Arquivo da tag: isolamento

Ministério Público recomenda que Bananeiras e mais seis municípios não flexibilizem isolamento

O Ministério Público da Paraíba recomendou aos prefeitos de Bananeiras, Borborema, Belém, Logradouro, Serraria, Dona Inês e Caiçara que se abstenham de flexibilizar o isolamento social em desacordo com o Decreto Estadual nº 40.304/2020 (e suas prorrogações) e às Classificações-Bandeira atribuídas por avaliações do setor competente do Governo do Estado da Paraíba. As recomendações foram expedidas pela promotora de Justiça de Bananeiras, Ana Maria Pordeus Gadelha.

Foi recomendado ainda que os municípios fiscalizem o cumprimento pleno e irrestrito de todas as recomendações de prevenção e controle para o enfrentamento da covid-19, expedidas pelas autoridades sanitárias competentes, inclusive a Organização Mundial de Saúde, para prevenção ao contágio e contenção de infecção viral relativa ao novo coronavírus.

Segundo a promotora de Justiça, o município de Dona Inês obteve a bandeira vermelha (em que são permitidas apenas as atividades essenciais com restrições adicionais de locomoção), na segunda avaliação implementada pelo Estado, com vigência a partir dessa segunda-feira (29/06). Os demais municípios obtiveram bandeira laranja, em que são permitidas apenas as atividades essenciais.

Além disso, os sete municípios não detêm hospital de referência para pacientes acometidos pela covid-19, bem como leitos em UTI para atender sua população, dependendo, portanto, exclusivamente, do setor de regulação do Estado.

Ainda conforme a promotora, o restabelecimento das atividades não essenciais nos municípios, nesse momento, implicaria em potencial massificação do contágio e sobrecarga do sistema municipal de saúde, com real possibilidade de ocorrência de danos irreparáveis e o colapso da rede.

Mais medidas recomendadas

Os municípios devem ainda, de acordo com a recomendação, fiscalizar o cumprimento de ato administrativo editado pelo Poder Público Municipal que determinou a quarentena das pessoas suspeitas e das que com elas coabitem, sobretudo o uso de máscara quando, em situações excepcionais, se fizer necessário o deslocamento da pessoa em quarentena, sob pena de prisão dos desobedientes, nos termos do que disciplinam os artigos 268 e 330 do Código Penal, se o fato não constituir crime mais grave.

Também devem comunicar divulgar amplamente o teor da recomendação por todos os meios de comunicação. O descumprimento das medidas levará ao ajuizamento das ações cabíveis e sinalizará o dolo para fins de responsabilização pessoal pelo gestor municipal.

*Do MPPB

O isolamento atrapalhou todos os infiéis nas desculpas que costumam usar

A quarentena e o Coronavírus andam atrapalhando algumas pessoas nos encontros com seus amantes

A quantidade de pessoas que procuram casos aumentou desde o início do bloqueio, mas se o vírus mortal não dissuadir as traições – esse dilema o fará.

Para aqueles que tentam trair na Era do coronavírus, há boas e más notícias.

A boa notícia é que o coronavírus não é transmitido por sêmen ou fluidos vaginais, o que significa que o COVID-19 não é oficialmente uma doença sexualmente transmissível.

Obviamente, a má notícia é que o COVID-19 está espalhado literalmente por todo o resto. Mesmo que você possa ter relações sexuais a uma distância de 1,5 metros, você pode pegar o vírus simplesmente respirando na direção de seu amante. Veja o artigo que preparamos sobre esse assunto!

Então, o que isso significa para os parceiros infiéis?

A infidelidade sempre foi moralmente duvidosa, mas o COVID-19 definitivamente aumentou as apostas. Quero dizer, os infiéis sempre correm o risco de doenças sexualmente transmissíveis e de serem criados por um parceiro conhecedor de tecnologia. Ainda assim, uma coisa é arriscar a transmissão de herpes labial ou herpes genital; outra é arriscar a transmissão de um vírus potencialmente fatal.

