Arquivo da tag: Incêndio

Bombeiros combatem incêndio florestal entre Guarabira e Araçagi, na Paraíba

Na tarde desta sexta-feira (1º), a guarnição de Combate a Incêndio (ABT-22), composta pelo Sargento Betuel, Sargento M Silva, Cabo Gama e Cabo Montenegro, atendeu a uma ocorrência de incêndio florestal, nas proximidades de Pirpiri, localizado entre Guarabira e Araçagi, na Paraíba.

Devido as grandes proporções do incêndio na vegetação, foi necessário o apoio da guarnição de Busca e Salvamento (ABS-17), composta pelo Sargento Emanuel e Cabo Jobson, chefiada pelo Tenente Sérgio Félix.

O combate teve início por volta das 13h e só foi concluído após as 17h, com a extinção total das chamas.

Blog do Pedro Júnior

Fonte: 3º BBM

 

 

Incêndio atinge zona rural de Monteiro, na Paraíba

Um incêndio atingiu a zona rural de Monteiro, no Cariri da Paraíba, nesta sexta-feira (18). De acordo com o Tenente Rogério, do Corpo de Bombeiros, uma equipe de militares está no local tentando controlar o fogo com o apoio de um caminhão-pipa da prefeitura.

Ainda de acordo com o Corpo de Bombeiros, o incêndio começou em uma área de vegetação. Embora as chamas tenham começado no início da tarde, o batalhão só foi acionado por volta das 15h40 e só conseguiu chegar ao local por volta das 18h30, por causa da distância.

O combate ao fogo já dura mais de duas horas, mas os bombeiros descartam a possibilidade de que o incêndio atinja grandes proporções. Segundo o Tenente, não há registros de nenhum ferido.

As causas do incêndio também ainda não foram identificadas. Mas os bombeiros acreditam que o tempo quente e seco favoreceu o início das chamas e a expansão delas. “Tudo indica que seja natural por causa do calor. O mato seco também ajuda muito a espalhar o fogo”, pontuou Rogério.

G1

 

Incêndio atinge depósito de fábrica de material reciclável, em Queimadas, no Agreste da PB

Um incêndio atingiu um depósito de uma fábrica de material reciclável por volta das 20h desta segunda-feira (7), no bairro do Ligeiro, em Queimadas, no Agreste da Paraíba. Três equipes do Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba foram enviadas para controlar o fogo.

O incêndio atingiu o local e o fogo se alastrou rapidamente tomando grande proporção. Foram necessários mais de 26 mil litros de água para controlar o fogo. O expediente da fábrica foi encerrado às 17h e no momento do incêndio não havia ninguém no local.

O fogo atingiu parte da fábrica onde o material reciclável era separado e, por se tratar de produtos inflamáveis, tudo foi queimado. Outras duas empresas que ficam ao lado da fábrica estavam com chamas ao entorno quando os bombeiros chegaram, mas não foram atingidas.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, apesar da situação estar controlada, o clarão do fogo e a fumaça duraram a madrugada inteira. As equipes do Bombeiros trabalharam por cerca de 10 horas ininterruptas em um trabalho de resfriamento e revirada dos entulhos para o cessar do fogo.

O trabalho dos bombeiros terminou por volta das 6h30 desta terça-feira (8). As causas do incêndio estão sendo investigas. Uma equipe do Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba deve fazer uma perícia no local atingido pelo fogo quando não houver mais fumaça.

Corpo de Bombeiros trabalhou no combate das chamas na fábrica de material reciclável até às 6h30 desta terça-feira (8) — Foto: Reprodução/TV Paraíba

Corpo de Bombeiros trabalhou no combate das chamas na fábrica de material reciclável até às 6h30 desta terça-feira (8) — Foto: Reprodução/TV Paraíba

 

G1

 

 

Fogo na Serra Preta é controlado após 7 dias, na PB; incêndio pode ter sido criminoso, diz Bombeiros

Após sete dias, o incêndio de grandes proporções que atingiu a Serra Preta, em Mãe D’Água, no Sertão da Paraíba, foi controlado, conforme informou na manhã desta segunda-feira (30) o comandante Regional do Corpo de Bombeiros, Saulo Laurentino. De acordo com o coronel, as chamas, que começaram no dia 22 de setembro, foram controladas no último domingo (29), mas o fogo ainda não foi extinto. A suspeita dos bombeiros é de que o incêndio seja criminoso.

Segundo o comandante, há suspeita de que o incêndio seja criminoso porque vários moradores da região denunciaram a presença de um homem circulando em uma motocicleta próximo aos principais focos do incêndio.

“As equipes do combate receberam informações de que moradores viram uma pessoa de motocicleta, às margens das estradas, ateando fogo propositalmente em várias propriedades rurais da região. E quando a gente analisou toda a área, as características apontam que o fogo realmente pode ter sido criminoso”, explicou Saulo Laurentino.

