Arquivo da tag: Figueirense

Figueirense empata no fim e mantém Corinthians em jejum e fora do G-6

corintiansO Corinthians parecia ter a vitória encaminhada na noite desta quarta-feira, mas o Figueirense alcançou o empate nos acréscimos com Rafael Moura, em impedimento. Com o placar de 1 a 1 no Orlando Scarpelli, a equipe corintiana continua fora do grupo de acesso à Copa Libertadores. Camacho, no primeiro tempo, havia aberto o marcador.

Agora com 51 pontos, o Corinthians, que entraria no G-6 com a vitória, segue na sétima posição e já não vence há um mês. O Figueirense, com possibilidades remotas de rebaixamento, terá chances de permanência, pelo menos, até a rodada do fim de semana. Com 35 pontos, um deles conquistado graças ao gol de Rafael Moura, está a cinco do Vitória, o primeiro acima da zona de descenso.

Rafael Moura joga um banho de água fria sobre os corintianos

Um gol nos acréscimos, por meio de bola parada, permitiu ao Figueirense alcançar o empate com a vitória pessoal de Rafael Moura sobre Pedro Henrique pelo alto em impedimento. O centroavante, campeão brasileiro pelo Corinthians em 2005, já havia marcado anteriormente, também impedido.

Camacho joga mais à frente e marca para o Corinthians

Não foi um dia de grande inspiração para os corintianos, mas o meia ex-Audax criou, quase sozinho, o lance do único gol corintiano. Passou pela marcação do Figueirense e acertou bonito chute – Gatito Fernández não pulou bem na bola e deixou passar. Foi o primeiro gol de Camacho com a camisa do Corinthians.

O melhor: Rodriguinho

Com a braçadeira de capitão, mostrou novamente por que é um dos poucos destaques do ano. Chamou a responsabilidade, criou ótimas situações e foi o diferencial corintiano em campo.

O pior: Marquinhos Gabriel

Foi a terceira partida consecutiva ruim do jogador de quem se espera muito mais. Errou domínio, tropeçou e pouco criou. Seja pela direita ou pela esquerda.

Figueirense ganha sobrevida com empate e decide a vida no domingo

Se as chances de rebaixamento do Figueira eram de 98% até o começo da rodada, agora a permanência passa a ser um objetivo mais que remoto, mas houve uma sobrevida por conta do empate. Assim, o jogo de domingo é mais do que decisivo, pois marca visita ao Vitória no Barradão. Trata-se justamente do principal rival pela permanência.

Léo Santos estreia bem; Pedro Henrique volta a ser batido em gol

A defesa que teve as presenças de Walter, recuperado de lesão, e Fagner, que voltou às pressas da seleção, teve também atuação segura de Léo Santos, 17 anos e estreante da noite. Já o companheiro Pedro Henrique voltou a ser superado em um gol sofrido pelo Corinthians – foi assim, recentemente, contra Chapecoense e Cruzeiro. Ele perdeu no alto para Rafael Moura, que estava impedido em poucos centímetros.

Corinthians progride pouco após mais 9 dias de treinamento com Oswaldo 

A mudança no posicionamento de Camacho foi uma escolha pessoal do treinador e se mostrou decisiva para o gol corintiano. Giovanni Augusto, Lucca e Marquinhos Gabriel, porém, os homens mais avançados, voltaram a jogar mal. O desempenho ofensivo como um todo, aliás, foi o ponto baixo da equipe. No que diz respeito à defesa, o comportamento era positivo até o gol anotado por Rafael Moura.

Marquinhos Santos manda o time ao ataque e é premiado

Contratado na reta final do ano, com o rebaixamento quase encaminhado, Marquinhos tentou uma equipe mais ofensiva no início e durante o jogo e acabou premiado. Foram três modificações ofensivas, com Everton Santos, Matheusinho e Yago, até o gol de Rafael Moura.

 

Oswaldo ganha pelo menos três problemas para duelo com o Internacional

O meia Rodriguinho e o atacante Lucca receberam o terceiro cartão amarelo e não participarão do jogo de segunda-feira, em Itaquera. Giovanni Augusto, por sua vez, foi expulso nos acréscimos. Além deles, o volante Willians sentiu problemas musculares e pode ser problema. Por outro lado, devem retornar Guilherme, Balbuena, Vílson e Romero. Uendel é dúvida.

FIGUEIRENSE 1 x 1 CORINTHIANS

Data e hora: 16/11/2016, quarta-feira, às 21h50 (horário de Brasília)
Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC)
Arbitragem: Anderson Daronco (RS), auxiliado por Elio Nepomuceno de Andrade Jr e Jorge Eduardo Bernardi (ambos RS)
Gols: Camacho, aos 45min do primeiro tempo, e Rafael Moura,
Cartões amarelos: Ayrton, Marquinhos, Jackson Caucaia, Rodriguinho e Lucca
Cartão vermelho: Giovanni Augusto

Figueirense: Gatito Fernández; Ayrton, Marquinhos, Werley e Pará; Jackson Caucaia (Everton Santos) e Josa; Ferrugem (Yago), Elvis (Matheusinho) e Lins; Rafael Moura. Treinador: Marquinhos Santos.

Corinthians: Walter; Fagner (Léo Príncipe), Léo Santos, Pedro Henrique e Guilherme Arana; Willians; Giovanni Augusto, Camacho, Rodriguinho e Marquinhos Gabriel (Marlone); Lucca (Gustavo). Treinador: Oswaldo de Oliveira.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Em jogo com polêmicas, Palmeiras vence Figueirense e se distancia do Fla

cucaEste domingo (16) pode ser lembrado no futuro como decisivo na luta pelo título do Campeonato Brasileiro. Pela 31ª rodada, o Palmeiras venceu o Figueirense por 2 a 1 no Estádio Orlando Scarpelli e voltou a abrir quatro pontos de vantagem na liderança. Jean marcou ambos os gols alviverdes, e Rafael Silva diminuiu.

