Arquivo da tag: investigação

Câmara de Dona Inês recebe pedido de investigação contra prefeito por improbidade e possível afastamento

A Câmara Municipal de Dona Inês, no curimataú paraibano, recebeu na manhã desta segunda-feira (04) um pedido de investigação contra o prefeito João Idalino que pode ter incorrido em prática de improbidade administrativa ao realizar licitação para pavimentação de ruas após as obras já terem sido iniciadas.

A denúncia assinada por dois populares ainda pede o afastamento de dois parlamentares das investigações [José Igor Denizar Costa da Silva e Jairo Teixeira Experidião] por suspeição, já que, segundo o documento, estes teriam ligação direta com uma das partes, no caso, o investigado.

A representação assinada pelo advogado Marcelo Matias, ainda pede que após instaurado o processo de investigação e constatando-se as irregularidades que seja afastado o prefeito do cargo e a consequente cassação de seu mandato.

Veja aqui o teor da ação. 

ExpressoPB.net tentou um contato com a prefeitura de Dona Inês através de seu canal de interação no site da prefeitura mas não obteve êxito, mesmo assim se coloca a disposição  da gestão, através de nossos canais de interação, para apresentar a sua versão dos fatos.

Da Redação 
Do ExpressoPB

 

 

Reitor confirma investigação de suposta ameaça de ataque a estudantes da UEPB

O reitor da Universidade Estadual da Paraíba, professor Rangel Júnior confirmou ao Blog do jornalista Márcio Rangel, nesse final de semana, a existência de uma investigação da Polícia Civil sobre uma suposta ameaça de ataque a estudantes do curso de Letras (Espanhol) do Campus I da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em Campina Grande, que teria ocorrido na manhã da última sexta-feira (18).

Ao blog, Rangel disse que foi orientado a aguardar as investigações para tomar uma providência maior. Ele também confirmou a suspensão das aulas somente para as turmas de Espanhol, a pedido da Coordenação, mas que por hora, as aulas no campus estão mantidas.

“Eu fui orientado a aguardar um pouco os desdobramentos das investigações da Polícia, por enquanto é uma questão que está sendo repercutida numa rede social e precisamos ter cuidado para que isso não e transforme num estímulo a um possível agressor”, adiantou Rangel.

Ainda segundo o professor e psicólogo, há uma preocupação para que não se crie um ambiente de pânico na comunidade acadêmica. “Pode ser alguém imbuído de um tipo de pensamento, para tentar criar uma situação de revolta, estamos tendo o cuidado para não criar um ambiente de pânico nas pessoas. Eu estou confiante que polícia deva ter uma orientação nesse sentido e chegar a pessoa”, disse.

ENTENDA

Uma suposta ameaça de atentado a estudantes do curso de Letras (Espanhol) do Campus I da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) está sendo investigada pela inteligência da Polícia Civil após um aluno interromper a aula na manhã da última sexta-feira (18) para ler uma carta relatando a compra de uma arma para assassinar sete pessoas da sala.

Em seguida, o estudante enviou para grupos de WhatsApp do curso, links com reportagens que mostram ataques recentes a escolas criando um clima de pânico do Departamento de Letras. Como prevenção, as aulas do curso de espanhol foram suspensas pela Coordenação do curso.

O estudante foi identificado e seria da turma 2013.2. Ele usou o próprio número para fazer ameaças nos grupos do aplicativo de mensagem e está sendo procurado pela polícia.

 

pbagora

 

 

Escola anuncia instalação de câmeras após investigação de estupro em banheiro na PB

Após o caso da apreensão dos adolescentes suspeitos de estuprar uma criança dentro do banheiro, a escola particular Geo Tambaú informou que instalou 39 câmeras de segurança para monitorar todas as áreas comuns do prédio. As medidas adotadas pela escola contemplam também uma carta de pedidos feitos por uma comissão de pais e responsáveis de alunos, constituída após o caso ser publicamente revelado.

Ainda de acordo com a nota do Geo, a unidade localizada no bairro dos Bancários, zona sul de João Pessoa, também vai passar a contar com 30 câmeras de monitoramento. A direção da escola afirmou que novos banheiros privativos devem ser construídos até 30 de julho, também serão ampliadas as rondas dos funcionários e promovidas campanhas educativas direcionadas aos pais, responsáveis e alunos.

