Arquivo da tag: lanterna

CSP martela até o fim, vence Perilima e deixa a lanterna do Grupo B

Em jogo de um tempo melhor para cada time no Almeidão, o CSP soube aproveitou seu bom e venceu a Perilima por 1 a 0 na noite desta segunda-feira (03), na sequência da terceira rodada se do Campeonato Paraibano.

O Tigre martelou até os 44 minutos da segunda etapa, quando Matheus aproveitou cruzamento de Natalício e marcou o gol da vitória pessoense.

Mas o panorama inicial da peleja não foi tão favorável aos sim aos donos da casa.

Assim que a bola rolou, não demorou muito para a Perilima chegar com perigo. Aos 3 minutos, Dênis recebeu cruzamento na área e tocou para trás, e Lucas Silva chutou colocado, de direita.

A bola resvalou na defesa e passou muito perto do poste esquerdo do goleiro tricolor.

Dois minutos mais tarde, Igor Ruan recebeu lançamento e invadiu a área livre, mas Wallace saiu para abafar e evitou a abertura do placar.

Depois da pressão inicial da Águia de Campina, o time de jovens da capital se postou melhor em campo e tentava atacar, sempre em muita velocidade.

Porém, quando chegava próximo a área de Conrado, se afobava e chutava de qualquer maneira no gol, com pouca criatividade na organização das jogadas.

A primeira chegada boa do CSP foi aos 33 minutos. Matheus recebeu na direita, invadiu a área em velocidade e chutou cruzado, de pé direito. Conrado conseguiu interceptar e fazer a defesa, mas dois companheiros, que estavam livre no meio, ficaram na bronca com o camisa 10 do Tigre.

Perto do fim da primeira etapa, aos 45, Marcelinho Paraíba cobrou falta da direita, a zaga afastou.

O camisa 10 da Perilima pegou o rebote e tocou para o meio, onde Dênis bateu de primeira, de pé canhoto, e mandou a bola na trave esquerda da meta de Wallace.

Segundo tempo

A oportunidade mais clara veio logo após o intervalo. Aos 2, Matheus invadiu a área pela direita e bateu cruzado. Conrado fez a defesa e, na sobra, Fábio bateu de canhota.

A pelota atravessou toda a meta da Águia de Campina, mas acabou saindo pela linha de fundo.

Aos 10, mais uma chance incrível para a equipe do Tigre. Matheus bateu falta da direita e Mandaca foi de peixinho, como uma flecha, para testar a bola, que desviou na zaga e tirou tinta da meta de Conrado.

Com mais perna, o CSP era muito superior. Aos 15 minutos, Lucas Silva saiu mal, Mandaca recuperou na intermediária ofensiva e teve calma para esperar a passagem de Matheus, que entrou livre na área, frente a frente com Conrado, mas tirou demais a bola do arqueiro da Perilima, e a bola bateu na trave esquerda e foi pela linha de fundo.

Só dava Tigre. Com velocidade e mais calma, o tricolor era envolvente e, mais uma vez, por pouco não marca. Matheus recebeu na direita e tocou na cabeça de Bahia, que testou firme, mas Conrado, mais uma vez, fez boa defesa para evitar o primeiro gol do jogo.

Em uma saída errada da Perilima, Fernandes foi lançado em velocidade, invadiu a área e tocou no canto direito, na saída de Wallace, mas o camisa 1 fez ótima intervenção e espalmou a bola.

Quando o placar parecia que ia ficar zerado, aos 43, a história mudou. Natalício fez ótima jogada pela direita, passou em velocidade pela zaga e cruzou para o meio. A bola passou entre Negueba e Lucas Bahia e sobrou para Matheus, quase na linha do gol, só escorar para marcar o gol da primeira vitória do Tigre no Paraibano.

Com o triunfo, o CSP chegou aos 3 pontos e fica na quarta colocação do Grupo B. O próximo compromisso do Tigre é contra o Sport Lagoa Seca, no domingo (09), em Campina Grande. Já a Perilima segue na quarta colocação do Grupo A, com 3 pontos, e enfrenta, no Amigão, o São Paulo Crystal, no sábado (08).

Ficha técnica

CSP 1 x 0 Perilima

Campeonato Paraibano de 2020
3ª rodada
Estádio Almeidão (João Pessoa)

Arbitragem: Wagner Reway; Ruan Neres e Rafael Guedes.

Gols: Matheus (CSP)
Cartões amarelos: Darlan, Matheus (CSP)

CSP: Wallace, Vitor, Denis, Darlan (Felipe), Arthur; Gustavo, Mandaca, Fábio (Negueba), Natalício; Matheus e Bahia (Roberth). Técnico: Josivaldo Alves.

Perilima: Conrado, Birungueta, Lucas Bahia, Jairo, Dudu Paraíba; Negretti, Dênis (Igor Balotelli), Lucas Silva (Ezequias), Marcelinho Paraíba (Carlos); Fernandes e Igor Ruan. Técnico: Dinho Silva.

