Arquivo da tag: história

Prêmio da Mega-Sena acumulado em R$ 275 milhões é o maior da história entre concursos regulares

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.149 realizado na noite desta quarta (8) e o prêmio acumulou para R$ 275 milhões. O próximo sorteio acontece no sábado (11), às 20h (horário de Brasília), no espaço Loterias Caixa no Terminal Rodoviário Tietê, em São Paulo (SP).

Este é o maior prêmio da Mega-Sena acumulado na história entre concursos regulares sem contar Mega da Virada. O segundo maior valor acumulado nesta categoria até hoje é o concurso de número 1763, de 21 de novembro de 2015, que ficou acumulado em R$ 200 milhões.

Ao considerar todos os prêmios, incluindo Mega da Virada, este é o quarto maior concurso já acumulado da história.

É importante ressaltar que o G1 analisou os maiores concursos já acumulados da história e não os valores finais pagos aos ganhadores.

Para apostar na Mega-Sena

As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país ou pela internet. A aposta mínima custa R$ 3,50.

Pela internet também é possível adquirir combos. São seis opções que inclui várias modalidades. Na seleção do combo, o apostador pode escolher entre visualizar os números selecionados em cada aposta ou o formato “Surpresinha”, no qual o sistema escolhe aleatoriamente os números da aposta, quando da sua efetivação. O valor mínimo para apostar na internet é de R$ 30 e o máximo de R$ 500 por dia.

Probabilidades

A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

Maiores concursos acumulados da Mega-Sena

1774 Mega da Virada 26/12/2015 R$ 280 milhões
1999 Mega da Virada 21/12/2017 R$ 280 milhões
2109 Mega da Virada 20/12/2018 R$ 280 milhões
2149 Concurso regular 08/05/2019 R$ 275 milhões
1664 Mega da Virada 24/12/2014 R$ 240 milhões
1454 Mega da Virada 22/12/2012 R$ 230 milhões
1889 Mega da Virada 24/12/2016 R$ 225 milhões
1244 Mega da Virada 24/12/2010 R$ 200 milhões
1559 Mega da Virada 21/12/2013 R$ 200 milhões
1763 Concurso regular 21/11/2015 R$ 200 milhões
G1

 

PB tem maior número de diagnósticos de HIV da história em 2017, diz Saúde

(Foto: Rita Torrinha/G1)

A Paraíba registrou o maior número de diagnósticos de HIV da história em 2017, segundo informou a Secretaria de Estado de Saúde (SES) nesta quinta-feira (1º). De acordo com os dados, foram 557 diagnósticos realizados no ano passado. Em 2016, foram 493, e em 2015, 356.

Segundo a gerente estadual de IST/Aids e Hepatites Virais, Ivoneide Lucena, esse alto número representa um avanço para o estado, uma vez que quanto antes o vírus for identificado, mais fácil de evitar o desenvolvimento da Aids.

“Estamos há três anos tentando atingir a meta 90 90 90, que é diagnosticar 90% das pessoas que têm HIV, garantir que 90% dessas pessoas estejam em tratamento e, dessas, que 90% tenham a carga viral baixa. Nós conseguimos implantar o teste rápido nos 223 municípios da Paraíba, e o resultado sai em 20 minutos”, explicou.

O número de mortes por HIV ou Aids foi o menor desde 2014. Nos dois anos, foram registradas 137 mortes na Paraíba. Em 2013, foram 146 mortes.

Em relação à Aids, o número de diagnósticos caiu pelo segundo ano seguido. Foram 296 pessoas diagnosticadas em 2017, contra 390 em 2016 e 466 em 2015. Também em 2017, quatro pessoas foram diagnosticadas só depois da morte. Ao todo, foram 857 diagnósticos de HIV ou Aids no ano passado.

Ivoneide Lucena alertou para o aumento dos casos de Aids na população jovem e a importância do uso do preservativo.

