Arquivo da tag: liberação

MEC anuncia liberação de mais R$ 30,2 milhões para universidades e instituto federais na Paraíba

O Ministério da Educação (MEC) anunciou a liberação de R$ 30,2 milhões para a UFPB, UFCG e IFPB referentes aos valores que tinham sido contingenciados em abril de 2019. De acordo com o MEC, foram liberados na sexta-feira (18) um total de R$ 30.293.852 para as três instituições mantidas pelo governo federal na Paraíba. O MEC havia liberado no dia 30 de setembro R$ 43,8 milhões para as três instituições.

Os dois desbloqueios feitos pelo MEC para as três instituições federais na Paraíba somam R$ 74.144.960. Ainda de acordo com o ministério, as duas liberações totalizam 100% do orçamento que tinha sido contingenciado em abril deste ano, embora, o valor somado a partir dos cortes informados por UFPB, UFCG e IFPB fosse de R$ 91 milhões.

A diferença de R$ 16,8 milhões a menos do que foi informado pelas instituições não foi explicada pelo MEC. Confira abaixo a divisão do valor liberado pelo MEC na sexta-feira (18) para as instituições federais no estado:

  • Universidade Federal da Paraíba (UFPB): R$ 7.302.348
  • Universidade Federal de Campina Grande (UFCG): R$ 6.421.221
  • Instituto Federal da Paraíba (IFPB): R$ 16.570.283

Em nota, o ministério informou que “o orçamento de custeio das universidades e institutos foi 100% descontingenciado, o que torna possível à instituição a utilização de todo o orçamento de custeio”.

Segundo o ministro, foi liberado R$ 1,1 bilhão de reais – R$ 771 milhões para universidades e R$ 336 milhões para institutos federais –, após um remanejamento interno no orçamento da pasta. O MEC não informou quais áreas perderam recursos nesta troca.

G1

 

Começa amanhã liberação de saque de R$ 500 do FGTS

A liberação do saque no valor de R$ 500 das contas ativas e inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), começa nesta sexta-feira (13).

Conforme a Medida Provisória nº 889, as liberações relacionadas ao FGTS ocorrerão de setembro deste ano a março de 2020. Os trabalhadores poderão retirar até R$ 500 por conta. A expectativa do Ministério da Economia é alcançar 96 milhões de trabalhadores e injetar R$ 30 bilhões na economia.

Os primeiros a receber são as pessoas que têm poupança na Caixa ou aqueles que têm conta-corrente na Caixa e autorizaram o depósito.
Confira as datas:

  • Nascidos em janeiro, fevereiro, março e abril: recebem a partir de 13/9/2019
  • Nascidos em maio, junho, julho e agosto: recebem a partir de 27/9/2019
  • Nascidos em setembro, outubro, novembro e dezembro: recebem a partir de 9/10/2019.

Em seguida, recebem todos os demais trabalhadores.

  • Nascidos em janeiro: recebem a partir de 18/10/2019
  • Nascidos em fevereiro: recebem a partir de 25/10/2019
  • Nascidos em março: recebem a partir de 8/11/2019
  • Nascidos em abril: recebem a partir de 22/11/2019
  • Nascidos em maio: recebem a partir de 6/12/2019
  • Nascidos em junho: recebem a partir de 18/12/2019
  • Nascidos em julho: recebem a partir de 10/1/2020
  • Nascidos em agosto: recebem a partir de 17/1/2020
  • Nascidos em setembro: recebem a partir de 24/1/2020
  • Nascidos em outubro: recebem a partir de 7/2/2020
  • Nascidos em novembro: recebem a partir de 14/2/2020
  • Nascidos em dezembro: recebem a partir de 6/3/2020

 

clickpb

 

 

Liberação dos R$ 500 do FGTS começa na sexta; veja quem receberá primeiro

Começa nesta sexta-feira (13) o saque de até R$ 500 de cada conta do FGTS para os clientes que têm poupança na Caixa. Os primeiros a receber serão os que nasceram em janeiro, fevereiro, março ou abril. O depósito dos valores será feito automaticamente.

Quem tem poupança na Caixa e não quer tirar o dinheiro do FGTS precisa avisar o banco.

