Arquivo da tag: jovens

Pesquisa: 83,6% dos jovens são sedentários

Sempre conectados e de olhos vidrados nas telas, sejam de celulares, tabletes, computadores ou televisão. Esta é uma realidade na vida de milhares de adolescentes. Consequentemente, a falta de exercícios resulta numa realidade em que os jovens não se movimentam tanto quanto deveriam, é o que aponta uma pesquisa divulgada na revista The Lancet. No Brasil, segundo os dados, 83,6% dos jovens são sedentários e limitar tempo de uso de eletrônicos pode ser caminho para reverter essa realidade.

O estudo mostra que 80% dos jovens, entre 11 e 17 anos, em todo mundo não praticam a atividade física mínima diária para estarem saudáveis, ocasionando, consequentemente, uma vida sedentária. A médica do Hospital do Hapvida em João Pessoa, Ivna Soares Toscano, afirma que é possível combater o sedentarismo na adolescência e, até mesmo, antes dessa fase. “A melhor forma de combater o sedentarismo é estimulando a prática de atividade física desde a infância e adolescência, incluindo esse hábito na rotina da criança”, assegura.

Em relação ao Brasil, a pesquisa apontou que 83,6% dos jovens são sedentários. A médica explica que apesar dos índices serem altos, impor limite é um caminho para solucionar esta realidade. “Limitar o tempo de uso de tela diária, incentivar a prática de outras atividades como esportes, jogos que não sejam digitais, estimular o convívio com outros jovens dentro dessas atividades e criar uma rede de apoio a esse jovem para que ele desperte interesse por outras atividades que não somente o uso de telas são algumas alternativas para mudar os altos índices de sedentarismo em nosso país”, afirma.

Apesar da tecnologia proporcionar uma variedade de entretenimento como jogos, aplicativos, vídeos, que chamam a atenção do jovem para a tela e não para a atividade física, Ivna Soares Toscano lembra que o uso excessivo provoca outros males que vão além do sedentarismo.

“Prejudicam o aprendizado, podem gerar transtornos emocionais como ansiedade, isolamento, síndrome do pensamento acelerado, distúrbios do sono, obesidade, transtornos compulsivos e alimentares, déficit de crescimento e dificuldades nos relacionamentos”, elenca.

Mais dados – A pesquisa foi desenvolvida por quatro cientistas que analisaram a evolução em 15 anos (2001 a 2016) de 1,6 milhão de jovens estudantes em 146 países, apresentando as seguintes conclusões: no período total da pesquisa houve pouco avanço, as meninas se exercitam menos e o sedentarismo está presente tanto em países ricos como pobres. O país onde os jovens são mais sedentários é a Coréia do Sul (94,2%) e o que possui menos jovens sedentários é Bangladesh (66,1%).

MaisPB

 

 

MPPB recorre de decisão que inocentou Arquidiocese por caso de pedofilia com mais de 20 jovens

O Ministério Público recorreu da decisão da 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), que, no mês de abril, inocentou a Arquidiocese da Paraíba em uma ação por danos morais coletivos por conta do envolvimento sexual de um padre com adolescentes na cidade de Jacaraú, Litoral do Estado. O procurador Herbert Douglas Targino ingressou com um recurso especial junto à Presidência do TJPB, para que o caso seja reexaminado.

A decisão da 1ª Câmara Cível inocentou a Arquidiocese por 3 votos a 2. Caso o recurso não seja aceito, o Ministério Público deverá recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). “Não recebendo, o Ministério Público agrava para o STJ”, comentou Targino.

Na decisão da 1ª Câmara Cível os desembargadores observam que a existência de Tratado Internacional celebrado entre o Brasil e o Vaticano, no qual consta que o sacerdote não é empregado da Igreja, afasta o vínculo de responsabilidade objetiva da instituição pelos atos supostamente praticados pelos sacerdotes. Eles salientam também que “a conduta de um sacerdote de manter relações libidinosas com adolescente maiores de 14 e menores de 18 anos, não constitui tipicidade, logo inexistindo reprovação penal”.