“Precisamos alertar a população jovem que existe um grande risco de pegar alguma DST e/ou mesmo o HIV, uma vez que não podemos dizer apenas pela aparência de uma pessoa se ela tem ou não essas doenças. O jovem não se vê como uma pessoa que corre riscos e com essa compreensão acaba nas relações sexuais não tendo o cuidado com o uso da camisinha. Dessa forma cada dia estamos nos deparando com mais jovens de 15 a 24 anos sendo diagnosticados com HIV ou Aids aqui no estado”, disse Ivoneide.

Preservativos são distribuídos na Paraíba (Foto: Mariana Raphael/Agência Brasília)

Preservativos são distribuídos na Paraíba (Foto: Mariana Raphael/Agência Brasília)

Distribuição de preservativos

Mais de 1,5 milhão de preservativos e 100 mil sachês de gel lubrificante vão ser distribuídos pela SES da Paraíba em todo o estado no período de carnaval. O objetivo é trabalhar a prevenção das Doenças Sexualmente Transmissíveis. Além disso, vão ser distribuídos folders e material informativo para os foliões. O material é enviado para as Gerências Regionais de Saúde, que fazem a distribuição em seus municípios.

“A festa potencializa o uso de bebidas alcoólicas e aumenta as possibilidades de ‘ficar’ com outras pessoas, e é nesse momento que a vulnerabilidade aumenta e acabam fazendo sexo sem camisinha, se colocando em risco. A população jovem tem a ideia errônea que a Aids não mata, o que não é verdade”, disse a gerente.

Segundo Ivoneide, nos dias pós-carnaval muitas pessoas acabam recorrendo aos serviços de saúde em busca da Profilaxia Pós Exposição (PEP). É importante ressaltar que a PEP é um tratamento de 28 dias e não dispensa o uso do preservativo.

“Devemos frisar que a PEP deve ser iniciada até 72 horas pós-exposição ao vírus. Esse tratamento preventivo poderá ser acessado junto às pessoas que passaram por uma situação de risco com (fez sexo sem camisinha ou a camisinha estourou) ou sem permissão (estupro)”, explicou.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Padre larga a batina para viver uma história de amor

O padre Valdir Valdick de Araújo Dantas, da paróquia de Lagoa Nova, renunciou a batina neste domingo, 10/12, para viver um caso de amor: “Tenho um filho e uma mulher que os amo, e quero recomeçar minha vida junto a eles sem deixar de ser cristão e amar esta igreja que a tenho como mãe e mestra”, escreveu em nota a comunidade católica.

Segue-a na íntegra

Querida comunidade Paroquial de São Francisco de Assis em Lagoa Nova paz e bem.

O zelo por tua casa me consumirá, foi com essa inspiração bíblica que disse sim ao chamado que o senhor fez por vocação sacerdotal. Sou Grato ao Senhor da missão que me ungiu para este serviço exercido com muita dedicação e zelo que fiz por quase 23 anos. Quantas graças recebidas e compartilhadas tudo isso porque Deus é bom e é confiando em sua misericórdia e depois de um longo período de discernimento feito em oração, cheio de angústia e sofrimento mas convicto do sentimento que invade minha alma, que deixo o ministério sacerdotal, para viver uma história de amor em família. Tenho um filho e uma mulher que os amo, e quero recomeçar minha vida junto a eles sem deixar de ser cristão e amar esta igreja que a tenho como mãe e mestra.

Acredito que a família é o santuário da ida, eis o motivo da minha decisão, pois havia uma inquietação no meu coração, e o que vos peço humildemente agora é que rezem por esse servo do Senhor que seguirá seu novo estado de vida e que no ano nacional do laicato, sejamos o sal da terra e Luz do Mundo, Cristãos leigos e leigas, sujeitos na igreja em saída a serviço do rei, abraço fraterno em Cristo e Maria.

