Arquivo da tag: investigação

PB tem 13 casos notificados por suspeita de coronavírus, diz SES; sete seguem sob investigação

Conforme uma atualização feita pela Secretaria de Estado da Paraíba na noite desta terça-feira (10), subiu para 13 o número de notificações de casos suspeitos de coronavírus no estado. Os dois casos são de uma mulher de 72 anos e de um homem de 65 anos com histórico de viagem para os Estados Unidos.

Casos só são oficialmente reconhecidos como suspeitos após confirmação do Ministério da Saúde (MS). Até a noite desta terça (10), o MS havia reconhecido cinco casos sob investigação na Paraíba e outros seis descartados. Os números divulgados pelas secretarias estaduais e o Ministério da Saúde não são necessariamente iguais, já que os órgãos têm horários e procedimentos distintos para apresentação de seus boletins diários.

Casos sob investigação (10/03)

  1. Criança, 6 anos, residente em João Pessoa com histórico de viagem para os EUA. Está em isolamento domiciliar
  2. Homem, 37 anos, residente em Campina Grande com histórico de viagem para Europa, em isolamento domiciliar.
  3. Mulher, 72 anos, residente em João Pessoa, histórico viagem EUA, em isolamento domiciliar.
  4. Mulher, 80 anos, residente em João Pessoa, com histórico de viagem para os EUA. Atendida na rede privada e aconselhado isolamento domiciliar.
  5. Mulher, 74 anos, residente em João Pessoa com histórico de viagem para Europa. Atendida na rede privada e aconselhado isolamento domiciliar.
  6. Mulher, 72 anos, residente em Campina Grande com histórico de viagem para os Estados Unidos. Em observação na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) localizada no bairro Alto Branco.
  7. Homem, 65 anos, morador de João Pessoa com histórico de viagem para os Estados Unidos. Ele foi atendido em um hospital da rede privada e foi aconselhado a fazer isolamento domiciliar.

Na tarde de segunda-feira (9), a Secretaria de Estado da Saúde (SES) da Paraíba assinou uma nota técnica conjunta com o Ministério Público da Paraíba reforçando a obrigatoriedade da notificação imediata dos casos suspeitos do Covid-19 por parte dos hospitais públicos e particulares.

O objetivo é acelerar ainda mais o processo de investigação dos casos suspeitos, que requer coleta do material biológico do paciente e isolamento até resultado do exame.

A Paraíba possui um plano estadual para notificação e assistência para o novo Covid-19, elaborado desde o fim de Janeiro e amplamente divulgado entre profissionais de saúde da Rede Pública e Privada de todo o estado.

O Centro Operacional de Emergências em Saúde Pública (COE Estadual) realiza avaliação das ações executadas e desencadeia encaminhamentos para o fortalecimento da identificação dos casos, de acordo com definição.

Suspeitas de coronavírus na Paraíba

  • 13 casos notificados por suspeita de Covid-19
  • Sete casos seguem sob investigação
  • Seis casos foram descartados

Presa por vender remédio ‘anti-coronavírus’

Uma farmácia de manipulação foi interditada e a dona do estabelecimento foi presa suspeita de comercializar um complexo vitamínico com a promessa de imunizar o corpo dos usuários contra o novo coronavírus, causador da Covid-19. O estabelecimento fica localizado no bairro Manaíra, em João Pessoa. Conforme o promotor Francisco Bergson Formiga, a proprietária do local foi detida por propaganda enganosa, pela comercialização de medicamentos vencidos e pela ausência de licença de funcionamento. A mulher foi encaminhada para Central de Polícia, localizada no bairro do Geisel.

G1

 

PB descarta dois casos suspeitos para Coronavírus; três seguem em investigação

A Paraíba permanece sem registro de casos confirmados do Coronavírus. Nesta sexta-feira (6), a Secretaria de Estado da Saúde (SES) descartou mais dois casos da doença: um homem de 31 anos, e uma mulher de 27 anos, ambos com histórico de viagem à Bélgica, Inglaterra e França. Ainda nesta sexta-feira foi notificado um novo caso suspeito, em João Pessoa. Uma mulher de 26 anos com histórico de viagem para Espanha foi orientada ao isolamento domiciliar no qual permanece em monitoramento pela Secretaria Municipal de Saúde de João Pessoa. Dos 6 casos que foram notificados, todos em João Pessoa, três já foram descartados e os outros três permanecem em investigação.

