Arquivo da tag: Galo

Clássico Tradição terá torcidas do Galo e do Belo no Amigão; jogo será dia 24

O Clássico Tradição da 18ª e última rodada da Série C do Campeonato Brasileiro deve mesmo contar com trezeanos e botafoguenses nas arquibancadas. De acordo com Valberto Lira, que é procurador de Justiça e também presidente da Comissão Permanente de Prevenção e Combate à Violência nos Estádios, órgão ligado ao Ministério Público da Paraíba (MPPB), a sua recomendação é apenas o veto para as organizadas do Belo, o time visitante do jogo marcado para o próximo dia 24.

Valberto Lira garantiu que a sua recomendação foi apenas para as organizadas do clube visitante. Enquanto isso, as organizadas do Treze estão liberadas para apoiar o time, com exceção da Jovem do Galo, que foi punida pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) ainda no início da Série C.

A expectativa é de que a partida tenha ares de final de campeonato, já que Treze e Botafogo-PB podem entrar na rodada decisiva da Terceirona com objetivos para lá de importantes pensando em 2020. É que o Galo ocupa a nona colocação, com 15 pontos, e luta para não ser rebaixado. Do outro lado, o Belo é quinto, com 24 pontos, e briga por uma vaga no G-4, que leva para o mata-mata do acesso à Série B.

No primeiro duelo entre os dois clubes este ano, disputado no Almeidão, o Belo venceu por 3 x 1.

PB Agora

 

 

Belo, Atlético, Nacional e Galo vencem; veja classificados e rebaixados

A 10ª rodada do Campeonato Paraibano 2019 foi marcada por cinco jogos na noite desta quarta-feira (27). Nos duelos, o Botafogo-PB garantiu a classificação com a liderança geral da primeira fase, vencendo por 2 a 0  o CSP, que acabou rebaixado para a segunda divisão do Estadual. O Atlético de Cajazeiras derrotou o Sousa por 1 a 0 e sustentou a ponta do Grupo B. O Nacional de Patos conseguiu a classificação às semifinais ao superar o rival Esporte, por 3 a 1. O Campinense, mesmo derrotado por 1 a 0 pelo Treze, conseguiu avançar à fase seguinte. A rodada ainda teve um empate em 3 a 3 entre Perilima e Serrano, que caiu para a segundona.

Com os resultados, ficam definidas as disputas das semifinais. O Botafogo-PB pega o Nacional de Patos e o Atlético-PB enfrenta o Campinense.

CSP 0 x 2 Botafogo-PB

Em partida realizada no Estádio Almeidão, em João Pessoa o primeiro tempo começou truncado, com as equipes explorando as partes mais enxutas do gramado para trocar passes. Porém, quem tomou a primeira atitude decisiva foi o Belo. Em jogada de Adalgiso Pitbull, o zagueiro Bahia colocou a mão na bola dentro da área e o árbitro marcou pênalti. Aos nove minutos, Fábio Alves abriu o placar para o Botafogo-PB.

Aos 41 minutos do segundo tempo, em uma bela trama na entrada da área, o atacante Paulo Renê tocou para Adalgiso Pitbull, que ajeitou para o volante Rogério, que chutou forte para o fundo das redes do goleiro Wallace, garantindo a vitória do Belo.

Atlético-PB 1 x 0 Sousa

No estádio Perpetão, em Cajazeiras, o Trovão fez a lição de casa, resistiu à pressão do Dinossauro e conquistou a vitória com gol do atacante Bruno, aos 40 minutos do segundo tempo. Após bonita triangulação, o camisa 9 aproveitou e mandou a bola para as redes.

Esporte 1 x 3 Nacional

O Nacional começou a trilhar o caminho para a vitória no estádio José Cavalcanti, em Patos, logo aos cinco minutos do primeiro tempo. Isaías colocou a bola na frente e foi puxado em lance dentro da área. O árbitro marcou pênalti. Três minutos depois, o próprio Isaías partiu para a cobrança e marcou o primeiro gol do jogo.

O Esporte chegou ao empate aos 20 minutos. Em contra-ataque, Jó Boy recebeu em profundidade, puxou para o meio e soltou chute. A bola foi morrer no cantinho esquerdo da rede. O Naça, no entanto, não se abalou e, aos 27 minutos, fez o segundo gol. Atuando como lateral, Birungueta bateu falta em direção do gol. Ninguém desviou e a bola acabou no fundo da meta. O Canário fechou o placar logo no primeiro minuto do segundo tempo, com gol de Jairo.

