Arquivo da tag: Libertadores

Em casa, Grêmio arranca empate com Flamengo na 1ª semifinal da Libertadores

A semifinal brasileira da Copa Libertadores começou com empate. Dominado pelo Flamengo em boa parte do duelo, o Grêmio conseguiu arrancar a igualdade por 1 a 1, em Porto Alegre, nesta quarta-feira, no primeiro confronto da série que determinará o representante na decisão do torneio continental.

O Flamengo foi superior no primeiro tempo da partida, quando teve dois gols bem anulados após consulta ao VAR, e acabou sendo letal para abrir vantagem, com Bruno Henrique, quando era dominado pelo Grêmio. Só que depois desperdiçou várias oportunidades e acabou sendo vazado por Pepê no fim.

O time que vencer o duelo de volta marcado para 23 de outubro estará classificado à final, mas o Flamengo leva alguma vantagem para o duelo no Maracanã, pois, além de ser o mandante, avança com o placar de 0 a 0. Mas igualdades a partir de 2 a 2 são favoráveis ao Grêmio. E novo 1 a 1 leva o duelo aos pênaltis.

Na outra semifinal, o River Plate venceu o Boca Juniors por 2 a 0 em casa e agora defenderá a sua vantagem em 22 de outubro, no estádio de La Bombonera. E a decisão da Libertadores, em jogo único, está agendada para 23 de novembro, em Santiago.

O JOGO

O início da partida em Porto Alegre foi de domínio do Grêmio. Avançando com organização, encurralou o time da casa em seu campo de defesa, valorizou a posse de bola e foi criando chances de gol em sequência, contando com o talento de Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabriel. O uruguaio, aos oito, e Bruno Henrique, aos nove, quase marcaram, assim como Gabriel aos 14.

O Grêmio tentava responder com jogadas de velocidade, mas sem muito êxito. E era dominado pelo meio-campo do Flamengo, que teve gols bem anulados após o uso do VAR, sendo que Paulo Victor havia falhado em ambas as jogadas. As infrações foram de Gabriel, por falta em Kannemann e impedimento, sendo que o segundo gol havia sido dele, enquanto Everton Ribeiro tinha marcado primeiro.

A pressão do Flamengo não se manteve no restante da etapa inicial, mas o time seguiu com o jogo sob controle, diante de um Grêmio pouco criativo e que passou a cometer mais faltas para travar o rival – em um delas, inclusive, a arbitragem consultou o VAR para determinar o cartão amarelo a Michel por uma solada em Gerson.

O cenário do jogo se alterou no segundo tempo, com o Grêmio enfim conseguindo impor seu estilo. O time gaúcho trocava passes no campo de ataque, com a movimentação constante do trio composto por Alisson, Luan e Everton e passando a dar trabalho em Diego Alves. E quem apostava na velocidade e nos contra-ataques perigosos era o Flamengo, como em um de tabelinha entre Bruno Henrique e Gabriel, que bateu com perigo, mas para fora.

O Grêmio, por sua vez, teve oportunidades quase seguidas, com Everton e Matheus Henrique, com ambos parando em defesas difíceis de Diego Alves. E se o Grêmio não marcou nesse momento de pressão, o Flamengo não perdeu a chance na sequência. Aos 23, Arrascaeta cruzou da direita, Bruno Henrique apareceu nas costas de Galhardo e cabeceou para as redes, fazendo 1 a 0.

O gol abalou o Grêmio, que não conseguiu manter o bom rendimento do começo da etapa final, passando a ser dominado pelo Flamengo. O clube carioca desperdiçou chances de ampliar o placar, com Gabriel, Bruno Henrique e Pablo Marí. Acabou, então, sendo punido no fim, aos 42 minutos. Com Filipe Luís caído no ataque, Maicon acionou Everton na direita. Ele cruzou para Pepê completar na segunda trave, igualando o placar em 1 a 1.

FICHA TÉCNICA

GRÊMIO 1 X 1 FLAMENGO

GRÊMIO – Paulo Victor; Galhardo, David Braz, Kannemann e Cortez; Matheus Henrique, Michel (Maicon), Alisson (Pepê), Luan e Everton; Diego Tardelli (André). Técnico: Renato Gaúcho.

FLAMENGO – Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Willian Arão, Gerson (Piris da Motta), Everton Ribeiro, Arrascaeta e Bruno Henrique (Vitinho); Gabriel. Técnico: Jorge Jesus.

GOLS – Bruno Henrique, aos 23, e Pepê, aos 42 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Néstor Pitana (Fifa/Argentina).

CARTÕES AMARELOS – Rodrigo Caio, Michel, Diego Tardelli e Kannemann.

RENDA – R$ 5.130.325,00

PÚBLICO – 47.947 pagantes (51.406 presentes).

LOCAL – Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS).

 

 

Estadão

 

 

Flamengo bate o Inter e abre vantagem pela Libertadores

O Flamengo abriu boa vantagem na busca por um lugar na semifinal da Libertadores ao vencer por 2 a 0 o Internacional, nesta quarta-feira, no Maracanã. Sob os olhos de Tite, presente nas tribunas do estádio, o convocado Bruno Henrique foi o autor dos gols da vitória rubro-negra.

Os donos da casa dominaram grande parte do confronto, mas sofreram com a boa marcação do Internacional. No entanto, no segundo tempo, o Flamengo conseguiu passar pela retranca gaúcha para marcar duas vezes, com Bruno Henrique.

O jogo

A partida começou movimentada, com muita correria por parte das duas equipes. A primeira boa chance aconteceu somente aos oito minutos. Éverton Ribeiro chutou da entrada da área e obrigou Marcelo Lomba a espalmar para longe. Depois, foi a vez de Rodrigo Caio aproveitar escanteio, mas cabecear em cima do goleiro gaúcho.

