Arquivo da tag: Grêmio

Morre Valdir Espinosa, campeão carioca pelo Botafogo e mundial pelo Grêmio

O técnico campeão da Libertadores da América e Mundial pelo Grêmio em 1983 e carioca pelo Botafogo-RJ em 1989, Valdir Espinosa, morreu nesta quinta-feira (27) aos 72 anos de idade. Ele foi submetido a uma cirurgia na região do abdômen no dia 17, e internado novamente no dia 20, mas não se recuperou.

Atualmente, Espinosa ocupava o cargo de gerente de futebol do Botafogo, clube com o qual tinha grande identificação pela conquista do Campeonato Carioca de 1989.

Valdir Espinosa em sua volta ao Botafogo — Foto: Vitor Silva/Botafogo
Valdir Espinosa em sua volta ao Botafogo — Foto: Vitor Silva/Botafogo

História

Nascido em Porto Alegre, Espinosa começou sua carreira no futebol como jogador do Grêmio. Atuou por oito anos como profissional, passando por CSA, Esportivo e Caxias. Parou em 1978 e no ano seguinte já iniciou no cargo de treinador do Esportivo.

Desde então, construiu uma carreira sólida, com o auge em 1983, quando comandou o Grêmio campeão da Libertadores e do Mundial. Na época, o time contava com jogadores como Renato Gaúcho, De León, Paulo César Caju e Mário Sérgio.

Em 1989, Espinosa aceitou o convite do Botafogo, que não conquistava o Campeonato Carioca havia 20 anos. Com um gol de Maurício na final contra o Flamengo, o time celebrou o título invicto da competição e criou mais um momento histórico para a carreira do treinador.

Espinosa rodou o Brasil como treinador e teve experiências internacionais. Ele trabalhou no Cerro Porteño, do Paraguai, no Al-Hilal, da Arábia Saudita, e no Tokyo Verdy, do Japão. Também teve uma rápida passagem pelo Las Vegas City.

Globo Esporte

 

 

Botafogo-PB inicia conversas para selar contratação de Léo Moura, ex-Fla e Grêmio

O lateral direito Leonardo Moura pode ser o próximo reforço do Botafogo da Paraíba para a temporada deste ano. A diretoria do clube já iniciou os contatos com o atleta e a contratação está encaminhada.

Aos 41 anos de idade, Léo Moura já teve passagens pelos quatro grandes clubes do Rio de Janeiro (Flamengo, Fluminense, Botafogo e Vasco), e na última temporada vestiu a camisa do Grêmio, de Porto Alegre. O jogador também já defendeu a Seleção Brasileira.

As informações foram repercutidas pelo comentarista esportivo da TV Arapuan, Professor União, durante o programa Arapuan Verdade, da Rádio Arapuan FM desta quinta-feira(23).

paraiba.com.br

 

 

Flamengo vence Grêmio, quebra tabu e fica mais perto do título

Já de olho na final da Copa Libertadores, o Flamengo bateu o Grêmio por 1 a 0, neste domingo, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, encerrou um jejum de 25 anos no Sul e ficou muito próximo do título do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o time do técnico português Jorge Jesus pode ser campeão já na próxima rodada da competição, mesmo sem entrar em campo.

Para tanto, basta que o Palmeiras, seu principal perseguidor e que nesta 33.ª rodada apenas empatou contra o Bahia em Salvador, chegando aos 68 pontos, não vença o Grêmio, no próximo domingo, em São Paulo. Com um jogo a mais, os cariocas, hoje com 81, não seriam mais alcançados na tabela de classificação, uma vez que os paulistas só poderiam atingir a mesma pontuação e, com quatro rodadas para o fim, teriam desvantagem de seis vitórias (25 a 19).

Fugindo de suas características e com apenas três titulares em campo, a equipe carioca venceu com gol de pênalti de Gabriel – que acabaria expulso – e manteve uma longa invencibilidade de 25 jogos – 21 apenas na competição. Também pôs fim a um jejum de 25 anos sem vencer o time gaúcho no Sul em partidas pelo Brasileirão.

Já o Grêmio, que terminará o ano sem vencer o Flamengo após quatro encontros – três derrotas e um empate – teve barrada uma sequência de cinco triunfos seguidos e estacionou nos 56 pontos, se mantendo no quarto lugar, ainda na zona de classificação direta para a fase de grupos da Libertadores de 2020.

