Arquivo da tag: Gervásio

Manoel Júnior avalia saída de Gervásio para o PSB: ‘lá não existe democracia; foi um tiro no pé’

manoel-juniorEm entrevista ao programa 60 Minutos, da Arapuan FM, o deputado federal Manoel Júnior, pré-candidato à sucessão municipal pelo PMDB, avaliou a saída dos deputados Gervásio Maia e Trócolli Júnior, conforme noticiado. Para ele, “foi um tiro no pé” e previu que ambos terão dificuldades na nova legenda.

“Aqui no PMDB tem democracia. Lá, não”, ressaltou o pré-candidato ao se referir ao PSB do governador Ricardo Coutinho, para onde os deputados Gervásio Maia e Trócolli deverão abrigar filiação partidária a partir desta quinta-feira (3), quando está prevista uma entrevista coletiva na Associação Paraibana de Imprensa (API), a partir de 11 horas.

Manoel Júnior disse que “lamento muito o episódio que está para acontecer”, destacando que, no caso de Gervásio Maia, “ele já havia anunciado anteriormente a saída em janeiro, afirmando que era contrário a candidatura do PMDB em João Pessoa. Ou seja, já estava trabalhando contra a pré-candidatura do partido”.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Em outra parte da entrevista concedida ao programa do Sistema Arapuan, Manoel Júnior reiterou que o maior obstáculo dos prováveis ex-colegas será encontrar uma brecha para desenvolver a democracia, “pois lá não existe; muito diferente do que eles encontraram no PMDB”;

A pretexto desse assunto, Manoel Júnior fala com autoridade. Ele já foi filiado do PSB na época da vice-prefeitura ao lado do hoje governador Ricardo Coutinho.

Marcone Ferreira

Galdino é eleito presidente da ALPB para o biênio 15/16; Gervásio comanda a Casa em 17/18

galdinoO deputado Adriano Galdino é o novo presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB). Ele foi  eleito com uma diferença de apenas dois votos em relação ao candidato a reeleição, deputado Ricardo Marcelo (PEN). A proclamação da eleição ocorreu por volta das 16h30 deste domingo (1). Galdino vai presidir a ALPB no biênio 2015/2016. Já Gervásio Maia (PMDB), também foi eleito em uma segunda votação e vai comandar a Assembleia no biênio 2017/2018.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook
Candidato da chapa 1, Adriano Galdino foi eleito com 19 votos, contra 17 do candidato Ricardo Marcelo (PEN), candidato da chapa 2. A eleição ocorreu por meio do uso de cédulas de papel, já que um consenso para a votação eletrônica não foi estabelecido.

Em entrevista coletiva, o novo presidente da ALPB afirmou que vai manter a independência da Assembleia com relação ao governo estadual, mas que vai buscar a união para construir uma Paraíba melhor. “Recebo minha eleição com muita alegria e satisfação. Vamos dialogar com os deputados, funcionários e a sociedade buscando fortalecer a autonomia e a harmonia deste poder com os demais poderes. Vamos manter a independência, mas sempre em harmonia com os poderes, buscando uma Paraíba melhor”, afirmou.

Com relação aos dois votos que deveriam ser da sua chapa, mas foram parar na candidatura de Ricardo Marcelo, Adriano Galdino disse que não considera traição. “Não considero traição esses dois votos a menos que eu tive. Esperava ter 21, mas tive 19. Paciência. Agora, como presidente, vou administrar para os 36 deputados. Vamos fazer com que essa Casa ajude a construir uma nova Paraíba”, concluiu.
Os deputados votaram em duas urnas, uma de papel e outra de madeira, sendo levados de um por um para uma sala reservada. Eles votaram da seguinte forma: os deputados receberam um envelope contendo uma cédula da chapa 1 e uma cédula da chapa 2. De posse do envelope, o deputado escolheria a chapa que votaria, depositando a cédula na urna de madeira. A cédula referente a chapa não escolhida foi depositada na urna de papel. Cédulas com rasura, dobradas ou com qualquer alterações seriam consideradas nulas. As urnas foram lacradas antes da votação.

Segundo os deputados, a utilização de duas urnas foi necessária para garantir o resultado da eleição da Mesa.