O Internacional conseguiu equilibrar o confronto durante alguns minutos, só que pecava na parte ofensiva. O Flamengo continua buscando o ataque com mais intensidade e assustou novamente aos 18 minutos, em chute de Bruno Henrique que parou em Marcelo Lomba.

Durante boa parte da etapa inicial, o duelo ficou concentrado entre as intermediárias, com muitos lances físicos. O Flamengo seguia tendo o domínio da posse de bola, mas sofria com a boa marcação gaúcha. Os visitantes, quando tinham a bola, não aceleravam o jogo. Somente aos 45 minutos, os rubro-negros voltaram a ter chance de abrir o placar. Após cruzamento de Filipe Luís, Éverton Ribeiro dominou a bola na área e tocou para Gabigol. O atacante finalizou, mas foi travado por Rodrigo Moledo, que facilitou a defesa de Marcelo Lomba. Assim, o confronto ficou igual até o intervalo.

O segundo tempo iniciou com um nível de tensão maior. Tanto que a bola rolava pouco e as faltas ficaram mais frequentes. O Flamengo não conseguia exercer a mesma pressão da etapa inicial. Já o Internacional ficava com a bola no campo de ataque, mas sem qualquer objetividade.

Aos poucos, os donos da casa passaram a ter o domínio do confronto. No entanto, o Flamengo continuava tendo problemas para criar boas jogadas. Somente aos 29 minutos, os rubro-negros chegaram ao gol no Maracanã. Em contra-ataque rápido, Bruno Henrique foi lançado, mas foi travado por Victor Cuesta. A bola sobrou para Gerson, que tocou para o atacante mandar para a rede.

O gol fez o Internacional buscar o ataque, mas os gaúchos viram o Flamengo fazer o segundo aos 33 minutos. Bruno Henrique recebeu passe na área, girou sobre o marcador e chutou cruzado, sem chance para Marcelo Lomba.

Mesmo após o segundo gol, o Internacional não mudou a postura. Os gaúchos ainda tentavam os avanços, mas sofriam com os contra-ataques do Flamengo. Os cariocas tiveram a chance de ampliar a vantagem aos 40 minutos. Bruno Henrique foi lançado na área e dividiu com Marcelo Lomba. O atacante ficou com a bola e tocou para Gabigol. Só que o atacante furou a finalização para desespero dos rubro-negros.

Somente nos minutos finais, o Internacional criou uma jogada de perigo. Wellington Silva recebeu passe de Nico López, mas chutou pela linha de fundo. Os gaúchos seguiram em busca do gol e tiveram sua melhor oportunidade aos 46 minutos. Nico López roubou a bola de Pablo Marí, entrou na área, mas chutou pela linha de fundo, desta vez para desespero dos colorados. Assim, os donos casa casa mantiveram a vantagem até o apito final.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 2 X 0 INTERNACIONAL

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)

Data: 21 de agosto de 2019 (Quarta-feira)

Horário: 21h30 (de Brasília)

Árbitro: Roberto Tobar (Chile)

Assistentes: Christian Schiemann (Chile) e Claudio Rios (Chile)

Renda: R$ 4.758.998,75

Público: 60.797 pagantes

Cartões amarelos: Willian Arão e Rafinha (Flamengo); Guerrero e Patrick (Internacional)

GOLS: Bruno Henrique, aos 29 e 33min do segundo tempo

FLAMENGO: Diego Alves, Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Gustavo Cuéllar, Willian Arão, Éverton Ribeiro (Berrío) e De Arrascaeta (Gerson); Bruno Henrique (Piris da Motta) e Gabigol

Técnico: Jorge Jesus

INTERNACIONAL: Marcelo Lomba, Bruno, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Uendel, Rodrigo Lindoso, Edenílson (Guilherme Parede), D´Alessandro (Nico López) e Patrick, Rafael Sóbis (Wellington Silva) e Paolo Guerrero

Técnico: Odair Hellman

 

 

Gazeta Press

 

Libertadores terá três duelos Brasil x Argentina nas oitavas

A Conmebol sorteou na noite desta segunda-feira em sua sede, no Paraguai, os oito confrontos de oitavas de final da Copa Libertadores, que terão início só depois da Copa América. Os jogos de ida serão entre 23 a 25 de julho, enquanto a volta acontece de 30 de julho a 1º de agosto. São mais de dois meses, portanto, entre o fim da fase de grupos e o início das oitavas.

Os destaques são os três duelos Brasil x Argentina logo de cara: Cruzeiro x River Plate, Palmeiras x Godoy Cruz e Athletico-PR x Boca Juniors – este último, uma repetição dos duelos da fase de grupos. Flamengo, Inter e Grêmio pegam Emelec, Nacional e Libertad, respectivamente.

Os confrontos ficaram assim:*

  • Palmeiras x Godoy Cruz-ARG
  • Cruzeiro x River Plate-ARG
  • Internacional x Nacional-URU
  • Cerro Porteño-PAR x San Lorenzo-ARG
  • Libertad-PAR x Grêmio
  • Boca Juniors-ARG x Athletico-PR
  • Flamengo x Emelec-EQU
  • Olimpia-PAR x LDU Quito-EQU

*Os times da esquerda, líderes de seus grupos, decidem a vaga em casa.

Sorteio da Libertadores ocorreu na noite desta segunda-feira — Foto: EFE/Andrés Cristaldo

Sorteio da Libertadores ocorreu na noite desta segunda-feira — Foto: EFE/Andrés Cristaldo

A Conmebol também já definiu o chaveamento até a final: há possibilidades de Flamengo x Internacional e Palmeiras x Grêmio nas quartas de final, caso todos os brasileiros passem.