O Palmeiras encerra uma semana conturbada com uma vitória importante que garante a liderança pela 13ª rodada seguida. O Alviverde tem 64 pontos, quatro a mais que o Flamengo, mas volta as atenções à Copa do Brasil: nesta quarta-feira (19) decide com o Grêmio uma vaga nas semifinais. Já o Figueirense sofre sua terceira derrota em casa e afunda na zona de rebaixamento com 32 pontos. O compromisso seguinte dos catarinenses é contra o Atlético-MG, no domingo que vem (23).

Quem foi bem: Jean domina meio-campo e faz dois

Desta vez atuando como volante, Jean teve dia de goleador em Florianópolis. Ele converteu pênalti que abriu o placar e ainda apareceu dentro da área para fazer o segundo. Marcando bem, o camisa 17 teve presença importante para coibir a armação do Figueirense.

Quem decepcionou: Rafael Moura segue em jejum

O centroavante do Figueira amargou mais uma partida sem gols. Já são nove jogos seguidos sem balançar as redes para o He-Man. Neste domingo ele apareceu pouquíssimo, bem marcado pela defesa palmeirense. Só apareceu quando tomou cartão amarelo.

Figueirense briga muito e mostra pouco

Luiz Henrique/FFC

O início da partida foi bastante físico, o que permitiu ao Figueirense manter o equilíbrio no jogo. Mas com o tempo o time da casa sentiu a inferioridade técnica e passou a ter menos posse de bola. A única boa chance foi em falta cobrada por Ayrton e bem defendida pelo palmeirense Jailson. Na etapa final o Figueirense se lançou ao ataque após sair atrás no placar, e sofreu o segundo gol por isso. Chegou a diminuir na bola aérea, mas não teve forças de ir mais longe.

Palmeiras melhora após intervalo

Após meia hora de exagero nas faltas, o Palmeiras passou a valorizar a posse de bola e experimentar os espaços na intermediária. A equipe ganhou território, chegou a cercar a área do Figueirense e teve uma grande chance salva em cima da linha. O time voltou bem melhor no segundo tempo, criou chances seguidas de gol e abriu o placar em pênalti convertido por Jean.

Aposta de Cuca em Fabiano se mostra correta

Com Zé Roberto poupado pelo excesso de desgaste, Cuca optou por posicionar Jean no meio-campo e usar Fabiano no lado direito. A expectativa era que Moisés tivesse mais liberdade no meio-campo, além do ganho na bola aérea – Fabiano tem 1,88m de altura. O lateral criou boa chance nos acréscimos do primeiro tempo e também não comprometeu defensivamente, fazendo o simples. Pelo meio, Jean foi consistente e ainda teve a boa apresentação coroada com um gol.

Muita reclamação palmeirense e lances polêmicos

A semana foi marcada pela batalha de bastidores entre dirigentes de Palmeiras e Flamengo, tendo como assunto a arbitragem. Neste domingo o Alviverde esteve nervoso com o juiz Igor Junio Benevenuto, pressionando a cada decisão contra si. O lance de maior reclamação foi um enrosco entre Dudu e Jackson Caucaia na área do Figueirense.

O camisa 7 soltou até palavrão no intervalo. “É f…, para uns dão (pênalti), para outros não”, chegou a dizer. No segundo tempo, um choque entre Bruno Alves e Gabriel Jesus rendeu pênalti polêmico que seria convertido por Jean. Depois Egídio calçou Rafael Silva na linha da área alviverde, mas Benevenuto mandou seguir.

Ayrton salva após desvio de Jesus

Por alguns centímetros o Palmeiras não foi ao intervalo em vantagem. Um cruzamento de Fabiano passou por Gatito Fernández e foi desviado por Gabriel Jesus. A bola tomou a direção do gol lentamente até Ayrton aparecer, dominar e mandar para longe. Não foi o único lance do jogo lamentado por Jesus, que também tomou o terceiro cartão amarelo e por isso não enfrenta o Sport na rodada que vem.

Ficha Técnica

Figueirense 1 x 2 Palmeiras
Data:
16/10/2016
Local: Estádio Orlando Scarpelli, Florianópolis-SC
Hora: 17h00 (de Brasília)
Árbitro: Igor Junio Benevenuto (MG)
Assistentes: Guilherme Dias Camilo (MG) e Celso Luiz da Silva (MG)
Cartões Amarelos: Jackson Caucaia, Rafael Moura, Dodô e Nirley (Figueirense); Dudu, Gabriel Jesus e Vitor Hugo (Palmeiras)
Cartão Vermelho: não houve
Gols: Jean aos 11′ e aos 32 minutos do segundo tempo. Rafael Silva aos 35 minutos do segundo tempo

Figueirense: Gatito; Ayrton, Werley, Bruno Alves e Marquinhos Pedroso; Josa, Ferrugem, Jackson Caucaia (Lins) e Dodô (Bady); Everton Santos (Rafael Silva) e Rafael Moura. Treinador: Marquinhos Santos.

Palmeiras: Jailson; Fabiano, Mina, Vitor Hugo e Egídio; Jean, Tchê Tchê (Fabrício) e Moisés; Dudu (Thiago Santos), Róger Guedes (Allione) e Gabriel Jesus.Treinador: Cuca.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Flamengo vence o Figueirense no Pacaembu e segue na cola do Palmeiras

O Flamengo jogou pressionado contra o Figueirense, neste domingo, após o líder Palmeiras ter vencido clássico paulista um dia antes. Empurrado por mais de 28 mil torcedores no Pacaembu, o time rubro-negro apresentou grande rendimento coletivo e derrotou os catarinenses por 2 a 0, triunfo que manteve o Flamengo na cola do líder do Brasileirão.

Com este resultado, o Flamengo chegou a 50 pontos, um a menos que o Palmeiras, 1º colocado na tabela. Já o Figueirense continua na zona de rebaixamento, com 28 pontos.

Willian Arão e Diego marcaram os gols do Flamengo, que poderia ter vencido por contagem maior. O goleiro Gatito Fernández fez boas defesas, inclusive um pênalti batido por Damião

A vitória contra o Figueirense comprova o bom momento do Flamengo na temporada. O time carioca completou o sexto jogo invicto. Em campo, o Fla apresentou neste domingo equilíbrio nos setores, com poder de infiltração (sobretudo com Willian Arão) e avanços constantes pelos lados (com Jorge e Pará).

