Arquivo da tag: internet

‘Dietas de internet’ podem ser arriscadas e causar doenças

Perder peso rápido é um dos desejos para quem quer alcançar o corpo que deseja. Mas o que muitos acabam fazendo é procurar na internet como se alimentar e assim se deparam com uma infinidade de dietas ‘malucas’ como dieta da sopa, detox, shakes, jejum intermitente, low carb entre outras. O que muitas pessoas não sabem é que essas alternativas trazem riscos à saúde.

As dietas excessivamente restritivas são geralmente pobres em nutrientes, como carboidratos, proteínas e até vitaminas. Além disso, jejuar por muito tempo ou comer poucas refeições ao longo do dia pode contribuir com o surgimento de doenças como gastrite, anemias, hormonais e transtornos alimentares.

“A maioria dessas dietas da moda provoca uma restrição de calorias severas, algumas podem desencadear carências nutricionais, afetar o sistema imunológico, alterar o metabolismo, e ainda corre o risco de recuperar o peso perdido, conhecido como efeito sanfona”, explica a nutricionista Alexsandra Santos.

Perde peso, ganha peso

O efeito sanfona é quando pessoas perdem peso rapidamente com restrição muito limitante de alimentos ou nutrientes. É caracterizado pelo ganho de peso logo após o término do regime. Isso faz com que o metabolismo seja alterado e torna difícil manter o peso ideal.

Distúrbios alimentares

Ainda é possível listar os transtornos alimentares, como anorexia, bulimia e obesidade, como resultados das dietas restritivas. A frustração, fator psicológico, do efeito reverso ao fim da dieta faz com que a pessoa adquira repulsão ou compulsão alimentar.

Por trás dos shakes

Segundo a nutricionista, as dietas mais procuradas ainda são os shakes, que têm o objetivo de substituir as refeições. Mas o desafio de manter o peso após essa alternativa é que os shakes não ajudam as pessoas a aderirem a hábitos saudáveis. Um desses hábitos é a mastigação, um dos sinalizadores da saciedade.

Lígia da Silva, 50 anos, já tomou shakes e relata a insatisfação com esses produtos. “Eles só falam que emagrece, mas nunca consegui perder peso porque esperava um resultado imediato, e não acontecia. Mas eles nunca oferecem só a bebida. Sempre tem os complementos. Chás para eliminar líquido, chás com fibras para o intestino funcionar melhor, e agora tem o milk shake também”.

Atitudes que garantem uma vida saudável

Optar por acompanhamento de um profissional vem se tornando uma necessidade. A busca pela ajuda profissional não é apenas por questões estéticas ou melhor condicionamento físico, é também por uma vida saudável.

A orientação básica é ter cuidado em seguir dietas que não foram planejadas para cada pessoa. Cada organismo tem uma necessidade, aconselha Alexsandra. “Para uma vida equilibrada é preciso unir alimentação saudável e exercícios físicos regulares”, finaliza.

 

por

 Luana Menezes

 

 

Polícia alerta para golpe na compra e venda de veículos pela internet

A Polícia Civil da Paraíba alerta para fraude na compra e venda de veículos usados anunciados na internet. “Estelionatários de outros estados, principalmente Mato Grosso do Sul e São Paulo, estão se passando por interessados em comprar veículos anunciados em João Pessoa”, afirmou o delegado Carlos Othon.

O golpe ocorre quando uma pessoa divulga a venda de seu veículo em um site de anúncios na internet. Ao ver o anúncio, o criminoso faz contato com o proprietário do carro e garante a compra do veículo. Porém, ele conta uma história fictícia e informa que pagará o valor combinado, mas o veículo será entregue a outra pessoa que irá ao local analisar o carro.

Após conseguir a confiança da vítima, o estelionatário pede que ela retire o anúncio da internet, sob o pretexto de que o veículo já está negociado. “Nesse momento, entra a segunda fase do golpe. O estelionatário já fez cópia do anúncio e das imagens do veículo. Ele publica novamente o anúncio, colocando seu próprio número de contato e se passando por dono do carro”, destaca Carlos Othon.

