Arquivo da tag: Imprensa

Assessor de imprensa não pode ser enquadrado como jornalista, diz TST

Assessor de imprensa não é jornalista e, por isso, não tem direito aos benefícios da categoria. Este é o entendimento da 8ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho, que admitiu o recurso de revista de uma empresa de comunicação de São Paulo para não reconhecer o direito à jornada especial de jornalista a uma assessora de imprensa. O colegiado entendeu que as funções da assessora eram de comunicação corporativa e não se enquadravam como atividade jornalística.

Segundo TST, atividades de jornalista e assessor de imprensa são correlatas, mas não iguais. Dollar Photo Club

A assessora disse que trabalhou de maio de 2011 a março de 2015 para a empresa como jornalista profissional diplomada na área de assessoria de imprensa. Afirmou que desempenhava tarefas como redação de textos jornalísticos distribuídos para agências de notícias e para sites corporativos e produção de revistas institucionais e eletrônicas. Por isso, pediu seu enquadramento como jornalista e o reconhecimento do direito à jornada especial de cinco horas, a fim de receber diferenças referentes a horas extras.

Inconstitucional
O juízo da 26ª Vara do Trabalho de São Paulo negou o pedido de enquadramento, mas a sentença foi modificada pelo Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (SP). Os desembargadores concluíram, com base nos depoimentos, que as atividades da assessora estavam dentro das descritas para a profissão de jornalista.

A relatora do recurso de revista da empresa no TST, ministra Maria Cristina Peduzzi, verificou que o TRT-2 utilizou como fundamento de sua decisão a Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), aprovada pela Portaria Ministerial 397/2002. A norma inclui a ocupação de assessor de imprensa entre os profissionais de jornalismo, para enquadrar a função da assessora como atividade jornalística com base na nomenclatura de seu cargo.

Mas, segundo ela, a CBO não tem efeitos sobre a relação de emprego, e o enquadramento pretendido depende da análise das atividades efetivas do empregado.

Jornalista x assessor
A ministra explicou que a atividade jornalística é definida no artigo 302, parágrafos 1º e 2º, da CLT e nos artigos 2º e 6º do Decreto-Lei 972/1969. “Ainda que algumas atividades de jornalistas possam se confundir com as de outros profissionais de comunicação, deve-se ter em conta que o objetivo dessas tarefas é diferente em cada área de atuação profissional”, assinalou.

Segundo a relatora, a função do jornalista é “essencialmente informativa e comprometida com a verdade dos fatos”, enquanto a atividade do assessor de imprensa, do profissional de relações públicas, de comunicação corporativa e assemelhados dirige-se à defesa dos interesses do cliente, com seleção de informações a serem divulgadas ao público ou repassadas ao cliente para fins de desenvolvimento e orientação de seu negócio. “A essência da atividade não é a busca da verdade dos fatos, mas a construção da imagem da empresa”, concluiu.

A decisão foi unânime. Após a publicação do acórdão, houve a interposição de embargos à Subseção I Especializada em Dissídios Individuais do TST, ainda não julgados.

Com informações da Assessoria de Imprensa do TST. 

Conjur

 

 

Prefeito paraibano nega surto de meningite e dispara: ‘criação da imprensa terrorista’

Após a morte misteriosa de três crianças em um período de 20 dias em Alagoa Nova, no Brejo paraibano, o prefeito da cidade Aquino Leite (PSDB)  negou na manhã desta quinta-feira (4) que os óbitos sejam devido a um surto de meningite, o laudo médico do Hospital de Trauma de Campina Grande aponta infecção como a causa das mortes. O gestor criticou a imprensa, acusando que fazer “terrorismo” com o caso.

“Ninguém tem que preocupar, eu entendo naturalmente a preocupação das famílias e moram no nosso município, que se assustam, principalmente com essas notícias divulgadas de forma terrorista, de que estão tendo casos de meningite. Como a secretaria já afirmou, mais uma vez, não há nenhum surto de meningite em Alagoa Nova”, declarou Leite em entrevista ao programa Paraíba Verdade, da Rádio Arapuan FM.

A 3ª Gerência Regional de Saúde também se pronunciou negando os casos, através da gerente Joelma Grace. “Com relação aos casos de Alagoa Nova, eu gostaria de esclarecer com esses óbitos não foram causados por meningite foram causados por outras enfermidades que não tem a ver com quadro de meningite”, explicou.