Para o duelo no Pacaembu, Flamengo e Figueirense jogaram sem seus principais homens de frente. Guerrero desfalcou o time devido a febre e sinusite, enquanto Rafael Moura se recupera de lesão.

Meio tobogã

A torcida rubro-negra não pôde lotar o tobogã. O motivo: o clube cumpre suspensão do STJD após briga entre flamenguistas e palmeirenses no 1º turno. Devido à pena dada ao Flamengo, os torcedores só puderam utilizar meio tobogã do Pacaembu.

1º tempo: Fla no ataque e Figueira recuado

GEOVANI FERNANDEZ/Estadão Conteúdo

O Flamengo foi para cima logo nos primeiros minutos de jogo. A proposta do Figueirense era nítida: recuar todo time até a intermediária e se arriscar nos contra-ataques.

Desta forma, o Flamengo permaneceu no campo ofensivo durante toda etapa inicial. Muralha foi um espectador no primeiro tempo.

O goleiro do Figueira, Gatito Fernández teve trabalho para segurar o ataque rival. Diego mandou para fora ótima chance de abrir o placar.

Aos 30 min, o juiz assinalou penalidade para o Flamengo. O lance gerou reclamação por parte dos atletas do Figueira; a bola bateu no braço de Ayrton em disputa de cabeça com Damião.

O atacante bateu no canto direito. Gatito acertou o lado, espalmando a bola.

Mas a pressão rubro-negra surtiu efeito aos 36 min do 1º tempo. Willian Arão se infiltrou na área e cabeceou no canto após lançamento preciso de Rafael Vaz. Flamengo 1 a 0.

Fla mantém pressão na etapa final e liquida o Figueira

O Flamengo continuou pressionando o Figueira na 2ª etapa. Pela direita, Pará e Everton envolviam a defesa rival. Em uma das tabelas, Damião perdeu chance incrível.

Minutos depois foi a vez de Réver chutar bola na trave. Ele estava livre e na pequena área.

Apático no ataque, o Figueira decidiu apostar na entrada de Rafael Silva, ex-Vasco.

Já o Flamengo decidiu trocar os centroavantes. Após errar pênalti e chances de gol, Damião deu lugar a Felipe Vizeu.

O jovem centroavante foi derrubado em cima da linha logo na segunda bola que recebeu. Diego foi quem cobrou desta vez, e acertou, marcando o segundo gol do Fla.

Mesmo com 2 a 0 no placar, o Flamengo seguiu dando trabalho à defesa do Figueirense. Com o jogo nas mãos, o Fla trocou passes ao coro de “olé” vindo da arquibancada.

Pará e Vaz se destacam; Gatito faz milagre

Pará e Rafael Vaz foram ovacionados pela torcida rubro-negra. O coro não foi à toa. Pela direita, o lateral criou as principais jogadas ofensivas do time. Já Vaz apresentou segurança na defesa e deu lançamento longo na cabeça de Arão, que anotou o gol do Fla na etapa inicial.

Pelo lado do Figueira, o nome do jogo foi Gatito Fernandez. O goleiro impediu que a derrota fosse por vantagem maior, fazendo grandes defesas.

Torcedora passa mal sob forte calor

Uma torcedora foi atendida pelos médicos no Pacaembu. A partida foi realizada sob forte calor na manhã de domingo. Vários torcedores colocaram camisas sobre a cabeça para minimizar o efeito do sol.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 2 x 0 FIGUEIRENSE

Data e hora: 18/09/2016, domingo, às 11h (horário de Brasília)

Local: Pacaembu, em São Paulo/SP

Árbitro: Luis Flávio de Oliveira

Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho e Marcelo Van Gasse

Gols: Willian Arão (FLA), aos 36 min do 1º tempo, Diego, aos 25 min do 2º tempo

Cartões amarelos: Bruno Alves, Ferrugem, M. Pedroso (duas vezes) (FIG), Arão, Diego (FLA)

Cartão vermelho: Marquinhos Pedroso (FIG)

FLAMENGO: Alex Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz, Jorge; Willian Arão, Cuellar, Diego, Gabriel (Fernandinho) e Everton (Alan Patrick); Leandro Damião (Vizeu). Técnico: Zé Ricardo

FIGUEIRENSE: Gatito Fernandez, Nirley, Bruno Alves e Werley; Ayrton, Jefferson, Yago (Ferrugem), Bady (Elvis), Marquinhos Pedroso e Marlon (Rafael Silva); Maurides. Técnico: Tuca Guimarães

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Magno Alves salva o Flu após reação do Figueirense e garante vitória

campeonato-brasileiroO jogo parecia fácil. Com total domínio sobre o Figueirense, o Fluminense abriu 2 a 0 em menos de 20 minutos de partida. Teve chances, mas não ampliou, o que permitiu ao time catarinense acordar após o intervalo e, após golaço de Carlos Alberto, buscar o empate por 2 a 2. Mas o silêncio no Edson Passos deu lugar a uma festa tricolor depois de Magno Alves, após pouco mais de 15 minutos em campo, marcar aos 33min do segundo tempo e garantir a vitória por 3 a 2, em jogo atrasado da 18ª rodada da Brasileirão disputado na tarde deste sábado.

Com o resultado, o Fluminense chega aos 34 pontos, assume o oitavo lugar da tabela e fica a apenas três pontos do G-4. Já o Figueirense segue estacionado nos 24 pontos e perde a chance de deixar a zona de rebaixamento, permanecendo no 18º lugar.

Os dois times agora voltam a campo na próxima quarta-feira. O Fluminense faz clássico contra o Botafogo, no estádio Luso Brasileiro, às 16h, enquanto o Figueirense recebe o Atlético-PR no Orlando Scarpelli, no mesmo horário. Os dois jogos são válidos pela 23ª rodada da Série A.

Magnata decide com 3º gol de cabeça do Flu

Pode-se dizer que o Fluminense usou mesmo a cabeça diante do Figueirense. Os três gols saíram desta forma, sendo o último deles de Magno Alves, que foi às redes após um ‘peixinho’ aos 33min do segundo tempo – depois de substituir o apagado Henrique Dourada aos 16min.