Além do mais, ser lançado antes da pandemia poderia ter sido infeliz, mas ser lançado durante a pandemia pode ser catastrófico. Você pode ser expulso das ruas comuns e repletas de vírus ou forçado a ficar em casa com um parceiro que está fantasiando sobre infectar você com COVID.

Claro, se o pior acontecer e você for enganado, sempre poderá viver uma nova vida com seu amante ilícito. Mas pense bem: na era do COVID-19, isso não é tão romântico quanto parece. Ficar preso em quarentena não é realmente a maneira ideal de passar de “caso secreto” para “relacionamento de tempo integral”.

Você passará de contatos sensuais em hotéis decadentes e fotos de nudez atrevidas enviadas tarde da noite para discutir sobre o papel higiênico, jantar com atum enlatado e checar um ao outro diariamente por febre.

Você também pode ficar em casa.

Então a infidelidade acabou, certo? As pessoas estão se comprometendo com seus parceiros, deixando seus amantes em seu isolamento e entregando uma nova folha?

Bem, não exatamente.

Se um infiel estiver disposto a deixar de lado a possível morte, encontrar uma desculpa para escapar de casa certamente será complicado.

Muitos infiéis se asseguram que não vão ser abandonados pelos seus parceiros por conta do suporte financeiro que oferecem: “mesmo que ela/ele descubra, duvido que renuncie ao meu patrocínio financeiro”, mas será que isso é justo?

Apesar das tremendas probabilidades, de ficar doente ou de ser descoberto, as pessoas ainda estão perseguindo casos. O site de encontros extraconjugais Ashley Madison relata um aumento no número de membros desde o bloqueio do coronavírus, adicionando 17.000 novos membros em todo o mundo todos os dias.

Se eles estão conversando inocentemente, paquerando, trocando nudes ou planejando uma reunião no mundo pós-COVID, muitas pessoas procuram estímulos fora do relacionamento de quarentena.

É provável, no entanto, que potenciais infiéis tenham menos planos de consumar seus relacionamentos ilícitos do que antes da pandemia. Mesmo que o medo das consequências não os impeça de se encontrar, é bastante desafiador gerenciá-lo logicamente em meio ao bloqueio.

Afinal, as desculpas clássicas de “sair por uma hora” são nulas e sem efeito, à medida que o mundo se encerra e todos os seus álibis estão em quarentena. Não haverá “viagens de negócios interestaduais” nem “tardias no escritório”.

Você não estará “saindo para tomar uma bebida” ou “assistindo futebol com um companheiro”. Certamente não haverá “jogo rápido de tênis” ou “consulta de emergência com a esteticista”.

Não, você estará em casa o tempo todo, o que não é especialmente propício a uma rapidinha na hora do almoço.

E além disso, quem tem energia? No que diz respeito à educação em casa e à procura de papel higiênico, esfregando superfícies e processando as notícias, mal consigo reunir forças para telefonar para minha mãe e muito menos estabelecer uma conexão sexual escaldante com um completo estranho online.

Mas se você está determinado a trair, e o COVID-19 não vai impedi-lo, pense nesse sujeito pirata que foi recentemente apanhado na Itália, saia do seu computador e fique em casa.

 

Doze municípios caem em avaliação e devem ampliar medidas de isolamento

Doze municípios da Paraíba deverão ampliar as medidas de isolamento social, após nova avaliação realizada pelo Governo da Paraíba.

As novas bandeiras disponibilizadas na página oficial da gestão estadual (paraiba.pb.gov.br/coronavirus) apontam que oito municípios passaram da bandeira amarela para a laranja, três cidades perderam a bandeira laranja e agora figuram na bandeira vermelha e o único que possuía a bandeira verde, aparece agora com a bandeira amarela.

Os dados demonstram a necessidade de reforçar ações propostas pelos órgãos de Saúde para evitar uma maior propagação do coronavírus. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), a Paraíba registra, até o momento, 44.242 casos confirmados da Covid-19 e 896 óbitos.

A nova avaliação constatou que 136 (61%) municípios possuem bandeira laranja; 79 (35%) bandeira amarela; e oito bandeira vermelha (4%). Nenhum município da Paraíba obteve a bandeira verde.