 

Logo após Adriano Galdino ser eleito presidente da ALPB, alguns deputados saíram do plenário.

 

Eleição para o biênio 2017/2018

Contanto com 23 deputados, foi realizada a eleição para o biênio 2017/2018, tendo apenas Gervásio Maia (PMDB), como candidato a presidência. Sem adversário, Gervásio foi eleito com 23 votos a favor e vai ser o presidente da ALPB no período 2017/2018.

 

portalcorreio

Raniery Paulino acusa Gervásio de quebrar acordo ao fechar com Galdino

RanieryranieryO deputado estadual, Raniery Paulino, declarou, neste final de semana, que o colega de partido, Gervásio Maia, descumpriu acordo firmado com outros parlamentares do partido, ao fechar aliança com Adriano Galdino para a Presidência da Mesa da Assembleia Legislativa.

Em entrevista ao radialista Rudney Araújo, na Rádio Cultura de Guarabira, o peemdebista revelou que em reunião, os parlamentares do partido decidiram que o PMDB iria esperar para fechar uma aliança.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

No entanto, segundo Raniery Paulino, Gervásio se adiantou e fez parceria com o socialista sem consultar ele, Trócolli Júnior e Nabor Wanderley na tomada de decisão. Esse seria o principal motivo dos outros parlamentares do PMDB estarem na dissidência.

Ainda sobre a eleição da Mesa Diretora da Assembleia, Raniery Paulino admitiu que pode votar em Adriano Galdino, mas disse que sua preferência é por uma candidatura de Ricardo Marcelo a reeleição.

Roberto Targino – MaisPB

Gervásio ironiza desejo de Ricardo de firmar aliança com o PMDB: “Pensei que fosse montagem a fala do governador”

  O líder da oposição na Assembleia Legislativa da   Paraíba, deputado Gervásio Maia Filho (PMDB)     ironizou, nesta quarta-feira (7), as declarações  do  governador Ricardo Coutinho (PSB), que  ontem  sinalizou a possibilidade de uma  reaproximação  com os peemedebistas já no 1º  turno das  eleições deste ano.

Durante entrevista, o governador disse que “haveria espaços” para o PMDB em sua chapa. Indagado sobre as declarações de Ricardo Coutinho, Gervásio Filho disse que, num primeiro momento, não acreditou e chegou até a pensar que fosse montagem. “Isso é um sinal de desespero porque o governador sabe que o nosso partido pode ir para o segundo turno e que a candidatura de Veneziano tem muito a crescer ainda”, observou.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Gervásio Filho questionou ainda a sinalização do governador, lembrando que “até um dia desses, ele queria dar uma surra de votos na oposição”. Para o peemedebista, Coutinho está desesperado com alto índice de rejeição ao seu governo e o crescimento da oposição, inclusive na Assembleia. O deputado disse ainda que não ouviu nenhuma manifestação contrária à sua na bancada peemedebista, e que qualquer posicionamento em outra direção seria “como remar contra a maré”.

MaisPB

“Pré-candidatura de Cássio é café com leite”, diz Gervásio rebatendo Zenóbio Toscano

gervasioO deputado estadual Gervásio Maia (PMDB) rebateu, neste sábado (22), declarações do secretário geral do PSDB, Zenóbio Toscano (PSDB), de que o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) ganharia a eleição no primeiro turno e, por isso, não precisaria da ajuda do PMDB.

Durante entrevista aos radialistas Rudney Araújo e Tony Sousa, no Debate Livre, da Rádio Rural de Guarabira, o parlamentar falou que, na sua opinião, o único nome que está garantido no segundo turno das eleições é o de Veneziano Vital do Rêgo (PMDB).

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

De acordo com o peemedebista, a pré-candidatura de Veneziano é a única que representa a verdadeira oposição ao governador Ricardo Coutinho. “Gervásio disse ainda que o PMDB perdeu algumas lideranças, mas não perdeu o apoio do povo que pode reprovar tanto Cunha Lima quanto Coutinho porque dois fizeram parte do mesmo grupo” político.

O peemedebista considerou que a candidatura de Cássio não teria força porque não seria nem governo nem oposição.