O sorteio foi simples: os primeiros colocados foram inseridos no Pote 1, enquanto os segundos colocados foram para o Pote 2. Os cruzamentos foram sorteados um a um entre os integrantes dos dois potes – não houve restrição a nenhum confronto, nem mesmo com adversários do mesmo país ou que já se enfrentaram na fase de grupos.

View image on Twitter

Havia, portanto, possibilidade de um clássico entre Grêmio x Inter, ou um Boca x River. Os dois encontros, porém, só podem acontecer em eventuais semifinais.

Importante: na Libertadores, gol fora de casa vale como critério de desempate.

Com a melhor campanha da primeira fase, o Palmeiras tem a possibilidade de decidir todos os confrontos em casa até as semifinais. A final será em jogo único, dia 23 de novembro, em Santiago, no Chile.

Mudanças na lista

A Conmebol permite cinco alterações na lista de 30 jogadores dos clubes para as oitavas de final. Depois, são mais duas mudanças permitidas nas quartas, e outras duas nas semifinais. Para a grande final, nenhuma troca na lista será possível.

GE

 

Grêmio perde e fica em situação delicada na Libertadores

Em Santiago, a Universidad Católica derrotou o Grêmio por 1 a 0 e deixou o time tricolor em situação delicada na Libertadores da América. Agora, o time chileno é o vice-líder, com seis pontos. Já os comandados de Renato Gaúcho amargam a lanterna da chave, com um ponto.

Na próxima rodada, a Universidad Católica recebe o Libertad, em casa. O Grêmio mede forças com o Rosario Central, na Arena.

O jogo

No embalo da torcida, a Católica iniciou o jogo trocando passes e no campo do Grêmio. Sem deixar o time de Renato Gaúcho respirar, o primeiro gol não demorou a sair. Aos 16, Magnasco cruzou e Sáez completou para o fundo das redes.

Assim que conseguiu o tento, o time chileno diminuiu o ritmo do jogo e tentou atrair o time tricolor para explorar as contra-ataques, mas a falta de inspiração gremista era assustadora.

Com Luan e Everton abaixo da expectativa, o Grêmio não criava e viu Puch quase ampliou, mas o meio-campista errou o alvo.

Na etapa final o panorama era o mesmo. O time tricolor trocava passes e não conseguia aprofundar as jogadas. Insatisfeito, Renato promoveu a entrada de André no lugar de Luan e deu uma referência no ataque. Em seu primeiro lance, o camisa 9 deixou Cortez em ótima condição para finalizar na grande área. Bem colocado, Dituro salvou.

Diante de um sistema defensivo gremista bagunçado, a Católica explorava as jogadas laterais. Aos 31, Cornejo avançou sem nenhum incômodo, ajeitou o corpo e mandou na cabeça de Sáez, que testou a bola e levou perigo ao gol de Paulo Victor.

Se no campo o Grêmio pouco apresentava, no banco de reservas era a grande atração do time brasileiro. Por diversos momentos, o comandante levava a mão ao rosto, olhava para o céu e não acreditava no que acontecia dentro das quatro linhas.

Na última chance do jogo, a Universidad Católica levou perigo com Riascos em cobrança de escanteio. Paulo Victor se esticou todo e conseguiu espalmar.

FICHA TÉCNICA

UNIVERSIDAD CATÓLICA 1 X 0 GRÊMIO

Local: San Carlos de Apoquindo , Santiago (CHI)

Data-Hora: 4/4/2019 – 19h00

Árbitro: Wilmar Roldán (COL)

Auxiliares: John León (COL) e Dionísio Ruiz (COL)

Público/renda: pagantes/R$

Cartões amarelos: Magnasco, Conejo, Aued (CAT), Geromel, Jean Pyerre (GRE)

Cartões vermelhos: –

Gols: Sáez (16’/1ºT)

UNIVERSIDAD CATÓLICA: Dituro; Magnasco, Kusevic, Lanaro e Cornejo; Fuentes, Pinares e Aued; Fuenzalida, Sáez (Riascos, aos 43/2ºT) e Puch (Lobos, aos 29/2ºT). Técnico: Gustavo Quinteros.

GRÊMIO: Paulo Victor; Leonardo, Geromel, Kannemann e Cortez; Michel, Maicon, Luan (André, aos 18/2ºT) e Montoya (Alisson, aos 28/2ºT); Everton e Tardelli (Jean Pyerre, aoos 18/2ºT). Técnico: Renato Gaúcho.

(Foto: Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação)

Lance

 

 

Palmeiras joga mal e perde liderança do grupo na Libertadores

Uma atuação sem criatividade e uma grande falha na defesa causaram ao Palmeiras a primeira derrota na Copa Libertadores na noite desta terça-feira. Em Buenos Aires, o time foi mal e perdeu por 1 a 0 para o San Lorenzo, pela fase de grupos. A equipe argentina assumiu a liderança da chave com o resultado, com sete pontos, ante seis do time alviverde.

Depois de vencer nas duas primeiras rodadas da Libertadores, o Palmeiras exibiu um futebol ruim e de pouco poderio ofensivo. O time do técnico Luiz Felipe Scolari sofreu a segunda derrota no ano (a outra foi para o Corinthians) e reabilitou os argentinos. O San Lorenzo só tinha vencido duas vezes em 2019 e amarga a 21ª posição entre os 26 participantes do campeonato local.