Os pacientes que tiveram o caso descartado chegaram ao Brasil no dia 1º de março com sintomas do Covid – 19 e procuraram o serviço privado por contra própria, sendo notificados pela Vigilância Municipal de João Pessoa que realizou coleta e monitorou os casos durante isolamento domiciliar. Outros dois casos suspeitos chegaram ao território paraibano, sendo notificados em Campina Grande, porém estes serão contabilizados no estado de Pernambuco, onde o casal reside.

O casal teve uma passagem recente pela Itália e estava em Campina Grande em viagem de turismo, mas já retornaram para seu estado de origem. Todos os casos devem ser registrados por serviços públicos e privados, por meio do formulário eletrônico, dentro das primeiras 24 horas, a partir da suspeita clínica. No Brasil subiu para 9 o número de casos, de acordo com o Ministério da Saúde, nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo. O país monitora 636 casos suspeitos, outros 378 já foram descartados.

O secretário de Saúde do Estado, Geraldo Medeiros, reforçou que a Paraíba possui um plano estadual para notificação e assistência para o novo Coronavírus, o qual já vem sendo amplamente divulgado desde o mês de janeiro. “Queremos tranquilizar a população, pois não há motivo para pânico. É importante a notificação e o monitoramento dos casos, que fazem parte dos protocolos, para que possamos compreender o comportamento da doença e para garantir melhor assistência para todos”, enfatizou o secretário.

A SES reforça ainda que as unidades de referência para atendimento de casos prováveis do Covid-19 são: o Hospital Clementino Fraga e Hospital Universitário Lauro Wanderley, sendo este último para pacientes da pediatria, em João Pessoa; e o Hospital Pedro I, em Campina Grande, os quais devem receber os casos suspeitos, após regulação médica.

pbagora

 

 

Casos suspeitos de coronavírus sob investigação na Paraíba sobem para quatro, diz SES

Subiu para quatro o número de casos com suspeita de Coronavírus sob investigação na Paraíba. Conforme a Secretaria de Estado de Saúde (SES), em informação divulgada manhã desta terça-feira (3), novos dois casos de suspeita de Covid-19 foram notificados. Tratam-se de um homem de 31 anos e de uma mulher de 27 anos que retornaram recentemente de viagem por Bélgica, Inglaterra e França no dia 1° de março e que apresentaram sintomas.

Casos só são oficialmente reconhecidos como suspeitos após confirmação do Ministério da Saúde. No relatório divulgado às 15h30 desta terça-feira (3), o MS reconheceu os dois novos casos sob investigação na Paraíba. No total, foram notificados cinco casos por suspeita do coronavírus, sendo o primeiro deles descartado após exames realizados pela Secretaria de Saúde.

Os números divulgados pelas secretarias estaduais e o Ministério da Saúde não são necessariamente iguais, já que os órgãos têm horários e procedimentos distintos para apresentação de seus boletins diários.

De acordo com a SES, os dois buscaram assistência médica, por conta própria, em hospital privado, na segunda-feira (2), onde foram notificados pela Vigilância Municipal de João Pessoa que realizou coleta e monitora os casos durante isolamento domiciliar.

A Paraíba possui um plano estadual para notificação e assistência para o novo Covid-19, elaborado desde o fim de Janeiro e amplamente divulgado entre profissionais de saúde da Rede Pública e Privada de todo o estado. O Centro Operacional de Emergências em Saúde Pública (COE Estadual) realiza avaliação das ações executadas e desencadeia encaminhamentos para o fortalecimento da identificação dos casos, de acordo com definição.