Denúncia

De acordo com a denúncia, o padre Adriano José da Silva, já falecido, teria abusado de pelo menos 20 jovens. As acusações vieram à tona em 2013, quando o religioso chegou a pedir afastamento das funções. O padre morreu em 2017.

A ação movida pelo MP pede a aplicação de multa de R$ 300 mil contra a instituição religiosa, por causa de denúncias contra o padre.

G1

 

Jovem de Bananeiras representa a cidade no quarto módulo dos jovens líderes do RN

O jovem Ícaro Cássio esteve, durante esse final de semana, participando do quarto módulo jovens líderes no Rio Grande do Norte. Ícaro representou a cidade de Bananeiras após receber convite do deputado Estadual riograndense Allysson Bezerra (SOLIDARIEDADE).

Para Ícaro participar de um encontro como esse fortalece a juventude para vida pública e traz novas experiências para sua vida pessoal. “Fico muito feliz em poder participar de um encontro como esse, levando é claro o nome da nossa querida Bananeiras. Foi uma experiência fantástica e transformadora, acredito que para uma política transformadora momentos como esse para mim e todos os jovens que almejam a vida pública são fundamentais”, comentou Ícaro.

O QUE É JOVENS LÍDERES

PROCURA-SE JOVENS LÍDERES PARA MUDAR O RN. 

  1. POR QUE JOVENS LÍDERES. 

Neste momento de maior turbulência política neste século no Brasil, quais são as referências para os jovens que irão compor a próxima geração de políticos e que irá conduzir os destinos do nosso estado e do nosso país?

  1. O QUE É.

É para ocupar este espaço que o Partido Solidariedade do Rio Grande do Norte e a Fundação 1º de Maio, criou o Projeto Jovens Líderes RN. O projeto consiste numa série de ações coordenadas que vão preparar jovens lideranças políticas do estado para assumirem, de forma correta e sem amarras a grupos tradicionais da política local, o protagonismo na política do Rio Grande do Norte nos próximos anos. Pessoas que nos representem de verdade. 

  1. NÃO É POLÍTICA TRADICIONAL. 

Não estamos falando aqui dos herdeiros dos políticos tradicionais do nosso país, mas dos milhares de jovens que, apesar de terem a vocação e o desejo, não conseguem enxergar a porta de entrada para fazer política boa no Brasil. Pessoas com ideias novas para a política. 

  1. A AÇÃO INICIAL. 

A ação inicial do projeto é a Escola para Jovens Líderes. Turmas de jovens são preparadas para construir projetos políticos visando candidaturas, recebendo conteúdo para que possam ter sucesso político, eleitoral e administrativo em suas campanhas e, principalmente, em seus futuros mandatos. Nesta segunda fase da escola, que se inicia em 2019, vamos preparar candidatos a vereador, prefeito e vice-prefeitos de 2020. Líderes que vão transformar o RN. 

  1. A ESCOLA. 

A ideia da Escola para jovens líderes tem como objetivo preparar uma nova geração de políticos para o estado, através de cursos em diversas áreas: gestão pública, comunicação e marketing, ética na política, cases de sucesso eleitoral, história, entre outras. Só muda se todos participarem. 

  1. QUEM PODE PARTICIPAR. 

Jovens de todas as idades que queiram iniciar a preparação política da forma correta que queiram contribuir para a mudança da mentalidade política do Rio Grande do Norte, visando às gerações futuras. Em momentos difíceis como o atual é que se muda a história.

  1. COMO VAI FUNCIONAR. 

Esses jovens são reunidos, mensalmente, em seminários para discutir os mais diversos temas relacionados à construção de uma estratégia político/eleitoral e receber orientações sobre como se monta uma carreira política. Quantas pessoas são necessárias pra realizar as verdadeiras mudanças?

  1. O DIFERENCIAL. 

A Escola para Jovens Líderes NÃO irá se basear nas estratégias tradicionais de fazer política, disputar eleições ou administrar a coisa pública. Os alunos irão desenvolver técnicas de comunicação e de formação política para vencerem eleições com baixo custo e alto nível de preparação programática. Tudo pode começar com você. 

  1. COMO SE INSCREVER

Preencha o formulário de inscrição aqui neste site. Aguarde o contato de nossa equipe para os próximos passos.