A derrota deixa o Palmeiras com duas grandes responsabilidades pela frente. No domingo, o time recebe o São Paulo para ir à final do Campeonato Paulista e na quarta seguinte, enfrenta o Junior Barranquilla no Allianz Parque com a missão de se recuperar na Copa Libertadores.

O Palmeiras começou o jogo com a postura de controlar o San Lorenzo. Com marcação adiantada, troca de passes e paciência, a equipe conseguiu diminuir o ímpeto adversário. As ausências de Ricardo Goulart e Scarpa prejudicaram, mas o time ganhou mais capacidade de segurar o jogo com a presença de Moisés.

O San Lorenzo incomodou no primeiro tempo apenas pela direita. O colombiano Juan Salazar era rápido, enfrentava sozinho a marcação e gerou o principal lance de perigo. O jogador deixou dois palmeirenses no chão e tocou para Castellani acertar a trave, aos 18 minutos de partida.

O susto não fez o Palmeiras se encolher. Moisés matou no peito, deu uma bicicleta e acertou o travessão logo depois. Os contra-ataques se apresentavam como boa arma, porém faltou capricho na hora de armar as jogadas.

O time teve duas mudanças no intervalo para conseguir chegar mais ao ataque. Felipe Melo e Lucas Lima entraram no time. As alterações avançaram o time e deram mais espaço ao San Lorenzo. Os argentinos tiveram uma liberdade enorme para chegar ao gol, aos seis minutos do segundo tempo.

O lateral Herrera saiu da direita e conduziu a bola sem ser acompanhado. O jogador chegou na entrada da área, ajeitou com calma e chutou no canto de Weverton.

A vantagem fez o San Lorenzo recuar. Foi a vez do Palmeiras ter mais a posse de bola. O problema era não conseguir aproveitar as oportunidades, pois Deyverson não conseguia fazer o trabalho de centroavante, Felipe Pires foi mal pela lado direito e Dudu encontrava muita marcação pela esquerda.

Após se destacar no primeiro tempo como armador, Moisés deixou de aparecer em campo. Lucas Lima não conseguiu criar jogadas e o ataque foi inerte no segundo tempo. As grandes armas utilizadas para buscar o empate foram com bolas paradas na área em busca dos zagueiros.

Embora em termos de classificação o tropeço não represente ameaça, a atuação apagada na Argentina mostrou debilidades e o quanto o elenco é dependente de alguns jogadores. Sem Goulart e Scarpa, o Palmeiras perdeu muito em qualidade.

FICHA TÉCNICA

SAN LORENZO 1×0 PALMEIRAS

SAN LORENZO: Monetti; Herrera, Coloccini, Senesi e Víctor Salazar (Pérez); Castellani, Loaiza e Martínez; Reniero, Blandi (Poblete) e Juan Salazar (Barrios). Técnico: Jorge Almirón.

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Gómez e Diogo Barbosa; Thiago Santos (Felipe Melo), Bruno Henrique (Lucas Lima) e Moisés; Felipe Pires (Raphael Veiga), Dudu e Deyverson. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Gol: Herrera, aos 6 minutos do segundo tempo

Árbitro: Julio Bascuñán (Chile)

Cartões Amarelos: Thiago Santos, Bruno Henrique, Castellani, Marcos Rocha, Herrera, Deyverson

Renda e público: Não divulgados

Local: Nuevo Gasómetro (Buenos Aires)

 

Estadão

 

 

No jogo 50 pela Libertadores no Maracanã, Flamengo vence a LDU

No jogo 50 em sua história pela Conmebol Libertadores no Maracanã, o Flamengo não encontrou dificuldades e venceu a LDU, do Equador, por 3 a 1, na noite desta quarta-feira. O Rubro-Negro, nesta série de participação no torneio internacional jogando no estádio, já acumula 34 vitórias, com oito empates e oito derrotas. Everton Ribeiro, no primeiro tempo, e Gabigol e Uribe, no segundo, fizeram os gols. Na etapa inicial, Diego Alves defendeu um pênalti – na final, o goleiro não conseguiu defender outro, convertido por Borja.

Everton Ribeiro e Gabigol fizeram os dois primeiros gols do Flamengo na vitória sobre a LDU. Veja a galeria do L!
Everton Ribeiro e Gabigol fizeram os dois primeiros gols do Flamengo na vitória sobre a LDU. Veja a galeria do L!

Foto: Alexandre Vidal/Flamengo / Lance!

Com o resultado, o Flamengo chegou aos seis pontos no Grupo D, ocupando a liderança. Já a LDU ficou nos três pontos, na segunda colocação do grupo. Pela Libertadores, ambas as equipes voltam a campo no início de abril – no dia 3, o Rubro-Negro recebe o Peñarol, enquanto no dia 2 a LDU visita o San José. Antes, pela Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca, os comandados de Abel Braga na terça-feira duelam contra o Madureira, no Maracanã.

INÍCIO MOVIMENTADO
A estreia do Flamengo na Libertadores no Maracanã em 2019 foi com um início bastante movimentado. Aos cinco minutos do primeiro tempo, Gabigol aproveitou vacilo da defesa da LDU e mandou para o gol – a bola, porém, foi em Rodríguez e não chegou ao destino. Os equatorianos responderam aos sete com Jhojan Julio, mas Diego Alves espalmou. No minuto seguinte, o Rubro-Negro teve maior sorte e abriu o placar com Everton Ribeiro, 1 a 0.

