Arquivo da tag: gastrite

Simaria explica afastamento dos palcos e revela novo problema de saúde

Após ter novo afastamento dos palcos por conta de uma Tuberculose Ganglionar, Simaria sentiu que precisava se comunicar com os fãs e dar satisfações sobre seu estado de saúde. Na noite do último domingo (23), a cantora publicou um vídeo em seu Instagram em que explica os motivos do afastamento e ainda revelou um novo problema: uma gastrite ocasionada por ingestão de algum alimento infectado ou estragado.

“Oi, meu amores! Estou passando aqui em respeito e consideração a todas as pessoas, fãs e contratantes que rezam e torcem por mim, por Simone e Simaria. Infelizmente, na semana passada, tive mais um mal estar e, após realizar vários exames, ficou definido que devo me afastar novamente dos palcos”, revelou.

“Ao longo deste mês, dei o melhor de mim em todos os shows e compromissos, vocês sabem como sou batalhadora e “dura na queda”, mas a rotina na estrada não é fácil, ainda mais para conciliar com o tratamento da Tuberculose Ganglionar. Infelizmente, por conta da logística de show, horários das apresentações – muitas vezes acontecem muito tarde e desregulam meus horários da medicação, desgaste físico – vocês sabem que não é somente cantar, eu amo pular, brincar e gosto de animar meu publico, isso exige muito de mim”, explicou, revelando que além de tudo isso ainda descobriu um novo problema de saúde.

Simaria (Foto: Reprodução / Instagram)

“E, além disso, ainda estou com uma inflamação no estômago causada por uma outra bacteria que eu provavelmente adquiri de comida. De um lado, remédio para tuberculose, de outro a gastrite”.

Em seguida, a sertaneja revelou que os médicos indicaram descanso e férias dos shows novamente, mas garantiu que continuará atuando nos projetos relacionados à música. “Por esses motivos, meu medico Dr. David Uip, em comum acordo com a equipe dele, decidiram me afastar dos shows, mas continuarei trabalhando no nosso DVD, que estar por vir e vai ficar lindo, e alguns outros compromissos previamente autorizados pelo Dr. David. Nem sempre as coisas acontecem exatamente como planejamos, mas Deus sabe o que faz e tudo no seu tempo, né?!”

Simaria agradeceu o apoio dos fãs e finalizou seu desabafo no Instagram. “Agradeço muito o carinho de todos e prometo dividir com vcs um pouco do meu dia a dia durante meu afastamento”, finalizou a cantora, incentivando seus seguidores que vissem seus vídeos na função Stories da rede social, onde ela pôde detalhar um pouco mais seu estado de saúde.

Nos vídeos, ela explicou que a rotina dos palcos e da estrada fez com que ela tivesse que diminuir seu ritmo, porque os horários de tratamento e medicação ficaram prejudicados. “Eu passei quatro meses afastada dos palcos, dormia umas nove ou dez da noite, acordava às seis da manhã todos os dias para tomar meu medicamento, às seis e meia podia tomar café e às sete ou oito era o momento que eu podia voltar para descansar. Enquanto eu estive afastada, eu consegui comer na hora certa, dormir na hora certa, e a estrada não permite isso porque os shows são tarde. Eu tinha que passar a noite inteira acordada e esperar até às seis da manhã para poder tomar meus medicamentos”, revelou.

Ainda que esteja fora dos palcos, a cantora revelou que não deve descansar. “Quero dizer a vocês que estou em casa, estou me tratando, me cuidando. Não estou parada, porque sou uma mulher muito batalhadora, muito guerreira. Não consigo ficar parada”, disse, garantindo que está ativa na produção do novo trabalho da dupla. “Estou compondo, estou produzindo, estou trabalhando em um presente lindo que preparamos para vocês, que será nosso novo DVD, que está ficando a coisa mais maravilhosa do planeta”, disse.

Simaria disse ainda que trabalhar dá forças a ela para que continue. “Produzir, compor, tudo isso me faz sentir viva. Eu fico feliz quando estou fazendo isso. Então por isso é que eu continuo aqui trabalhando, fazendo as coisas que eu gosto. Para me senti viva”, finalizou.

A notícia do novo afastamento de Simaria dos palcos aconteceu na última segunda-feira (17), quando a cantora mandou recado para os fãs em comunicado oficial da empresa que gerencia a carreira da dupla que ela forma com a irmã, Simone.

