Arquivo da tag: Jesus

Jesus, Nicodemos e a indesmentível eternidade da Vida

Do terceiro volume das Sagradas Diretrizes Espirituais da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo (1991), apresento resumo do marcante colóquio entre Jesus e Nicodemos:

João Evangelista relata, no capítulo terceiro de seus registros evangélicos, o fato de que, certa feita, na calada da noite, Nicodemos foi visitar o Sublime Professor à procura de conhecimento espiritual. E se estabeleceu um dos mais famosos diálogos da História, pois o fariseu, um dos maiores de Israel, reconheceu em Jesus autoridade, ao dizer-Lhe: “Rabi, sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus; porque ninguém pode realizar estes sinais que Tu fazes, se Deus não estiver com ele”. (João, 3:2)

E as lições do Cristo subiram a tal patamar, que Nicodemos, deslumbrado, Lhe perguntou: “Como podem suceder estas coisas?” (João, 3:9)

Ao que Jesus acudiu: “Tu és mestre em Israel e não compreendeis estas coisas? Em verdade, em verdade te digo que nós afirmamos o que sabemos e testificamos o que temos visto; contudo, não aceitais o nosso testemunho. Se, tratando de coisas terrenas, não me acreditais, como crereis, se vos falar das celestiais?” (João, 3:10 a 12)

Infelizmente, algumas religiões têm falhado na preparação dos seus fiéis para as surpresas que os aguardam ao retornarem para o Plano Espiritual. Sim, como dizia Zarur, e é importante repetir: “Não há morte em nenhum ponto do Universo”.

É necessário bradar às consciências que a Vida continua, que o Mundo Espiritual não é uma abstração nem um dormitório. À beira do terceiro milênio (o livro citado foi lançado em 1991), o ser humano precisa realmente aprender que “Deus não nos criou para nos matar”, conforme ensinava o ilustre proclamador da Religião Divina, Alziro Zarur (1914-1979).

E a ignorância das coisas que interessam ao Espírito, a parte eterna de todo ser vivente, incrédulo ou não, atrapalha enormemente o seu progresso espiritual.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

 

 

Derrotando os vícios — Quanto mais perto de Jesus, mais longe dos problemas!

É desde cedo que se aprende como é ingrato o destino que as drogas e o álcool apresentam às criaturas. Não arruína apenas a vida do usuário, mas a de toda a família. A ilusória sensação de bem-estar e de euforia fica tragicamente evidenciada pela progressiva degradação da Alma e do corpo dos dependentes.

As lamentáveis consequências do consumo dessas substâncias saltam aos olhos de todos. Basta ver quantas vítimas no trânsito, a infelicidade no seio das famílias, os altíssimos custos acarretados ao sistema de saúde… Apenas para citar o álcool, segundo o Ministério da Saúde, estima-se um número de dependentes entre 10% e 15% da população mundial.

Pari passu com as políticas públicas e os cuidados médicos aos usuários em sua luta contra a dependência química, não se pode deixar de lado a devida valorização da família. É nela que se encontra a solução de muitos problemas que hoje afligem a humanidade.

Nas passeatas e panfletagens, em conferências, no rádio, na TV e na internet, orientamos pais, responsáveis sobre a indispensável atenção que se deve ter com o cotidiano dos jovens, suas amizades, dúvidas, ambientes que frequentam… Além disso, ressaltamos que é essencial a presença da Espiritualidade Ecumênica no diálogo em família.

As iniciativas que têm por finalidade tratar humanamente dos que caíram nas armadilhas do vício ou preveni-lo merecem todo apoio e incentivo. Lutar contra o que faz mal às pessoas é também legítimo auxílio. A Caridade não é cativa da restritíssima acepção a que alguns a querem condenar. Consiste na mais elevada política. Ilumina o Espírito do cidadão. Ela inflama a coragem da gente. Por que perder a esperança? A primeira vítima do desespero é o desesperado.

Respeito à Vida

Os problemas têm solução quando os seres humanos realmente se dispõem a resolvê-los. É uma questão de respeito ao divino privilégio de existir. Por isso, aqui se encaixa como uma luva este pensamento de Henry Ford (1863-1947), que, certa vez, definiu a Boa Vontade como a maior força da Vida: “Os tempos de riqueza não nascem por acaso. Surgem como resultado de muito esforço e pertinácia”.