Bombeiros trabalham no local para tentar extinguir fogo totalmente, na Serra Prera, Sertão da PB — Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros

Bombeiros trabalham no local para tentar extinguir fogo totalmente, na Serra Prera, Sertão da PB — Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros

Na manhã do último sábado (28), os bombeiros conseguiram controlar os principais focos do incêndio. Mas, segundo o comandante, ainda durante a tarde do sábado, as chamas se descontrolaram novamente devido ao calor e ao clima seco da região.

“Agora o fogo está controlado, mas não extinto na totalidade. No sábado, a gente conseguiu controlar a maioria dos focos do incêndio, mas no mesmo dia houve descontrole das chamas novamente. Foi neste domingo [29] que conseguimos de fato controlar o fogo, para esse trabalho a gente recebe apoio de militares de Campina Grande e João Pessoa”.

Principais focos do incêndio foram controlados, mas fogo não foi totalmente extinto — Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros

Principais focos do incêndio foram controlados, mas fogo não foi totalmente extinto — Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros

Uso de drones para mapeamento da área

Ainda conforme o comandante Regional do Corpo de Bombeiros, nesta segunda-feira, cerca de 25 militares atuam no combate ao incêndio. Além disso, as equipes vão receber apoio de drones para realizar o mapeamento da área atingida pelo fogo. “Esses drones auxiliam os bombeiros no trabalho de mapeamento da região, e também vai nos ajudar a dimensionar a área queimada”, destacou.

Cerca de 25 militares fazem força tarefa para extinguir o fogo na Serra Preta, no Sertão da PB — Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros

Cerca de 25 militares fazem força tarefa para extinguir o fogo na Serra Preta, no Sertão da PB — Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros

Incêndio começou no dia 22 de setembro

O incêndio de grandes proporções atinge a Serra Preta desde o dia 22 de setembro. De acordo com o coronel Saulo Laurentino, o fogo chegou a ser controlado entre a quarta (25) e a quinta-feira (26), mas, como o local é de difícil acesso, as chamas teriam se alastrado na manhã da sexta-feira (27), reduzidas no período da tarde, mas continuaram totalmente descontroladas na região.

Conforme Saulo Laurentino, a terra no local é bastante íngreme. “O fogo é no pico da serra. O combate é desgastante, porque as viaturas só conseguem chegar até um certo ponto, então precisamos levar todo o material de combate caminhando até o local, é cerca de uma hora caminhando só pra chegar lá em cima”, salientou.

Fogo estava totalmente descontrolado, segundo bombeiros, em Mãe D'Água, na Paraíba — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Fogo estava totalmente descontrolado, segundo bombeiros, em Mãe D’Água, na Paraíba — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

 

G1

 

 

Incêndio de grandes proporções atinge a Serra Preta, em Mãe D’Água, no Sertão da Paraíba

Um incêndio de grandes proporções atingiu a Serra Preta, em Mãe D’Água, no Sertão da Paraíba. De acordo com o comandante Regional do Corpo de Bombeiros, coronel Saulo Laurentino, o fogo começou desde o último domingo (21) e está totalmente descontrolado. Equipes de bombeiros realizam força tarefa para tentar combater o incêndio, mas local é de difícil acesso.

Conforme o coronel Saulo Laurentino, o fogo chegou a ser controlado entre a quarta (25) e esta quinta-feira (26), mas, como o local é de difícil acesso, as chamas teriam se alastrado na manhã desta sexta-feira e estão totalmente descontroladas na região.

A dificuldade de controle acontece pelo local ser uma região de serra e mata fechada. “O fogo estava tranquilo, mas depois perdeu o controle novamente, está totalmente descontrolado, e tem uma área muito grande queimada, o local é de difícil acesso, e até então a gente não consegue verificar a quantidade da área atingida”, explicou o comandante.

Conforme Saulo Laurentino, a terra no local é bastante íngreme. “O fogo é no pico da serra. O combate é desgastante, porque as viaturas só conseguem chegar até um certo ponto, então precisamos levar todo o material de combate caminhando até o local, é cerca de uma hora caminhando só pra chegar lá em cima”, salientou.

O comandante afirma que ainda não é possível precisar as causas do incêndio. “A gente não tem nenhuma informação nesse sentido ainda, só depois de conseguirmos controlar o fogo é que poderemos avaliar o que pode ter provocado o incêndio, isso vai ser determinado após uma perícia no local”, pontuou.

No local permanecem três viaturas do Corpo de Bombeiros. Ainda segundo o coronel Saulo Laurentino, as equipes se revezam para o trabalho de combate ao fogo. “Além das equipes, estamos recebendo apoio de voluntários da região”, destacou.

Fogo está totalmente descontrolado, segundo bombeiros, em Mãe D'Água, na Paraíba — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Fogo está totalmente descontrolado, segundo bombeiros, em Mãe D’Água, na Paraíba — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

 

G1

 

 

Queimadas: Paraíba já registrou 103 focos de incêndio só este ano

O tamanho do estrago das queimadas na floresta amazônica ainda é incerto, mas o certo é que elas podem afetar o clima no Nordeste. Mesmo estando longe da floresta “pulmão do mundo”, a Paraíba pode sofrer com os efeitos das queimadas.