Scarpa vai bem mesmo com braço imobilizado

Especialmente no primeiro tempo, Gustavo Scarpa foi a principal arma ofensiva do Fluminense. Quase marcou um golaço no começo da partida, minutos antes de abrir o placar de cabeça. Depois, ainda cobrou o escanteio que resultou no segundo gol (de Renato Chaves) e ainda ‘deu um gol’ para Henrique Dourado, que desperdiçou.

Dourado decepciona e acaba substituído

A vantagem de 2 a 0 construída pelo Fluminense ainda no primeiro tempo poderia ter sido ainda maior não fossem os dois gols perdidos (um deles em chance claríssima) por Henrique Dourado. Sem corresponder, o atacante acabou substituído logo no começo do segundo tempo por Magno Alves.

Discussão entre Levir e C. Alberto

O meia Carlos Alberto fez uma grave acusação após o apito final da vitória por 3 a 2 do Fluminense sobre o Figueirense na tarde deste sábado, no Edson Passos. De acordo com o jogador do time catarinense, o técnico tricolor pediu a Wellington para lhe ‘dar porrada’. Leia mais

Levir vive altos e baixos na partida

Marquinho e Marcos Júnior eram os favoritos, mas foi Pierre o escalado por Levir Culpi para a vaga no meio-campo/ataque que ainda não havia sido definida antes do jogo. E a opção do técnico tricolor, mesmo teoricamente mais defensiva, deu certo na prática. O Flu dominou o Figueira desde o apito inicial, fez dois gols em menos de 20 minutos e poderia ter feito mais.

No intervalo, com o placar em 2 a 0 e o Fluminense praticamente não sendo incomodado pelo Figueirense, Levir Culpi sacou Pierre (que já tinha cartão amarelo) e colocou Marquinho. Com a mudança, o time caiu bastante de produção e sofreu o empate. Mas o técnico continuou ousando, colocou Magno Alves e Marcos Júnior em campo e viu o primeiro marcar o gol da vitória.

Polêmica no fim do jogo

O Figueirense chegou a empatar a partida por 3 a 3 já nos acréscimos, com Nirley. O juiz chegou a apontar para o centro do campo, sinalizando falta em Diego Cavalieri. Os jogadores do time catarinense chegaram a comemorar pensando que ele havia marcado gol, mas após serem informados que o gol foi anulado, reclamaram bastante.

Torcida do Flu participativa

A torcida tricolor presente no Edson Passos participou bastante da partida. Desde as vaias constantes a Carlos Alberto, ex-jogador do clube, a pedidos de Magno Alves e Marcos Júnior no começo do segundo tempo, logo após o primeiro gol do Figueirense.

Cartão relâmpago

O jogo começou quente no Edson Passos. Por uma falta dura em Henrique Dourado, o zagueiro Bruno Alves recebeu cartão amarelo com menos de 30 segundos de jogo. Foi o terceiro dele, que não encara o Atlético-PR na próxima quarta-feira. Quem também irá desfalcar o Figueirense é Carlos Alberto, que recebeu o cartão amarelo na comemoração do seu gol.

Queda de energia quase atrasa jogo

Uma queda de energia no bairro Cosmorama, em Mesquita (RJ), atingiu o estádio Edson Passos e por pouco não provocou o atraso da partida. Antes do apito inicial, porém, a energia foi restabelecida e evitou qualquer alteração no horário do confronto. Ainda assim, o Fluminense já havia providenciado um gerador caso o problema voltasse a ocorrer.

Início de maratona no Rio

O jogo contra o Figueirense foi o primeiro de uma sequência de quatro jogos no Rio de Janeiro, três deles como mandante. Além do duelo deste sábado, o Flu encara Atlético-MG (dia 12) e Chapecoense (dia 15) no Edson Passos. Fora isso, ainda faz clássico contra o Botafogo – como visitante – na próxima quarta-feira, dia 7, no estádio Luso Brasileiro.

FLUMINENSE 3 x 2 FIGUEIRENSE 

Local: Estádio Giulite Coutinho, em Mesquita (RJ)
Data: 03/09/2016 (sábado)
Árbitro: Rodrigo Batista Raposo (DF)
Assistentes: Daniel Henrique da Silva Andrade (DF) e José Reinaldo Nascimento Júnior (DF)
Cartões amarelos: Pierre, Renato Chaves, Wellington Silva (Fluminense), Bruno Alves, Jackson Caucaia, Carlos Alberto (Figueirense)
Gols: Gustavo Scarpa, aos 13min, e Renato Chaves, aos 19min do primeiro tempo; Carlos Alberto, aos 3min, Nirley, aos 15min e Magno Alves, aos 33min do segundo tempo

FLUMINENSE
Diego Cavalieri; Wellington Silva, Henrique, Renato Chaves e William Matheus; Pierre (Marquinho) e Douglas (Marcos Júnior); Cícero, Gustavo Scarpa e Wellington; Henrique Dourado (Magno Alves)
Técnico: Levir Culpi

FIGUEIRENSE
Gatito Fernández; Ayrton, Bruno Alves, Nirley e Morassi; Jackson Caucaia, Renato Augusto (Jefferson), Élvis (Rafael Silva) e Carlos Alberto (Ortega); Lins e Rafael Moura
Técnico: Tuca Guimarães

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Flamengo vence Figueirense com três golaços e garante vaga na Sul-Americana

Vanderlei Almeida/AFP
Vanderlei Almeida/AFP

O Flamengo colocou força máxima em campo nesta quarta-feira (31) e conseguiu o resultado que precisava para avançar na Copa Sul-Americana através de três golaços marcados por Everton, Jorge e Fernandinho – Rafael Silva abriu o placar. O Rubro-negro bateu o Figueirense de virada por 3 a 1, no estádio Kleber Andrade, em Cariacica (ES), e se classificou pelo critério dos gols fora de casa, já que a primeira partida terminou com triunfo catarinense por 4 a 2.

Agora, o Flamengo aguarda o adversário das oitavas de final. Real Garcilaso, do Peru, e Palestino, do Chile, decidem a classificação no dia 15 de setembro. O próximo compromisso do Rubro-negro será em 7 de setembro, quando volta a campo pelo Campeonato Brasileiro para enfrentar a Ponte Preta, às 21h45, novamente em Cariacica. O Figueirense encara o Fluminense, sábado (3), às 16h, em Édson Passos.

