Arquivo da tag: investe

Supermercado Rei da Economia investe em qualificação para oferecer melhores produtos e atendimento

O supermercado Rei da Economia da Rede Paraíba tem trabalhado a cada dia para oferecer um melhor serviço a seus clientes. Além de preços competitivos, a qualificação de seus profissionais tem sido uma constante no estabelecimento.

O foco da vez tem sido o frigorifico do supermercado, além das melhorias no espaço a profissionalização dos funcionários tem sido a meta. Através da empresa Alfa, o Rei da Economia está realizando um curso de capacitação de seus profissionais na área de manipulação de alimentos, ministrado pelo Professor Waltemberg, Especialista em Manipulação de Alimentos. O objetivo é garantir a higiene e a qualidade da carne oferecida no estabelecimento.

O proprietário do Rei da Economia, Mazinho, destacou a importância desse curso. “O que nós almejamos é sempre oferecer o melhor ao nosso cliente e, após conhecer o trabalho do professor Waltemberg, fiz questão de trazer esse curso para nossos funcionários por saber a importância de manter o padrão de qualidade e garantir também as exigências dos órgãos fiscalizadores”, ressaltou.

Já o professor Waltemberg disse que essa é uma necessidade de todos os estabelecimentos comerciais e que esse curso oferece todas as especificações exigidas para um tratamento adequado aos alimentos perecíveis.

Assista ao vídeo e veja algumas orientações do professor Waltemberg.

Redação FN

 

 

Bananeiras investe em Programa para a convivência com a seca

AGRICULTURAConviver com a seca, fortalecer a cultura resistente a longos tempos de estiagem e viabilizar meios para que o homem do campo possa ser capacitado para alcançar os resultados, assim o projeto das barragens subterrâneas, promovido pela Prefeitura Municipal de Bananeiras através da Secretaria de Agricultura com o Governo do Estado,  Emater,  Embrapa, Apoiar e o Instituto Sociedade População e Natureza- ISPN.

Com uma tecnologia social de baixo custo, onde é realizado o barramento com lona, impermeabilizando o solo e retendo a água no local. A técnica utilizada foi desenvolvida pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária- Embrapa e é replicada no Município, atendendo as regiões mais necessitadas de água. Já foram atendidas as comunidades de Caraubinha, Riachão, São Domingos, Santa Vitória e Boa Vitoria.

Em Santa Vitória, seis (06) famílias estão sendo beneficiadas com 500 mudas de maracujá gigante, que estão sendo cultivadas em um plantio comunitário na área da barragem subterrânea.  Além do maracujá, culturas como feijão, couve, macaxeira e coentro ocupam o espaço que antes era seco.

Os produtores receberam orientação dos técnicos agrícolas da prefeitura e da Emater, na preparação do substrato, controle biológico de pragas, acompanhamento do espaçamento das mudas, do seu desenvolvimento, além, de promover um acompanhamento social dessas famílias que participam dos programas ligados a gestão municipal.

Com contrapartidas do Município, esse meio de captação de água atinge diversas comunidades carentes da região de Bananeiras que sofrem com a estiagem, proporcionando uma melhor qualidade para o cultivo de produtos que antes não poderiam se desenvolver pela falta de água.

A Prefeitura Municipal tem mantido uma preocupação constante na captação de recursos e meios para amenizar os processos de estiagem na região, garantindo a população uma melhor qualidade de vida, gerando renda a partir do cultivo de diversificadas culturas em uma região que historicamente sofria com a escassez de água.

Ascom PMB.

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Pecuarista investe em cabras como alternativa econômica para vencer crise e seca na Paraíba

Foto:Secom PB Criação de cabras no Cariri
Foto:Secom PB
Criação de cabras no Cariri

Num momento de crise em que as atividades agrícolas, assim como os demais setores, sofre retração, um criador da região do Cariri, uma das mais castigadas pela seca na Paraíba, vem se destacando por conseguir aumentar o rebanho de cabras e incrementar a produção agrícola.

O agricultor é Paulo Almir de Moraes e o sítio onde mora é o Pedra Lavrada, situado no município de São José dos Cordeiros, a 298 km de João Pessoa. O empenho no manejo das técnicas e os cuidados com a produção tem feito do lugar um exemplo a ser seguido.