“Eu considero a candidatura de Cássio café com leite. Nem situação, nem oposição”, disse Gervásio garantindo que Cássio não terá discurso pois até poucos dias fazia defesa do governo.

Roberto Targino

com informações de Rudney Araújo, em Guarabira 

PMDB desmarca reunião, mas avisa que não cederá a caprichos de Gervásio

 

O imbróglio dentro do PMDB paraibano continua, mesmo após a definição do nome do ex-governador José Maranhão como o novo presidente do partido. Agora, o moído envolve o cargo a ser ocupado pelo deputado Gervásio Maia Filho (PMDB). Diante do impasse, o presidente estadual do PMDB, Antônio de Souza, decidiu cancelar a reunião que estava agendada para esta sexta-feira (30), até que o parlamentar ‘se decida’.

“Gervasio deve decidir se quer o espaço oferecido a ele na chapa ou se grupo do ex-senador Wilson Santiago vai bater chapa contra o ex-governador José Maranhão pela presidência da legenda e quebrar o acordo selado com líderes nacionais”, ironizou.

Apesar de externar que vai aguardar a decisão do parlamentar, o dirigente descartou a possibilidade de reunião para modificar a composição do comando do PMDB na Paraíba.

Gervásio Maia é um dos integrantes da chapa que era encabeçada pelo ex-senador Wilson Santiago e não se conformou com o posto que recebeu após a formação de uma chapa de consenso, envolvendo os integrantes das duas chapas para formar uma apenas.

“Todo mundo cedeu uma parte. Gervásio é que não quer”, disse o presidente, afirmando que o “deputado não pode obstacular” o que ficou acertado em Brasília.

ENTENDA

Desprestígio: parlamentar se ofende com irrelevância de cargo e questiona imposição de lista no partido

Após uma eleição conturbada sobre a escolha do presidente do diretório estadual do PMDB, a nova polêmica é a lista divulgada por José Maranhão com os nomes para a executiva estadual. O deputado estadual Gervásio Maia Filho (PMDB) foi “escanteado” e ganhou um cargo sem muito prestígio. A lista desencadeou um apelo sobre a bandeira levantada anteriormente por Gervásio, Veneziano presidente.

Os argumentos de Gervásio Filho são contundentes e há de se levar em consideração que para quem faz o papel de um dos líderes da oposição, dentro da Assembleia Legislativa, receber um dos cargos mais insignificantes é, no mínimo, aborrecedor.

“Concordar com uma chapa que já veio pronta, quem é que pode concordar? É demais pedir que o processo também seja democrático nas escolhas dos nomes da executiva? Eu entendo que não”, afirmou o deputado.

Questionado se o parlamentar iria procurar o cacique do PMDB para uma conversa sobre os cargos, Gervásio não se esquivou e alfinetou outros integrantes do partido.

“Eu sou do diálogo, eu sou da conversa e não estou olhando para meu próprio umbigo. Diferente de outros que estão desesperados com seus interesses individuais. Vocês sabem muito bem quem está apegado e quem não está apegado, eu estou desapegado. Mas estou apegado ao fortalecimento do meu partido”, assumiu Gervásio.

Entretanto, Gervásio Filho aproveitou a oportunidade para deixar um apelo ao dirigente estadual do partido. “Que Maranhão coloque a mão na consciência e discuta com a mesma maturidade, com a mesma tranquilidade que tivemos na escolha do diretório estadual e dos delegados da nacional”, recorreu o parlamentar.

Em tom magoado, o deputado defendeu suas posições e, mesmo com a presidência estadual do PMDB decidida, voltou a elencar uma renovação para o partido. “Reafirmo o que falei semana passada, Veneziano presidente”, assentiu Gervásio.    

Patricia Silva

PB Agora

Presidente do PMDB rebate Gervásio e exige que o deputado conte a verdade

O presidente estadual do PMDB, Antônio de Souza, rebateu através nota enviada ao ClickPB, uma entrevista do deputado estadual Gervásio Filho  que disse que aceitará que a definição dos nomes que vão comandar o Diretório estadual da sua legenda seja empurrada de “cima para abaixo”.