Eles reforçaram, no entanto, a importância dos pais em manter a carteira de vacinação dos filhos em dia.

Blog do Márcio Rangel 
Joab Freire

 

 

Lígia vai convocar imprensa para falar sobre rompimento com Ricardo

(Foto: Reprodução/Facebook)

A vice-governadora Lígia Feliciano e o deputado federal Damião Feliciano, ambos do PDT, irão convocar a imprensa para esclarecer o rompimento com o governador Ricardo Coutinho (PSB). O casal desembarcou nesta sexta-feira (13) no aeroporto Castro Pinto, em Bayeux, e foram flagrados pela repórter do Portal Correio, Sabrina Barbosa, mas não quiseram antecipar o conteúdo da conversa que pretendem ter com os jornalistas.

O estremecimento entre Lígia e Ricardo já era evidente há alguns meses, porém o racha ainda não havia sido oficializado. Primeiro, o secretário de Comunicação do Estado, Luís Tôrres, afirmou que não havia mais como conviver o governador e a vice conviverem em harmonia.

A partir daí o rompimento foi se confirmando até que na última quarta-feira (11), o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, oficializou o racha e anunciou a pré-candidatura de Lígia ao Governo do Estado.

Por

 Nice Almeida

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Trump ataca a imprensa em comício na Flórida

Kevin Lamarque/Reuters
Kevin Lamarque/Reuters

O presidente dos EUA, Donald Trump, voltou a lançar um ataque contra a imprensa do país, desta vez em um “comício pela América” neste sábado (18), em Melbourne, na Flórida.

“Quero falar com vocês sem o filtro das ‘fake news’ [notícias falsas], disse Trump diante de centenas de pessoas. “Eles estão se tornando uma grande parte do problema. Eles são parte de um sistema corrupto.”

“Mas apesar de todas as suas mentiras, suas deturpações e suas falsas histórias, eles não puderam nos derrotar nas primárias ou nas eleições gerais”, acrescentou.

Trump, que completa um mês na Presidência nesta segunda-feira (20), tem tornado a imprensa um de seus alvos favoritos.

Ontem, no Twitter, ele postou que “a mídia das notícias falsas (os fracassados @nytimes, @NBCNews, @ABC, @CBS, @CNN) não é meu inimigo, é inimigo do Povo Americano!”

No dia anterior, em pronunciamento antes de coletivo, ele acusou a imprensa de ser “tão desonesta” e a responsabilizou pelo mau relacionamento com a Rússia.

Imigração

O comício foi aberto pela primeira-dama, Melania Trump. Ela rezou um pai-nosso e falou por alguns minutos, antes de dirigir a palavra ao marido.

“Não sabia que Melania ia começar com uma oração, isso foi bem bonito”, disse Trump.

O presidente usou o comício também para defender suas medidas de imigração.

“O resumo é o seguinte: Nós temos de manter nosso país seguro. Veja o que está acontecendo na Alemanha”, afirmou, em referência à política de portas abertas aos refugiados adotada pelo país europeu.

O governo da chanceler (premiê) alemã corre o risco de perder as eleições federais deste ano, em parte devido a questionamentos dessa política.

“Apagar as fronteiras não deixa o nosso povo mais seguro ou mais próspero. Mina nossa democracia. Veja o Brexit’, disse.

Sobre imigrantes ilegais nos EUA, Trump falou: “Que saiam daqui! Que voltem de onde vieram!”

Spencer Platt/Getty Images/AFP

Manifestantes fazem funeral simbólico pela “Presidência dos EUA” em Nova York

Protesto

Milhares de manifestantes saíram neste sábado às ruas de várias cidades dos Estados Unidos para protestar contra o aumento de batidas e as políticas migratórias de Trump.

Em Los Angeles, cerca de 5.000 pessoas se manifestaram contra as ações executivas de Trump, que amplia os critérios de detenção e deportação por parte do Serviço de Imigração e Alfândegas (ICE, em inglês), assim como em rejeição aos mais de 160 imigrantes ilegais detidos na área este mês.

