Arquivo da tag: golpe

Sargento Pereira afirma: Bolsonaro não tem apoio das polícias para impor golpe

O sargento da Polícia Militar da Paraíba, Astronadc Pereira de Morais (sargento Pereira), disse em artigo, nesta terça-feira (9), não acreditar que o presidente Jair Bolsonaro tenha “o apoio das polícias do Brasil, enquanto instituição, para impor um golpe de estado.”

Ele lembrou que no período ditatorial, no Brasil, juízes e desembargadores foram impedidos de trabalhar e outros foram expulsos de suas funções. “O Congresso foi fechado. O povo perdeu a liberdade e o direito de escolher seus representantes.”

Confira artigo na íntegra:

O povo brasileiro teme um retrocesso ainda maior nas garantias de direitos. As instituições democráticas sentem que o perigo se aproxima e que a cada dia as ameaças são mais diretas, ostensivas e contundentes. Segmentos sociais, políticos, acadêmicos e sociedade em geral têm estado em alerta psicológico desde que Bolsonaro assumiu a presidência da República.

Há várias teses de setores da imprensa nacional, de políticos e movimentos de dentro da sociedade organizada de como o presidente poderia atuar na tentativa de golpe contra a democracia do Brasil. Alguns falam em “golpe – policial militar sob a liderança fascista”!

O sociólogo e ex-secretário de Segurança do RJ, Luiz Eduardo Soares, escreveu: “há pouco o vice-presidente publicou um artigo absurdo e ameaçador no jornal Estadão”. O filho do Presidente Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro, confirmou: “a ruptura está decidida, espera-se apenas a oportunidade”. “O presidente sobrevoou manifestação contra o Supremo e o Congresso ao lado do ministro da Defesa”, lembra Soares.

E Soares ainda diz que: “o “poder moderador” das Forças Armadas se imporá, porque, afinal de contas, “Brasil acima de todos, Deus acima de tudo”. Interventores, com apoio das polícias estaduais, tomarão o poder nos estados. Em lugar do Supremo, uma corte de exceção será nomeada.”

Devo lembrar que no período ditatorial, no Brasil, juízes e desembargadores foram impedidos de trabalhar e outros foram expulsos de suas funções. O Congresso foi fechado. O povo perdeu a liberdade e o direito de escolher seus representantes. Alguém deseja a volta da época das trevas no Brasil?

As forças estaduais (polícia) usualmente têm uma perspectiva um tanto conservadora. A categoria policial deste país serviu muitas vezes de voz que reverberava nas comunidades e na sociedade em geral.

São estes que alcançam todos os setores da sociedade e isto não pode ser desprezado. Bolsonaro foi eleito a partir de um projeto policial da categoria que não aguentou tanto desprestígio nos últimos 30 anos, somando a isso, evidentemente, a frustração ao PT por parte significativa da sociedade. E o escárnio da criminalidade contra uma sociedade assaltada todos os dias por infratores corruptos que debochavam e ainda debocham da Justiça e da polícia. Some-se a isso o projeto burguês que não se sentia contemplado.

Dizer que estamos prestes a sofrer um golpe no Brasil é desconhecer em muito as inúmeras possibilidades que nos alcança a lei, as instituições democráticas, a Constituição Federal, o povo brasileiro, o Congresso Nacional e suas correlações de forças. Mais do que isso, é desconhecer a natureza das policiais estaduais, suas normas regulamentares e seus integrantes. Destes são muitos a defender a democracia e a liberdade do povo brasileiro.

A pesar do conservadorismo dentro das polícias ser uma marca simbólica no imaginário coletivo, somos homens e mulheres que temos famílias, estudamos, desejamos a liberdade, nenhum retrocesso, e queremos sempre mais defender a Constituição Federal, o Estado Democrático de Direito, as Instituições Democráticas e o povo brasileiro.

O presidente Jair Messias Bolsonaro não tem o apoio das polícias do Brasil, enquanto instituição, para impor um golpe de estado. Ele tem apoiadores que são integrantes da polícia, e que tem uma perspectiva quanto ao governo Bolsonaro diferente dos demais governos de oposição. E isto não quer dizer que ele detém o poder legítimo e moral dos militares estaduais. Nós policiais iremos obedecer de forma absoluta a lei e as autoridades constituídas, em defesa da democracia e da liberdade do povo brasileiro. E aqueles que integram as forças de segurança que se contrapuserem à democracia e a lei responderão na justiça, na medida de suas ações intempestivas.

