Arquivo da tag: investigadas

Irregularidades no Minha Casa Minha Vida em Cubati, PB, são investigadas pelo MPF

Suspeitas de irregularidades no programa Minha Casa Minha Vida na cidade de Cubati, cidade localizada a cerca de 200 km de João Pessoa, estão sendo investigadas pelo Ministério Público Federal (MPF) na Paraíba. Conforme publicação no Diário Eletrônico desta segunda-feira (1º), a suposta fraude aconteceu dentro do Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR).

Ainda de acordo com a publicação, a investigação foi instaurada a partir de uma representação apresentava pela Caixa Econômica Federal, um dos bancos operadores do Minha Casa Minha Vida. O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Cubati é o alvo das investigações, segundo o MPF.

G1 entrou em contato com a presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Cubati, identificada como Aldenora, mas ela informou que no momento não poderia se pronunciar sobre o caso por estar resolvendo problemas particulares.

A conversão do procedimento de investigação de Notícia de Fato para Inquérito Civil foi publicado nesta segunda no Diário Eletrônico do MPF. O procurador Bruno Galvão Paiva é o responsável pela investigação. O inquérito civil tem prazo de conclusão de um ano, podendo ser prorrogado.

Habitação Rural

Criado pelo Governo Federal no âmbito do Programa Minha Casa Minha Vida, através da Lei 11.977/2009, o PNHR criou uma linha de crédito para construção e reforma de casas para agricultor familiar, trabalhador rural e comunidades tradicionais. Entre os requisitos, o beneficiário precisa comprovar renda familiar bruta anual de até R$ 17 mil e não possuir débitos pendentes com o estado ou a União.

G1

 

Vital do Rêgo nega participação em atividades investigadas pela Lava Jato

vital-do-regoO ministro Vital do Rêgo (TCU) se manifestou nesta segunda-feira (5) sobre a ação da Polícia Federal, com apoio da Procuradoria Geral da República (PGR) e da Receita Federal,  que realizou mandados de busca e apreensão em sua casa e escritório.

O ministro  nega participação em qualquer atividade investigada pela Operação Lava Jato.

Na nota divulgada pela Secretaria de Comunicação do TCU, Vital do Rêgo disse que está  informando e vem colaborando com as autoridades.

Confira a nota na íntegra:

Com relação à diligência ocorrida na manhã de hoje, quero manifestar meu respeito e compreensão ao trabalho das autoridades competentes no exercício de suas funções legais.

Tenho certeza que a medida, cumprida com eficiência e urbanidade, vai confirmar que jamais tive qualquer participação nos fatos em apuração.

Quero renovar meu compromisso de irrestrita colaboração com as autoridades, naquilo que for necessário, dentro do que determina o devido processo legal e as regras que regem o Estado Democrático de Direito.
Atenciosamente,

clickpb

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Ricardo, Cássio e Maranhão receberam quase R$ 3 milhões de empresas investigadas na Lava Jato

cassio, ricardo e maranhãoO governador Ricardo Coutinho (PSB) e os senadores Cássio Cunha Lima (PSDB) e José Maranhão (PMDB) receberam quase R$ 3 milhões de empresas citadas na Operação Lava Jato, é o que aponta dados extraídos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a partir das prestações de contas dos políticos que disputaram cargos eletivos nas eleições do ano passado na Paraíba.

De acordo com os dados, o senador José Maranhão recebeu R$ 900 mil das empresas OAS e Andrade Gutierrez. Por meio da direção nacional, o peemedebista recebeu R$ 300 mil da empresa Andrade Gutierrez. Já R$ 600 mil foram doados pela OAS através da conta de campanha do vice-presidente da República Michel Temer (PMDB).

O senador Cássio Cunha Lima, que disputou o governo do estado no pleito passado, conseguiu doações no montante de R$ 1.004.400,00 das empresas Queiroz Galvão, OAS, Andrade Gutierrez e Odebrech.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

O governador Ricardo Coutinho (PSB) também não ficou de fora das doações eleitorais. De acordo sua prestação de contas, o socialista recebeu R$ 951.050,00 da construtora Queiroz Galvão e R$ 1.022.70, doados pela construtora Norberto Odebrech, totalizando R$ 952.072,70.

 

Blog do Gordinho

25 autoescolas estão sendo investigadas pelo Detran-PB

Vinte e cinco autoescola estão sendo investigadas pelo Departamento de Trânsito da Paraíba. A revelação foi feita pelo corregedor do Detran-PB, Wallber Virgolino. Ele informou que uma das irregularidades cometidas por esses centros de aprendizados para condutores é o não cumprimento das aulas, conforme estão previstas no Código de Trânsito Brasileiro.

Virgulino revelou ainda que mais da metade dos candidatos que fazem teste para ter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) no Detran-PB são reprovados em alguma das etapas do processo. Segundo o corregedor do órgão, Wallber Virgolino, por dia, 410 pessoas passam pelos exames na unidade de João Pessoa e o índice de reprovação varia de 50% a 70%.

O corregedor do Detran-PB assegurou que a ação de quadrilhas  que estariam atuando para fraudar as provas também diminuiu. Ele informou que muitos vendiam as respostas das provas ou colocavam outras pessoas para fazer os testes escritos no lugar do candidato. “Até davam a CNH sem o candidato pisar no Detran. Para evitar a corrupção, há um rodízio de funcionários que avaliam a prova prática. Todo dia muda, para tentar impedir o contato maior com o despachante ou com o próprio usuário. Se tivesse mais efetivo, o rodízio funcionaria melhor. A pista [de provas práticas de direção] também conta com 10 câmeras”, disse.

Segundo o corregedor, o aluno que se sentir prejudicado na reprovação, pode pedir revisão das provas, requisitar as imagens e reivindicar um novo teste.  “Quem compra [a CNH] está cometendo corrupção ativa, segundo o Código Penal, artigo 333, que diz que a pessoa que oferecer ou prometer vantagem indevida a funcionário público pode ter pena de reclusão de 2 a 12 anos e multa”, disse.

O representante do sindicato dos centros de condutores atribuiu o aumento no índice de reprovação dos alunos ao surgimento de novas autoescolas e a falta de fiscalização do Detran. Outro problema constatado pelo sindicato é a falta de qualificação existente em alguns centros de formação. Atualmente, a Paraíba possui 72 autoescolas.

Amanda Carvalho do Jornal Correio da Paraíba