 

Redação FN

 

 

Arquidiocese é inocentada por caso de pedofilia contra mais de 20 jovens

Uma publicação no Diário da Justiça da próxima segunda-feira (1º), feita pela 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba, inocenta a Arquidiocese da Paraíba de uma ação por danos morais pelo crime de pedofilia cometido por um padre do município de Jacaraú, no Litoral Norte do estado. As denúncias começaram a ser feitas em 2013.

No acórdão, divulgado neste sábado (29), a decisão diz que o crime não tinha ligação com a vida sacerdotal do padre. “O comportamento do protagonista revela uma faceta da vida privada, sem nenhuma vinculação com uso de recursos ou meios da vida sacerdotal da liturgia ou sacramento da religiosidade. O fato dos encontros libidinosos ocorrer na casa paroquial retrata o exercício da intimidade do lar e da sua privacidade, cujo direito lhe é assegurado pela Constituição Federal para dispor dessa garantia da intimidade pessoal”.

O padre paraibano Adriano José, encontrado morto em Pernambuco no ano de 2015, é denunciado como autor de orgias com menores, dentro de uma casa paroquial. Ele teria abusado de mais de 20 jovens na cidade de Jacaraú, onde era pároco.

 

portalcorreio

 

 

Tião Gomes apresenta Voto de Aplauso a grupo de jovens que produzem filmes com celulares em Areia

O deputado estadual Tião Gomes (Avante) apresentou nesta sexta-feira (10) um requerimento de Voto de Aplausos na Assembleia Legislativa da Paraíba, ao projeto de produção de cinema feito por crianças e jovens, e tem possibilitado a integração de estudantes e moradores com a sétima arte, no distrito de Mata Limpa, em Areia, no Brejo da Paraíba. Com o objetivo de gerar conhecimento cultural e incentivar futuros comunicadores, o projeto surgiu em agosto de 2017 e hoje cerca de 80 estudantes participam da iniciativa que produz cinema com celular.

“É um projeto que vem mudando a rotina daquela comunidade de forma positiva, envolvendo alunos, professores e moradores em ações que visam incentivar a arte no município de Areia e merece realmente todo nosso reconhecimento. Parabéns aos idealizadores, moradores, estudantes participantes e demais envolvidos nesse grande projeto”, disse o parlamentar.

O projeto, que acontece na Escola Abel Barbosa da Silva tem a participação de Crianças de 4 anos até jovens de 18 anos, além dos moradores da região que participam da produção de curtas-metragens por meio de celulares.

Isadora Roseno, de 4 anos, ganhou como melhor atriz na II Mostra de Cinema de Mata Limpa, em Areia, na PB — Foto: Thiago Rodrigues/Arquivo Pessoal

Uma das produções dos alunos do projeto, o curta-metragem “Mais que a Chuva”, foi premiada com menção honrosa no Festival Comunicurtas UEPB, da Universidade Estadual da Paraíba, em Campina Grande. Além disso, esse filme já chegou a ser exibido em um festival de cinema em Paris, na França.

O idealizador do projeto, o professor Thiago Rodrigues, destacou que dos 80 alunos que participam da iniciativa, 50 deles trabalham produzindo e 30 trabalham indiretamente no dia da Mostra de Cinema de Mata Limpa, que acontece todo mês de dezembro para premiar os filmes produzidos.

Ainda segundo o idealizador do projeto, uma das produções dos alunos será exibida em um festival de cinema em Minas Gerais, neste mês de maio.

A Mostra de Cinema de Mata Limpa acontece em praça pública. Os alunos desenvolvem curtas-metragens de até 15 minutos, que são exibidos para toda a comunidade. O evento conta com atrações artísticas e feirinha gastronômica, além da distribuição de pipoca para as crianças e os moradores.

Na II Mostra de Cinema, realizada pelas crianças e jovens em dezembro de 2018, o prêmio de melhor atriz foi para Isadora Roseno, de 4 anos, que atuou na produção “Zé”, curta que ganhou como melhor filme e outras categorias da Mostra.

Já o pequeno Natan Silva, de 8 anos, ganhou como melhor ator no curta-metragem Jaca.