“Todos os dias Trump está assinando uma ordem executiva, todos os dias esta falando contra os imigrantes, então todos os dias nós vamos sair para as ruas para nos manifestar e armar a resistência”, disse à Agência Efe Pablo Alvarado, diretor da Rede Nacional de Jornaleiros.

A manifestação em Los Angeles, realizada dias depois de uma concentração no centro da cidade, reuniu imigrantes de diversas nacionalidades e idades.

Da mesma maneira, com palavras de ordem, cerca de 2.000 pessoas se manifestaram em Dallas, no Texas, enquanto em Indianápolis, os filhos de imigrantes ilegais defenderam o direito a ter uma família unida.

“Orgulhosa de ser filha de imigrantes”, podia-se ler no cartaz que levava a menor de seis anos de idade Viviana Torres nesta cidade.

As baixas temperaturas não evitaram que perto de mil pessoas saíssem às ruas de Mineápolis, em Minnesota, para se unir ao chamado nacional, enquanto em Nova Orleans um “funeral pelas políticas da administração Trump” percorreu as ruas da cidade.

As ações de protesto continuarão no domingo em cidades como Chicago, Oregon, Washington, Nova York, entre outras.

(Com agências internacionais)

 

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Empreender: Associação Paraibana de Imprensa critica exposição de jornalistas

empreenderA Associação Paraibana de Imprensa emitiu nota nesta sexta-feira (09) negando qualquer tipo de irregularidade para concessão de créditos do programa estadual ‘Empreender’ a jornalistas e radialistas. O Governo do Estado notificou 197 profissionais da imprensa para que quitem os débitos que possuem junto ao programa. A lista com os nomes dos devedores foi publicada em edição do Diário Oficial do Estado.

A diretoria da Associação criticou a exposição dos profissionais e estranhou o fato do Governo não ter sequer tentado negociar com os jornalistas antes se publicizar seus nomes. Conforme a nota, a medida causou constrangimento.

“Convêm salientar que em nenhum momento a diretoria da entidade na época, bem como seu presidente em exercício, jornalista João Pinto, precisou fazer qualquer tipo de negociata para obter vantagens pessoais, como foi insinuado maldosamente por alguns que tentam politizar um assunto que passa à margem dessa questão. A diretoria da entidade critica a exposição dos associados, sobretudo nessa fase de crise econômica, sem que houvesse anteriormente uma fase de negociação para resolver a demanda, evitando constrangimento desnecessário”, diz a nota.

Os empréstimos foram contraídos no ano de 2014  em uma interlocução entre a Associação Paraibana de Imprensa e a Secretaria de Comunicação do Estado. O objetivo era oferecer crédito a integrantes da imprensa para compra de equipamentos ou investimentos em projetos inerentes à profissão.

Veja a nota da API na íntegra:

A Associação Paraibana de Imprensa (API) vem a público prestar alguns esclarecimentos, principalmente de natureza técnica, sobre a parceria formalizada entre esta entidade e o Empreender Paraíba para viabilizar a contração de empréstimos por parte de profissionais de imprensa do Estado da Paraíba, celebrados no ano de 2014, e que motivou ampla discussão nas redes sociais.

1 – A abertura dessa linha de crédito para contemplar profissionais de imprensa foi amplamente divulgada nos meios de comunicação do Estado, nos sites, portais, blogs e redes sociais de uma forma em geral;

 2 – O cadastro de cada interessado foi preenchido na sede da própria API por funcionários do Empreender, que também informaram sobre a documentação necessária, bem como das regras para a efetuação do contrato;

3 – Após a aprovação do cadastro, o Empreender divulgou a relação com os nomes dos que preencheram os requisitos e estabeleceu a sede da API para a entrega dos cheques nominais e dos carnês de pagamento. Ou seja, tudo feito às claras, sem ocultação de informações, intermediado pela API com intuito único e exclusivo de proporcionar condições para o melhor desempenho dos profissionais de imprensa.

4 – Convêm salientar que em nenhum momento a diretoria da entidade na época, bem como seu presidente em exercício, jornalista João Pinto, precisou fazer qualquer tipo de negociata para obter vantagens pessoais, como foi insinuado maldosamente por alguns que tentam politizar um assunto que passa à margem dessa questão. A diretoria da entidade critica a exposição dos associados, sobretudo nessa fase de crise econômica, sem que houvesse anteriormente uma fase de negociação para resolver a demanda, evitando constrangimento desnecessário.