 

Foto: Paraibaonline

paraibaonline

 

 

Confronto do líder Fla contra lanterna Avaí pode mudar parte de cima da tabela

O torcedor brasileiro acompanha neste fim de semana dez partidas da 18ª rodada, a penúltima do primeiro turno.

Começando o giro de jogos pelo sábado, que vai ter rodada dupla logo de manhã. Querendo beliscar a liderança, o Corinthians tem compromisso em casa contra o Ceará. O Timão é o terceiro colocado, cinco pontos atrás do líder Flamengo. O Vozão vem de três derrotas consecutivas e está em 14º na tabela. No mesmo horário, o Vasco, 15º, tenta se afastar da parte de baixo da tabela em partida contra o Bahia, oitavo colocado.

Outras duas partidas rolam às cinco da tarde. No Mané Garrincha, em Brasília, o lanterna Avaí vai ter pela frente o líder Flamengo. O Mengão tem desfalques importantes para o duelo. Bruno Henrique está com a seleção brasileira em Miami, enquanto Berrío e Arrascaeta também estão cedidos às suas seleções. Já o zagueiro Rodrigo Caio está de fora por conta de suspensão. Enquanto isso, no Castelão, o Fortaleza, 12º colocado, recebe o Fluminense, em crise e afundado na zona de rebaixamento, em 18º lugar.

Às sete da noite, jogo pela parte mais alta da tabela. Finalista da Copa do Brasil, o Internacional, sexto colocado, faz um duelo contra o São Paulo, quarto na tabela. Fechando os jogos de sábado, o Goiás, 13º na tabela, pega o Palmeiras, no primeiro jogo após a demissão de Felipão. A partida marca a estreia de Mano Menezes no comando do Verdão, que está em quinto lugar. A bola rola às nove da noite, no Serra Dourada.

No domingo pela manhã, o Independência coloca frente a frente dois gigantes feridos. Eliminados no meio de semana na Copa do Brasil, Cruzeiro e Grêmio tentam se recuperar no Brasileirão. A situação da Raposa é mais delicada, já que está na beira da degola em 16º. Em situação um pouco melhor, o Tricolor Gaúcho se encontra na 11ª posição.

O segundo colocado Santos tem jogo às quatro da tarde contra o embalado Athletico Paranaense. O Peixe precisa da vitória para se manter na briga pela liderança, enquanto o Furacão está com cabeça na final da Copa do Brasil contra o Inter. No mesmo horário, o Botafogo enfrenta o Atlético Mineiro. Em décimo, o Fogão enfrenta problemas graves fora de campo com atraso de salários dos jogadores, que motivou declarações públicas de cobranças por parte do elenco. Do outro lado, o Galo quer quebrar a sequência de três derrotas seguidas e deixar a sétima posição para colar na parte mais alta da classificação.

Fechando a rodada, duelo de vida ou morte na zona do rebaixamento. O penúltimo colocado, CSA, recebe a Chape, 17º colocada. Apenas dois pontos separam as duas equipes na tabela.

 

agenciadoradio

 

 

São Paulo tropeça no lanterna e perde gordura na liderança

Poucos campeonatos entre as grandes ligas de futebol pelo mundo proporcionam um equilíbrio tão grande no embate entre líder e lanterna como o Brasileirão é capaz de fazer. O São Paulo foi a vítima da vez dessa situação peculiar. No estádio Durival de Britto, a famosa Vila Capanema, o Tricolor não saiu de um empate por 1 a 1 com o Paraná Clube. Para piorar o cenário dos paulistas, simultaneamente o Internacional encarou o Bahia em Salvador e conquistou a vitória por 1 a 0.

Com isso, a liderança segue absoluta, nas mãos do São Paulo. Mas, agora o Colorado vem logo atrás, com apenas um ponto a menos (42 a 41). O Flamengo enfrenta o Vitória nessa quinta, no Maracanã, e pode chegar a 40 pontos. O Paraná, por outro lado, segue na última posição depois de 20 rodadas, com 15 pontos somados.

Nenê comemora gol do São Paulo com os companheiros
Nenê comemora gol do São Paulo com os companheiros

Foto: Guilherme Artigas / Fotoarena / Estadão Conteúdo

Antes da boal rolar, o favoritismo são-paulino era inegável. Líder, melhor visitante e invicto há quatro jogos, os líderes ainda entraram em campo com força máxima, os 11 ideais de Diego Aguirre, que tanto gosta de rodar o elenco.

Para ajudar, o São Paulo ganhou um baita presente logo aos sete minutos. O zagueirão Cleber Reis adiantou demais a bola na intermediária defensiva e perdeu o controle da redonda para Nenê. Uma simples tabela com Diego Souza e bola na rede. Foi o oitavo gol do camisa 10 nesse Brasileirão, agora artilheiro da equipe tanto na temporada (12 gols) quanto no nacional.