Veja o filme Zé

portaldolitoralpb

 

Crianças e jovens ‘fazem cinema’ com celulares em distrito de Areia, no Brejo da Paraíba

Um projeto de produção de cinema feito por crianças e jovens tem possibilitado a integração de estudantes e moradores com a sétima arte, no distrito de Mata Limpa, em Areia, no Brejo da Paraíba. Com o objetivo de gerar conhecimento cultural e incentivar futuros comunicadores, o projeto surgiu em agosto de 2017 e hoje cerca de 80 estudantes participam da iniciativa.

Segundo o idealizador do projeto, o professor Thiago Rodrigues, dos 80 alunos que participam da iniciativa, 50 deles trabalham produzindo e 30 trabalham indiretamente no dia da Mostra de Cinema de Mata Limpa, que acontece todo mês de dezembro para premiar os filmes produzidos.

O projeto, que acontece na Escola Abel Barbosa da Silva, visa a comunicação entre estudantes e comunidade. Crianças de 4 anos até jovens de 18 anos, além dos moradores da região, participam da produção de curtas-metragens por meio de celulares.

“Além das produções de curtas-metragens, no projeto os alunos fazem roteiros, edição de fotos e vídeos, participam diretamente em produções maiores e adquirem conhecimento local e humano, e ainda organizam a Mostra de Cinema”, conta o professor Thiago Rodrigues.

Na II Mostra de Cinema, realizada pelas crianças e jovens em dezembro de 2018, o prêmio de melhor atriz foi para Isadora Roseno, de 4 anos, que atuou na produção “Zé”, curta que ganhou como melhor filme e outras categorias da Mostra.

“Pra mim essa foi uma das produções mais interessantes, porque envolveu muita gente da comunidade, como o vigia da escola e várias mulheres da comunidade”, diz o professor Thiago.

Isadora Roseno, de 4 anos, ganhou como melhor atriz na II Mostra de Cinema de Mata Limpa, em Areia, na PB — Foto: Thiago Rodrigues/Arquivo Pessoal

Isadora Roseno, de 4 anos, ganhou como melhor atriz na II Mostra de Cinema de Mata Limpa, em Areia, na PB — Foto: Thiago Rodrigues/Arquivo Pessoal

Outro estudante que participa do projeto, Natan Silva, de 8 anos, ganhou como melhor ator pelo personagem protagonista que fez no curta-metragem “Jaca”, que também levou o prêmio como melhor filme e melhor direção pelo júri popular, curta dirigido por outra criança, Artur Neves, de 11 anos.

“Gostei muito de fazer cinema com meus amigos e me diverti muito nas gravações”, diz o estudante Natan Silva, de 8 anos.

A Mostra de Cinema de Mata Limpa acontece em praça pública. Os alunos desenvolvem curtas-metragens de até 15 minutos, que são exibidos para toda a comunidade. O evento conta com atrações artísticas e feirinha gastronômica, além da distribuição de pipoca para as crianças e os moradores.

Todos os vídeos exibidos na Mostra são produzidos por celulares. “Muitos celulares são emprestados pela própria comunidade e alunos que possuem aparelhos ajudam os outros no processo de gravação”, explica Thiago Rodrigues.

Natan Silva, de 8 anos, ganhou como melhor ator no curta-metragem Jaca, exibido na II Mostra de Cinema de Mata Limpa — Foto: Thiago Rodrigues/Arquivo Pessoal

Natan Silva, de 8 anos, ganhou como melhor ator no curta-metragem Jaca, exibido na II Mostra de Cinema de Mata Limpa — Foto: Thiago Rodrigues/Arquivo Pessoal

“A Mostra de Cinema é importante para mostrar o potencial dos alunos e do povo de Mata Limpa”, afirma Natan.

De acordo com o professor Thiago, as produções geralmente são feitas na própria comunidade, casas de vizinhos, rua e outros locais abertos. As crianças envolvidas são alunos da Escola Abel Barbosa da Silva, mas estudantes de outras escolas também participam do projeto, além de familiares desses alunos que moram no distrito.

