Arquivo da tag: Lesões

Laudo confirma que criança socorrida com desnutrição e lesões foi torturada, na PB

O laudo finalizado pelo Núcleo de Medicina e Odontologia Legal (Numol) confirmou que o menino de 7 anos, vítima de maus tratos na cidade de Boqueirão, na Paraíba, foi torturado. De acordo com o chefe do Numol, Márcio Leandro, o prolongamento das agressões caracteriza a tortura.

A criança deu entrada no Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, em estado de desnutrição e com ferimentos no dia 10 de julho, à noite. De acordo com a Polícia Civil, a criança estaria sofrendo maus-tratos praticados pela mãe, em Boqueirão, Cariri da Paraíba. O padrasto da criança também está sendo investigado

Conforme o laudo do Numol, já entregue à Polícia Civil, existem lesões abertas e cicatrizadas, comprovando que a criança foi agredida por um longo período de tempo. Conforme explica Márcio Leandro, no momento do exame o menino estava muito debilitado, desnutrido e com um quadro de anemia profunda.

“Tinha lesões por todo corpo, nas costas e lesões nos glúteos, o que indica que ele passou bastante tempo imóvel, imobilizado, por estar acorrentado. As agressões foram tão prolongadas que se tornou tortura”, explica o chefe do Numol.

A criança deve passar por cirurgias plásticas após tratamento dos ferimentos no Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande. Segundo informações repassadas pela unidade de saúde, o menino tem um ferimento tão grave na cabeça que vai precisar passar por uma cirurgia plástica para reconstituir o tecido lesionado. O diretor-técnico do hospital Gilney Porto, explicou que é preciso primeiro esperar a cicatrização dos ferimentos.

De acordo com Márcio Leandro, uma reavaliação precisa ser feita na criança para que sejam identificados os graus das lesões que devem permanecer no menino. No entanto, isso só vai acontecer após a cirurgia.

O menino de 7 anos permanece internado no Hospital de Trauma de Campina Grande, com estado de saúde considerado estável. Ainda não há previsão de receber alta médica.

Suspeitos ouvidos

A mãe e o padrasto da criança foram ouvidos pelo delegado Iasley Almeida, responsável pelo caso, e após depoimento, foram liberados. De acordo com o delegado, não havia situação de flagrante e por isso os suspeitos foram liberados. A polícia segue colhendo provas materiais e testemunhais sobre o caso.

O Conselho Tutelar informou à polícia ter recebido denúncias de que havia uma criança em estado de desnutrição e com ferimentos, devido a maus-tratos praticados pela própria mãe, como queimaduras com vela e acorrentada pelos pés. O problema foi percebido por professores e pela diretora da escola onde a criança estuda, depois que o menino chegou muito magro e sem forças para se manter em pé.

Iasley Almeida explicou que os indícios apontam que a mãe do menino estava tentando matá-lo mediante tortura. “A criança que veio morar com a mãe nos últimos dois meses estava sendo acorrentada pelos pés, sofrendo queimaduras, agredida com fios. Mostrando que estava sendo torturada psicologicamente. Não sendo alimentada. Tudo isso nos mostra que a mãe tinha a intenção de matar a criança mediante tortura”, contou Iasley Almeida.

G1

 

Médicos investigam lesões oculares em recém-nascidos por causa da zika; PB é 2ª com mais casos

lesao-ocularPesquisadores em Pernambuco e São Paulo investigam a ocorrência de lesões na retina e no nervo óptico, que podem causar perda de visão, em bebês com microcefalia associada ao zika vírus.

Em texto divulgado na revista científica The Lancet na noite de quinta-feira, cientistas da Fundação Altino Ventura, do Hospital dos Olhos de Pernambuco (HOPE) e da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) descrevem uma associação entre a infecção de mulheres grávidas pelo vírus e a descoberta das lesões nos recém-nascidos.

Segundo dados do Ministério da Saúde, o Brasil tem 3.174 casos suspeitos da má-formação registrados até o dia 2 de janeiro, em 21 Estados.

Assim como outras viroses e infecções bacterianas – como a rubéola, a toxoplasmose e a sífilis –, o vírus da zika, quando contraído nos primeiros meses da gravidez, pode causar diversos tipos de lesões cerebrais no bebê, além da microcefalia.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Esta, no entanto, é a primeira vez em que lesões oculares associadas à zika são descritas em recém-nascidos, de acordo com o oftalmologista Rubens Belfort Junior, professor da Escola Paulista de Medicina, da Unifesp.

“Fazendo exames, vemos que o aspecto dessas lesões é diferente das que são causadas por outras infecções”, disse Belfort à BBC Brasil.

“Mas também estamos examinando as mães para ter certeza de que elas não tinham alguma deficiência visual que o bebê pudesse ter herdado.”

A ocorrência das lesões oculares é a primeira descoberta documentada após a realização de mutirões de exames em Recife e Salvador – duas das cidades com maior número de casos de microcefalia.

“Queremos produzir mais informações sobre a doença e orientar os pacientes. O impacto econômico e psicológico dessa epidemia é devastador.”