PRESSÃO SEGUE E GOLEIROS SALVAM
O Flamengo não recuou após inaugurar o marcador, seguindo pressionando para ampliá-lo. Aos 16, o goleiro Adrián Gabbarini fez boa defesa e salvou em tentativa de Bruno Henrique. Willian Arão tentou no minuto seguinte, mas a bola passou por cima do travessão. Aos 25 e 28, Diego e Gabigol perderam novas chances… Até que a LDU teve um pênalti – bem marcado – aos 42, quando Vega é derrubado por Diego. Na cobrança, Diego Alves salvou a cobrança de Intriago.

CONTROLE E ESTRELA
Na volta para o segundo tempo, o Flamengo controlou ainda mais o jogo, e não levou sufoco até a vitória ser confirmada. Aos 14 e 15, Willian Arão e Léo Duarte tiveram boas oportunidades de fazer o segundo gol, mas desperdiçaram. Aos 23, Gabigol fez o 2 a 0 aproveitando lançamento de Bruno Henrique. E aos 35, segundos após entrar no jogo, Uribe mostrou estrela e fez o 3 a 0. Nos acréscimos, Borja converteu um segundo pênalti – novamente bem marcado pela arbitragem -, após Trauco derrubar Freire, mas não passou disso. Festa do Flamengo na vitória por 3 a 1 em dia de marca histórica na competição.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 3 X 1 LDU

Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 13/3/2019, às 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Germán Delfino (ARG) – Nota LANCE!: 7,0 (não influenciou no resultado e marcou dois pênaltis corretamente para a LDU)
Assistentes: Diego Bonfa (ARG) e Ezequiel Brailovsky (ARG)
Público/renda: 58.034 pagantes/R$ 2.596.530,50
Cartões amarelos: Cuéllar (FLA) e Aguirre, Intriago (LDU)
Cartão vermelho: –

GOLS: Everton Ribeiro 8’/1ºT (1-0), Gabigol 23’/2ºT (2-0), Uribe 35’/2ºT (3-0) e Borja 46’/2ºT (3-1)

FLAMENGO: Diego Alves, Pará, Léo Duarte, Rodrigo Caio e Renê (Trauco 43’/2ºT); Cuéllar (Arrascaeta 39’/2ºT), Willian Arão, Diego e Everton Ribeiro; Bruno Henrique (Uribe 35’/2ºT) e Gabigol. Técnico: Abel Braga.

LDU: Adrián Gabbarini; Christian Cruz, Carlos Rodríguez, Nicolás Freire e José Quinteros; Jefferson Orejuela, Jefferson Intriago (Murillo 31’/2ºT), Vega, Jhojan Julio e Ayoví (Angulo 15’/2ºT); Rodrigo Aguirre (Borja 34’/2ºT). Técnico: Pablo Repetto.

 

Lance

 

Palmeiras toma dois do Boca no fim e se complica na semi da Libertadores

O Palmeiras “apagou” no fim do 2º tempo e perdeu o jogo da semifinal da Libertadores por 2 a 0 para o Boca Juniors na noite desta quarta-feira (24). O jogo foi decidido por um atacante que saiu do banco: Benedetto. Com um de cabeça e um golaço de fora da área, ele deu a vantagem aos donos da Bombonera. Com o resultado no placar, os hermanos dão um grande passo para o jogo da próxima semana, que decide quem será o finalista da Libertadores.

Com o apoio dos quase 50 mil torcedores, os argentinos até ficaram mais com a bola, mas só incomodaram o Alviverde com chutes de longe ou levantamentos na área no primeiro tempo. A etapa final caminhava para o mesmo destino, mas os argentinos mostraram que queriam mais em um lance de falta que exigiu bela defesa de Weverton. No lance seguinte, em escanteio, Benedetto desviou para abrir o placar. Os brasileiros, por sua vez, abusaram dos chutões de Gustavo Gómez e Luan, que foram promovidos ao time titular, e tentaram diversas jogadas com ligação direta.

Palmeiras e Boca Juniors, agora, voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira (31), no Allianz Parque. A Libertadores preserva o critério de gols fora de casa, por isso, se o time de Felipão vencer por 2 a 0, a decisão da vaga será nos pênaltis.

O melhor: Benedetto

Não poderia ser outro. O atacante, xodó da torcida do Boca, saiu do banco para decidir a vitória xeneize com dois gols de camisa 9 puro. Primeiro uma cabeçada na primeira trave, desviando cobrança de escanteio para fazer 1 a 0 poucos minutos depois de entrar em campo; depois, um chute certeiro e indefensável da entrada da área para ampliar a vantagem e deixar o Boca perto da final da Libertadores.

O pior: Ábila

O ex-cruzeirense não esteve em uma de suas noites mais inspiradas. Brigou bastante na frente como de costume, mas “apanhou” da bola em alguns lances em que teve que se virar mais longe da área e chegou até a armar alguns contra-ataques palmeirenses com passes errados. Apagado, o centroavante deu lugar a Benedetto no segundo tempo.

Felipão muda zaga e Palmeiras não toma sustos no 1º tempo

A dupla de zaga que vinha sendo titular no Campeonato Brasileiro, Luan e Gustavo Gómez, ganhou a titularidade para o jogo contra o Boca e não decepcionou. Auxiliada por uma marcação eficiente de toda a equipe desde o setor de ataque, a parceria defensiva praticamente não tomou sustos na primeira etapa e controlou bem as poucas bolas que chegaram aos atacantes do Boca. Ábila brigou muito na frente, mas perdeu a maioria para os zagueiros palmeirenses.

