Arquivo da tag: hotéis

Explosões em hotéis e igrejas deixam centenas de mortos e feridos no Sri Lanka

Uma série de explosões em hotéis de luxo e igrejas católicas durante a celebração da Páscoa no Sri Lanka deixou 207 mortos e mais de 450 feridos neste domingo (21), segundo o último balanço das autoridades policiais. Segundo fontes oficiais, ao menos 27 estrangeiros estão entre os mortos.

Nenhum grupo reivindicou autoria das ações até o momento. Sete pessoas foram presas durante uma operação de captura dos suspeitos em Colombo. Dois policiais morreram durante a operação.

O que se sabe até agora

  • 8 explosões atingiram o Sri Lanka neste domingo
  • 4 hotéis, 3 igrejas católicas e um complexo de casas foram alvos
  • Atentados ocorreram na capital, Colombo, e em outras duas cidades
  • 207 pessoas morreram e mais de 450 ficaram feridas
  • 27 mortos são estrangeiros
  • Nenhum grupo assumiu a autoria até o momento
  • Sete suspeitos foram presos

Sequência de ataques

Foram oito atentados. Seis ocorreram na capital, Colombo, atingindo quatro hotéis, uma igreja e um complexo residencial. Outros dois ataques foram registrados em igrejas nas regiões de Katana e Batticaloa.

Os primeiros casos ocorreram de forma coordenada por volta das 8h45 (0h15, no horário de Brasília), em três hotéis de Colombo e três templos católicos que realizavam missas em celebração à Páscoa, nas três cidades atingidas.

Horas mais tarde, outras duas explosões ocorreram na capital. Uma delas, que deixou dois mortos, ocorreu em um pequeno hotel situado ao lado do zoológico de Dehiwala. A outra, em um complexo de casas em Dematagoda, na periferia de Colombo.

No hotel de luxo Cinnamon Grand, em Colombo, um homem-bomba detonou o explosivo na fila de clientes que esperava para entrar em um bufê de Páscoa no restaurante do local.

“Ele se dirigiu para o início da fila e se explodiu”, relatou um funcionário para a AFP. “Era o caos total”, acrescentou.

Ataques conta 4 hotéis, três igrejas e um complexo residencial no Sri Lanka. — Foto: Rodrigo Cunha/G1

Ataques conta 4 hotéis, três igrejas e um complexo residencial no Sri Lanka. — Foto: Rodrigo Cunha/G1

Pessoas mortas após atentado em igreja de Santo Antônio em Colombo, Sri Lanka, neste domingo 21). — Foto: AFP

Pessoas mortas após atentado em igreja de Santo Antônio em Colombo, Sri Lanka, neste domingo 21). — Foto: AFP

Parentes de vítimas choram perto de igreja no Sri Lanka — Foto: Dinuka Liyanawatte/Reuters

Parentes de vítimas choram perto de igreja no Sri Lanka — Foto: Dinuka Liyanawatte/Reuters

Investigação

O primeiro-ministro, Ranil Wickremesinghe, convocou uma reunião do conselho de segurança nacional em sua casa para o final do dia. “Eu condeno veementemente os ataques covardes contra nosso povo hoje. Eu chamo todos para permanecerem unidos e fortes”, postou no Twitter.

Padres caminham perto de igreja após atentado — Foto: Dinuka Liyanawatte/Reuters

Padres caminham perto de igreja após atentado — Foto: Dinuka Liyanawatte/Reuters

O presidente do Sri Lanka, Maithripala Sirisena, pediu calma ao país. “Por favor, fiquem calmos e não sejam enganados por rumores”, declarou Sirisena, em mensagem à nação.

Sirisena, que se mostrou “em choque e triste com o que ocorreu”, esclareceu que “as investigações estão em curso para descobrir que tipo de conspiração está por trás destes atos cruéis”.

Toque de recolher

O governo impôs um toque de recolher no país. O governo também decretou um bloqueio temporário das redes sociais para impedir a difusão de mensagens falsas sobre os atentados.

