Arquivo da tag: Grande

Dez homens arrombam transportadora e levam cofre com R$ 550 em Campina Grande

(Foto: Reprodução / Tv Paraíba)

Dez homens armados levaram o cofre de uma transportadora no início da manhã desta segunda-feira (12) em Campina Grande. De acordo com a Polícia Militar, dentro do cofre tinha aproximadamente R$ 550.

O assalto aconteceu por volta das 5h e, segundo informações da Polícia Militar, os suspeitos derrubaram o portão de entrada com a ajuda de dois carros, e arrobaram o cadeado para invadir a transportadora. Os suspeitos chegaram a espalhar explosivos no local, mas não explodiram.

Os suspeitos utilizaram uma estrutura de pallet para colocar o cofre em cima e arrastar até o veículo. Em seguida, fugiram. Até as 6h desta segunda-feira ninguém havia sido preso.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Homem é encontrado morto dentro de canavial em Alagoa Grande

Reprodução
Imagem ilustrativa

Um homem foi encontrado morte dentro de um canavial, na manhã deste sábado (10), na Zona Rural de Alagoa Grande, no Brejo Paraibano.

O corpo da vítima apresentava marcas de ferimentos por arma de fogo na cabeça e estava sem identificação.

A vítima foi encontrada por moradores da região dentro de uma vala. A Polícia Militar foi chamada e isolou a área até a chegada do delegado João Amaro, da Delegacia de Polícia Civil de Guarabira, e a perícia.

MaisPB com Portal AG1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Polícia apreende cocaína escondida em ‘boi de carnaval’ em Campina Grande

Droga estava escondida dentro de um ‘boi de carnaval’, em Campina Grande (Foto: Victor Melo/Polícia Civil)

Um homem de 21 anos foi preso em flagrante por tráfico de drogas, depois de ser flagrado com várias porções de cocaína em pó, na cidade de Campina Grande. O material foi estava escondido dentro de um bumba-meu-boi, conhecido popularmente como “boi de carnaval”.

A prisão e apreensão ocorreu no fim da manhã desta quinta-feira (21), no bairro Pedregal, durante uma ação deflagrada por agentes da Delegacia de Repressão a Entorpecentes da Polícia Civil, em Campina Grande.

De acordo com a Polícia Civil, dentro do boi de carnaval foram encontradas 55 porções da droga já pronta para consumo. O flagrante ocorreu depois que a Polícia Civil recebeu uma denúncia anônima. O jovem de 21 anos foi autuado na tarde desta quinta-feira.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Dupla rende funcionário de casa lotérica e foge levando malote, em Campina Grande

Reprodução
Imagem ilustrativa

Uma casa lotérica foi roubada na manhã desta quarta-feira (21), no bairro Liberdade, em Campina Grande. Dois homens armados aproveitaram o momento em que o estabelecimento estava sendo aberto e renderam um funcionário. A dupla fugiu levando um malote de dinheiro.

De acordo com as informações da Polícia Militar, o roubo ocorreu por volta das 7h, na casa lotérica que fica na Rua Odon Bezerra. Os dois homens armados, pararam a moto e foram em direção ao funcionário com o malote. O valor levado pelos suspeitos não foi informado.

Depois do roubo, os homens fugiram na moto. A Polícia Militar foi acionada, fez buscas pelos bairros próximos, mas nenhum suspeito foi localizado.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

MPF pede prisão de pai e filho por trabalho escravo em Campina Grande

O Ministério Público Federal (MPF) em Campina Grande (PB) pediu, nesta quarta-feira (21), que a Justiça Federal expeça mandados de prisão em face de Marcelo Renato Arruda e seu filho George Luis Arruda, proprietários da João Arruda Construções e Mineração LTDA, empresa localizada no município de Boa Vista, no Cariri do estado, e da companhia de mineração Dolomil, situada em Campina Grande. Ambos foram condenados pela prática do crime de redução à condição análoga à de escravo, tendo como vítimas 30 trabalhadores.

Pai e filho foram condenados em segunda instância, tendo penas majoradas pelo Tribunal Regional Federal (TRF) da 5ª Região, em Recife, a pedido do MPF. Marcelo foi condenado a pena privativa de liberdade de 4 anos, 4 meses e 15 dias de reclusão, em regime inicial semiaberto, além de R$ 239.700,00 de multa; e George a pena privativa de liberdade de 5 anos e 3 meses de reclusão, em regime inicial semiaberto, além de R$ 57.120,00 de multa.

O aumento das penas pelo TRF, com parcial provimento à apelação do MPF, inviabilizou a substituição das penas privativas de liberdade por restritivas de direito. Na apelação, o MPF argumentou que as penas deveriam ser maiores porque, mesmo os réus sendo donos de uma empresa de equipamentos de proteção individual, os trabalhadores da mineração não tinham acesso aos equipamentos adequados.