Boca fica com a bola, mas não cria no início

O Palmeiras deu a posse de bola ao Boca e esperou. Apoiado pela torcida, que não parou de cantar um só segundo na Bombonera, o time da casa tentou pressionar, mas esbarrou em muitos erros de passe e em movimentações ruins, que não davam opções para quem tinha a bola. Pérez e Nández, na teoria os dois articuladores do meio-campo, entregaram várias vezes a posse de bola ao Palmeiras. Zárate até buscou algumas jogadas, mas a bola na verdade pouco chegou ao setor ofensivo do time argentino. A melhor chance do primeiro tempo foi um chute para fora de Pérez, aos 8 minutos.

AP Photo/Gustavo Garello

Palmeiras teve dificuldades para encaixar os contra-ataques na Bombonera

Palmeiras tem dificuldade para contra-atacar

Se o alviverde foi bem na proposta de controlar o ímpeto do Boca na primeira etapa, por outro lado não foi eficaz como de costume ao recuperar a bola. Os contra-ataques mortais que são uma das marcas registradas dessa equipe não funcionaram, com Dudu e Moisés especialmente mal na tarefa de fazer a transição. Alguns passes fortes demais e decisões precipitadas fizeram com que o Palmeiras nem testasse o goleiro Rossi nos primeiros 45 minutos. Borja correu, mas não recebeu nenhuma bola em boas condições.

Torcida do Boca xinga “desafeto” Gustavo Gómez

Um mês antes de chegar ao Palmeiras, Gustavo Gómez esteve muito perto de assinar com o Boca Juniors. O paraguaio chegou a fazer exames na equipe, mas o negócio melou de última hora por divergências sobre a remuneração. E deu para ver que o zagueiro não anda com a imagem muito boa na Bombonera. Após ele cometer uma falta de ataque no goleiro Rossi e levar cartão amarelo, a torcida xeneize não economizou nos xingamentos para o camisa 15 do alviverde.

Weverton faz defesa espetacular…

A segunda etapa foi morna como a primeira, com o Boca Juniors sofrendo para criar alguma coisa diante de um Palmeiras bem postado atrás, mas que não conseguia ligar o contragolpe. Mas o clima esquentou aos 36 minutos, quando Felipe Melo fez falta perigosa na frente da área. Olaza bateu forte de pé esquerdo e Weverton foi buscar no ângulo com defesa espetacular. Mas na cobrança de escanteio…

…mas Boca abre o placar no lance seguinte. E amplia

A defesa de Weverton evitou o gol do Boca, mas só por alguns segundos. Na batida do escanteio logo na sequência, Benedetto, que havia acabado de entrar no lugar de Ábila, subiu com libedade para desviar de cabeça na primeira trave e balançar a rede, fazendo a torcida explodir na Bombonera. Pouco depois, o mesmo atacante deu drible fantástico em Luan e chutou de fora da área para fazer o 2 a 0.

FICHA TÉCNICA
BOCA JUNIORS 2 X 0 PALMEIRAS

Data: 24 de outubro de 2018, quarta-feira
Local: Estádio La Bombonera, em Buenos Aires (ARG)
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Roberto Tobar (Chile)
Assistentes: Christian Schiemann e Claudio Rios (Chile)
Cartões amarelos: Olaza, Zárate e Villa (BOC); Gómez e Bruno Henrique (PAL)
Gols: Benedetto, aos 38 minutos e 42 minutos do 2º tempo

BOCA JUNIORS: Rossi; Jara, Izquierdoz, Magallan e Olaza; Barrios, Nandez e Perez; Pavón (Buffarini), Zarate (Villa) e Ábila (Benedetto)
Técnico: Guillermo Schelotto

PALMEIRAS: Weverton; Mayke, Luan, Gustavo Gómez e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique (Thiago Santos) e Moisés (Lucas Lima); Dudu, Willian e Borja (Deyverson)
Técnico: Felipão

UOL 

 

Flamengo vence o Cruzeiro, mas é eliminado da Libertadores

Nos primeiros 90 minutos, o Cruzeiro foi amplamente superior, venceu o Flamengo por 2 a 0, em duelo no início do mês, no Maracanã. Na noite desta quarta-feira (29), no Mineirão, foi o reencontro entre as equipes pela competição. O time rubro-negro até conseguiu o triunfo, venceu por 1 a 0, mas não foi o suficiente. Com isso, a equipe mineira segue na Copa Libertadores.

Foi um duelo agradável de assistir. O Cruzeiro, mesmo com a vantagem, não foi um time chato e pragmático. Evidentemente, em algum momento sentou sobre a vantagem e aproveitou de sua primeira participação. Mas não abriu mão de jogar, criou, teve chances e quase marcou.

O Flamengo também foi gigante. Entrou em campo mesmo com um placar contrário e foi em busca. Nos dois tempos teve períodos melhores em campo e, em um deles, na segunda metade do jogo, marcou seu tento.

O Cruzeiro espera o vencedor de Boca Júnior ou Libertad. A partida decisiva será nesta quinta-feira (30). No primeiro jogo, o Boca venceu por 2 a 0, na Argentina.

Léo Duarte comemora gol do Flamengo
Léo Duarte comemora gol do Flamengo

Foto: Daniel Oliveira / Fotoarena / Estadão Conteúdo

Primeiro tempo

O técnico Mano Menezes resolveu as questões que perturbavam sua cabeça nos vestiários do Mineirão. Decidiu por entrar com Barcos no ataque, tinha dúvida por Raniel, e colocou Lucas Romero improvisado na lateral, deixando Edilson, jogador contratado para resolver o problema da posição, no banco de reservas.

O duelo começou bastante movimentado. O Cruzeiro tinha uma posse inicial no jogo, conseguindo garantir a redonda e fazer disso mais tempo no campo ofensivo. A equipe celeste utilizava bastante Arrascaeta caindo pela ponta e Thiago Neves mais centralizado. Isso, no entanto, não era fixo.