Convém salientar que o Nordeste tem um papel preponderante na defesa da nossa democracia, juntamente com expressões democráticas e progressistas de setores militares federal. E no plano internacional um golpe seria mais perigoso do que do jeito que estar. Lembremos que a tentativa de golpe pode ser frutada e os golpistas podem ser preso pelo povo.

Assim sendo, espero que o presidente Bolsonaro tenha a devida cautela e sensibilidade democrática que um presidente deve ter, e que possa assegurar que o bem-estar do povo brasileiro esteja em primeiro lugar, ou seja, acima das questões particulares e de cunho partidário ideológico. Afinal, ninguém vive para sempre no poder e nenhum regime é para sempre.

Astronadc Pereira de Morais (sargento Pereira)

1º sargento da Polícia Militar da Paraíba

 

 

João critica Impeachment e vê golpe caso pedido seja aceito na ALPB

O governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania) endossou a critica feita pelo deputado federal, Damião Feliciano (PDT), a respeito do pedido de Impeachment protocolado pelo deputado Wallber Virgolino (Patriotas) na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB). João rechaçou a peça tachando de excrescência e disse que se o pedido for aceito pela Casa será caracterizado como golpe.

João defendeu a fala de Damião que teria acusado o presidente da Casa, Adriano Galdino (PSB) de ser protagonista do golpe. “Não vi dessa forma como [o repórter] está colocando. [Damião] fez uma leitura correta do processo que é desprovido de qualquer substância jurídica que possa garantir o prosseguimento: primeiro que não se faz impeachment de duas pessoas ao mesmo tempo, segundo que para que haja um processo de Impeachment é preciso que tenha havido crime de responsabilidade”, disse.

Para João, um processo desprovido de qualquer condição jurídica é uma excrescência e continuou: “depende das atitudes e passos da Assembleia para saber se isso é uma coisa pontual ou se existe um grupo de deputados interessados naquilo”, afirmou.

O gestor julgou a leitura feita por Damião, em relação à peça, correta. “Aquilo não existe, vamos avançar e aquilo será arquivado. O presidente Adriano Galdino tem noção do que é aquilo e do que representa para a democracia. Seria sim, caso tivesse prosseguimento, um golpe como foi dito pelo deputado”, destacou.

Mal estar entre poderes?

Nenhum deputado compareceu à cerimônia de abertura do ano letivo 2020 da rede estadual de ensino. Questionado se isso representaria algum mal estar entre poderes, João negou: De forma alguma, se ninguém veio é porque sua agenda não deve ter permitido.

João alegou que todos foram convocados, assim como é feito em qualquer solenidade.

O governador também reforçou que confia na sua base na Assembleia. “Sem dúvidas”, disse, alegando que o processo será resolvido rapidamente e que tem uma boa relação com o presidente da casa.

Marília Domingues / Fernando Braz

 

 

Mulher sofre golpe em grupo da OLX e acredita que golpista é de Belém, na PB

Uma senhora moradora da cidade de Dona Inês, na Paraíba, caiu no golpe de vendas de produtos em um grupo do OLX e perdeu R$ 150,00 reais. O golpe aconteceu na última quarta-feira (16) porém, a mulher só denunciou o crime na manhã desta quarta-feira (23) durante participação na Rádio Talismã FM 99,3 com Fábio Dutra (apresentador) e Pedro Júnior (repórter).

A vítima contou que estava olhando as publicações no aplicativo e teria se interessado em um conversor de antena da marca Oi. Ao gostar do produto, a senhora fechou negócio com o vendedor que se passava por morador da cidade de Mari, na Paraíba. Ela contou que pediu para o mesmo entregar o produto em Dona Inês, onde residi.

“Ele disse que não podia vir, mas mandava o produto por outra pessoa para entregar em mãos na cidade de Belém”, relatou.

O vendedor chegou a repassar características e o contato do whatsapp da pessoa que iria fazer a entrega. A vítima relatou que o vendedor ligava informando o trajeto. Ela veio à cidade de Belém e não encontrou ninguém no local combinado.

“Quando cheguei não encontrei ninguém. Depois de alguns minutos apareceu um rapaz na garupa de uma moto Pop e perguntava se eu era a mulher que queria comprar o conversor. Eu disse que sim. Ele chegou a oferecer 30 reais a mais pelo produto dizendo que comprava de novo. Eu não quis, peguei os 150 reais, paguei e ele foi embora”, relatou a vítima

A mulher disse que quando chegou em casa e foi verificar o material, a caixa tinha apenas a carcaça do produto. Ela disse que quando foi conversar com o vendedor no whatsapp, o golpista já tinha bloqueado o contato.