Eis uma consciência imprescindível em qualquer frente de trabalho. Esse mesmo empenho devemos empregar no combate às drogas que infelicitam tantas famílias e na devida reabilitação dos seus usuários. O crack, o álcool, o tabaco — só para citar alguns vícios — são, portanto, lamentáveis armagedons a ser superados.

Blindar a Alma

O ilustre Espírito dr. Adolfo Bezerra de Menezes Cavalcanti (1831-1900), que foi prefeito da cidade do Rio de Janeiro no tempo do Império, numa mensagem por intermédio do sensitivo Chico Periotto, deu ênfase ao nosso tema. Peço-lhes a atenção para suas sábias palavras: “Não deixem vícios humanos atingirem seus Espíritos nem suas famílias, principalmente esses vícios que são fartamente divulgados nas mídias. Desde um simples cigarro, aparentemente inofensivo, às drogas, às bebidas alcoólicas. Blindem, blindem suas Almas. O corpo, o vaso físico que todos receberam na encarnação presente, é instrumento de Deus emprestado.

Jesus, o Pastor Zeloso, não abandona ninguém

Jesus, o Pastor Zeloso, cuida das ovelhas com a Sua própria vida e as educa com o Conhecimento além do conhecimento para toda a Eternidade. Na Parábola da Ovelha Perdida, constante do Seu Santo Evangelho, segundo Lucas, 15:4 a 7, o Divino Mestre ratifica Sua inestimável dedicação aos Filhos do Pai Excelso:

“4 Qual, dentre vós, é o homem que, tendo cem ovelhas e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove e vai em busca da que se perdeu, até encontrá-la?

“5 Achando-a, põe-na sobre os ombros, cheio de júbilo.

“6 E, indo para casa, reúne os amigos e vizinhos, dizendo-lhes: Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida.

“7 Digo-vos Eu que, assim, haverá maior júbilo no Céu por um pecador que se arrepende do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento”.

Não se deve desistir das pessoas que se ama, mesmo as que, por um motivo ou outro, se deixe de amar ou que nunca se amou. Na verdade, não se deve jamais desamparar a criatura humana, porque, no fundo, formamos a Imensa Família de Deus. Aprendamos com Jesus, que é o Grande Amigo que não abandona amigo no meio do caminho. Portanto, vai buscar a ovelha perdida onde quer que se encontre.

Perto de Jesus, longe dos problemas

Digo sempre aos jovens na LBV: quanto mais perto de Jesus, mais longe dos problemas!

No Evangelho do Cristo Ecumênico, o Divino Estadista, encontramos excelentes diretrizes do comportamento ideal para a vivência em sociedade, tendo o bom senso como guia de todas as horas.

 

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

 

Paiva Netto: Jesus e Seu Pai

No segundo domingo de agosto, celebramos o Dia dos Pais. Que alegria! Como são importantes esses benfeitores em nossas existências!

Considero oportuno apresentar-lhes trechos de uma página digna da admiração de todos. Seu autor, o Espírito Emmanuel, foi buscar no Evangelho do Cristo um excelente modelo para nós. Por intermédio do mundialmente famoso médium Chico Xavier (1910-2002), ele exalta a relevância que teve o bem-aventurado pai de Jesus na Terra.

José da Galileia foi um homem tão profundamente espiritual que seu vulto sublime escapa às análises limitadas de quem não pode prescindir do material humano para um serviço de definições.

“Já pensaste no cristianismo sem ele?

“Quando se fala excessivamente em falência das criaturas, recordemos que houve tempo em que Maria e o Cristo foram confiados pelas Forças Divinas a um homem.

“Entretanto, embora honrado pela solicitação de um anjo, nunca se vangloriou de dádiva tão alta.

“Não obstante contemplar a sedução que Jesus exercia sobre os doutores, nunca abandonou a sua carpintaria.

“O mundo não tem outras notícias de suas atividades senão aquelas de atender às ordenações humanas, cumprindo um édito de César e as que no-lo mostram no templo e no lar, entre a adoração e o trabalho.

“Sem qualquer situação de evidência, deu a Jesus tudo quanto podia dar.