Jogo de golaços

Vanderlei Almeida/AFP

O Flamengo esteve em uma noite inspirada. Além de dominar o Figueirense, o Rubro-negro construiu o placar para avançar na Copa Sul-Americana com três golaços. Everton, Jorge e Fernandinho fizeram a alegria da torcida em mais um capítulo da boa fase dos cariocas.

Quem vacilou – Rafael Silva

O atacante do Figueirense abriu o placar aos 5min do primeiro tempo e provocou os rubro-negros ao fazer o gesto do facão no pescoço, algo que já havia realizado quando jogava pelo Vasco e ajudou a eliminar o Flamengo da Copa do Brasil. Ele foi punido pela arbitragem e nada mais fez até acertar Jorge com violência e ser expulso. Uma noite para esquecer.

Flamengo domina jogo e supera desatenção inicial para se classificar

Gilvan de Souza/Flamengo

O Rubro-negro foi o dono do jogo. O time sofreu com uma desatenção inicial que terminou no gol de Rafael Silva, mas depois tomou conta da partida e atuou boa parte do tempo no campo do Figueirense. Os cariocas pressionaram e foram com a vantagem para o intervalo com dois golaços marcados por Everton e Jorge. O predomínio continuou na segunda etapa até Fernandinho fazer mais um belo gol e colocar o Flamengo nas oitavas de final da Copa Sul-Americana.

Figueirense se defende, fica com menos um e vira presa fácil em Cariacica

O Figueirense entrou em campo com a vantagem da vitória por 4 a 2 na primeira partida e ainda abriu o placar aos 5min de jogo. O cenário parecia perfeito, mas os catarinenses se acovardaram e tentaram sair apenas nos contra-ataques. A estratégia de defesa não funcionou. O Flamengo pressionou e dominou as ações até garantir o placar que precisava. Autor do gol, Rafael Silva ainda saiu como vilão ao ser expulso aos 29min da primeira etapa.

FLAMENGO 3 X 1 FIGUEIRENSE

Local: Kleber Andrade, em Cariacica (ES)
Árbitro: Wilson Lamouroux
Auxiliares: Alexander Guzman e Dionisio Ruiz
Cartões amarelos: Leandro Damião, Willian Arão, Gabriel e Jorge (Flamengo); Rafael Silva, Carlos Alberto, Renato e Jackson Caucaia (Figueirense)
Cartão vermelho: Rafael Silva (Figueirense)
Gols: Rafael Silva, aos 5min do primeiro tempo; Everton, aos 13min do primeiro tempo; Jorge, aos 25min do primeiro tempo; Fernandinho, aos 26min do segundo tempo

Flamengo
Alex Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz e Jorge; Márcio Araújo (Alan Patrick), Willian Arão e Diego; Gabriel (Emerson Sheik), Everton (Fernandinho) e Leandro Damião
Técnico: Zé Ricardo

Figueirense
Gatito Fernandéz; Ayrton, Werley, Bruno Alves e Marquinhos Pedroso; Renato (Nirley), Jackson Caucaia, Ferrugem (Jefferson) e Carlos Alberto (Ermel); Rafael Silva e Rafael Moura
Técnico: Tuca Guimarães

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Sul-Americana terá Fla x Figueirense e duelo pernambucano na fase brasileira

flaCom a definição dos classificados para as oitavas de final da Copa do Brasil nesta quarta-feira, foram conhecidos também os confrontos brasileiros da Copa Sul-Americana. O Flamengo, que foi eliminado pelo Fortaleza na segunda fase, enfrenta o Figueirense, que perdeu nesta quarta-feira por 5 a 0 para a Ponte Preta e também deu adeus à competição nacional. Pelo calendário brasileiro, quem se classifica para as oitavas de final da Copa do Brasil não pode disputar a Sul-Americana.

Os pernambucanos Sport e Santa Cruz também se enfrentam no confronto nacional, o que faz com que as duas equipes evitem pelo menos uma viagem. Cuiabá e Chapecoense, separadas por 1.669 km, disputam uma vaga para a próxima fase. As datas dos jogos não foram divulgadas.

Confira os duelos.
Santa Cruz x Sport
Vitória x Coritiba
Figueirense x Flamengo
Cuiabá x Chapecoense

globoesporte

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Cícero brilha, Fluminense vence Figueirense de virada e volta ao G-4

brasileirãoRonaldinho Gaúcho e Fred enfim atuaram juntos pelo Fluminense, mas foi o meia Cícero o responsável por roubar a cena no Maracanã e comandar o Tricolor na vitória por 2 a 1, de virada, sobre o Figueirense, neste domingo, em jogo válido pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro. Clayton abriu o placar para os catarinenses, enquanto Cícero e Fred garantiram o triunfo carioca.

Com o resultado positivo, o Fluminense chegou aos 33 pontos e fechou o primeiro turno da competição no G-4 – ao lado de Atlético-MG, Corinthians e Grêmio. Já o Figueirense ficou estacionado nos 20 pontos e caiu para a 16ª colocação, se aproximando da zona de rebaixamento.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

FLUMINENSE 2 x 1 FIGUEIRENSE

Data: 16/08/2015 (domingo)
Local: Estádio Jornalista Mário Filho (Maracanã), no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Diego Almeida Real (RS)
Auxiliares: Fabiano da Silva Ramires (ES) e José Eduardo Calza (RS)
Público: 19.444 pagantes / 23.130 presentes
Renda: R$ 643.170,00
Cartões amarelos: Marlon (FLU); João Vitor e Rafael Bastos (FIG)
Cartão vermelho: João Vitor (FIG)
Gols: Clayton, aos 40 minutos do primeiro tempo; Cícero, aos 3, e Fred, aos 19 minutos do segundo tempo

Fluminense
Klever; Wellington Silva, Gum, Marlon e Gustavo Scarpa; Edson, Jean, Cícero e Ronaldinho Gaúcho (Higor Leite); Osvaldo (Wellington Paulista) e Fred (Lucas Gomes)
Técnico: Enderson Moreira