Campinense 0 x 1 Treze

A partida no estádio Amigão, em Campina Grande, marcou o fim de uma péssima campanha do Treze na edição 2019 do Paraibano. O Clássico dos Maiorais, contra o rival Campinense, acabou com vitória da equipe alvinegra com gol de Vanger, logo aos dois minutos do primeiro tempo. Após lançamento preciso de Coppetti para Matheus, o lateral fez cruzamento e o atacante, livre de marcação, marcou o único gol do jogo.

Perilima 3 x 3 Serrano-PB

No estádio presidente Vargas, em Campina Grande, as equipes entraram em campo para jogar a permanência na divisão de elite do futebol paraibano. A partida foi movimentada e terminou com um empate em 3 a 3, com gols de Lucas Silva (2) e Cristiano, pela Perilima; e Darlan, Lucas Silva e Ferreira, pelo Serrano-PB. Com o resultado, o Lobo da Serra, que precisava da vitória, foi rebaixado. A Perilima, por sua vez, assegurou a permanência na 1ª divisão.

*Com texto de Gabriel Botto, do Jornal Correio

(Foto: Paulo Cavalcanti/Botafogo-PB)

 

Fred faz de pênalti e Galo estreia com empate

fredO Atlético-MG estreou com empate na Copa Libertadores. Em Mendoza, na Argentina, o Galo teve uma atuação abaixo do esperado, mas conseguiu arrancar um placar por 1 a 1 com o Godoy Cruz, na abertura do grupo 6.

O Galo nem teve tempo de “entrar” no jogo e levou um gol logo no primeiro minuto. No contra-ataque, Javier Correa saiu nas costas da zaga e finalizou na saída do goleiro Giovanni.

Desorganizado em campo, o Atlético-MG foi muito mal nos primeiros 45 minutos e escapou de levar mais um gol. Aos 44, Garro recebeu cruzamento sozinho e mandou para fora de forma inacreditável na entrada da pequena área.

O time de Roger Machado voltou para a etapa final com Cazares na vaga de Danilo Barcelos e o time já deu resposta aos 3 minutos. No lateral cobrado direto na área, Abecasis empurrou Elias por trás e o árbitro marcou pênalti. Fred foi para a cobrança e não vacilou: 1 a 1.

Depois do gol de empate, os argentinos voltaram a tomar conta do jogo. A chance mais clara foi um chute de Correa que passou raspando a trave de Giovanni aos 18 minutos. O Godoy Cruz ainda ficou com um jogador a menos aos 39 minutos com a expulsão de Danilo Ortiz, mas o Galo não conseguiu virar mesmo pressionando muito nos últimos lances.

No outro jogo da chave, Sport Boys-BOL e Liberta-PAR ficaram no empate por 3 a 3, na Bolívia, também nesta quarta-feira. Dessa forma, todos os times somam 1 ponto.

O Galo só volta a campo pela Libertadores no dia 13 de abril. A equipe recebe o Sport Boys, na Arena Independência, pela 2ª rodada.

Band

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Sem apoio e com o Treze em crise financeira, Bebeto do Gesso renuncia a presidência do Galo

bebetoA crise financeira que sacudiu o Treze é bem maior do que a torcida pode imaginar. Eliminado precocemente da Série D do Campeonato Brasileiro, o Galo agora está sem presidente.

O empresário Carlos Alberto da Silva, conhecido em Campina Grande como Bebeto do Gesso, não suportou a crise que o clube atravessa, e o abandono de membros da diretoria, e renunciou ao cargo de presidente do alvinegro. A decisão foi oficializada na noite desta segunda-feira (21) durante reunião do Conselho Deliberativo alvinegro no estádio Presidente Vargas.

O encontro foi iniciado por volta das 20h e se estendeu até as 23h10.

Bebeto, que tinha definido esta segunda como prazo final para tomar uma posição sobre seu destino na agremiação, formalizou sua decisão em uma carta entregue ao presidente do CD do Galo, Robson Régis, conhecido como Boba.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

A partir de agora Boba assume interinamente os destinos do Treze, e tem 60 dias para convocar uma Assembleia Geral. A partir de então uma nova eleição deverá ser realizada para definir o próximo presidente do clube.

Bebeto ainda anunciou uma entrevista coletiva para a tarde desta terça-feira (22) no PV. Ultimamente, o dirigente reclamou reiteradas vezes da falta de apoio dos ditos abnegados do Treze.

