Arquivo da tag: liderança

Liderança nacional do PSDB referenda nome de Cássio para vice do Senado: “Estaríamos bem representados”

senador-paulo-roberto-bauerO senador Paulo Roberto Bauer (PSDB-SC) – que liderou a bancada tucana no segundo semestre de 2016 no Senado – referendou, nessa terça-feira (10), o nome do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) para a vice-presidência do Senado. Ao Blog do Gordinho, Paulo Bauer declarou que a bancada tucana estaria bem representada através do paraibano. A informação de que o PSDB vai indicar o nome para vice-presidente do Senado com o nome Cássio como o mais cotado para assumir o cargo foi antecipada pelo Blog do Gordinho na semana passada.

“Sem dúvidas nenhuma um dos grandes nomes que o PSDB tem é o do senador Cássio Cunha Lima, que foi um grande líder, é um nome histórico dentro do partido, tem uma biografia política bastante consistente e importante. Por isso ele é um dos nomes, mas sem dúvida se destaca, e se aceitar, e a bancada decidir pelo nome dele, nos estaríamos muito bem representado na Mesa Diretora”, disse.

Segundo ele, pela regra, o partido de maior representatividade indica o nome para a presidência da Casa, o que ficaria a cargo do PMDB. O PSDB tradicionalmente ocupou a primeira-secretaria, terceiro cargo mais relevante. O senador afirmou também que, sendo a partir do próximo mês a bancada com o segundo maior número de integrantes, o partido garante a condição de pleitear a segunda posição mais importante do Senado.

O PMDB ainda não se posicionou formalmente, mas a indicação da legenda gira em torno do senador Eunício Oliveira (PMDB-CE). O PSDB trabalha para apoiar a candidatura de Eunício para presidência e vai defender que a vaga de vice seja ocupada pelo PSDB.

Apesar de ainda não ter ocorrido reuniões formais em torno de um nome para disputar a vaga de vice, o senador relevou que há comentários internos em favor de Cássio, mas que normalmente as decisões só são tomadas na semana anterior aos inícios dos trabalhos.

Paulo Bauer é vice-líder do PSDB e ocupou durante os últimos quatro meses o cargo de líder no Senador, com a licença médica do senador Cássio.

Blog do Gordinho

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Flamengo para no Botafogo e dá chance para Palmeiras disparar na liderança

O Flamengo corre risco de ficar mais distante da briga pelo título do Campeonato Brasileiro. Neste sábado, o time rubro-negro parou na boa marcação do Botafogo e empatou por 0 a 0 no Estádio do Maracanã. Por isso o time alcançou os 63 pontos e até diminuiu a vantagem para o Palmeiras provisoriamente, mas o líder da competição ainda entrará em campo nesta rodada e, se vencer o Internacional no Allianz Parque, chegará aos 70 pontos e portanto abrirá sete de vantagem na ponta, faltando quatro rodadas para o final. Além disso, Santos e Atlético-MG ainda podem superar o Flamengo na tabela se vencerem suas partidas contra Ponte Preta

Desde o começo do 1º tempo, o Flamengo tomou mais iniciativa, controlou o jogo com um bom toque de bola, mas nem sempre com objetividade. Criou poucas chances de gol e falhou nas finalizações, então Sidão só teve que fazer uma defesa difícil. O Botafogo ficou recuado para esperar contra-ataques e conseguiu marcar bem, o que equilibrou o jogo, mas não encaixou boas jogadas na frente.

Esse cenário mudou no 2º tempo, quando o Botafogo teve chances de gol com Neilton – em apenas 10 segundos de bola rolando -, Pimpão e Camilo, mas nenhuma foi bem aproveitada. Nos minutos finais, a correria tomou conta do jogo, foram criadas chances de gol, mas ninguém mostrou eficiência na frente do gol.

Na próxima rodada o Flamengo, que completou quatro jogos seguidos sem vencer, vai enfrentar o América-MG fora de casa. Já o Botafogo, sem perder há sete partidas, enfrentará a Chapecoense em casa. Os dois jogos serão na quarta-feira, mas o time alvinegro entrará em campo às 19h30 (de Brasília), enquanto o rubro-negro atuará às 21h45.

Terceiro empate em 2016

Flamengo e Botafogo empataram todos clássicos que disputaram no ano. Os jogos anteriores terminaram 2 a 2 e 3 a 3.

Quem foi bem: Diego

Durante o 1º tempo, Diego participou das principais jogadas do Flamengo. Com apenas 1min, ele já arriscou um chute perigoso que foi para fora. Aos 19min, deu lindo passe por cima para Guerrero, que chutou de primeira, mas mandou a bola para longe. Aos 37min, surgiu a melhor oportunidade em um contra-ataque iniciado por Rafael Vaz após um belo drible em Airton. Diego recebeu a bola dentro da área, girou e chutou bem, mas Sidão defendeu em dois tempos. Aos 43min, o meia ainda acertou outro chute de longa distância que passou perto do gol. No começo do 2º tempo, ele cobrou uma falta perigosa, mas depois caiu de produção.