 

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

                                                FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Tudo começou com um pequeno rebanho adquirido através de recursos do Plano Brasil sem Miséria. O agricultor preservou uma reserva estratégica de pastagem durante o período da estiagem, sabendo administrar os recursos hídricos que tinha disponíveis.

Em 2013, o produtor rural adquiriu oito cabras, fez a ampliação do curral e melhorou o aprisco. Hoje, ele já possui 27 animais e com perspectiva de aumento com muitas das fêmeas prenhas. “Nosso desejo é aumentar o plantel, criando mais cabras para produzir leite. A criação de cabra mudou a vida de minha família”, contou.

Além de criar cabra, seu Paulo Almir cultiva umbu como alternativa de renda para a família, através do projeto ‘Jardim Clonal’ recebeu mudas de umbu anão distribuídas pela Emater que beneficiam agricultores locais.

Convivência com o semiárido

O segredo para o sucesso do agropecuarista está na convivência com o semiárido. Ele guardou reservas de ração animal para o período mais crítico e usou criteriosamente os recursos hídricos de que dispunha na forma de pequena irrigação. A produção de palma resistente à cochonilha-do-carmim e o sogro foram os tipos de pastagens ideias para manter o rebanho bem nutrido.

Filho de criador de cabras, seu Paulo Almir contou que antes criava abelhas. Ele chegou a ter 20 colmeias, produzindo mel de ótima qualidade. A produção era vendida para cidades vizinhas, mas depois que estiagens prolongadas diminuíram a produção, ele resolveu voltar ao ramo que aprendeu no berço familiar.

Além da engorda de animais para o corte, ele produz também leite e comercializa no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). “Para conseguir trabalhar e criar no Cariri sem assistência técnica é difícil. Criar como antigamente, não é mais possível. Hoje a criação é mais rápida devido ao manejo adequado”, orienta, dando importância à assistência que recebeu dos órgãos governamentais que apoiam o produtor rural familiar, com a Emater.

Liderança

Paulo Almir é presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais do Município de São José dos Cordeiros e também é líder da comunidade onde mora, presidindo o Conselho Municipal do Desenvolvimento Rural Sustentável. Essa liderança lhe trouxe muito aprendizado, ao trocar experiências com outros produtores rurais.

O importante para ele é poder contribuir com o exemplo para o fortalecimento da agricultura familiar, mostrando que com ajuda técnica, empenho e dedicação se consegue progressos que são compensadores e além de tudo muito gratificantes.

Por Luciana Rodrigues

 

Governo do Estado investe mais de R$ 7 milhões em projetos de 26 municípios

CooperativaO Governo do Estado investiu, por meio do Projeto Cooperar, mais de R$ 7,6 milhões no apoio a 78 projetos que beneficiam diretamente cerca de 16 mil paraibanos que moram em 26 municípios polarizados por Itabaiana e Solânea, cidades onde acontecem nesta sexta-feira (2) e sábado (3), respectivamente, mais duas audiências públicas do Orçamento Democrático Estadual (ODE).

Durante as audiências, o Governo do Estado entrega alguns projetos financiados pelo Cooperar. No município de Belém, às 10h30 será inaugurado o Centro Social da Produção Familiar, no Distrito Rua Nova, beneficiando 255 famílias. No equipamento foram investidos R$ 193,8 mil. Inicialmente o Centro Social está oferecendo curso de informática, mas outras capacitações serão ofertadas.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O gestor estadual do Projeto Cooperar, Roberto Vital, avalia que o Centro Social da Produção Familiar se destaca “pelo ineditismo da proposta de conteúdo do seu funcionamento, focado na qualificação de mão de obra para atender ao emergente polo turístico de Bananeiras com cursos de informática, gastronomia, artesanato, dentre outros”.

Haverá, à tarde, a entrega de uma usina de beneficiamento de caju para 84 famílias de agricultores familiares do município de Dona Inês. Nesse projeto de desenvolvimento sustentável foram investidos R$ 94,5 mil. O Cooperar também investiu R$ 115,6 mil no apoio à piscicultura no assentamento Tanques, em Dona Inês.

