Arquivo da tag: Ituano

São Paulo bate Ituano com gols de Igor Gomes e larga na frente nas quartas

São Paulo saiu em vantagem na briga por uma vaga nas semifinais do Campeonato Paulista. Realizando sua melhor apresentação nesta temporada, o time de Vagner Mancini derrotou o Ituano por 2 a 1, neste domingo, no Morumbi.

O meio-campista Igor Gomes foi o destaque da partida com dois gols, um em cada tempo. O garoto de 20 anos, revelado nas categorias de base do clube, ainda não havia marcado na equipe profissional. Morato diminuiu para o Ituano no final do confronto.

Os dois times voltam a se enfrentar na quarta-feira, 19h15, no estádio Novelli Júnior, em Itu. O São Paulo avança às semifinais com uma vitória ou um empate. A vaga será decidida nos pênaltis se o Ituano vencer por um gol de diferença, independentemente do placar.

Nos cinco jogos que fez em seu estádio neste Paulistão, o time de Vinicius Bergantin soma quatro vitórias (São Bento, Santos, Mirassol e Guarani) e uma derrota, para o Novorizontino, na primeira rodada.

Foi a primeira vitória do São Paulo nesta temporada jogando no Morumbi. Até então, o clube havia atuado duas vezes em seu estádio e acumulado dois empates por 0 a 0: Talleres (Libertadores) e Red Bull (Paulista).

O JOGO

São Paulo e Ituano fizeram um primeiro tempo equilibrado, movimentado, com propósitos bem definidos. O time de Mancini, mandante, se impôs e procurou o gol desde o início. A equipe do interior optou por uma postura mais defensiva e saídas rápidas no contra-ataque, que deram trabalho ao quarteto defensivo são-paulino.

Conseguindo infiltração com certa frequência na defesa do Ituano, o São Paulo optava ora por tentar chegar ao gol pelo centro, mais congestionado, ora alternava pelas laterais.

E foi em uma jogada pela lateral esquerda que o São Paulo chegou ao gol e abriu o placar. Aos 32, Reinaldo cruzou e encontrou Igor Gomes na área. O jovem, até então discreto na partida, apareceu entre os zagueiros do Ituano e finalizou de primeira, marcando um belo gol, seu primeiro como jogador profissional.

Após o gol o São Paulo pressionou em busca do segundo. O Ituano caiu, encontrou dificuldades em marcar o adversário e não conseguiu mais sair com perigo nos contra-ataques. Aos 42, Everton Felipe perdeu grande chance de ampliar, depois de receber ótimo passe de Antony e sair sozinho com o goleiro Pegorari, mas finalizou mal.

No segundo tempo o São Paulo manteve a postura ofensiva e, mesmo em vantagem no placar, recebeu orientação do técnico para continuar no ataque em busca do segundo gol. A estratégia deu espaços para o Ituano, que quase empatou aos 4 minutos, depois que Morato acertou um chute no ângulo, obrigando Volpi a fazer bela defesa.

Aos 15 minutos, o São Paulo se aproveitou de uma falha na saída de bola da zaga do Ituano e ampliou o placar. Everton Felipe recebeu passe de Antony, chutou forte, Pegorari deu rebote e Igor Gomes, novamente, empurrou para as redes. O São Paulo ainda esteve próximo do terceiro gol, depois que Reinaldo acertou a trave de Pegorari com um chute da entrada da área.

Nos minutos finais, o Ituano diminuiu o placar e voltou a dar esperanças para sua torcida no jogo de volta. Aos 38 minutos, Paulinho Dias cobrou escanteio, Morato apareceu livre na pequena na área e desviou de cabeça, marcando seu sexto gol neste Paulistão. Ex-jogador do São Paulo entre 2017 e 2018, o atacante optou por uma comemoração discreta contra o ex-clube.

Ficha Técnica

São Paulo 2 x 1 Ituano

Gols: Igor Gomes, aos 32 minutos do 1º tempo e aos 15 do 2º tempo; Morato, aos 38 minutos do 2º tempo.

