Arquivo da tag: Fotógrafo

Fotógrafo morre afogado na praia de Coqueirinho, na PB

Um homem morreu afogado na tarde desta terça-feira (14) na praia de Coqueirinho, no Conde, localizado no Litoral Sul da Paraíba. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, a vítima estava no local com a família quando o acidente aconteceu.

O homem chegou a ser socorrido, mas teve uma parada cardiorrespiratória. Ele não resistiu e morreu ainda na praia.

O corpo da vítima foi encaminhado para o Núcleo de Medicina e Odontologia Legal de João Pessoa.

G1

 

Nanda Costa posa nua em clique de fotógrafo das celebridades

Loiríssima para “Pega pega”, novela que estreia nesta terça-feira na Globo, Nanda Costa fez um novo ensaio nua. Desta vez, para as lentes do renomado fotógrafo das celebridades, Jorge Bisbo. Foi ele, aliás, quem compartilhou um registro em seu Instagram nesta segunda-feira. Uau, Nanda!

A atriz de 30 anos já posou nua para a edição de anivesário de revista “Playboy” em agosto de 2013.

Em março, ela fez um ensaio de lingerie para o mesmo fotógrafo e deixou parte dos seios à mostra.

Uau! Atriz mostra seios em ensaio de lingerie
Uau! Atriz mostra seios em ensaio de lingerie Foto: Jorge Bispo
Uau! Atriz mostra uma parte dos seios
Uau! Atriz mostra uma parte dos seios Foto: Jorge Bispo
Sexy! Nanda Costa faz ensaio de topless
Sexy! Nanda Costa faz ensaio de topless Foto: Jorge Bispo
Atriz postou fotos dos bastidores
Atriz postou fotos dos bastidores Foto: Reproodução/Instagram
Nanda Costa posou em agosto de 2013
Nanda Costa posou em agosto de 2013 Foto: Divulgação
Nanda Costa na 'Playboy'

 

Extra

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Filha do ex-jogador Edmundo faz fotos sensuais para o namorado fotógrafo

Foto: Reprodução / Instagram
Foto: Reprodução / Instagram

Apelidada carinhosamente de Edmundinha pela família, Ana Carolina Sorrentino cresceu. E muito! A filha ex-atacante Edmundo, de 20 anos, fez fotos sensuais para o namorado Caio Novas Lins, que é fotógrafo e fez um ensaio com algumas mulheres para mostrar o lado sexy delas, inclusive o da filha do Animal. A jovem compartilhou uma foto nas redes sociais em que aparece de costas vestida apenas com uma saia.

Em outra imagem publicada pelo namorado, Ana Carolina está de perfil. Já na terceira foto, a filha de Edmundo está com os pés em cima de asas de anjo.

“Sobre ser cobaia do namorado”, afirmou a garota ao postar a sua foto no Instagram.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Ana Carolina Sorrentino, filha do ex-jogador Edmundo, faz fotos sensuais para o namorado fotógrafo
Ana Carolina Sorrentino, filha do ex-jogador Edmundo, faz fotos sensuais para o namorado fotógrafo Foto: Reprodução / Instagram
Ana Carolina Sorrentino, filha do ex-jogador Edmundo, faz fotos sensuais para o namorado fotógrafo
Ana Carolina Sorrentino, filha do ex-jogador Edmundo, faz fotos sensuais para o namorado fotógrafo Foto: Instagram / Reprodução
Ana Carolina Sorrentino é filha do ex-jogador Edmundo

 

Extra

Miss Bumbum vira coelhinha dois dias após mostrar dedo para fotógrafo

missIndianara Carvalho parece ter se acalmado depois de ter sido flagrada fazendo topless em um local pouco comum para os paparazzi: a praia do Guarujá, em São Paulo. Apenas dois dias depois do flagra, a Miss Bumbum Brasil apareceu em uma atitude bem menos irritada e fez uma pintura corporal para virar uma coelhinha de Páscoa.

A versão sexy do personagem foi criada pelo artista plástico Victor Nogueira na tarde desta quinta-feira, 2, em São Paulo. “Estou me sentindo muito sexy e desejada nesta fase da minha vida”, contou a Miss Bumbum que confessa amar chocolate, mas diz que não vai exagerar nesta Páscoa.

Recentemente, Indianara Carvalho causou polêmica ao posar para foto enrolada em uma bandeira do Brasil. Ao EGO, ela se defendeu: “Tirei a foto sem segundas intenções. Na verdade, eu coloquei a bandeira no meu corpo devido ao contrastes das cores! Simples assim. Achei uma foto linda e postei. Não esperava receber tantas criticas, as pessoas acharam que eu faltei com respeito a bandeira. Eu jamais faria tamanha hostilidade.”

