e deram mais espaço ao San Lorenzo. Os argentinos tiveram uma liberdade enorme para chegar ao gol, aos seis minutos do segundo tempo.

O lateral Herrera saiu da direita e conduziu a bola sem ser acompanhado. O jogador chegou na entrada da área, ajeitou com calma e chutou no canto de Weverton.

A vantagem fez o San Lorenzo recuar. Foi a vez do Palmeiras ter mais a posse de bola. O problema era não conseguir aproveitar as oportunidades, pois Deyverson não conseguia fazer o trabalho de centroavante, Felipe Pires foi mal pela lado direito e Dudu encontrava muita marcação pela esquerda.

Após se destacar no primeiro tempo como armador, Moisés deixou de aparecer em campo. Lucas Lima não conseguiu criar jogadas e o ataque foi inerte no segundo tempo. As grandes armas utilizadas para buscar o empate foram com bolas paradas na área em busca dos zagueiros.

Embora em termos de classificação o tropeço não represente ameaça, a atuação apagada na Argentina mostrou debilidades e o quanto o elenco é dependente de alguns jogadores. Sem Goulart e Scarpa, o Palmeiras perdeu muito em qualidade.

FICHA TÉCNICA

SAN LORENZO 1×0 PALMEIRAS

SAN LORENZO: Monetti; Herrera, Coloccini, Senesi e Víctor Salazar (Pérez); Castellani, Loaiza e Martínez; Reniero, Blandi (Poblete) e Juan Salazar (Barrios). Técnico: Jorge Almirón.

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Gómez e Diogo Barbosa; Thiago Santos (Felipe Melo), Bruno Henrique (Lucas Lima) e Moisés; Felipe Pires (Raphael Veiga), Dudu e Deyverson. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Gol: Herrera, aos 6 minutos do segundo tempo

Árbitro: Julio Bascuñán (Chile)

Cartões Amarelos: Thiago Santos, Bruno Henrique, Castellani, Marcos Rocha, Herrera, Deyverson

Renda e público: Não divulgados

Local: Nuevo Gasómetro (Buenos Aires)

 

Estadão

 

 

Com desfalques, Belo encara o CRB pela liderança geral da Copa do NE

O Botafogo-PB enfrenta o CRB-AL na tarde deste sábado (29), às 16h30, no estádio Rei Pelé, em Maceió, pela oitava rodada da primeira fase da Copa do Nordeste. Já classificado para as quartas de final, o Belo tem a missão de se garantir na liderança do Grupo B do torneio regional, situação que daria à equipe, a vantagem de disputar as duas próximas fases em casa, visto que o confronto será em jogo único.

Para se confirmar na liderança, o Alvinegro da Estrela Vermelha depende apenas de si próprio. Caso vença o CRB-AL hoje, o Belo se isola na liderança do Grupo B. Porém, em caso de empate ou derrota, a equipe vai precisar de uma combinação de resultados, nos jogos de Ceará-CE e Náutico-PE, que jogam fora de casa contra o Salgueiro-PE e Vitória-BA, respectivamente, equipes que brigam diretamente pela classificação no Grupo A.

Sabendo disso, o treinador Evaristo Piza poupou alguns atletas na última partida do Belo, visando a recuperação física para o jogo de hoje. Ele sabe que o CRB-AL vai jogar para garantir a classificação, o que dificultará bastante a partida. Então, a missão do Botafogo-PB é aproveitar os espaços deixados pelo Galo para sair de campo com a invencibilidade no torneio e a liderança confirmada.

“Esperamos um jogo dificílimo. O CRB necessita do resultado para tentar a classificação no Grupo A e vai jogar tudo nesta partida para buscar o objetivo, e a gente vai tentar encerrar essa primeira fase garantindo a invencibilidade no torneio. A missão é fazer um grande jogo para terminarmos na liderança do grupo”, disse o treinador Evaristo Piza.

CRB

Apesar de não ter uma campanha tão boa na Copa do Nordeste, o CRB-AL vem em uma boa fase na temporada, acumulando quatro vitórias consecutivas nos últimos jogos. A situação deixa o confronto contra o Botafogo-PB muito interessante, pois, além de ambos os clubes viverem um bom momento, a partida vale muito tanto para os paraibanos como para os alagoanos.

Sabendo disso, o treinador Roberto Fernandes deve escalar o CRB com força máxima para garantir a classificação. É bem verdade que um empate praticamente consolida a ida do Galo às quartas de final, mas o único resultado que interessa é a vitória.