Os torcedores locais, imediatamente, passaram a perseguir Cléber Reis. A entregada não passou impune, e o clima ficou todo favorável aos visitantes, que viam a pressão sobre o adversário e ainda contavam a vantagem no placar.

Inesperadamente e até de forma surpreendente, porém, o São Paulo, aos poucos, foi perdendo o controle do jogo. E no lance seguinte a um quase golaço de bicicleta de Diego Souza, os mandantes contaram com o imprevisto para deixar tudo igual. Júnior viu a bola se oferecer dentro da área depois de uma dividida estranha e não perdoou.

Na etapa final, o Paraná definitivamente passou a apostar apenas nos contra-ataques. O ímpeto foi vencido pela falta de capacidade, e o Tricolor do Morumbi, enfim, encurralou os lanternas.

Junior comemora o empate do Paraná
Junior comemora o empate do Paraná

Foto: Reinaldo Reginato / Fotoarena / Estadão Conteúdo

A pressão, no entanto, não surtiu efeito. O goleiro Richard pouco trabalhou, apesar da bola pipocar bastante dentro de sua área. Diego Aguirre ainda apostou em Liziero, Shaylon e Tréllez, mas, não teve jeito. O gol da vitória não veio e o empate teve um sabor um pouco mais satisfatório para os donos da casa.

Os dois times voltam a campo no fim de semana. O Paraná encara o Corinthians no sábado, às 19h, em Itaquera, enquanto o São Paulo recebe o Ceará no dia seguinte, às 11h, no estádio do Morumbi.

FICHA TÉCNICA

PARANÁ 1 x 1 SÃO PAULO

Local Estádio Durival Britto e Silva, em Curitiba (PR)

Data: 22 de Agosto de 2018, quarta-feira

Horário: 19h30 (de Brasília)

Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez (PE)

Assistentes: Clovis Amaral da Silva (PE) e Cleberson do Nascimento Leite (PE)

Cartões amarelos: Guilherme Biteco, Júnior, Rafael Grampola (PAR); Liziero (SP)

GOLS:

Paraná: Júnior, aos 36 minutos do 1T.

São Paulo: Nenê, aos 7 minutos do 1T.

PARANÁ: Richard; Júnior, René, Cleber Reis e Mansur; Leandro Vilela, Alex Santana e Caio Henrique; Guilherme Biteco (Rodolfo) (Jhonny Lucas), Silvinho e Rafael Grampola (Rafael Alemão)

Técnico: Claudinei Oliveira

SÃO PAULO: Sidão, Bruno Peres, Arboleda, Anderson Martins e Reinaldo; Hudson (Lizeiro), Jucilei e Nenê (Tréllez); Everton, Joao Rojas (Shaylon) e Diego Souza.

Técnico: Diego Aguirre

Gazeta Esportiva

Botafogo joga mal e perde para o lanterna América-MG sob chuva e com apagão

americaA chuva fez todo mundo escorregar e cair no Horto, mas o América-MG ainda conseguiu se dar bem com vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo. O único gol foi marcado por Jonas, que aproveitou cruzamento de Ernandes para balançar a rede. A partida na Arena Independência foi prejudicada pelas condições climáticas e pelo apagão que deixou o estádio e região no escuro por 13 minutos.

O resultado mantém o Alvinegro na nona posição da Série A do Campeonato Brasileiro com 38 pontos. O Coelho, por sua vez, ainda amarga a lanterna isolada, mas alcançou a marca dos 21 e agora se aproxima do Santa Cruz, penúltimo colocado com 23 e um jogo a menos.

O Botafogo terá um desafio importante no próximo sábado em embate contra o Corinthians, quinto colocado na tabela. A partida será disputada a partir das 16h30 (de Brasília) no Estádio Luso-Brasileiro. O América-MG visita o Coritiba na segunda-feira (03), no Couto Pereira.

Início sonolento pelo alto

O palco do confronto pode até ser conhecido como caldeirão, mas o calor passou longe do gramado no início do jogo. Mostrando limitação em seus setores de criação, as duas equipes apostaram muito em longos lançamentos pelo alto e viram os zagueiros afastarem o perigo repetidas vezes. Na melhor oportunidade do primeiro tempo, Neilton tentou jogada individual pela esquerda e finalizou fraco de fora da área, facilitando a defesa de Fernando Leal.

Caiu no Horto… Escorregou!

A chuva em Belo Horizonte não deu trégua ao primeiro tempo. A drenagem da Arena Independência fez o que pôde, mas a intensidade da água deixou o campo encharcado para duas equipes que já pareciam não ter interesse em colocar a bola no chão. O que se viu foi uma longa sequência de erros e escorregões, como as quedas de Emerson ao mandar um balão para o ataque e de Neilton ao tentar o domínio. Afastando a mesma jogada, Ernandes também foi à grama.