Com apenas três titulares – Diego Alves, Arrascaeta e Gabriel -, já se preparando para a final da competição continental deste ano, a ser realizada em Lima no próximo sábado contra o River Plate, o Flamengo entrou em campo com uma forma diferente da que está acostumado sob o comando de Jorge Jesus. Com menos intensidade na marcação, menor posse de bola e mais reativa, ainda assim a equipe carioca mostrou maturidade e bom posicionamento.

Mesmo com posse de bola muito maior, sem a mesma movimentação dos últimos cinco jogos, o Grêmio pouco criou. Com Everton, sua principal estrela, apagado na etapa inicial, o time da casa só incomodou o goleiro Diego Alves em duas oportunidades antes do intervalo. Uma com um chute de Cortez de dentro da área, aos 29 minutos, e outra com Alisson, em cobrança de falta defendida pelo goleiro flamenguista aos 31.

Já o Flamengo, mesmo desfigurado, tinha em campo duas de suas principais peças em grande tarde nos minutos iniciais: Arrascaeta e Gabriel. Sempre que se aproximavam, criavam problema para a zaga anfitriã. Em uma delas, aos 19, o camisa 9 quase marcou após boa tabela com o uruguaio, defendida por Paulo Victor.

Em outra subida, aos 33 minutos, veio o pênalti. Gabriel avançou pela linha de fundo e tocou rasteiro para trás. A bola tocou no braço de Léo Moura, que tentava o carrinho. Perto do lance, o árbitro Raphael Claus imediatamente marcou a penalidade. Mesmo sob protesto dos jogadores do Grêmio, o paulista não foi ao VAR e confirmou a marcação.

Com categoria, aos 36 minutos, Gabriel bateu deslocando Paulo Victor e marcou o seu 22.º gol no campeonato, ultrapassando a marca de Zico como maior artilheiro do Flamengo em uma única edição de Brasileirão.

O segundo tempo teve o mesmo panorama inicialmente, com a equipe carioca bem postada atrás e buscando resolver o confronto na base da qualidade de seus homens de frente, em algum contra-ataque concedido. No Grêmio, a mudança foi a atuação mais destacada de Everton, principalmente pelo lado esquerdo, onde quase sempre levava a melhor sobre Rodinei – e quem mais estivesse em sua cobertura.

Tentando proteger mais a sua defesa, Jorge Jesus pôs em campo o jovem Vinícius na vaga de Diego logo no início da segunda etapa. Também apostou em Everton Ribeiro para o posto do jovem Lucas Silva, com objetivo de dar mais saída à equipe.

Em resposta, o técnico gremista Renato Gaúcho deu vez ao atacante André e retirou o volante Michel para povoar mais a área do adversário. Em seguida, foi a vez do garoto Pepê no posto de Diego Tardelli, que deu mais mobilidade ao setor e criou pelo menos uma boa oportunidade.

O Flamengo conseguia conter bem o ímpeto da equipe gaúcha com certa tranquilidade, apesar do amplo domínio territorial gremista. Até que Gabriel, outra vez nervoso e discutindo bastante com a arbitragem, foi expulso por Rafael Claus após aplaudir ironicamente o árbitro em marcação contra seu time.

Disposto a arriscar o que tinha na mão, Renato Gaúcho tirou o lateral-direito Léo Moura para a entrada de Felipe Vizeu. Com seis atacantes e desorganizado, o Grêmio empurrou o oponente “às cordas” e o próprio ex-jogador flamenguista reclamou toque de mão na área do lateral-esquerdo Renê aos 41 minutos, mas o pênalti não foi marcado.

Insistindo muito em bolas alçadas na área, foi por baixo, com Everton, que o Grêmio ainda teve uma boa oportunidade, em chute da entrada da área aos 45 minutos. Diego Alves, bem colocado, fez a defesa e garantiu a invencibilidade de 25 partidas. A marca já é a mesma de 2011, no maior período sem perder neste século do time carioca, cada vez mais perto do título brasileiro em 2019.

 

Band

 

 

Ônibus com torcedores do Grêmio sofre acidente e deixa um morto e mais de 40 feridos

Um ônibus que viajava para Porto Alegre para o jogo entre Grêmio x Internacional sofreu um acidente no km 209 da BR 386 ao colidir com uma van. Na fatalidade, um homem morreu, que foi o condutor do veículo que se chocou com o ônibus gremista, e 46 pessoas ficaram feridas e precisando de atendimento por volta das 6h10 da manhã deste domingo (3).

A Companhia de Concessões Rodoviárias (CCR) alegou que 35 passageiros ficaram com ferimentos leves, sete com ferimentos moderados e quatro pessoas estão em estado grave.