“Eles fizeram facebook e whatsapp falsos. Colocaram a foto de um conversor novo e no momento da entrega foi outra coisa. Fui lesada. Fui vítima de pessoas com mau caráter que não tem Deus no coração e nem na vida e ficam enganando as pessoas. Ele pensou que tinha se lucrado com 150 reais, mas eu acho que não. A lei do retorno é pesada e eu entrego nas mãos de Deus. Esse valor não dá pra pessoa ter uma vida digna. A vida digna tem que procura fazer o bem”, finalizou.

A senhora afirmou que o golpista nunca foi morador da cidade de Mari e acredita que ele é da cidade de Belém, na Paraíba. Ela orientou as pessoas a terem cuidado com esse tipo de ação criminosa.

Blog do Pedro Júnior

 

 

Idosa de 63 anos é presa tentando aplicar novo golpe em comércio de Guarabira

Uma mulher de 63 anos terminou sendo presa na tarde da quarta-feira (04), ao tentar comprar produtos eletrônicos com documentos falsos em uma loja no centro comercial de Guarabira, no Agreste da Paraíba.

De acordo com as informações repassadas ao Blog, a idosa foi detida em flagrante no interior do comércio, durante ação conjunta dos policiais militares e civis.

A estelionatária se preparava para comprar uma televisão.

A investigação também apontou que a golpista, em julho deste ano, aplicou o mesmo golpe em dois estabelecimentos comerciais e que em seguida teria vendido as Tvs por preços bem abaixo do mercado.

A presa residente em Campina Grande (PB) confessou ao delegado do caso que vinha ao brejo paraibano aplicar os golpes. Ela se encontra presa e será encaminhada para audiência de custódia, ficando a disposição da justiça.

A prisão da mulher foi realizada por policiais civis do GTE (Grupo Tático Especial) da 8ª DSPC e militares do NI (Núcleo de Inteligência) da Guarnição do Comando do 4º BPM.

 

ROTA DA NOTÍCIA, COM PEDRO JÚNIOR.

 

 

Mulher é morta com golpe de faca e companheiro é principal suspeito, em João Pessoa

Uma mulher foi morta com golpe de faca na madrugada desta sexta-feira Santa, no bairro de Mangabeira, em João Pessoa. De acordo com a Polícia Militar, o principal suspeito do crime é o companheiro da vítima, que já teria agredido a mulher outras vezes, conforme testemunhas contaram à polícia.

Ainda conforme informações da PM, a Ana Priscilla do Rego Viana, de 31 anos, foi morta próximo a um terreno baldio e o corpo dela foi encontrado dentro de uma construção abandonada.

A polícia informou que a vítima já denunciou o companheiro pelo menos duas vezes na Delegacia da Mulher. A família dela também já havia denunciado o suspeito. No entanto, por ele não ter residência fixa, a localização dele foi dificultada. O casal tem um filho de um ano.

A Polícia Militar e a Polícia Civil estiveram no local. O caso vai ser investigado. O suspeito do crime, identificado como Cleonildo Poncio Leon de Oliveira, de 39 anos, não foi preso.

Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

G1

 

Mais um político paraibano é vítima de tentativa de golpe no WhatsApp

O deputado federal, Pedro Cunha Lima (PSDB), foi vítima de uma tentativa de golpe. Alguém se fez passar pelo parlamentar no WhatsApp e tentou comprar um carro em João Pessoa. Ele é o terceiro político a ser alvo da ação de bandidos nessa modalidade de crime nos últimos dias no estado.

Por meio da assessoria, Pedro Cunha Lima disse que o caso será levado à Delegacia de Defraudações para que o golpista responda por seus atos na Justiça e para que ninguém tenha prejuízo.

De acordo com o deputado, o golpista utilizou um número de celular diferente do utilizado por ele, mas cadastrou o seu nome e ainda utilizou uma foto sua. Depois disso, a pessoa entrou em contato com um vendedor de carros se dizendo interessado na compra de um veículo.

“Foi nessa hora que o filho do vendedor me reconheceu por meio da foto e entrou em contato com nossa assessoria para certificar se realmente eu estaria tentando comprar um carro. Então o golpe foi descoberto e evitamos que o vendedor tivesse o prejuízo”, explicou o deputado, alertando a população para essa modalidade de crime.