Em Campo de Santana (Tacima), será inaugurada uma Unidade de Extração de Mel. Nesse projeto foram aplicados R$ 101,6 mil em benefício de 19 famílias do assentamento Vazante.

Dentre os 78 projetos com apoio do Governo do Estado, por meio do Cooperar, constam ainda ações nas áreas de apicultura, piscicultura, beneficiamento de leite, kit de mecanização agrícola, cisternas de tela de alambrado, avicultura, floricultura, passagem molhada, complexo sanitário domiciliar, abastecimento de água singelo, abastecimento de água completo, reciclagem de resíduos sólidos, e apoio à mini indústria de produtos alimentícios.

Na cidade de Itabaiana, onde ocorre a audiência pública do ODE nesta sexta-feira (2), o Cooperar investiu cerca de R$ 500 mil no apoio a 10 sub-projetos que beneficiam mais de 200 famílias. Na 12ª Região Geoadministrativa o Cooperar atua em 12 municípios: Itabaiana, Gurinhém, Ingá, Juripiranga, Mogeiro, Pedras de Fogo, Pilar, Riachão do Bacamarte, Salgado de São Félix, Itatuba, São José dos Ramos e Serra Redonda.

Em Solânea, sede da audiência pública do sábado (3), o Cooperar destinou R$ 160 mil para quatro sub-projetos que envolvem 57 famílias. Na 2ª Região Geoadministrativa os 14 municípios assistidos pelo Cooperar são: Guarabira, Solânea, Araruna, Bananeiras, Belém, Cacimba de Dentro, Caiçara, Campo de Santana, Casserengue, Dona Inês, Logradouro, Pilões, Pirpirituba e Riachão.

Secom-PB 

 

Você gasta ou investe? Confira 8 dicas

Thinkstock/Getty Images
Thinkstock/Getty Images

Ao pagar por um bem ou serviço, você gastou ou investiu? Muita gente confunde essas duas formas de lidar com o dinheiro, mas como diferenciá-las? Despesa é o dinheiro que você tira do bolso e não obtém retorno algum. Já o investimento é como plantar e colher: ele proporciona um resultado concreto. Pode ser palpável, como aumentar sua riqueza, ou subjetivo, como trazer crescimento profissional.

Um imóvel, um carro ou uma viagem podem ser uma mera despesa ou transformar-se em um investimento valioso. Vai depender do uso que se faz deles e do momento do mercado, que é extremamente volátil, explica a consultora de finanças pessoais Suyen Miranda. “Não adianta comprar dez sacos de alface por R$ 0,10 se você não puder consumir todos. Mas se você doá-los para uma creche, onde a demanda é grande, certamente terá feito bom uso de sua compra”, exemplifica.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Para os itens de consumo preferidos do brasileiro, a lógica é a mesma. Confira oito produtos ou serviços que costumamos adquirir e saiba em que casos eles podem dar retorno ou ser lembrados apenas como mais uma dívida a pagar:

>> CARRO

Gasto – Considerado um bom investimento no passado, hoje o automóvel popular perde 10% de seu valor por ano. “É um bem de consumo que agrega qualidade de vida, mas não é para ganhar dinheiro”, acredita o educador financeiro e presidente da consultoria DSOP Educação Financeira, Reinaldo Domingos. Se for somente para satisfação pessoal e não gerar rendimento, afirma a consultora Suyen, o carro tem mais perfil de despesa, ao requerer recursos financeiros para manutenção e outros gastos.

Investimento – “Ele pode ser considerado um investimento se for ferramenta de trabalho, algo que viabilize visitar clientes, e parte fundamental para viabilizar um negócio próprio”, observa a especialista. Ganhar dinheiro com a venda de carros é somente para especialistas ou vendedores com experiência neste mercado.

>> JOIAS (OURO E PEDRAS)

Gasto – Joias de valor fascinam, mas sua revenda dificilmente é bom negócio. Quando avaliadas para o leilão de penhores da Caixa Econômica, seu valor é calculado pelo peso do objeto, e não pelo trabalho artístico ou pelas pedras incrustadas. E assim como outros bens, a joia ou pedra preciosa passa a valer menos no momento em que é comprada. Diamantes podem perder 50% do valor ao sair da loja.