A Polícia Rodoviária Federal confirmou as informações. De acordo com relatos, o condutor de uma van invadiu a faixa contrária da pista e se chocou de frente com o ônibus que levava os torcedores do Grêmio à capital do Rio Grande do Sul. Depois da forte colisão, o veículo com os gremistas desceu um barranco.

O condutor da van era o único ocupante do veículo e veio a óbito no momento do acidente. As autoridades esperam a chegada da perícia para a retirada do corpo do homem morto e dos veículos no local da fatalidade.

 

Site Torcedores

 

 

Flamengo arrasa o Grêmio e está na final

Com mais um atuação de gala do seu ataque, o Flamengo atropelou o Grêmio em um Maracanã praticamente lotado e garantiu seu retorno à final da Copa Libertadores após 38 anos. O time carioca goleou o rival gaúcho por um contundente placar de 5 a 0, na noite desta quarta-feira, 23, e selou sua classificação à decisão, após empate por 1 a 1 no jogo de ida.

A goleada contrastou com o primeiro tempo do aguardado duelo, em que a equipe de Jorge Jesus parou na marcação gremista. O Flamengo deslanchou somente na etapa final, com quatro gols em 25 minutos, e aplicou uma surpreendente e sonora goleada no adversário gaúcho. Gabriel comandou a vitória, com dois gols e participação nos três primeiros da partida.

A equipe mandante anotou apenas um gol na etapa inicial, mas ampliou logo no primeiro minuto do segundo tempo. Anotou o terceiro aos 10 e passou a controlar a partida com total domínio, diante do espanto e do desânimo da equipe de Renato Gaúcho. Até os zagueiros Rodrigo Caio e Pablo Mari balançaram as redes. Aos 30 do segundo tempo, a torcida rubro-negra já fazia a festa, com direito a “olé”.

O triunfo garantiu o Flamengo em sua segunda final da Libertadores. Na primeira, ainda em 1981, foi campeão. Na decisão deste ano, em jogo único, o adversário será o River Plate, atual campeão e com a confiança elevada após eliminar o arquirrival Boca Juniors na outra semifinal. A grande final está marcada para 23 de novembro, em Santiago, no Chile.

O jogo

Como era esperado, o Flamengo partiu para cima assim que iniciou a partida. Mais atento, após os vacilos do jogo de ida, o time gaúcho conteve as investidas do rival. Com uma formação ofensiva reforçada por Arrascaeta, que voltou de lesão antes do previsto, o Fla testava a defesa gremista pelo meio e pelas laterais, sem sucesso.

Na defesa, tentava não ser surpreendido, principalmente pela direita de sua defesa, diante dos avanços de Everton Cebolinha. Para tanto, contou também com o retorno de Rafinha, atuando com uma proteção no rosto após cirurgia.

Afora uma cabeçada de Gabriel sem maior perigo, aos 10, o Flamengo esteve aquém do esperado nos primeiros 30 minutos do duelo. Parava com frequência na marcação gremista, que mantinha o confronto concentrado no meio-campo.

Tanto que a primeira chance clara de gol foi dos visitantes. Aos 18, Everton investiu pela esquerda e cruzou com perigo na área. Diego Alves deu rebote nos pés de Maicon, que desperdiçou chance incrível. Como resposta, Bruno Henrique cabeceou com perigo aos 26.

A partir dos 30, o time carioca passou a encontrar maior espaço na defesa rival. Gabriel tentou de bicicleta aos 34 e, numa rápida finalização, aos 39. A insistência foi premiada aos 41, novamente em jogada do atacante. Ele recebeu livre pela direita, bateu forte e Paulo Victor deu rebote, devidamente aproveitado por Bruno Henrique na pequena área.

O gol acendeu o Fla na partida. E nem mesmo os 15 minutos de intervalo amenizaram o novo ímpeto da equipe carioca. Logo no primeiro minuto da etapa final, chegou ao segundo gol. Após cobrança de escanteio, Gabriel pegou a sobra, girou rapidamente e acertou belo chute, direto para o fundo das redes.

A vantagem ficou ainda maior aos 10 minutos, quando Bruno Henrique sofreu pênalti duvidoso. Gabriel bateu no canto esquerdo de Paulo Victor e voltou a fazer a festa da torcida no Maracanã.

A vitória rubro-negra se transformou em goleada em apenas quatro minutos, em dois lances de bola parada. Aos 21, Arrascaeta bateu escanteio na área e Pablo Marí surgiu por trás da defesa gremista para cabecear para o gol. Em seguida, aos 25, foi Everton Ribeiro quem cobrou falta na área e Rodrigo Caio escorou de cabeça com facilidade. Nos dois casos, Kannemann não conseguiu acompanhar os zagueiros do Fla.