Na prática, municípios sinalizados na bandeira vermelha, a exemplo de Bayeux, Santa Rita, Cruz do Espírito Santo, Barra de São Miguel e São Domingos do Cariri, devem permanecer com restrição para o funcionamento apenas de atividades essenciais, com restrição de locomoção de pessoas.

Já os municípios que estão em bandeira laranja, como: João Pessoa, Conde, Guarabira, Campina Grande, Mari e Patos podem manter os serviços essenciais, porém sem restrição de locomoção.

Para os municípios que estão em bandeira amarela será permitido o funcionamento de hotéis, pousadas, comércio, shoppings, e serviços em geral, além de ser permitida a prática de esportes sem contato físico (natação, tênis, corrida).

Nos municípios sinalizados com bandeira laranja e vermelha, podem funcionar atividades essenciais, como agropecuária; cadeia produtiva e atividades acessórias essenciais; bancos, casas lotéricas, correspondentes bancários e seguradoras; empresas de telecomunicação, comunicação e imprensa; distribuidoras e geradoras energia, atividades de extração, produção, siderúrgica e afins; transporte, armazenagem, empresas de logística, Correios e manutenção de veículos automotores; supermercados e afins; serviços de Saúde; tratamento de água e esgoto e coleta de resíduos; administração pública (observada a adoção regimes home office), além dos já sinalizados com adequações para funcionamento.

Nos municípios com bandeira amarela, funcionam os já autorizados nas bandeiras vermelha e laranja, além de hotéis, pousadas e afins; comércio; shoppings centers; comércio popular (camelôs) e serviços em geral; escolinhas de esporte sem contato físico (natação e tênis, por exemplo).

Todos os segmentos da economia e da sociedade podem retomar suas atividades nos municípios que se encontram na bandeira verde, observando a adoção de protocolos operacionais para funcionamento das diversas atividades, que terão como foco a proteção do indivíduo, que deve passar a viver o ‘novo normal’, fazendo escolhas e evitando o contato entre pessoas; ambientes fechados e confinados e aglomerações, mesmo ao ar livre.

Estão liberados para o funcionamento, em qualquer bandeira, salões de beleza e barbearias, atendendo exclusivamente por agendamento prévio e sem aglomeração de pessoas nas suas dependências e observando todas as normas de distanciamento social; shoppings centers, exclusivamente para entrega de mercadorias por meio de (delivery), inclusive por aplicativos, e como pontos de retirada de mercadorias (drive trhu), vedado, em qualquer caso, o atendimento presencial de clientes dentro das suas dependências;

as lojas e estabelecimentos comerciais, exclusivamente para entrega de mercadorias (delivery); missas, cultos e demais cerimônias religiosas poderão ser realizadas online, por meio de sistema de drive-in e nas sedes das igrejas e templos, neste caso com ocupação máxima de 30% da capacidade e observando todas as normas de distanciamento social;

hotéis, pousadas e similares, exclusivamente para atendimentos relacionados à pandemia do novo coronavírus; estabelecimentos que trabalham com locação de veículos; e treinamentos de atletas profissionais, observando todas as normas de distanciamento social.

As cores das bandeiras que subsidiam os gestores municipais na tomada de decisões acertadas para evitar o aumento da propagação do novo coronavírus, permitindo o retorno seguro e paulatino das atividades econômicas levam em consideração as taxas de obediência ao isolamento, progressão de casos novos da Covi-19 e ocupação hospitalar e são analisadas cumulativamente em intervalos de 15 dias.

Os dados detalhados podem ser conferidos no link:

https://paraiba.us20.list-manage.com/track/click?u=63cd2f513d25ab116c25e0753&id=417b3fe92c&e=9cfe509c15

 

 Secom/PB

 

 

‘Número de mortes pela Covid-19 vai aumentar se a população não obedecer o isolamento’, diz secretário

O secretário de Estado da Saúde, Geraldo Medeiros, fez um alerta, no início da tarde desta segunda-feira (8), que o número de casos e mortes pela Covid-19 será muito maior na Paraíba, caso a população continue desobedecendo as medidas de isolamento social.