Na Paraíba, prefeitos, vereadores e outros políticos também já passaram pela mesma situação e também por clonagem da rede social WhatsApp. Pedro pede para que tenham cuidado com abordagem de pessoas se fazendo passar por ele para comprar bens ou serviços.

 

portalcorreio

 

 

‘Foi doloroso’, diz paraibana que perdeu cerca de R$ 80 mil em golpe do ‘Don Juan’

A história começa com muito carinho e atenção, se desenvolve para uma relação amorosa e acaba com um golpe financeiro. Esse é o padrão do golpe do “Don Juan”, do qual uma paraibana foi vítima em 2017. Após receber promessas falsas de amor, ela acabou perdendo cerca de R$ 80 mil – poupados com muito sacrifício – que achava que estavam sendo destinados para a compra de um carro e um imóvel.

“Foi doloroso aceitar a realidade. Uma tortura, sentimentos de culpa, raiva de si mesmo, revolta, depressão, vergonha e tantos outros que contribuíram para me fazer sentir destruída em várias dimensões da vida – econômica, sentimental e afetiva”, declarou.

Os dois se conheceram durante uma festa de São João em Bananeiras, no Brejo paraibano. Ele afirmava ser empresário e geólogo e trabalhar para a Petrobrás. Desde o início, o suspeito se mostrou gentil, prestativo e solícito, fazendo com que ela se sentisse atraída afetivamente por ele e que o casal começasse a namorar.

Com pouco tempo, começaram os planos de casamento, e ele sugeriu que os dois comprassem um carro e um apartamento. “Como sendo eu uma simples funcionária pública e ele se apresentando como um funcionário efetivo da Petrobrás e tendo mais uma pensão da esposa que falecera, a qual era promotora pública em Salvador, jamais poderia imaginar que a minha renda ou qualquer patrimônio material meu pudesse interessá-lo”, disse.

O homem explicou a ela que iria fazer uma viagem, alegando que iria trabalhar em uma plataforma da Petrobrás. De lá, ele pediu que parte do dinheiro para a entrada das duas compras fosse depositada para ele. Depois disso, os contatos com ele começaram a ficar mais escassos e Mariângela nunca mais o viu.

“Foram anos e anos fazendo economia, juntando e poupando até chegar ao valor que ele roubou sem piedade, isso além de abusar da minha afetividade, usando como um objeto, tornando vítima de seu cruel golpe”, disse a vítima.

Logo a funcionária pública descobriu que o nome que ele usava era falso e que ele nunca trabalhou para a Petrobrás. Também descobriu que as negociações do apartamento e do carro eram falsos e que existiam vários processos em andamento, por estelionato, contra o homem que a enganou.

Suspeito de aplicar golpe do 'Don Juan' se comunicava com a vítima por mensagens (Foto: Reprodução/TV Cabo Branco)

Suspeito de aplicar golpe do ‘Don Juan’ se comunicava com a vítima por mensagens (Foto: Reprodução/TV Cabo Branco)

Caso de polícia

Em João Pessoa, a vítima acionou a Delegacia de Defraudações e Falsificações para investigar o ex-namorado. Mais de seis meses depois, o delegado Lucas Sá explicou que o caso segue na Justiça, esperando alguma decisão, e que o suspeito responde ao processo em liberdade.

“Esse tipo de golpe consiste no ganho de confiança e depois na solicitação de valores a título de empréstimo. No entanto esses valores nunca são devolvidos”, esclareceu o delegado.

Para o policial, é importante que outras pessoas sejam alertadas sobre golpes como esse. Ele orienta que qualquer pessoa procure a Delegacia de Defraudações e Falsificações sempre que desconfiar de alguma negociação.

“A recomendação é de nunca passar valores de maneira informal. Deve sempre procurar fazer através de contrato (contrato simples – uma página) e recibo dos valores entregues. Pedindo sempre a cópia do documento de identificação. Se for um golpista, ele vai ‘cair fora’. No entanto, quase todas as vítimas não fazem isso. Agem sempre com base na confiança e depois são lesadas”, explicou Lucas Sá.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Dilma rebate Marcelo e aponta proteção da mídia aos “artífices do golpe”

dilmaEm nota oficial divulgada nesta quinta-feira (2), a ex-presidente Dilma Rousseff rebate as acusações do empresário preso Marcelo Odebrecht, que prestou depoimento dentro das investigações da Operação Lava Jato. Dilma nega que tenha pedido recursos a Marcelo ou a outros empresários e autorizado qualquer tipo de pagamento por meio de caixa dois nas campanhas presidenciais de 2010 e 2014.