Os resultados ruins dentro de campo; associada a relação complicada com o presidente do Conselho Deliberativo; a crise financeira, tornaram e insustentável a permanência de Bebeto do Gesso, a frente do Galo. Desde a semana passada ele ameaçava renunciar ao cargo.

Em bombástica entrevista recente, Bebeto relatou a atual situação do alvinegro. Ele disse que nenhum dos atuais dirigentes e abnegados galistas permanece no clube. O presidente disse inclusive que chegou a entregar o cargo, mas que ninguém quis assumir em seu lugar.

– Eu até entendo a situação dos abnegados, eles cansaram. Tem hora que você não pode colocar dinheiro em um local e não ter perspectiva de ter retorno. E só não saí também para que o Treze não fechasse as portas – declarou em um tom amargo e visivelmente emocionado.

Na semana passada, com a possibilidade cada vez mais forte de renúncia do presidente Bebeto Silva, do Treze, o Conselho Deliberativo do clube já se preparava para os próximos passos no cenário administrativo interno. O presidente do Conselho, Robson Régis, disse  que caso Bebeto tomesse mesmo a decisão de deixar o cargo, o comando do clube ficaria a cargo de uma junta administrativa comandada pelo Conselho.

Ainda de acordo com Robson, em caso de vacância do cargo será nomeada uma junta administrativa composta por três nomes, a quem caberá convocar novas eleições em até 90 dias.

Com a eliminação da Série D o Galo ficou sem calendário certo para 2016. O alvinegro disputará apenas o Estadual,e precisará de uma boa colocação para conquistar uma das vagas destinadas à Paraíba para a competição nacional.

PBAgora

Sem piedade, galo atropela o fla novamente e faz a festa no Horto

FLAFilme repetido. De comédia romântica para o Atlético-MG. De terror para o Flamengo. Duas semanas depois da classificação marcante na semifinal da Copa do Brasil, o Galo deu continuidade ao caso de amor com o torcedor, que deixou o Horto rindo à toa dos 4 a 0 sobre o Rubro-Negro, na noite desta quarta-feira, pela 35ª rodada do Brasileirão. Sem poupar ninguém, Levir Culpi mandou para campo força máxima e atropelou os cariocas em ensaio para decisão contra o Cruzeiro, daqui a uma semana.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Carrasco rubro-negros, Luan marcou duas vezes e deixou o campo ovacionado após chocar a trave ao marcar o terceiro gol. Diego Tardelli e Dodô completaram o placar para um Atlético-MG que finalizou 15 vezes e foi ameaçado apenas duas. No lado do Flamengo, o clima de férias por conta da salvação matemática do rebaixamento não justifica atuação tão apática. No sistema defensivo, apenas Paulo Victor se salvou e evitou tragédia ainda pior. De quebra, os rubro-negros tiveram que aturar 90 minutos de gozação ao som de “Freguês” e “Eliminado”.

Com a vitória, o Galo volta ao G-4, na quarta posição, com 61 pontos. No sábado, o rival será o Internacional, às 19h30m (de Brasília), no Beira-Rio, em partida que deve contar somente com reservas. O Flamengo caiu para a décima colocação, com 47 pontos, e pega o Criciúma, domingo, às 17h, no Castelão, em São Luís do Maranhã.

Galo acelera e atropela o Fla no primeiro tempo

Podia não valer nada para o Flamengo, podia ser uma espécie de treino para o Galo visando a decisão da Copa do Brasil – já que no fim de semana apenas os reservas devem entrar em campo -, mas o jogo começou a mil por hora. Fazendo valer da velocidade que lhe é característica, o Rubro-Negro marcou a saída de bola e se mandou para cima. Pico, em cobrança de lateral na área, deixou Marcelo em boa condição. O zagueiro furou. Nixon, em boa jogada pela direita, cruzou rasteiro. Gabriel furou. E foi só para os cariocas, que sofreram com uma avalanche mineira a partir do décimo minuto.

Com muito espaço para atacar pelo lado esquerdo de ataque, o Galo também apostou na velocidade e aproveitou a noite ruim dos defensores rivais. Douglas Santos acertou o travessão, Carlos obrigou Paulo Victor a fazer uma defesa incrível, mas a pressão não demorou para surtir efeito. Aos 24, Dátolo cobrou escanteio, Marcelo desviou mal para trás no primeiro pau, e Luan aproveitou desatenção de Léo Moura para escorar no segundo pau. O carrasco da Copa do Brasil aprontava de novo. O Atlético-MG praticamente não saía do campo de ataque, e na nona finalização, contra nenhuma do Fla, fez 2 a 0. Diego Tardelli cobrou forte penalidade de Léo Moura em Douglas Santos.