Primeiro caso

O paciente de 59 anos esteve no Norte da Itália entre os dias 14 e 23 de fevereiro, e chegou no Brasil no dia 24 de fevereiro, em um voo internacional com destino a Recife. Ao retornar a João Pessoa, apresentou sintomas de resfriado e no dia 25 do mesmo mês foi internado no Clementino Fraga para que fosse investigado se havia presença do novo coronavírus. Ele recebeu alta na noite do último domingo (1º).

Por conta da suspeita, a família do paciente também ficou em quarentena por 14 dias. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, a medida foi necessária para evitar uma possível contaminação de outras pessoas e para quebrar a cadeia de transmissão

O Complexo de Doenças Infectocontagiosas Clementino Fraga, onde o paciente estava internado, é uma unidade preparada para atender casos suspeitos de coronavírus, conforme plano estadual para notificação e assistência divulgado pela SES em janeiro. Qualquer caso que se encaixe no perfil deve ser transferido para o hospital.

Além do Clementino Fraga, o Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW), também em João Pessoa, está apto para atender casos suspeitos exclusivamente em pacientes da pediatria. Em Campina Grande, o hospital de referência é o Hospital Municipal Pedro I

Outros dois casos

Um homem de 43 anos e uma mulher de 31 anos, os dois com histórico de viagem à França, com início dos sintomas seis dias após a chegada ao Brasil passaram a ser monitorados pelos gestores de saúde da Paraíba. O casal que chegou da França buscou atendimento médico por conta própria em um hospital privado de João Pessoa. Em seguida, a Vigilância Municipal de João Pessoa foi informada e realizou a coleta para realização dos exames.

Após avaliação médica, o casal foi orientado a ficar em isolamento domiciliar por não apresentar sinais clínicos que necessitassem hospitalização. Ambos seguem monitorados pela Vigilância Municipal de João Pessoa e aguardam os resultados laboratoriais que foram encaminhados no sábado (29) ao Laboratório Central (Lacen). Segundo Geraldo Medeiro, os resultados devem ser liberados na quarta-feira (4).

G1

 

Após morte de estudante e acusação contra seguranças, UFPB cria comissão para acompanhar investigação

O Conselho Universitário (Consuni) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) criou, por maioria de votos, comissão para acompanhar a investigação da morte do estudante de Filosofia, Clayton Tomaz de Souza, de 31 anos. A decisão foi tomada em reunião na manhã desta quarta-feira (19).

Clayton Tomaz desapareceu no dia 6 de fevereiro. O corpo foi encontrado na segunda-feira (17), às margens de uma estrada em Gramame, na Zona Sul de João Pessoa. Vídeos em que o aluno destaca o que considera a hostilidade dos vigilantes da UFPB contra ele viralizaram nas redes sociais após sua morte.

A comissão da UFPB que acompanhará o caso será formada por representantes dos três segmentos que compõem a comunidade universitária: estudantes, professores e técnico-administrativos.

A reitoria Margareth Diniz afirmou que a instituição fornecerá todas as informações solicitadas para a elucidação do caso.

O Consuni e o Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) da UFPB emitiram voto de pêsames pela morte de Clayton Tomaz.

Veja na íntegra abaixo

Conselho Universitário (Consuni)

O Conselho Universitário (Consuni) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em reunião ordinária, no dia 19/02/2020, decidiu, por unanimidade, aprovar moção de apoio e voto de pêsames aos familiares do estudante do curso de Filosofia, do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA), Clayton Tomaz Souza, barbaramente assassinado.

Os conselheiros do Consuni entendem que a perda de uma vida em qualquer circunstância, mais ainda quando prematuramente, é sempre motivo para lamentar profundamente e nos obriga a refletir sobre os efeitos da violência sobre a sociedade, lamentavelmente tão presente na nossa contemporaneidade.

Por isso, nessa hora trágica, o sentimento do Consuni é de estarrecimento com esse fato grotesco e a incondicional solidariedade a todos os familiares e demais pessoas que conviveram e privaram da amizade do nosso estudante.

Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe)

O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), na reunião extraordinária realizada no dia 18 de fevereiro, aprovou, por unanimidade, voto de pesar a ser apresentado ao Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFPB, em razão do assassinato do discente Clayton Tomaz de Souza, oriundo do curso de Filosofia – Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA).