Em reportagem publicada no site UOL, quem tem conta-corrente na Caixa e autorizou o depósito também recebe a partir desta sexta. O banco disse que o prazo para dar essa autorização e receber antecipadamente era 25 de agosto, mas a reportagem encontrou informações diferentes no aplicativo da Caixa. A assessoria de imprensa do banco não informou, até o momento, qual informação é a correta.

Para os demais trabalhadores, a liberação do dinheiro começa a partir de 18 de outubro, conforme o mês de seu aniversário.

Os primeiros a receber são as pessoas que têm poupança na Caixa ou aqueles que têm conta-corrente na Caixa e autorizaram o depósito. As datas são:

  • Nascidos em janeiro, fevereiro, março e abril: recebem a partir de 13/9/2019
  • Nascidos em maio, junho, julho e agosto: recebem a partir de 27/9/2019
  • Nascidos em setembro, outubro, novembro e dezembro: recebem a partir de 9/10/2019

Em seguida, recebem todos os demais trabalhadores. As datas são:

  • Nascidos em janeiro: recebem a partir de 18/10/2019
  • Nascidos em fevereiro: recebem a partir de 25/10/2019
  • Nascidos em março: recebem a partir de 8/11/2019
  • Nascidos em abril: recebem a partir de 22/11/2019
  • Nascidos em maio: recebem a partir de 6/12/2019
  • Nascidos em junho: recebem a partir de 18/12/2019
  • Nascidos em julho: recebem a partir de 10/1/2020
  • Nascidos em agosto: recebem a partir de 17/1/2020
  • Nascidos em setembro: recebem a partir de 24/1/2020
  • Nascidos em outubro: recebem a partir de 7/2/2020
  • Nascidos em novembro: recebem a partir de 14/2/2020
  • Nascidos em dezembro: recebem a partir de 6/3/2020

O correntista da Caixa pode autorizar o crédito pelo internet banking da Caixa, aplicativo do FGTS, site fgts.caixa.gov.br, telefone 0800 724 2019 ou direto na agência.

Para quem tem poupança na Caixa o crédito é automático, sem ser necessário dar autorização. Se não quiser fazer o saque e preferir que o dinheiro permaneça no FGTS, deve avisar o banco até 30 de abril de 2020. Os canais para isso são o aplicativo do FGTS, o internet banking da Caixa ou o site fgts.caixa.gov.br.

Todos os trabalhadores, independentemente de quando foi liberado o dinheiro, poderão receber até 31 de março de 2020. Se não sacar, não perde o dinheiro. Ele continua na sua conta do FGTS.

O pagamento antecipado só valerá para contas abertas na Caixa até 24 de julho de 2019, data em que o governo enviou a Medida Provisória liberando o saque de parte do FGTS. Quem abriu conta na Caixa após essa data seguirá o outro calendário.

Além do saque imediato, de até R$ 500 por conta do FGTS, o governo anunciou a criação de uma nova modalidade, o saque aniversário, que permitirá retirar uma parcela do FGTS todo ano, a partir de 2020. O saque aniversário é opcional.

O valor anual recebido será de acordo com o total de dinheiro que o trabalhador tem no fundo. Quem optar por essa modalidade não poderá sacar o valor total do fundo se for demitido sem justa causa, apenas a multa de 40%. Isso só vale para o saque aniversário.

O governo liberou também o saque total das cotas do fundo PIS/Pasep. O saque do fundo já está liberado. Não há prazo limite para pegar o dinheiro.

Tem direito ao saque do fundo PIS/Pasep quem trabalhou com carteira assinada entre 1971 e 1988 e ainda não retirou os recursos. Quem trabalhou nesse período em empresa privada tem cota no PIS, enquanto quem atuou em órgão público tem cota no Pasep.

 

paraiba.com.br

 

 

Liberação de saque de contas do FGTS será anunciada na próxima semana, diz ministro da Casa Civil

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou nesta quinta-feira (18) que a liberação de saques de contas do FGTS e do PIS/Pasep será anunciada na próxima semana. Segundo o ministro, os detalhes ainda estão sendo fechados pelas equipes técnicas.