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Hudson, Bruno Alves, Anderson Martins e Reinaldo; Luan, Liziero (Léo) e Igor Gomes (Everton); Everton Felipe (Brenner), Antony e Pablo. Técnico: Vagner Mancini.

ITUANO: Pegorari; Jonas, Ricardo Silva, Léo Santos e Peri; Baralhas, Corrêa (Paulinho Dias) e Marcos Serrato (Bassani); Ramon (Gui Mendes), Morato e Martinelli. Técnico: Vinicius Bergantin.

Juiz: José Claudio Rocha Filho.

Cartões Amarelos: Bassani, Morato e Antony.

Renda: R$ 511.098,00.

Público: 18.573 pagantes.

Local: Morumbi, em São Paulo (SP).

 

Estadão

 

 

Nos pênaltis, Ituano derruba Santos e é campeão paulista pela segunda vez

ituanoO domingo será de festa em Itu. Uma festa tão grande quanto a fama que a cidade carrega. Uma mania de grandeza que o “intruso” do interior teimou em manter neste Campeonato Paulista. Derrubando os considerados grandes um a um, o bravo time treinado por Doriva chegou ao ápice neste domingo, ao vencer o Santos, por 7 a 6, nos pênaltis, no Pacaembu, após derrota 1 a 0 no tempo normal. Pela segunda vez, a primeira com a presença de todos os grandes, o Ituano é campeão estadual. A primeira foi em 2002, quando os principais clubes do estado disputavam uma edição maior do Torneio Rio São-Paulo. Entre os 34.964 pagantes no estádio, a minoria comemorou.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Não dá para contestar a heroica conquista do Galo, que tirou o Corinthians na primeira fase, um favorito Botafogo nas quartas de final, o Palmeiras na semi, e o Santos em dois jogos duros na decisão. O Peixe, de Oswaldo de Oliveira, termina o Paulistão com o maior número de pontos (45), mais gols marcados (47) e o futebol mais vistoso. Nada disso foi capaz de furar a melhor defesa da competição: 11 gols sofridos em 19 jogos. Impressionante.

A trajetória fica ainda mais expressiva se voltarmos quatro anos no tempo. Em 2010, o Ituano escapou do rebaixamento na última rodada da primeira fase, com Juninho Paulista fazendo o gol da permanência na elite. Hoje, é ele quem comanda as ações fora de campo, como gerente de futebol. Em 2013, novo susto: um gol no último minuto salvou a equipe da degola, após vencer o Palmeiras por 2 a 1.

Ao Santos, fica o consolo de uma nova geração promissora, com Gabriel e Geuvânio no comando. O time de Oswaldo terá pouco tempo para digerir a derrota, pois volta a campo na próxima quarta-feira, às 22h (horário de Brasília), contra o Mixto, na Vila Belmiro. É o jogo de volta da primeira fase da Copa do Brasil – o Peixe venceu a ida por 1 a 0. No domingo que vem, é a vez de estrear no Campeonato Brasileiro, contra o Sport, também na Vila.

O Ituano aguarda a divulgação da tabela da Série D para definir seu calendário no resto do ano.

santos x ituano campeão paulista 2014 (Foto: Marcos Ribolli)Jogadores do Ituano correm para festejar o histórico título estadual (Foto: Marcos Ribolli)

Pênalti polêmico, Cícero decisivo

O Ituano entrou ligadíssimo no jogo, mas não com a bola nos pés. A marcação forte passou do ponto em alguns momentos e rendeu três cartões amarelos na primeira etapa, todos para jogadores do setor ofensivo: Cristian, Esquerdinha e Rafael Silva. Coincidência ou não, Luiz Felipe Scolari, técnico da seleção brasileira, deu uma palestra ao elenco antes da partida…

O Santos, mais uma vez, ficou amarrado na marcação do Galo e insistiu demais nos lançamentos longos, na ligação direta entre defesa e ataque. Enquanto o zagueiro Neto bancou o armador, o Peixe não conseguiu jogar. Por outro lado, a entrada de Alison deu mais segurança ao meio-campo. Ao contrário do que ocorreu no jogo de ida, o Ituano não dominou a posse de bola.