Sem fazer força, Galo aplica goleada

Sem forças para reagir, o Flamengo voltou com Amaral no lugar de Lucas Mugni para evitar uma tragédia. Não deu certo. Solto, o Galo era envolvente no campo de ataque e chegava com facilidade ao gol de Paulo Victor. O goleiro, coitado, tentava se virar de todas as maneiras, mas tudo tem limite. Carlos aproveitou cruzamento da direita para fazer o terceiro na pequena área e teve o gol mal anulado. A esta altura, o torcida já gritava “Olé” no Horto diante de um rival atordoado. Não restava dúvidas: o terceiro gol era questão de tempo.

Inseparáveis fora de campo, Luan e Dátolo reafirmaram a grande fase que vivem na reta final de temporada. O argentino cruzou da esquerda, e o carrasco rubro-negro escorou livre para colocar 3 a 0 no placar, aos 17. Dez minutos depois, o quarto. Cérebro atleticano, Dátolo tabelou com Dodô e deixou o garoto na frente de PV. Chute forte, por baixo das pernas do goleiro, e goleada consolidada. Duas semanas de depois do 4 a 1 da Copa do Brasil, o Galo voltou a dar um baile no Flamengo. A trilha sonora foi a mesma: “Eliminado! Eliminado! Eliminado”.

 

Globoesporte.com

Com reservas, galo vence, volta ao G-4 e deixa verdão em alerta

atleticoNo último jogo do Palmeiras como mandante no Pacaembu, antes da inauguração de sua nova Arena, quem fez a festa foi o Atlético-MG. Ou melhor: o time reserva do Atlético-MG. Priorizando a final da Copa do Brasil, o técnico Levir Culpi poupou seus titulares e mandou a campo uma equipe que mesclava jogadores experientes, como Pierre e Leandro Donizte, com alguns bons garotos formados na base do Galo, como Dodô e Marion. Deu certo.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Sólido na defesa e letal nas bolas paradas e contra-ataques, o Atlético-MG venceu o Palmeiras por 2 a 0, chegou a 57 pontos e chegou à terceira colocação. Não há como sair do G-4 nesta rodada, já que só poderá ser ultrapassado por Grêmio ou Inter, que se enfrentam. O Verdão, que havia aberto cinco pontos do Z-4, pode ver essa distância cair para apenas dois neste domingo, caso o duelo catarinense entre Figueirense e Chapecoense termine empatado, e o Vitória vença o São Paulo em Salvador.

O público pagante na despedida do Palmeiras do Pacaembu foi de 24.368 pessoas (26.630 no total), com renda de R$ 602.520. O time alviverde saiu vaiado de campo.

Na quarta-feira, o Atlético-MG inicia a decisão da Copa do Brasil contra o Cruzeiro, no Independência. Pelo Brasileirão, recebe o Figueirense, domingo, também no Horto. Já o Palmeiras, no mesmo dia, faz o clássico Choque-Rei contra o São Paulo, no Morumbi.

Pedro Botelho e Valdivia, Palmeiras x Atlético-mg (Foto: Marcos Bezerra / Agência Estado)Pedro Botelho e Valdivia, em lance de Palmeiras x Atlético-MG (Foto: Marcos Bezerra / Agência Estado)

O jogo

O Palmeiras teve a semana inteira para treinar para este jogo e, entre seus principais jogadores, só não tinha o zagueiro Lúcio (com uma virose) e o volante Wesley (suspenso). Mesmo assim, parecia um catadão em campo, sem entrosamento. Valdivia, muito bem marcado, era o único que conseguia produzir algo de útil. Na melhor oportunidade, deixou Henrique na cara do gol, logo aos oito – o atacante driblou Victor, mas falhou na finalização. Com seu time reserva, o Atlético-MG, com quatro volantes, apostava nos contra-ataques e nos lances de bola parada. Dodô teve duas chances em cobranças de falta – na primeira, mandou direto para o gol e viu Prass fazer bela defesa; na segunda, cruzou na medida para o zagueiro Tiago marcar de cabeça. Festa do Galo B e apreensão dos palmeirenses no Pacaembu, que vaiaram o time na saída para o intervalo.