“Tomamos a decisão que na semana próxima vai ser feita a apresentação da medida provisória que trata da questão do fundo de garantia [FGTS] e também do PIS/Pasep. Os dois serão apresentados conjuntamente, provavelmente entre quarta e quinta, vai depender da agenda do presidente [Jair Bolsonaro]”, disse o ministro.

Onyx participou de uma reunião da Junta de Execução Orçamentária. Após o evento, ele afirmou que a liberação dos saques não vai prejudicar as linhas de financiamento da casa própria nem o programa Minha Casa Minha Vida. Ambos utilizam recursos do FGTS.

“Uma garantia já está tomada. Toda a parte que faz o financiamento da casa própria, do Minha Casa Minha Vida será mantida. Não vai ter problema com relação a isso. Eu posso dar garantia disso. Isso vai ser preservado”, afirmou.

O ministro não quis dizer se os saques envolveriam só contas ativas ou se também incluiria contas inativas do FGTS. Segundo ele, o detalhamento será feito pelo presidente Jair Bolsonaro.

Mais cedo o presidente Jair Bolsonaro afirmou que ainda não foi “batido o martelo” sobre como funcionará a liberação do saque das contas do FGTS e do PIS-Pasep. Ele também disse que o anúncio seria feito ainda nesta quinta.

Contingenciamento

Ao comentar da reunião da junta, Onyx afirmou que não está previsto novo contingenciamento no Orçamento de 2019. O governo tem até segunda-feira (22) para divulgar o relatório de receitas e despesas.

“Nós herdamos um Orçamento, não fomos nós que fizemos, com o desafio de poder continuar mantendo toda as ações do governo. Esse equilíbrio é complexo e trabalhamos bastante nisso”, disse.

Ao ser questionado se haveria contingenciamento de despesas o ministro afirmou que “não está previsto, mas as equipes estão trabalhando”.

Na semana passada o governo reduziu a expectativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2019, de 1,6% para 0,81%, o que deve ter impacto direto nas receitas do governo para esse ano.

G1

 

 

Radares eletrônicos multarão após liberação do Ministério da Infraestrutura e do Imetro, diz chefe do Dnit

Em entrevista ao Portal ClickPB, o chefe de serviços de Operação do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Ítalo Filizola explicou que a retomada das multas feitas pelas barreiras e radares eletrônicos da BR-230, que liga João Pessoa a Cabedelo, só será retomada após liberação do Ministério da Infraestutura e aprovação do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Imetro).   A empresa responsável pelas instalações é a Fiscal Automação e Tecnologia e Automação.

Dos 15 radares que ligam João Pessoa a Cabedelo, seis equipamentos foram instalados, mas ainda estão sendo ajustados. Um total de quatro ainda faltam ser colocados e, existe a estimativa de que mais cinco sejam inseridos nesse trecho, segundo o Dnit.

“Eles registram, mas só multam depois da aferição do Imetro e da autorização do início da validação das imagens, que só será feito após a aprovação do Ministério da Infraestrutura”, explicou Ítalo.

No Sertão, 35 equipamentos que operam nas rodovias ere as cidades de Patos e Cajazeiras, já estão em operação e multando os condutores que ultrapassem o limite de velocidade.

Em todo o estado, a previsão é que 181 equipamentos devam ser instalados. O prazo segundo o DNIT é que até julho estejam em funcionamento completo. “No cronograma aprovado junto a empresa responsável temos a previsão de que até julho tudo deva estar instalado, mas pode haver ampliação desse prazo devido alguns atrasos no processo de instalação e liberação”, explicou.

Segundo ele, “ainda não existe um prazo específico para que isso seja implementado, mas iremos avisar por meio de comunicado toda a população. Embora os equipamentos estejam sendo instalados a responsabilidade pela autorização dos registros de multas depende da liberação do Ministério”, salientou.

(Foto: Walla Santos)

clickpb

 

 

Em novo anexo, Joesley diz que pediu a políticos apoio para liberação de financiamento no BNDES

Um novo anexo entregue por delatores da JBS à Procuradoria Geral da República (PGR), o empresário Joesley Batista revela “pressão política” para conseguir que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) liberasse um financiamento para a construção de uma fábrica de celulose da Eldorado, no Mato Grosso do Sul.