Escalações

BFC: Saulo; Israel, Lula, Donato e Charles; Rogério, Wellington Cézar, Marcus Vinícius, Marcos Aurélio e Clayton; Nando.

CRB: Edson; Júnior, Guilherme Mattis, Edson Henrique e Igor; Claudinei, Hugo Sanches, Ferrugem e Felipe Menezes; Mailson e Victor Rangel (Willian Barbio).

(Foto: Rizemberg Felipe/Jornal CORREIO)

portalcorreio

 

 

São Paulo tropeça no lanterna e perde gordura na liderança

Poucos campeonatos entre as grandes ligas de futebol pelo mundo proporcionam um equilíbrio tão grande no embate entre líder e lanterna como o Brasileirão é capaz de fazer. O São Paulo foi a vítima da vez dessa situação peculiar. No estádio Durival de Britto, a famosa Vila Capanema, o Tricolor não saiu de um empate por 1 a 1 com o Paraná Clube. Para piorar o cenário dos paulistas, simultaneamente o Internacional encarou o Bahia em Salvador e conquistou a vitória por 1 a 0.

Com isso, a liderança segue absoluta, nas mãos do São Paulo. Mas, agora o Colorado vem logo atrás, com apenas um ponto a menos (42 a 41). O Flamengo enfrenta o Vitória nessa quinta, no Maracanã, e pode chegar a 40 pontos. O Paraná, por outro lado, segue na última posição depois de 20 rodadas, com 15 pontos somados.

Nenê comemora gol do São Paulo com os companheiros
Nenê comemora gol do São Paulo com os companheiros

Foto: Guilherme Artigas / Fotoarena / Estadão Conteúdo

Antes da boal rolar, o favoritismo são-paulino era inegável. Líder, melhor visitante e invicto há quatro jogos, os líderes ainda entraram em campo com força máxima, os 11 ideais de Diego Aguirre, que tanto gosta de rodar o elenco.

Para ajudar, o São Paulo ganhou um baita presente logo aos sete minutos. O zagueirão Cleber Reis adiantou demais a bola na intermediária defensiva e perdeu o controle da redonda para Nenê. Uma simples tabela com Diego Souza e bola na rede. Foi o oitavo gol do camisa 10 nesse Brasileirão, agora artilheiro da equipe tanto na temporada (12 gols) quanto no nacional.

Os torcedores locais, imediatamente, passaram a perseguir Cléber Reis. A entregada não passou impune, e o clima ficou todo favorável aos visitantes, que viam a pressão sobre o adversário e ainda contavam a vantagem no placar.

Inesperadamente e até de forma surpreendente, porém, o São Paulo, aos poucos, foi perdendo o controle do jogo. E no lance seguinte a um quase golaço de bicicleta de Diego Souza, os mandantes contaram com o imprevisto para deixar tudo igual. Júnior viu a bola se oferecer dentro da área depois de uma dividida estranha e não perdoou.

Na etapa final, o Paraná definitivamente passou a apostar apenas nos contra-ataques. O ímpeto foi vencido pela falta de capacidade, e o Tricolor do Morumbi, enfim, encurralou os lanternas.

Junior comemora o empate do Paraná
Junior comemora o empate do Paraná

Foto: Reinaldo Reginato / Fotoarena / Estadão Conteúdo

A pressão, no entanto, não surtiu efeito. O goleiro Richard pouco trabalhou, apesar da bola pipocar bastante dentro de sua área. Diego Aguirre ainda apostou em Liziero, Shaylon e Tréllez, mas, não teve jeito. O gol da vitória não veio e o empate teve um sabor um pouco mais satisfatório para os donos da casa.

Os dois times voltam a campo no fim de semana. O Paraná encara o Corinthians no sábado, às 19h, em Itaquera, enquanto o São Paulo recebe o Ceará no dia seguinte, às 11h, no estádio do Morumbi.

FICHA TÉCNICA

PARANÁ 1 x 1 SÃO PAULO

Local Estádio Durival Britto e Silva, em Curitiba (PR)

Data: 22 de Agosto de 2018, quarta-feira

Horário: 19h30 (de Brasília)

Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez (PE)

Assistentes: Clovis Amaral da Silva (PE) e Cleberson do Nascimento Leite (PE)

Cartões amarelos: Guilherme Biteco, Júnior, Rafael Grampola (PAR); Liziero (SP)

GOLS:

Paraná: Júnior, aos 36 minutos do 1T.