“A ele deve o cristianismo a porta da primeira hora, mas José passou no mundo dentro do divino silêncio de Deus”.

Pilares da família

Se observarmos à nossa volta, não será difícil identificar numerosos dedicados pais, cuja discrição em cumprir seus nobres deveres nos faz lembrar o exemplo de José da Galileia.

A maioria deles, provavelmente, não terá seus nomes catalogados pela História; contudo, o resultado de seus esforços educativos se prolongará nas virtudes que souberem desenvolver nos filhos ou nos bons frutos de nobilitantes obras realizadas. Nas árvores genealógicas em que estão inseridos e com a qual decididamente colaboram, poderão ser reconhecidos como seus grandes pilares.

Por vezes silenciosos, mas atuantes, ao lado de suas companheiras, nossas generosas mães, promovem a sustentabilidade da luminosa instituição da Família. No seio delas, quando sob a proteção de Deus, a paz mundial encontra campo fértil de semeadura e germinação.

Aproveito para saudar também meu querido pai, Bruno Simões de Paiva (1911-2000). Quanto aprendi com ele! Recentemente comentava com alguns auxiliares que foi ele quem me instruiu sobre a expressão latina “Fiat Lux”, extraída do livro Gênesis, de Moisés, 1:3 e 4: “E disse Deus: ‘Faça-se a Luz!’ E houve Luz. E viu Deus que era boa a Luz; e fez a separação entre a Luz e as trevas”. De seus bondosos ensinamentos, sempre junto do amor de minha mãe, Idalina Cecília de Paiva (1913-1994), muita claridade se fez em meu aprendizado juvenil.

Aos pais que me honram hoje com sua leitura, as homenagens de todos nós da LBV.

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

paivanetto@lbv.org.br — www.boavontade.com

 

Paiva Netto: O Sol da Caridade, Jesus

Diante da imensidão dos Universos de Deus, os ideais de vaidade e de domínio humanos não possuem futuro.

Ao serem atravessadas as águas do “rio da morte”, desfazem-se as quimeras de uma Ciência quando sem entranhas, bem como os terrores de crenças quando carregadas de preconceitos e intolerâncias, além de todo espírito de concorrência desalmada e do conceito bélico, que separam as pátrias. Isso até que o Sol da Caridade, que é Jesus, espante as trevas da ignorância insolente e, abrindo a visão espiritual dos seres humanos, faça-os inferir que apenas o exercício das Divinas Leis da Fraternidade Ecumênica e da Solidariedade Social trará Paz à Terra. Nesse tempo, o ensino sublime do Evangelho-Apocalipse do Mestre Amado terá finalmente acalmado os corações, que encontrarão no Regaço de Deus o descanso para os seus Espíritos desorientados. É a época tão almejada por todos os missionários do Bem, momento em que a humanidade terá entendido que de nada adianta ilustrar a mente, se o coração for esquecido e que é delírio completo desejar o progresso da sociedade, se os princípios da confiança e do respeito forem avis rara nas relações interpessoais.

Admoesta o Professor Celeste: “De que adianta ao homem conquistar o mundo inteiro e perder a sua Alma?”

 (Boa Nova de Jesus, consoante Marcos, 8:36).

Fundamental e sábia reflexão do Rabi da Galileia, uma vez que não ansiamos percorrer caminhos equivocados, que inevitavelmente resultarão em retrocesso, em virtude de nossa indiferença ao conhecimento do Espírito — que não está jungido à religião ou à irreligião de quem quer que seja. Daí ser o lema da Legião da Boa Vontade (LBV), há tanto proclamado, promover Desenvolvimento Social, Solidário e Sustentável, Educação e Cultura, Arte e Esporte, com Espiritualidade Ecumênica, para que haja Consciência Socioambiental, Alimentação, Segurança, Saúde e Trabalho para todos, no despertar do Cidadão Planetário.

E aqui reforço a expressão Espiritualidade Ecumênica, porquanto esta é o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno.

Ora, que as mais elevadas aspirações, que carregamos em nosso íntimo esclarecido, possam expandir os horizontes do pensamento e consigam com espírito de iniciativa e com criatividade enfrentar os graves desafios mundiais de nosso tempo, traduzindo-se em resultados efetivos que beneficiem toda a humanidade, que, unida, insiste em sobreviver às mais borrascosas situações.