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Indianara Carvalho (Foto: Marcelo Brammer / AgNews | Divulgação)Indianara Carvalho (Foto: Marcelo Brammer / AgNews | Divulgação)
Indianara Carvalho (Foto: divulgação)Indianara Carvalho (Foto: divulgação)
Indianara Carvalho (Foto: divulgação)Indianara Carvalho (Foto: divulgação)
Indianara Carvalho (Foto: divulgação)Indianara Carvalho (Foto: divulgação)
Indianara Carvalho (Foto: divulgação)Indianara Carvalho (Foto: divulgação)
Indianara Carvalho (Foto: divulgação)Indianara Carvalho (Foto: divulgação)
Indianara Carvalho (Foto: divulgação)Indianara Carvalho (Foto: divulgação)
Indianara Carvalho (Foto: divulgação)Indianara Carvalho (Foto: divulgação)
Indianara Carvalho (Foto: divulgação)Indianara Carvalho (Foto: divulgação)
Indianara Carvalho (Foto: divulgação)Indianara Carvalho (Foto: divulgação)
EGO

PRF/PB prende em Mamanguape fotógrafo pernambucano acusado de estuprar menor

policia federalUm homem acusado de estupro foi preso na manhã de hoje (20) por agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), na BR 101, em Mamanguape, durante ação de fiscalização de rotina.

O fotógrafo pernambucano de 46 anos viajava embarcado em um ônibus da empresa Progresso que fazia a linha Recife/Natal, quando foi abordado pelos PRFs. Os policiais descobriram um mandado de prisão em aberto contra ele pelo crime de estupro de vulnerável, expedido pela 2ª Vara Criminal de Campina Grande no último de 7 de agosto do mês em curso.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O detido foi encaminhado para a delegacia de Polícia Civil de Mamanguape.

O crime de estupro de vulnerável se caracteriza quando a vítima tem idade abaixo de 14 anos. Outra característica relevante é que, mesmo que o ato sexual seja consentido, é considerado estupro, pois, mesmo que não haja violência, o que importa é que a vítima não tem a capacidade de discernir ou resistir.

A pena para este crime varia de 8 a 15 anos de reclusão.

Redação com Assessoria

Fotógrafo emociona e choca ao clicar mulheres pós câncer de mama

 

David Jay, é um renomado fotógrafo de moda acostumado a fotografar as mais belas mulheres do mundo. Há três anos atrás, uma de sua melhores amigas, com apenas 29 anos, foi diagnosticada com câncer de mama. Jay acompanhou de perto a luta de sua amiga para vencer a doença e desde então, fotografou mais de 100 jovens mulheres sobreviventes dessa mesma enfermidade.

 

David Jay

Câncer de mamaProjeto “SCAR” (Survivor Cancer) retrata a difícil batalha de mulheres que resistiram a essa implacável doença e seguiram suas vidas adiante

O projeto intitulado, “SCAR” (Survivor Cancer), retrata cruelmente a difícil batalha dessas mulheres que resistiram a essa implacável doença e seguiram suas vidas adiante.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

As imagens são fortes. As cicatrizes deixadas pelas operações sofridas para as retiradas das mamas, marcaram mais que a pele dessas mulheres, porém, esses não foram motivos suficientes para que deixassem se despir e mostrassem ao mundo a importância de se aumentar a consciência de todos, sobre os exames médicos preventivos.

O ensaio foi dedicado as mais de 10 mil mulheres, entre 18 e 40 anos, que sofreram dessa doença no ano de 2011. Confira algumas imagens abaixo:

Fonte: Revista Fotomania

Ditadura: fotógrafo reafirma montagem da cena de ‘suicídio’ de Herzog

Foto: RenattodSousa/Câmara Municipal de São Paulo
Foto: RenattodSousa/Câmara Municipal de São Paulo

“O que trago na memória é um muro alto, portão alto de ferro e um lugar escuro e de acesso fácil.” O fotógrafo Silvaldo Leung Vieira, ex-funcionário da Polícia Civil de São Paulo, relembra com essas palavras a imagem que guardou do prédio do DOI-Codi no dia em que fez a conhecida fotografia do jornalista Vladimir Herzog morto em sua cela, no dia 25 de outubro de 1975. Ele veio de Los Angeles (EUA) a convite da Comissão da Verdade da Câmara Municipal de São Paulo, onde mora desde 1979, para visitar e fazer o reconhecimento do local em que hoje funciona o 36º Distrito Policial, no bairro do Paraíso, zona sul de São Paulo. Sobre como se sentia ao voltar ao local, olha em torno e diz: “Era um lugar mais escuro”.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Segundo a versão policial na época, Herzog havia se suicidado. Mas, como ficou comprovado, ele foi assassinado um dia após se apresentar espontaneamente ao DOI-Codi, depois de ser procurado por agentes.