“Além da participação dos alunos diretamente nas produções, a comunidade atua como parte mais importante também, não só colaborando com as crianças, mas com tudo, na limpeza e organização da praça no dia do evento e durante todo o ano ajudando como pode”, salienta o professor.

Filmes feito pelas crianças e jovens são exibidos durante Mostra de Cinema de Mata Lima, na praça pública do distro em Areia, na PB — Foto: Thiago Rodrigues/Arquivo Pessoal

Filmes feito pelas crianças e jovens são exibidos durante Mostra de Cinema de Mata Lima, na praça pública do distro em Areia, na PB — Foto: Thiago Rodrigues/Arquivo Pessoal

Curtas exibidos e premiados em festivais

O professor conta que uma das produções dos alunos do projeto, o curta-metragem “Mais que a Chuva”, foi premiada com menção honrosa no Festival Comunicurtas UEPB, da Universidade Estadual da Paraíba, em Campina Grande. “Além disso, esse filme já chegou a ser exibido em um festival de cinema na França”, destaca.

Ainda segundo o idealizador do projeto, uma das produções dos alunos será exibida em um festival de cinema em Minas Gerais, em maio deste ano.

Professor idealizador do projeto

O projeto de cinema feito por crianças, jovens e comunidade de Mata Limpa foi uma iniciativa do professor Thiago Rodrigues. Natural de São Paulo, o arte educador está no município de Areia há quase dois anos. Ele explica que chegou à cidade após um convite da Prefeitura para desenvolver projetos culturais voltados para a comunidade.

“Foi exatamente no distrito de Mata Limpa, aqui em Areia, no Brejo paraibano, que me encontrei. Vi nas crianças e jovens daqui uma grande vontade de aprender e crescer como pessoas dentro do seu ambiente. Além disso, tive a parceria incrível dos amigos e diretores de fotografia Thiago Trajano e Júnior Alves, que me permitiu atingir um número maior de alunos, afinal ninguém faz nada sozinho”, conclui o professor Thiago.

Professor Thiago Rodrigues durante produção de curta com moradores de Mata Limpa, em Areia, na PB — Foto: Thiago Rodrigues/Arquivo Pessoal

Professor Thiago Rodrigues durante produção de curta com moradores de Mata Limpa, em Areia, na PB — Foto: Thiago Rodrigues/Arquivo Pessoal

*Sob supervisão de Krys Carneiro

G1

 

Levantamento revela que nos últimos 20 anos 3.144 jovens foram mortos com ferimento por arma de fogo, na Paraíba

Levantamento feito pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), que analisou dados de 1997 a 2016, apontando mais de 145 mil mortes do tipo, no Brasil, mostrou que nos últimos 20 anos 3.144 crianças ou adolescentes foram mortos com ferimento por arma de fogo, na Paraíba.

As regiões Sudeste e Nordeste registraram dois terços do total de mortes no País. Entre os estados nordestinos, a Paraíba ocupa a sexta colocação no total de mortes. O estudo trata de ferimentos por arma de foto acidentais e intencionais, com vítimas de zero a 19 anos de idade.

A posição atual da PB nesse ano, foi a 17ª colocado, com 227 casos. Um dos últimos casos registrados na Paraíba, em 2016, aconteceu no dia 15 de dezembro, no bairro de Mangabeira, em João Pessoa, vitimando um adolescente de 13 anos. De acordo com a polícia, o garoto estaria envolvido com o tráfico de droga na região, onde existem muitas bocas de fumo e o crime foi motivado por vingança de rivais.

O levantamento da SBP levou em consideração os dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde.

 

 

pbagora

 

 

Jovens roubam carro em Remígio, fazem assalto em Alagoa Grande, mas são detidos pela polícia

Dois jovens, um de 18 anos de idade e outro de 17 anos, foram detidos por policiais da 2ª Companhia do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar) durante a madrugada deste domingo (6), em Alagoa Grande. Os dois residem na cidade de Remígio, onde são acusados de, no final da tarde de sábado (5), roubar um Fiat Strada placa OFF 5796-PB e utilizar o veículo para roubar um aparelho de telefone celular em Alagoa Grande.