A comissão de pais, representado por oito pessoas correspondentes a cada um dos estágios, se reúne no início da tarde desta quinta-feira (14) com a direção do Geo Tambaú para discutir as medidas anunciadas pela escola e a carta de exigências redigida pelo pais dos estudantes.

Na carta enviada pela comissão de pais, todas as exigência feitas foram atendidas ao menos parcialmente no comunicado emitido pela escola. Em uma delas, os pais exigem a instalação de câmeras dentro das salas de aula, mas a assessoria da escola informou que as câmeras foram instaladas em todas as áreas comuns, exceto as salas de aula e no interior dos banheiros, embora as entradas dos banheiros estejam monitoradas.

A assessoria do Geo Tambaú, no entanto, informou que as melhorias tinham começado antes da carta, que fazem parte de um projeto de melhorias contínuas que a escola havia implementado.

Estudantes apreendidos

Três adolescentes foram apreendidos na manhã do dia 11 de março em João Pessoa suspeitos de estuprarem uma criança de oito anos dentro da escola particular Geo Tambaú. Segundo informações da Polícia Civil, as apreensões foram em decorrência de mandados judiciais após processo que tramita em segredo de justiça desde maio de 2018. Outras três possíveis vítimas foram identificadas pelo Ministério Público da Paraíba e seguem sob investigação.

Número de vítimas pode ser maior

Duas famílias das quatro possíveis vítimas dos abusos dentro do banheiro de uma escola particular no bairro de Tambaú em João Pessoa ainda não foram notificadas a respeito do caso. A informação foi confirmada pela promotora responsável pelo processo que resultou na apreensão de três dos quatro adolescentes suspeitos na segunda-feira (11), Ivete Arruda.

Ex-funcionário suspeito segue solto

O segundo pedido de prisão, feito pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB), do ex-funcionário de uma escola particular, em João Pessoa, suspeito de estuprar crianças no banheiro, foi negado pela Justiça, nesta quarta-feira (13). Ao todo, três adolescentes também suspeitos de praticar os abusos já foram apreendidos e um continua sendo procurado.

G1

 

Investigação de rebelião no Lar do Garoto é prorrogada por 30 dias, na PB

(Foto: Jackson Rondineli/TV Paraíba)

O governo da Paraíba decidiu prorrogar por 30 dias a sindicância que investiga o tumulto ocorrido na madrugada de 3 de junho no Centro Socioeducativo Lar do Garoto, em Lagoa Seca, no Agreste. O conflito resultou na morte de sete internos e em dois feridos. A decisão, publicada no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (7), ressalta “a necessidade de aprofundar as investigações”.

Segundo o documento assinado pelo governador Ricardo Coutinho, a medida já entra em vigor a partir da data da publicação. “Considerando a necessidade de a Comissão Sindicante colher mais elementos de prova (…), [o governador] resolve prorrogar por mais 30 dias a apuração dos fatos referidos, devendo à Comissão Sindicante, ao final desse prazo, apresentar relatório conclusivo”, afirma o texto.

Tumulto

Pelo menos sete internos do Centro Socioeducativo Lar do Garoto, em Lagoa Seca, no Agreste paraibano, morreram e dois ficaram feridos na madrugada deste sábado (3), durante um tumulto na unidade. A Polícia Militar ainda está no local fazendo uma varredura nas alas. O número definitivo de mortos ainda não foi divulgado. Também não há confirmação se houve fuga.

O tumulto teve início por volta das 2h30 quando internos tentaram fugir do Lar do Garoto, invadindo o pátio. Os agentes socioeducativos conseguiram impedir que alguns fugissem e teve início uma confusão dentro do centro.

Os internos atearam fogo em colchões e móveis. A maioria dos mortos foram carbonizados. A dimensão da destruição da estrutura do centro socioeducativo ainda vai ser avaliada. Os feridos foram levados para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande.

Segundo a Comissão de Direitos Criminais da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Paraíba (OAB-PB), a unidade tem capacidade para 40 internos, mas hoje abriga 218.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

PRF inicia investigação e pode expulsar envolvido na Gabarito

A Polícia Rodoviária Federal na Paraíba abriu uma sindicância investigativa para apurar envolvimento de um  agente na quadrilha que fraudava concursos na Paraíba e vários estados, como apontou a Operação Gabarito, da Polícia Civil.

Por meio de sua assessoria de imprensa, a PRF informou que este é o primeiro procedimento que a Corregedoria adota quando recebe qualquer informação contrária a conduta de algum servidor. Ao encontrar indícios de irregularidades, um processo administrativo será aberto  e poderá  levar  da  advertência até a expulsão do agente.