Nesse segundo anúncio feito, desta vez, fraudulento, o estelionatário divulga a venda do carro por um preço bem inferior ao praticado no mercado. “Quando aparece algum interessado em comprar esse veículo, ele conta outra história fictícia e o encaminha ao local onde o veículo se encontra “, diz o delegado.

Tanto o real proprietário do carro, quanto o interessado na compra já estão enganados. “Eles são orientados pelo estelionatário a mentir um para o outro, para que não descubram o golpe em andamento. Após aprovar o carro, o interessado na compra é convencido a depositar o dinheiro na conta bancária do estelionatário”, completou Othon.

Somente após alguns dias é que o golpe é descoberto. “Tanto o dono do veículo quanto o interessado na compra agem de boa fé, mas são enganados por um criminoso que está em outro estado”, afirma o delegado.

A Polícia Civil informou que está investigando a ação desse tipo de crime em João Pessoa, mas reforça que a população adote cuidados na hora de fechar negócios por meio da internet.

“Desconfiar sempre de valores muito baixos e se certificar que está negociando com o legítimo dono do veículo ou seu representante legal são algumas recomendações policiais”, disse o delegado.

Em caso de dúvida ou suspeita de que está lidando com um criminoso, a polícia recomenda procurar a equipe da DDF/JP, na Central de Polícia, no bairro do Geisel, em João Pessoa.

 

portalcorreio

 

 

Pedidos de recurso e revisão do INSS passam a ser pela internet

A partir desta segunda-feira (13), os pedidos de revisão de valor do benefício, de recursos e de cópia de processos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) poderão ser feitos apenas pela internet, no Meu INSS, ou pelo telefone 135.

A estimativa do INSS é que atualmente esses serviços levem mais de 70 mil pessoas por mês às agências. Com as solicitações feitas pela internet ou telefone, o órgão espera melhorar o atendimento ao público e poupar trabalho e gastos aos cidadãos que precisam se descolar em busca de uma agência do órgão.

A mudança faz parte do projeto de transformação digital implantado pelo INSS para ampliar a oferta de serviços digitais.

Como acessar o Meu INSS

O Meu INSS é acessível por meio de computador ou celular. Para usar o serviço é preciso se cadastrar e obter uma senha no próprio site. Também é possível obter a senha no internet banking de instituições da rede credenciada que são Banco do Brasil, Banrisul, Bradesco, Caixa, Itaú, Mercantil do Brasil, Santander, Sicoob e Sicredi. Em caso de dúvida, basta ligar para o 135.

Para acessar os serviços de cópia de processo, revisão e recurso basta ir em Agendamentos/Requerimentos, escolher o requerimento ou clicar em Novo Requerimento, atualizar os dados caso seja pedido e, em seguida, escolher a opção Recurso e Revisão ou Processos e Documentos. Este último é para aqueles que buscam uma cópia de processo.

 

Agência Brasil

 

 

Mega-Sena: aposta feita pela internet ganha sozinha e leva R$ 289 milhões

A Caixa realizou na noite deste sábado (11) o concurso 2.150 da Mega-Sena, com expectativa de prêmio de R$ 289 milhões. Apenas uma aposta acertou as seis dezenas.

A aposta foi feita pela internet, mas a Caixa não divulgou em qual cidade ela foi realizada.

As dezenas sorteadas foram: 23 – 24 – 26 – 38 – 42 – 49.

A Quina teve 838 acertadores. Cada um vai ganhar R$ 30.450,20. Outras 56.994 pessoas ganharam na Quadra. Neste caso, o prêmio é de R$ 639,59.

Este é o maior prêmio entre os concursos regulares da história. O sorteio foi às 20h (horário de Brasília) em São Paulo (SP). De acordo com a Caixa, foram feitas 126,3 milhões de apostas nas lotéricas do país e pela internet.