5 – Por fim, a API tem convicção de que a nova fase exige  renegociação com adesão de todos visando uma solução definitiva.

 

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

 

Dupla exige imprensa para liberar reféns em assalto a Correios na PB

sireneUma agência dos Correios, do município de Juarez Távora, Agreste paraibano, foi alvo de uma tentativa de assalto na manhã desta terça-feira (29). De acordo com a Polícia Militar, cinco pessoas foram feitas reféns por dois homens armados, que exigiram a presença da imprensa no local para liberar as vítimas.

Conforme informações da PM, a polícia foi informada pela população de que havia algo errado com a agência dos Correios, já que ela havia sido fechada muito antes do normal. Imediatamente, a polícia cercou o prédio e confirmou a suspeita de assalto.

A polícia informou que os dois suspeitos exigiram a presença da imprensa para, em seguida, libertarem os reféns e se entregarem. Durante as negociações entre os dois homens e a Polícia Militar, um dos suspeitos chegou a atirar para o alto, mas de acordo com as primeiras informações, ninguém ficou ferido com o disparo.

Com a chegada da imprensa no local, os reféns começaram a ser liberados pelos suspeitos. Em seguida, eles se entregaram e foram conduzidos para a Delegacia pela Polícia Militar.

G1 PB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Imprensa nacional atesta que a Paraíba tem superávit econômico em meio à crise nacional

dinheiroA imprensa nacional destacou, nesta sexta-feira (11), o desempenho da Paraíba entre o grupo de estados que estão com as finanças equilibradas diante do cenário de crise econômica nacional. Em levantamento feito pelo portal nacional de notícias G1, a Paraíba apresenta superávit financeiro de R$ 302 milhões, no cenário em que apenas sete unidades federativas apresentaram resultado positivo.

O cenário é ainda melhor ao incluir na conta o resultado líquido, descontando-se as dívidas acumuladas contraídas por cada estado. Mesmo diante dos pagamentos, a Paraíba apresenta saldo positivo de R$ 208 milhões. Com base nesse critério, os estados de Alagoas e Minas Gerais apresentam déficit, tornando a Paraíba um dos cinco estados a estarem com situação positiva.

Dentre os critérios avaliados pela equipe do G1, estão o corte de investimentos, o atraso nas obras já em andamento, o atraso de salários, a situação do caixa diante dos pagamentos do 13º salário, o atraso do pagamento a fornecedores ou a possibilidade de declaração de calamidade pública.

A pesquisa também atestou que a pedra no sapato dos orçamentos estaduais reside nos gastos com a Previdência, para o pagamento de servidores aposentados ou inativos. Apesar dos gastos da Paraíba superarem a marca de R$ 1 bilhão no quesito, o valor equivale a 22% do orçamento estadual, uma porcentagem abaixo da média nacional, 23%.

De acordo com o levantamento do G1, 16 estados mais o Distrito Federal cortaram investimentos nos últimos dois anos, 14 informaram  estão com obras paradas ou atrasadas por falta de dinheiro; oito com atrasos de salários de servidores; e 16 não pagaram em dia os fornecedores. A situação mais grave é a de seis estados que não garantem que haverá caixa para pagar o 13º dos funcionários neste ano.

Secom-PB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Morre no RN o jornalista Dann Barbosa, assessor de imprensa do governo da PB

dannMorreu na tarde desta quarta-feira (12), na Região Metropolitana de Natal (RN), o jornalista e assessor de imprensa do governo da Paraíba Dann Barbosa. Amigos e familiares compartilharam a notícia através das redes sociais.

Horas antes da morte, que, segundo amigos, teria sido por um suposto ataque cardíaco, Dann publicou uma fotografia no Facebook com a seguinte legenda: “Feriado com sol, praia e mar”. A publicação foi feita na Lagoa de Arituba, nos arredores de Natal.

Última postagem do jornalista no FacebookFoto: Última postagem do jornalista no Facebook
Créditos: Reprodução/Facebook/Dann Barbosa 

“Ele morreu após um ataque no local onde estava”, disse Ery de Assis, que se apresentou como tio do jornalista. No Facebook, Assis disse: “Vai com Deus, meu sobrinho querido. Certamente Deus estará te esperando no Reino dos Céus e colocará você juntinho a ele. Deus te ilumine até lá Dann Barbosa. Deus te guie até o reino dele”.