“Também não é verdade que Dilma Rousseff tenha indicado o ex-ministro Guido Mantega como seu representante junto a qualquer empresa tendo como objetivo a arrecadação financeira para as campanhas presidenciais. Nas duas eleições, foram designados tesoureiros, de acordo com a legislação. O próprio ex-ministro Guido Mantega desmentiu tal informação”, diz a nota.

O comunicado de Dilma também critica a mídia golpista. “Estranhamente, são divulgadas à imprensa, sempre de maneira seletiva, trechos de declarações ou informações truncadas. E ocorrem justamente quando vêm à tona novas suspeitas contra os artífices do Golpe de 2016, que resultou no impeachment da ex-presidenta da República”.

Veja a nota completa abaixo:

NOTA À IMPRENSA

Sobre as declarações do empresário Marcelo Odebrecht em depoimento à Justiça Eleitoral, a Assessoria de Imprensa de Dilma Rousseff afirma:

1. É mentirosa a informação de que Dilma Rousseff teria pedido recursos ao senhor Marcelo Odebrecht ou a quaisquer empresários, ou mesmo autorizado pagamentos a prestadores de serviços fora do país, ou por meio de caixa dois, durante as campanhas presidenciais de 2010 e 2014.

2. Também não é verdade que Dilma Rousseff tenha indicado o ex-ministro Guido Mantega como seu representante junto a qualquer empresa tendo como objetivo a arrecadação financeira para as campanhas presidenciais. Nas duas eleições, foram designados tesoureiros, de acordo com a legislação. O próprio ex-ministro Guido Mantega desmentiu tal informação.

3. A insistência em impor à ex-presidenta uma conduta suspeita ou lesiva à democracia ou ao processo eleitoral é um insulto à sua honestidade e um despropósito a quem quer conhecer a verdade sobre os fatos.

4. Estranhamente, são divulgadas à imprensa, sempre de maneira seletiva, trechos de declarações ou informações truncadas. E ocorrem justamente quando vêm à tona novas suspeitas contra os artífices do Golpe de 2016, que resultou no impeachment da ex-presidenta da República.

5. Dilma Rousseff tem a certeza de que a verdade irá prevalecer e o caráter lesivo das acusações infundadas será reparado na própria Justiça.

6. Por fim, cabe reiterar que todas as doações às campanhas de Dilma Rousseff foram feitas de acordo com a legislação, tendo as duas prestações de contas sido aprovadas pelo Tribunal Superior Eleitoral.
ASSESSORIA DE IMPRENSA
DILMA ROUSSEFF

Brasil 247

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Golpe da habilitação social continua e Detran explica como identificar crime

detran-pbO Departamento Estadual de Trânsito da Paraíba (Detran-PB) voltou a alertar a população, nesta terça-feira (14), sobre a continuidade do golpe envolvendo um site falso, supostamente relacionado ao Programa Habilitação Social do Estado.

Segundo o Detran-PB, o site falso utiliza um layout semelhante ao oficial, disponibilizando inclusive a ficha de inscrição para os interessados, mas cobra uma taxa para os exames médico e psicotécnico.

No falso site, ao enviarem a solicitação de inscrição, os usuários recebem um e-mail indicando a necessidade de complementação, sendo direcionados novamente ao site para inserir novos dados no sistema.

Ainda nessa fase, o candidato é informado de que, apesar do processo ser gratuito, será necessário o pagamento de uma taxa única no valor de R$ 248,12, referente aos custos do exame médico e psicotécnico. Após a conclusão do procedimento, o usuário é notificado de que o resultado do processo será enviado por e-mail em até cinco dias úteis.

“O Detran-PB avisa mais uma vez que o site oficial do Programa Habilitação Social (PHS) no Estado da Paraíba é o www.habilitacaosocial.pb.gov.br e as inscrições são gratuitas, sendo feitas exclusivamente neste endereço”, informou o Detran-PB.

Ainda segundo o Detran-PB todo o procedimento do programa Habilitação Social é gratuito. Além disso, o órgão alerta que não envia boleto bancário por correio, e-mail ou mensagem.