Nos documentos, o empresário afirma que solicitou apoio político para o negócio, entre os anos de 2009 e 2010, ao senador José Serra (PSDB-SP), à época candidato à presidência da República; e aos ex-ministros petistas Antonio Palocci e Guido Mantega.

TV Globo buscava contato com os citados até a última atualização desta reportagem.

Ele afirmou ainda que a liberação do empréstimo do banco de fomento gerou propina para Mantega, para o ex-tesoureiro do PT João Vaccari e para dirigentes dos fundos de pensão Petros (Petrobras) e Funcef (Caixa Econômica Federal), sem especificar quais.

A empresa Eldorado pertence à J&F, grupo empresarial que reúne os negócios dos irmãos Joesley e Wesley Batista. O novo anexo trata de pedidos feitos por Joesley a políticos que, segundo ele, ajudaram a liberar um empréstimo bilionário à empresa Florestal, de plantação de eucaliptos. O delator diz que a pressão política se concretizou em meio à eleição presidencial de 2010.

Pedidos a políticos

Joesley contou que o pedido de empréstimo começou a ser feito em 2009, por ele próprio, ao então presidente do BNDES, Luciano Coutinho. O empresário disse que ficou sabendo pelo então governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, que uma empresa europeia tinha desistido de construir um fábrica de celulose no estado. Joesley, então, sugeriu que a fábrica da J&F ficasse no lugar.

Ele detalha que, após resistências da área técnica do BNDES, recorreu a Guido Mantega, ainda em 2009 – quando Mantega era ministro da Fazenda – para destravar o emprestimo. Joesley diz que Mantega “prontamente o apoiou”.

O empresário relatou uma reunião, que aconteceu entre o 1º e o 2º turnos das eleições de 2010, na sende do BNDES, no Rio. Na ocasião, Joesley diz ter cobrado Coutinho sobre o empréstimo, alegando que já tinha o apoio de Mantega. O BNDES é vinculado aos ministérios do Planejamento e da Fazenda, que estava sob o comandado de Mantega.

O empresário afirmou à Procuradoria Geral da República que Coutinho disse que era impossível analisar o projeto no banco. Joesley disse que, a partir daí, pediu a “urgente intervenção de Mantega”. E que em, seguida, procurou mais apoio de políticos.

Joesley contou que pediu ajuda a Antonio Palocci, relatando que à essa época Palocci era era braço-direito da então candidata Dilma Roussef. Palocci foi coordenador da campanha presidencial da petista em 2010.

Em outra frente, Joesley diz ter procurado o então candidato à presidência, José Serra – que tinha se afastado do governo de São Paulo pra fazer a campanha. O empresário relatou que encontrou pessoalmente com Serra. A reunião aconteceu no período da noite, por volta das 23h30.

Pressões

Ainda segundo a delação, Joesley pediu aos três – Mantega, Palocci e Serra – a mesma coisa: que eles ligassem ao então presidente do BNDES, Luciano Coutinho, e dissessem que, caso eles estivessem no Poder Executivo, tal projeto seria apoiado.

Em seguida, segundo a delação, Mantega marcou uma reunião, dentro do Ministério da Fazenda, com Joesley e Coutinho – e comunicou que tinha convencido o BNDES da importância de se seguir com a análise do pedido de financiamento no BNDES.

Em seguida, disse o delator, o próprio Coutinho relatou que Serra tinha ligado pra fazer a mesma recomendação, acrescentado que o então presidenciável sabia muitos detalhes do projeto da fábrica de celulose; e que tinha prestado muita atenção às explicações dadas por Joesley na reunião que teve com o empresário.

O empresário relatou que, daquele dia em diante, o banco voltou, mesmo que lentamente, à análise do projeto da Eldorado.

O delator disse aos procuradores que o BNDES condicionou o emprestimo à fusão da Florestal com a Eldorado, do ramo de celulose – ambas empresa do grupo J&F. Afirmou também que as condições do financiamento foram difíceis e que a liberação do dinheiro demorou.

Por isso, declarou Joesley, no início de 2012, ligou para o então governador André Pucinelli, de Mato Grosso do Sul, pedindo ajuda junto ao BNDES, porque os 13 mil operários da fabrica de celulose estavam sem receber, representavam um grande risco de destruição e tumulto .