Com a vitória sacramentada, Jorge Jesus colocou Diego em campo, na vaga de Gerson. O meio-campista voltava ao gramado após três meses, recuperado de grave lesão. Foi o suficiente para coroar a festa da torcida, satisfeita com a goleada e o retorno do jogador.

FICHA TÉCNICA:

FLAMENGO 5 x 0 GRÊMIO

FLAMENGO – Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luis; Willian Arão, Gerson (Diego), Everton Ribeiro, Arrascaeta (Piris da Motta) e Bruno Henrique (Vitinho); Gabriel Barbosa. Técnico: Jorge Jesus.

GRÊMIO – Paulo Victor; Paulo Miranda, Geromel, Kannemann e Cortez; Maicon (Diego Tardelli), Matheus Henrique, Alisson (Thaciano), Michel e Everton; André (Pepê). Técnico: Renato Gaúcho.

GOLS – Bruno Henrique, aos 41 minutos do primeiro tempo. Gabriel, a 1 e aos 10 (pênalti), Pablo Marí, aos 21, e Rodrigo Caio, aos 25 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Kannemann, Rodrigo Caio, Everton.

ÁRBITRO – Patricio Loustau (Argentina).

RENDA – R$ 8.150.645,00.

PÚBLICO – 63.409 pagantes (69.981 no total).

LOCAL – Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ).

 

Band

 

 

Corinthians segura empate sem gols com Grêmio

No duelo entre Grêmio, terceiro melhor ataque do Campeonato Brasileiro, e Corinthians, melhor defesa, 0 a 0 no placar em Porto Alegre.

Focado na semifinal da Copa Libertadores, os gremistas colocaram em campo um time misto na partida deste sábado (5), na Arena do Grêmio

Já o Corinthians se defendeu bem das muitas investidas do adversário e conseguiu sair de Porto Alegre com um ponto conquistado.
O empate garante ao Corinthians a 4ª posição na tabela (42 pontos), mas pode deixar as equipes acima se afastarem.
A equipe de Fabio Carille viu o Santos, 3º lugar, abrir dois pontos de vantagem, e o São Paulo, agora 5º, diminuir a diferença de de 5 para 3 pontos.

Flamengo e Corinthians, líder e vice-líder respectivamente, jogam amanhã e podem se distanciar mais dos corintianos.
O empate encerra uma sequência de três vitórias seguidas para o Corinthians. No entanto, mantém a equipe como melhor defesa do campeonato, com 13 gols sofridos.

GRÊMIO
Paulo Victor; Léo Moura (Pepê), David Braz, Kannemann e Cortez; Maicon (Thaciano), Matheus Henrique, Luan; Alisson, André (Diego Tardelli) e Everton. Técnico: Renato Gaúcho

CORINTHIANS
Cássio, Fagner, Manoel, Gil e Danilo Avelar; Ralf; Pedrinho, Sornoza, Mateus Vital (Janderson) e Clayson (Boselli); Vagner Love (Jadson). Técnico: Fábio Carille

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 0 X 0 CORINTHIANS
Árbitro: Bruno Arleu de Araújo – RJ
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Thiago Henrique Neto Correa Farinha -RJ
VAR: Carlos Eduardo Nunes de Braga – RJ
Público: 16.542 pessoas e 14.596 pagantes/R$ 554.822,00
Cartões amarelos: Maicon, Matheus Henrique e Everton (Grêmio); Sornoza (Corinthians)

 

Foto: Ascom

FOLHAPRESS

 

 

Em casa, Grêmio arranca empate com Flamengo na 1ª semifinal da Libertadores

A semifinal brasileira da Copa Libertadores começou com empate. Dominado pelo Flamengo em boa parte do duelo, o Grêmio conseguiu arrancar a igualdade por 1 a 1, em Porto Alegre, nesta quarta-feira, no primeiro confronto da série que determinará o representante na decisão do torneio continental.

O Flamengo foi superior no primeiro tempo da partida, quando teve dois gols bem anulados após consulta ao VAR, e acabou sendo letal para abrir vantagem, com Bruno Henrique, quando era dominado pelo Grêmio. Só que depois desperdiçou várias oportunidades e acabou sendo vazado por Pepê no fim.

O time que vencer o duelo de volta marcado para 23 de outubro estará classificado à final, mas o Flamengo leva alguma vantagem para o duelo no Maracanã, pois, além de ser o mandante, avança com o placar de 0 a 0. Mas igualdades a partir de 2 a 2 são favoráveis ao Grêmio. E novo 1 a 1 leva o duelo aos pênaltis.