Para o próximo sorteio, a expectativa de prêmio é de R$ 3 milhões.

Probabilidades

A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

 Foto: Gabriela Sarmento/G1

G1

 

Trabalhador de empresa de internet morre após cair de poste, em João Pessoa

Um homem caiu de um poste na manhã desta quinta-feira (18) e morreu, no Bairro das Indústrias, em João Pessoa. O trabalhador de 26 anos estava fazendo alguns serviços no poste quando caiu no chão.

Quando a Polícia Militar chegou no local, o Samu já havia constatado o óbito. O homem é trabalhador de uma empresa de internet.

Segundo informações da PM, o Samu não soube informar o motivo da morte. Apenas uma perícia vai poder afirmar se houve choque ou se a queda foi provocada por outro motivo.

Foto: Walter Paparazzo/G1

G1

 

Eleitor pode justificar ausência pela internet

O eleitor que faltar à votação de segundo turno, no próximo dia 28, ou que não tenha comparecido às urnas no primeiro turno, no último dia 7, poderá justificar a ausência pela internet, no portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

No sistema, ele deverá informar número do título eleitoral, nome completo, data de nascimento, e-mail e o motivo da abstenção, anexando cópia digital de ao menos um documento que comprove por que não foi votar.

Entre os documentos aceitos, estão:

atestado médico;

bilhete de viagem;

declaração do empregador comprovando trabalho em regime de plantão no dia da votação.

Caberá ao juiz eleitoral analisar o motivo e o comprovante para aprovar a justificativa.

Prazos

A justificativa poderá ser feita pela internet até 60 dias depois do dia da votação. No caso do primeiro turno, o prazo termina em 6 de dezembro; no caso do segundo turno, em 27 de dezembro (para cada turno que faltar, o eleitor tem que fazer uma justificativa diferente).

O eleitor com domicílio eleitoral no Brasil que estiver em viagem ao exterior no dia da votação terá garantido o prazo de 30 dias a contar da data de retorno, mesmo que ultrapasse os 60 dias após a votação que tiver faltado.

A justificativa feita pela internet deverá ser aprovada posteriormente por um juiz e o eleitor poderá acompanhar no mesmo site o andamento do pedido.

Justificativa presencial

O procedimento de justificativa também pode ser feito presencialmente, em qualquer cartório eleitoral, nos mesmos prazos, inclusive no dia da votação. Os endereços podem ser consultados aqui.

Se preferir, o eleitor já poderá levar ao cartório o pedido de justificativa preenchido, em formulário disponível aqui.

No cartório, ele deverá levar um documento oficial com foto, o título de eleitor ou o número do documento.

Prazo perdido

O eleitor que perder o prazo de justificativa deverá regularizar seu título eleitoral com pagamento de multa, que varia de R$ 3,51 a R$ 35,10. O boleto de pagamento pode ser emitido neste endereço.

Após o pagamento, o eleitor deve levar o comprovante ao cartório para concluir a regularização. O título irregular impede a pessoa de tirar passaporte, receber salário como funcionário público, tomar alguns tipos de empréstimo em bancos estatais, tomar posse em cargo público e se matricular em instituições de ensino mantidas pelo governo.

G1 

Guia dá dicas de como fazer bom uso da internet nas eleições

O Comitê Gestor da Internet (CGI.Br) lançou um guia com orientações para estimular cidadãos a fazerem um bom uso da internet.

O manual traz dicas de como evitar problemas disseminados pelas tecnologias digitais, como as diversas formas de desinformação (práticas também conhecidas como as chamadas notícias falsas ou fake news no termo popularizado em inglês).

A internet gerou impactos fundamentais na política e faz parte da democracia e das disputas eleitorais.

Mensagens falsas, conteúdos de ódio ou discriminatórios, propaganda eleitoral paga e interação direta entre candidatos e eleitores em redes sociais e outras plataformas são uma realidade cada vez mais poderosa e já fazem parte da dinâmica da disputa que terá seu desfecho nas urnas em outubro.