Apagou, mas melhorou

Se o ritmo de jogo já não era muito aceso desde o início, tudo piorou aos 29 minutos do primeiro tempo, quando houve queda de energia no estádio e nos bairros mais próximos ao Horto. O auxiliar Emerson Augusto de Carvalho chegou a admitir a possibilidade de remarcarem a partida para o domingo, mas os refletores voltaram a funcionar 13 minutos depois. Como os males que vêm para bem, a paralisação fez bem ao jogo: enquanto o América-MG chegou ao ataque com Matheusinho e Leandro Guerreiro, o Botafogo alega que a bola teria cruzado a linha do gol após cruzamento de Emerson aos 31. A torcida reclamou, mas a arbitragem negou o tento. A luz falhou mais uma vez aos 40, mas Luiz Flavio de Oliveira não voltou a parar o duelo.

Chapéu e casaco

O Botafogo não produzia com eficiência no ataque, mas Airton garantiu um lance de plasticidade aos 40 minutos do primeiro tempo. Tentando desafogar o jogo ainda muito restrito ao meio-campo, o volante aplicou um chapéu seguido de toque de trivela. Lance bonito, embora pouco produtivo.

Chamou a torcida

A frieza do jogo resultava em frieza nas cadeiras da Arena Independência. O problema foi levemente resolvido aos oito minutos do segundo tempo, quando o garoto Matheusinho, de 18 anos, aplicou um belo drible sobre o zagueiro Emerson Silva e, empolgado com a reação da torcida, arriscou um chute forte e exigiu intervenção de Joel Carli.

Placar poderia ter sido mais largo 

A redenção para o América-MG e para o próprio jogo veio aos 19 minutos do segundo tempo. Aproveitando bom cruzamento rasteiro de Ernandes no segundo pau, Jonas tocou com o pé direito para vencer Sidão e balançar a rede. O lance contou com falha defensiva de Neilton, que era o atleta do Botafogo mais perto do autor do gol. Curiosamente, o lateral do Coelho marcou três gols nos últimos quatro jogos: também ajudou o time contra Ponte Preta e Figueirense.

Ficou no quase

A arbitragem apontou quatro minutos de acréscimo na etapa final e renovou as esperanças do Botafogo, que disparou ao ataque como ainda não havia feito na partida. Em sequência de bolas rebatidas na área aos 47, Rodrigo Pimpão perdeu a chance de igualar o marcador após toque de Bruno Silva. Gervasio ainda cruzou para Canales, mas a marcação cortou. Nos segundos finais, o goleiro Sidão ainda tentou o cabeceio na área, mas não conseguiu o empate.

FICHA TÉCNICA
AMÉRICA-MG 1 X 0 BOTAFOGO

Data e hora: 24/09/2016, sábado, às 21h00 (de Brasília)
Local: Arena Independência, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (SP)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (ambos de SP)
Cartões amarelos: Juninho e Leandro Guerreiro (América-MG); Joel Carli, Bruno Silva e Airton (Botafogo)
Gol: Jonas, aos 19 minutos do segundo tempo (América-MG)

AMÉRICA-MG: Fernando Leal; Jonas, Éder Lima, Roger e Bruno Teles; Ernandes, Leandro Guerreiro, Juninho e Danilo Barcelos (Tony); Matheusinho e Nixon (Michael)
Técnico: Enderson Moreira

BOTAFOGO: Sidão; Emerson Santos, Joel Carli, Emerson Silva, Diogo Barbosa; Airton, Bruno Silva, Dudu Cearense (Rodrigo Pimpão) e Camilo (Leandrinho); Canales e Neilton (Gervasio Núñez)
Técnico: Jair Ventura

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Inter perde para o lanterna com gol de ombro e segue na zona da degola

americaA fase ruim não tem fim e parece piorar a cada dia. Nesta segunda-feira (19), o Internacional perdeu para o lanterna América-MG. Com um gol aos 45 minutos do segundo tempo, de Michael, o time gaúcho não só vive nova série sem vitórias (três rodadas) como continua na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

O desempenho durante todo o jogo, que fechou a 26ª rodada do Brasileirão, não foi bom. Melancólico, o Inter não conseguiu dominar o lanterna. E nos acréscimos, levou um gol surreal. Danilo Fernandes foi encoberto por um desvio de ombro após levantamento na área.

Para o América-MG, a vitória é histórica. O time de Enderson Moreira conseguiu o quarto triunfo no campeonato e chegou aos 18 pontos. O Inter segue com 27 pontos, em 18º lugar e a dois pontos do primeiro time fora da zona da degola.

Na próxima rodada, o América-MG recebe o Botafogo, sábado (24), às 21h (Brasília). Já o Internacional visita o Atlético-MG, domingo (25), às 18h30min.

Matheusinho sai do banco e chama atenção

Matheusinho começou como reserva e entrou ainda no primeiro tempo, no lugar de Osman. Com velocidade, drible e iniciativa, o camisa 10 roubou a cena em um jogo quase sonolento. Criou boas jogadas pelos flancos, arriscou finalizações de fora da área. Tentou e destoou do resto.