Na outra semifinal, o River Plate venceu o Boca Juniors por 2 a 0 em casa e agora defenderá a sua vantagem em 22 de outubro, no estádio de La Bombonera. E a decisão da Libertadores, em jogo único, está agendada para 23 de novembro, em Santiago.

O JOGO

O início da partida em Porto Alegre foi de domínio do Grêmio. Avançando com organização, encurralou o time da casa em seu campo de defesa, valorizou a posse de bola e foi criando chances de gol em sequência, contando com o talento de Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabriel. O uruguaio, aos oito, e Bruno Henrique, aos nove, quase marcaram, assim como Gabriel aos 14.

O Grêmio tentava responder com jogadas de velocidade, mas sem muito êxito. E era dominado pelo meio-campo do Flamengo, que teve gols bem anulados após o uso do VAR, sendo que Paulo Victor havia falhado em ambas as jogadas. As infrações foram de Gabriel, por falta em Kannemann e impedimento, sendo que o segundo gol havia sido dele, enquanto Everton Ribeiro tinha marcado primeiro.

A pressão do Flamengo não se manteve no restante da etapa inicial, mas o time seguiu com o jogo sob controle, diante de um Grêmio pouco criativo e que passou a cometer mais faltas para travar o rival – em um delas, inclusive, a arbitragem consultou o VAR para determinar o cartão amarelo a Michel por uma solada em Gerson.

O cenário do jogo se alterou no segundo tempo, com o Grêmio enfim conseguindo impor seu estilo. O time gaúcho trocava passes no campo de ataque, com a movimentação constante do trio composto por Alisson, Luan e Everton e passando a dar trabalho em Diego Alves. E quem apostava na velocidade e nos contra-ataques perigosos era o Flamengo, como em um de tabelinha entre Bruno Henrique e Gabriel, que bateu com perigo, mas para fora.

O Grêmio, por sua vez, teve oportunidades quase seguidas, com Everton e Matheus Henrique, com ambos parando em defesas difíceis de Diego Alves. E se o Grêmio não marcou nesse momento de pressão, o Flamengo não perdeu a chance na sequência. Aos 23, Arrascaeta cruzou da direita, Bruno Henrique apareceu nas costas de Galhardo e cabeceou para as redes, fazendo 1 a 0.

O gol abalou o Grêmio, que não conseguiu manter o bom rendimento do começo da etapa final, passando a ser dominado pelo Flamengo. O clube carioca desperdiçou chances de ampliar o placar, com Gabriel, Bruno Henrique e Pablo Marí. Acabou, então, sendo punido no fim, aos 42 minutos. Com Filipe Luís caído no ataque, Maicon acionou Everton na direita. Ele cruzou para Pepê completar na segunda trave, igualando o placar em 1 a 1.

FICHA TÉCNICA

GRÊMIO 1 X 1 FLAMENGO

GRÊMIO – Paulo Victor; Galhardo, David Braz, Kannemann e Cortez; Matheus Henrique, Michel (Maicon), Alisson (Pepê), Luan e Everton; Diego Tardelli (André). Técnico: Renato Gaúcho.

FLAMENGO – Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Willian Arão, Gerson (Piris da Motta), Everton Ribeiro, Arrascaeta e Bruno Henrique (Vitinho); Gabriel. Técnico: Jorge Jesus.

GOLS – Bruno Henrique, aos 23, e Pepê, aos 42 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Néstor Pitana (Fifa/Argentina).

CARTÕES AMARELOS – Rodrigo Caio, Michel, Diego Tardelli e Kannemann.

RENDA – R$ 5.130.325,00

PÚBLICO – 47.947 pagantes (51.406 presentes).

LOCAL – Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS).

 

 

Estadão

 

 

Grêmio perde e fica em situação delicada na Libertadores

Em Santiago, a Universidad Católica derrotou o Grêmio por 1 a 0 e deixou o time tricolor em situação delicada na Libertadores da América. Agora, o time chileno é o vice-líder, com seis pontos. Já os comandados de Renato Gaúcho amargam a lanterna da chave, com um ponto.

Na próxima rodada, a Universidad Católica recebe o Libertad, em casa. O Grêmio mede forças com o Rosario Central, na Arena.

O jogo

No embalo da torcida, a Católica iniciou o jogo trocando passes e no campo do Grêmio. Sem deixar o time de Renato Gaúcho respirar, o primeiro gol não demorou a sair. Aos 16, Magnasco cruzou e Sáez completou para o fundo das redes.