O texto pondera que essas tecnologias não são neutras e é importante não confundir redes sociais com “praças digitais” marcadas pela liberdade plena.

Em vez disso, seria mais adequado entendê-las como shoppings, operados por empresas privadas, com regras próprias e que, mesmo com a gratuidade, envolvem custos ao acesso: os pacotes para navegar na internet e o uso de dados pessoais coletados para a difusão de publicidade segmentada.

Compreender essa lógica, acrescenta o guia, é importante para entender que o acesso a conteúdos em plataformas como TwitterGoogle ou Facebook é filtrado pelas regras, pelos critérios e pelos sistemas de cada empresa.

O eleitor deve tomar cuidado com o risco da personalização promovida pelas plataformas se transformar em “bolhas”, dentro das quais são privilegiados conteúdos próximos do que concordamos em vez de opiniões divergentes. E isso, em um momento de debate e confronto de propostas diferentes, pode ter um impacto relevante.

Evitando os efeitos negativos dessas características, os eleitores podem usar a internet como poderosa fonte de informações.

Podem, por exemplo, acessar programas de governo, promessas anteriores de candidatos, contas do governo e análise de órgãos de controle (como os tribunais de contas ou comissões de acompanhamento e inquérito), além de buscar possíveis processos judiciais envolvendo um candidato, acusações e eventuais condenações.

Pela internet circula também propaganda eleitoral oficial. Para além de envio de boletins por e-mail e dos sites, pela primeira vez candidatos e partidos poderão divulgar anúncios pagos (sejam conteúdos impulsionados, sejam resultados pagos de busca no Google). O guia lista casos proibidos pela legislação eleitoral, o que pode ser denunciado pelo eleitor.

Além de propaganda eleitoral paga irregular, o usuário também pode questionar outros abusos, como calúnias, injúrias, difamação e racismo. O Marco Civil da Internet (Lei 12.965, de 2014) prevê a possibilidade de solicitar à Justiça a remoção de um conteúdo caso ele viole de alguma forma a legislação brasileira. As plataformas podem ser responsabilizadas se não cumprirem determinações judiciais.

Desinformação

O manual do CGI também discute formas de evitar a desinformação, definida como “conteúdos que visam propositalmente enganar o leitor usando estratégias para ocultar a intenção”, criados para produzir lucros ou comprometer a reputação de pessoas, inclusive candidatos e legendas.

O texto destaca que os usuários devem estar atentos, pois podem ser tanto vítimas quanto agentes de disseminação desse tipo de conteúdo.

“Além do cuidado com as fontes que usamos para formar nossa própria opinião, é fundamental que tenhamos cautela ao repassar informações que recebemos; mesmo as que pareçam muito com a verdade – ou com o que gostaríamos que fosse a verdade! – para não contribuir com a desinformação e nos tornar instrumentos de agentes cujos reais interesses desconhecemos”, recomenda o guia do Comitê Gestor da Internet.

Além dos cuidados dos usuários para reconhecer e não repassar desinformação, o manual defende o fortalecimento da liberdade de expressão, a proteção da privacidade e dos dados pessoais dos usuários e transparência para que eleitores possam distinguir conteúdos noticiosos, opinativos e propaganda paga, além de iniciativas de educação para a mídia que incentivem uma relação mais crítica das pessoas com dispositivos, aplicativos e plataformas.

Agência Brasil

Polícia Civil alerta para golpes de venda de veículos pela internet

Uma modalidade de golpe, relacionada à negociação de veículos pela internet, tem deixado a polícia em alerta. Os suspeitos demonstram interesse na compra do veículo e realizam um depósito falso na conta do vendedor, que é convencido a entregar a mercadoria. Quando a vítima percebe que o pagamento não foi compensado, o suposto comprador já desapareceu com o carro. Este ano, a Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) já foi comunicada de 16 casos.