Trabalho escravo – Segundo relatório de fiscalização de auditores do Ministério do Trabalho e Emprego, as irregularidades que indicaram a situação degradante a que os trabalhadores estavam submetidos foram agrupadas em cinco conjuntos principais: água para consumo pessoal, alojamento, condições sanitárias e de higiene, alimentação e condições de trabalho. Os direitos trabalhistas também não eram respeitados.

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Homem é preso suspeito de matar jovem na frente dos filhos em Campina Grande

Jovem de 19 anos foi morta com três tiros em frente a casa onde morava, em Campina Grande. (Foto: Reprodução/TV Paraíba)

Um homem foi preso neste domingo (18) suspeito de matar uma mulher de 19 anos com três tiros, no dia 5 de fevereiro, no bairro Estação Velha, em Campina Grande. Ele foi apresentado na manhã desta segunda-feira (19), em uma coletiva de imprensa, e confessou o crime. Genilson de Sousa Silva, conhecida como “Papada”, foi preso no bairro do Jeremias e portava uma arma no momento da prisão.

De acordo com a Polícia Militar, o suspeito chegou na frente da casa da vítima e atirou três vezes contra ela. Os três filhos estavam com a mãe e presenciaram o crime.

Segundo a delegada Suelane Guimarães, o suspeito Genilson de Sousa foi preso após um cerco da polícia no bairro do Pedregal, onde o suspeita estava morando atualmente. Percebendo a chegada da polícia, o homem foi para o bairro Jeremias. Através de uma denúncia anônima feita ao número 197, a polícia fez um cerco no bairro e conseguiu prender o suspeito.

Genilson de Sousa já responde a 11 processos, sendo nove homicídios, cinco já confessados por ele, entre eles o de Aylla Duarte Silva Mariano. A jovem de 19 anos teria morrido porque denunciou Genilson por tráfico de drogas.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Bandidos usam dois carros para arrombar loja em Campina Grande

Uma loja da Boticário foi arrombada na madrugada desta sexta-feira (09) no bairro Conceição, em Campina Grande. Os bandidos usaram dois carros para derrubar a porta do estabelecimento.

Segundo a gerência da loja, ainda não é possível saber o montante de produtos que foi roubado. Após a ação, para-choques dos veículos ficaram no local.

De acordo com a Polícia Militar, os carros usados na ação haviam sido roubados. Um deles foi recuperado logo em seguida. Nenhum suspeito foi preso.

MaisPB com informações da TV Cabo Branco

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Operação detém gerentes de postos e faz interdições na Grande João Pessoa

(Foto: Divulgação/MP-Procon)

Pelo menos dois gerentes de postos de combustíveis da Grande João Pessoa foram detidos por irregularidades, durante uma operação conjunta que teve início na terça-feira (25) e segue nesta quarta-feira (26). Segundo o promotor de Justiça de Defesa do Consumidor e diretor-geral do MP-Procon, Glauberto Bezerra, os postos estão localizados no bairros do Bessa e Bancários, em João Pessoa, e em Santa Rita.

A operação é realizada pelo MP-Procon, Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-JP), polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Instituto de Metrologia e Qualidade Industrial da Paraíba (Imec), Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema), Vigilâncias Sanitárias do Estado e do Município de João Pessoa, Agência Nacional do Petróleo (ANP), Fisco Estadual, e Comissões de Proteção Ambiental e do Consumidor da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Paraíba (OAB).

Os órgãos observam irregularidades em postos de combustíveis e suas lojas de conveniência. Durante a terça-feira, no Bessa, o gerente de um posto foi conduzido à delegacia por falta de licença ambiental no estabelecimento. Nos Bancários, um posto vendia gás de cozinha sem licença ambiental e não tinha termômetro para fazer o teste de teor alcoólico. Após essas constatações, o gerente também foi detido. Eles assinaram Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO) e foram liberados. Os donos dos estabelecimentos também vão responder pelas irregularidades.

Outro responsável por posto foi levado para a delegacia nesta quarta-feira, dessa vez em Santa Rita. Segundo Glauberto Bezerra, foi detectada fraude na vazão da bomba. O delegado, porém, pediu que o teste fosse refeito e verificou que a bomba estava dentro do padrão, apesar de estar no limite.

Loja de conveniência foi autuada por vender produtos vencidos (Foto: Divulgação/MP-Procon)

Loja de conveniência foi autuada por vender produtos vencidos (Foto: Divulgação/MP-Procon)

Além disso, um posto em Bayeux foi interditado pelo Corpo de Bombeiros, por problemas da estrutura. Nesse mesmo posto, o Imec lacrou uma bomba por má conservação da mangueira. Ainda foram interditadas bombas e revendas de gás de cozinha em outros três postos de combustível. Na loja de conveniência de um posto em Bayeux, a equipe de fiscais apreendeu diversos produtos – a maioria bebidas – porque estavam com prazo de validade vencido. O estabelecimento foi autuado.