 

José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

                                                                                                                                                            paivanetto@lbv.org.br —www.boavontade.com

 

 

O início da Era Jesus no Flamengo: português chega para assinar e encontrar torcida no Fla-Flu

Está dado o pontapé inicial para a história de Jorge Jesus no futebol brasileiro. O treinador do Flamengo desembarcou no início da manhã deste sábado no Rio de Janeiro para as primeiras atividades oficiais no novo emprego: acompanhar do estádio as partidas contra Fluminense e CSA.

O português chegou ao Brasil acompanhado de um auxiliar e do advogado Luís Miguel Henriques, e aproveitará a estadia para assinar o contrato de um ano com o Rubro-Negro. O retorno a Portugal está previsto para quinta-feira. Cercado por um batalhão de repórteres, o técnico foi perguntado logo de cara qual a principal motivação para vir ao Brasil e assinar com o Flamengo.

– Motivação passa essencialmente porque tenho consciência de que vim para um país que adora futebol, um dos maiores clubes do Brasil, se não o maior, que é o Flamengo. Durante minha infância ouvi falar muito do Flamengo. É isso que me atrai e por isso que tomei esta decisão.

Alguns torcedores, entre eles o folclórico Anjinho, deram boas-vindas a Jorge Jesus no aeroporto. Uma comitiva do Flamengo, com a presença de Marcos Braz representando a diretoria, também esteve no local para recepcioná-lo. O técnico recebeu uma camisa do Rubro-Negro com seu nome e o número 01 nas costas.

View image on Twitter

Cahê Mota@cahemota

Marcos Braz recebe Jorge Jesus no aeroporto. É a primeira vez que o treinador exibe a camisa do Flamengo. Foto do Twitter oficial do clube

A estreia no banco de reservas, porém, ficará para depois da Copa América, dia 10, pelas quartas de final da Copa do Brasil. O adversário será definido em sorteio, segunda-feira, na CBF. Segundo o treinador, as exigências que encontrará no Rio de Janeiro serão as mesmas que tinha quando comandou equipes em Portugal.

– Treinar o Benfica e o Sporting é o mesmo (que treinar o Flamengo). Nessa comparação, é igual. E as exigências são iguais: ganhar, ganhar e ganhar.

Jorge Jesus resolverá questões burocráticas pela manhã de seu vínculo com o Flamengo e visitará as instalações do Ninho do Urubu na parte da tarde. Português não terá interferência no trabalho de Marcelo Salles para o clássico com o Fluminense. Elenco treina pela manhã.

Jorge Jesus na chegada ao Rio de Janeiro e o batalhão de repórteres à espera — Foto: Marcelo Cortes/Flamengo

Jorge Jesus na chegada ao Rio de Janeiro e o batalhão de repórteres à espera — Foto: Marcelo Cortes/Flamengo

O primeiro contato do português com o torcedor rubro-negro será domingo, às 19h (de Brasília), no Fla-Flu no Maracanã, pela oitava rodada do Brasileirão. O treinador será a principal atração fora de campo, uma vez que Rafinha, convidado pela diretoria para acompanhar o clássico, dará prioridade à família nestes primeiros dias de férias e só chegará ao Rio no fim do mês.

Jorge Jesus, que trabalhará com outros sete profissionais em sua comissão técnica particular, inicia as atividades de campo no dia 20, no Ninho do Urubu. Entre o duelo com o CSA, dia 12, em Brasília, e esta data o elenco ganhará folga na primeira semana de pausa do Brasileirão para Copa América.

Globo Esporte

 

 

 

Dom Aldemiro ao abrir a Semana Santa: “traímos Jesus como Judas quando buscamos nossas paixões”

Na manhã deste domingo (14), o bispo diocesano de Guarabira, Dom Aldemiro Sena, presidiu a Santa Missa do Domingo de Ramos, abrindo solenemente a Semana Santa na Catedral Nossa Senhora da Luz e, por conseguinte, em toda a Diocese. Neste dia é recordada a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém em meio a uma multidão que o aclamou como o Messias.

Em sua homilia, o bispo, lembrou três frases da Paixão, suficientes para inspirar-nos hoje.