Geraldo alertou também que, uma possível flexibilização no isolamento social a partir do dia 14, pode fazer com que o Estado enfrente o mesmo problema da Itália que, de acordo com o secretário, relaxou no isolamento social e teve que voltar atrás devido ao aumento no número de casos e mortes no país pelo coronavírus.

“É uma cultura da população não querer obedecer normas”, lamentou Geraldo Medeiros, acrescentando que a Paraíba pode enfrentar um efeito “sanfona”, ao flexibilizar no isolamento social e ter que voltar atrás por conta do aumento nos números de casos e mortes, provocadas pela Covid-19.

paraiba.com.br

 

 

Isolamento prejudica sono, trabalho e prática esportiva, segundo pesquisa da UFPB

Uma pesquisa do Departamento de Terapia Ocupacional do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) investiga se o isolamento social em domicílio, para contenção do contágio por Covid-19, alterou a rotina das pessoas adultas.

Segundo os dados preliminares, já se percebe que o distanciamento social tem provocado alterações negativas no cotidiano das pessoas, em aspectos como sono, trabalho, atividades religiosas e de autocuidado, sobretudo prática de atividades físicas.

O distanciamento social também alterou o cuidado com as crianças e com os idosos, atividades de ensino e de lazer. Mas nem todas as modificações foram apontadas, inicialmente, como negativas, a exemplo das relações familiares, que, para algumas pessoas, melhoraram.

O levantamento é realizado por meio de questionário on-line. Até esta quinta-feira (4), a pesquisa, que teve início em 26 de maio, já tinha recebido aproximadamente 200 respostas em menos de dez dias. A meta é atingir pelo menos 500 participantes.

O estudo está sendo conduzido pela pesquisadora Berla Moraes, líder do grupo de pesquisa Vida adulta e cotidiano. Ela explica que a sua percepção de mudanças em uma série de rotinas das pessoas, em função do distanciamento social, foi o que motivou o estudo.

“Acredito que a pesquisa vai contribuir socialmente porque a gente já começou a analisar um pouco e ela já dá indícios de que várias rotinas foram alteradas. Então a gente já começa a perceber que realmente as rotinas tiveram alterações, logo, como terapeutas ocupacionais, pretendemos propor soluções”, diz a pesquisadora.

Os dados também poderão ser utilizados como subsídios para que outras estudos sejam empreendidos. Ela observa que mudanças nas questões emocionais, como medo e ansiedade, podem estar impactando na realização das ocupações cotidianas.

Berla Moraes avalia que é preciso considerar, para as análises, fatores como a classe social dos entrevistados. “Para pessoas com renda mais baixa, por exemplo, pode haver impacto negativo nos relacionamentos, no nível de satisfação com a rotina, nas ocupações cotidianas. Por isso a pesquisa precisa ser bem divulgada para ampliar seu alcance e chegar a todos os públicos”.

Além disso, a pesquisadora adverte que, após o isolamento social, as pessoas vão precisar de tempo para se adaptar à nova normalidade. “Há um risco de terem dificuldades para ajuste do sono, trabalho, lazer, autocuidado”.

Conforme Berla Moraes, a partir do momento que a pessoa tem a consciência de como está sua rotina, é possível ajudá-la a reorganizá-la de modo mais saudável, considerando suas condições de vida.

Os resultados serão disponibilizados por meio do perfil do grupo de pesquisa no Instagram e no site do Departamento de Terapia Ocupacional da UFPB. O estudo foi aprovado pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa para Seres Humanos (Conep) do Ministério da Saúde. Outras informações podem ser obtidas pelo e-mail vidaadultacotidiano@gmail.com.

Ascom/UFPB

 

 

Sem fiscalização, população de Areia desobedece isolamento social e ruas ficam lotadas como se não existisse pandemia

Enquanto a maioria das prefeituras estão intensificando as fiscalizações para evitar a aglomeração de pessoas, na cidade de Areia, Brejo paraibano, está tudo a “Deus dará”. Nesta quinta-feira (4), um morador que cumpria o isolamento social e precisou sair para ir ao hospital se deparou com ruas lotadas, sem o distanciamento necessário e algumas até sem máscaras.