Assim que conseguiu o tento, o time chileno diminuiu o ritmo do jogo e tentou atrair o time tricolor para explorar as contra-ataques, mas a falta de inspiração gremista era assustadora.

Com Luan e Everton abaixo da expectativa, o Grêmio não criava e viu Puch quase ampliou, mas o meio-campista errou o alvo.

Na etapa final o panorama era o mesmo. O time tricolor trocava passes e não conseguia aprofundar as jogadas. Insatisfeito, Renato promoveu a entrada de André no lugar de Luan e deu uma referência no ataque. Em seu primeiro lance, o camisa 9 deixou Cortez em ótima condição para finalizar na grande área. Bem colocado, Dituro salvou.

Diante de um sistema defensivo gremista bagunçado, a Católica explorava as jogadas laterais. Aos 31, Cornejo avançou sem nenhum incômodo, ajeitou o corpo e mandou na cabeça de Sáez, que testou a bola e levou perigo ao gol de Paulo Victor.

Se no campo o Grêmio pouco apresentava, no banco de reservas era a grande atração do time brasileiro. Por diversos momentos, o comandante levava a mão ao rosto, olhava para o céu e não acreditava no que acontecia dentro das quatro linhas.

Na última chance do jogo, a Universidad Católica levou perigo com Riascos em cobrança de escanteio. Paulo Victor se esticou todo e conseguiu espalmar.

FICHA TÉCNICA

UNIVERSIDAD CATÓLICA 1 X 0 GRÊMIO

Local: San Carlos de Apoquindo , Santiago (CHI)

Data-Hora: 4/4/2019 – 19h00

Árbitro: Wilmar Roldán (COL)

Auxiliares: John León (COL) e Dionísio Ruiz (COL)

Público/renda: pagantes/R$

Cartões amarelos: Magnasco, Conejo, Aued (CAT), Geromel, Jean Pyerre (GRE)

Cartões vermelhos: –

Gols: Sáez (16’/1ºT)

UNIVERSIDAD CATÓLICA: Dituro; Magnasco, Kusevic, Lanaro e Cornejo; Fuentes, Pinares e Aued; Fuenzalida, Sáez (Riascos, aos 43/2ºT) e Puch (Lobos, aos 29/2ºT). Técnico: Gustavo Quinteros.

GRÊMIO: Paulo Victor; Leonardo, Geromel, Kannemann e Cortez; Michel, Maicon, Luan (André, aos 18/2ºT) e Montoya (Alisson, aos 28/2ºT); Everton e Tardelli (Jean Pyerre, aoos 18/2ºT). Técnico: Renato Gaúcho.

(Foto: Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação)

Lance

 

 

Grêmio perde para o Estudiantes pela Libertadores

O Estudiantes derrotou o Grêmio nessa terça-feira por 2 a 1, no Estádio José Luis Meizner, pela primeira partida das oitavas de final da Copa Libertadores. A equipe gremista teve atuação irreconhecível no primeiro tempo, que por pouco não custou caro para as pretensões do clube gaúcho na busca pelo tetracampeonato na competição. Na etapa final, os mandantes não conseguiram manter a mesma disposição e tiveram um jogador expulso. Assim, facilitou o trabalho gremista, que até tentou chegar a sonhar com o empate, mas sem sucesso.

Agora, o Grêmio precisa de uma vitória por 1 a 0 em casa que estará classificado para a próxima fase por causa do gol qualificado. Os argentinos jogam pelo empate ou até por uma derrota de um gol, caso faça tento em Porto Alegre. Se o tricolor também vencer por 2 a 1, a decisão da vaga será nos pênaltis.

O jogo de volta está marcado para o dia 28, terça, às 21h45 (horário de Brasília), na Arena. Pelo Brasileirão o Grêmio recebe, no domingo, o Vitória, às 19h, de novo diante de seu torcedor.

O jogo
Mesmo jogando fora de casa, o Grêmio começou tomando a iniciativa e buscando o gol. Já o Estudiantes ficou mais em seu campo e especulou os contra-ataques. Aos sete, Maicon faz um lançamento de trás do meio-campo, André chegou livre dentro da área e chutou à esquerda do gol. Os argentinos surpreenderam os gaúchos logo na sequência, conseguindo abrir o placar.

Aos oito, após dividida na entrada da área, Apaolaza girou para o chute e acertou o ângulo esquerdo de Grohe. Um golaço, sem chances para o arqueiro gremista.

O Tricolor Gaúcho saiu para cima na busca da igualdade. Aos 13, Luan cobrou o escanteio da esquerda, e Cícero cabeceou sozinho, rasteiro, para defesa de Andújar.