Primeira palavra: “Desejei ardentemente comer convosco esta Páscoa antes de sofrer”. Esta frase do Senhor, saída do seu coração, é dirigida também a nós; é um convite a celebrarmos sua Páscoa, participando na liturgia desta semana Santa e na vida da todo dia, de suas dores para também participarmos de sua vitória, de sua Ressurreição. Comer com Cristo a santa Páscoa é nos dispor a participar de sua sorte, de seu caminho rumo à cruz e à ressurreição. Nunca esqueçamos: “ele esvaziou-se de si mesmo… fazendo-se obediente até a morte e morte de cruz. Por isso Deus o exaltou acima de tudo”. Este é o caminho pascal de Jesus e nosso. Disponhamo-nos, portanto, a caminhar com ele. Aceitemos o seu convite para comer com ele esta Páscoa sagrada. Participemos ativa e piedosamente dos santos mistérios celebrados nestes dias e estejamos também dispostos a vivê-los na nossa vida.

Segunda palavra: “Quem vai me trair é aquele que comigo põe a mão no prato”. Que afirmação tão dolorosa: um de nós, um que come com o Senhor, um que participa da sua Mesa, o entregou! Esta advertência de Jesus deve ser sempre recordada por cada um de nós, que participamos de sua Eucaristia! E que ninguém seja presunçoso como Pedro! Que humildemente nos perguntemos: “Mestre, serei eu?” Traímos Jesus como Judas quando buscamos nossos interesses, nossa lógica, nossas paixões, desprezando Aquele que nos convida a segui-lo.. deixamo-lo, fugimos, buscando as facilidades de uma vida mundana, de valores mundanos, de uma lógica mundana… Seguimo-lo de longe, como Pedro, quando pretendemos ser cristãos sem nos comprometermos com ele, sem por ele a nada renunciarmos, sem nele empenharmos nossa vida! Não o reneguemos como Pedro; não lhe demos o beijo de Judas! Que possamos escutar, um dia, a afirmação do Senhor: “Vós ficastes comigo em minhas provações!”

Terceira palavra: “Eu estou no meio de vós como aquele que serve”. Nesta frase do Senhor está o sentido do que celebraremos durante esta santíssima Semana. Ele mesmo disse que veio para servir e dar a vida em resgate da multidão (cf. Mc 10,45). É assim que ele está em nosso meio: como aquele que dá a vida por nós, que se entrega por amor. Aquilo que ele realizou na sua existência toda, acolhendo, perdoando, curando, restaurando a esperança… isto é, entregando-se a nós e por nós, agora ele vai consumar até a morte e morte de cruz! Acolher esse serviço é reconhecer que Cristo morreu por nós, por nós entregou sua vida… e, assim, ser-lhe grato de todo o coração, como Paulo, que exclamava: “Ele me amou e se entregou por mim” (Gl 2,20). Sejamos-lhe gratos: vivamos também nós por ele!

Caríssimos, estejamos de coração atento para vivenciar, nestes dias sagrados, tão grande mistério! Não recebamos em vão a graça de Deus: que aprendendo os ensinamentos de sua paixão, ressuscitemos com ele em sua glória. Amém.

Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos, porque pela vossa santa cruz remistes o mundo.
Pascom – Pastoral da Comunicação
Diocese de Guarabira

 

Marcelinho-PB retorna ao Treze e anuncia: “Aceitei Jesus como meu salvador”

“Agora eu sou um novo homem. Mais do que nunca estou me sentindo melhor”.

Foto: Reprodução / Instagram

A frase é do meia Marcelinho Paraíba, prestes a completar 44 anos. Em entrevista coletiva na tarde desta terça-feira (09), durante seu primeiro treino no retorno ao Treze, o filho de Pedrinho Cangula anunciou que se converteu a Deus e trocou as noitadas pela igreja.

Foto: Bruno Rafael / CBN

– Muita coisa mudou na minha vida. Há algum tempo eu me converti e aceitei Jesus como meu único salvador. Isso tem sido maravilhoso na minha vida.  As coisas têm melhorado muito, até mesmo na convivência em casa, com a família, questão de descanso, tudo isso. Antes eu era do mundo, vivia em farra, em festa, e isso me atrapalhava. Não sei como consegui jogar até essa idade fazendo tudo que eu fazia. Mas daqui para frente é só bênção – declarou o jogador, vice-campeão estadual em 2017 e da Série D ano passado com o Galo.