Investimento – Investir em joias só é vantajoso se a peça tiver um forte valor agregado. Se for antiga ou tiver um cunho histórico, pode ser valiosa dentro de um mercado muito segmentado, explica Suyen. “Mas é preciso encontrar um bom comprador para a peça e que esteja disposto a pagar por ela”. Diferente das joias, os títulos de mercado lastreados em ouro são considerados um investimento, já que ganham ou perdem valor em pouco tempo. Neste caso, você nem vê a cor do ouro. Apenas detém um papel atrelado à valorização do metal.

>> OBRA DE ARTE

Gasto – Assim como as joias, ao comprar o trabalho de um artista, não se deve pensar em gerar aumento de capital. A menos que você seja um especialista, a compra deve ser feita apenas pelo interesse em adquirir a obra. “Se você não entende nada de arte, caia fora”, recomenda Domingos.

Investimento – Há profissionais que enriqueceram vendendo obras de arte, mas eles são a absoluta minoria e, geralmente, profundos conhecedores de seu trabalho. Eles costumam atuar em mercados específicos, como antiguidades, e atuam em círculos fechados de compradores, além de conseguir estimar o valor de uma peça e sua liquidez (facilidade em vendê-la). Fora estes casos, é um mau negócio.

>> ROUPAS E ACESSÓRIOS

Thinkstock/Getty Images

Vestuário como ferramenta de marketing pessoal é investimento

Gasto – Lotou o guarda-roupa com dezenas de peças que você nem usou? Tem tantos pares de sapatos que você nem se lembra em usar metade deles? Ou para cada festa de casamento que você vai, compra um vestido novo e o descarta? Nenhum desses foi um bom investimento. “Em caso de festas, é sempre melhor alugar”, recomenda o consultor do Dsop.

Investimento – Comprar um belo terno para trabalhar ou para uma entrevista de emprego é, certamente, uma boa aposta financeira, segundo Domingos. Roupa e acessórios só são investimentos se agregarem valor a sua imagem. Do contrário, são itens de consumo base do cotidiano. “Só é investimento se a peça adquirida servir como um marketing pessoal”, acredita a consultora Suyen.

>> VIAGEM

Gasto – Difícil definir os gastos com viagem como um dinheiro mal gasto, a menos que o passeio seja forçado ou por alguma obrigação. É daqueles itens que quase sempre geram satisfação, mais associada a experiências do que a bens materiais. “Viagens aumentam a cultura e a bagagem pessoal, mas não o patrimônio material”, explica Suyen.

Investimento – Se for uma viagem de negócios, aí sim ela contribui para o enriquecimento material, aponta Domingos. Viajar para fazer um curso também pode gerar bons frutos. Mas o maior benefício é a realização pessoal e o acesso a cultura e conhecimento.

>> CURSOS

Gasto – De MBAs a workshops, os cursos oferecidos no mercado podem tanto atender a uma necessidade de atualização profissional quanto ao ímpeto de ocupar-se com algo prazeroso. “É apenas um gasto aquele curso de artesanato em que você se distrai, mas fora dali nunca pintou um pano de prato”, exemplifica a consultora Suyen. Adquirir conhecimento para não aplicá-lo é uma despesa sem retorno.

Investimento – Cursar uma especialização ou mesmo um intensivo de férias que sirva como complemento para sua profissão é um ótimo investimento, explica o presidente do Dsop. “Se é para alavancar um negócio ou melhorar seu cargo na empresa, é um dinheiro muito bem aplicado”. Nem sempre um curso que agrega conhecimento, no entanto, trará um benefício direto na carreira. “Cultura bem usada nunca é despesa”, acredita Suyen.

>> LAZER

Gasto – Atividades associadas ao tempo livre, geralmente, se enquadram nas despesas comuns do cotidiano. Mas para que seja um dinheiro bem gasto, é essencial fazer disso um prazer. “Jantar fora todos os dias torna-se um hábito, mas se for uma vez por semana, é laser”, diz Domingos.