A tensão, as entradas mais fortes e o ferrolho do Ituano deixaram a decisão truncada. Aos poucos, Oswaldo de Oliveira conseguiu desatar o nó proposto por Doriva: mandou o Santos dar a bola para Cicinho, o lateral-direito insinuante que foi à linha de fundo, encontrou Damião, Cícero e fez o goleiro Vagner praticar duas defesas inusitadas: uma de peito, outra de joelho.

Quando ensaiou uma pressão, o Peixe conseguiu abalar um pouco a estrutura do rival. Foi assim que o time chegou ao gol. Leandro Damião furou um chute e a bola sobrou para Cícero, que sofreu pênalti de Alemão. A câmera do impedimento detectou que o meia estava em posição irregular quando Damião chutou. Na cobrança, Cícero esqueceu o erro do primeiro jogo, quando chutou um pênalti nas alturas, e fez 1 a 0, acertando o canto direito do goleiro Vagner, que acertou o lado, mas não conseguiu alcançar.

santos x ituano campeão paulista 2014 (Foto: Marcos Ribolli)Esquerdinha festeja título paulista (Foto: Marcos Ribolli)

Só nos pênaltis

O resultado do primeiro tempo criou um dilema no segundo. O Ituano tentou se abrir mais e até criou chances, mas sabia que mais um gol sofrido daria o título ao Santos. O Peixe, idem. Com as entradas de Rildo e Gabriel, o time da Vila Belmiro ficou mais tempo no campo de ataque e exigiu novas defesas de Vagner.

Dos rivais, o Santos era quem menos queria a decisão por pênaltis. Por isso, Oswaldo colocou todo mundo no ataque. Rildo parou em Vagner; Cícero, na falta de pontaria em uma cabeçada após cruzamento de Geuvânio. O Ituano, na dele, conseguiu segurar a pressão e levar a disputa para as penalidades – não sem antes ameaçar o gol de Aranha: Anderson Salles obrigou o goleiro santista a fazer grande defesa em cobrança de falta.

Nos pênaltis, após muita tensão, Jackson Caucaia fez o primeiro do Ituano. Cícero empatou. Na sequência, Aranha cresceu e defendeu a batida de Anderson Salles, justamente o melhor cobrador do Ituano. Alan Santos fez 2 a 1 para o Peixe. Marcelinho empatou, mas David Braz marcou logo depois. Esquerdinha fez 3 a 3, e Rildo mandou na trave. Nas últimas cobranças, o experiente Marcinho fez o seu, e o garoto Gabriel igualou.

Nas alternadas, Jean Carlos abriu com gol, e Arouca manteve o Santos vivo. Dener e Alison também marcaram: 6 a 6. Josa marcou o sétimo, e Vagner garantiu o título do Ituano ao defender a cobrança de Neto. Ituano, justíssimo, o novo campeão estadual.

 

 

Globoesporte.com

Gol de Marcão no final salva o Ituano e deixa o Palmeiras fora do G-4

O Ituano entrou em campo para evitar o rebaixamento. O Palmeiras queria uma vitória para buscar um lugar no G-4 do Paulista e ter a vantagem de jogar em casa o jogo único das quartas de final. Até os 47 minutos do segundo tempo, o jogo estava empatado por 1 a 1, o que decretava o rebaixamento da equipe da casa. Até que Marcão, no último lance da partida, aproveitou falha do goleiro Bruno, que havia substituído Fernando Prass, machucado, e marcou o gol que garantiu a vitória por 2 a 1, resultado que manteve o time na Série A-1. Fernando Gabriel abriu o placar para o time da casa, em outra falha de Bruno. Tiago Real marcou o gol palmeirense.

Para o Verdão, o resultado foi péssimo. O tropeço interrompeu uma série de três vitórias seguidas no estadual e fez o time comandado por Gilson Kleina fechar a primeira fase na sexta posição. Com isso, terá de enfrentar o Santos, na Vila Belmiro, pelas quartas de final. Missão nada simples. O Ituano, com o gol salvador, alcançou a 14ª colocação, com 20 pontos. Curiosamente, quem acabou rebaixado foi o Mirassol, equipe que havia goleado o Verdão por 6 a 2 na primeira fase.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A data e o horário do clássico contra o Santos, pelas quartas, serão divulgados após reunião na Federação Paulista de Futebol, nesta segunda-feira, a partir das 15h.