Quem foi mal: Fernandinho e Gabriel

A dupla de pontas do Flamengo pouco produziu em campo e irritou a torcida no Maracanã com muitos erros em jogadas simples. Não foi à toa que ambos saíram substituídos no 2º tempo por Marcelo Cirino e Emerson Sheik.

Show de dribles

O 1º tempo não foi bom para o Botafogo, mas pelo menos o time comemorou duas belas canetas: primeiro Airton colocou a bola entre as pernas de Fernandinho e depois Victor Luis fez o mesmo com Diego. Em compensação, aos 46min do 1º tempo, o lateral esquerdo do Flamengo, Jorge, deu dois chapéus seguidos em Camilo.

PM isola Setor Sul e deixa clarão no Maracanã

Vinicius Castro/ UOL

Por medida de segurança, o Gepe (Grupamento Especial de Policiamento em Estádios) isolou o Setor Sul do Maracanã. A iniciativa deixou um clarão nas arquibancadas e foi bastante criticada pelos torcedores do Flamengo nas redes sociais. A PM alegou que por se tratar de um clássico regional não seria aconselhável rubro-negros e alvinegros – mesmo com carga de ingressos para visitantes – dividirem o mesmo acesso.

Demora nas substituições

Apesar do resultado de 0 a 0, os dois técnicos demoraram para mexer no time e só fizeram substituições depois da metade do 2º tempo. A primeira troca, feita por Zé Ricardo, foi aos 26min, quando ele tirou Gabriel e colocou Marcelo Cirino.

Problema na zaga

Réver e Rafael Vaz levaram cartões amarelos e estão suspensos para o próximo jogo, contra o América-MG. Juan e Donatti devem ser os substitutos. No Botafogo o desfalque será Sassá, que saiu do banco, quase se envolveu em uma confusão no final e por isso também levou o terceiro amarelo.

Discussão no fim do jogo

No geral o jogo foi tranquilo, mas nos acréscimos uma discussão entre Sheik e Carli esquentou o clima em campo. O atacante entrou com o pé alto em uma dividida e irritou o argentino, mas depois de muitos empurrões, ele pediu desculpas.

FLAMENGO X BOTAFOGO

Data/hora: 05/11/2016, às 17h (de Brasília)
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Jean Pierre Goncalves Lima (RS)
Auxiliares: Kleber Lucio Gil (SC) e Fabricio Vilarinho da Silva (GO)
Cartões amarelos: Airton (BOT), Réver (FLA), Victor Luis (BOT), Rafael Vaz (FLA), Sassá (BOT), Emerson (FLA)

Flamengo
Alex Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz e Jorge; Márcio Araújo, Willian Arão (Leandro Damião) e Diego; Gabriel (Marcelo Cirino), Fernandinho (Emerson) e Guerrero
Técnico: Zé Ricardo

Botafogo
Sidão; Alemão, Joel Carli, Emerson e Victor Luís (Gervasio Nuñez); Airton (Diogo Barbosa), Rodrigo Lindoso, Bruno Silva e Camilo; Neilton (Sassá) e Rodrigo Pimpão
Técnico: Jair Ventura

 

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Cruzeiro segura Palmeiras em Araraquara, e Fla cola na briga pela liderança

palmeirasA oito rodadas do final do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras vê a liderança ameaçada. Na noite desta quinta-feira, na Arena Fonte Luminosa, em Araraquara, a equipe alviverde ficou no empate sem gols (0 a 0) com o Cruzeiro, em duelo pela 30ª rodada, e volta a tropeçar depois de quatro partidas embalado por triunfos consecutivos.

O resultado de igualdade como mandante, no entanto, não tira o Palmeiras da liderança da competição. A equipe comandada por Cuca, agora invicta há 13 jogos na Série A, chegou aos 61 pontos, um a mais do que o Flamengo, que venceu o clássico contra o Fluminense (2 a 1) e alcançou os 60.

Enquanto o clube alviverde freia a sequência positiva na luta pelo título, o Cruzeiro encaminha mais um passo para evitar a pressão da luta contra o rebaixamento. O time de Mano Menezes chegou aos 37 pontos e abriu quatro em relação ao Inter, a primeira equipe na degola.

As duas equipes agora contarão com apenas dois dias de preparação antes de retornarem a campo pela 31ª rodada da competição. No domingo, a partir das 17h (de Brasília), o líder Palmeiras encara o Figueirense, em Florianópolis. Na mesma data e horário, o Cruzeiro recebe a Chapecoense no Mineirão.

Quem foi bem: Henrique

O capitão cruzeirense se destacou em uma boa atuação do Cruzeiro fora de casa, especialmente no segundo tempo, quando o clube mineiro controlou o ritmo e chegou a dominar o líder. Henrique corrigiu o posicionamento, minou o jogo de Tchê Tchê e ainda se mostrou como opção no ataque.