Em um caso recente, o golpista realizou um falso depósito de R$ 18 mil pela compra de um carro e convenceu a vítima a entregar o veículo antes mesmo que o depósito fosse compensado. No mesmo dia, o homem vendeu o veículo por R$ 12 mil em uma concessionária de João Pessoa, conforme contou o delegado da DDF, Lucas Sá. Para a transação com a concessionária, foi fornecida conta bancária do estado do Mato Grosso.

O golpe foi descoberto apenas quando o depósito feito para a primeira vítima não foi compensado. A concessionária chegou a questionar o suspeito via Whatsapp e ele confessou a fraude, não demonstrando medo de represálias. Outra vítima do mesmo suspeito procurou a delegacia pouco tempo depois, alegando um prejuízo de R$ 20 mil.

O delegado explicou que a DDF já conseguiu prender diversas pessoas em flagrante por crimes dessa natureza, que infelizmente são comuns. Segundo ele, geralmente os golpistas realizam o depósito através de envelopes nos caixas eletrônicos. Os envelopes são inseridos vazios e então o depósito não é compensado, mas antes que isso seja descoberto, a vítima já foi convencida a entregar o veículo. Ele contou que diversos grupos agem dessa forma e não há preferência por tipo de carro ou perfil de vítima específico. “Eles tentam com qualquer um”.

Orientações

▶ Todas as negociações de veículos realizadas pela internet só devem ser concluídas quando o real proprietário do veículo (nome constante no documento) participar de alguma forma da negociação, seja presencialmente ou através de autorização por escrito;

▶ Em caso de pagamento via depósito ou transferência, o vendedor deve entregar o veículo apenas após a confirmação do pagamento, feita diretamente na agência bancária na qual é correntista;

▶ No caso de qualquer conduta suspeita, a Polícia Civil deverá ser imediatamente acionada.

correiodaparaiba

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Pais devem acompanhar o acesso de crianças à internet, alertam especialistas

Julho é o mês das férias escolares e, com elas, vêm a preocupação de muitos pais sobre como os filhos aproveitam o tempo livre. O acesso à internet e às redes sociais é uma das formas de passar o tempo, mas deve ser feito com cuidado para não prejudicar as crianças e adolescentes.

Especialistas concordam que o acesso à rede mundial é um caminho sem volta, e a proibição do uso não é a melhor opção para os pais. O presidente da organização não governamental Safernet, Thiago Tavares, diz que a melhor estratégia continua sendo o diálogo, a conversa franca e a relação de confiança que deve existir entre pais e filhos.

“Da mesma forma que você conversa com seus filhos sobre os riscos que existem ao sair na rua, na escola, no cinema, você diz para ele não aceitar bala de estranhos, você também deve orientá-lo em relação ao uso seguro da internet”, diz. Ele recomenda também o uso de versões customizadas de sites e aplicativos, que selecionam o conteúdo apropriado para crianças.

O especialista não recomenda o monitoramento dos filhos com o uso de softwares espiões. Segundo ele, esses programas passam uma falsa sensação de segurança e podem comprometer a relação de confiança entre pais e filhos. “Proibir o uso da internet não adianta. E monitorar o que seu filho faz por meio de softwares espiões também não ajuda, porque quebra uma relação de confiança e é ineficiente, porque as crianças não acessam a internet de um único dispositivo”, justifica.

Espaço público

A mestre em psicologia clínica Laís Fontenelle orienta aos pais acompanhar os acessos virtuais dos filhos da mesma forma como é feito no mundo real. “O mesmo cuidado que tem de ter na internet é o cuidado que tem de ter em um espaço público. Os pais têm de monitorar da mesma forma que monitora a casa do amigo que o filho vai, a praça que vai frequentar, a festa, porque é como se fosse um espaço público, só que virtual”, explica.