Os donos da casa deixavam a bola para os visitantes e tentavam ampliar o placar em jogadas de velocidade. Por sua vez, o Grêmio encontrou muita dificuldade de penetrar na defesa dos argentinos.

Depois dos 30 minutos, o jogo esquentou com disputas ríspidas entre gaúchos e argentinos. Aos 33, Rodríguez tocou para Apaolaza dentro da área, Marcelo saiu com um tapa por baixo, e Marcelo Oliveira estourou com o adversário. O goleiro e o lateral bateram boca após o lance.

Aos 37, Rodríguez bateu o escanteio da esquerda, e Campi saltou mais alto que a defesa do Grêmio para acertar um belo cabeceio no canto oposto de Marcelo Grohe. Outro belo gol.

Sem conseguir jogar pelo chão, o Grêmio apostou na bola aérea e diminui o prejuízo. Aos 43, Luan cobrou o escanteio da esquerda, André cabeceou na primeira trave, Andújar fez uma linda defesa à queima-roupa, mas Kannemann estava atento no rebote para cabecear para o fundo do gol.

Por pouco, no começo do segundo tempo, o Grêmio não chegou ao empate em boa trama no ataque. Luan encontrou André em velocidade pela esquerda, invadiu a área, deixou o adversário no chão e chutou cruzado para fora.

Depois da correria na etapa inicial, os argentinos não tiveram forças para manter o mesmo ritmo. Houve uma queda de qualidade técnica na partida, com os dois times não conseguindo criar oportunidades de gols. O jogo seguiu se desenvolvendo apenas no meio-campo e sem perigo para os dois goleiros.

Aos 31, Zuqui foi mais cedo para o chuveiro ao fazer falta em Kannemann.

Com um a mais em campo, o Grêmio se soltou para frente na busca do gol de empate. Entretanto, as últimas tentativas gremistas foram infrutíferas e os argentinos mantiveram a vantagem até o final.

Gazeta esportiva

Grêmio estreia no Mundial com motivos de sobra para cuidados

O discurso não chega a ser novidade no futebol. Ninguém no Grêmio fala do sonho de disputar a final do Mundial de Clubes antes da hora, algo que seria de certa forma normal, especialmente com a possibilidade de encarar o Real Madrid pela frente. A “final” do Tricolor ocorre nesta terça-feira, na estreia na competição, contra o Pachuca, às 15h (de Brasília), no Estádio Hazza Bin Zayed, em Al Ain, com transmissão ao vivo do GloboEsporte.com. Uma lista de motivos explica o por quê.

Chamou atenção a maneira enfática com a qual Renato tratou o assunto em sua entrevista coletiva, na véspera da partida. Do mesmo modo, Pedro Geromel falou logo a seguir, com sua velocidade semelhante à das antecipações dentro de campo, e reforçou a visão do comandante e grupo de jogadores.

– Estamos focados no Pachuca, viemos até aqui estudando os dois possíveis adversários, o Pachuca foi vencedor e estamos preparados e focados. Vamos fazer de tudo, temos que fazer nosso melhor e vamos nos doar para isso. Não estamos pensando em quem vai ser o adversário na final, não tem sentido pensar na frente sem ver a semifinal – garantiu o zagueiro gremista.

Renato garante que foco do Grêmio está na semifinal (Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio)

Renato garante que foco do Grêmio está na semifinal (Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio)

São vários motivos para as preocupações:

  • Fuso Horário

Aos poucos a delegação gremista vai se adaptando às seis horas de diferença para o Brasil. No entanto, especialmente com relação ao sono, o fuso diferente ainda é sentido por membros do clube gaúcho. O preparador físico Rogério Dias, em conversa informal, revelou que estava com dificuldades para dormir. O vice de futebol Odorico Roman elencou o fuso como um dos problemas que faz o Grêmio estar muito concentrado na semifinal.

– Existem algums fatores que podem influenciar. Primeiro, a questão do fuso horário, que aos poucos vamos entrando, mas ainda se sente efeitos – comentou o dirigente ao GloboEsporte.com.

  • Rivalidade e exemplo

Claro que ninguém admite publicamente. Mas é inegável que o Grêmio não quer repetir o vexame do maior rival ao eliminado do Mundial antes da final, especialmente nos Emirados Árabes. Os torcedores, porém, constantemente citam essa situação, em meio a risadas. O Inter, em 2010, foi eliminado no mesmo país pelo Mazembe, do Congo, e acabou como primeiro sul-americano a ficar de fora da decisão.