Lagoa Nova, em 10 de dezembro de 2017

Pe Valdir Valdick de Araújo Dantas

portalmidia

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

História dos meninos de Caiçara-PB concorre a prêmio internacional

A história dos meninos do basquete de Caiçara-PB, que quase perdiam a competição para que tinha sido classificados por falta de recursos financeiros está concorrendo a um prêmio internacional, que elege o melhor evento esportivo do ano.

A premiação vai acontecer em Mônaco. A votação acontece através da internet e também pelas redes sociais.

Nos grupos de Whatsapp a equipe faz campanha em busca de votos.

” A história dos Meninos do Basquete de Caiçara, PB, acabou de ser indicada para o Prêmio Laurels, o Oscar do Esporte, MAIOR Premiação Esportiva Mundial, na categoria “ Melhor Momento Esportivo do Ano!! Os finalistas irão pra Mônaco, local da solenidade de entrega, para a entrega da premiação.

Votem no site para chegarmos final.

Tárik Pereira

https://www.mylaureus.com

FAVOR DIVULGAR”, postaram

ENTENDA UM POUCO COMO TUDO ACONTECEU: Meninos de Caiçaras-PB recebem apoio de time adversário para ir aos Jogos Escolares

pbagora

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Com 189 mortos, Somália tem pior atentado de sua história

O número de mortos na explosão de um caminhão-bomba em frente a um hotel no centro de Mogadíscio, capital da Somália, no último sábado (14), subiu para 189, o que faz desse ataque o mais mortal já realizado no país.

Os médicos ainda lutam para salvar os mais de 200 feridos no atentado, muitos deles queimados além da possibilidade de reconhecimento. As autoridades locais ainda temem que o balanço da explosão continue se agravando, mas, segundo a “Associated Press”, oficiais não estão autorizados a conversar com repórteres.

O ataque ocorreu em frente ao hotel Safari, que fica perto de ministérios do governo somali e em uma rua bastante movimentada de Mogadíscio. O prédio foi amplamente destruído pela explosão. “Em nossos 10 anos de experiência em primeiros socorros em Mogadíscio, nunca tínhamos visto algo assim”, diz uma mensagem postada no Twitter pelo serviço de ambulâncias da capital.

O presidente Mohamed Abdullahi Mohamed declarou três dias de luto e se juntou às milhares de pessoas que responderam aos apelos desesperados dos hospitais por doações de sangue. “Estou implorando ao povo somali para que doem”, afirmou o mandatário.

Segundo o diretor do Hospital Medina, Mohamed Yusuf, citado pela “AP”, o local está sobrecarregado de mortos e feridos. “Recebemos pessoas cujos membros foram arrancados pela bomba. É realmente horrível, nunca tínhamos visto algo assim”, acrescentou.

De acordo com o Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, pelo menos quatro voluntários estão entre as vítimas. “O balanço pode aumentar porque ainda há muitos voluntários desaparecidos”, diz um comunicado da entidade.

A explosão ainda não foi reivindicada, mas o governo culpa o grupo fundamentalista islâmico somali Al Shabab, que vem aumentando suas ações no centro e no sul do país nos últimos meses. A milícia está em guerra contra o Exército e os mais de 20 mil homens enviados pela União Africana, que contam com o apoio de drones dos Estados Unidos.

O atentado ocorreu dois dias depois de um encontro em Mogadíscio entre o presidente da Somália e expoentes do comando dos EUA na África. Além disso, três dias atrás, o governo perdeu dois membros de seu alto escalão, o ministro da Defesa Abdirashid Abdullahi Mohamed e o chefe das Forças Armadas Ahmed Jimale.

Situado no Chifre da África, o país é um dos mais vulneráveis do mundo por causa da pobreza disseminada, da atuação de milícias terroristas e da instabilidade política. Em março passado, o governo somali chegou a declarar estado de calamidade nacional por causa da fome.