Thiago Real jogo Palmeiras Ituano (Foto: Marcos Bezerra / Ag. Estado)Thiago Real tenta fugir da marcação do Ituano no primeiro tempo (Foto: Marcos Bezerra / Ag. Estado)

Wesley perde gol incrível no primeiro tempo

Pouca técnica, raros lance de emoção e muitos erros. O primeiro tempo da partida entre Ituano e Palmeiras decepcionou o público que compareceu ao estádio Novelli Júnior, em Itu.  No alviverde, com várias peças suspensas e outras poupadas, o técnico Gilson Kleina aproveitou o duelo para dar chance a reservas como o lateral Weldinho, o volante João Denoni e o meia Tiago Real. No Ituano, Doriva pediu personalidade para encarar o rival e buscar a vitória para afastar o risco de queda para a Série A-2.

Melhor tecnicamente, o Palmeiras começou melhor e, com 20 minutos, já havia perdido duas boas chances, ambas com Wesley. Na primeira, após boa triangulação do ataque, o meio-campista chutou por cima do gol. Na segunda, ele fez o mais difícil e, após passe de Vinícius, chutou para fora, à direita do gol defendido por Anderson, que já estava batido. Antes da metade da etapa inicial, o alviverde perdeu o goleiro Fernando Prass, que saiu machucado, com lesão no ombro.

Com o passar do tempo, o Verdão diminuiu seu ritmo. E o Ituano, que até os 35 não havia dado um chute ao gol adversário, passou a levar perigo ao gol de Bruno, que fez boa defesa aos 38, em lance de Paulinho. Três minutos depois, o goleiro só olhou o chute de Fernando Gabriel, que explodiu no travessão. Foi o último lance de emoção do fraco primeiro tempo.

Gols saem no segundo tempo

Com Vilson na vaga de João Denoni, o Verdão voltou bem mais ligado para a etapa complementar. A equipe armou uma blitz nos minutos iniciais e esteve muito perto de abrir o marcador. Vinícius, aos três, fez grande jogada pela esquerda, mas falhou na finalização. Léo Gago, em cobrança de falta aos cinco, acertou o travessão. Leandro, aos nove, exigiu bela defesa de Anderson. Aos 12, o goleiro trabalhou de novo, em nova falta de Léo Gago. O Ituano mal conseguia passar do meio-campo.

O tempo passava e o Palmeiras seguia com controle total. Aos 20, Vinícius só não marcou porque o zagueiro Cleber fez o desarme no momento da finalização. No minuto seguinte, Gilson Kleina colocou seu time ainda mais no ataque, com a entrada de Maikon Leite na vaga de Wesley. No momento em que o Verdão era soberano, o Ituano abriu o placar, em gol de falta de Fernando Gabriel, que contou com a contribuição de Bruno, que falhou no lance.

O alviverde não se abateu e, no minuto seguinte, chegou ao empate, com Tiago Real, que recebeu de Maikon Leite e bateu no canto direito de Anderson.  O segundo gol parecia questão de tempo. Aos 30, Léo Gago assustou em chute cruzado. Dois minutos depois, o juiz Flávio Rodrigues de Souza errou ao não marcar pênalti de Cleber em Tiago Real.  O Ituano só foi assustar aos 38, em cobrança de falta de Fernando Gabriel, que bateu no travessão de Bruno. Nesse momento, como o Mirassol vencia o Linense por 1 a 0, o time da casa necessitava de um gol para escapar do rebaixamento.

A emoção tomou conta do duelo nos minutos finais. Doriva partiu para o tudo ou nada e colocou Marcão para reforçar o ataque. E foi justamente o grandalhão de 1,95m que aproveitou nova falha de Bruno, que rebateu chute de Fernando Gabriel e chutou para garantir a vitória e a salvação do Ituano.