Principal contratação do Alvinegro, Marcelinho se prepara junto com seus companheiro para mais uma edição de Série C de Campeonato Brasileiro.

A estreia da equipe está marcada para Recife, no final de semana do dia 27 de abril, contra o Santa Cruz.

A CBF ainda não divulgou a tabela detalhada da competição, documento que define data e hora exatas da peleja.

 

paraibaonline

 

 

Programa de rádio “Jesus, neste nome há poder” completa 13 anos com mensagens de amor a Deus

Há 13 anos entrava no ar um programa radiofônico cheio de luz e do amor de Deus. No dia 7 de março é o aniversário de “Jesus, neste nome há poder”, que há mais de uma década dissemina a palavra do Senhor pelas ondas da Rádio Comunitária Solânea FM.

Apresentado por Toinho Oliveira, o programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 20 ás 22 horas, sempre com o objetivo de levar uma mensagem de amor, paz e esperança.

“Nosso programa tem o objetivo de transmitir o poder que o nome de Jesus tem em nossas vidas, pregamos o amor, a paz, a união e a salvação com orações, hinos e a participação do nosso ouvinte, independente de religião”, destacou Toinho.

 

Focando a Notícia

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Tem novo líder! Brasil abre placar cedo com G. Jesus e supera a Venezuela

Juan Barreto/AFP Photo
Juan Barreto/AFP Photo

Os 100% de aproveitamento com Tite já permitiram à seleção brasileira dar um salto na classificação das Eliminatórias da Copa do Mundo. Nesta terça-feira, em Mérida, o Brasil fez 2 a 0 contra a Venezuela e, beneficiado pelo empate do Uruguai em visita à Colômbia, alcançou a primeira posição com 21 pontos.

A exemplo do que ocorreu nos últimos dois jogos, o Brasil comprovou sua boa fase logo de cara. Com 8 minutos de jogo, Gabriel Jesus abriu o marcador sobre a Venezuela após um erro bizarro do goleiro Hernández. Seguro em campo apesar de não contar com Neymar, suspenso, o time brasileiro confirmou o triunfo com gol de Willian. A partida chegou a ser paralisada por um apagão.

A seleção brasileira volta a campo contra uma pressionada Argentina em Belo Horizonte no dia 19 de novembro. Na mesma sequência, visita a seleção peruana.

O melhor: Gabriel Jesus

Além de anotar o gol brasileiro, o atacante foi o jogador mais perigoso. Mesmo sem Neymar por perto, o que diminuiu um pouco da presença ofensiva da equipe, Gabriel incomodou os zagueiros venezuelanos e teve pelo menos mais três oportunidades de marcar, além de ter dado assistência a Coutinho. Mas, nada mal: com menos de 20 anos, já tem quatro gols em quatro jogos pela seleção principal, marca inédita em toda a história das Eliminatórias.

O pior: Hernández

Um erro bizarro do goleiro venezuelano na saída de bola permitiu ao Brasil rapidamente abrir o marcador em Mérida com uma bela finalização de Gabriel Jesus.

Brasil joga agrupado no ataque e na defesa para controlar a Venezuela

Na ausência de Neymar, a seleção brasileira obviamente perdeu parte de seu brilho. Por outro lado, teve pelas beiradas dois jogos mais ativos na marcação, com Willian e Coutinho. Assim, bem compacto, o Brasil teve facilidade para controlar o jogo com boa posse de bola, na faixa de 66%, e sofreu poucos sustos na defesa com o time bem ordenado.

Venezuelanos apostam em Peñaranda, mas não vazam Alisson

George Castellanos/AFP Photo

Com Guerra, campeão da última Copa Libertadores no banco de reservas, a Venezuela tentou propor o jogo contra o Brasil. A exemplo dos últimos jogos, o garoto Peñaranda foi um dos membros mais ativos e deu trabalho a Daniel Alves. As finalizações ruins, entretanto, minimizaram as chances dos donos da casa, praticamente fora da luta por vaga na Copa do Mundo 2018.