Foto: João Eudes de LimaImage copyrightJoao Eudes de Lima
Image captionPesquisadores dizem que exames oftamológicos podem ajudar a confirmar relação entre lesões cerebrais e infecção por zika

Ajuda no diagnóstico

O trabalho descreve os casos de três bebês com microcefalia examinados pela equipe.

Nos três foram encontrados problemas como o distúrbio pigmental da retina (parte do olho responsável pela formação de imagens) e diferentes graus de atrofia da retina, da coroide (estrutura que absorve a luz) e do nervo óptico, que, segundo Belfort, podem causar perda total ou diminuição da visão.

“Quando enviamos este texto para a revista, estávamos começando a examinar os pacientes. Agora, já temos cerca de 100 crianças e 100 mães examinadas em Pernambuco e na Bahia, com resultados semelhantes”, diz o pesquisador.

Para Belfort, os exames também podem revelar se o zika vírus estaria causando problemas visuais mesmo em bebês que não tiveram a microcefalia.

“Já temos algumas crianças que não tem microcefalia, mas têm lesões na retina e no sistema nervoso central. Isso tornaria o problema maior e mais grave”, afirma.

O caso brasileiro é o primeiro no mundo que associa o vírus à ocorrência de microcefalia em bebês. Por isso, casos como estes ainda não estão presentes na literatura científica sobre a doença e suas consequências.

Além disso, a dificuldade em diagnosticar a zika depois que a pessoa teve a doença torna difícil saber se todos os casos notificados de microcefalia estão realmente associados ao vírus. Por essa razão, os autores da pesquisa acreditam que o exame nos olhos dos bebês pode ajudar.

“Em todo o mundo, o diagnóstico da zika é quase sempre feito pela exclusão de outras doenças e pela associação dos sintomas. É como na época da descoberta de Aids, quando ainda não havia teste”, diz.

“Com o exame oftalmológico, podemos identificar as lesões nas crianças e saber se elas podem ter sido causadas por este vírus ou por outras razões.”

BBC Brasil

Paracetamol: Estudo mostra que o medicamento é um dos maiores causadores de lesões no fígado

paracetamolO paracetamol está presente na maioria dos lares brasileiros e europeus. É bastante usado em tentativas de suicídios, sendo um grande causador de lesões no fígado.

Tomar de uma só vez grandes quantidades de paracetamol pode lhe causar grandes lesões no fígado, algumas irreversíveis, necessitando de transplante. Em outros casos, tomar deliberadamente paracetamol pode resultar em uma hepatite fulminante, com conseqüências fatais.

Estudo publicado na British Journal of Clinical Pharmacology mostrou que dos 663 pacientes hospitalizados com graves lesões no fígado, ¾ eram provocados por ingestão incorreta de paracetamol. O quarto restante havia ingerido doses maiores do que a prescrita na receita médica.

Na França, estudo mostrou que cerca de 90% das falências hepáticas com necessidade urgente de transplante de fígado são causadas pelo uso incorreto do paracetamol. Ele é um medicamento vendido livremente no Brasil e bastante prescrito pelos médicos, o que pode revelar números alarmantes de problemas hepáticos no país se uma pesquisa como esta fosse realizada por aqui.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

A dose máxima de paracetamol recomendada nos países da Europa é de 4 gramas por dia. A partir de 6 gramas ingeridas o paciente pode sofrer graves lesões no fígado, embora já tenha sido encontrados pacientes com lesões hepáticas importantes consumindo a dose máxima recomendada.

Na França, o paracetamol é atualmente o medicamento mais vendido. Os médicos alertam que não existe necessidade de bani-lo do mercado mundial. Todo medicamento tem efeitos colaterais e trata-se de uma droga segura. O que deve existir é uma melhor vigilância, procurando orientar de forma mais incisiva os pacientes para respeitarem as doses recomendadas.

 

jornalciencia

Encontro entre ex e amante termina em agressões e lesões de faca-peixeira em Sousa

casos-de-policiaO Auxiliar de Serviço, Luiz Batista da Silva, 34 anos, residente no Jardim Brasília na Cidade de Sousa foi preso, acusado de agredir a sua ex-esposa, Francisca Josiane Gonçalves Ribeiro, 27 anos, com socos, e ainda quebrou a porta da sua residência.

A razão do problema que o casal se encontra separado há um mês. Luiz veio a sua residência, rever os Filhos, e encontrou um Homem no interior de sua moradia, o que despertou ciúmes.
Teria partido para agredir a ex mulher com socos, pontapé, e quebrou a porta principal da moradia.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Francisca Josiane Gonçalves Ribeiro para se defender, sacou uma faca-peixeira, e lesionou seu ex-companheiro na região do tórax.
A Polícia Militar foi acionada, esteve no local, e constatou a veracidade do caso, inclusive com testemunhas.
Durante diligências o Auxiliar de Serviço, Luiz Batista da Silva foi encontrado na Avenida Nelson Meira, pilotando uma Moto. Ao ser preso, foi constatada a lesão no tórax, proveniente da agressão da ex-mulher.
O caso foi encaminhado a Delegacia de Sousa para as medidas pertinentes ao caso. O fato aconteceu nesta sexta-feira (27) às 23h.