“Algumas pessoas já nos procuraram por terem sido prejudicadas por essa prática. Em busca de se beneficiar, os criminosos reproduzem com bastante semelhança o site original, levando o usuário a crer que é um procedimento seguro”, explicou o corregedor do Detran-PB, Valberto Lira.

portalcorreio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Energisa assinou acordo do “Golpe do Fio Preto”, pagou R$ 800 mil e Ministério Público arquivou denúncia

energisafiopretoNa Paraíba, toda denúncia é sobreposta por outra maior, e quase sempre, ninguém sabe como termina qualquer apuração, o que nos deixa com centenas de pulgas atrás das orelhas. Vocês lembram que um funcionário da própria Energisa denunciou que a empresa estaria fraudando as contas dos consumidores paraibanos simulando o chamado ‘gato’ na intenção de lesar o cidadão. Isso mesmo, o suposto “golpe do fio preto”, prática da Energisa que estaria fraudando os medidores de luz das residências para cobrar multas dos consumidores sob a acusação de que eles estariam desviando energia (instalando ‘gatos’) em suas casas. Lembro perfeitamente que o pedido para que a fraude chegasse à alçada do Ministério Público do Estado da Paraíba, partiu do deputado estadual Trocolli Júnior (PROS) e da vereadora de João Pessoa, Raíssa Lacerda (PSD).

Voltando ao ano de 2010, um funcionário da própria Energisa descobriu supostas práticas desonestas através das abordagens dos inúmeros relatos dos próprios consumidores que foram vítimas das ocorrências de fraudes. Naquele mesmo ano, o mesmo funcionário apresentou internamente na sede da empresa, as denúncias da suposta prática fraudulenta.

Ninguém da empresa deu ouvidos e jamais imaginavam que a sociedade tomaria conhecimento.

O “Golpe do fio preto” foi apresentado em 2013, a toda sociedade paraibana.

Além do deputado Trocolli e da vereadora Raíssa, o MP da Paraíba entrou na briga e lá foram eles investigar. Investigaram tanto, mas tanto mesmo, que jamais apresentaram a conclusão do Inquérito Civil nº. 1359/2013. Jamais deram publicidade. Jamais convocaram a imprensa para uma coletiva, afinal, o “Golpe do Fio Preto” merecia ou não uma conclusão transparente por parte do MP da Paraíba?

EM SETEMBRO DE 2016 HOUVE ARQUIVAMENTO

Simplesmente resolveram pelo arquivamento. Mas não foi um arquivamento onde o investigado, neste caso a Energisa, fora totalmente inocentada. A melhor opção ou solução encontrada foi pela assinatura de um TAC – Termos de Ajustamento de Conduta, documento este que comprova que a Energisa reconheceu sua culpa, resolvendo compensar danos e prejuízos já causados em troca de R$ 800.000,00 (oitocentos mil reais) pagos em suaves parcelas.

Segundo o documento, os R$ 800 mil fora assim distribuídos.

R$ 150 mil para Fundação Escola Superior do Ministério Público

R$ 50 mil para Instituto São José (Hospital Padre Zé)

R$ 600 mil para o Fundo Especial de Defesa do Consumidor do MPPB, divido em 3 parcelas.

O que chama a atenção sobre a TAC do Golpe do fio preto:

O texto técnico carrega um cuidado em evitar processos criminais aos responsáveis das ordenanças desses supostos crimes causados aos milhares de consumidores lesados na Paraíba;

Até hoje, nem a Energisa, nem o MPPB, jamais convocou a imprensa paraibana para apresentar as conclusões finais desse inquérito civil público 1359/2013;

Não existe nenhuma publicação sobre Termo de Ajustamento de Conduta no site do MPPB, Energisa ou em lugar algum do universo;

Se os consumidores paraibanos não têm direito de pagar suas faturas de energia parcelado, porque esse TAC foi parcelado, já que a Energisa é uma empresa milionária?

Se houve culpa ou parte da culpa, porque a Energisa jamais foi condenada ao ressarcimento e danos morais dos milhares de consumidores paraibanos, supostamente lesados pelas práticas criminosas

Você acredita que a Energisa assinaria um TAC com “multa” de quase 1 milhão se não restasse um milímetro de culpa no inquérito instaurado?

O Golpe do Fio Preto terminou assim, multa parcelada de R$ 800 mil, TODO destinado ao MPPB e ESMA.

E o povo?

Com a palavra Raíssa, Trócolli e o povo paraibano!

Vem aí o Golpe do fio preto II, espero não terminar em TAC, espero!

Por Clilson júnior

 

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br