São Paulo: Nenê, aos 7 minutos do 1T.

PARANÁ: Richard; Júnior, René, Cleber Reis e Mansur; Leandro Vilela, Alex Santana e Caio Henrique; Guilherme Biteco (Rodolfo) (Jhonny Lucas), Silvinho e Rafael Grampola (Rafael Alemão)

Técnico: Claudinei Oliveira

SÃO PAULO: Sidão, Bruno Peres, Arboleda, Anderson Martins e Reinaldo; Hudson (Lizeiro), Jucilei e Nenê (Tréllez); Everton, Joao Rojas (Shaylon) e Diego Souza.

Técnico: Diego Aguirre

Gazeta Esportiva

Inter passa pelo Bahia em Salvador e encosta na liderança

Mostrando maturidade e segurança, o Internacional foi a Arena Fonte Nova enfrentar o Bahia e confirmou a boa fase: Gol de Patrick e triunfo sobre o Bahia por 1 a 0. Com o resultado e o empate em 1 a 1 do Paraná contra o São Paulo, agora o Colorado está a apenas um ponto dos paulistas na tabela do Brasileirão.

Por sua vez, o resultado interrompeu uma série sem derrotas na competição do Tricolor Baiano que durava desde antes da Copa do Mundo. Além disso, a equipe nordestina fica na 12ª posição continuando com 22 pontos.

Patrick comemora gol do Internacional
Patrick comemora gol do Internacional

Foto: Tiago Caldas / Fotoarena / Estadão Conteúdo

O jogo

A primeira grande oportunidade do jogo favoreceu a equipe que conseguia ser mais constante no campo de ataque como era o caso do Internacional. Depois de passe espirrado na zaga baiana, Camilo apareceu frente a frente com Anderson, mas bateu cruzado tirando demais da meta e a bola passou do lado esquerdo.

Os erros de passe do Bahia frente a uma marcação tão acertada como se posicionava o time Colorado. Com isso, cada vez mais se tornava raro ver a equipe da casa efetivamente ter a posse e conseguir espaços para armar uma jogada de ataque.

Foi somente em um erro na saída de bola do time visitante que o Tricolor da Boa Terra conseguiu levar bastante perigo a meta de Lomba. Roubando a bola na intermediária, Zé Rafael teve campo para arrumar o corpo e bater forte para ver a bola raspar o travessão.

Apesar dos visitantes preferirem a troca de passes no chão, foi por um lançamento que surgiu o lance do gol. Depois de bola lindamente dominada por Rossi dentro da área, na base da habilidade e velocidade o camisa 22 girou na marcação e cruzou na medida para a chegada de Patrick concluir de cabeça para as redes.

No trecho final da primeira etapa, o Bahia passou a ter mais atitude, empurrado também por estar atrás do marcador e apostando bastante nas bolas aéreas, porém, sem a efetividade necessária para alterar novamente o marcador.

Disputa de bola em Bahia x Inter
Disputa de bola em Bahia x Inter

Foto: Tiago Caldas / Fotoarena / Estadão Conteúdo

Segundo tempo

Assim como foi no primeiro tempo, quem inaugurou as chances perigosas foi o time dirigido por Odair Hellmann. Em cobrança de falta vindo da ponta esquerda feita por Camilo, o volante Rodrigo Dourado testou para o chão e forçou Anderson a fazer uma complicada intervenção.

O Bahia até tentava tomar as rédeas da partida com a posse de bola superior, mas continuava esbarrando na postura retraída bem organizada do time gaúcho e não criava. Quem mais sofria nesse panorama eram Edigar Junio e Gilberto, pouco acionados diante do intenso acompanhamento dos zagueiros e volantes do Inter.

A entrada de Régis melhorou a “inspiração” da ofensiva de Salvador, criando dois bons lances onde o chute de Léo encontrou a boa defesa de Marcelo Lomba e Gilberto, em cruzamento muito preciso, cabeceou por cima em lance claro de gol.

Mesmo melhorando por alguns momentos, em via de regra o time de Enderson Moreira não conseguiu implementar um alto e constante nível de pressão sobre o Inter.