Quem foi mal: Gabriel Jesus

Aprovado nos testes físicos antes da partida, Gabriel Jesus encarou a maratona de dois jogos em três dias, mas sentiu o ritmo na noite desta quinta-feira. O centroavante palmeirense acabou neutralizado pela forte marcação e cansou na etapa final. Quando teve a chance de balançar as redes, no início do jogo, desperdiçou.

Robinho quase faz valer a ‘lei do ex’

Robinho, enfim, reencontrou o Palmeiras depois de deixar a equipe alviverde no meio desta temporada. O meio-campista por pouco não estragou a noite de quem o apoiava até junho deste ano. Depois de aplicar um belo chapéu no goleiro Jailson, o camisa 19 se atrapalhou na finalização e viu Zé Roberto, com o peito no grama, evitar o gol cruzeirense.

Palmeiras cai de rendimento

Se realizou um primeiro tempo de bom nível, especialmente nos minutos iniciais, o líder Palmeiras caiu muito de rendimento na etapa complementar. Após o Cruzeiro acertar a marcação, o time alviverde insistiu muito nas jogadas pelo centro com Gabriel Jesus, que, bem marcado, viveu uma noite muito discreta em Araraquara.

Cruzeiro cresce após pressão

Mesmo fora do Allianz Parque, o Cruzeiro sofreu com a pressão do Palmeiras e apresentou falhas nas marcações pelas laterais durante a metade inicial do primeiro tempo. Aos poucos, no entanto, corrigiu os erros e cresceu ofensivamente em Araraquara.

Cuca aposta em ‘carrapato’

O fator casa não impediu Cuca de reforçar a marcação no setor de meio-campo para o duelo desta quinta-feira. Para beneficiar o jogo da dupla Tchê Tchê e Moisés, o técnico escalou Thiago Santos, devidamente posicionado para proteger Vitor Hugo e Edu Dracena da velocidade e versatilidade cruzeirense.

Célio Messias / Light Press / Cruzeiro

Mano Menezes corrige marcação

O Cruzeiro precisou do trabalho de Mano Menezes para resistir ao Palmeiras em Araraquara. A liberdade encontrada por Moisés e Tchê Tchê durou pouco; ainda na primeira etapa, o treinador corrigiu a marcação no meio e fez o time mineiro crescer em campo. No segundo tempo, os visitantes, inclusive, dominaram a partida.

Freio cruzeirense

A atuação em alto nível do visitante no segundo tempo serviu para frear o embalo do Palmeiras nesta reta final de Campeonato Brasileiro. Depois de quatro vitórias consecutivas, o clube de Palestra Itália volta a tropeçar na competição; a liderança, no entanto, segue no colo de Cuca e companhia.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 0 X 0 CRUZEIRO

Local: Estádio Fonte Luminosa, em Araraquara (SP)
Data: 13 de outubro de 2016, quinta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Assistentes: Alessandro Rocha de Matos (BA-Fifa) e Carlos Berkenbrock (SC)
Cartões amarelos: Gabriel Jesus (Palmeiras); Ezequiel, Ramon Ábila, Henrique, Bryan (Cruzeiro)

PALMEIRAS: Jailson; Jean, Edu Dracena, Vitor Hugo e Egídio; Thiago Santos, Tchê Tchê e Moisés (Alecsandro); Róger Guedes (Rafael Marques), Dudu (Cleiton Xavier) e Gabriel Jesus
Técnico: Cuca

CRUZEIRO: Rafael; Ezequiel, Léo, Bruno Rodrigo e Bryan; Lucas Romero, Henrique, Robinho (Arrascaeta) e Rafinha; Rafael Sóbis (Ariel Cabral) e Ramon Ábila (Willian)
Técnico: Mano Menezes

 

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Paysandu vira, e Vasco perde a liderança pela primeira vez

vascoE o Vasco não é mais o líder da Série B do Brasileiro.

Na noite desta terça-feira, o time carioca até saiu na frente no Mangueirão, mas o Paysandu reagiu e derrotou o rival por 3 a 1 em duelo válido pela 29ª rodada da segunda divisão.

Éderson abriu o placar da partida com um golaço, digno de Prêmio Puskas. Após cruzamento da direita, ele pegou de primeira com um voleio e estufou as redes. Foi o sexto gol dele na competição.

O Paysandu, porém, virou na segunda etapa. Gilvan empatou aos três minutos, aproveitando um rebote dado de graça por Martin Silva; e Bruno Veiga, cerca de 20 segundos após entrar, fez de cabeça o da virada. João Lucas fechou o placar.

Com o revés e a vitória do Atlético-GO, o Vasco caiu para a segunda posição e deixou de liderar a Série B pela primeira vez. O time de Jorginho tinha assumido a ponta logo na estreia do certame e assim seguiu até 28ª rodada. Com 51 pontos, o clube de São Januário tem um menos que os goianos.