 

 

Globoesporte.com

Cabeça boa: Ganso garante vitória do São Paulo sobre o Ituano

jogoO São Paulo é cada vez mais soberano no Morumbi. Nem mesmo quando o goleiro Rogério Ceni comete falha incrível, o Tricolor deixa o estádio derrotado. Neste sábado, coube aos meias Jadson e Paulo Henrique Ganso salvarem o capitão. Ambos marcaram quando o time sofria pressão e garantiram a vitória por 3 a 2 sobre o Ituano, pela oitava rodada do Campeonato Paulista – foi a 19º partida consecutiva sem derrota em casa. Uma vitória pessoal para o ex-santista, que vinha sendo bastante criticado. Foi dele o gol que garantiu o triunfo, aos 43 minutos do segundo tempo.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Com o resultado, o São Paulo vai a 13 pontos e está momentaneamente em quarto lugar, mesmo tendo dois jogos a menos que a maioria dos adversários, porque teve partidas adiadas por causa da primeira fase da Taça Libertadores. O próximo desafio do Tricolor, aliás, é uma dessas partidas atrasadas. Na quarta-feira, às 19h30m, o time enfrenta o São Caetano, no estádio Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul.

O Ituano, por sua vez, tem sua série positiva quebrada. O Galo estava invicto havia três jogos e já aspirava a uma vaga no G-8, mas volta a se preocupar com a zona de rebaixamento – está em 13º, com nove pontos. A equipe agora tem uma semana livre para se aprontar para o duelo com o Guarani, no dia 24 de fevereiro, às 18h30m, em Itu.

Vantagem e relaxamento

Para desarmar o favorito anfitrião, o técnico Roberto Fonseca adiantou a marcação do Ituano, congestionando a intermediária com duas linhas de quatro defensores. Além disso, o volante Marcinho Guerreiro assumiu a responsabilidade de colar no armador tricolor Jadson e tentar anulá-lo. A princípio, a tática do Ituano deu certo. O Tricolor tinha mais posse de bola, mas não conseguia derrubar a barreira do Galo de Itu. Abusados e em crescimento no Paulistão, os visitantes assustaram em contra-ataques, só que a pontaria os impediu de abrir o placar.

Aos poucos, a qualidade técnica do São Paulo começou a prevalecer sobre o empenho defensivo do Ituano. O time de Ney Franco passou a apostar em toques rápidos e curtos para envolver o adversário até que, aos 18 minutos, Jadson se livrou da marcação e deu um passe na medida para Osvaldo, em velocidade pela esquerda, colocar no canto direito de Anderson.

O Tricolor tinha o jogo sob controle e buscava aumentar a vantagem. O relaxamento, porém, atrapalhou. Aos 30 minutos, Kleiton Domingues arriscou chute da intermediária. Ele não pegou em cheio, e a bola não ganhou muita velocidade. Rogério Ceni, que parecia desconcentrado, errou o tempo da bola e a deixou passar para dentro do gol, ao tentar encaixá-la caindo, e cedeu o empate. Depois da falha, o experiente goleiro ficou sentado no gramado sem entender o que tinha acontecido. Depois, inconformado, levantou e socou a trave.

O golpe acordou o São Paulo. Rogério quase foi de vilão a herói em cinco minutos. Ele teve a chance de se redimir em uma cobrança de falta que caprichosamente carimbou o travessão de Anderson, mas o Ituano se segurou nos minutos finais do primeiro tempo.

Ganso salva

A tranquilidade da etapa inicial ficou de lado no time do São Paulo, que retornou com todo o gás. Jadson comandou as ações. Já aos dois minutos, o meia cobrou falta e encontrou Toloi para o cabeceio, que passou pouco acima do gol. Aos cinco minutos, o armador acertou. Em uma nova cobrança de falta da intermediária, Jadson levantou para Lúcio. O zagueiro não chegou a tocar na bola, mas atrapalhou Anderson, que não conseguiu fazer a defesa. Bom para o meia, que anotou seu quinto gol no ano.

Em desvantagem, o Ituano se lançou ao ataque e quase chegou ao empate em uma cobrança de falta de Fernando Gabriel. Apesar de o São Paulo ainda atacar, foi o visitante que cresceu e teve as melhores chances. De tanto pressionar, o Galo de Itu chegou ao empate aos 27 minutos. Leandro Silva recebeu livre na direita, arrancou e cruzou. A bola atravessou a área e encontrou Adailton livre, com o trabalho apenas de completar para o gol.