Logo após tomarem conhecimento da ocorrência, os policiais das guarnições das cidades de Alagoa Grande, Alagoinha e do subcomandante da 2ª Companhia, tenente Eslley, deram início à perseguição aos dois e, na fuga, eles perderam o controle do veículo e saíram da estrada, fugindo em seguida pelo matagal.

Depois de quase duas horas de diligências, os policiais receberam informações de que dois jovens com as mesmas características dos suspeitos tinham sido vistos na zona rural de Alagoa Grande, subindo a pé a serra que dá acesso à cidade de Areia.

Os dois foram localizados pelos policiais militares. O maior foi preso, o menor, apreendido e a arma utilizada por eles foi encontrada ao amanhecer. Os envolvidos foram conduzidos à Delegacia de Polícia Civil.

 

Assessoria 4º BPM

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Um em cada quatro jovens vai abandonar o ensino médio até o final do ano

A cada ano, quase três milhões de jovens abandonam a escola no Brasil. É o que apontou o estudo Políticas Públicas para Redução do Abandono e Evasão Escolar de Jovens, elaborado pelo Ensino Superior em Negócios, Direito e Engenharia (Insper) e divulgado hoje (17).

Ao final deste ano, um em cada quatro jovens entre 15 e 17 anos de idade vão abandonar seus estudos, não vão se matricular para o ano seguinte ou serão reprovados. Isso corresponde a um universo de 2,8 milhões de pessoas (27%), entre os 10 milhões de jovens estimados no país nessa faixa etária e que deveriam, de acordo com a Constituição, estar frequentando a escola.

Desse total de 10 milhões de jovens, cerca de 15% ou 1,5 milhão, sequer vão se matricular para o início do ano letivo. Do restante, entre aqueles que se matriculam, cerca de 7% ou 700 mil jovens vão abandonar a escola antes do final do ano. Além disso, cerca de 600 mil alunos (5%) serão reprovados por faltas, o que completa os 2,8 milhões de jovens que estarão fora da escola a cada ano.

Segundo o estudo, mais da metade desses jovens (59% do total ou cerca de 6,1 milhões) vai concluir o Ensino Médio com no máximo um ano de atraso. Além de todos os problemas que isso provocará para o futuro desse jovem e para o país, a evasão (ausência de matrícula no início do ano letivo) e o abandono escolar (desistência durante o ano escolar) dos jovens também implica em prejuízo econômico: cerca de R$ 35 bilhões por ano são desperdiçados no país por causa dessa realidade.

O estudo mostra ainda que houve uma estagnação na matrícula dos jovens entre 15 e 16 anos e que a porcentagem de jovens de 17 anos fora da escola cresceu 6 pontos percentuais nos últimos 15 anos, passando de 34% para 39,8%. Isso, segundo o estudo, contradiz uma tendência mundial: dados da Unesco apontam que 74% dos países avançam mais rapidamente na inclusão de jovens de 15 a 17 anos que o Brasil.

Os dados revelam que mais da metade das nações tem menor porcentagem de jovens fora da escola que o Brasil. Se manter este ritmo, o país levará 200 anos para atingir a meta estabelecida no Plano Nacional de Educação: universalizar o atendimento escolar para essa faixa etária – que, pelo plano, deveria ter sido concluída no ano passado.Ensino médioDentre outras alternativas, o estudo propõe a criação de cursos profissionalizantes, um sistema de aconselhamento e práticas esportivas e artísticas Arquivo/Agência Brasil

Solução para o desengajamento

As principais razões para o chamado “desengajamento dos jovens”, segundo o estudo, estão associadas à pobreza e à dificuldade de acesso, tais como a falta de escolas na comunidade onde o jovem vive ou a falta de recursos para o transporte até a escola. Há também questões relacionadas à inadequação do currículo adotado, do clima escolar e da baixa qualidade dos serviços oferecidos pela escola.

Para reverter o quadro, o estudo propõe a criação de políticas públicas para diminuir o desengajamento como a garantia de acesso principalmente para aqueles que vivem em áreas rurais ou que têm alguma deficiência ou para jovens que cumprem pena privados de liberdade.