Investimento – Se você é um crítico gastronômico, comer em restaurantes será mais que um momento de prazer, mas uma ferramenta de trabalho. O mesmo pode ocorrer para quem trabalha com música e vai ao show de um ídolo. Visitas a parques, museus ou ir ao cinema podem ser investimentos, desde que agreguem algum valor, mesmo de forma indireta.

>> IMÓVEIS

Gasto – Em muitos casos, um imóvel gera mais despesa do que rendimentos. Suyen cita uma casa de praia que fora de temporada nem sempre é fácil de alugar. “Ele precisa de limpeza, manutenção e recolhimento de impostos sem gerar necessariamente lucro”, diz. Sem contar a necessidade de reforma. Se comprar um imóvel para alugar, deve-se avaliar antes a procura e demanda na região. Mas se a casa é aproveitada pelos proprietários com frequência, gera menos despesa.

Investimento – Para fazer a compra de um imóvel uma oportunidade, é preciso ter conhecimento deste mercado. Para Domingos, já passou a fase de supervalorização dos preços vista nos últimos quatro anos e as chances de lucrar caíram. “Ganhar dinheiro com isso também requer especialidade”, avalia. É mais um negócio para profissionais do ramo imobiliário, que conhecem a demanda de determinadas regiões e a liquidez do ativo. Para Suyen, na maioria dos casos o imóvel é considerado um investimento.

iG

PB investe R$ 139 mi na erradicação da pobreza; analfabetismo caiu de 21% para 14% em 2 anos

ricardoO governador Ricardo Coutinho participou, nesta quarta-feira (18), do I Encontro do Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza do Estado da Paraíba (Funcep), no auditório do Hotel Ouro Branco, em João Pessoa, em Tambaú. Na ocasião, ele destacou o avanço das ações e comemorou o aumento dos recursos investidos, que este ano chegaram a R$ 139 milhões, representando um crescimento superior a 120% em relação ao ano de 2010, quando foram investidos R$ 63 milhões.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

De acordo com o governador, o Funcep tem contribuído para que todas as políticas que existem em sua estrutura possam avançar sob a coordenação da Secretaria de Planejamento e Gestão. Ele agradeceu a dedicação que todos envolvidos têm tido com as ações do Funcep sejam integrantes do Governo do Estado ou convenentes como prefeituras, ONGs e outras entidades.

Ricardo disse ainda que um dos desafios da Paraíba e do Brasil é reduzir os índices de determinados indicadores sociais, a exemplo do analfabetismo, cujo percentual em 2010 era de 21,8% da população paraibana acima de 15 anos. Essa taxa, segundo ressaltou, caiu para 14,4% em 2012 e a meta é reduzir cada vez mais.

Na abertura do evento o secretário de Estado do Planejamento e Gestão, Gustavo Nogueira, fez uma breve explanação sobre os investimentos do Funcep em 2013, destacando ações importantes como o pagamento do Abono Natalino, o Seguro Safra, perfuração de poços, pesquisa da raquete de palma resistente à praga da colchonilha do carmim e na área da cidadania e da saúde.

O vice-governador Rômulo Gouveia, por sua vez, enfatizou que o Funcep tem tido um papel importante no Estado. “O Conselho do Funcep dá as diretrizes e ele é formado por representantes de vários segmentos da sociedade, com a coordenação do Governo e esse é um modelo novo de se administrar”, pontuou.

O arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto, como um dos integrantes do Conselho Gestor do Funcep, disse que o fundo visa a inclusão das pessoas, ajuda as pessoas e as entidades. “A diferença é que o Funcep ajuda as pessoas a se profissionalizarem, e o bom é que tem fiscalização, prestação de contas, enfim, é uma entidade verdadeira”, declarou.

Pelo Funcep os recursos, oriundos do ICMS de produtos considerados supérfluos (como cigarros, bebidas, embarcações), são aplicados, exclusivamente, em ações suplementares de nutrição, habitação, educação, saúde, saneamento básico, reforço de renda familiar e outros programas de interesse social, voltados para a melhoria da qualidade de vida.