 

clickpb

 

 

TJDF determina investigação sobre supostas fraudes em resultados do futebol paraibano

O presidente do Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol da Paraíba (TJDF-PB), Raoni Lacerda Vita, determinou nesta terça-feira (28) a abertura de inquérito civil para investigar suposta fraude nos resultados de partidas no Campeonato Paraibano. A decisão foi tomada após áudios vazados pelo presidente do Sousa Futebol Clube, Aldeone Abrantes, denunciarem suposta tentativa de cooptação do clube para a combinação de resultados.

Alguns áudios com os supostos organizadores das apostas foram compartilhados através de aplicativo de troca de mensagens. As falas de duas gravações dão a entender que havia uma tentativa de manipular o resultado de Sport-PB x Sousa. Aldeone Abrantes é citado em ambos os áudios. Em um deles, é citado como o “cara que mais fez falcatrua na história do nosso futebol” e que agora está dando “uma de bonzinho”.

Áudio 1

“A gente ia trabalhar nesse jogo bem direitinho. Ele ia botar um dinheiro na banca. Ele me procurou e tinha muita gente interessada. Mas o Aldeone Abrantes, querendo dar uma de honestão… um cara que mais fez falcatrua na história do nosso futebol, tá pagando de certinho, cuspindo no prato que comeu”.

Áudio 2

“Deu errado, viu? O placar da partida era para ser 3 a 0 para o Sousa. Tava tudo planejado. Procuramos o Aldeone e ele não aceitou a nossa proposta. Ia sair R$ 20 mil para o Sousa. Eles iam vencer por 3 a 0. Várias e várias foi ele quem nos propôs esquema no futebol paraibano. Aí agora vem dar uma de bonzinho”. O jogo terminou 1 a 0 para o Sousa.

O autor dos áudios não foi revelado, mas, de acordo com Aldeone Abrantes, há imagens do suspeito que facilitariam a identificação.

As revelações lançaram suspeitas sobre supostas combinações de outros resultados. A presidente da Federação Paraibana de Futebol, Michelle Ramalho, enviou ofício ao TJDF com solicitação para que o caso fosse investigado. A combinação de resultados serviria para favorecer apostadores em sites especializados em apostas destinadas a adivinhar os placares dos jogos de futebol.

No despacho, o presidente do TJDF cita a necessidade de se esclarecer as supostas irregularidades. O prazo dado para que a investigação seja concluída pela auditoria é de quinze dias. A investigação tem caráter sigiloso, de acordo com determinação do presidente do TJDF.

Esta é a segunda denúncia relacionada a irregularidades para a combinação de resultados no futebol paraibano. A último dizia respeito à compra de árbitros para definir o resultado das partidas. O caso resultou na Operação Cartola, desencadeada pelo Ministério Público da Paraíba. O caso foi apurado pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco).

G1

 

Câmara de Dona Inês recebe pedido de investigação contra prefeito por improbidade e possível afastamento

A Câmara Municipal de Dona Inês, no curimataú paraibano, recebeu na manhã desta segunda-feira (04) um pedido de investigação contra o prefeito João Idalino que pode ter incorrido em prática de improbidade administrativa ao realizar licitação para pavimentação de ruas após as obras já terem sido iniciadas.

A denúncia assinada por dois populares ainda pede o afastamento de dois parlamentares das investigações [José Igor Denizar Costa da Silva e Jairo Teixeira Experidião] por suspeição, já que, segundo o documento, estes teriam ligação direta com uma das partes, no caso, o investigado.

A representação assinada pelo advogado Marcelo Matias, ainda pede que após instaurado o processo de investigação e constatando-se as irregularidades que seja afastado o prefeito do cargo e a consequente cassação de seu mandato.

Veja aqui o teor da ação. 

ExpressoPB.net tentou um contato com a prefeitura de Dona Inês através de seu canal de interação no site da prefeitura mas não obteve êxito, mesmo assim se coloca a disposição  da gestão, através de nossos canais de interação, para apresentar a sua versão dos fatos.