“Eu saí de casa para vir na emergência  de hospital. E fui surpreendido com essa quantidade de gente pelas ruas da cidade. Meu Deus do Céu! Isso é a cidade de Areia, só para vocês terem uma ideia de como estão as coisas por aqui. Sem qualquer fiscalização municipal ou sequer alguém da prefeitura orientando as pessoas para não ficarem juntas uma das outras”, relata o cidadão.

“Tá tudo funcionando normalmente e as pessoas andam como se não estivéssemos no meio de uma pandemia. A Paraíba toda se protegendo do coronavírus e a prefeitura de Areia sem fazer nada para proteger a população da cidade dessa doença”, acrescenta.

Segundo informações do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB), a prefeitura municipal de Areia possui dinheiro em caixa para usar no combate à Covid-19, porém a população segue exposta a contaminação e arriscando suas vidas, sem cumprir o isolamento social.

 

portaldolitoralpb

 

 

Isolamento social rígido deve ser estendido para Campina Grande urgentemente, diz Comitê Científico do Nordeste

O Comitê Científico do Consórcio Nordeste para combate à Covid-19 reiterou, em seu último boletim, a necessidade de manter o isolamento social rígido dos Estados e Municípios que decretaram essas medidas, anteriormente.

O Comitê sinalizou, pela segunda vez, que essas medidas também deveriam ser adotadas, imediatamente, pelas Prefeituras de Natal e Mossoró, no Rio Grande do Norte; Campina Grande, na Paraíba e Arapiraca e São Miguel dos Campos, em Alagoas. O Comitê também recomendou pela primeira vez a implementação de um isolamento social mais rígido nas cidades de Imperatriz, no Estado do Maranhão, e Aracaju, no Estado de Sergipe.

Paraíba

O grupo demonstrou apoio ao governo da Paraíba e aos prefeitos da região metropolitana de João Pessoa pela decisão de implementar o isolamento social mais rígido pelas próximas duas semanas. O Comitê reiterou sua recomendação anterior de que a cidade de Campina Grande precisa urgentemente entrar num regime mais rígido de isolamento social.

Além disso, baseado no gráfico atualizado de aumento de casos nos últimos 14 dias, o Comitê recomendou que as regiões de Patos e Sousa passem a ser monitoradas com grande cautela devido ao aumento de casos. Da mesma forma, as cidades do litoral do Estado demonstram estar entrando num nível de casos muito alto e merecem a mesma atenção.

 

Portal WSCOM

 

 

João Azevêdo explica medidas de isolamento e retomada econômica

O governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), realizou um pronunciamento oficial na tarde deste domingo (31), sobre o novo decreto prevendo novas medidas de isolamento social, que foi publicado nesse sábado (30). A fala foi transmitida através das redes sociais do governador. Veja o vídeo.

portalcorreio

 

 

Governo anuncia plano de retomada da economia e prorroga isolamento

O governador João Azevêdo e prefeitos da Grande João Pessoa assinaram, neste sábado (30), o decreto nº 40.289, que institui o isolamento social rígido na Capital paraibana e nos municípios de Cabedelo, Santa Rita, Bayeux, Conde, Caaporã, Alhandra e Pitimbu. As medidas conjuntas, que visam reduzir a circulação de pessoas e o tráfego de veículos, irão vigorar entre os dias 1º e 14 de junho, para conter a propagação da Covid-19 na região que concentra 5.827 dos 12.011 casos confirmados da doença, até o momento, na Paraíba. (Confira a íntegra do decreto).

O chefe do Executivo estadual também assinou o decreto nº 40.288 que estende as medidas de isolamento social, já em vigor, para os demais municípios paraibanos até o próximo dia 14 e fixou para a primeira quinzena de junho a apresentação do plano de retomada da economia, que será iniciado a partir do dia 15 de junho. Os detalhes do plano serão apresentados amanhã, às 18h, durante uma Live com o governador João Azevêdo.
(Confira a íntegra do decreto).