Figueirense
Alex Muralha; Leandro Silva, Thiago Heleno, Saimon e Roberto Cereceda (Celsinho); Dener, Fabinho (Marcão), João Vitor e Rafael Bastos; Clayton e Alemão (Dudu)
Técnico: Hudson José Coutinho

 

Uol

Líder Cruzeiro supera Figueirense e campo encharcado para golear

Nem o Figueirense, nem o gramado encharcado do Mineirão foram capazes de parar o líder Cruzeiro. O time celeste sofreu no primeiro tempo, diante de um adversário valente, mas voltou tão avassalador na etapa final que fez até parar de chover: 5 a 0, gols de Lucas Silva, Marquinhos, Dedé, que voltava ao time após lesão, Ricardo Goulart, artilheiro do Brasileirão com oito gols, e Dagoberto. Nona vitória do time mineiro em 12 jogos, a quarta seguida, para delírio dos 21.190 torcedores presentes no Mineirão, que não se cansaram de gritar que o “Cruzeiro é melhor que a Seleção”.

Com a vitória, a Raposa chegou aos 28 pontos e aumentou para oito pontos, ainda que temporariamente, a diferença para os vice-líderes Santos e Corinthians (o Timão joga contra o Palmeiras neste domingo). O time mineiro volta a campo no próximo sábado. Vai até o Rio de Janeiro, onde encara o Botafogo, às 18h30 (de Brasília), no Maracanã. Na zona de rebaixamento, com sete pontos, o Figureirense pode até terminar a rodada na lanterna, caso Coritiba e Flamengo pelo menos empatem. Os catarinenses pegam o Sport na próxima rodada. O jogo será no domingo, às 16h, no Orlando Scarpelli, em Florianópolis.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

 

Apesar do placar final, o jogo foi duro para a Raposa no primeiro tempo. A chuva que caiu desde o dia anterior em Belo Horizonte deixou o gramado do Mineirão encharcado, o que dificultou para o técnico do time mineiro. O Figueira teve até mais chances na primeira etapa, mas viu Lucas Silva marcar de pênalti. Na etapa final, o Cruzeiro repetiu o que havia feito diante do Palmeiras, na rodada anterior: foi para campo avassalador, marcou dois gols em poucos minutos, com Marquinhos e Dedé, e definiu a parada. Ricardo Goulart e Dagoberto, que entrou no segundo tempo, transformaram a vitória em goleada. Valente no início do jogo, o Figueira dos minutos finais parecia pedir para a partida acabar logo.

Gol na força

O jogo começou fraco tecnicamente, muito por conta do campo encharcado. O Cruzeiro tentava tomar a iniciativa, mas tinha dificuldade para trocar passes. A primeira chance só foi ocorrer com Marquinhos, aos 15 minutos, em chute de fora da área. Pouco depois o Figueira deu o troco e chegou duas vezes com perigo, ambas com Pablo. O jogo era muito duro para a equipe da casa. Mais técnico e interessado em buscar o gol, o time mineiro era quem mais sofria com o estado do gramado. Os catarinenses tiveram outras duas chances, com Ricardo Bueno, de cabeça, e Cereceda, em chute que Fábio defendeu.

Lucas Silva comemoração jogo Cruzeiro x Figueirense (Foto: Cristiane Mattos / Futura Press)Lucas Silva abriu o caminho para a goleada no fim do primeiro tempo (Foto: Cristiane Mattos / Futura Press)

Se não ia na técnica, o Cruzeiro tentou na força, e deu certo. Ricardo Goulart disputou a bola no ar, o árbitro viu falta em cima dele e marcou o pênalti, num lance duvidoso. Lucas Silva cobrou e abriu o placar – a bola ainda bateu na trave e só foi entrar no outro lado. O gol tornou o jogo melhor. O zagueiro Marquinhos quase empatou na sequência, após escanteio, mas mandou para fora. Depois, Moreno, duas vezes, esteve muito perto de ampliar. Fim de primeira etapa. Um jogo disputado, mas feio. A drenagem do Mineirão, um dos palcos da Copa do Mundo, deixou a desejar.

Cruzeiro faz até parar de chover

A pressão celeste na volta para o segundo tempo deu certo de cara. Com um minuto, Marquinhos emendou um chute de primeira da entrada da área e ampliou o placar. O Figueirense nem teve tempo de assimilar o golpe. Três minutos depois, Éverton Ribeiro cobrou falta da direita, e Dedé marcou de cabeça.

Os dois gols tiraram o Figueirense do jogo, e o líder do Brasileirão parece ter feito até a chuva parar. Assim, o time de Marcelo Oliveira pôde jogar ao seu feitio. Aos 27 minutos, após troca passes a partir do campo de defesa, a bola chegou para Ricardo Goulart marcar de cabeça. Oitavo gol do artilheiro do campeonato.

Sem muito esforço, o Cruzeiro chegou ao quinto. Perdido em campo, o Figueirense viu, aos 33, Mayke cruzar da direita, e Dagoberto aparecer livre no segundo poste para desviar para o fundo das redes. Goleada confirmada e mais três pontos na conta do líder. Ao Figueira resta juntar os cacos para tentar fugir do Z-4.

 

Por 

Sob pressão, Vasco pega ameaçado Figueirense em jogo de contradições

Juninho e Túlio, personagens importantes de Vasco e Figueira (Foto: Editoria de Arte/Globoesporte.com)

Um jogo cheio de contradições será disputado neste sábado, às 18h30m (de Brasília), em São Januário. Se por um lado o Vasco pode ser considerado favorito, não só por atuar em casa, mas também por estar com 22 pontos a mais que o Figueirense e 15 posições à frente na classificação do Campeonato Brasileiro, por outro os números dos últimos confrontos entre os times favorece amplamente os catarinenses.

Este é o maior jejum de vitórias do Vasco no confronto direto com todos os outros 19 participantes da competição, e a maior invencibilidade do Figueirense em relação aos outros adversários, desde 2006. Os cruz-maltinos ocupam a quarta colocação da competição, com 44 pontos e quer evitar a aproximação de São Paulo, que pode tirá-lo do G-4 nesta rodada, Botafogo e Inter. Já a equipe de Florianópolis está em penúltimo lugar, com 22 pontos e necessita dos três pontos para ganhar ao menos uma posição e se motivar mais na luta contra o rebaixamento.