Da Redação 
Do ExpressoPB

 

 

Reitor confirma investigação de suposta ameaça de ataque a estudantes da UEPB

O reitor da Universidade Estadual da Paraíba, professor Rangel Júnior confirmou ao Blog do jornalista Márcio Rangel, nesse final de semana, a existência de uma investigação da Polícia Civil sobre uma suposta ameaça de ataque a estudantes do curso de Letras (Espanhol) do Campus I da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em Campina Grande, que teria ocorrido na manhã da última sexta-feira (18).

Ao blog, Rangel disse que foi orientado a aguardar as investigações para tomar uma providência maior. Ele também confirmou a suspensão das aulas somente para as turmas de Espanhol, a pedido da Coordenação, mas que por hora, as aulas no campus estão mantidas.

“Eu fui orientado a aguardar um pouco os desdobramentos das investigações da Polícia, por enquanto é uma questão que está sendo repercutida numa rede social e precisamos ter cuidado para que isso não e transforme num estímulo a um possível agressor”, adiantou Rangel.

Ainda segundo o professor e psicólogo, há uma preocupação para que não se crie um ambiente de pânico na comunidade acadêmica. “Pode ser alguém imbuído de um tipo de pensamento, para tentar criar uma situação de revolta, estamos tendo o cuidado para não criar um ambiente de pânico nas pessoas. Eu estou confiante que polícia deva ter uma orientação nesse sentido e chegar a pessoa”, disse.

ENTENDA

Uma suposta ameaça de atentado a estudantes do curso de Letras (Espanhol) do Campus I da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) está sendo investigada pela inteligência da Polícia Civil após um aluno interromper a aula na manhã da última sexta-feira (18) para ler uma carta relatando a compra de uma arma para assassinar sete pessoas da sala.

Em seguida, o estudante enviou para grupos de WhatsApp do curso, links com reportagens que mostram ataques recentes a escolas criando um clima de pânico do Departamento de Letras. Como prevenção, as aulas do curso de espanhol foram suspensas pela Coordenação do curso.

O estudante foi identificado e seria da turma 2013.2. Ele usou o próprio número para fazer ameaças nos grupos do aplicativo de mensagem e está sendo procurado pela polícia.

 

pbagora

 

 

Escola anuncia instalação de câmeras após investigação de estupro em banheiro na PB

Após o caso da apreensão dos adolescentes suspeitos de estuprar uma criança dentro do banheiro, a escola particular Geo Tambaú informou que instalou 39 câmeras de segurança para monitorar todas as áreas comuns do prédio. As medidas adotadas pela escola contemplam também uma carta de pedidos feitos por uma comissão de pais e responsáveis de alunos, constituída após o caso ser publicamente revelado.

Ainda de acordo com a nota do Geo, a unidade localizada no bairro dos Bancários, zona sul de João Pessoa, também vai passar a contar com 30 câmeras de monitoramento. A direção da escola afirmou que novos banheiros privativos devem ser construídos até 30 de julho, também serão ampliadas as rondas dos funcionários e promovidas campanhas educativas direcionadas aos pais, responsáveis e alunos.

A comissão de pais, representado por oito pessoas correspondentes a cada um dos estágios, se reúne no início da tarde desta quinta-feira (14) com a direção do Geo Tambaú para discutir as medidas anunciadas pela escola e a carta de exigências redigida pelo pais dos estudantes.

Na carta enviada pela comissão de pais, todas as exigência feitas foram atendidas ao menos parcialmente no comunicado emitido pela escola. Em uma delas, os pais exigem a instalação de câmeras dentro das salas de aula, mas a assessoria da escola informou que as câmeras foram instaladas em todas as áreas comuns, exceto as salas de aula e no interior dos banheiros, embora as entradas dos banheiros estejam monitoradas.

A assessoria do Geo Tambaú, no entanto, informou que as melhorias tinham começado antes da carta, que fazem parte de um projeto de melhorias contínuas que a escola havia implementado.