Amigos e colegas de imprensa lamentaram a morte precoce do jornalista. Em comentários nas redes sociais, destacaram que Dann sempre era muito carismático, gentil e atencioso.

Portal Correio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Gastronomia e Turismo da Paraíba são mostrados para imprensa internacional durante olimpíadas

lindolfo-piresO turismo e a gastronomia da Paraíba foram apresentadas, na tarde desta segunda-feira (8), para a imprensa internacional, que também recebeu informações sobre outros atrativos turísticos do Estado num lounge montado no Rio Media Center para jornalistas do mundo inteiro com o objetivo de realizar cobertura das Olimpíadas Rio 2016. Macaxeira e carne de sol compuseram o prato principal, denominado de “Elas & Elas”, oferecido aos visitantes e frequentadores do local, numa ação promovida pelo Governo da Paraíba, por meio da Secretaria de Estado de Turismo e Desenvolvimento Econômico (Setde).

A imprensa foi recebida pelo secretário Lindolfo Pires e pode fazer degustação da autêntica cachaça brejeira Triunfo, da cidade de Areia.  Os profissionais ainda receberam um press kit com sacolas de esporte retornáveis contendo material promocional em formato digital e impresso, além de água coco envasada em caixinhas longa vida e a famosa cocada na Kenga, produto turístico de Lucena.

O prato principal oferecido à imprensa faz parte do carro-chefe do “Nordestino Carioca”, restaurante que fica no Rio, cujos proprietários são os paraibanos Roberto Araújo e Iracema Gonçalves. O “Elas & Elas” leva carne de sol, cebola roxa, linguiça flambada, macaxeira cozida, farofa de cuscuz com ovo e uma farofinha de carne de sol. O Nordestino Carioca já ganhou cinco vezes o prêmio de “Comida di Buteco”, o maior concurso de cozinha de raiz do País.

Lindolfo Pires destacou que, além da Rio 2016 ser um mega evento esportivo e pela primeira ser realizado num país da América Latina, é uma excelente oportunidade para a Paraíba ser conhecida por outros mercados internacionais ainda não trabalhados, pois neste período estará na vitrine para o mundo.

O lounge da Paraíba recebeu o apoio de importantes parceiros como a Alpargatas com sua famosa Havaianas, responsável pela decoração do local, e ainda a empresa de alimentos Coco do Vale, cocada na Kenga e a Empresa Paraibana de Turismo (PBTur), que disponibilizou um técnico com habilidade nos idiomas inglês e alemão para interagir com a imprensa internacional e reforçar a divulgação das belezas e atrativos turísticos do Estado.

O Rio Media Center (RMC) é o centro de referência para a imprensa não credenciada e credenciada internacional que foi criado pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) pensando nos inúmeros jornalistas que vêm ao Rio de Janeiro para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos e que não acompanham diariamente as competições nas arenas esportivas e que estão mais focados na rotina da cidade e da população.

A área ocupada pelo RMC é de 2.700 metros quadrados, decorado com fotos que mostram as mudanças pelas quais o Rio passou nos últimos anos. A estrutura inclui internet a cabo e via wi-fi, sinal de satélite para transmissões, auditório com capacidade para 300 pessoas, dois estúdios de TV e seis de rádio. Tudo isso para atender simultaneamente até 600 jornalistas.

O lounge paraibano estará montado no Rio Media Center até quarta-feira (10).

Secom-PB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Procuradores perseguem Lula e se baseiam em notícias dos magnatas bilionários de imprensa

lulaTrata-se de uma dupla de procuradores do DF, Anselmo Lopes e Valtan Timbó. Eles, sem sombra de dúvida, são de oposição ao Governo Federal, ao PT e ao ex-presidente Lula, que poderá ser candidato a presidente da República em 2018. Anselmo Lopes já é velho conhecido do Governo, de Lula, do PT e de milhares de eleitores que votaram no líder trabalhista e na presidenta Dilma Rousseff.