Terra

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

A incrível história do brasileiro chamado de louco pelos vizinhos por plantar a própria floresta

(Foto: Gibby Zobel)

Antonio Vicente era chamado de louco pelos vizinhos.

Afinal, quem compraria um pedaço de terra a 200 km de São Paulo para começar a plantar árvores?

“Quando comecei a plantar, as pessoas me diziam: ‘você não viverá para comer as frutas, porque essas árvores vão demorar 20 anos para crescer'”, conta Vicente ao repórter Gibby Zobel, do programa Outlook, do Serviço Mundial da BBC.

“Eu respondia: ‘Vou plantar essas sementes, porque alguém plantou as que estou comendo agora. Vou plantá-las para que outros possam comê-las.”

Vicente, prestes a completar 84 anos, comprou seu terreno em 1973, uma época na qual o governo militar oferecia facilidades de crédito para investimentos em tecnologia agrícola, com o objetivo de impulsionar a agricultura.

Mas sua ideia era exatamente a oposta.

Criado em uma família numerosa de agricultores, ele via com preocupação como a expansão dos campos destruía as fauna e flora locais, e como a falta de árvores afetava os recursos hídricos.

“Quando era criança, os agricultores cortavam as árvores para criar pastagens e pelo carvão. A água secou e nunca voltou”, explica.

“Pensei comigo: ‘a água é o bem mais valioso, ninguém fabrica água e a população não para de crescer. O que vai acontecer? Ficaremos sem água.”

As florestas são fundamentais para a preservação da água porque absorvem e retém esta matéria-prima em suas raízes. Além disso, evitam a erosão do solo.

A primeira árvore que Vicente plantou foi uma castanheira (Foto: Gibby Zobel)

A primeira árvore que Vicente plantou foi uma castanheira (Foto: Gibby Zobel)

Recuperação da floresta

Quando tinha 14 anos, Vicente saiu do campo e passou a trabalhar como ferreiro na cidade.

Com o dinheiro da venda de seu negócio, pôde comprar 30 hectares em uma região de planície perto de São Francisco Xavier, distrito de 5 mil habitantes que faz parte de São José dos Campos, no interior de São Paulo.

“A vida na cidade não era fácil”, lembra ele.

“Acabei tendo de viver debaixo de uma árvore porque não tinha dinheiro para o aluguel. Tomava banho no rio e vivia debaixo da árvore, cercado de raposas e ratos. Juntei muitas folhas e fiz uma cama, onde dormi”, diz Vicente.

“Mas nunca passei fome. Comia sanduíches de banana no café da manhã, almoço e jantar”, acrescenta.

Após retornar ao campo, começou a plantar, uma por uma, cada uma das árvores que hoje formam a floresta úmida tropical com cerca de 50 mil unidades.

‘Nadando contra a corrente’

Vicente nadava contra a corrente: durante os últimos 30 anos, em que se dedicou a reflorestar sua propriedade, cerca de 183 mil hectares de mata atlântica no Estado de São Paulo foram desflorestados para dar lugar à agricultura.

Segundo a Fundação Mata Atlântica SOS e o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), a mata atlântica cobria originalmente 69% do Estado de São Paulo.

Hoje, a proporção caiu para 14%.

E, ainda que esteja distante do pico de 2004, quando 27 mil hectares foram destruídos, o ritmo de desmatamento voltou a aumentar.

Entre agosto de 2015 e julho de 2016, por exemplo, foram destruídos 8 mil hectares de floresta – uma alta de 29% em relação ao ano anterior e o nível mais elevado desde 2008, segundo dados do Inpe.

Animais e água

Um quadro pendurado na parede da casa de Vicente serve de lembrança das mudanças que ele conseguiu com seu próprio esforço.

“Em 1973, não havia nada aqui, como você pode ver. Tudo era pastagem. Minha casa é a mais bonita de toda essa região, mas hoje não se pode tirar uma foto desse ângulo porque as árvores a encobrem, porque estão muito grandes”, brinca Vicente.