O estudo também propõe a criação de cursos profissionalizantes, um sistema de aconselhamento, práticas esportivas e artísticas, aumento das atividades à distância e flexibilização dos horários das aulas e do modelo de avaliação para ajudar a reduzir a evasão escolar.

O estudo Políticas Públicas para Redução do Abandono e Evasão Escolar de Jovens é organizado pela Fundação Brava, pelo Instituto Unibanco e pelo Instituto Ayrton Senna e está disponível no site Galeria de Estudos e Avaliação de Políticas Públicas, o Gesta.

Agência Brasil

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Carreira de professor desperta cada vez menos o interesse de jovens

Valorização do professor deve começar na educação básica, diz o MEC Elza Fiuza/Arquivo/Agência Brasi

A falta de reconhecimento e de condições de trabalho tem atraído cada vez menos alunos para uma profissão que já esteve entre as mais valorizadas no país: a de professor. O Dia do Professor é hoje, mas há motivo para comemorar?

A cada 100 jovens que ingressam nos cursos de pedagogia e licenciatura no país, apenas 51 concluem o curso. Entre os que chegam ao final do curso, só 27 manifestam interesse em seguir carreira no magistério. As informações foram levantadas pelo movimento Todos Pela Educação, com base em dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

“Temos um apagão de professores, principalmente pela desvalorização. A gente já atrai pouco e, dos que vão para a formação inicial, poucos permanecem na carreira. E não se consegue ter uma área de atuação que consiga atrair os melhores alunos do ensino médio”, diz a presidente executiva do Todos Pela Educação, Priscila Cruz.

Na opinião de Priscila, entre as políticas de atratividade necessárias para aumentar o interesse na profissão está a melhoria dos salários. Segundo Priscila, atualmente o professor ganha metade do que os profissionais de outras áreas com ensino superior completo. “Realmente fica difícil atrair os melhores alunos do ensino médio para a carreira se a gente não conseguir fazer com que o salário melhore”, acrescenta.

Priscila destaca que é preciso melhorar também as condições de trabalho do professor. A proximidade dos jovens com a profissão faz com que eles vejam de perto a realidade dos professores, que nem sempre é atrativa. “O fato de o jovem verificar no seu dia a dia que os professores não são valorizados, e muitas vezes são atacados pelos próprios jovens, pelas famílias, pela sociedade, pelo governo, isso faz com que o jovem desista da profissão”, lamenta Priscila.

Para o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Heleno Araújo, a falta de políticas que valorizem os profissionais da educação desmotiva os profissionais. Segundo Heleno, existe atualmente um processo de disputa muito grande com outras profissões, que oferecem melhor remuneração.

“Até os profissionais de pedagogia estão fugindo dessa profissão, porque os salários são diferentes, e vão fazer o seu trabalho em outros espaços, que têm uma valorização maior”.

Ele ressalta que, apesar de alguns avanços nos últimos anos no processo de valorização dos profissionais da educação, como a lei do piso nacional do magistério, ainda há dificuldades, como o descumprimento, em alguns estados e municípios, da legislação que define o mínimo a ser pago a profissionais em início de carreira, além do achatamento da carreira de professor.  “Há estados que pagam o piso para o professor do nível médio e o mesmo valor para nível superior”, diz Heleno Araújo.

De acordo com a CNTE, em 2004 o salário dos professores no país representava cerca de 60% da média salarial de outras profissões – atualmente é 52% da média. “Este é o movimento inverso do Plano Nacional de Educação, que diz que, até 2020, o salário médio dos professores deve ser equiparado ao salário médio de outras profissões”, afirma.

Plano nacional

O Ministério da Educação (MEC) deve lançar nos próximos dias uma política nacional de formação de professores, já articulada à Base Nacional Comum Curricular, que vai focar na valorização dos profissionais. Segundo o MEC, está em estudo a ampliação das oportunidades das licenciaturas para a nova geração de docentes da educação básica e também para os que já estão em sala de aula.

Para o MEC, a valorização do professor é fundamental para a educação. “Existe a clareza de que o professor tem um papel central no desenvolvimento educacional de nossos estudantes e de que, para exercer essa profissão, ele precisa ser valorizado em todas as suas dimensões”, diz o ministério, em nota.

Agência Brasil

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br