Tanto Lopes quanto Timbó representam os tipos de procuradores, além de promotores, juízes, agentes e delegados da Polícia Federal, que resolveram fazer política, bem como cooperar para que seus candidatos e partidos prediletos, geralmente conservadores, pois de direita, vençam as eleições. São procuradores politicamente alienados, tais quais os coxinhas de classe média, que se submetem, dia a dia, em uma verdadeira lavagem cerebral, às manchetes e às notícia da imprensa de negócios privados dos magnatas bilionários, que nunca são observados pela máquina de investigação e repressão do Estado. Jamais…

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Suas ações e campanhas são pautadas por recortes de jornais e revistas de uma imprensa de mercado, que assumiu oficialmente sua posição oposicionista aos governantes trabalhistas quando das eleições, bem como engravidam pelos ouvidos ao verem os jornais televisivos e ao ouvirem as rádios, o que conta muito para a falta de discernimento sobre a verdade dos fatos, porque, nitidamente, o que se observa no Brasil é que este País está a passar por um processo ditatorial a cargo de promotores, juízes e policiais, que se tornaram a base de sustentação da oposição partidária liderada pelo PSDB, bem como pela imprensa familiar, capitaneada pelas Organizações(?) Globo, que há décadas interfere ilegalmente e até mesmo criminosamente no processo eleitoral brasileiro. E que eu saiba nenhum integrante da família Marinho foi investigado, denunciado, processado e preso por fazerem política no subterrâneo.

No Brasil, procuradores, juízes e delegados da PF não prendem tucano e muito menos barão de imprensa. Eles são simplesmente inimputáveis. Um absurdo nada republicano. E você sabe por que este processo injusto acontece no País? Porque, apesar dos 30 anos de redemocratização do Brasil, setores da Justiça, do MP e da PF ainda são intrinsecamente ligados ao status quo. Ponto. Não há como tergiversar sobre esta terrível realidade.

Trata-se de afronta à soberania da sociedade, por parte de agentes e servidores do Estado, a combater o Governo eleito pelo povo, por não aceitar seus programas sociais, a inclusão das camadas pobres da população brasileira, a política externa independente e não alinhada aos Estados Unidos. São os senhores que controlam o Estado e dentro dele trabalham em prol de atender aos interesses da burguesia — da Casa Grande, que sempre se beneficiou do poder do Estado para enriquecer, ter influência política nas altas esferas, e, com efeito, manter, indefinidamente, o status quo.

São homens e mulheres com origem na classe média e média alta. A pequena burguesia historicamente aliada das classes dominantes, que estudou Direito em universidades públicas ou nas particulares de ponta, plena de preconceitos de classe, ideológicos e políticos. O Ministério Público deste País, bem como as altas cortes da Justiça, representam, irrefragavelmente, o pensamento dos setores mais reacionários às mudanças sociais e econômicas que são efetivadas no Brasil desde a ascensão de Lula à Presidência da República em 2003.

Conservadores, tais procuradores se voltam contra o PT, sendo que Lula e Dilma ainda são duramente questionados e aviltados em suas cidadanias, porque ex-operário, vítima de um acidente de trabalho, sendo que a mandatária, que participou da guerrilha urbana na década de 1970, tornou-se alvo de escárnio de pessoas fascistas que chegaram ao cúmulo da patifaria e da sordidez quando colocaram à venda na internet um adesivo para ser colado nos buracos dos tanques de gasolina dos carros, com a imagem da presidenta de pernas abertas…

Não é necessário fazer mais comentários de como a direita brasileira de alma escravocrata é agressiva, plena de despudor e desprovida de limites éticos, porque se sente incomodada e irada por não controlar a Presidência da República. Para não passar em branco, o obsceno e abjeto adesivo de caráter misógino foi feito em Recife, e, pasmem(!), por uma mulher. Realmente, o bárbaro episódio denota que preconceito, desrespeito e violência não têm gênero ou sexo. Sobre o violento ataque à Dilma, a representante da ONU Mulheres Brasil, Nadine Gasman, disse, em nota: “É ultrajante e extremamente agressiva a apologia de violência sexual contra a presidenta da República, Dilma Rousseff, retratada em adesivos para automóveis, como expressão de misoginia e interpelação dos direitos humanos de mulheres e meninas. Tal episódio se configura como violência política sem precedentes (…)”.