A fumaça que se espalha entre o centro e o sul da África, na altura da República Democrática do Congo, Zâmbia e países vizinhos, já está alcançando o litoral do Nordeste.
Na Paraíba, a Associação Paraibana de Astronomia (APA), identificou que o pôr do sol está mais avermelhado recentemente, algo normalmente percebido somente na época de colheita da cana, o que não é o caso.

Segundo o Centro de Monitoramento do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), setembro começou com 10 focos de queimadas ativos na Paraíba e foram registrados 103 até o fim de agosto deste ano, número pouco menor que os 102 vistos no mesmo período de 2018.

A partir de imagens de satélite, a APA concluiu que a alteração na coloração do céu de João Pessoa não vem das queimadas no estado, mas das que ocorrem no continente africano, que estão espalhando fumaça também no litoral do Nordeste por meio de correntes de vento que atravessam cerca de 6 mil km do Oceano Atlântico.

O geógrafo e professor da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) Hermes Alves de Almeida aponta que a Amazônia é importante não somente para o Brasil, mas para todo o planeta. Um estudo divulgado no ano passado pela Universidade de São Paulo (USP) apontou que o bioma é um dos maiores estoques de carbono em ambientes terrestres do mundo.

Em 2018, o setor de Estatísticas do Corpo de Bombeiros registrou 1.565 incêndios em vegetação, terrenos baldios ou em resíduos em todo o Estado.

SL
PB Agora

 

 

Incêndio em cervejaria destrói caminhões de bebidas

Um incêndio de grandes proporções ocorreu durante a noite desse domingo (1º), em Campina Grande. Conforme o Corpo de Bombeiros, o caso aconteceu no estacionamento de uma cervejaria, localizada na Avenida Assis Chateaubriand, no Distrito Industrial, por volta das 22h30.

Ainda de acordo com o Corpo de Bombeiros, quatro caminhões de bebidas foram totalmente incinerados, enquanto quatro outros tiveram a parte traseira danificada pelo fogo. Os bombeiros também informaram que nove freezeres foram queimados.

A perícia ainda está investigando as causas do incêndio. Não há informações se havia pessoas no local na hora da ocorrência, mas ninguém ficou ferido, segundo o Corpo de Bombeiros.

 

portalcorreio

 

Princípio de incêndio no posto de combustível em Guarabira

Na noite dessa sexta-feira (19) às 19:35 no Posto de Combustível Petro Via um motorista em um carro sem notar que o bico da bomba de abastecimento ainda encontrava-se conectado ao tanque do automóvel e ao sair arrancou a bomba de combustível provocando um principio de incêndio.

Os funcionários agiram de forma rápida combatendo o fogo com a utilização de extintores de incêndios evitado uma possível explosão.

 

Nordeste1

 

 

Residência é destruída por incêndio em Guarabira

Na noite deste domingo (30), uma residência ficou completamente destruída por um incêndio, na Rua São Manoel, em Guarabira. O fato chamou a atenção da vizinhança, que ficou desesperada, mas nada pode fazer, a não ser chamar uma equipe de combate a incêndio do Corpo de Bombeiros.

A casa pertence ao senhor Damião, que é envolvido com a comunidade da paróquia Jesus Ressuscitado. As chamas rapidamente tomaram a casa e todos foram queimados, apenas o casal que estava na casa conseguiu sair ileso.

Nas redes sociais e nas emissoras de rádio, na manhã desta segunda-feira (1), vizinhos reclamaram da demora para a chegada dos Bombeiros. Uma senhora disse que os Bombeiros demoraram 20 minutos para atender a ocorrência.

A causa do incêndio ainda é desconhecida, mas pode ter havido um curto circuito provocado por alguma eletroeletrônico.

 

portal25horas

 

 

Incêndio atinge galpão de resíduos de eletroeletrônicos, no Conde, PB

Um incêndio atingiu um galpão de resíduos de eletroeletrônicos, nesta quarta-feira (26), no Conde, Litoral Sul da Paraíba. De acordo com o sócio da empresa, o fogo atingiu apenas a parte externa do galpão e o Corpo de Bombeiros conseguiu reduzir os danos.

Um dos funcionários da empresa que estava no local no momento do incêndio foi quem primeiro percebeu o fogo. Ele e outros funcionários tentaram apagar as chamar com extintores, mas devido a velocidade da propagação do incêndio, os extintores não foram suficientes.

O Corpo de Bombeiros foi acionada e, quando chegaram ao local, as chamas estavam muito altas. No entanto, conseguiram reduzir alguns danos e impedir a propagação do fogo. O sócio da empresa ainda informou que vai solicitar a perícia aos bombeiros para saber o que teria provocado o incêndio.

G1