No segundo tempo, Dorival voltou com Diogo e Mouche nos lugares de Allione e Mazinho, e o Palmeiras ensaiou uma pressão. Chegou a ter 58% da posse de bola e jogar inteiro no campo de ataque. Valdivia continuou sendo o mais lúcido. Faltava a ele uma boa companhia. Ao Galo, sobravam força defensiva e velocidade nos contra-ataques. Foi num lance assim que o time mineiro matou o jogo, com Dodô. O garoto de 20 anos iniciou a jogada e chegou na frente para concluir com estilo, dando um drible desmoralizante no volante Renato.

 

Globoesporte.com

Galo goleia Timão, se classifica e transforma Mineirão em salão de baile

guerreiroNão se pode duvidar jamais da força do Atlético-MG e do Mineirão lotado. Empurrado por sua massa fanática, o Galo foi histórico: começou o jogo contra o Corinthians, nesta quarta-feira, precisando vencer por três gols de diferença para avançar às semifinais da Copa do Brasil, já que o Timão fez 2 a 0 na ida, em São Paulo. Levou um gol aos quatro minutos de jogo, mas jamais desistiu. Foi forte e vingador, como diz o seu hino e, de forma espetacular, venceu por 4 a 1, assegurando a classificação. Ao fim da partida, os jogadores atleticanos imitaram a dancinha do corintiano Mano Menezes no jogo de ida. O adversário na proxima fase será o Flamengo, que eliminou o América-RN: os confrontos serão nos dias 29 de outubro e 5 de novembro.

O jogo

Amparado pelos 2 a 0 que fez no jogo de ida, o Corinthians entrou em campo relaxado, tocando bem a bola, evitando o abafa do Atlético. Com apenas quatro minutos de jogo, o Timão abriu o placar, com Guerrero tirando proveito do vacilo de Jemerson. Deu a impressão de que o restante do jogo seria mera formalidade, já que o Galo precisaria agora marcar quatro gols para avançar. Era uma vantagem muito grande para o time paulista.

Os mineiros, porém, não se deram por vencidos, foram em busca da reação e desandaram a fazer gols. Luan, aos 23, e Guilherme, aos 31, colocaram a equipe da casa na frente. Faltavam mais dois, que Cássio insistia em não deixar passar. O goleiro corintiano fez boas defesas e conseguiu manter seu time na semifinal ao fim do primeiro tempo.

O Atlético voltou ao segundo tempo bem adiantado, com sua linha de meio-campo próxima à área corintiana. O chute de Carlos que explodiu na trave, aos 15 minutos, acabou sendo um prenúncio do que estava por vir. O Mineirão respirou fundo. Ao Corinthians, restava o contra-ataque. À medida que o jogo avançava, a equipe de Mano Menezes ia ganhando mais espaço para explorar. Mas quando parecia que o Timão começava a controlar o ímpeto do Galo, Guilherme marcou o terceiro e incendiou a disputa.

Imediatamente, o treinador corintiano colocou Elias e Danilo em campo, nos lugares de Guilherme Andrade e Renato Augusto, respectivamente. A intenção era segurar a bola no meio e tentar apagar o fogo dos mineiros. Em seu primeiro lance, Danilo quase fez os corações atleticanos pararem em chute colocado que obrigou Victor a fazer grande defesa.

Dois gols. Não parecia muito, dado o volume de jogo do Galo, que voltou à carga passado o susto do chute de Danilo. Não foi na base do abafa, mas de forma consciente, tocando a bola e envolvendo o Corinthians. Guilherme marcou o terceiro, aos 29, num chute colocado, após tabela na entrada da área. Torcedores mineiros se abraçavam. Alguns já choravam. Faltava um. Um golzinho… Não seria impossível.

Não foi! Aos 41, o golpe fatal: Edcarlos, de cabeça, fez explodir o Mineirão. Os minutos finais foram de festa para os mineiros, já que o Corinthians se abateu de tal forma que não conseguiu mais ameaçar o gol de Victor. O apito final transformou o gramado em um salão de baile, com os jogadores do Atlético imitando a dancinha de Mano Menezes no primeiro jogo.

 

Globoesporte.com

Galo vence, sonha com taça, e São Paulo perde chance de colar no líder

são pauloOs olhos estavam no campo do Independência, e os ouvidos, no que vinha do Maracanã, no Rio de Janeiro. Atlético-MG e São Paulo se enfrentaram em Belo Horizonte, neste domingo, ligados no que acontecia na partida entre Flamengo e Cruzeiro, não só pela rivalidade – no caso do Galo -, mas principalmente para projetar o que ainda podiam esperar no campeonato. Alegria em dobro para os atleticanos, que bateram os paulistas por 1 a 0 e celebraram a derrota cruzeirense, por 3 a 0, resultados que fazem o time de Levir Culpi sonhar com a possibilidade de um título – são nove pontos de distância para a ponta.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O revés não muda a situação do São Paulo, que continua a sete pontos da liderança. Mas faz a equipe lamentar mais uma oportunidade perdida de encostar na Raposa e freia a sua recuperação, após vitórias nos dois últimos confrontos – que sucederam um jejum de quatro jogos sem ganhar.