A PRF também está colaborando com a Policia Civil da Paraíba no sentido de identificar e localizar o acusado, Marcus Vinicius Pimentel, que se encontra foragido. Para a PRF é de total interesse da instituição elucidar o caso por não tolerar qualquer desvio de conduta de seus membros.

Roberto Targino – MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Cinco deputados federais da PB estão sob investigação no STF e acumulam 17 ações

stfCinco deputados federais da Paraíba estão sob investigação no Supremo Tribunal Federal (STF) e, juntos acumulam 17 processos. O levantamento foi feito pelo portal de notícias Congresso em Foco e divulgado nesta quarta-feira (29).

Aparecem na lista como investigados os deputados Aguinaldo Ribeiro (PP), líder do governo na Câmara; Efraim Filho, líder do DEM na Câmara; Rômulo Goveia (PSD); Veneziano Vital do Rêgo (PMDB); e Benjamin Maranhão. As acusações vão de corrupção, crimes contra a lei de licitações a formação de quadrilha.

O campeão em processos no STF é o deputado Veneziano Vital do Rêgo com 11 processos. Aguinaldo e Rômulo respondem a duas ações cada um. Já Benjamin e Efraim tem um processo contra eles no STF.

Leia a matéria completa:

Aguinaldo Ribeiro (PP-PB)

Inquérito 3989 – Corrupção passiva, lavagem de dinheiro e quadrilha

Inquérito 3146 – Crimes contra a lei de licitações

Benjamin Maranhão (SD-PB)

Ação Penal 676 – Quadrilha ou bando e crimes da lei de licitação

Efraim Filho (DEM-PB)

Inquérito 3653 – Crime contra lei de licitações e jurisdição e competência – Em 7 de março de 2016, a então relatora ministra Cármem Lúcia havia determinado o arquivamento. No entanto, o inquérito não foi arquivado e foi enviado à PGR, que está com vista do caso.

Em nota, a assessoria do parlamentar fez a seguinte manifestação sobre o inquérito:

“Na tabela exposta na matéria “Os deputados sob investigação no Supremo Tribunal Federal”, há uma incorreção. O caso envolvendo o líder do Democratas na Câmara, deputado Efraim Filho (PB), foi arquivado, fato comunicado à equipe do Congresso em Foco há algumas semanas, quando a reportagem levantou a situação dos líderes partidários”.

Conforme informado pela assessoria do parlamentar, a ministra Cármem Lúcia, então relatora do inquérito até o ano passado, havia determinado o arquivamento no dia 7 de março de 2016. No entanto, o caso ainda não foi arquivado, conforme informações da assessoria do STF. O inquérito está com vista à Procuradoria-Geral da Repúlbica e, atualmente, no tribunal, está sob a relatoria do ministro Ricardo Lewandowski.

Rômulo Gouveia (PSD-PB)

Inquérito 3736 – Crimes contra a Lei de Licitações

Ação Penal 952 – Crimes da lei de licitações

Ao Congresso em Foco, o deputado explicou que as contas relativas à sua gestão quando no Poder Legislativo Estadual foram aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado da Paraíba.

Em resposta ao questionamento realizado pelo Congresso em Foco, em vista da Ação Penal n° 952, em trâmite no STF, teço as seguintes considerações:

1- a ação diz respeito a ato de gestão praticado quando eu era presidente da Assembleia Legislativa do Estado da Paraíba:
2 – a conduta investigada, como se demonstrará ao final da ação penal, não se traduziu em dolo ou má-fé, tampouco implicou dano ao erário;
3 – ressalto que todas as contas relativas a minha gestão à frente do Poder Legislativo Estadual foram aprovadas, por unanimidade, pelo Tribunal de Contas do Estado da Paraíba;

Portanto, aguardo confiante o pronunciamento definitivo do Supremo Tribunal Federal.”