O Paysandu, por outro lado, é o 14º com 35 pontos. O clube comandado por Dado Cavalcanti tem agora oito pontos de vantagem sobre o Bragantino, primeiro da zona de rebaixamento, que tem 27.

Os dois times voltam a campo no próximo sábado, 8 de outubro. O Paysandu joga fora de casa contra o lanterna Joinville, às 16h. Já o Vasco encara o Londrina às 18h30, em São Januário.

espn

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

São Paulo segura Fla e impede cariocas de chegarem à liderança

damiaoApesar de toda expectativa, não foi neste sábado (1) que o Flamengo conseguiu chegar à liderança do Campeonato Brasileiro. O Rubro-negro apenas empatou por 0 a 0 com o São Paulo, no Morumbi, e desperdiçou a chance de assumir a ponta da tabela momentaneamente – Palmeiras só joga na segunda-feira (3).

Os cariocas chegaram aos mesmos 54 pontos do 1º colocado, mas seguem na segunda posição pelos critérios de desempate. Em situação mais delicada na tabela, o São Paulo somou mais um ponto para se distanciar da zona do rebaixamento, mas caiu para a 13ª colocação – agora com 35 pontos.

Mais um início complicado

Apesar da boa fase no Campeonato Brasileiro, o momento inicial do jogo tem sido uma dificuldade para o Flamengo. E neste sábado não foi diferente. O Rubro-negro foi facilmente envolvido pelo São Paulo nos primeiros minutos e viu o rival paulista assustar algumas vezes. Já tinha sido assim contra Cruzeiro, no último final de semana, e até na eliminação para o Palestino na Copa Sul-Americana.

São Paulo dificulta 1º tempo do Fla

Após um começo difícil, o Flamengo deu sinais de recuperação e passou a ter mais posse de bola ainda na etapa inicial. O domínio, no entanto, não era transformado em chances concretas no ataque. O São Paulo se fechava bem e dificultava a partida para os cariocas, que só chegavam com um pouco de mais perigo nas bolas paradas.

Dênis e Muralha deixam placar zerado

Na segunda etapa, o time da casa passou a mandar no jogo, que ficou mais aberto. As equipes se lançaram mais em busca do resultado e o número de chances cresceu nos dois lados. Ainda assim, nada de gols, especialmente por grandes defesas de Dênis e Muralha. O goleiro do São Paulo salvou uma cabeçada de Leandro Damião em cima da linha, enquanto o do Flamengo defendeu chute de Chávez, que aproveitou vacilo da zaga rubro-negra e entrou sozinho na cara do arqueiro.

Duelo latino esquenta

No duelo pelo Campeonato Brasileiro, quem chamou a atenção foram os estrangeiros Diego Lugano e Paolo Guerrero. Não exatamente pelo bom futebol, mas pela temperatura alta das disputas. Teve cotovelada, xingamento, falta mais dura e até uma tentativa sem sucesso de paz. O uruguaio do São Paulo estendeu a mão para cumprimentar o peruano do Flamengo, mas não teve resposta. A disputa que dura desde a Copa América de 2011 ganhou mais um capítulo de muita catimba.

SÃO PAULO 0 x 0 FLAMENGO

Data: 01/10/2016 (sábado)
Local: Estádio Cícero Pompeu de Toledo (Morumbi), em São Paulo (SP)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (SC)
Auxiliares: Nadine Schramm Bastos e Helton Nunes (ambos de SC)
Público: 29.813 pagantes / R$ 808.393,00
Cartões amarelos: Cueva e Rodrigo Caio (SAO); Diego, Leandro Damião Jorge (FLA)

São Paulo
Denis; Bruno, Lugano, Rodrigo Caio e Mena; Wesley, Hudson, Thiago Mendes (Michel Bastos), Cueva e Kelvin (Luiz Araújo); Andrés Chávez
Técnico: Ricardo Gomes

Flamengo
Alex Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz e Jorge; Márcio Araújo, Willian Arão e Diego; Gabriel (Fernandinho), Everton (Alan Patrick) e Paolo Guerrero (Leandro Damião)
Técnico: Zé Ricardo

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Palmeiras cresce no 2º tempo diante do Coritiba e segura a liderança

Os 45 minutos iniciais preocuparam. Os 45 minutos finais empolgaram. Assim, o Palmeiras sustentou por mais uma semana a liderança do Campeonato Brasileiro. Em uma tarde de sábado nublada no Allianz Parque, a equipe comandada pelo técnico Cuca derrotou o Coritiba pelo placar de 2 a 1 e se manterá na ponta ao final da 27ª rodada da competição.

Leandro Pereira e Yerry Mina, com menos de 15 minutos da segunda etapa, asseguraram o décimo jogo consecutivo de invencibilidade do Palmeiras na Série A. A equipe alviverde soma 54 pontos e possui quatro de vantagem em relação ao vice-líder Flamengo, que entra em campo pressionado neste domingo para enfrentar o Cruzeiro, em Cariacica.