Se o título ainda é um sonho, as duas equipes mantêm a disputa por uma das vagas para a Libertadores de 2015. Com a vitória, o Galo retomou a quarta posição, com 47 pontos, e o São Paulo caiu para a terceira colocação, com 49, atrás também do Internacional, que bateu o Fluminense em casa, por 2 a 1.

Os times agora deixam o Brasileiro de lado para se concentrarem em outras competições. O São Paulo vai ao Chile, onde, na quarta, às 19h30, enfrenta o Huachipato pelas quartas de final da Copa Sul-Americana – tem vantagem por ter vencido a partida de ida, em casa, por 1 a 0. No mesmo dia, o Galo terá de virar o duelo de 180 minutos contra o Corinthians, pela quartas de final da Copa do Brasil. O time perdeu a ida, em São paulo, por 2 a 0. A decisão será no Mineirão, às 22h.

Luan gol Atlético-MG x São Paulo (Foto: Getty Images)Luan comemora o gol que recoloca o Atlético-MG no G-4 do Brasileiro (Foto: Getty Images)

O jogo

A lista de desfalques das duas equipes era grande: Kaká, Souza, Tardelli e o uruguaio Alvaro Pereira estavam com suas seleções; Ganso e Paulo Miranda cumpriam suspensão; entre os lesionados, Guilherme, Réver, Rafael Toloi, entre outros. Levir Culpi ainda perdeu Jô, que faltou aos últimos treinos do time, às vésperas do duelo, e foi afastado.

Com tantos problemas, Atlético-MG e São Paulo iniciaram a partida de forma morna, com pouca criatividade e muita marcação nas intermediárias. Pato teve uma chance de abrir o placar logo no início, mas Victor fez grande defesa. Os donos da casa sofriam com a pouca produção do meio e com a dificuldade dos atacantes.

A primeira etapa se arrastou quase sem emoção até a parte final, quando chutes de longa distância de Dátolo e Michel Bastos fizeram os goleiros trabalharem – Rogério Ceni e Victor rebateram bolas complicadas, mas as sobras não foram aproveitadas.

Os anfitriões voltaram do intervalo mais acesos – ainda que a primeira boa chance tenha sido de Alan Kardec, desperdiçada. André teve a oportunidade de finalmente abrir o placar quando recebeu sozinho na área, mas escolheu tentar de puxeta e furou. A pressão, porém, continuou.

Ela só teve efeito aos 26 minutos, em boa jogada de Alex Silva, que encontrou Luan em ótima posição. Sozinho, o atacante teve calma para tocar no canto de Rogério Ceni, definindo o placar. No fim, o São Paulo esboçou reagir, mas parou na defesa rival.

 

Globoesporte.com

Em noite de Guerrero “fenômeno”, Timão vence o Galo na Copa do Brasil

Uma noite fenomenal para Paolo Guerrero nesta quarta-feira. Na Arena do Timão, em Itaquera, o peruano marcou o primeiro gol da vitória do Corinthians por 2 a 0 sobre o Atlético-MG, pelas quartas de final da Copa do Brasil. A cabeçada sem chances para Victor, no primeiro tempo, além de deixar os paulistas em vantagem no mata mata da competição nacional, colocou o atacante ainda mais na história do clube.

Herói do título mundial em 2012, Guerrero atingiu nesta quarta-feira a marca de 36 gols com a camisa corintiana, deixando para trás um grande ídolo da Fiel: Ronaldo Fenômeno, que balançou as redes 35 vezes em 69 partidas pelo Timão. E ainda teve tempo para o peruano dar assistência para Luciano, depois de empurrar um marcador, fechar o placar.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Rivais diretos no Brasileirão por uma vaga no G-4, Timão e Galo abriram nesta quarta-feira uma briga paralela por uma vaga na Taça Libertadores da América do ano que vem. Enquanto os mineiros levam levam a melhor no Brasileirão, os paulistas conseguiram vantagem para o jogo de volta na Copa do Brasil – os corintianos vão a Belo Horizonte podendo perder por um gol.