A esquerda no poder realmente incomoda o establishment estatal e privado, que ora se une para combater e derrotar o Governo Trabalhista. Contudo, também é considerado sem precedentes o “sumiço” da procuradora titular do 1º Núcleo de Combate à Corrupção do MPF-DF, Mirella de Carvalho Aguiar, responsável pela apuração preliminar de um suposto tráfico de influência de Lula para privilegiar a construtora Odebrecht. Os advogados do líder político entraram com um pedido de anulação do inquérito criminal na Corregedoria do Ministério Público.

Os advogados de Lula ainda solicitaram a apuração da conduta do procurador Valtan Timbó Martins Mendes Furtado, autor do pedido de abertura do processo de investigação criminal contra o fundador do PT. A reclamação disciplinar foi protocolada no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) no dia 17 de julho. E não é para menos, porque é perceptível a qualquer leigo que acompanhe a política brasileira que as ações dos procuradores Anselmo Lopes e Valtan Timbó tem propósitos visivelmente políticos e partidários.

Lopes e Timbó são acusados de se moverem politicamente no que é relativo a criminalizar as viagens de Lula e por causa disso vão ter suas condutas avaliadas pelo CNMP. O primeiro, de forma rocambolesca e por seu livre arbítrio resolveu se pautar por recortes de notícias do jornal O Globo (sempre este pasquim panfletário, de direita e de oposição histórica aos trabalhistas) e o segundo, Timbó, sai diretamente do 7º Ofício Criminal, que não tem atribuição para tratar do assunto e resolve por conta própria rasgar a Resolução 27 de 2014, que determina que na ausência do procurador titular, no caso a procuradora, Mirella Aguiar, o seu substituto tem de ser membro do mesmo núcleo do MPF, ou seja, do 1º Núcleo de Combate à Corrupção.

É inacreditável que procuradores sem movam por questões políticas, de foro íntimo e passam a intervir inadequadamente na política brasileira em âmbito nacional, ao ponto de esticarem a corda para que a oposição conservadora deste País tenha como alicerces principais de seus ataques as figuras eleitas e que não cometeram crimes de responsabilidade e de corrupção, a exemplo de Lula e Dilma. São verdadeiras estrepolias e jactâncias de servidores públicos pagos com o dinheiro do contribuinte.

Lula vai pagar um preço muito alto por ser quem ele é. A resumir: um político, assim como Leonel Brizola, que não foi cooptado pela casa grande, portador de dezenas de milhões de votos de cidadãos brasileiros e ideologicamente socialista e trabalhista, além de ser um dos favoritos a vencer as eleições presidenciais de 2018, e, consequentemente, sentar pela terceira vez na cadeira destinada aos presidentes no Palácio do Planalto, que a burguesia pensa que é dela, pois, desatinada, pensa que o Brasil foi construído por intermédio de gerações para servi-la. Ledo engano. O povo brasileiro mostrou algumas vezes que é o contrário, no decorrer da história. Ponto.

O problema desses procuradores e promotores é que, sem generalizar, a maioria não estudou história ou a leu de forma constante e desprovida de preconceitos. Esses homens e mulheres são burocratas, técnicos em Direito e muitos deles viveram desde cedo em ambientes distantes das necessidades e realidades do povo brasileiro. Afirmo, sem medo de errar, que falta sensibilidade social e conhecimento dos meandros e dos bastidores da política, dos partidos e principalmente de como funcionam, atuam e agem as grandes redações controladas pelos magnatas bilionários de imprensa.

Lula tem toda a razão de se defender e buscar reparação ao que é injusto e de caráter político e eleitoral. Os ex-presidentes, inclusive Fernando Henrique Cardoso — ídolo inimputável e inconteste da direita brasileira — viajam e fazem propaganda de seus países e de suas empresas, bem como criaram seus institutos. A verdade é que as forças populares do Brasil enfrentam uma situação de muito difícil, porque os conservadores se mobilizaram e vão fazer de tudo para não perderem, em 2018, a quinta eleição presidencial consecutiva. Lula tem força política, mas tem de se defender, com a participação sistemática do PT e dos movimentos sociais. A verdade é que os procuradores de oposição perseguem Lula e se baseiam em notícias dos magnatas bilionários de imprensa. É isso aí.

 

 

brasil247