Inter foi eliminado pelo Mazembe de Kidiaba em 2010 (Foto: Getty Images)

Inter foi eliminado pelo Mazembe de Kidiaba em 2010 (Foto: Getty Images)

Mas não o único. O Atlético-MG, em 2013, foi derrubado pelo Raja Casablanca, do Marrocos, em outro exemplo a não ser seguido pelo Grêmio. No ano passado, o Atlético Nacional, então campeão da Libertadores, foi superado pelo japonês Kashima Antlers. Por isso o discurso ensaiado de respeito ao Pachuca.

  • Ansiedade do jogo único

Serão dois sentimentos muito complicados para se administrar nesta terça-feira. Primeiro, porque é a estreia gremista no Mundial de Clubes. O Pachuca, por outro lado, já quebrou o gelo ao vencer o Wydad Casablanca na prorrogação, embora tenha se desgastado em 120 minutos. E toda estreia reserva dificuldades em campeonatos deste porte.

Junta-se a isso uma tensão inerente pelo jogo ser eliminatório. Mas, diferente da campanha da Libertadores, sem a partida de volta. Diante do discurso normalmente propagado por Renato Gaúcho, são 90 minutos, e não 180, de decisão. Colocar na cabeça do jogador a necessidade de estar concentrado torna-se essencial para evitar surpresas.

– A gente conversa com o Renato e ele conversa com os jogadores e demais membros da comissão. Até diria que talvez venha a ser quase uma rotina, é uma equipe muito consciente, sabe a importância que tem este jogo, este torneio que estamos disputando. Vencê-lo seria uma glória extraordinária, então neste primeiro jogo a busca pelo resultado é para passar a final – disse o vice-presidente Adalberto Preis.

  • Desempenho ruim não ilude

O Grêmio já preparou um relatório sobre o Pachuca para ser consumido internamente. O analista de desempenho Antônio Cruz está em Al Ain e vai mostrar um vídeo com os principais pontos fortes e fracos na tarde desta terça, na palestra antes do jogo. Na segunda, antes do treino, outro vídeo já havia sido mostrado pelo técnico Renato Gaúcho, também preparado pelo profissional.

Pachuca sofreu para bater o Wydad Casablanca na prorrogação  (Foto: Reuters)

Pachuca sofreu para bater o Wydad Casablanca na prorrogação (Foto: Reuters)

Após a classificação do Pachuca, o consenso no Grêmio é de que fraco futebol apresentado pelos mexicanos no primeiro jogo pode ser ilusório. Não seria um comportamento comum. A qualidade do jogo foi ruim, mas os tricolores não acreditam que tal desempenho irá se repetir nesta terça no Hazza Bin Zayed. Também por isso o resguardo.

– E não fique pensando que o Pachuca não mostrou um bom futebol, cada jogo é um jogo. Mesmo que estivesse jogando muito bem. Precisamos analisar o adversário não em 90 minutos apenas. Sabemos que é o jogo da vida deles, mas vai ser o das nossas vidas também – apontou Renato.

Cercado de cuidados, com a tentativa de reproduzir o foco da Libertadores, o Grêmio começa sua caminhada curta na busca pelo bicampeonato mundial. A provável escalação tem Marcelo Grohe; Edílson, Geromel, Kannemann e Cortez; Michel, Jailson, Ramiro, Luan e Fernandinho; Lucas Barrios.

GRÊMIO X PACHUCA – SEMIFINAL – MUNDIAL DE CLUBES

  • Local: Estádio Hazza Bin Zayed, em Al Ain, Emirados Árabes.
  • Data e horário: terça-feira (12), às 15h (de Brasília).
  • Escalação provável do Grêmio: Marcelo Grohe; Edílson, Geromel, Kannemann e Cortez; Michel, Jailson, Ramiro, Luan e Fernandinho; Lucas Barrios.
  • Escalação provável do Pachuca: Pérez; Herrera, Martínez, Murillo e García; Hernández; Urretaviscaya, Honda, Gúzman e Aguirre; Sagal.
  • Trio de arbitragem: Felix Brych, auxiliado por Mark Borsch e Stefan Lupp (trio alemão). Árbitro de vídeo: Feliz Zwayer.
  • Transmissão: TV Globo (com Galvão Bueno, Walter Casagrande, Maurício Saraiva e Arnaldo Cezar Coelho), SporTV (com Jader Rocha e Lédio Carmona) e GloboEsporte.com (após o jogo, a transmissão continua com a análise dos comentaristas Casagrande, Maurício Saraiva e Alexandre Alliatti).

GE

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br