O fotógrafo Vieira, que na época tinha 22 anos, disse que percebeu haver algo estranho no momento em que fez a foto. Principalmente porque o corpo de Herzog estava numa posição estranha, segundo ele, para alguém que havia se suicidado, com a perna dobrada. “Num suicídio normalmente a pessoa salta de uma cadeira, ela fica pendurada, e não era aquilo que eu via”, lembra. “Foi clara (a montagem da cena) para mim. E também toda a blindagem em volta. Normalmente você vai num local e encontra PMs, carro de cadáver, você circula no local, procura coisas no chão, tenta fazer um croqui.”

Ser levado ao local praticamente sem saber para onde estava indo foi outro elemento que lhe causou “quase a certeza que aquele era um caso especial, um caso de homicídio”. “Eu nem sabia quem era, não sabia o nome. No decorrer é que vim juntando as peças. Ninguém comentou nada, vim a saber depois, no dia seguinte. Quando fui almoçar no Crusp (Conjunto Residencial da USP) já tinha comentário formado de tudo que tinha acontecido”, conta o fotógrafo.

Ele fazia um curso de fotografia na USP. “Foi uma fatalidade para mim (ter fotografado o corpo de Herzog). Eu estava iniciando a minha vida, de 21 para 22 anos.” Segundo ele, o trabalho foi rápido. “Só recebi a ordem de fotografar, não me movimentei pela sala, não vi mais nada a não ser o cadáver. Fiz a foto da porta.” Ele diz que não houve comentários, nem antes nem depois de fotografar, que pudessem suscitar quem era a vítima.

“Eu estava muito tenso, muito nervoso, e foi um choque para mim a forma com que eu cheguei aqui. Eu achava que ia ser a foto de um treinamento, por eu estar na escola, e foi uma coisa ultrassigilosa.” Vieira diz que estava nervoso ao se dirigir para o local “porque era a segunda semana minha no curso, não estava preparado. Eu sabia que ia fotografar um ‘encontro de cadáver’”, explicando que esse é um “termo técnico” para designar o trabalho. Após fazer as fotos, recebeu dos agentes a orientação de não comentar nada. Ele garante que nunca militou ou fez política, nem antes nem depois da famosa foto.

O agora ex-fotógrafo, com 60 anos, não se lembra de nomes e reafirma ter pouca ou quase nenhuma lembrança de seus movimentos dentro do prédio. Segundo o vereador Gilberto Natalini (PV), presidente da Comissão da Verdade paulistana, que ficou 60 dias preso e foi torturado no mesmo prédio, o local foi reformado. “A modificação física do prédio dificultou muito a identificação dos detalhes”, diz o parlamentar. “Houve uma reforma grande, e faz 38 anos, é praticamente uma vida”, completa Vieira.

Sobre a importância de sua presença no local, o fotógrafo respondeu: “Espero que mais pessoas que saibam mais do que eu venham também, e participem. Acredito que muitos funcionários presenciaram isso, e talvez até possam citar nomes.”

Quatro anos depois, em 1979, Silvaldo Leung Vieira partiu para os Estados Unidos. Filho de um imigrante chinês que chegou ao Brasil em 1933, ele só voltou 15 anos depois, para ver a mãe. Em Los Angeles, recorreu a subempregos até conseguir uma vaga de aprendiz de joalheria. Ficou 25 anos no ramo. Atualmente, trabalha num abrigo para mulheres solteiras ou mães solteiras de até duas crianças em uma organização patrocinada pela igreja católica. “Dou instrução em Microsoft Office, ensino às pessoas como resumir um currículo.” Mas diz que sempre amou e continua amando a fotografia.

 

por Eduardo Maretti, da RBA

Fotógrafo flagra elefanta defendendo filhotes contra hienas

Um fotógrafo captou o momento em que uma elefanta parte para cima de um um bando de hienas que estavam atacando seu filhote.

As cenas foram registradas pelo fotógrafo americano Jayesh Mehta, 47, na região de Savuti, no Parque Nacional de Chobe, em Botsuana.

Jayesh conta como fez as imagens: “‘Ouvimos elefantes gritando em desespero. Ao deixarmos a pista e irmos para o mato, seguindo os sons, encontramos um grupo de 12 a 14 hienas perseguindo uma manada de cerca de oito elefantes.”

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A manada, de acordo com o fotógrafo, contava com duas fêmeas adultas, alguns elefantes adolescentes e um filhote de apenas alguns dias de idade.