Veneziano Vital do Rêgo (PMDB-PB)

Inquérito 4328 – Investigação penal e improbidade administrativa

Inquérito 4012 – Crimes da Lei de licitações

Inquérito 4017 – Crimes da Lei de licitações

Inquérito 4029 – Peculato e crimes de responsabilidade

Inquérito 4179 – Crimes da Lei de licitações

Inquérito 4222 – Investigação penal

Inquérito 4229 – Crimes da lei de licitações

Inquérito 4041 – Crimes da Lei de licitações e crimes de responsabilidade

Inquérito 4122 – Crimes de lavagem ou ocultação de bens, direitos ou valores

Inquérito 3976 – Crimes de responsabilidade

Inquérito 4085 – Jurisdição e competência e corrupção passiva

Ao Congresso em Foco, o deputado Veneziano afirmou que “todos os questionamentos que têm chegado ao STF têm recebido decisões pelo arquivamento”. De acordo com ele, os processos foram abertos por força de interesse de ordem jurídica de seus adversários.

Ademais, há uma tranquilidade nessas questões. Tive minhas oito contas aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado no período em que fui prefeito de Campina Grande. Minhas contas foram todas aprovadas sem ressalvas. Quem tem oito contas aprovadas não tem como recear dos seus comportamentos”.

blogdogordinho

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Gilmar autoriza PF a continuar investigação contra Aécio sobre CPI dos Correios

Fernanda Carvalho/O Tempo/Estadão Conteúdo
Fernanda Carvalho/O Tempo/Estadão Conteúdo

O ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), atendeu ao pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e autorizou a Polícia Federal a analisar vídeos do transporte de documentos da CPI dos Correios para o arquivo do Senado, em maio deste ano. A decisão faz parte do inquérito contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que apura se o tucano participou de uma suposta maquiagem nos dados sobre o Banco Rural enviados ao colegiado em 2005.

No mesmo dia em que o inquérito sobre Aécio foi aberto, em 3 de maio, servidores do Senado transportaram documentos de uma sala da CPI para a Coordenação de Arquivo do Senado. Uma semana depois, o Senado divulgou nota informando que o transporte dos documentos partiu de um pedido do gabinete do tucano. Aécio alegou que estava colhendo elementos para apresentar a sua defesa no Supremo. Foram transportadas 46 das quase 1.000 caixas que compõem o acervo da CPI.

O objetivo dos investigadores da PF é analisar os vídeos para identificar o servidor responsável por levar as caixas e o itinerário pelo qual passou o carrinho com documentos da CPI. Mendes também mandou que sejam comparados os números das caixas transportadas com os que foram pedidos no ofício encaminhado por Aécio pedindo acesso aos documentos, além de que o Banco Rural apresente cópias de todos os documentos encaminhados a CPI. A decisão do ministro do STF é do dia 4 de outubro, mas só foi publicada hoje.

A denúncia contra Aécio é fruto do acordo de delação premiada do senador cassado Delcídio Amaral, que foi o presidente da CPI dos Correios, ativa entre 2005 e 2006. Segundo Delcídio, Aécio tentou, por intermédio de outras pessoas, convencê-lo a prorrogar o prazo de entrega de documentos do Rural à CPI como pretexto de que, se não fosse assim, o banco não teria tempo de atender às ordens da comissão. Na decisão de hoje, Gilmar também formalizou a situação de Delcídio como investigado.

Em seu depoimento, Delcídio disse que um dos interlocutores de Aécio teria sido o hoje prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, que na época era deputado federal pelo PSDB, também um dos alvos do inquérito, junto com Clésio de Andrade. “Que os dados atingiriam em cheio a pessoas de Aécio Neves e Clésio Andrade, governador e vice-governador de Minas Gerais”, disse Delcídio em sua delação. Além deles, Delcídio citou ainda o deputado Carlos Sampaio, afirmando que ele sabia da tentativa de maquiar os dados, porém ele não é investigado no STF.

Estadão

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Igreja de JP é pichada com acusação de pedofilia e ofensas; indignado, padre quer investigação

igrejaA igreja de Menino Jesus de Praga, no bairro dos Bancários, na Zona Sul de João Pessoa, amanheceu neste domingo (16) com pichações com acusações de pedofilia e ofensas diversas contra o padre Marcondes, que atua na paróquia. Em contato com a redação do Portal Correio, o religioso se disse indignado com o fato e disse que vai pedir investigações rigorosas.

“Não sei quem pode ter feito isso. Não desconfio de ninguém e essas acusações são infundadas”, disse Marcondes. O padre revelou que nunca sofreu qualquer tipo de ameaça e vai prestar queixa à polícia.