Willian aproveita chance e faz gol como titular

Marco Bello/Reuters

O meia do Chelsea-ING perdeu a posição para Philippe Coutinho, mas mostrou que está vivo. Em Mérida, jogou com disposição, participou bem coletivamente e ainda anotou o segundo gol, com assistência de Renato Augusto.

Alisson só faz uma defesa diante da Venezuela

Titular desde a segunda rodada das Eliminatórias, o goleiro Alisson novamente passou em branco e não foi vazado. Desta vez, a missão foi mais tranquila, pois a Venezuela só acertou uma finalização no gol defendido por ele – na quinta, a Bolívia só exigiu também uma defesa. Com quatro jogos de Tite, o Brasil sofreu um gol.

Brasil termina só com um amarelo e não tem suspensos contra a Argentina

George Castellanos/AFP Photo

Um dos objetivos do Brasil na Venezuela era não sofrer cartões amarelos, principalmente com os reservas Lucas Lima e Giuliano e, claro, os titulares Daniel Alves (foto), Filipe Luís e Miranda. A missão foi praticamente cumprida e, com o retorno de Neymar, Tite não terá jogadores suspensos para o clássico com a Argentina em novembro, marcado para Belo Horizonte. O único advertido foi Paulinho pela terceira vez em três jogos.

FICHA TÉCNICA

VENEZUELA 0 x 2 BRASIL

Local: Estádio Metropolitano de Mérida, em Mérida
Data: 11/10/2016
Hora: 21h30
Árbitro: Victor Carillo (Peru), auxiliado por Jonny Bossio e Raúl López (ambos peruanos)
Cartões amarelos: Ángel, Velázquez, Herrera e Paulinho
Gols: Gabriel Jesus, aos 7min do primeiro tempo, e Willian, aos 8min do segundo tempo

Venezuela: Hernández; Rosales, Ángel, Velázquez e Feltscher; Flores (Herrera) e Rincón; Juanpi (Guerra), Martínez e Peñaranda (Otero); Rondón. Treinador: Rafael Dudamel

Brasil: Alisson, Dani Alves, Marquinhos, Miranda e Filipe Luís; Fernandinho; Willian (Taison), Paulinho, Renato Augusto e Coutinho (Giuliano); Gabriel Jesus. Treinador: Tite.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Com um a mais e gol de Jesus, Palmeiras empata com o Fla e segue líder

Por Gabriel Jesus, todo o esforço vale à pena. Vale fretar avião, vale esconder o jogo e vale aguardar até o último minuto. Por ele, o Palmeiras se sacrifica, mas é recompensado. O camisa 33 anotou um belo gol, definiu o empate por 1 a 1 com o Flamengo na noite desta quarta-feira, no Allianz Parque, e segurou o clube alviverde na liderança do Campeonato Brasileiro.

O 11º gol serviu para Gabriel Jesus se tornar artilheiro da competição e segurar a equipe como líder ao final da 25ª rodada. O Palmeiras chegou a 48 pontos e sustentou a vantagem de um em relação ao Flamengo, no último confronto direto entre os dois principais candidatos ao título da competição.

Todo o cenário se desenhava para um tropeço doído. Com um a mais em campo desde o primeiro tempo, o Palmeiras sofreu o gol de Alan Patrick e se enervou. Foi quando apareceu Gabriel Jesus para decidir, em jogada individual, e manter os mandantes na ponta.

Agora, sem Jesus e Vitor Hugo suspensos, o Palmeiras se concentra em mais um duro desafio: no sábado, às 16h (de Brasília), encara o Corinthians, na Arena em Itaquera. O Flamengo joga domingo, às 11h, contra o Figueirense, no Estádio do Pacaembu, em São Paulo.

Gabriel Jesus é escalado de última hora e decide

Marcello Zambrana/AGIF

O grande mistério da semana recaiu sobre a escalação de Gabriel Jesus. Cuca esperou até o último momento e surpreendeu ao colocar o camisa 33 em campo, mesmo sem as melhores condições físicas. O Palmeiras divulgou o time apenas 20min antes do jogo, e com o nome e foto do atacante ‘colados’ como titular, no improviso.

Em campo, o atacante mostrou estar 100%, jogando os 90 minutos. A atuação ainda foi fundamental para salvar o Palmeiras da derrota. Aos 37 minutos, Gabriel Jesus recebeu na entrada da área, ajeitou e bateu para superar Alex Muralha. A bola ainda bateu na trave antes de morrer no fundo das redes.