Investimentos – Antes da abertura do encontro, foi realizada a 59ª reunião ordinária do Conselho Gestor do Funcep. Este ano, no conjunto dos apoios a órgãos governamentais, o Funcep disponibilizou R$ 19,7 milhões para aquisição e distribuição de farinha de milho para os beneficiários do Programa do Leite, executado pela Fundação de Ação Comunitária (FAC), além de R$ 17,4 milhões para aquisição e distribuição de leite e R$ 11,3 milhões para aquisição e distribuição de pão, também no Programa Leite da Paraíba, por meio de três convênios.

No âmbito da Secretaria de Estado do Desenvolvimento, foram investidos R$ 36,3 milhões no Projeto Paraíba Cidadã para pagamento do Abono Natalino. O Funcep realizou ainda em 2013 convênios com seis prefeituras, totalizando R$ 5,2 milhões, destinados à manutenção de hospitais, maternidade, unidade mista de saúde, serviços especializados, além de aquisição de equipamentos para a unidade de saúde de Barra de Santa Rosa.

E também destinou este ano R$ 12,5 milhões para ajudar projetos de órgãos não governamentais em cerca de 20 municípios, a exemplo do Instituto São José/ Hospital Padre Zé, Instituto dos Cegos da Paraíba e Associação Paraibana de Equoterapia. O encontro se encerra no final da tarde, com representantes de cada entidade e instituição apresentando seus balanços.

Os secretários de Estado Waldson Souza, (Saúde), Aparecida Ramos (Desenvolvimento Humano) e Marenilson Bastista (Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca), além de alguns prefeitos, também participaram do encontro.

Secom-PB

Governo investe R$ 18 milhões nas obras de reforma do Amigão, em Campina Grande

amigãoO secretário de Juventude, Esporte e Lazer, Tibério Limeira, realizou, na tarde desta terça-feira (22), uma vistoria no Estádio Governador Ernani Sátyro, o Amigão, em Campina Grande, para acompanhar o andamento das obras de reforma da maior praça esportiva da Rainha da Borborema. A atividade também foi acompanhada pelo secretário executivo de Interiorização do Governo, Moacir Barbosa Rodrigues, e do gerente do Amigão, Ascânio Paceli.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O Governo da Paraíba está investindo recursos na ordem de R$ 18 milhões para revitalização da parte interna, recuperação do gramado, urbanização externa do estádio e urbanização das ruas de acesso ao equipamento esportivo. “O Governo está mostrando, através dessas reformas, o quanto vem trabalhando em benefício das praças esportivas do estado. As obras estão em ritmo acelerado, tanto no Amigão quanto no Almeidão, e esse trabalho inédito tem sido acompanhado de perto pelos torcedores, comprovando o bom momento que vive o futebol paraibano dentro e fora das quatro linhas”, destacou o secretário Tibério Limeira.

O grupo presenciou parte do trabalho de finalização dos bares e do setor da arquibancada geral, que, de acordo com os representantes da Via Engenharia, empresa responsável pela obra, poderão ser concluídas ainda este mês. Esses espaços receberam o novo piso e agora os serviços estão concentrados nos banheiros, onde estão sendo instalados novos vasos sanitários. Em todos esses ambientes também já foram iniciados os assentamentos das cerâmicas.

As ações de restauração dos ferros estruturais estão em andamento, assim como a reconstrução dos vestiários, instalação hidráulica e elétrica, além de recuperação das cabines de imprensa, revestimento das arquibancadas e recuperação do gramado.

“A obra está seguindo fielmente o cronograma definido e essa é sem dúvida uma das grandes conquistas dos torcedores paraibanos, principalmente em Campina Grande, onde a população respira futebol durante todo ano. Por isso, o conforto e as melhorias vão beneficiar não só os clubes, mas também o público esportivo de toda região da Borborema, além dos tradicionais visitantes”, acrescentou o secretário executivo de Interiorização, Moacir Barbosa Rodrigues.

A área externa também irá receber amplo estacionamento, pista de caminhada, dois campos de futebol, duas quadras poliesportivas, pista de skate, área de lazer e quiosques. De acordo com o gerente do estádio, Ascânio Paceli, toda a terraplanagem desse segmento já foi concluída e as primeiras pedras estão sendo colocadas para o início da pavimentação.