A liberação do empréstimo

O delator afirmou ainda que, dias após o ocorrido, o BNDES iniciou a liberação dos financiamentos. Segundo o relato de Joesley, a a fábrica de celulose da Eldorado Brasil S.A. foi inaugurada em 12 de dezembro de 2012.

Joesley diz que, por ter conseguido o financiamento, deu em torno de 4% de propina do contrato para Guido Mantega, como já relatado; 1% para os presidentes das Fundações (PETROS e FUNCEF) e 1% para João Vaccari.

Joesley não relatou os nomes dos presidentes dos fundos de pensão – os fundos eram sócios de uma das empresas da J&F. O delator diz que nunca tratou de propina ou de ilegalidades com funcionários ou com a área tecnica do BNDES.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

FPF confirma início do Paraibano 2017, mas liberação de estádios ainda é empecilho

amadeuO presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Amadeu Rodrigues, afirmou que o início do Campeonato Paraibano de 2017 já tem data confirmada. De acordo com o dirigente, a competição terá início já no dia 8 de janeiro, porém, alguns ajustes em relação a liberação de estádios ainda precisam ser feitos e o diálogo a esse respeito vem sendo estabelecido com o procurado Valberto Lira

De acordo com Amadeu Rodrigues, administrativamente está tudo pronto para dar início ao Paraibano, mas a FPF segue trabalhando em busca de obter a liberação dos estádios para a realização dos jogos. “Estamos trabalhando nisso há cerca de quatro meses. Estou conversando com o doutor Valberto para tentarmos, antes do final do ano, termos todos os estádios liberados, pois a previsão para o início do campeonato é para o dia 8 de janeiro”, relatou Amadeu.

O presidente da FPF declarou que os estádios precisam e melhorias e que, inclusive, algumas já vêm sendo feitas e o objetivo é fazer com que a liberação para a realização de jogos nesses estádios ocorra antes do início da competição. “Desejamos que antes do início do campeonato a gente consiga essa liberação, até para que o torcedor saiba onde serão os jogos do seu clube”, argumentou Amadeu. Ele acrescentou que ainda esta semana irá conversar com o procurador Valberto Lira e com secretários do estado e das prefeituras a respeito das obras de melhorias nos estádios.

PB Agora

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Cagepa só pode tirar 1% de água de Boqueirão e espera liberação da ANA

(Foto: Reprodução/ TV Paraíba/Arquivo)
(Foto: Reprodução/ TV Paraíba/Arquivo)

A Companhia de Águas e Esgotos do Estado da Paraíba (Cagepa) só tem autorização oficial para retirar mais 1% do volume de água do açude Epitácio Pessoa, conhecido como açude de Boqueirão, no Cariri paraibano. O limite foi estabelecido por uma resolução da Agência Nacional de Águas (ANA), publicada em 2015, e a Cagepa aguarda a publicação de uma nova resolução para poder continuar usando a água do manancial depois desse limite.

Sem chuvas para recarga e aguardando a conclusão da transposição das águas do Rio São Francisco, o açude Epitácio Pessoa, está com apenas 5,8% da capacidade total, de acordo com os dados divulgados pela Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa), nesta sexta-feira (11). O açude tem a capacidade total de 411.686.287 de metros cúbicos de água, mas está com apenas 24.056.574.

Com base na resolução 960 do ano de 2015, da ANA, o limite de retirada de água do açude seria até ele chegar ao nível de 4,8%, que representa 20 milhões de metros cúbicos de água. Ainda segundo a Ana, um estudo com base na retirada de água mensal da Cagepa e evaporação, aponta que o açude deve atingir esse nível no mês de dezembro.
Autorização verbal
Apesar disso, de acordo com o gerente regional da Cagepa, Ronaldo Menezes, a Ana já concedeu uma autorização verbal, informando que vai aumentar o limite e permitir que a Cagepa retire mais 10 milhões de metros cúbicos de água. Isso quer dizer que a Cagepa vai poder usar a água de Boqueirão até ele atingir 2,8%. Mas, essa autorização ainda não foi publicada pela ANA, até esta sexta-feira. A ANA informou ao G1 que a resolução 960/2015 continua sendo a vigente.