Folha do Sertão

Saiba como prevenir lesões no corpo e cuidar da saúde durante o carnaval

Foto: Gov/Ba
Foto: Gov/Ba

O carnaval está chegando, trazendo muita diversão e alegria, mas junto com ele aparecem também os riscos de lesões ao folião.

Além de todos os cuidados relacionados com alimentação balanceada, hidratação, uso de preservativo e bebidas alcoólicas é importante estar por dentro de algumas dicas para evitar lesões e traumas em músculos e articulações.

O mais indicado àqueles que gostam de curtir a festa, é que atividades físicas sejam realizadas no período que antecede o carnaval. As atividades aeróbicas como caminhar, nadar e pedalar são as mais indicadas porque melhora o condicionamento físico do indivíduo.

O alongamento prepara a musculatura que vai ser solicitada e, desta forma, o condicionamento físico e os alongamentos ajudam a prevenir as lesões comuns causadas por sobrecarga física nos dias da folia.

Para as pessoas que não puderam se preparar previamente, fazer somente os alongamentos antes de sair atrás do trio elétrico e após o término é muito importante, pois ajuda a evitar as dores musculares e inflamações nas regiões de maior sobrecarga como os pés,tornozelos, joelhos e coluna.

O uso de um calçado confortável e fechado, como tênis, é o recomendado. Além de proteger os pés de pisadas, possui um sistema de amortecimento que diminui a sobrecarga nas articulações.

Calçados, como sandálias altas, devem ser evitados, porque gera uma maior exposição à torção de tornozelo e joelho.

A coluna lombar também fica sobrecarregada com o uso do salto, já que o corpo precisa se adaptar à nova postura. Dores nos pés acabam sendo também mais frequentes.

Com pequenos cuidados e algumas orientações, a folia fica garantida e não precisa ser interrompida antes da quarta-feira de cinzas.

 

Tribuna da Bahia

Lesões nos joelhos são comuns naqueles que andam muito de bicicleta

A condropatia patelar é uma das lesões mais comuns naqueles que andam de bicicleta com frequência, segundo o cirurgião ortopedista especializado em trauma ortopédico e cirurgia de joelho Paulo Henrique Araujo. O problema é um desgaste da cartilagem da patela (ou rótula), osso que protege a parte anterior da articulação do joelho.

O ortopedista explica que, durante a pedalada, os joelhos realizam movimentos cíclicos de flexão e extensão (esticar e dobrar) que levam a patela a subir e descer em contato com uma região do fêmur onde ela se articula. “Quando o joelho fica dobrado além de 40 graus, seja pedalando ou em qualquer outra situação, a patela passa a fazer contato com uma região do fêmur chamada tróclea e isso pressiona a cartilagem que reveste essas duas estruturas. Quanto maior o grau de flexão do joelho, maior é a pressão que recai sobre a cartilagem dessas estruturas, o que pode levar à lesão”, explica.

Segundo o médico, isso ocorre, principalmente, quando o ciclista posiciona o selim da bicicleta numa altura muito baixa, fazendo com que os joelhos tenham graus altos de flexão, aumentando a carga (força de atrito) que passa na articulação patelo-femoral e desgastando a cartilagem desta região. Além disso, quando o ciclista realiza esforços maiores, como uma subida, a pressão que passa na articulação patelo-femoral aumenta ainda mais, contribuindo para o desgaste articular.

O tratamento para lesões no joelho requer avaliação adequada e individual. O médico afirma que é preciso considerar o equipamento utilizado pelo ciclista e também a técnica de pedalada. Quando uma inconformidade é detectada, ela deve ser corrigida. Problemas como altura do selim ou alinhamento dos joelhos em relação aos pés durante o movimento cíclico de pedalada são exemplos citados por ele como potenciais problemas na prática da atividade física. “Além disso, deve-se buscar o equilíbrio da musculatura da coxa e panturrilha com adequação da força e alongamentos musculares”, ressalta o profissional.

EVITANDO LESÕES – Uma bicicleta bem ajustada e adequada a altura e peso do ciclista vão contribuir para evitar grandes lesões. O ângulo de ataque do pedal também pode influenciar no desgaste sofrido pelo corpo do atleta ao andar de bicileta. Segundo o fisioterapeuta Joelson Araújo, especialista em adaptação de bikes a ciclistas, o ideal é que a pessoa peça orientação desde o momento da compra do equipamento.

“Você deve pedir orientação na própria loja onde vai comprar ou realizar a manutenção da bicicleta para encontrar alguma que mais se aproxime da sua anatomia. O ideal, porém, é realizar um bike fit (adaptação da bicicleta a anatomia do ciclista), pois cada corpo tem uma anatomia diferente e um ajuste personalizado proporcionará mais saúde e conforto durante o pedal”, afirma.

http://www2.uol.com.br/JC/_ne10/cotidiano/foto/kit_bike.jpg

ne10