Segundo Gervásio, no último domingo ficou acordado que existiria consenso na  formação do diretório, mas esta “promessa” não teria sido cumprida pelo ex-governador, José Maranhão, que, para ele, “se nega a construir o consenso”.

Antônio de Souza disse que Gervario não conta a verdade sobre o que foi decidido em Brasília, e que ficou acertado lá em Reunião com Presidente Valdir Raupp e o Vice presidente Michel Temer, que foi:

I – O mandato deve ser o definido no Estatuto do Partido, dois anos;

II – Todos os prefeitos eleitos figurar no Diretório Estadual;

III – A executiva ser integrada pelos  5(cinco) Deputados Federais, 6(seis ) Deputados Estaduais, o Senador VITALZINHO, e complementa com outras lideranças como ZÉ MARANHÃO, ROBERTO PAULINO, VENEZIANO e ANTONIO SOUZA.

IV – A Executiva do Partido é composta por 12 titulares (um presidente, três vice presidentes, um secretario geral, um secretario adjunto, um tesoureiro geral, um tesoureiro adjunto e quatro vogais, mais o lider da bancada do PMDB na Assembleia. Tem ainda quatro suplentes.

V – Benjamin e Olenka estão na Executiva, pelo critério definido em Brasilia, que foi de colocar na executiva “todos os Deputados Federais, todos Deputados Estaduais, o Senador, Maranhão, Wilson Santiago, Veneziano, Roberto Paulino e Antonio Souza, e não por decisão de Maranhão.  E foi o que foi feito. Estão, Gervasio, Marcio Roberto, André Gadelha, Raniery Paulino, Francisca Mota, Ivaldo Moraes, Hugo Motta, Manoel Junior, Benjamin, Wilson Filho e Nilda Gondim, alem do Senador Vitalzinho, que aceitou ser primeiro vogal. Sem falar que Veneziano é atualmente o primeiro Vice-presidente, e abriu mão para ser Secretario Geral para acomodar Wilson Santiago.

VI – Gervasio é o unico na executiva que tem direito a três votos (Deputado Estadual, Lider da Bancada e outro cargo), que o oferecido a ele foi o de 3º vice presidente, mas ele não quis.

VII – Os demais parlamentares só tem direito a dois votos, e Maranhão, Veneziano e Antonio Souza só tem direito a um voto.

VIII – Com relação à composição do diretório estadual ser composto pelos 58 prefeitos eleitos, foi fruto também da reunião de Brasilia, onde todos concordaram.

O que falta a Gervasio é despreendimento para selarmos uma composição, pela unidade do partido.

ANTONIO SOUZA SILVA

PRESIDENTE PMDB/Pb

Clilson Júnior

Gervásio afasta qualquer chance de aliança entre PMDB e o PSB para 2014

O deputado Gervársio Maia (PMDB) afirmou que desconhe qualquer aproximação entre seu partido e o governador Ricardo Coutinho (PSB). Em entrevista ao MaisPB nesse domingo (04), o parlamentar explicou que não faz nenhum sentido as especulações, principalmente quando está em questão a aliança entre a legenda do deputado Manoel Júnior (PMDB) e de seu grande desafeto, o governador socialista.

“Você acha que Manoel Júnior estaria articulando a aproximação do PMDB com Ricardo? Faz algum sentido isso?”, questiona Maia.

Defensor da renovação na cúpula peemedebista, Gervásio explicou que a candidatura de Wilson Santiago a presidente do partido contra Maranhão foi fruto da abdicação do próprio Manoel Júnior , já que – após um processo de escolha – o nome dele havia sido apontado para representar o bloco.

“Manoel Júnior, eu e todos do nosso grupo confiamos em Wilson Santigo”, destacou Gervásio Maia, deixando claro que não faz sentido insinuar que Santiago estaria “entregando” o partido a Ricardo.

Ao ser questionado sobre o pleito de 2014, Gervásio não titubeou: “Veneziano é o nome indiscutível para representar nosso partido. É o nome de proa”, declarou Maia, reforçando a tese do afastamento a Ricardo em seguida: “Você pode até se sentir sozinho com uma candidatura própria, mas como se pode decidir por uma adesão deixando de lado uma candidatura do partido?”.

MaisPB