Paulão falha e quase entrega gol duas vezes

Zagueiro errou desarmes e saídas de jogo, mas por duas vezes quase colocou tudo em risco. No primeiro tempo, falhou no bote e viu Matheusinho ficar no mano a mano com Artur. Com um chute colocado que passou à direita do gol. Na etapa final, recuperou a bola na frente da área e errou passe. Que acabou no pé de Jonas e terminou com cruzamento que Nixon não aproveitou por milímetros.

Inter faz jogo pesado e não assusta

Um time mais pesado, voltado para marcação, e sem criatividade. Sem nenhuma construção coletiva. O Internacional não conseguiu pressionar o lanterna do campeonato durante todo o jogo e no final, sofreu. A penúria do ataque se resume com o fato: das três melhores chances, duas foram criadas pelos volantes Fabinho e Anselmo. Somente Eduardo Sasha, em rebote dentro da área, representou os atacantes nas tentativas minguadas de marcar.

América-MG toma conta e acerta travessão

O América-MG esperou o Internacional, confirmou a postura defensiva do visitante rapidamente e passou a dominar o jogo ainda no primeiro tempo. Domínio sendo vertical e não com posse de bola. Matheusinho e Ernandes foram as armas do time mineiro para criar mais chances de gol. Em um lance, faltou sorte: a bola explodiu no travessão. Em outro, faltou centímetros: Nixon se atirou e não conseguiu desviar por muito pouco.

Celso Roth fecha o time e só muda após 1h15

Com a meta de não levar gols, Celso Roth radicalizou e tirou Seijas e Nico López do time. Colocou Anselmo e Eduardo Sasha, sob argumento de maior poder de marcação. Mesmo sem conseguir dominar e criar, o treinador só foi mudar o time aos 30 minutos do segundo tempo. Quando Seijas entrou no lugar de Anselmo. Depois, foi a vez de Nico López entrar na vaga de Sasha. E mais tarde, veio a troca menos conservadora. Valdívia por Ceará, com William sendo deslocado para o meio-campo.

Enderson aposta em Osman. E depois em Matheusinho

O jogo do América-MG tinha um conceito mais elaborado e claro. Osman, aberto pelos flancos, era a válvula de escape. Só que o camisa 7, que levou os donos da casa à frente, precisou ser substituído ainda no primeiro tempo. Sem ele, Matheusinho entrou e ocupou o cargo. Virou peça vital para a proposta de atacar às costas dos laterais e ganhar terreno pelos lados.

Goleiro sente no aquecimento

O América-MG teve uma baixa em cima da hora. No aquecimento, o goleiro João Ricardo sentiu lesão no tornozelo e foi vetado pelos médicos. O reserva Fernando Leal acabou jogando. Ele voltou a atuar depois de quatro meses.

FICHA TÉCNICA
AMÉRICA-MG X INTERNACIONAL

Data: 19/09/2016 (segunda-feira)
Local: estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Rafael Traci (PR)
Auxiliares: Ivan Carlos Bohn e Luiz Santos Renesto (ambos do PR)
Cartões amarelos: Anselmo (INT)
Gol: Michael, aos 45 minutos do segundo tempo (AMG)

AMÉRICA-MG: Fernando Leal; Jonas, Éder Lima, Roger e Gilson (Bruno Telles); Leandro Guerreiro, Juninho, Danilo Barcelos (Michael) e Ernandes; Osman (Matheusinho) e Nixon
Técnico: Enderson Moreira

INTERNACIONAL: Danilo Fernandes; William, Paulão, Ernando e Artur; Anselmo (Seijas), Fabinho, Rodrigo Dourado, Valdívia (Ceará) e Eduardo Sasha (Nico López); Aylon
Técnico: Celso Roth

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Vasco tropeça diante do lanterna, mas segue na liderança isolada da Série B

 

vascoMesmo com o apoio da torcida capixaba, o Vasco não saiu de um empate em 1 a 1 com o lanterna Sampaio Corrêa, neste sábado, no estádio Kléber Andrade, em Cariacica, mas se manteve na liderança isolada da Série B.

A Série B estava paralisada em virtude da Rio 2016. Neste período, o clube chegou a dar uma espécie de mini férias de seis dias aos jogadores. Em seguida, um trabalho parecido com o de pré-temporada foi feito com os atletas que demonstraram estar bem fisicamente.

Na próxima quarta-feira, o Vasco encara o Santos pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil na Vila Belmiro (SP). A competição é uma das prioridades do clube na temporada.

O melhor – Nenê desfilando talento

O camisa 10 Nenê foi o grande destaque da partida e comandou o Vasco. Além do gol de pênalti, o jogador levantou a galera com passes de efeito de letra e calcanhar.

Artilharia

O gol de pênalti fez com que Nenê voltasse a artilharia junto com Gustavo, do Criciúma, ambos com 11.