Enquanto o alviverde paulista segue tranquilo, o paranaense volta a cair depois de dois jogos. A derrota no Allianz Parque mantém o Coritiba com 33 pontos, na 13ª colocação da tabela.

O Coritiba possui mais de uma semana de descanso até o próximo confronto, marcado para segunda-feira (3), contra o América-MG, no Couto Pereira. O Palmeiras, em contrapartida, volta a campo já na quarta-feira, quando terá pela frente o Grêmio, em Porto Alegre, no primeiro duelo válido pelas quartas de final da Copa do Brasil.

Quem foi bem: Yerry Mina
Mais uma vez, Yerry Mina sobrou no sistema defensivo do Palmeiras. Além de demonstrar segurança e vencer todas as disputas individuais, o colombiano ainda exibiu mais uma vez a veia artilheira. O camisa 26 balançou as redes pelo segundo jogo consecutivo e chegou a quatro no Campeonato Brasileiro.

Quem foi mal: Wilson
O goleiro do Coritiba foi pouco exigido durante a primeira etapa. Quando precisou aparecer com a pressão palmeirense no início do segundo tempo, falhou. Leandro Pereira subiu mais alto e tirou das mãos de Wilson uma bola teoricamente tranquila. O gol do Palmeiras abateu os visitantes, que pouco ameaçaram a meta de Jailson.

De quarta opção para fundamental
Leandro Pereira amargou o banco e aparecia apenas como a quarta opção para modificar o setor ofensivo do Palmeiras. No clássico do último sábado contra o Corinthians foi surpreendentemente escalado, e agora se tornou fundamental para o Palmeiras. A entrada do camisa 30 mudou um jogo truncado para uma exibição segura do líder do campeonato. O gol com pouco tempo em campo serviu para encaminhar mais três pontos.

Cuca ousa, mas trava time sem ‘pensador’
O treinador palmeirense ousou na escalação para o confronto deste sábado. Ao invés de simplesmente escalar um volante na vaga do suspenso Gabriel, o técnico levou a campo uma formação com quatro atacantes. No entanto, a presença ofensiva não significou efetividade. Erik, Dudu, Gabriel Jesus e Róger Guedes acabaram neutralizados pela postura defensiva do Coritiba, e o Palmeiras enfrentou dificuldades para ‘pensar’ o jogo.

Paulo César Carpegiani segura pressão
A postura do Coritiba era evidente desde o apito inicial do árbitro Caio Max Augusto Vieira: defender e contra-atacar. Diante de um Palmeiras extremamente ofensivo – pelo menos no papel -, o clube paranaense se sustentou durante a maior parte do duelo no campo de defesa. Duas linhas de jogadores próximos limitaram o trabalho palmeirense  no setor de criação. Foi assim até o gol de Leandro Banana, que reabriu o confronto.

Cuidados com o gramado
Antes de a partida começar, a organização do Allianz Parque precisou tomar cuidados com o gramado, sem as melhores condições já encontradas na arena palmeirense. A pequena área do gol Norte foi isolada e liberada apenas minutos antes do confronto.

Homem de área muda, e Palmeiras cresce

Rubens Cavallari/Folhapress

Leandro Pereira comemora o primeiro gol do Palmeiras na vitória sobre o Coritiba

O trabalho de Cuca nos vestiários fez a diferença na partida deste sábado. Depois de um primeiro tempo travado, o treinador lançou Leandro Pereira, e a presença de um homem de referência mudou o confronto. O próprio centroavante abriu o placar logo aos 5min e tranquilizou o time, que controlou todo o segundo tempo e encaminhou uma importante vitória para sustentar a liderança.

Cucabol? Sim, Cucabol
O trabalho de Cuca foi fundamental para o Palmeiras vencer o Coritiba nesse final de semana. Além da opção por Leandro Pereira logo no intervalo, uma jogada ensaiada tratou de premiar a atuação alviverde no segundo tempo. Dudu rolou, Egídio tocou para Moisés, que lançou Róger Guedes. O camisa 23 cruzou para a pequena área, e Mina, em meio a quatro palmeirenses, concretizou o lance que definiu o confronto.

Coritiba vê falha de goleiro atrapalhar planejamento
O Coritiba se comportava de forma madura, com a marcação encaixada. No entanto, um lance de infelicidade de Wilson modificou o panorama do duelo no Allianz Parque. O goleiro coxa-branca perdeu no alto para Leandro Pereira na pequena área e viu a bola entrar. Com o placar em desvantagem, os paranaenses avançaram a equipe em campo; consequentemente, o Palmeiras encontrou mais espaços para jogar.