Foram 12 postos fiscalizados na terça-feira e esta quarta-feira deve terminar com visitas a outros 12 estabelecimentos. Além das detenções e interdições, vários autos de infração foram lavrados. As equipes estão averiguando as condições de segurança e riscos de incêndio que os estabelecimentos apresentam. Também estão sendo verificados o aspecto metrológico dos produtos (vazão das bombas e qualidade dos combustíveis), a questão da precificação e o cumprimento da recomendação expedida pelo MP-Procon sobre a obrigação legal dos postos de informar o consumidor sobre quando é mais vantajoso abastecer com álcool ou gasolina.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Tia e sobrinha têm quase metade do corpo queimado em incêndio na Grande JP

Hospital-de-TraumaUma mulher de 34 anos e uma menina de oito anos ficaram gravemente feridas após um incêndio em uma barraca de lanches, na noite dessa segunda-feira (27), no município de Lucena, Grande João Pessoa. As vítimas tiveram cerca de 50% dos corpos queimados.

Segundo a polícia, as vítimas são tia e sobrinha e estavam em uma barraca de lanches. O incêndio aconteceu no momento em que um fogão estava sendo ligado. O fogo atingiu um colchão onde a criança estava deitada.

Socorridas pelo Samu para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, as vítimas passaram por procedimentos médicos de emergência e seguem internadas em estado de saúde considerado grave, segundo boletim do Trauma.

portalcorreio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Como a Chape montou elenco após a tragédia e pensa grande

 (Foto: Daniel Isaia/Agência Brasil)
(Foto: Daniel Isaia/Agência Brasil)

Após 48 dias do acidente de avião que matou a maior parte de seu time, a Chapecoense tem um elenco praticamente pronto para a temporada 2017. Houve cessão gratuita de jogadores, houve contratações com investimento em dinheiro, houve incorporação da base e um orçamento como diretriz. Até que se chegou a um grupo de cerca de 30 atletas. É o que conta o diretor de futebol, Rui Costa.

“Teremos um elenco já fechado para o amistoso com o Palmeiras. Era esse nosso objetivo. Depende agora da avaliação do Mancini (técnico) na pre-temporada de atletas da base para saber se haverá outros jogadores contratados. E o grupo que pode ser enxugado”, disse o dirigente. Ou seja, pode ser que chegue mais uns poucos reforços, e que atletas jovens voltem à base.

No total, a Chapecoense contratou 21 ou 22 jogadores nas contas de Rui Costa. E não foram todas chegadas fruto de benemerência de times grandes. O time catarinense escolheu quem queria e investiu dinheiro para comprar direitos de alguns.

”Fizemos alguns investimentos na aquisição de direitos em jogadores que tiveram o perfil de que podem ser revendidos. Outros vieram emprestados com opção de compra. Nosso objetivo é transformar a Chapecoense em um time comprador no futuro. Agora, há jogadores que vieram só pelo aspecto técnico, emprestados, porque não teríamos como comprar”, justificou.

Entre as cessões, o Palmeiras foi quem mais ajudou com três jogadores. Houve ainda dois atletas do Cruzeiro. Na maioria dos clubes que se dispuseram a contribuir, chegou um jogador. Sempre quando houvesse cessão de atletas foi dos que interessavam a Chapecoense: não vinha qualquer um indicado.

Além disso, foram incorporados entre oito e onze atletas da divisão de base, sendo utilizados os que eram considerados mais prontos para o profissional. O time que faz boa campanha na Copa São Paulo, portanto, é um bem novo e não deve ser aproveitado. Rui Costa explicou que é perceptível a diferença física deles para as outras equipes.

Em toda a construção do time, houve um respeito ao orçamento implantado pela Chapecoense. O valor destinado ao futebol foi maior pela necessidade de remontagem, inclusive de todo o departamento de futebol como profissionais de comissão técnica.

”Houve uma diretriz muito clara do orçamento. Mas não podemos trazer tantos jogadores e não ter um gasto maior. É um orçamento com essa particularidade”, disse o dirigente da Chape. E completou: ”Estou acabando uma planilha, mas devemos ficar próximo da meta.”

A necessidade de montar um grupo mais robusto de 30 atletas tem relação com o alto número de jogos que enfrentará a Chapecoense na temporada. O time deve entrar em campo 70 vezes por estar classificado à Libertadores, e isso pode aumentar a 80 se houve avanço às finais. Essa trajetória começa no amistoso diante do Palmeiras.

rodrigomattos.blogosfera

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br