Pendurado

Com o cartão amarelo recebido, Nenê está pendurado para a partida contra o Tupi, no próximo sábado, em Juiz de Fora (MG).

Chutes no rosto

O lateral direito Madson sofreu nesta tarde em Cariacica. Em duas oportunidades levou um chute involuntário no rosto. Um dos lances gerou o pênalti convertido por Nenê.

Lanterna

O Sampaio Corrêa vive uma situação delicadíssima na Série B. O time maranhense é lanterna de maneira isolada com apenas 13 pontos.
VASCO 1 X 1 SAMPAIO CORRÊA
Local:
Kléber Andrade, Cariacica (ES)
Hora: 16h30
Árbitro: Igor Junio Benevenuto (MG)
Auxiliares: Pablo Almeida da Costa (MG) e Celso Luiz da Silva (MG)
Renda e público:
Cartões amarelos: Nenê, Diguinho, Andrezinho (VAS); Luiz Otávio, Enercino, Heverton (SAM)
Cartões vermelhos: Nenhum
Gols: Nenê, aos 30 minutos do primeiro tempo (VAS); Heverton, aos 4 minutos do segundo tempo (SAM)

VASCO
Martín Silva, Madson (Evander), Jomar, Rafael Marques e Henrique; Diguinho, Andrezinho e Nenê; Eder Luis (Yago Pikachu), Jorge Henrique (Thalles) e Éderson
Técnico: Jorginho

SAMPAIO CORRÊA
Rodrigo Ramos; Éder Sciola, Wagner, Luiz Otávio e Renan Luís (Heverton); Diogo Orlando, Tássio, Rayllan e Enercino (Lucas Sotero); Elias e Pimentinha
Técnico: Flávio Araújo

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Santos perde para o lanterna América e continua atrás do Flamengo

campeonato-brasileiroCom o goleiro Vanderlei expulso aos 31 minutos do segundo tempo e sem Ricardo Oliveira, cortado na última hora por causa de uma virose, o Santos decepcionou e perdeu por 1 a 0 para o lanterna América-MG, neste domingo (7), no estádio Independência, pela 19ª rodada, a última do primeiro turno do Brasileiro. O gol do América-MG foi marcado pelo volante Juninho, aos 44 minutos da segunda etapa.

A equipe paulista desperdiçou a chance de voltar à liderança da competição ao permanecer com 33 pontos, um a menos do que o Flamengo. O Santos pode ser superado por Palmeiras, Corinthians, Grêmio e Atlético-MG, que ainda jogam nesta rodada. Já o América-MG agora está com 13 pontos, ainda na última colocação do Nacional.

Na próxima rodada, no domingo (14), o Santos recebe o Atlético-MG, adversário direto pelas primeiras posições do Brasileiro. Para este jogo na Vila, o clube não poderá contar com Vanderlei e o meia Lucas Lima, suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

Lima retornou hoje à equipe titular após se recuperar de uma lesão. Ele não jogava desde o dia 27 de julho, quando o time praiano enfrentou o Gama pela Copa do Brasil.

JUIZ EXPULSA VANDERLEI APÓS LANCE FORA DA ÁREA

Quem foi bem: João Ricardo, goleiro do América-MG

O Santos não exigiu tanto, mas quando o América precisou de seu goleiro, João Ricardo correspondeu. Na primeira etapa, Rodrigão e Vitor Bueno ficaram cara a cara com o atleta do time mineiro e, em ambas as chances, ele conseguiu evitar o gol santista.

Quem foi mal: Rodrigão, pouca mobilidade e gol perdido

Sem contar com Ricardo Oliveira, Dorival Júnior escalou Rodrigão como titular no ataque do Santos e o centroavante decepcionou. Sem mobilidade, ele pouco apareceu para o jogo e, quando apareceu, perdeu um gol cara a cara com João Ricardo. Foi substituído aos 23 minutos do segundo tempo por Joel.

Santos ligeiramente melhor no primeiro tempo

Mesmo com o retorno de Lucas Lima, que buscou o jogo durante a etapa inicial, o Santos teve dificuldades para superar a defesa do Atlético-MG. Os visitantes até tiveram certa liberdade pelo lado esquerdo do ataque, mas produziu pouco diante do lanterna do Campeonato Brasileiro.

A equipe paulista criou duas chances claras de gol no primeiro tempo. Aos 6 minutos, Rodrigão recebeu um belo passo de Copete, ficou cara a cara com João Ricardo, chutou cruzado e parou na defesa do goleiro.

João Ricardo apareceu novamente dois minutos depois. Vitor Bueno tentou encobri-lo, mas o goleiro do Atlético-MG saiu bem da meta e conseguiu abafar a finalização do santista.

Renato encanta com belo chapéu

Apesar dos 37 anos, o volante santista Renato continua exibindo classe e habilidade nos gramados.  Aos 19 minutos, o atleta aplicou um belo chapéu no atacante Michael e sal jogando com estilo.