 

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS x CORITIBA

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data: 24 de setembro de 2016 (sábado)
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Caio Max Augusto Vieira (RN)
Assistentes: Flavio Gomes Barroca e Vinicius Melo de Lima (ambos do RN)
Amarelos:  Moisés, Dudu (Palmeiras), Iago, Edinho (Coritiba)
Gols: Leandro Pereira, 6’/2ºT (1-0), Yerry Mina, 11’/2ºT (2-0), Iago, 26’/2ºT (2-1)

PALMEIRAS: Jailson; Jean, Yerry Mina, Vitor Hugo e Egídio; Tchê Tchê, Moisés e Dudu (Rafael Marques); Erik (Leandro Pereira), Roger Guedes (Thiago Santos) e Gabriel Jesus.
Técnico: Cuca.

CORITIBA: Wilson; Walisson Maia, Nery, Juninho e Juan; João Paulo, Edinho, González (Evandro) e Yan (Felipe Amorim); Kazim e Iago.
Técnico: Paulo César Carpegiani.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Flamengo itinerante chama SP de “casa” para seguir colado na liderança

Danilo Verpa/Folhapres
Danilo Verpa/Folhapres

Vice-líder do Campeonato Brasileiro, o Flamengo encara o Figueirense chamando o Estádio do Pacaembu de “casa” a partir das 11 horas (de Brasília) deste domingo (18). Pela 26ª rodada, o Rubro-Negro será apoiado por mais de 30 mil torcedores em São Paulo, onde joga para encostar no líder Palmeiras.

O Rubro-Negro tem sido obrigado a mandar seus jogos longe do Rio de Janeiro desde o início do Brasileirão, e os 12 jogos em que o time teve mando foram divididos entre quatro estádios. Os preferidos têm sido o Mané Garrincha, em Brasília, e o Kléber José de Andrade, em Cariacica-ES – cada um recebeu quatro jogos. Foram três partidas no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda-RJ, e uma na Arena das Dunas, em Natal-RN.

O plano tem dado certo: são seis vitórias seguidas “em casa”, seja onde for. O aproveitamento é tão bom que o confronto deste domingo serve para seguir colado na liderança: uma vitória na Terra da Garoa manteria o Flamengo a um ponto do Palmeiras, enquanto o Figueirense luta para deixar a zona do rebaixamento.

Mantendo a rotina itinerante, desta vez é o Pacaembu que o flamenguista tratará como lar. A grande fase que a equipe vive na temporada empolgou os torcedores paulistanos, que esgotaram os 30.412 ingressos disponíveis e vão protagonizar o segundo melhor público do Flamengo na temporada (o melhor foi em Brasília: 54 mil contra o Palmeiras).

A última vez que o time mandou uma partida no Pacaembu foi em março, quando empatou sem gols com o Fluminense pelo Campeonato Carioca para quase 29 mil torcedores. A partida deste domingo é a segunda seguida do Rubro-Negro em território paulistano, pois a equipe empatou no meio da semana com o Palmeiras.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Vasco empate com Goiás e ‘divide’ liderança da Série B com Atlético-GO

Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br
Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br

O Vasco entrou em campo pressionado com a vitória do Atlético-GO sobre o Bragantino, o que o tirou provisoriamente da primeira colocação. Apesar de não conquistar o resultado esperado, o empate por 1 a 1 com o Goiás foi o suficiente para chegar aos mesmos 45 pontos dos goianos e retomar a liderança nos quesitos de desempate. Marcelo Mattos abriu o placar e Léo Gamalho deixou tudo igual.

Vasco e Atlético-GO somam os mesmos 45 pontos, mas os cariocas levam vantagem pelos números de vitórias: 13 contra 12. O Cruzmaltino volta a campo na sexta-feira, quando receberá o Joinville, em São Januário. Os goianos medirão forças com o Paraná, no sábado, no Serra Dourada. Já o Goiás visita o Bahia, também no sábado, em Salvador.

Jorginho reprova primeiro tempo e volta com duas alterações do intervalo

A tática adotada por Jorginho não surtiu o efeito esperado no primeiro tempo. Tanto que o treinador voltou para a etapa complementar com duas alterações e uma nova forma de jogar. Ederson deu lugar a Marcelo Mattos com o objetivo de ajustar o sistema defensivo. A equipe mudou para o 4-2-3-1, com Pikachu aberto pela esquerda e Júnior Dutra como único atacante.

Walter desfalca Goiás por causa de lesão no joelho direito

Um dos reforços esmeraldinos para lutar contra o rebaixamento para a Série C, Walter sofreu uma lesão no joelho direito e ficará de molho alguns dias. O primeiro desfalque já ocorreu contra o Vasco. Sua presença é improvável diante do Bahia, em Salvador, no sábado.

Joia toma conta da posição e deixa experiente Marcelo Mattos no banco

Bastou o primeiro jogo como titular para Douglas tomar conta da posição. O jovem volante tem sido um dos principais destaques do time nos últimos jogos e vai se firmando a cada dia no time de Jorginho. Pior para Marcelo Mattos, que parece ter ficado com vaga cativa no banco de reservas.