“O governo decidiu bloquear todas as plataformas de redes sociais com o objetivo de impedir a propagação de informações incorretas e falsas. Trata-se de uma medida temporária”, anunciou a presidência, em um comunicado.

Atentados desta magnitude não aconteciam no Sri Lanka desde a guerra civil entre a guerrilha tâmil e o governo, um conflito que durou 26 anos, terminou em 2009 e deixou, segundo dados da ONU, mais de 40 mil civis mortos.

O último deles foi em 2018, quando o governo teve que declarar estado de emergência após confrontos entre muçulmanos e budistas. No Sri Lanka, a população cristã representa 7%, enquanto os budistas são cerca de 70%, de acordo com o Censo feito em 2012.

Sapato de vítima em frente a igreja no Sri Lanka — Foto: Dinuka Liyanawatte/Reuters

Sapato de vítima em frente a igreja no Sri Lanka — Foto: Dinuka Liyanawatte/Reuters

Reações

As igrejas cristãs na Terra Santa expressaram seu pesar após os atentados. “Que difíceis, irritantes e tristes são estas notícias, especialmente porque os ataques aconteceram enquanto os cristãos comemoravam a Páscoa”, lamentou o assessor de líderes da Igreja na Terra Santa, Wadie Abunassar.

Ele transmitiu sua solidariedade ao Sri Lanka e “a todos seus habitantes em suas várias confissões religiosas e origens étnicas”. “As igrejas rezam pelas almas das vítimas e pedem a rápida recuperação dos feridos”, acrescentou, em comunicado.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, publicou em sua rede social: “Os EUA prestam suas sinceras condolências ao grande povo do Sri Lanka. Estamos prontos a ajudar!”. Inicialmente, Trump havia postado que o número de mortos era de 138 milhões, mas corrigiu o número para 138 em um novo post.

G1

 

São João de Campina é o pior dos últimos dez anos, dizem entidades de lojistas e donos de hotéis, bares e restaurantes

São joão de campinaO Maior São João do Mundo – edição 2014 – está chegando ao fim e as expectativas criadas pela organização do evento não estão se confirmando. Mesmo se tratando do segundo ano do São João na gestão do prefeito Romero Rodrigues (PSDB), que prometeu um processo de inovação para o evento; e também o fato de estarmos em um ano de Copa do Mundo, não foram suficientes para, pelo menos, empatar com as edições anteriores.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Nesta quinta-feira (03), duas entidades que representam setores que atuam diretamente na festa emitiram notas criticando a queda nas vendas, em relação a anos anteriores. O presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (Sindcampina), Divaildo Bartolomeu, disse que o movimento nos restaurantes está aquém do esperado.

Segundo ele, a Copa do Mundo, que deveria contribuir para a vinda de turistas para O Maior São João do Mundo, em nada tem contribuído para o sucesso do evento. Ele criticou a organização do São João, afirmando que não houve divulgação suficiente da festa junina de Campina Grande este ano.

“Não houve uma divulgação eficiente da festa. O marketing deveria ter sido feito com maior força para incentivar o turismo. As pessoas que vão às cidades sede da Copa não estão parando em Campina Grande para conhecer o São João, elas preferem acompanhar as seleções de seus países. Dizer que a Copa influenciou o turismo em Campina Grande está fora de cogitação”, explicou o presidente do SindCampina.

Comércio fraco
Já o empresário Arthur Bolinha – que é presidente da Federação das CDLs da Paraíba – revelou que o mês de junho de 2014 foi o pior em termos de vendas no varejo dos últimos 10 anos. Apesar da projeção de crescimento de 10% no período dos festejos juninos, comparado ao mesmo período do ano passado, alguns lojistas reclamam do baixo movimento de consumidores no centro de Campina Grande.