O complexo esportivo O Amigão possui 38 anos de fundação, mas nunca havia passado por uma grande reforma. A conclusão da obra está prevista para o primeiro semestre de 2014.

Secom_PB

PB: Governo firma convênios e investe R$ 10 milhões em Segurança Pública

Secretário Cláudio Lima

O Governo da Paraíba vai começar 2013 com mais R$ 10 milhões em convênios assinados para investir em Segurança Pública ao longo do ano. O dinheiro, oriundo da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) e de contrapartidas do Estado, será usado para a informatização de diversos setores e aprimoramento do trabalho desenvolvido pelo Núcleo de Análises Criminais e Estatísticas (Nace) da Secretaria da Segurança e da Defesa Social (Seds).

O objetivo é garantir transparência e agilidade no atendimento à população e um planejamento de combate à criminalidade ainda mais eficiente. Em 2012, apenas por meio de parcerias como o Governo Federal, o Estado investiu quase R$ 9 milhões em segurança.

“Com a parceria com o Governo Federal, vamos reforçar a parte de tecnologia, implantando o sistema de informatização das polícias. Teremos mais rapidez e controle das informações nas delegacias ao implantarmos o Boletim de Ocorrência Eletrônico. Também estamos investindo em instrumentos para aprimorar a análise estatística que tem sido fundamental para traçarmos estratégias de combate à criminalidade”, explica o titular da Seds, Cláudio Lima.[bb]

Com os convênios assegurados, ao longo de 2013 serão investidos R$ 5,9 milhões na qualificação das informações de segurança pública. Para o Nace, serão adquiridos equipamentos de informática e ferramentas para a coleta e análise dos índices criminais do Estado e para a capacitação dos servidores que trabalham na área, fomentando-se as pesquisas para traçar um diagnóstico situacional da problemática da criminalidade no Estado.

Além disso, o Estado vai investir na compra de equipamentos de trabalho e na capacitação dos policiais. Na melhoria da formação dos policiais militares e bombeiros militares serão investidos mais de R$ 1,8 milhão na aquisição de uma unidade móvel de ensino, na informatização e implantação de bibliotecas, na aquisição de um simulador de incêndio, no oferecimento de cursos de capacitação e na a implantação de uma academia de musculação.[bb]

No Instituto de Polícia Científica (IPC) serão investidos cerca de R$ 594 mil na ampliação do Laboratório de DNA Forense e na modernização dos setores de Perícias Papiloscópicas e Balísticas do Instituto e do Laboratório de Toxicologia Forense de João Pessoa.

Para a formação dos policiais civis serão destinados R$ 3,4 milhões na Academia de Ensino de Polícia (AEP) com a montagem de uma nova sala de condicionamento físico e a implantação do Projeto Itinerante de Educação em Segurança Pública. “Por esse convênio vamos adquirir um simulador de tiro móvel que irá funcionar dentro de um grande caminhão baú, possibilitando o treinamento de policiais em todas as regiões da Paraíba a baixo custo”, explica o coordenador administrativo da AEP, Marcelo Isídio.

“Esses são apenas os investimentos assegurados, mas já estamos nos movimentando, organizando projetos, para garantir a assinatura de mais convênios que irão trazer benefícios para a segurança em diversas áreas”, afirma Cláudio Lima. De acordo com o secretário, outras parcerias estão sendo estabelecidas com órgãos do Governo Federal, a exemplo da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres com o objetivo de combater à violência doméstica no Estado[bb].

Secom-PB

Elba Ramalho diz que Ministério da Cultura investe pouco em música e quer Chico César no cargo

A cantora Elba Ramalho comentou nesta sexta-feira (31) sobre as políticas de cultura do Governo Federal e brincou que gostaria de ver Chico César, atual secretário de Cultura da Paraíba, para assumir o Ministério de Cultura. “Assim teríamos uma reviravolta que estamos precisando”, disse.

Elba afirmou que o Ministério da Cultura tem um foco maior para artes como Cinema e Teatro e a música não recebe tanta atenção. “mas a gente também não sente muita falta. O Brasil é muito rico, os estados fazem muito movimento. A cultura e as tradições estão sendo resgatadas”, colocou.