O reencontro com a equipe carioca traz na lembrança dos torcedores alvinegros uma reflexão. No primeiro turno, o Figueirense vivia expectativas distintas do cenário nebuloso que está encaixado: diante do Vasco, a equipe apresentava o uruguaio Loco Abreu ao torcedor, no Orlando Scarpelli. No imaginário dos catarinenses, chegou-se a planejar uma briga por vaga na Libertadores de 2013. Porém, o duelo em São Januário mostra uma realidade bem diferente.

Com a metade dos pontos do adversário na Série A, o Figueira corre contra o tempo para fugir da zona do rebaixamento. Restando 12 rodadas para o fim do campeonato, o Alvinegro precisa de uma boa sequência de vitórias, que ainda não fez até aqui, para manter-se na elite do futebol brasileiro. Seis pontos atrás do último colocado fora da Z-4, a equipe catarinense encara a partida como uma verdadeira decisão.

Apesar de vir de uma derrota para o Palmeiras, por 3 a 1, o técnico Márcio Goiano aposta na manutenção da equipe. A mudança feita pelo técnico é apenas na zaga, e por obrigação: João Paulo cumpre suspensão e o treinador aposta no jovem Gutti para substituí-lo. Apesar de poder contar com Loco Abreu para esta partida, Goiano prefere manter Caio e Aloísio, já que a dupla é a mais eficiente da Série A, com 17 gols. O atacante uruguaio, que fica no banco, vem de uma série de lesões e jogos pela Celeste Olímpica e não atua pelo Alvinegro desde o dia 8 de agosto.

O GLOBOESPORTE.COM acompanha todos os lances da partida em Tempo Real, com vídeos exclusivos. O canal Premiere transmite a partida ao vivo para todo o Brasil, pelo sistema pay-per-view.

header as escalações 2

Vasco: serão cinco mudanças em relação ao time que empatou com a Ponte Preta, no último domingo, em Campinas (SP). As únicas por escolha do técnico Marcelo Oliveira são a entrada de Tenorio no ataque, substituindo Eder Luis, e a de Nilton na cabeça de área, sacando Eduardo Costa. No mais, suspensões e lesões dão dor de cabeça ao chefe. Luan será improvisado na lateral direita, passando a frente de Max; Fabrício entra na zaga, e Thiago Feltri, na lateral esquerda. Felipe terá mais uma chance de brilhar ao lado de Juninho, atuando com liberdade. A formação, portanto, é a seguinte: Fernando Prass, Luan, Dedé, Fabrício e Thiago Feltri; Nilton, Wendel, Juninho e Felipe; Tenorio e Alecsandro.

Figueirense: sem grandes alterações, Marcio Goiano deve manter o esquema tático que usou no começo da partida contra o Palmeiras, apesar da derrota. Wilson permanece no gol. Elsinho e Helder nas laterais; Gutti e Edson com dupla de zaga. O meio campo deve ficar com Jackson, Tulio, Claudinei e Botti. Caio e Aloísio são os encarregados dos gols.
quem esta fora (Foto: arte esporte)

Vasco: Jonas e Renato Silva estão suspensos. Auremir, Douglas e William Matheus têm estiramentos na coxa e quem está mais próximo de voltar do trio é o último, com uma lesão mais simples. Já Carlos Alberto está debilitado pela ingestão de antibióticos na semana passada, segundo o departamento médico, que tratou uma inusitada infecção no pé esquerdo causada por um pelo encravado.

Figueirense: João Paulo Goiano tomou o terceiro cartão na partida contra o Palmeiras e irá cumprir suspensão automática. Fernandes, Heber e Ricardo seguem vetados pelo departamento médico do clube.

header pendurados (Foto: ArteEsporte)

Vasco: Carlos Alberto, Fabrício e William Barbio.

Figueirense: Claudinei, Edson, Loco Abreu, Sandro e Túlio.

header o árbitro (Foto: ArteEsporte)

Ricardo Marques Ribeiro (Fifa/MG) apita a partida, auxiliado por Márcio Eustaqui Santiago (Fifa/MG) e Cleriston Clay Barreto Rios (SE). Ricardo Marques arbitrou 11 jogos no Brasileirão, marcou 424 faltas (média de 38,5 por jogo), mostrou 48 amarelos (média de 4,4 por jogo) e três vermelhos (média de 0,27 por jogo) e não marcou um pênalti sequer. O campeonato tem média de 5,05 amarelos, 0,28 vermelho, 36,6 faltas e 0,21 pênalti. O árbitro apitou um jogo dos catarinenses na Série A deste ano: Figueirense 2 x 2 Fluminense, pela 21ª rodada.

header fique de olho 2
Vasco:
agora em casa, frente ao penúltimo colocado, Felipe novamente é visto como arma do Vasco na ligação entre o meio e o ataque. Se fracassar, pode dar adeus ao espaço que ganhou com Marcelo Oliveira. Se decidir, uma nova era do Maestro pode começar na Colina.

Figueirense: Caio e Aloísio formam a dupla de ataque com mais gols no Brasileirão: 17 gols. No entanto, a volta de Loco Abreu, carrasco do Vasco quando jogava pelo rival Botafogo, pode surpreender. O uruguaio fez bons treinos durante a semana e pode ser uma boa opção para Marcio Goiano para o decorrer da partida.

header o que eles disseram

Marcelo Oliveira, técnico do Vasco:: “Hoje em dia todos os clubes sabem tudo dos adversários. O Figueirense tem um time muito dedicado que marca bem e utiliza os contra-ataques. Temos de estar prevenidos, mas por estamos no G-4 e jogarmos em casa temos de nos impor. Sabemos que temos de produzir muito”.