Corinthians e Atlético-MG voltam a duelar por uma vaga nas semifinais do mata mata no dia 15, em confronto que será disputado no Mineirão, às 22h. Pelo Campeonato Brasileiro, as duas equipes entram em campo no próximo sábado: às 16h20, o Timão recebe o Sport, novamente na Arena, enquanto o Galo viaja para Santa Catarina para enfrentar o Criciúma, no estádio Heriberto Hulse, às 21h.

Paolo Guerrero comemora gol do Corinthians contra o Atlético-mg (Foto: Marcos Ribolli)Guerrero comemora com Renato Augusto o gol do Corinthians no primeiro tempo (Foto: Marcos Ribolli)

 

Guerrero Fenômeno

Com um meio de campo fortalecido com Bruno Henrique, Petros e Elias, Mano Menezes apostou na atuação de Renato Augusto mais centralizado para fazer o Timão voltar a vencer na temporada – a equipe entrou em campo com duas derrotas consecutivas na bagagem (para Figueirense e Atlético-PR, no Brasileirão).

Mas, apesar do apoio da Fiel, quem assustou pela primeira vez foi o Atlético. Depois de jogada pela direita de Tardelli, a bola sobrou para Guilherme dentro da área. O atacante dominou e tocou na saída de Cássio, mas Gil conseguiu desviar em cima da linha para evitar o gol dos visitantes.

Principal referência do setor ofensivo corintiano, Guerrero colocou seu nome ainda mais na história do Timão aos 24 minutos. Depois de cruzamento de Renato Augusto da direita, o peruano ganhou disputa pelo alto e cabeceou com estilo para fazer 1 a 0 e deixar Ronaldo para o passado – atacante chegou aos 36 gols no clube e superou o Fenômeno, que marcou 35 vezes com a camisa alvinegra.

Mano Menezes e Luciano, Corinthians X Atlético-mg (Foto: Marcos Ribolli)Luciano e Mano Menezes comemoram o segundo gol do Timão contra o Galo  (Foto: Marcos Ribolli)

 

Atlético erra, e Corinthians aproveita para ampliar

Em vantagem, o Corinthians voltou com uma postura mais cautelosa para a segunda etapa. A ideia dos mandantes era clara: conter a empolgação dos visitantes e apostar nos contra-ataques. Com mais qualidade na frente, o Atlético-MG procurou pressionar a saída de bola e avançar a marcação, mas esbarrou nos erros de passe do seu setor de criação.

Pela direita, Marcos Rocha arrancou em jogada individual e deixou Diego Tardelli na cara do gol, aos 23 minutos. Goleador, o atacante vacilou na finalização e mandou por cima, desperdiçando grande oportunidade. Mas a melhor chance de empate aconteceu dez minutos depois. Após ótimo lançamento de Guilherme, Dátolo apareceu nas costas da defesa corintiana e completou de primeira. Cássio pulou no canto esquerdo e não achou nada, mas acompanhou de perto a bola tocar a trave e sair.

Quando o Atlético-MG começava a pressionar mais, o Corinthians definiu sua vitória em uma bobeada de Victor. Após cobrança de falta de Bruno Henrique, Guerrero ganhou disputa com o goleiro do Galo pelo alto e desviou para o meio da grande área, onde Luciano, sozinho e após empurrão no adversário, só teve trabalho de completar para o gol e fechar a vitória paulista em 2 a 0.

 

Globoesporte.com

Galo da Madrugada reverencia paraibano Ariano Suassuna e anima multidão no Recife

arianoOs foliões começaram a chegar timidamente ao Centro do Recife por volta das 6h deste sábado (1°) para buscar o melhor local e acompanhar o Galo da Madrugada. O tradicional café da manhã reuniu autoridades e, às 9h, a explosão de fogos de artifício indicou o início do desfile. O céu nublado logo deu espaço ao sol forte, iluminando pessoas vestidas com fantasias criativas e mostrando que nada afasta os súditos da majestade do carnaval da capital pernambucana.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Muita gente apostou em fantasias com referências à obra do cantor Reginaldo Rossi, que morreu vítima de um câncer no pulmão, no fim do ano passado. Teve um grupo com homens vestidos de raposa e mulheres de uva, lembrando uma das músicas mais famosas do Rei do Brega, “A Raposa e as Uvas”. O empresário Luciano Gadelha se transformou em garçom, servindo a nova cerveja “reiveja”. Viúvas do cantor também foram curar o luto no carnaval do Recife.