Com o replantio, muitos animais reapareceram.

“Há tucanos, todo tipo de aves, pacas, esquilos, lagartos, gambás e, inclusive, javalis”, enumera.

“Temos também uma onça pequena e uma jaguatirica, que come todas as galinhas”, ri.

O mais importante, contudo, é que os cursos de água também voltaram a brotar.

Quando Vicente comprou o terreno, só havia uma fonte. Agora, há cerca de 20.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Após 18 sangrias em 60 anos de história, Boqueirão vive pior seca

(Foto: Reprodulção/TV Paraíba/Arquivo)
(Foto: Reprodulção/TV Paraíba/Arquivo)

O açude Epitácio Pessoa conhecido como Açude de Boqueirão, no Cariri paraibano completa 60 anos de fundação nesta segunda-feira (16) em uma realidade preocupante. Depois de já ter sangrado por 18 vezes, o manancial vive a pior seca de sua história, estando em um nível de apenas 4,8% da capacidade total. Abastecendo Campina Grande e outras 18 cidades do Agreste paraibano, a esperança de dias melhores para o açude está na conclusão das obras da Transposição do Rio São Francisco.

Com capacidade para armazenar 411,686 milhões de metros cúbicos de água, o manancial inaugurado em 16 de janeiro de 1957 está com apenas 18,565 milhões, conforme os dados da Agência Executiva de Gestão de Águas da Paraíba (Aesa). Por conta do baixo nível, as cidades abastecidas enfrentam um forte esquema de racionamento de água há mais de dois anos. Segundo o especialista e recursos hídricos, Isnaldo Luna, que durante 20 anos monitorou o açude como gerente de bacias hidrográficas da Aesa, o açude de Boqueirão divide momentos de sangrias maravilhosas, mas também de secas terríveis.

Sangrias e secas
O açude que hoje comemora 60 anos tem registrado em sua história eventos que são de sangrias maravilhosas e também de secas terríveis. “Desde a inauguração ele sangrou 18 vezes, nos anos de 1967, 1968, 1973, 1974, 1975, 1976, 1978, 198, 1984, 1985, 1986 e 1989. Depois ele passou 15 anos sem sangrar.

Em 28 de dezembro de 1999, o manancial atingiu o pior nível de sua história, antes da seca atual, chegando ao nível de 14%. Os dias de preocupação acabaram da época cessaram em 1º de fevereiro de 2004 voltou a atingir o nível máximo. As outras novas sangrias ocorreram em 2005, 2006, 2008, 2009 e 2011”, contou o especialista.

Melhor fase da história
Quando o açude de Boqueirão sangrou pela última vez, em 2011, ele teve a melhor fase de sua história. Segundo os dados da Aesa, ele passou 202 dias transbordando água sem parar. A sangria começou no dia 6 de março de 2011 e só parou no dia 22 de setembro daquele ano.

“Toda essa história mostra que o açude é resistente, mas precisa de mais atenção para que possa ter um bom inverno e depois superar os dias difíceis. Desde que houve a última seca em 1999, se passaram 18 anos e não foi feita nenhuma mudança para garantir a segurança hídrica. E isso não é só em relação ao governo, mas a própria população. É preciso aproveitar mais a água da chuva. Parece que as pessoas esqueceram que moramos no Nordeste”, explicou ele.

Operários trabalham no canal que vai levar água da Transposição em Monteiro (PB) (Foto: Katherine Coutinho / G1)Operários trabalham no canal  da Transposição em
Monteiro (Foto: Katherine Coutinho/G1/Arquivo)

Transposição
Vivendo a pior seca de sua história, a esperança de dias melhores para o açude Epitácio Pessoa está na conclusão da obra da Transposição do Rio São Francisco. A previsão é que a água chegue ao açude neste primeiro semestre de 2017. A transposição deságua em Monteiro e segue até Boqueirão passando por rios e outras barragens.