Estudantes apreendidos

Três adolescentes foram apreendidos na manhã do dia 11 de março em João Pessoa suspeitos de estuprarem uma criança de oito anos dentro da escola particular Geo Tambaú. Segundo informações da Polícia Civil, as apreensões foram em decorrência de mandados judiciais após processo que tramita em segredo de justiça desde maio de 2018. Outras três possíveis vítimas foram identificadas pelo Ministério Público da Paraíba e seguem sob investigação.

Número de vítimas pode ser maior

Duas famílias das quatro possíveis vítimas dos abusos dentro do banheiro de uma escola particular no bairro de Tambaú em João Pessoa ainda não foram notificadas a respeito do caso. A informação foi confirmada pela promotora responsável pelo processo que resultou na apreensão de três dos quatro adolescentes suspeitos na segunda-feira (11), Ivete Arruda.

Ex-funcionário suspeito segue solto

O segundo pedido de prisão, feito pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB), do ex-funcionário de uma escola particular, em João Pessoa, suspeito de estuprar crianças no banheiro, foi negado pela Justiça, nesta quarta-feira (13). Ao todo, três adolescentes também suspeitos de praticar os abusos já foram apreendidos e um continua sendo procurado.

G1

 

Investigação de rebelião no Lar do Garoto é prorrogada por 30 dias, na PB

(Foto: Jackson Rondineli/TV Paraíba)

O governo da Paraíba decidiu prorrogar por 30 dias a sindicância que investiga o tumulto ocorrido na madrugada de 3 de junho no Centro Socioeducativo Lar do Garoto, em Lagoa Seca, no Agreste. O conflito resultou na morte de sete internos e em dois feridos. A decisão, publicada no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (7), ressalta “a necessidade de aprofundar as investigações”.

Segundo o documento assinado pelo governador Ricardo Coutinho, a medida já entra em vigor a partir da data da publicação. “Considerando a necessidade de a Comissão Sindicante colher mais elementos de prova (…), [o governador] resolve prorrogar por mais 30 dias a apuração dos fatos referidos, devendo à Comissão Sindicante, ao final desse prazo, apresentar relatório conclusivo”, afirma o texto.

Tumulto

Pelo menos sete internos do Centro Socioeducativo Lar do Garoto, em Lagoa Seca, no Agreste paraibano, morreram e dois ficaram feridos na madrugada deste sábado (3), durante um tumulto na unidade. A Polícia Militar ainda está no local fazendo uma varredura nas alas. O número definitivo de mortos ainda não foi divulgado. Também não há confirmação se houve fuga.

O tumulto teve início por volta das 2h30 quando internos tentaram fugir do Lar do Garoto, invadindo o pátio. Os agentes socioeducativos conseguiram impedir que alguns fugissem e teve início uma confusão dentro do centro.

Os internos atearam fogo em colchões e móveis. A maioria dos mortos foram carbonizados. A dimensão da destruição da estrutura do centro socioeducativo ainda vai ser avaliada. Os feridos foram levados para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande.

Segundo a Comissão de Direitos Criminais da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Paraíba (OAB-PB), a unidade tem capacidade para 40 internos, mas hoje abriga 218.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

PRF inicia investigação e pode expulsar envolvido na Gabarito

A Polícia Rodoviária Federal na Paraíba abriu uma sindicância investigativa para apurar envolvimento de um  agente na quadrilha que fraudava concursos na Paraíba e vários estados, como apontou a Operação Gabarito, da Polícia Civil.

Por meio de sua assessoria de imprensa, a PRF informou que este é o primeiro procedimento que a Corregedoria adota quando recebe qualquer informação contrária a conduta de algum servidor. Ao encontrar indícios de irregularidades, um processo administrativo será aberto  e poderá  levar  da  advertência até a expulsão do agente.

A PRF também está colaborando com a Policia Civil da Paraíba no sentido de identificar e localizar o acusado, Marcus Vinicius Pimentel, que se encontra foragido. Para a PRF é de total interesse da instituição elucidar o caso por não tolerar qualquer desvio de conduta de seus membros.

Roberto Targino – MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br