Três faltas, rua

Rubens Cavallari/Folhapress

Todo o planejamento do Flamengo para a partida acabou prejudicado por três lances de Márcio Araújo. O volante da equipe rubro-negra cometeu faltas – duas passíveis de cartão – e acabou expulso ainda na primeira etapa. Com um a menos, os cariocas diminuíram a pressão sobre o rival e acabaram acuados, especialmente no segundo tempo.

Zé Ricardo sacrifica Diego e recua time

Gilvan de Souza/Flamengo

O Flamengo acuou, dominou e se sentiu à vontade no Allianz Parque; pelo menos até a expulsão de Márcio Araújo, ocorrida aos 39min da primeira etapa. A partir de então, Zé Ricardo optou por uma decisão difícil: sacrificar algum jogador criativo para reforçar o setor. O treinador optou por Diego, ao invés de Everton e Gabriel, mais discretos. Naturalmente, os visitantes recuaram (e muito).

Flamengo eficiente

Com um a menos, o Flamengo se postou defensivamente e esperou o erro palmeirense para definir o jogo. Para esta postura dar certo, a equipe carioca necessitaria de uma eficiência impecável. Deu certo. A falha de marcação no setor esquerdo da zaga mandante permitiu a Alan Patrick, que entrara há menos de um minuto, fazer 1 a 0 e transformar o ambiente no Allianz Parque – do incentivo para a tensão.

Palmeiras sofre com nervosismo

Adriano Vizoni/Folhapress

A vantagem numérica, teoricamente, resultaria no crescimento palmeirense diante do flamengo. Os erros de passes e o trabalho defensivo do rival, contudo, tornaram a equipe de Cuca previsível. Consequentemente, o nervosismo surgiu – tanto em campo quanto nas cadeiras do Allianz Parque. Ao entrar em campo no lugar de Gabriel, Rafael Marques imediatamente pediu calma para o time. A tensão, no entanto, só foi embora quando Gabriel Jesus empatou o jogo.

Cuca apela para centroavante após expulsão

A vantagem numérica ainda no primeiro tempo obrigou Cuca a mudar a estratégia adotada na partida. O técnico retirou o volante Gabriel e colocou Lucas Barrios, um centroavante mais forte e alto, que entrou como referência para se impor fisicamente sobre a zaga flamenguista. Cleiton Xavier também ganhou uma oportunidade para organizar o jogo.

Torcida apoia após empate

Apesar do empate com um jogador a mais, a torcida se mostrou otimista com o time do Palmeiras. A manutenção da liderança fez com que os torcedores aplaudissem os jogadores alviverdes depois do apito final.

Fora do clássico

O técnico Cuca possui um problema para o clássico de sábado contra o Corinthians, na Arena em Itaquera. O zagueiro Vitor Hugo, titular absoluto da equipe palestrina, recebeu o terceiro cartão amarelo na noite desta quarta-feira. O cenário se repete, já que o camisa 4 também assistiu pela televisão o dérbi do primeiro turno.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS x FLAMENGO
Local: 
Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data/Hora: 14 de setembro de 2016 (quarta-feira), às 21h45

Público: 32.885 torcedores
Renda: 2.289.325,68
Árbitro: Andre Luiz de Freitas Castro (GO)
Auxiliares: Fabricio Vilarinho da Silva e Cristhian Passos Sorence (ambos de GO)
Gol: Alan Patrick (17’/2ºT), para o Flamengo; Gabriel Jesus (37’/2ºT)
Cartões amarelos: Gabriel Jesus e Vitor Hugo, para o Palmeiras
Cartão vermelho: Márcio Araújo, para o Flamengo.

PALMEIRAS: Jailson; Jean, Mina, Vitor Hugo, Zé Roberto; Gabriel (Lucas Barrios), Tchê Tchê (Rafael Marques), Moisés; Dudu, Róger Guedes (Cleiton Xavier) e Gabriel Jesus.

FLAMENGO: Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz e Jorge; Márcio Araujo, Willian Arão e Diego (Cuéllar); Gabriel (Alan Patrick), Everton (Marcelo Cirino) e Leandro Damião.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br