O homenageado da agremiação, o dramaturgo Ariano Suassuna, também serviu de inspiração para os foliões. A escriturária Ana Belo, o marido Mariano e a amiga Jocilene viraram livros famosos do escritor, “O Casamento Suspeitoso”, “O Auto da Compadecida” e “O Santo e a Porca”. “Gostamos de chamar a atenção e virar uma atração no Galo, sempre fazemos fantasias pensando na homenagem do bloco”, explicou.

'A raposa e as uvas', um clássico do Rei Reginaldo Rossi, foi o mote para esta fantasia (Foto: Débora Soares / G1)‘A Raposa e as Uvas’, um clássico de Reginaldo Rossi, foi o mote para a fantasia desse grupo (Foto: Débora Soares / G1)

Outras pessoas aproveitaram a festa para mandar mensagens pelo fim da violência, como a engenheira Conceição Anghinoni. Ela usou o bom humor para pedir paz com a fantasia “bala perdida”, um vestido sujo de sangue com bombons pendurados. “As balas perdidas estão tirando vidas, e os políticos não fazem nada. Se forem atirar bala, que sejam doces”, disse. Já o comerciante Naildo Barbosa chamou atenção dos motoristas, levando um caixão ao desfile. “Se beber, não dirija, se não você vai parar aqui dentro”, alertou.

Se o jornalista Flaviano Mendes preferiu formar um bloco sozinho, “o gato pingado”, outros foliões fizeram questão de sair em grupo, com fantasias todas iguais. O G1 encontrou esquimós “Alaskados”, corujas, espantalhos, egípcios, policiais, marinheiros, entre outros. O destaque ficou para o tema da Copa do Mundo, com muita gente vestindo verde e amarelo, lembrando ainda o mascote do Mundial, Fuleco.

No começo da Avenida Dantas Barreto, entre o camarote da Globo e a Igreja de Santo Antônio, a temperatura era alta. No trio comandado por Adriana BB, acompanhada do Maestro Lima, não havia motivo para os foliões ficarem parados. Milhares de Reginaldos Rossi, vampiros, palhaços e foliões vestidos de si mesmos tiravam “selfies” em meio à música.

A família Martins brincou junta pela primeira vez no Galo. Hugo Leonardo, pai de Mateus, já tinha vindo algumas vezes e, além do filho, trouxe a esposa Rose, que está grávida de cinco meses. “Esse ano ainda não sei do percurso do Galo, mas sempre brinquei, é muito bom trazer a família”, disse Hugo.

Galo reina e arrasta multidão de súditos no Centro do Recife (Foto: Bia Ribeiro / TV Globo)Galo reina e empolga multidão de súditos no Centro do Recife (Foto: Bia Ribeiro / TV Globo)

Famosos
Muitos famosos passaram pelo camarote oficial do Galo, na Rua Imperial, como os atores Marcelo Serrado e Bruno Garcia. Quem sabia cantar, aproveitou para dar uma canja na hora que os trios passavam. Assim China, Lula Queiroga e Silvério Pessoa cantaram com a paulista Bruna Karam. O carioca Sérgio Loroza fez participação com André Rio e Fafá de Belém e Maria Gadú fez dueto com Gaby Amarantos.

Os convidados que acompanharam o desfile do Galo da Madrugada do camarote da Globo Nordeste tiveram uma visão diferenciada da festa. Instalado na Avenida Dantas Barreto, o espaço tinha um dos ambientes refrigerado, serviços de drinks e buffet e shows privados, além de um balcão que permitia acompanhar bem de perto a passagem dos trios elétricos.

Pelo local, passaram centenas de pessoas, incluindo autoridades, artistas e celebridades. O governador Eduardo Campos veio acompanhado de Paulo Câmara, secretário da Fazenda, que teve a candidatura lançada pelo PSB ao governo de Pernambuco. As camisas dos dois faziam referências aos projetos políticos que pretendem abraçar: o primeiro, usava um tecido estampado com bandeiras do Brasil. O segundo, vestia bandeiras de Pernambuco.

Entre os atores que foram ao camarote estavam Carlos Casagrande, Nando Cunha e Larissa Bracher. O ex-BBB Rodrigo Lima também foi, assim como a globeleza Nayara Justino. Os compositores Nando Cordel, pernambucano, e Paulinho Moska, carioca, aproveitaram a oportunidade para trocar figurinhas.

Bebês por toda parte (Foto: Luka Santos/G1)Bebê fantasiado de Homem-Aranha é levantado pelo pai durante o desfile (Foto: Luka Santos/G1)

G1