Segundo a FCDL, para muitos comerciantes a falta de segurança tem sido o principal fator para que os consumidores deixem de frequentar as lojas do centro da cidade. Outro fator apontado pelos lojistas para explicar a baixa nas vendas é que está cada vez mais difícil encontrar vagas de estacionamento e essa escassez faz com que os consumidores migrem para as lojas dos shoppings.

Os feriados e a mudança de horários devido aos jogos da Copa do Mundo também não estão ajudando o comércio a manter o bom desempenho apresentado em anos anteriores. De acordo com os lojistas, o movimento no centro de Campina Grande deve ficar 5% abaixo do que foi registrado durante o mesmo período de 2013.

Redação iParaiba com Ascom

 

‘EM RESPEITO À JUSTIÇA ELEITORAL, O PORTAL FOCANDOANOTICIA.COM.BR SUSPENDE TEMPORARIAMENTE A PUBLICAÇÃO DE COMENTÁRIOS POLÍTICOS NESTE ESPAÇO PARA EVITAR EVENTUAIS CASOS E INTERPRETAÇÕES DE PROPAGANDA ELEITORAL ANTECIPADA E/ OU USO PARA DENEGRIR PRÉ-CANDIDATOS. AGRADECEMOS AOS LEITORES PELA COMPREENSÃO.

Governo isenta bares, restaurantes e hotéis de pagar ICMS sobre os 10% dos garçons

 

Restaurantes, bares e hotéis da Paraíba ficarão isentos de recolher o Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o valor pago na conta dos 10% concedidos aos garçons. O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Receita, aderiu ao convênio firmado no âmbito do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) para implementar a medida.

Nos próximos dias, o governador Ricardo Coutinho deverá assinar decreto disciplinando a isenção, que será publicado no Diário Oficial do Estado. A medida vai permitir que esses estabelecimentos do setor de serviços excluam a gorjeta da base de cálculo do ICMS, incidente no fornecimento de alimentação e bebidas em bares, restaurantes, hotéis e de similares.

O secretário de Estado da Receita, Marialvo Laureano, disse que a medida garantirá o repasse dos 10% para os funcionários sem o desconto do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços, acrescentando que a taxa deverá ser limitada a 10% do valor da conta.

O presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), seccional Paraíba, Marcos Mozzini, elogiou a medida do Governo do Estado de isentar o ICMS sobre o benefício pago aos garçons. “A adesão ao convênio do Confaz foi uma medida muito feliz do governador Ricardo Coutinho. Além de ajudar bastante o trabalho da contabilidade dos estabelecimentos de serviços que possuem o profissional, a medida vai facilitar o repasse da contribuição espontânea e ainda melhorar a capitalização do setor no acumulado do ano”, revelou.

Segundo Mozzini, o pagamento de 10% sobre o valor da conta continua sendo uma prática espontânea dos consumidores nos estabelecimentos, ou seja, não há exigência, “é apenas uma forma de agradecer o serviço de atendimento”.

Ascom-PB para o Focando a Notícia

Oferta de leitos aumenta em mais de 40% em hotéis e pousadas do interior; Bananeiras e Areia entre as cidades mais procuradas

Nos últimos dois anos, as cidades do interior da Paraíba que fomentam o turismo rural ganharam mais 1,5 mil novos leitos em hotéis e pousadas. De acordo com dados da Empresa Paraibana de Turismo da Paraíba (PBTur), entre 2010 e 2012, o número de leitos aumentou 42%, passando de 3.705 para 5.276 em 117 equipamentos de hospedagem. As regiões do Brejo, com as cidades de Bananeiras e Areia, do Cariri, com Cabaceiras, e do Curimataú, com Araruna, abrigam boa parte destes leitos que já recebem um grande fluxo de turistas interessados em roteiros que envolvem aventura, esportes, gastronomia, cultura e tradições religiosas.