O Flamengo usava bastante a saída com Diego e Everton Ribeiro. Paquetá também contribuía, mas era mais utilizado buscando a bola na defesa e distribuindo naquela primeira saída de jogo.

Algo que marcou os primeiros minutos de jogo também foram as faltas. Com isso, tinha pouca bola rolando.

Aos 20 minutos o Cruzeiro teve sua melhor oportunidade. Após vacilo de Diego, no meio campo flamenguista, a bola chegou em Thiago Neves que colocou Barcos na cara do gol. O atacante perdeu uma oportunidade de ouro.

Depois do susto, o Flamengo melhorou em campo. A equipe carioca conseguia passar pelos volantes da equipe mineira, envolvia, mas a redonda não passava pela zaga.

Thiago Neves disputa a bola com Cuéllar e Rodinei
Thiago Neves disputa a bola com Cuéllar e Rodinei

Foto: Araceli Souza / Dia Esportivo / Estadão Conteúdo

Segundo tempo

O Flamengo voltou atento para a etapa complementar. Diante disso, logo aos 4 minutos conseguiu uma chance clara de gol. O jogo ficou aberto.

Aos 12 minutos, o técnico Mano Menezes precisou colocar Edilson em campo, pois Lucas Romero sentiu dores no pé após uma pancada e não conseguiu seguir na partida. O Cruzeiro passou a se fechar. O Flamengo buscava o ataque com mais intensidade, pois o espaço estava aberto.

Aos 24 o Flamengo conseguiu seu primeiro gol. Em cobrança de escanteio, Everton Ribeiro ganha a bola e toca no meio. Léo Duarte coloca a redonda para dentro.

Depois de sofrer o gol, o Cruzeiro passou a buscar mais o ataque. O técnico Mano Menezes percebeu as necessidades e fez alterações, dando mais velocidade ao ataque com a entrada de Rafinha, por exemplo. O Cruzeiro cresceu, mas ainda assim o Flamengo tinha uma atitude mais ousada. Não foi o suficiente.

Paquetá domina a bola pelo Flamengo
Paquetá domina a bola pelo Flamengo

Foto: Fábio Barros / Agência Free Lancer / Estadão Conteúdo

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 0 X 1 FLAMENGO

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Data: 29 de agosto de 2018 (Quarta-feira)

Horário: 21h45(de Brasília)

Árbitro: Andres Cunha (Uruguai)

Assistentes: Nicolás Tarán (Uruguai) e Mauricio Espinosa (Uruguai)

Gols: Léo Duarte, aos 24 minutos do segundo tempo (Cruzeiro)

Cartões: Rodinei, Léo Duarte, Renê (Flamengo)

CRUZEIRO: Fábio, Lucas Romero (Edilson), Dedé, Leo e Egídio; Henrique e Lucas Silva; Robinho (Rafinha), Thiago Neves e Arrascaeta; Barcos (Raniel).

Técnico: Mano Menezes

FLAMENGO: Diego Alves, Rodinei, Réver, Léo Duarte e Renê; Gustavo Cuéllar (Lincoln), Lucas Paquetá, Diego, Everton Ribeiro e Vitinho (Henrique Dourado); Marlos

Técnico: Maurício Barbieri

 

Gazeta Esportiva

Com vantagem, Cruzeiro recebe Flamengo pelas oitavas da Libertadores

O Cruzeiro construiu uma boa vantagem no primeiro duelo contra o Flamengo, no início do mês, pela Copa Libertadores, com vitória por 2 a 0. Agora as equipes reencontram, na noite desta quarta-feira, no Mineirão, para definir quem avança às quartas de final do torneio continental para enfrentar o vencedor do embate entre Boca Juniors e Libertad, do Paraguai, que duelam nesta quinta-feira, em La Bombonera, na Argentina. Na ida, o time argentino ganhou por 2 a 0.

A Raposa chega embalada para o jogo. No Brasileirão, no último sábado, a equipe voltou a vencer e bateu o Fluminense por 2 a 1, acabando com o jejum de um mês sem triunfar na competição nacional. Na Copa do Brasil a coisa anda bem encaminhada, o time está nas semifinais, e terá o Palmeiras pela frente.

Nos treinamentos na Toca da Raposa II, em Belo Horizonte, o Cruzeiro foi muito bem recebido pelos torcedores. No dia anterior ao jogo, os atletas foram recepcionados pelos fanáticos, que fizeram uma bela festa. No Mineirão, outra grande exibição das arquibancadas está programada com mais de 60 mil ingressos vendidos. Nos treinamentos, Mano Menezes pediu privacidade. Os jornalistas não puderam acompanhar nada que foi feito, nem mesmo o aquecimento.

O treinador tem duas grandes dúvidas para o duelo contra o Flamengo. Uma na lateral-direita e outra no ataque. Na ala, Mano não confirmou o retorno de Edilson. Ele pode manter Lucas Romero, que embora seja volante desempenha um ótimo papel na posição. Na frente, o treinador ainda não confirmou se vai de Raniel ou Barcos. O Pirata ainda não encontrou seu melhor futebol com a camisa celeste, enquanto o brasileiro pede passagem a cada jogo, marcando gols e dando muita mobilidade ao setor.

Pelo lado do Flamengo, Maurício Barbieri vai manter a base que vem jogando, sem mudanças profundas. As duas equipes fazem boas campanhas no Brasileirão, mas preservaram alguns titulares no fim de semana. O Flamengo, também em Belo Horizonte, só que na Arena Independência, ficou no empate por 2 a 2 com o América-MG, figurando na terceira colocação. O São Paulo lidera com 45 pontos.