Aos 28, Ney Franco tirou Aloísio para colocar Ganso em campo. A princípio, o meia dava mostras de que seria o jogador burocrático das últimas partidas. Toques de lado, lentidão, um certo desinteresse. Até que, aos 43, se redimiu. Após cruzamento de Osvaldo, pela esquerda, o camisa 8 apareceu livre para escorar de cabeça para o gol, tirando o time do sufoco e garantindo os três pontos.

 

 

Globoesporte.com

São Paulo ‘esquece’ Libertadores e busca arrancada contra Ituano

fabulosoA derrota para o Atlético-MG na primeira partida da fase de grupos da Copa Libertadores não foi bem digerida pelo São Paulo. Porém, como só tem novo compromisso do torneio continental no dia 28, a ordem agora no Tricolor é esquecer um pouco a competição e se concentrar por uma arrancada no Campeonato Paulista, incluindo o jogo deste sábado, às 19h30 (de Brasília), contra o Ituano.

Apesar dos estragos causados pela tempestade que atingiu a capital paulista na noite de quinta-feira, o confronto está confirmado para o estádio do Morumbi, já que os danos maiores foram na área social do clube. Com o mando garantido para o local, o técnico Ney Franco projeta a ascensão que sua equipe pode ter a partir de agora.

“Se tudo correr dentro da normalidade, temos três jogos antes da Libertadores, para posicionarmos a equipe entre os quatro primeiros no Paulista”, ponderou o treinador. Depois do confronto contra o Ituano, o time enfrentará o São Caetano, em um dos jogos adiados. Na sequência, será a vez do duelo com o Linense.Para conseguir a arrancada no Estadual, o Tricolor tenta corrigir as falhas apresentadas diante do Atlético-MG. “Não adianta ficar se preocupando, nós temos é que fazer nosso trabalho. Tenho certeza de que a equipe vai evoluir muito na temporada”, ponderou o volante Denilson.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O único desfalque certo para este sábado é o meia-atacante Cañete, que foi expulso na vitória contra o Guarani. O zagueiro Paulo Miranda e o atacante Luis Fabiano foram poupados do treino de sexta, mas devem ser confirmados pelo treinador como titulares neste sábado.

Com dez pontos, o Tricolor aparece na parte intermediária da classificação. Porém, se vencer os dois jogos que tem a menos, a equipe alcança a liderança. Do outro lado, o Ituano não perde há três rodadas no campeonato e tem nove pontos, conseguindo se distanciar da área de perigo, mas isso não é suficiente para o técnico Roberto Fonseca.”Com o aproveitamento que temos, nós terminaríamos a competição em uma boa posição, mas temos que procurar a evolução. O Ituano está crescendo na competição. Claro que sempre haverá altos e baixos, mas quero que o percentual do alto seja maior, para que você possa puxar para cima o time e brigar pela classificação”, argumentou.

 

O treinador ainda tem dois desfalques para o confronto. O lateral Alisson segue entregue ao departamento médico e tem agora também a companhia do atacante Marcão. Edson, Tiago Bezerra e Adailton disputam a vaga aberta na linha de frente.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO X ITUANO

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 16 de fevereiro de 2013, sábado
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Adriano de Assis Miranda (SP)
Assistentes: Fausto Augusto Viana Moretti e Risser Jarussi Corrêa (ambos de SP)
Assistentes adicionais: Leandro Bizzio Marinho e Thiago Luis Scarascati (ambos de SP)

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Lúcio, Rhodolfo e Cortez; Wellington, Denilson, Douglas e Jadson; Osvaldo e Luis Fabiano
Técnico: Ney Franco

ITUANO: Anderson; Leandro Silva, Cléber, Vitor Hugo e Patrick; Marcinho Guerreiro, Cambará, Kleiton Domingues, Fernando Gabriel e Luciano; Edson (Tiago Bezerra ou Adailton)
Técnico: Roberto Fonseca

 

 

 

Gazeta