Para agilizar o processo, por meio de uma parceria agenciada pelo Ministério da Integração, o Governo do Estado São Paulo vai empresar quatro conjuntos de motobombas e outros equipamentos da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). A previsão é de que essas bombas antecipem a chegada das águas em 25 dias.

Sobre a transposição, Isnaldo Cândido disse que ela está sendo um “plano B” para a falta de chuvas e vai chegar em excelente hora. Entretanto, ele destacou que é preciso ter uma melhor gestão da água, pois o mal uso dessa água, mesmo com a transposição,  pode fazer com que a região enfrente novas crises no futuro.

“É preciso entender que a água é um bem finito em qualquer parte do mundo e se não houver gestão ela acaba. Que o governo faça uma boa gestão da água desde já e que as pessoas também se conscientizem de que não podem usar a água como querem”, disse ele.

Medidas de segurança
Para garantir uma segurança hídrica, o especialista destacou medidas que podem ser adotadas a curto e longo prazo. Isnaldo Cândido disse que esta seca precisa deixar um legado para o alerta de novos cuidados para o futuro.

“A construção civil precisa começar a usar medidas alternativas e não usar água tratada para construção. A Indústria também precisa reutilizar a água. As prefeituras e o governo precisam construir os novos prédios já com sistemas de aproveitamento da água da chuva. E os consumidores precisam entender que no Nordeste as cisternas são necessárias. Tem que aproveitar a água da chuva e reutilizar o que puder”, explicou ele.

G1 PB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Chape elimina time do Papa, vai à final da Sul-Americana e faz história

Nelson Almeida/AFP Photo
Nelson Almeida/AFP Photo

A Chapecoense está, pela primeira vez, em uma final de torneio internacional. O time de Chapecó alcançou a decisão da Sul-Americana após empatar por 0 a 0 com o San Lorenzo-ARG, na noite desta quarta-feira, na Arena Condá, no jogo mais importante de sua história. Como fez um gol na casa do adversário no jogo de ida (1 a 1), levou a melhor sobre o time do Papa e avançou.

O adversário da Chapecoense será definido nesta quinta-feira, quando o atual campeão da Libertadores, o Atlético Nacional-COL, recebe o Cerro Porteño-PAR no segundo jogo entre as equipes. No primeiro, houve empate por 1 a 1.

O melhor: Danilo

O goleiro Danilo foi o grande herói da Chapecoense. Fez três grandes defesas (sendo um milagre no último lance do jogo) e garantiu a Chape na grande decisão.

Torcida comemora, mas assistente estraga a festa

Nelson Almeida/AFP Photo

Depois de ver o San Lorenzo começar melhor a partida, a Chapecoense soltou o grito de gol aos 25min de jogo. Após bola cruzada da direita e desvio na primeira trave, Thiego completou de canela para as redes. O juiz já tinha validado o gol, mas o assistente viu impedimento em um lance bastante duvidoso.

1ºT equilibrado. 2º, nem tanto

Paulo Whitaker/Reuters

Chapecoense e San Lorenzo fizeram um primeiro tempo bastante equilibrado na Arena Condá. A história, porém, mudou na segunda etapa, com o time argentino pressionando e a Chape raramente conseguindo aproveitar seus contra-ataques. Somente depois de algumas mudanças de Caio Júnior que o time da casa voltou a equilibrar a partida.

Maestro Caio Júnior

Já aos 42min do segundo tempo, com a vaga bem próxima, Caio Júnior comemorou uma posse de bola da Chapecoense e vibrou bastante, chamando a torcida (foram 17.569 presentes) e incendiando a Arena Condá, que ficou em festa.