“No futebol, em um jogo entre duas grandes equipes como são Flamengo e Cruzeiro, qualquer coisa pode acontecer. Portanto, precisamos trabalhar com muita seriedade e em busca de um resultado positivo. Antes de pensar no gol, temos que criar chances. Trabalhar bola, conseguir espaços e aproveitar. A classificação é complicada, mas está ao nosso alcance se estivermos em um grande dia e colocarmos em prática aquilo que foi trabalhado. Embora, o respeito ao Cruzeiro sempre vai existir”, disse Barbieri.

Para colocar seu plano em prática o elenco flamenguista aposta na concentração. “Vai ser um duelo muito complicado, pois são dois times qualificados. Podemos conquistar um resultado positivo e por isso mesmo temos que entrar em campo ligados e tentando nos impor, mas sem perder a capacidade de concentração”, observou o meia Diego.

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO X FLAMENGO

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Data: 29 de agosto de 2018 (Quarta-feira)

Horário: 21h45(de Brasília)

Árbitro: Andres Cunha (Uruguai)

Assistentes: Nicolás Tarán (Uruguai) e Mauricio Espinosa (Uruguai)

CRUZEIRO: Fábio, Lucas Romero (Edilson), Dedé, Leo e Egídio; Henrique e Lucas Silva; Robinho, Thiago Neves e Arrascaeta; Barcos (Raniel).

Técnico: Mano Menezes

FLAMENGO: Diego Alves, Rodinei, Réver, Léo Duarte e Renê; Gustavo Cuéllar, Lucas Paquetá, Diego, Everton Ribeiro e Vitinho; Henrique Dourado

Técnico: Maurício Barbieri

Gazeta Esportiva
(Foto: Divulgação)

Grêmio perde para o Estudiantes pela Libertadores

O Estudiantes derrotou o Grêmio nessa terça-feira por 2 a 1, no Estádio José Luis Meizner, pela primeira partida das oitavas de final da Copa Libertadores. A equipe gremista teve atuação irreconhecível no primeiro tempo, que por pouco não custou caro para as pretensões do clube gaúcho na busca pelo tetracampeonato na competição. Na etapa final, os mandantes não conseguiram manter a mesma disposição e tiveram um jogador expulso. Assim, facilitou o trabalho gremista, que até tentou chegar a sonhar com o empate, mas sem sucesso.

Agora, o Grêmio precisa de uma vitória por 1 a 0 em casa que estará classificado para a próxima fase por causa do gol qualificado. Os argentinos jogam pelo empate ou até por uma derrota de um gol, caso faça tento em Porto Alegre. Se o tricolor também vencer por 2 a 1, a decisão da vaga será nos pênaltis.

O jogo de volta está marcado para o dia 28, terça, às 21h45 (horário de Brasília), na Arena. Pelo Brasileirão o Grêmio recebe, no domingo, o Vitória, às 19h, de novo diante de seu torcedor.

O jogo
Mesmo jogando fora de casa, o Grêmio começou tomando a iniciativa e buscando o gol. Já o Estudiantes ficou mais em seu campo e especulou os contra-ataques. Aos sete, Maicon faz um lançamento de trás do meio-campo, André chegou livre dentro da área e chutou à esquerda do gol. Os argentinos surpreenderam os gaúchos logo na sequência, conseguindo abrir o placar.

Aos oito, após dividida na entrada da área, Apaolaza girou para o chute e acertou o ângulo esquerdo de Grohe. Um golaço, sem chances para o arqueiro gremista.

O Tricolor Gaúcho saiu para cima na busca da igualdade. Aos 13, Luan cobrou o escanteio da esquerda, e Cícero cabeceou sozinho, rasteiro, para defesa de Andújar.

Os donos da casa deixavam a bola para os visitantes e tentavam ampliar o placar em jogadas de velocidade. Por sua vez, o Grêmio encontrou muita dificuldade de penetrar na defesa dos argentinos.

Depois dos 30 minutos, o jogo esquentou com disputas ríspidas entre gaúchos e argentinos. Aos 33, Rodríguez tocou para Apaolaza dentro da área, Marcelo saiu com um tapa por baixo, e Marcelo Oliveira estourou com o adversário. O goleiro e o lateral bateram boca após o lance.

Aos 37, Rodríguez bateu o escanteio da esquerda, e Campi saltou mais alto que a defesa do Grêmio para acertar um belo cabeceio no canto oposto de Marcelo Grohe. Outro belo gol.

Sem conseguir jogar pelo chão, o Grêmio apostou na bola aérea e diminui o prejuízo. Aos 43, Luan cobrou o escanteio da esquerda, André cabeceou na primeira trave, Andújar fez uma linda defesa à queima-roupa, mas Kannemann estava atento no rebote para cabecear para o fundo do gol.

Por pouco, no começo do segundo tempo, o Grêmio não chegou ao empate em boa trama no ataque. Luan encontrou André em velocidade pela esquerda, invadiu a área, deixou o adversário no chão e chutou cruzado para fora.

Depois da correria na etapa inicial, os argentinos não tiveram forças para manter o mesmo ritmo. Houve uma queda de qualidade técnica na partida, com os dois times não conseguindo criar oportunidades de gols. O jogo seguiu se desenvolvendo apenas no meio-campo e sem perigo para os dois goleiros.

Aos 31, Zuqui foi mais cedo para o chuveiro ao fazer falta em Kannemann.

Com um a mais em campo, o Grêmio se soltou para frente na busca do gol de empate. Entretanto, as últimas tentativas gremistas foram infrutíferas e os argentinos mantiveram a vantagem até o final.

Gazeta esportiva