No caso de crianças não alfabetizadas, o acesso à internet precisa sempre ser feito com a supervisão de um adulto, diz a psicóloga. “A mediação é imprescindível principalmente para crianças que não estão alfabetizadas. Elas vão com o dedinho no touchscreen [tela do celular ou tablet] e podem cair em um conteúdo que não é adequado para elas, e não têm a maturidade para lidar com o conteúdo que está ali”, adverte.

A psicóloga também “puxa a orelha” dos pais, alertando para a responsabilidade do exemplo dado às crianças. “Não adianta a gente fazer um overposting dos nossos filhos nas redes sociais, expondo tudo que acontece na vida deles: ‘ganhou um peniquinho, comeu a primeira papinha’ e dizer para eles não fazerem isso. Se a gente não sabe lidar com esses limites claros sobre o que pode ser publicizado sobre a intimidade das nossas vidas, eles nunca vão saber”, diz Laís.

Os principais riscos do uso da internet por crianças e adolescentes são os acessos a conteúdos inapropriados para a idade, como pornografia, a exposição da privacidade em redes sociais, o cyberbulling e a exposição da intimidade, principalmente na adolescência. “Os casos de vazamento de nudes [fotos de nudez] não param de crescer ano a ano”, diz o presidente da Safernet. Além disso, há o perigo do contato com estranhos, que pode resultar em tentativas de assédio, aliciamentos ou golpes.

Uma pesquisa divulgada no ano passado pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil mostrou que 87% crianças e adolescentes entre 9 e 17 anos têm perfil em redes sociais, e 66% acessam a internet mais de uma vez por dia. Segundo o estudo TIC Kids Online Brasil, 11% dos entrevistados acessaram a internet antes dos 6 anos de idade.

Trem-bala

A jornalista Melissa Gass levou um susto quando viu que o canal no Youtube da filha Lívia, de 7 anos, tinha mais de 15 mil visualizações. O sucesso veio quando a menina postou um vídeo dançando o hit Trem-Bala, da cantora Ana Vilela. “Como ela não posta muita coisa, eu não esperava, mas por causa desse vídeo acabou tendo uma repercussão maior. É muita exposição, a gente fica meio preocupado”, conta a mãe.

Em seu canal, Lívia mostra brincadeiras, músicas, livros e até receitas culinárias. “Eu gosto de ser famosa”, diz a menina, que também participa de aulas de canto, dança e vai começar a fazer teatro.

Para Melissa, não tem como proibir o acesso das crianças à internet, mas é preciso monitorar as atividades dos pequenos na rede. “A tecnologia é uma realidade. Com um ano de idade, ela mexia no celular, então não tem como fugir. Quando a gente proíbe, é pior, porque vai fazer escondido. Então a gente monitora, acompanha, incentiva o que pode incentivar”, explica.

Entre as orientações que os pais dão para Lívia, estão não seguir canais de adultos e não comentar nem trocar mensagem privada com desconhecidos. “A gente fala que têm adultos que querem fazer maldades para as crianças, então que ela tem de tomar cuidado, a gente dá essa orientação”, diz Melissa. A mãe também monitora as redes sociais da filha e, quando vê algo suspeito, desabilita o contato.

Agência Brasil 

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Mulher faz fotos nuas em ponto turístico da Paraíba e imagens vazam na internet

pelada

Uma mulher não identificada  teria usado o Lajedo de Pai Mateus, da cidade de Cabaceiras, interior da Paraíba, para servir de paisagem para tirar toda a roupa e posar nua. O local é um dos pontos turísticos mais visitados do Estado por ser uma das sete maravilhavas da Paraíba e por ter uma formação rochosa que atrai muitos turistas.

As imagens foram enviadas foram compartilhadas nas redes sociais. As fotos mostram a jovem em momentos sensuais.

A mulher não identificada e ainda não se sabe a data em que as fotos foram feitas. Acredita-se que as fotos seriam amadoras e teriam vazado através de aplicativo de celular.

pbhoje

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br