“As hienas estavam tentando chegar até o filhote, que, à altura em que lá chegamos, já havia sido ferido.”

Jayesh Mehta/Caters
Fotógrafo flagra elefanta defendendo filhote contra hienas no parque nacional em Botsuana, na África
Fotógrafo flagra elefanta defendendo filhote contra hienas no parque nacional em Botsuana, na África

Mehta conta que o filhote estava bem próximo de sua mãe e que outros elefantes tentaram permanecer o mais perto possível do filhote.

“Eles precisavam descansar regularmente, para seguir protegendo o bebê. E, a cada ocasião, formavam um círculo em torno do filhote”, afirma.

“Durante a perseguição, as hienas continuaram a arranhar o bebê, ferindo-o até seriamente, especialmente no seu traseiro”, relata.

O fotógrafo se disse impressionado em ver como as hienas vinham de todos os lados, de modo a irritar os elefantes maiores e distraí-los.

O embate entre os elefantes e as hienas durou cerca de uma hora. Depois de muita perseguição, os elefantes acabaram conseguindo escapar.

”Foi provavelmente uma das mais empolgantes experiências (que já vivi), à qual as fotos não são capazes de fazer justiça”, disse o fotógrafo.

 

 

BBC BRASIL

Cinco meses após matar ex-mulher professora universitária, fotógrafo Gilberto Stucker continua foragido da Justiça

Cinco meses após estrangular e matar a ex-esposa, Briggida Pereira dos Santos, o fotógrafo Gilberto Lyra Stucker Neto continua foragido da Justiça da Paraíba. A informação foi confirmada na tarde desta terça-feira (20), pela delegada da Polícia Civil, Júlia Walesca de Sá. Contra o acusado, foi expedido um mandado de prisão que segue em aberto até que ele seja encontrado e detido pela polícia para responder ao processo judicial.

De acordo com a delegada que acompanha o caso, Júlia Walesca, cinco meses após o crime, não há pistas da localização de Gilberto Stucker. “Não temos noção do paradeiro deste cidadão”, revelou a autoridade policial. Júlia Waleska disse ainda, que é remota a possibilidade do fotógrafo estar escondido na Paraíba: “Esta hipótese está descartada”, completou ela.

Briggida tinha 28 anos quando foi assassinada em seu apartamento no Bairro dos Bancários em João Pessoa, no dia 20 de junho deste ano. Logo após o crime, a mãe da vítima informou à polícia que recebeu um telefonema de Gilberto relatando que teria “feito uma besteira”.

A professora havia comentado com a família que estava com receio de ficar sozinha em casa e momentos antes de ser morta, ela teria pedido a uma vizinha para acompanhá-la em seu apartamento, no entanto, a amiga tinha uma consulta médica e não pode fazer companhia a Briggida.

O laudo do Instituto de Polícia Cientifica (IPC) detectou vestígios da pele do acusado, nas unhas da vítima, revelando assim, indícios de que ela teria lutado contra o acusado antes de ser assassinada. Desde que cometeu o assassinato da ex-mulher, Gilberto fugiu e nunca mais foi visto. Dias após a morte da professora, o fotógrafo teria sido visto na cidade Belém, no Estado do Pará, no entanto, esta informação nunca foi confirmada pelas autoridades policiais.

Pollyana Sorrentino

Fotógrafo publica imagem de Dilma durante interrogatório em 1972

 

O fotógrafo Fernando Rabelo publicou em sua página pessoal do Facebook, nesta quarta-feira (20), uma imagem do Arquivo Municipal de Juiz de Fora, que mostra a presidenta Dilma Rousseff e alguns de seus companheiros durante um interrogatório na 4ªRM MG, em 1972.

Dilma em JFFoto inédita mostra Dilma durante um interrogatório em Juiz de Fora, em 1972

No texto que acompanha a imagem, o fotografo explica em 1972 Dilma ficou encarcerada por dois meses em Juiz de Fora. Segundo ele, em 2011, o fotógrafo Aelson Foto Faria Amaral, que pesquisava o acervo fotográfico do Diário Mercantil no Arquivo Municipal de Juiz de Fora, localizou essa fotografia inédita (autor desconhecido).

Na foto aparecem Marco Rocha, José Raimundo Jardim Alves Pinto, Guido de Souza Rocha, Ageu Heringer Lisboa, o atual ministro Fernando Pimentel, Gilberto Vasconcelos e Dilma Rousseff. Em outubro de 2001, nove anos antes de ser eleita presidente, Dilma Rousseff revelou em depoimento ao Conselho dos Direitos Humanos de Minas Gerais, que sofreu torturas em Juiz de Fora. Ao todo, Dilma ficou presa durante três anos em prisões no Rio e São Paulo.

Vermelho.org