Segundo tempo começa aberto e Vanderlei salva o Santos, mas é expulso

Na volta para a etapa final, os técnicos Enderson Moreira e Dorival Júnior não mexeram em suas equipes, mas a partida ficou mais aberta nos primeiros minutos.

Se no primeiro tempo, as melhores oportunidades foram santistas, no segundo foi o América-MG que tomou a iniciativa. Aos 4 minutos, Michael saiu na frente de Vanderlei, mas o goleiro da equipe paulista bloqueou a finalização e salvou o Santos.  No entanto, aos 31 minutos, o jogador foi expulso ao fazer uma falta em Victor Rangel.

O atacante recebeu um longo passe, tentou o drible sobre Vanderlei, que parou o lance com uma falta fora da área. Como era o último homem, foi advertido com o cartão vermelho direto pelo árbitro Pablo dos Santos Alves. Dorival colocou o goleiro Vladimir no lugar de Vitor Bueno.

Com um a menos, o Santos recuou e, aos 44 minutos, sofreu o gol do volante Juninho. O atleta recebeu um passe na altura da marca do pênalti, livre de marcação e chutou de esquerda para superar o goleiro Vladimir e dar a vitória aos mandantes.

FICHA TÉCNICA
América-MG 1 x 0 Santos
Data: domingo, 7 de agosto de 2016
Horário: 11h (de Brasília)
Local: Estádio Independência
Árbitro: Pablo dos Santos Alves
Assistentes: Luis Felipe Gonçalves e Oberto Santos da Silva (ambos do PB)
Gol: Juninho (América- MG), aos 44 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Gilson e Leandro Guerreiro (América-MG); Lucas Lima (Santos).
Cartão vermelho: Vanderlei (Santos).

América-MG: João Ricardo; Alison, Sueliton, Jonas e Gilson; Pablo, Leandro Guerreiro (Diego Lopes), Juninho e Matheusinho (Victor Rangel); Osman e Michael (Danilo).
Técnico: Enderson Moreira

Santos: Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique e Caju; Léo Citadini, Renato, Vitor Bueno (Vladimir), Lucas Lima (Jean Mora); Copete e Rodrigão (Joel).
Técnico: Dorival Jr.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Palmeiras volta a tropeçar e cai diante do lanterna Coritiba

jogoO jejum de vitórias do Palmeiras no Couto Pereira, que já dura quase 20 anos (desde 1997), continua. Nesta quarta-feira, o time paulista voltou a tropeçar e foi derrotado pelo Coritiba por 2 a 1, pela 18ª rodada do Brasileirão. Com dois gols, Henrique foi o principal destaque do jogo.

A derrota coloca mais uma pedra no caminho de volta do Palmeiras ao G4. Com o resultado, o clube paulista fica estacionado nos 28 pontos, e vê a briga no topo da tabela ficar mais distante.

Um excelente resultado para o Coritiba, mas ainda insuficiente para tirar o time paranaense do calvário. Com  15 pontos, o Coxa deixou a lanterna, mas continua na zona do rebaixamento, na 18ª colocação.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

CORITIBA X PALMEIRAS

Data/Horário: 12 de agosto de 2014, às 19h30
Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba (PR)
Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez (RJ)
Assistentes: Dibert Pedrosa Moises e Luiz Cláudio Regazone (ambos do RJ)
Cartões amarelos: Negueba, Rafael Marques (Coritiba), Egídio (Palmeiras)

CORITIBA: Wilson; Ivan, Rafael Marques, Leandro Silva e Juan; João Paulo, Misael (Evandro) e Lucio Flávio; Thiago Galhardo (Esquerdinha), Rafhael Lucas (Negueba) e Henrique
Técnico: Ney Franco

PALMEIRAS: Fernando Prass; Nathan (Lucas Taylor), Leandro Almeida, Vitor Hugo e Egídio; Arouca e Robinho; Rafael Marques, Cleiton Xavier (Cristaldo) e Dudu; Alecsandro (Gabriel Jesus).
Técnico: Marcelo Oliveira

Uol

Campinense decepciona e perde para o lanterna do grupo na Série D do Brasileirão

Série-DCom uma exibição convincente, o Baraúnas, enfim, conquistou a primeira vitória na Série D do Campeonato Brasileiro. O Leão do Oeste bateu o Campinense por 3 a 0 na tarde deste domingo e mantém a esperança de brigar por uma vaga para a segunda fase. O jogo foi realizado no Estádio Nogueirão, em Mossoró, com a presença de apenas 410 torcedores. A derrota atrapalha os planos da Raposa, que queria encostar no líder Jacuipense e acabou saindo da zona de classificação.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A partida começou com atraso devido à falta de ambulância. O árbitro cearense Francisco de Assis Almeida Filho esperou cerca de 30 minutos para poder iniciar o jogo. Com o resultado, o Baraúnas chegou aos cinco pontos, na quarta posição do Grupo 3 – o lanterna da agora é o Coruripe, com três. Já o Campinense caiu para o terceiro lugar, com seis pontos. Com esta mesma pontuação, mas com melhor saldo de gols, o Central, que empatou fora de casa com o Coruripe neste domingo, assumiu a segunda colocação.