FICHA TÉCNICA
BAHIA 0 X 1 INTERNACIONAL

Data-hora: 22/08/2018 – 19h30
Local: Arena Fonte Nova, Salvador (BA)
Árbitro: Rodrigo D’Alonso Ferreira (CBF-SC)
Assistentes: Helton Nunes e Alex dos Santos (ambos CBF-SC)
Público-renda: 18.671 pessoas – R$ 339.261,00
Cartões amarelos: Lucas Fonseca (BAH), Willian Pottker, Edenílson (INT)
Cartões vermelhos: 
Gols: Patrick (22’/1°T) (0-1)

BAHIA: Anderson; Bruno (Clayton, aos 38’/2°T), Tiago, Lucas Fonseca e Léo; Gregore, Elton, Vinícius (Marco Antonio, aos 28’/2°T), Zé Rafael e Edigar Junio (Régis, aos 13’/2°T); Gilberto. Técnico: Enderson Moreira.

INTERNACIONAL: Marcelo Lomba; Dudu (Zeca, aos 24’/2°T) Victor Cuesta, Rodrigo Moledo e Iago; Rodrigo Dourado, Edenilson e Patrick; Camilo (Brenner, aos 28’/2°T), Rossi (Juan Alano, aos 22’/2°T) e William Pottker. Técnico: Odair Hellmann.

 

Lance

Na volta de Guerrero, Fla bate Inter e mantém liderança

(Foto: André Durão)

Com gols marcados por Lucas Paquetá e Éverton Ribeiro, ambos no segundo tempo, o Flamengo derrotou o Internacional por 2 a 0, em partida disputada na tarde deste domingo, no Maracanã. O resultado manteve a equipe rubro-negra na liderança do Campeonato Brasileiro, agora com dez pontos ganhos. O Inter segue com quatro pontos, na 12ª posição. O jogo marcou o retorno do atacante Paolo Guerrero, que voltou a disputar uma partida depois de cumprir uma suspensão de seis meses por ter sido flagrado pelo exame antidoping, quando defendia a seleção peruana.

Diante de um público superior a 60 mil pessoas, o Flamengo dominou completamente durante os 90 minutos e poderia ter alcançado um resultado bem mais expressivo. O time da Gávea se aproveitou da falta de ousadia do Internacional para impor seu ritmo de jogo. A equipe gaúcha entrou em campo com o objetivo de apenas se defender e pouco apareceu na área adversário. Ainda perdeu Pottker expulso, o que tirou qualquer chance de reação por parte da equipe do Rio Grande do Sul.

Na próxima rodada, o Flamengo vai enfrentar a Chapecoense, na Arena Condá, enquanto o Internacional duelará contra o Grêmio, na Arena Grêmio.

O jogo

Como era de se esperar, o Flamengo partiu para o ataque assim que o jogo começou. Apoiado pela grande torcida, o time rubro-negro pressionava a saída de bola e criava complicações para os zagueiros do Inter, que se atrapalhavam. Foi assim com Vitor Cuesta e Yago aos dois e quatro minutos, mas o Flamengo não conseguiu aproveitar.

O Internacional não conseguia trocar passes e seguia dando chutões em direção aos atacantes, facilmente neutralizados pela zaga rubro-negra.

Aos dez minutos, Renê fez ótimo lançamento para Vinicius Júnior que, de cabeça, tentou encobrir Danilo Fernandes, mas o goleiro colorado fez a defesa sem dificuldades. Dois minutos depois, a equipe gaúcha criou a primeira chance real de gol na partida. Fabiano cruzou da direita e Leandro Damião cabeceou para baixo, mas Diego Alves fez grande defesa, desviando para escanteio. Na cobrança, Rodrigo Moledo cabeceou para fora.

O Flamengo passou a encontrar dificuldades para criar jogadas de ataque e a torcida começou a mostrar sinais de impaciência. Aos 19 minutos, após cobrança de falta, a bola sobrou para o volante Cuéllar, que bateu para defesa fácil de Danilo Fernandes. Dois minutos depois, foi a vez de Rodinei aproveitar a sobra na entrada da área e mandar a bomba, mas mais uma vez o goleiro defendeu.

O Inter não conseguia organizar jogadas ofensivas e se limitava a tentar bloquear as investidas da equipe da casa. Só aos 35 minutos é que a equipe gaúcha chegou na área carioca em chute de Gabriel Dias, que desviou em Réver e facilitou a defesa de Diego Alves. Aos 37 minutos, Henrique Dourado perdeu grande chance de abrir o marcador. Rodinei deixou o Ceifador livre na área, mas o chute passou rente à trave esquerda do gol defendido. O último lance importante da etapa inicial pertenceu ao Internacional. Aos 45 minutos, Potker cruzou, Leandro Damião cabeceou e Diego Alves fez uma boa defesa.