O pároco informou que já relatou o ocorrido para o setor jurídico da Arquidiocese da Paraíba e afirmou que vai entrar em contato com a empresa responsável pela segurança da igreja para saber se alguma imagem dos vândalos responsáveis pela ação foi capturada.

portalcorreio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Cássio diz que não vai se intimidar com ameaças e rejeita proteção da PF; ‘quero investigação’

cassio-cunha-limaO senador Cássio Cunha Lima (PSDB) confirmou nesta quinta-feira (11), que sofreu ameaças de morte por causa de seu posicionamento sobre o impeachmet da presidente afastada Dilma Roussef (PT).

Em contato, exclusivo, com o blog do Anderson Soares, na manhã de hoje, Cássio revelou que duas cartas foram postadas de Fortaleza. Uma foi enviada para o escritório dele em Brasília e a outra para João Pessoa.

Para o Tucano, está claro a tentativa de intimidação por parte dos adversários políticos, mas ressaltou que não recuará de suas posições. Ele destacou ainda, que não pediu proteção à Polícia Federal, apenas investigação.

” Nas duas cartas a ameaça é exatamente pelo voto no impeachment. A PF abrirá inquérito para apurar. Não pedi proteção mas sim apuração. As cartas foram postadas de Fortaleza, uma enviada para Brasília e outra para João Pessoa”, afirmou.

Anderson Soares

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

PT pedirá investigação por caixa dois de R$ 10 milhões recebido por Temer

temerO líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), anunciou nesta segunda-feira (8) que o partido vai apresentar 11 questões de ordem amanhã, na sessão do plenário que decide se Dilma Rousseff vai a julgamento por crime de responsabilidade, para impedir a apreciação da denúncia contra a presidenta.

O parlamentar argumenta que é um contrassenso uma presidenta da República responder um processo por conta de três decretos de suplementação orçamentária enquanto o presidente interino Michel Temer (PMDB) é acusado pelo dono da maior empreiteira do Brasil de ter pedido e recebido, em espécie, R$ 10 milhões na forma de caixa dois em 2015 e não haver sequer uma investigação.

“Queremos o fim da seletividade de investigações. Um lado, investiga. O outro, todo mundo fica caladinho. A presidenta pode perder o mandato amanhã e Temer, que pode ter recebido R$10 milhões de caixa dois, vai continuar, lépido e fagueiro, como presidente da República”, afirmou.

Humberto avalia que Temer precisa, sem dúvida, vir a público se explicar e que tem de haver investigação. “Não estão investigando Lula, Dilma, senadores, deputados e governadores? Por que não investigam o Sr. Michel Temer, o Sr. Eliseu Padilha e o Sr. José Serra, citados pelos executivos da Odebrecht, segundo a imprensa”, disse.

Ele ressaltou que não está dizendo que as denúncias são verdade e quem irá concluir sobre isso é o Ministério Público. “E tem de investigar rápido, porque se for mentira, há uma injustiça contra ele. E, se for verdade, há uma injustiça contra o povo brasileiro”, complementou.

Denúncias publicadas na imprensa no fim de semana apontam que a delação premiada de executivos da Odebrecht apresentará à Lava jato documento com relato de que Temer pediu “apoio” financeiro” ao PMDB para a empreiteira, que teria repassado R$ 10 milhões em dinheiro vivo a integrantes do partido em 2014.

A contribuição teria sido pedida a Marcelo Odebrecht, então presidente da empresa, em maio de 2014, quando Temer ainda ocupava a vice-presidência, em um jantar no Palácio do Jaburu, do qual também teria participado o atual ministro-chefe da Casa Civil Eliseu Padilha (PMDB-RS).

Teriam sido repassados R$ 4 milhões a Padilha e R$ 6 milhões ao presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) Paulo Skaf, que à época disputava a eleição estadual para o governo paulista. Segundo as notícias, em acordo para a delação, a Odebrecht informou que contabilizou a doação ao PMDB em seu “caixa paralelo”.

Reportagens também revelam que funcionários da Odebrecht afirmaram a investigadores da Lava Jato que a campanha de José Serra à Presidência, atual ministro das Relações Exteriores, em 2010, recebeu da empresa R$ 23 milhões por meio de caixa dois.

Os senadores decidirão nesta terça-feira (9), a partir das 9h, se a presidente afastada Dilma Rousseff vai a julgamento por crimes de responsabilidade. A votação encerra a fase de pronúncia, segunda etapa do processo de impeachment. Caso a maioria simples dos senadores aceite o parecer da Comissão Especial do Impeachment, Dilma será julgada e pode perder definitivamente o mandato.

*Com informações da Assessoria de Imprensa

Brasil 247

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br