Arquivo da tag: humorista

Humorista Rapadura morre em hospital no interior de São Paulo

O humorista Charles Guttenberg, conhecido como Rapadura, morreu na tarde desta terça-feira (26), em um hospital de Jundiaí (SP). O artista ficou conhecido por participação no programa “A Praça é Nossa”, do SBT.

O paciente estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e passou por uma operação no intestino.

O hospital afirmou ao G1 em nota que o paciente teve falência de múltiplos órgãos em decorrência de cirurgia no aparelho digestivo. Ainda não há informações sobre velório e enterro.

O perfil do humorista havia publicado horas antes que o estado de saúde dele era grave e que continuava na UTI. “Continuem orando por ele!”, escreveu.

Na semana passada, o artista publicou um vídeo no Facebook avisando aos fãs que passaria por uma cirurgia no intestino e que, por isso, estava internado.

 

 

G1

 

 

Câncer: morre aos 53 anos a atriz e humorista Márcia Cabrita

Morreu na manhã desta sexta-feira (10) a atriz e humorista Márcia Cabrita. Ela se tratava de um câncer de ovário desde março 2010 quando foi diagnosticada com a doença. Há três meses, ela havia se afastado da novela Novo Mundo para cuidar da saúde. Durante o tratamento, a atriz chegou a retirar os ovários e útero. Márcia deixa uma filha.

Márcia foi substituída por Vivianne Pasmanter na novela Novo Mundo. Segundo o Jornal O Globo, a direção da trama decidiu poupá-la das gravações externas por conta de sua saúde. Em seguida, a humorista ganhou outro papel a partir do capítulo 60.

A atriz ficou nacionalmente conhecida pelo papel da empregada Neide no programa Sai de Baixo, em 1997. Depois participou de novelas e seriados da Globo como Brava Gente, Desejos de Mulher, Sob Nova Direção, Morde & Assopra e Pé na Cova. Ela também fez parte do elenco dos programas de humor Vai Que Cola e Treme Treme, ambos do Multishow, até 2016.

Amiga de Márcia, a atriz Cacau Protásio usou o Instagram para se despedir da artista. “Amiga Vai com Deus, eu tive o prazer, à alegria, a sorte de trabalhar, conviver, contracenar com você, eu amo você, o céu está em festa, pois está recebendo o anjo mais lindo, você fará muita falta, nos encontramos no céu”, escreveu Cacau em uma foto em que as duas aparecem juntas.

Em 2011, Cabrita deu entrevista ao programa de Jô Soares falando sobre o enfrentamento da doença. Assista:

paraiba.com.br

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Show do humorista Zé Carrapicho promete agitar final de semana em Solânea  

 

cartaz prontoNeste sábado, o humor volta a Solânea, com o Show do Humorista “Zé Carrapicho, o bonitinho da Paraíba”. Um super espetáculo de humor, marcado para acontecer às 20:30h no Cine Teatro Municipal de Solânea. Os ingressos já estão à venda no Cine Teatro com o valores de meia entrada R$ 4,00 e Inteira R$ 8,00.

Zé Carrapicho já esteve em Solânea e, encantado com a cidade, está de volta para mais este show, que terá muitas risadas e muita animação. A entrada tem uma censura para menores de 12 anos.

Uma realização e produção da Cia. Artística FascinART da cidade de Solânea e Carrapicho Produções. Patrocínio do Supermercado Central da Economia e apoio cultural da Diretoria Municipal de Cultura, Restaurante e Churrascaria Espetinho do Jeca e Radio Correio da Serra FM, 110,3.

 

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

SERVIÇOS:

O que: Show do Humorista Zé Carrapicho;

Quando: Sábado, dia 25 de abril de 2015;

Onde: No Cine Teatro Municipal de Solânea;

Horário: às 20:30h.

 

Morre o humorista Jorge Loredo, o Zé Bonitinho, aos 89 anos

ze-bonitinhoMorreu, por volta de 6h30m da manhã desta quinta-feira, o humorista Jorge Loredo, o Zé Bonitinho. O comediante, de 89 anos, estava internado no Hospital São Lucas, na Zona Sul do Rio desde o último 3 de fevereiro, onde permaneceu em estado grave. As causas ainda não foram informadas.

Topete esculpido com Gumex, bigode delgado, sobrancelhas arqueadas, olhar de conquistador e roupas extravagantes, ele mal mal entra em cena e já arranca gargalhadas da plateia do estúdio da extinta TV Rio, em 1960. Era a estreia de O Bárbaro, vivido pelo ator e humorista Jorge Loredo no programa “Noites cariocas”, que serviria de matriz para o personagem Zé Bonitinho, o galenteator barato e exagerado que marcaria a carreira do artista carioca e a TV brasileira.