Plano de retomada gradual da atividade econômica – No decreto nº 40.288, o governador João Azevêdo determinou que o grupo de trabalho responsável pela elaboração do plano de abertura gradual da economia, que estabelece as diretrizes para permitir o retorno das atividades econômicas, deverá realizar debates com a sociedade civil e com os setores produtivos do Estado para discussões e coleta de sugestões sobre as medidas propostas.

A apresentação do plano de abertura gradual da economia será feita na primeira quinzena de junho, ocasião em que serão detalhadas as diretrizes e critérios estabelecidos para a retomada das atividades econômicas, que será iniciada a partir do dia 15 de junho.

Região da Grande João Pessoa – Dentre as ações necessárias para conter a evolução do contágio pelo novo coronavírus e assegurar o atendimento integral à população na rede de saúde, serão adotadas medidas de controle da circulação de veículos particulares e de entrada e saída dos municípios, assegurando o deslocamento para atividades consideradas essenciais, como supermercados, farmácias, unidades de saúde, agências bancárias e locais de trabalho com permissão para funcionar. Para garantir o funcionamento das atividades essenciais, serviços de transporte por táxi ou veículo disponibilizado por aplicativo circularão normalmente, assim como os transportes de carga e veículos relacionados às atividades de segurança e saúde.

Além disso, as pessoas comprovadamente infectadas ou com suspeita de contágio pela Covid-19 deverão permanecer em isolamento obrigatório no domicílio, em unidade hospitalar ou em outro lugar determinado pela autoridade de saúde. As fiscalizações e ações educativas serão realizadas pela Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Departamento Estadual de Trânsito (Detran-PB), além dos órgãos municipais de trânsito e Guardas Municipais.

Assinaram o decreto, o governador João Azevêdo e os prefeitos Luciano Cartaxo (João Pessoa); Emerson Panta (Santa Rita); Vitor Hugo (Cabedelo); Jefferson Kita (Bayeux); Márcia Lucena (Conde); Leonardo Carneiro (Pitimbu); Kiko Monteiro (Caaporã); e Renato Mendes (Alhandra).

Demais municípios paraibanos – Neste sábado, o governador João Azevêdo também assinou o decreto nº 40.288, que prorroga, até o dia 14 de junho, as medidas de isolamento social previstas no decreto nº 40.242, assegurando o funcionamento da balsa que faz a travessia Costinha/Cabedelo/Costinha apenas para passageiros, ficando o transporte de veículos ainda suspenso, com exceção apenas para os veículos da saúde e da segurança pública.

O novo decreto, que será disponibilizado no Diário Oficial do Estado (DOE), retira a obrigatoriedade do uso de máscaras em pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA), ficando a critério dos pais ou responsáveis a utilização do equipamento.

PB Agora

 

 

Às vésperas do feriadão, CG registra quebra de isolamento e aglomeração de pessoas

Diante do crescente número de casos de Covid-19, o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSD), antecipou, através de decreto, os feriados de Corpus Christi, São João e Fundação da Paraíba.

A medida visa promover um maior isolamento social das pessoas, fechando a cidade e deixando os serviços essenciais (padarias, supermercados e farmácias) funcionando somente até às 14 horas nos próximos cinco dias, a partir deste sábado (30) até a próxima quarta-feira, 3 de junho.

Foto: Reprodução/STTP

Foto: Reprodução/STTP

Porém, nesta sexta-feira (29), véspera do feriadão prolongado, o que se viu nas ruas centrais da cidade chamou a atenção das autoridades.

Câmeras de monitoramento da Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos  (STTP) registraram um grande número de pessoas nas principais vias, gerando aglomerações, principalmente nos supermercados.

Foto: Reprodução/STTP

Foto: Reprodução/STTP

O trânsito na cidade também estava caótico. Os campinenses quebraram o isolamento e estão se expondo ao risco de contágio do coronavírus.

No último boletim divulgado nessa quarta-feira (28), pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), Campina Grande registrou 1180 casos da doença.

Com o decreto municipal de cinco dias, numa espécie de ‘mini lockdown’ – ou seja, o fechamento total ou parcial de um município por causa de situações extremas, como a pandemia do Coronavírus – ruas da área central também serão interditadas pela STTP a partir de amanhã, além de outras medidas restritivas.

Veja as imagens:

 

paraibaonline