“A Social Music e a Áudio Mix, empresas responsáveis pelo gerenciamento de carreira da dupla Simone e Simaria, comunicam que, nesta última quinta-feira (13) Simaria Mendes teve um mal estar e deu entrada no hospital Sirio Libanes, onde passou o final de semana em observação e realizando novos exames. Após laudo e por determinação médica do Dr. David Uip, a cantora mais uma vez terá de se afastar do palco até o final do tratamento de sua Tuberculose Ganglionar. Alguns compromissos serão mantidos, porém sempre com autorização médica prévia. Simone, que estava com férias programadas, segue analisando a possibilidade de manter agenda de shows, juntamente com seu escritório”, diz o bolhetim.

Na ocasião, a cantora, emocionada, foi direta: “Dei, como sempre, o melhor de mim, mas infelizmente ainda não estou pronta para voltar a estrada, com a agenda de shows”.

revistaquem

Ansiedade e estresse podem intensificar sintomas de gastrite

gastriteDispepsia significa dificuldade de digestão e se refere a sintomas de gastrite, como sensação de dor ou queimação no estômago, além de náuseas, sensação plenitude gástrica ou distensão abdominal. Dispepsia funcional é um termo utilizado para descrever o paciente que apresenta sintomas dispépticos, mas sem alterações nos exames realizados na investigação, ou seja, sem gastrites, parasitoses, doenças hepatobiliares ou outras.

A dispepsia funcional está relacionada a alterações na motilidade gastrointestinal, hipersensibilidade visceral, exposição ao suco gástrico, intolerâncias alimentares, alterações psicossociais e infecções.

É importante comentar a relação entre o cérebro e o trato digestivo. Sabemos que a simples visão e o cheiro de comida são capazes de aumentar motilidade e secreção gástricas. Desta maneira, podemos compreender a relação entre ansiedade, estresse emocional e dispepsia. Nessas condições psicossociais, por efeito direto ou intermediado por hormônios, podemos perceber mudanças na secreção de suco gástrico, na regulação de fatores protetores da mucosa do estômago e na percepção dos estímulos sensoriais gástricos.

A motilidade gástrica pode ser alterada nessas situações e a complacência gástrica reduzida. Além disso, a secreção de suco gástrico pode estar aumentada em situações de estresse.

Pessoas submetidas a estresse emocional podem ter um aumento na sensibilidade gástrica, de forma que um estímulo considerado normal passe a ser percebido como dor. Por fim, devemos lembrar que os efeitos do estresse sobre os intestinos são relevantes, podendo causar diarreia, constipação, flatulência, síndrome do intestino irritável e até mesmo reativação de doenças inflamatórias intestinais.

minhavida

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Oito medidas simples para prevenir e aliviar a gastrite

Gastrite: queimação, dor no estômago e náusea são os principais sintomas da doença (Thinkstock)
Gastrite: queimação, dor no estômago e náusea são os principais sintomas da doença (Thinkstock)

Queimação, dor no estômago e náusea são queixas de 15 a 30% dos pacientes que procuram um gastroenterologista. Esses sintomas são característicos de gastrite, uma inflamação aguda ou crônica nas paredes internas do estômago.

A bactéria Helicobacter pylori, que se hospeda no estômago, é apontada como uma das causadoras da gastrite. Estima-se que 80% dos brasileiros estejam infectados pela bactéria e que 5 a 15% dessas pessoas manifestem a doença. A relação entre a H. pylori e a gastrite ainda não foi compreendida pela medicina, mas acredita-se que o micro-organismo enfraqueça a mucosa estomacal, fazendo com que o suco gástrico machuque as paredes do estômago.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O uso prolongado de anti-inflamatórios não hormonais (como a aspirina) e o consumo exagerado de bebidas alcoólicas são fatores que também sensibilizam a mucosa estomacal, assim como stress, tabagismo e má alimentação.

Diagnóstico — Os sintomas da gastrite são parecidos com os de refluxo, má digestão e até câncer. Por isso, o ideal é, antes de tomar um remédio por conta própria, procurar um médico, que pedirá uma endoscopia para confirmar o diagnóstico. “A automedicação alivia os sintomas no momento, mas pode mascarar outras doenças mais graves”, diz o gastroenterologista Rogério Saad, professor da Faculdade de Medicina de Botucatu Unesp/FMB.

Uma gastrite não tratada pode evoluir para uma úlcera, um profundo machucado na mucosa do estômago. Os sintomas da moléstia são perda de peso rápida, vômito ou fezes com sangue, febre, olhos amarelados, vômitos frequentes, anemia e presença de gânglios em regiões como pescoço e virilha.

O tratamento da gastrite segue os mesmos preceitos da sua prevenção e inclui remédios para diminuir a acidez no estômago e, na presença da bactéria H. pylori, antibióticos.

 

Veja