O Bárbaro foi rebatizado em homenagem a um cozinheiro que Loredo conheceu em um restaurante de beira de estrada que, por ser muito feio, era chamado de Zé Bonitinho. Os trejeitos do personagem foram inspirados em outra figura real, o Jarbas, um dos companheiros do jovem Jorge Loredo nas maratonas pelos bares da Praça Saens Peña, na Tijuca, onde nasceu.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

– Ele tirava um pentezinho do bolso e ficava ajeitando as sobrancelhas e o bigodinho toda hora. Se passava uma moça, cantarolava um tango, um bolero… Fui captando esses trejeitos e criei o personagem – contou.

Autor de bordões inesquecíveis – “Garotas do meu Brasil varonil: vou dar a vocês um tostão da minha voz…!”; “Mulheres, atentem para o tilintar das minhas sobrancelhas”; “O chato não é ser bonito, o chato é ser gostoso”, entre outras -, Zé Bonitinho foi praticamente uma espécie alter ego de Loredo:

– Eu sofri com uma osteomielite (inflamação nos ossos) dos 12 aos 46 anos, por isso fui muito mimado. Isso me fez querer ser mimado pelas minhas mulheres. Era quase um Zé Bonitinho – contou certa vez Loredo que, ainda na juventude, chegou a ser internado em um sanatório por causa de uma turberculose.

Os palhaços estão na origem da vocação de Loredo. Para completar a renda do marido, dona Luiza, mãe do artista, costurava os figurinos das trupes circenses que chegavam a Campo Grande, onde a família morava. O ator acreditava que as fantasias da mãe impregnaram sua retina: já jovem, viu o anúncio dos testes para a escola de Paschoal Carlos Magno, onde passou depois de ser ensaiado por Oscarito e Mafra. Estreou interpretando Mercúcio em “Romeu e Julieta” e nunca mais parou.

Na TV, o ator começou dividindo o banco do programa “Praça da Alegria”, nos anos 1970, com Chico Anysio, Moacyr Franco e Ronald Golias. Diferentemente de Anysio e e Franco, que tiveram programa próprio, e de Golias, que era astro absoluto da “Família Trapo” , Loredo sobreviveu como coadjuvante. O ator chegou a criar outros tipos famosos, como o mendigo soberbo My Lord e o costureiro François Paetê, mas Zé Bonitinho sempre foi a sua grande marca, que só desapareceu da TV quando o programa “A praça é nossa”, do SBT, saiu do ar, no início dos anos 2000.

Longe da televisão, Loredo chegou a participar de filmes dirigidos por ícones do cinema nacional, como Rogério Sganzerla (“Sem essa aranha”, de 1970, e “O abismo”, de 1977) e Arnaldo Jabor (“Tudo bem”, de 1978). Seu último trabalho em um longa-metragem foi em “Chega de saudade” (2008), de Lais Bodansky. Em quase todos esses filmes, mesmo que não estivesse interpretando seu personagem mais famoso, alguns elementos dele, como o vestuário e acessórios vistosos, de alguma forma estavam sempre presentes nas composições Loredo.

O artista foi recentemente redescoberto pela geração mais jovem de cineastas brasileiros. Em 2005, a diretora Susanna Lira lançou o documentário “Câmera, close!”, uma biografia do ator, exibido no Canal GNT. No ano seguinte, o ator e diretor Selton Mello, fã do artista, o dirigiu no curta-metragem “Quando o tempo cair”, para o qual criou um personagem especialmente apra ele. Em 2003, atuou na peça infantil “Eu e meu guarda-chuva”, a convite da atriz Andrea Beltrão.

 

O Globo

Agora É Tarde troca humorista por ex-BBB e investe em dieta de Dilma

francineTerceira colocada na nona edição de Big Brother Brasil, Francine Piaia é a mais nova repórter do Agora É Tarde, talk show comandado por Rafinha Bastos na Band. A ex-BBB assinou contrato ontem (25) e hoje grava sua primeira reportagem, em um pet shop. Amanhã (27), faz sua estreia no palco do talk show, na gravação do primeiro programa de 2015, a ser exibido na próxima terça (3). A funkeira Valesca Popozuda será a convidada.

Francine substituirá Marco Gonçalves, que, na avaliação da Band, não funcionou no show de Rafinha Bastos. A aposta na ex-BBB parece arriscada, mas ela não é estreante como repórter de entretenimento. Formada em rádio e TV e estudante de veterinária, Francine já atuou no Superpop, de Luciana Gimenez, e no teatro. Sua principal missão será realizar gravações externas com um toque de humor.

Marco Gonçalves é a única baixa no elenco do Agora É Tarde. O humorista Gustavo Mendes, especialista em imitar Dilma Rousseff, também atacará de Maria Bethânia. E, pegando na carona na dieta que a presidente da República adotou depois das eleições, fará um programa de emagrecimento no ar, com restrição alimentar e exercícios físicos.

O apresentador Rafinha Bastos aparecerá com um visual levemente diferente. Abandonará o colete e passará usar terno.