Márcio Goiano, técnico do Figueirense: “Temos que estar mais preocupado é com o Vasco, até porque nós sabemos da dificuldade. O Vasco só fala do G-4 e nós estamos em outra situação, temos que sair da zona de rebaixamento. Temos é que nos preocupar com o Vasco, com o agora. Até porque, 2013 não nos pertence. O que temos é o agora e 12 jogos pela frente”.

header números e curiosidades

* O Vasco não vence o Figueirense há seis anos (ou dez jogos). A última vitória vascaína aconteceu no dia 24/8/2006, pelo primeiro turno do Brasileiro daquele ano: Vasco 3 a 1, em São Januário, gols de Abedi, Jean e Faioli, descontando Schwenck. Nos últimos dez jogos entre as duas equipes, oito deles pela Série A e dois pela Série B, o Figueirense venceu três vezes (2 a 1 e 4 a 2, em 2008, e 2 a 1 na Série B de 2009) e houve sete empates.

* Computando todas as competições e amistosos, Vasco e Figueirense disputaram 26 partidas na história, com oito vitórias dos cariocas, contra quatro triunfos dos catarinenses e 14 empates. Nos gols marcados, a vantagem é vascaína: 35 a 31. Dez desses 26 jogos foram realizados em São Januário, com cinco vitórias do Vasco, contra duas do Figueirense e mais três empates. Nos gols marcados, nova vantagem vascaína: 18 a 14.

* O primeiro confronto entre Vasco e Figueirense pelo Campeonato Brasileiro foi também a primeira vez que as duas equipes se enfrentaram em toda a história. Na oportunidade, dia 2/12/1973, houve um empate sem gols no estádio Orlando Scarpelli.

header último confronto v2

Na última vez que Vasco e Figueirense se enfrentaram, houve empate em 1 a 1, no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis. A partida realizada no dia 8 de julho deste ano fez parte da oitava rodada do Campeonato Brasileiro. Diego Souza abriu o marcador para o time cruz-maltino, aos 21 minutos do primeiro tempo, e Ronny igualou o placar aos 28 da etapa final .

Globoesporte.com

Assunção brilha, e Palmeiras bate Figueirense na estreia de Kleina

Foto: Cristiano Andújar/Agência Lance

Gilson Kleina não podia esperar estreia melhor no comando do Palmeiras. O novo treinador alviverde realizou o primeiro jogo neste sábado, no Estádio Orlando Scarpelli, contra o Figueirense, em duelo direto entre candidatos ao rebaixamento. Em atuação segura, o clube paulista saiu vitorioso por 3 a 1, com presença decisiva de Marcos Assunção, autor de um gol e de duas assistências. Aloísio descontou para os donos da casa.

Alcançando o segundo resultado positivo jogando fora de seus domínios no Campeonato Brasileiro 2012, o Palmeiras chega aos 23 pontos, tomando do próprio Figueirense a 18ª posição da competição e ficando a um ponto do Sport. A derrota deixa o clube catarinense com 22 pontos, na vice-lanterna.

Na 27ª rodada do torneio nacional, o Palmeiras recebe a Ponte Preta, antiga equipe de Gilson Kleina, no Estádio do Pacaembu. O Figueirense viaja ao Rio de Janeiro para enfrentar o Vasco, em São Januário.

Em seu segundo jogo após retornar de lesão, Marcos Assunção mostrou o quanto fez falta ao Palmeiras na sequência de partidas que colocou o clube alviverde perto da lanterna do Campeonato Brasileiro.

Exímio cobrador de faltas, o volante mostrou a característica precisão aos 7min da primeira etapa, ao alçar bola para a área na cabeça de Thiago Heleno, que escorou e acertou entre as pernas de Wilson para abrir o marcador.

Com nova falta lateral assinalada pelo árbitro Wilton Pereira Sampaio, Assunção tentou outro levantamento aos 9min, rebatido pela defesa do clube catarinense. O rebote, porém, ficou com o camisa 20 alviverde, que acertou cruzamento para Henrique. Ele testou sobre Wilson para ampliar a vantagem.

Aos 21min, Marcos Assunção teve nova oportunidade de mostrar qualidade na bola parada ao marcar um golaço da intermediária, no ângulo do goleiro Wilson. No entanto, o trio de arbitragem anulou o tento, pois Valdivia estava na grande área, parado próximo à marca do pênalti, em posição de impedimento, de acordo com a interpretação dos juízes.

Abatido com a decisão, o time paulista foi pressionado pelos donos da casa nos minutos seguintes, levando uma bola no travessão de Elsinho, aos 24min.

Recuado no segundo tempo, o Palmeiras tentou segurar a pressão do Figueirense, que partiu para cima para buscar o resultado positivo. Os comandados de Gilson Kleina suportaram bem a situação de início, mas acabaram sofrendo um gol de Aloísio, aos 19min. O camisa 9 se aproveitou de rebote de Bruno depois de chute de Caio para diminuir a desvantagem.

Ligado no jogo, o Palmeiras demorou dois minutos para marcar o terceiro. Barcos avançou pela ponta direita e cruzou à área do Figueirense. Wilson saiu mal, afastou com um soco fraco e a sobra ficou com Marcos Assunção. Livre, o volante balançou as redes pela segunda vez na partida, marcando seu primeiro gol desde o retorno de lesão.

Ficha técnica

FIGUEIRENSE 1 X 3 PALMEIRAS

Gols
FIGUEIRENSE: Aloísio, aos 19min do segundo tempo

PALMEIRAS Thiago Heleno, aos 7min, e Henrique, aos 9min do primeiro tempo; Marcos Assunção, aos 22min do segundo tempo

FIGUEIRENSE: Wilson; Elsinho, João Paulo, Edson (Guilherme Lazaroni) e Helder; Jackson, Túlio (Julio Cesar), Claudinei e Botti (Jean Deretti); Caio e Aloísio
Treinador: Márcio Goiano

PALMEIRAS: Bruno; Correa (João Denoni), Maurício Ramos, Thiago Heleno e Juninho; Henrique, Márcio Araújo, Marcos Assunição e Valdivia (Tiago Real); Maikon Leite (Mazinho) e Barcos
Treinador: Gilson Kleina

Cartões amarelos
FIGUEIRENSE: Helder, Elsinho, Claudinei, João Paulo
PALMEIRAS: Valdivia, Maurício Ramos, Barcos, Maikon Leite

Árbitro
Wilton Pereira Sampaio (DF)

Local
Orlando Scarpelli, em Florianópolis

Terra