Os números apontam para o fortalecimento do turismo rural que na Paraíba encontra espaço para discussões e divulgação de empreendimentos e roteiros com a 8ª Feira Regional de Turismo Rural (Ruraltur), nos dias 30 e 31 de agosto e 1° de setembro, em Campina Grande. No Estado, além dos já tradicionais trajetos da Civilização do Açúcar (um passeio pelos engenhos, que mostra a importância da cana para a história dos estados da Paraíba, Pernambuco e Alagoas) e das imagens cinematográficas de municípios do Cariri, o interior da Paraíba revela inúmeras histórias e experiências que podem ser desfrutadas pelos turistas.

“Turistas da Paraíba, dos estados vizinhos e de outras regiões do país estão descobrindo que a Paraíba tem belezas incríveis, grandes potenciais e muito o que fazer em cidades do interior. Isso é muito bom, pois mexe com a economia desses pequenos municípios, gerando emprego e renda e aumento da autoestima da população local”, avaliou a presidente da PBTur, Ruth Avelino.

Bananeiras é uma dessas cidades que já conta com equipamentos bem estruturados para receber o turista. Nos últimos dois anos, apresentou um grande crescimento do número de leitos em seus meios de hospedagem. Atualmente, são seis hotéis, com 540 leitos disponíveis. Segundo Regina Amorin, gestora de turismo do Sebrae na Paraíba, tanto Bananeiras quanto Areia têm condições de atender aos turistas mais exigentes. Em Areia, há três hotéis registrados na PBTur, que oferecem 114 leitos. Dentre as atrações da cidade, estão a visita ao Museu da Rapadura, no campus da Universidade Federal da Paraíba, aos inúmeros engenhos da região, com degustação da cachaça produzida, além do chamado turismo de experiência, que ao visitar uma casa de doces, por exemplo, o visitante assiste seu cozimento e ajuda a prepará-lo.

“Há inúmeras alternativas para o turismo rural. Os empreendedores estão cada vez mais se aperfeiçoando para oferecerem atrativos de qualidade”, completa Regina. Além dos atrativos do Brejo, destacam-se ainda Cabaceiras, no Cariri, com belas paisagens, gastronomia e rico artesanato. “No Sertão, Matureia e Sousa também recebem bem o turista. Já no Curimataú, Araruna e seu Parque da Pedra da Boca têm boas condições de receber os visitantes. Há belezas e atrativos em todas as regiões da Paraíba”, completa.

Para a gestora de Turismo do Sebrae Paraíba, Regina Amorim, não só a Paraíba, mas todo o Nordeste tem uma grande potencialidade no turismo rural. “Em todos os estados nordestinos, há belezas naturais, culturais, rica gastronomia e religiosidade”, afirma a gestora. Segundo ela, esse turismo deve ser integrado.

Feira fomenta turismo rural e espera gera R$ 2 milhões em negócios

Para fomentar novos negócios e apresentar os roteiros turísticos pelo interior, será realizada a 8ª Feira Regional de Turismo Rural (Ruraltur), entre os dias 30 de agosto e 1º de setembro, em Campina Grande. O evento deverá gerar cerca de R$ 2 milhões em negócios e reunirá 40 expositores de todo o Nordeste. De acordo com a gestora de Turismo do Sebrae Paraíba e coordenadora do evento, Regina Amorim, o evento tem um importante papel de integração dos estados nordestinos para o crescimento do turismo rural na região.

Cerca de quatro mil pessoas devem visitar a Feira e conhecer de perto produtos e serviços de agências de viagens e receptivo, hotéis-fazenda, equipamentos rurais (pousadas, hotéis e restaurantes), roteiros turísticos da região Nordeste, empresas da área de turismo de aventura, agronegócios e artesanato. Paralelamente a Ruraltur também serão realizados a 8ª Rodada de Negócios e o 3ª Seminário Nordeste de Turismo Rural. Para participar do Seminário, é preciso se inscrever previamente. O evento é uma iniciativa das unidades do Sebrae no Nordeste, Sebrae Nacional, Associação Brasileira de Turismo Rural (Abraturr) e FIEP. Mais informações pelo telefone (83) 2108-1256.

Sebrae