O jogo

Os donos da casa abriram o placar aos 26 minutos. Luiz Henrique foi derrubado por Gustavo na área e o pênalti foi marcado. Adhan cobrou bem, sem chances para Rodrigão. Ainda no primeiro tempo, aos 35 minutos, Paulo Geovane recebeu boa bola na esquerda e chutou forte para ampliar.

 

O Baru fechou a goleada aos 13 minutos da segunda etapa. Binha fez jogada individual e serviu Anderson Sobral, que, livre, só tocou para as redes. O Campinense teve a chance de diminuir aos 24 minutos, em cobrança de pênalti, mas o goleiro Érico defendeu o chute de Bismarck.

globoesporte

Fla marca primeiro gol fora de casa, mantém Coxa na lanterna e sai do Z-4

O Flamengo espantou de vez o fantasma de Curitiba. Na cidade onde amarga série de derrotas e goleadas em sua história, o Rubro-Negro se recuperou no Campeonato Brasileiro e deixou a zona de rebaixamento depois de três meses e sete rodadas seguidas. Na tarde deste domingo, o time de Vanderlei Luxemburgo venceu pelo segundo ano seguido no Couto Pereira e bateu o Coritiba por 1 a 0 – até 2013, eram 15 anos sem ganhar no estádio. O gol de Everton também foi o primeiro da equipe fora do Rio de Janeiro e fez os cariocas chegarem a 16 pontos, saltando provisoriamente para a 13ª posição da tabela. Já o Coxa segue sem vencer dentro de casa – o único triunfo como mandante foi no Durival Britto – e, com 12 pontos, continua amargando a lanterna da competição.

Foi longe de ser um duelo bom tecnicamente, mas foi como Luxa previu. Um time recuado, mesmo quando teve um jogador a mais, e jogando por uma bola. Teve o mérito de se defender bem, mas favorecido pelo baixo poder de fogo do Coritiba. A equipe de Celso Roth paga pelo péssimo aproveitamento no seu estádio, onde no Brasileiro acumula três empates e três derrotas, aproveitamento de apenas 16,6% que explica as vaias da torcida.

Everton Flamengo gol coritiba brasileirão (Foto: Agência Getty Images)Jogadores comemoram o primeiro gol do Flamengo fora de casa no Brasileiro (Foto: Getty Images)

Enquanto aguardam a definição de seus adversários nas oitavas de final da Copa do Brasil – o sorteio na CBF será realizado nesta segunda-feira, e os dois podem até se enfrentar, já que estão em potes diferentes -, Coritiba e Flamengo voltam a campo já na próxima quarta. o Coxa joga de novo para melhorar seu aproveitamento no Couto Pereira contra o Vitória, às 21h (de Brasília). Já o Rubro-Negro recebe o Atlético-MG, às 22h, no Maracanã.

Everton encontra a bola do jogo

A proposta era jogar na retranca, mas nos primeiros minutos se abriu uma exceção. O Fla tentou surpreender na postura e teve em Everton seu principal nome. O rápido meia-atacante foi quem mais deu trabalho a Luccas Claro e Leandro Almeida. Perdeu uma chance sozinho na área de cabeça, mas a bola do jogo ele achou pouco depois, aos 16 minutos de jogo. Aproveitou bobeada de Baraka, roubou a bola, invadiu a área e bateu de direita, a perna que não é a boa, na saída de Vanderlei. Na comemoração, o jogador que defendeu o rival Atlético-PR no ano passado ainda provocou a torcida do Coritiba.

Mas depois do gol, foi um recuo excessivo do Rubro-Negro. Com Recife e Márcio Araújo na proteção, Canteros jogava mais avançado e teve boa participação no primeiro tempo. Mas aos poucos o futebol dos cariocas foi sumindo… Sorte que o do Coxa nunca apareceu. O time de Celso Roth não conseguiu transformar o domínio territorial em pressão. Zé Love e Geraldo erravam demais, e a melhor chance caiu nos pés de um zagueiro. Livre na área, Leandro Almeida teria todo o tempo do mundo, mas escolheu bater de primeira, para fora.

O Fla abdicou totalmente do ataque na etapa final e ficou 30 minutos sem finalizar. Nem mesmo a expulsão de Robinho pelo segundo cartão amarelo fez o time sair de trás. O Coxa sentiu muito a ausência de seu craque Alex, machucado, e abusou das bolas aéreas: foram 23 chuveirinhos e só quatro cabeçadas. Por fim, quem mais assustou Paulo Victor foi Marcelo. O zagueiro rubro-negro quase marcou gol contra duas vezes ao cortar cruzamentos na área. Mas os ares de Coritiba agora sopram a favor dos cariocas.

 

Globoesporte.com