O Flamengo voltou para o segundo tempo com a mesma disposição ofensiva e, aos sete minutos, Geuvânio recebeu de Éverton Ribeiro e bateu forte, mas Danilo Fernandes fez grande defesa. Maurício Barbieri chamou Paolo Guerrero para vibração da torcida rubro-negra. O atacante peruano entrou no lugar de Henrique Dourado. Ele não entrava em campo para disputar uma partida desde o dia 19 de outubro do ano passado.

Aos 12 minutos, Geuvânio recebeu na direita e bateu cruzado, mas a bola saiu. O Internacional voltou ainda mais recuado e não conseguia organizar uma jogada de ataque sequer, sendo sufocado pelo rubro-negro carioca. Guerrero teve a primeira chance de gol numa cobrança de falta aos 22 minutos, com a bola passando muito perto da trave direita de Danilo Fernandes.

Aos 25 minutos, o Flamengo marcou o primeiro gol. Lucas Paquetá cobrou falta, a bola bateu na barreira e voltou para ele mesmo, que mandou a bomba no ângulo, sem chances para Danilo Fernandes. Depois de sofrer o gol, o técnico do Inter decidiu tornar o time mais ofensivo e trocou o volante Gabriel Dias pelo atacante Brenner. Aos 33 minutos, o colorado passou a atuar com dez jogadores porque William Potker recebeu cartão vermelho por desferir uma cabeçada em Vinicius Júnior. Aos 41 minutos, o Flamengo ampliou. Guerrero fez lançamento para Éverton Ribeiro que se livrou do marcador e chutou para marcar um belo gol. Com a vitória assegurada, o rubro-negro apenas fez a bola circular para delírio da sua torcida.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO-RJ 2 X 0 INTERNACIONAL-RS

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)

Data: 6 de maio de 2018 (Domingo)

Horário: 16h (de Brasília)

Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (SP)

Assistentes: Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP) e Fabio Rogerio Baesteiro (SP)

Público: 60.182 (55.283 pagantes)

Cartão Amarelo: Henrique Dourado, Renê, Lucas Paquetá, Geuvânio(Fla); Rodrigo Dourado, Fabiano, Victor Cuesta, Brenner(Inter)

Cartão Vermelho: William Potker(Inter)

Gols:

FLAMENGO: Lucas Paquetá aos 25 minutos e Éverton Ribeiro aos 41 minutos do segundo tempo

FLAMENGO: Diego Alves, Rodinei, Réver, Léo Duarte e Renê; Cuéllar, Lucas Paquetá e Éverton Ribeiro; Geuvânio(Jean Lucas), Vinícius Júnior e Henrique Dourado(Paolo Guerrero)

Técnico: Maurício Barbieri

INTERNACIONAL: Danilo Fernandes; Fabiano, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Iago; Rodrigo Dourado, Gabriel Dias(Brenner), Patrick e D´Alessandro; William Pottker e Leandro Damião(Lucca)

Técnico: Odair Hellmann

Gazeta Esportiva

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Treze e Campinense vencem e assumem liderança

(Foto: Arquivo do Jornal Correio da Paraíba)

O domingo foi de muita alegria para os torcedores de Campinense e Treze, os “Maiorais” (como é chamado o clássico disputado pelas duas equipes) venceram suas partidas e agora se isolam na liderança de seus grupos na Série D. A Raposa venceu o Flamengo de Arcoverde-PE por 2 a 1, já o Galo bateu o Itabaiana-SE por 1 a 0.

Jogando fora de casa, o Campinense fez o duelo de rubro-negros contra o Flamengo-PE. Melhor para a Raposa que venceu a partida por 2 a 1, manteve os 100% de aproveitamento na competição e se isolou na liderança do Grupo A8 da 4ª Divisão do Campeonato Brasileiro. Confira a tabela do Grupo A8 da Série D.

Série D – Grupo A8

Por sua vez, o Treze não fez por menos e também venceu nesse domingo (6). O Galo da Borborema recebeu o Itabaiana-SE no Estádio Presidente Vargas, em Campina Grande e venceu a partida. O duelo pela liderança ficou com o alvinegro, que agora assume a ponta da tabela do Grupo A9 da Série D. Confira a classificação do Grupo A9 da Série D.

Série D – Grupo A9