Festa palmeirense? Depende da Chape

O Palmeiras pode neste domingo, enfim, comemorar o título brasileiro de 2016. Tudo, porém, dependerá da Chapecoense, adversário do time paulista no domingo, no Allianz Parque. Para levantar a taça com uma rodada de antecedência, o Palmeiras precisa ao menos empatar o jogo. Caso a Chapecoense vença e o Santos também faça a sua parte, diante do Flamengo, no Maracanã, a decisão do Campeonato Brasileiro irá para a última rodada.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Deputado da PB sai em defesa de Trump: “Será o melhor da história dos EUA”

tiao-gomesO deputado estadual, Tião Gomes (PSL), saiu em defesa do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, durante discurso proferido na tribuna da Assembleia Legislativa, nesta quinta-feira (10).

De acordo com o parlamentar, a sociedade brasileira, de um modo geral, está criticando a vitória do republicano, mas acredita que ele fará uma gestão exitosa no comando da Casa Branca. “Será o melhor presidente da história dos Estados Unidos, podem anotar”, disparou.

As críticas feitas a Trump se devem por conta de suas declarações em torno de temas considerados polêmicos.

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Servidores deixam sede da prefeitura após três dias do maior movimento da história de Belém (PB)

ocupacaoApós três dias de ocupação da sede da prefeitura de Belém, os servidores municipais deixaram o prédio, pacificamente, no início da tarde desta quarta-feira (26), onde protestavam contra a demissão, em massa, de funcionários pelo prefeito Edgard Gama. A liminar de reintegração de posse foi concedida pela juíza Andressa Torquato, depois do pedido do procurador do município, Marcus Freire.

Os funcionários demitidos alegam que os contratos assinados têm válida até o dia 31 de dezembro, e por isso reivindicam explicação do gestor municipal pela demissão de quase 100 (cem) servidores de cinco secretarias, ocorrida no último dia 20 de outubro, por meio da Portaria nº 120, publicada no Diário Oficial do município. A Resolução Nº 23.457, de 15 de dezembro de 2015, do Tribunal Superior Eleitoral, proíbe a contração ou demissão de funcionários três meses antes e depois das eleições.

Manifestantes fizeram um mural com os nomes de alguns servidores municipais demitidos
O movimento começou com um ato em frente à Secretaria de Saúde na manhã da segunda-feira (24), em seguida os servidores fizeram um “apitaço” pela principal avenida da cidade, onde se encontra o estabelecimento comercial do prefeito Edgard Gama, e se dirigiram ao prédio da Prefeitura de Belém, com o objetivo de cobrar, do prefeito derrotado, o cumprimento da resolução do TSE.

“Apitaço” realizado pelos servidores na segunda-feira (24), no centro de Belém

A manifestação seguiu pacífica, sem depredação do espaço público e sem interrupção dos trabalhos na sede da prefeitura de Belém. O movimento liderado, principalmente, pelas mulheres, maioria nas demissões ocorridas, repercutiu em todo o estado da Paraíba através das redes sociais, blogs e portais de notícias, emissoras de rádio e na TV Cabo Branco.

A TV Cabo Branco destacou a manifestação dos servidores que ocuparam, pacificamente, a prefeitura de Belém

Os manifestantes pretendem marcar uma audiência com a juíza para levar ao conhecimento dela, e também do Ministério Público, as demissões que eles consideram ilegais, por terem sido realizadas poucos dias após o término das eleições. Além disso, segundo denúncias na imprensa local, a demissão em massa já prejudica serviços essenciais para a população, como a saúde e assistência social.

Alimentos doados por várias pessoas que se solidarizaram com o ato dos servidores demitidos, na sede da prefeitura de Belém, foram encaminhados ao abrigo Bom Pastor, na tarde desta quarta-feira (26), por alguns integrantes do movimento, os quais foram recebidos pela direção da instituição que cuida de idosos em Belém.

Direção do abrigo de idosos Bom pastor recebe alimentos doados pelos servidores municipais após a desocupação do prédio da prefeitura de Belém
Já o prefeito Edgard Gama… permanece incomunicável.

correiobelenense

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br