Após banco, Marcelo Mattos entra no 2º tempo e quase faz gol da vitória

O banco parece ter feito bem a Marcelo Mattos. O volante entrou o intervalo e teve bom desempenho. Além da forte pegada na marcação, ele conseguiu marcar seu segundo gol com a camisa do Vasco. Se não fosse o vacilo da defesa, teria garantido os três pontos para a Colina.

Luan evita virada do Goiás e tira gol em cima da linha

O empate não era o resultado que o Vasco queria. Mas poderia ter sido bem pior. Isso porque Luan evitou a virada do Goiás já depois dos 45min do segundo tempo. Zagueiro cada vez mais ídolo da torcida vascaína.

GOIÁS 1 X 1 VASCO

Data e hora: 13/09/2016, terça-feira, às 21h45 (horário de Brasília)
Local: Serra Dourada, em Goiânia (GO)
Árbitro: Adriano Milczvski (PR)
Auxiliares: Andre Luiz Severo e Diogo Morais (PR)
Gols: Marcelo Mattos, aos 30min, e Léo Gamalho, aos  41min do segundo tempo
Cartões amarelo: Henrique, Alan e Jomar (VAS) Juninho (GOI)

Goiás
Márcio; Ednei (Léo Gamalho), Felipe Macedo, Alex Alves e Juninho; Adriano, Patrick, Léo Sena e Daniel Carvalho (Davi); Carlos Eduardo e Marcão
Técnico: Gilson Kleina

Vasco
Martín Silva; Madson, Jomar, Luan e Henrique (Alan); Douglas, Yago Pikachu, Andrezinho e Nenê (Willian); Júnior Dutra e Ederson (Marcelo Mattos)
Técnico: Jorginho

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Vasco volta a vencer em 100º na Série B, espanta má fase e retoma liderança

Foto: Carlos Gregório/Vasco
Foto: Carlos Gregório/Vasco

No centésimo jogo na Série B do Campeonato Brasileiro, o Vasco se reencontrou com a vitória após cinco jogos ao derrotar o Oeste por 3 a 2. Com isso, os cariocas retomaram a liderança. A partida, disputada no estádio São Januário neste sábado (10), foi válida pela 24ª rodada da competição nacional.

Com o resultado, a equipe carioca chegou aos 44 pontos e voltou ao primeiro lugar da segunda divisão do Brasileirão. Enquanto isso, os paulistas ficaram na 14ª colocação da tabela de classificação, com 30 pontos.

Na próxima rodada da competição nacional, o Vasco visita o Goiás na próxima terça-feira (13), às 21h30 (de Brasília), no estádio Serra Dourada. Na mesma data, o Oeste encara o Criciúma mais cedo, às 20h30, no Heriberto Hülse.

Quem foi bem: Nenê – a volta do artilheiro

Com categoria, Nenê cobrou falta na entrada da grande área e, aos 24 minutos do primeiro tempo, inaugurou o marcador para o Vasco.  Logo em seguida, aos 28, o meia participou do segundo gol cruzmaltino com uma assistência ao atacante Éderson. Com o gol, Nenê passou a liderar a artilharia da Série B ao lado de Felipe, do Brasil de Pelotas.

Oeste desconta

A equipe visitante não se entregou depois de sofrer dois gols relâmpagos e descontou aos 29 minutos da etapa inicial. Depois de cruzamento pela esquerda, a bola chegou em Ricardo Bueno que completou para o fundo das redes.

Mudança de Jorginho surte efeito

Enfrentando má fase, o técnico Jorginho decidiu alterar o esquema tático da equipe do Vasco e escalou três atacantes: Éderson, Júnior Dutra e Jorge Henrique. O trio, em sintonia com os meias, chegou com perigo à área do Oeste e deram trabalho ao Felipe Alves.

Golaço de Crysan

No momento em que o Vasco estava melhor na partida, o Oeste surpreendeu e empatou a partida com Crysan. O jogador recebeu fora da área e bateu colocado, marcando um golaço aos 16 minutos do segundo tempo.

Trio se desfaz

Apesar de ter funcionado bem no primeiro tempo, o trio de ataque do Jorginho acabou se desfazendo. Éderson e Jorge Henrique acabaram deixando o campo por lesão e os atacantes Eder Luís e Thalles entraram para substituir. Júnior Dutra acabou dando lugar ao lateral Mádson por opção tática.

Salvou o Vasco

Nos acréscimos da partida, Yago Pikachu aproveitou cruzamento de Thalles e mandou para o gol aos 46 minutos da etapa final.

Fim de jejum

O Vasco estava sem vencer há seis jogos. Cinco partidas pela Série B do Campeonato Brasileiro e uma pela Copa do Brasil, quando foi derrotado por 3 a 1 para o Santos.

O Vasco é 100!

Após disputar a Série B do Brasileirão em três oportunidades, o Vasco completou, neste sábado, 100 jogos na segunda divisão da competição nacional.