A autorização verbal foi feita durante uma reunião entre a Cagepa, ANA, Aesa e Ministério Público da Paraíba (MPPB), ocorrida no dia 30 de agosto deste ano. Ainda sobre essa nova resolução, Ronaldo Menezes disse que o estudo feito pela ANA indica que o açude deve atingir 2,4%, no me de abril de 2017. Os limites visam assegurar que água usada ainda pode ser própria para o consumo humano.

Boqueirão (Foto: Reprodução/ TV Paraíba)Água de Boqueirão está sendo captada por
bombas flutuantes  (Foto: Reprodução/ TV Paraíba)

“Oficialmente, atítulo de hoje, a Cagepa só pode tirar água até o açude atingir 4,8%. Mas, já é de nosso conhecimento que ANA vai aumentar essa oferta para permitir que se tire água até ele atingir 2,4%. A resolução ainda não foi publicada, mas isso deve ocorre até o mês de dezembro. Se a situação continuar crítica, quando o açude estiver perto de atingir os 2,4% a ANA deve fazer um novo estudo para avaliar se vai ser possível aumentar essa oferta novamente”, explicou Ronaldo Menezes.

Volume morto
Ainda por conta do baixo nível de água, a Companhia de Águas e Esgotos do Estado da Paraíba (Cagepa) está usando bombas flutuantes para captar a água, pois o sistema convencional, que funciona por meio de gravidade, perdeu a eficácia.

G1 PB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Estupro: moradores protestam em frente ao fórum de Guarabira, pedindo à liberação de acusado

(Foto: Andeson Santos/TVPortalMidia).
(Foto: Andeson Santos/TVPortalMidia).

Na manhã desta terça-feira (04), na cidade de Guarabira/PB, Rainha do Brejo Paraibano, um grupo de moradores dos bairros do Mutirão e Faixa da Pista, protestaram em frente ao Fórum da cidade. Os manifestantes pediam a libertação de Pedro do Mutirão, que está sendo acusado de ter estuprado uma garota de 5 anos no último final de semana na cidade.

Segundo Aluizio Batista de Lima, morador do bairro Mutirão e vizinho do acusado, Pedro é inocente e que estava apenas dando banho na garota no momento do mal entendido. De acordo com os manifestantes, Pedro teria recebido ameaças de morte dos apenados no presídio.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Confira o vídeo (Reportagem Andeson Santos/TVPortalMidia):

portalmidia

Vereadores de Bananeiras discutem liberação da água de Canafístula II

Vereador Douglas Bubú (PPS)
Vereador Douglas Bubú (PPS)

Na sessão desta terça-feira (28), na Câmara Municipal de Bananeiras, o vereador Douglas Bubú (PPS) apresentou alguns dados da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa) com relação ao reservatório de Canafístula II, que abastece as cidades de Bananeiras, Solânea e outras localidades da região do Curimataú.

De acordo com os números apresentados pelo vereador, a barragem Canafístula se encontra com 25,2% de sua capacidade. Douglas Bubú fez um levantamento de dados desse mês de julho em relação ao mesmo mês em anos anteriores. “No ano de 2012, por esta mesma época, a capacidade estava em 59.2%, em 2013 a capacidade da barragem, no mês de julho, estava em 30.7%, em 2014 estava com 10.4% e no dia de hoje ela se encontra com 25.2%”, relatou.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

O parlamentar também falou sobre a liberação do abastecimento para a população nesse período. “Cada vereador tem um posicionamento e eu respeito o posicionamento de cada um, já se fala muito na liberação da água pela Cagepa, mas o meu posicionamento é que esta água não fosse liberada agora”, frisou Douglas Bubú.

Vereador Kilson Dantas (PPS)

O vereador Kilson Dantas (PPS) também concordou com o parlamentar e acrescentou: “Mesmo estando com mais de 25% de sua capacidade, a barragem Canafístula no momento que for liberada para todos os municípios teremos logo logo um colapso, então, se estamos convivendo com esse momento difícil todos os municípios, por que não esperar que a adutora de Jandaia seja concluída para que desafogue a barragem de Canafístula, ficando esta apenas para Bananeiras e Solânea? E com o percentual que temos hoje, tenho certeza que poderíamos chegar tranquilamente a outros invernos sem necessitar de racionamento”, concluiu Kilson Dantas.

 

Bananeiras Online