Francine em ensaio sensual para o site Paparazzo, em outubro do ano passado

 

noticiasdatv

Humorista Zé Lezin se apresenta neste domingo (09) em Solânea

O humorista Zé Lezin se apresenta neste domingo (23) em Solânea, no Agreste de Paraíba. O show terá início as 20h no Espaço da Cultura, em frente a escola Celso Cirne.

Reconhecido nacionalmente, o personagem Zé Lezin é interpretado pelo comediante Nairron Barreto há 26 anos. Contudo, a cada espetáculo ele incorpora novidades. Satiriza os acontecimentos importantes no cotidiano do Brasil. Tudo o que acontece no país para ele é um prato cheio.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Zé-Lezin-em-Solane

solaneaonline

Humorista, roteirista e diretor Max Nunes morre aos 92 anos no Rio

max-nunesO humorista, roteirista, escritor e diretor Max Nunes morreu no início na madrugada desta quarta-feira (11) no Rio, aos 92 anos, informou o Jornal Hoje. Um dos redatores do programa “Balança mas Não Cai”, sucesso de público nas décadas de 60 e 70, Nunes teve complicações após sofrer uma queda e fraturar a tíbia. Ao lado do apresentador Jô Soares, ele produzia textos para o “Programa do Jô”, da TV Globo, desde 2000. Max Nunes estava internado no Hospital Samaritano, em Botafogo, Zona Sul.

Ao Jornal Hoje, Jô Soares — que trabalhou por décadas com o humorista — disse estar profundamente sensibilizado.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Formado em Medicina, Max escreveu pela primeira vez para a televisão em 1962, quando criou os programas My Fair Show e Times Square para a TV Excelsior. Em 1964, foi para a Globo, onde passou a roteirizar e dirigir, ao lado de Haroldo Barbosa, o humorístico Bairro Feliz (1965), pelo qual passaram figuras como Paulo Monte, Grande Otelo e Berta Loran. O comediante Mussum, com seu conjunto Originais do Samba, também participou do programa.

No ano seguinte, dando sequencia à parceria com Haroldo Barbosa, estreou Riso Sinal Aberto e Canal 0, que a partir de 1967 se transformou no TV0-TV1. Apresentado por Paulo Silvino e Agildo Ribeiro nas noites de quinta-feira, o programa explorava a paródia da produção televisiva, recurso que influenciaria, muitos anos depois, humorísticos como TV Pirata (1983) e Casseta & Planeta, Urgente! (1992).

O programa Balança mas Não Cai foi adaptado para a televisão, pela primeira vez, na Globo em 1968. Em 1972, também teve uma versão produzida pela TV Tupi. Dez anos depois, voltou à grade de programação da Globo, com novos personagens e cenários. Foi um grande sucesso de audiência no Rio de Janeiro, em parte por trazer do rádio personagens conhecidos do grande público, como o Primo Pobre (Brandão Filho) e o Primo Rico (Paulo Gracindo). Balança mas Não Cai também eternizou expressões populares, como a do personagem Peladinho – “Mengo, tu é o maior!” –, que deu origem ao apelido do Clube de Regatas Flamengo.

G1

 

Morre Canarinho, humorista da A Praça é Nossa

Morre Canarinho, humorista do programa A Praça é Nossa Divulgação/SBT
Morre Canarinho, humorista do programa A Praça é Nossa
Divulgação/SBT

Morreu no início da tarde desta sexta-feira (21), o ator e humorista Aloísio Ferreira Gomes, o Canarinho, do programa A Praça é Nossa. De acordo com a assessoria de imprensa do SBT, Canarinho, de então 86 anos, sofreu um infarto agudo no miocárdio no último domingo (16), e estava internado no Hospital Santana, em Mogi das Cruzes, São Paulo.

Natural de Salvador, Bahia, Canarinho iniciou sua carreira aos 17 anos e, desde então, animava o público com suas passagens pelo rádio, cinema e televisão. Em 1987, Canarinho trouxe alegria de seu personagem para o humorístico A Praça é Nossa, do SBT, onde completaria 27 anos na emissora.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook
Do R7

Humorista Eugênio acusa filhos de abandono e exploração

eugenioPrestes a completar 80 anos, o humorista César Macedo Parece, aluno de uma das escolas mais famosas do Brasil, está no centro de uma polêmica familiar.Seu Eugênio vivia com a família em Mairiporã, na Grande São Paulo. Em 2011, ele ganhou uma casa no Programa do Gugu. Na época, sua companheira de mais de 30 anos, se emocionou com a surpresa. Ela morreu há um ano e, depois disso, a relação do comediante com os filhos piorou muito.

CURTA O FOCANDO O ESPORTE NO FACEBOOK

Ele conta que era rejeitado dentro de casa e faz queixas até da comida. Depois de sair de casa, Seu Eugênio contou à equipe do Domingo Espetacular sua dramática situação.

R7