Pedro Callado / Fernando Braz

Com Pró-Investe, Estado vai aplicar R$ 254 milhões em rodovias

Pavimentação-Foto-Antonio-David

Do montante dos recursos que o Governo do Paraíba captará dentro do programa Pro-Invest, que destinou linha de crédito de R$ 20 bilhões para obras de infraestutura nos Estados, R$ 254 milhões serão aplicados na pavimentação de acessos, pavimentação de rodovias turísticas e de integração.

O dinheiro também servirá para financiar obras de restauração e adequação da capacidade de rodovias que atualmente já não suportam a demando do tráfego.

Com a pavimentação de acessos rodoviários, o governo estadual vai tirar do isolamento mais 13 cidades paraibanas. O investimento é de R$ 93,6 milhões, beneficiando 192 km (relação de municípios em anexo).

Na pavimentação de rodovias turísticas o investimento chegará a R$ 56,2 milhões, contemplando 97 km. As rodovias de integração receberão investimento de R$ 36 milhões em 67 km. Com a adequação de capacidade – restauração e alargamento – o investimento será de R$ 8,4 milhões em 14 km.

Também serão restaurados 188 km de rodovias com investimento de R$ 31,5 milhões. Em obras de rejuvenescimento (aplicação de novo asfalto) serão aplicados R$ 11,8 milhões em 111 km. Finalmente, com o melhoramento do sistema viário de João Pessoa terá investimento de R$ 16,5 milhões, contemplando 2,5 km.

As obras e cidades beneficiadas:

PROGRAMA DE INVESTIMENTO RODOVIÁRIO

1 – Pavimentação de acessos – 192 km – R$ 93,6 milhões

PB-127: BR-104/Algodão de Jandaíra

PB-132: PB-102/Gado Bravo

PB-148/200: São José dos Cordeiros/Serra Branca

PB-195: BR-230/Tenório

PB-196: Riacho de Santo Antonio/Barra de São Miguel

PB-200: Serra Branca/Coxixola

PB-202: Parari/Santo André

PB-202: São João do Cariri/Parari

PB-246: Desterro/Cacimbas

PB-248: Entrocamento PB-250/Amparo

PB-313: Brejo do Cruz/São José do Brejo do Cruz

PB-356/354: Pedra Branca/Nova Olinda

PB-411: Bernardino Batista/BR-434

2 – Pavimentação de rodovias turísticas – 97 km – R$ 56,2 milhões

PB-065/061: Mataraca/Barra de Camaratuba

PB-s/n: BR-101/Forte Velho

PB-097: Alagoa Nova/Areia

PB-103: Dona Inês/Bananeira

PB-160: Boa Vista/Cabaceiras

3 – Pavimentação de rodovias de integração – 67 km – R$ 36 milhões

PB-356: Tavares/Nova Olinda

PB-030: BR-230/Pedras de Fogo

4 – Adequação de capacidade (restauração e alargamento) – 14 km – R$ 8,4 milhões

PB-044: BR-101/Caaporã/entrocamento PB-008

5 – Restauração de rodovias – 188 km – R$ 31,5 milhões

PB-148: Queimadas/Boqueirão/Cabaceiras

PB-066: Itabaiana/Juripiranga

PB-079: BR-230/Juarez Távora/Alagoa Grande

PB-121: Esperança/Areia/Pocinhos/BR-230 e acesso a Montadas

PB-077: Cuitegi/Pilões

PB-325: BR-230/Catolé do Rocha

6 – Rejuvenescimento de rodovias – 11 km – R$ 11,8 milhões

PB-221: Santa Luzia/São José do Sabugi/Divisa PB-RN

PB-004: Bayeux/Santa Rita/Sapé

PB-089: Belém/Caiçara/Logradouro

PB-391: Sousa/Uiraúna

 

7 – Melhoramento do sistema viário de João Pessoa

Trevo de Mangabeira: interseção das avenidas Josefa Taveira/Hilton Souto Maior

Alça Sudeste: BR-101/Valentina/PB-008 (pista dupla,canteiro central,iluminação, calçadas lateriais)

 

 

Secom/PB