FICHA TÉCNICA
VASCO 3 X 2 OESTE

Data e hora: 10/09/2016, sábado, às 16h30 (horário de Brasília)
Local: São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Marielson Alves Silva (BA)
Auxiliares: Paulo de Tarso Bregalda Gussen e Carlos Eduardo Bregalda Gussen (BA)
Gols: Nenê, Ederson e Yago Pikachu (Vasco); Ricardo Bueno e Crysan (Oeste)
Cartões amarelos: Júnior Dutra, Douglas Luis, Rodrigo (Vasco); Bruno Silva e Daniel Simões (Oeste)

VASCO:  Martín Silva, Yago Pikachu, Luan, Rodrigo e Julio Cesar; Douglas e Andrezinho; Junior Dutra (Mádson), Nenê e Jorge Henrique (Éder Luís); Éderson (Thalles).
Técnico: Jorginho

OESTE: Felipe Alves, Felipe Rodrigues, Bruno Silva e Velicka (Betinho); Renan Mota, Daniel Simões, Marquinho e Ricardo Bueno (Matheus Vargas); Rodolfo, Crysan e Mike
Técnico: Fernando Diniz

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Fla marca no fim, vence Ponte e mantém caça ao Palmeiras na liderança

fernandinhoO Flamengo nunca esteve tão vivo na luta pelo heptacampeonato brasileiro. Nesta quarta-feira, a equipe bateu a Ponte Preta por 2 a 1 no estádio Kleber Andrade, em Cariacica, com requintes de crueldade. O gol da vitória veio apenas aos 45min do segundo tempo. A diferença para o Palmeiras, porém, segue a mesma, já que o Alviverde venceu o clássico contra o São Paulo. Gabriel  e Fernandinho marcaram para o Fla, e Willian Pottker descontou.

Com os resultados, o Flamengo chegou aos 43 pontos e segue a três do Palmeiras, com 46 – antes da rodada, os paulistas já tinham os mesmos três pontos dos cariocas. O Rubro-negro volta a campo no sábado, quando medirá forças com o Vitória, no Barradão. Já o Alviverde encara o Grêmio, em Porto Alegre. A Ponte recebe o América-MG, no domingo, em Campinas.

Entrou, marcou e provocou: Willian Pottker e quase esfria sonho do Fla

Em determinado momento, o Flamengo dividia a liderança com o Palmeiras, ambos com 43 pontos. Willian Pottker, porém, saiu do banco para mudar a prosa. Entrou no segundo tempo e deixou a marca na primeira chance que teve. Para piorar, o Alviverde conseguiu a virada sobre o São Paulo, deixando a diferença para liderança em cinco pontos. O Fla, porém, mostrou força, arrancou a vitória na marra e manteve a diferença em três pontos.

Maracanã capixaba! Flamengo mantém 100% de aproveitamento em Cariacica

O Flamengo manteve os 100% de aproveitamento no Kleber Andrade, em 2016. Após bater a Ponte Preta, o time acumula seis vitórias em seis jogos. O estádio Kleber Andrade tem recebido grande público nos jogos do Rubro-negro, que apelidou a casa como o “Maracanã capixaba’.

Do fim da fila à titularidade: a volta por cima de Gabriel no Flamengo

Por muitas vezes, Gabriel ficou de fora até do banco de reservas no Flamengo. Trabalhando quieto, o jovem atacante deu a volta por cima e hoje superou a concorrência pesada de Mancuello, Marcelo Cirino e Alan Patrick para ser titular do Rubro-negro. Após se destacar no primeiro tempo com um gol, o jogador passou mal no vestiário e acabou substituído por Cirino.

Bolas murchas roubam a cena em jogo

Um dos papéis do quarto árbitro, antes do jogo, é verificar a pressão de todas as bolas envolvidas no espetáculo. Ao que tudo indica, Devarly Lira do Rosario faltou essa aula. A arbitragem teve que parar o jogo em cinco oportunidades após reclamações dos jogadores com bolas que estavam murchas.

FLAMENGO 2 X 1 PONTE PRETA

Data e hora: 07/09/2016, quarta-feira, às 21h45 (horário de Brasília)
Local: Kléber Andrade, Cariacica (ES)
Árbitro: Francisco Carlos de Nascimento (AL)
Auxiliares: Esdras Mariano de Lima (AL) e Pedro Jorge Santos (AL)
Gols: Gabriel, aos 13min do primeiro tempo; Willian Pottker, aos 21min, Fernandinho, aos 45min do segundo tempo;
Cartões amarelo: Clayson e Reinaldo (PON)  (FLA)

FLAMENGO
Alex Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz e Jorge; Márcio Araújo (Mancuello), Willian Arão e Diego; Gabriel (Marcelo Cirino), Everton (Fernandinho) e Leandro Damião
Técnico: Zé Ricardo

PONTE PRETA
Aranha, Nino Paraíba, Douglas Grolli, Fábio Ferreira e Reinaldo; João Vitor (Felipe Azevedo), Wendel e Thiago Galhardo; Rhayner (Abuda), Clayson e Roger (Willian Pottker)
Técnico: Eduardo Baptista

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br