Arquivo da tag: Fifa

FPF descarta VAR mas ainda tenta árbitro FIFA para as finais do Campeonato Paraibano

Tecnologia cara. O uso do assistente de vídeo (VAR) nas finais do Campeonato Paraibano foi descartado. O árbitro de vídeo era um sonho da presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Michele Ramalho.  Só que o alto custo financeiro para por em pratica essa tecnologia, impediu a presença do árbitro de vídeo nas finais do Estadual.

Porém, um outro objetivo da presidente, que foi manifestado recentemente, está sendo negociado. Segundo o diretor executivo da FPF, Otamar Almeida, a federação pretende contar com árbitro FIFA para as decisões do estadual.

O segundo jogo da final do estadual foi remarcado justamente para que a CBF pudesse alocar um árbitro FIFA disponível para comandar o apito. A partida estava marcada para o dia 20 deste mês e foi adiada para o dia 23. A presidente da FPF, inclusive, disse já ter conversado com o presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Leonardo Gaciba, para formalizar o pedido.

As finais do Campeonato Paraibano estão marcadas para os dia 17 e 23 deste mês e já tem um finalista definido, o Campinense, que venceu o Atlético-PB nos pênaltis e garantiu sua vaga na decisão. A segunda vaga na finalíssima será definida neste fim de semana. Botafogo-PB e Nacional de Patos realizam o jogo de volta das semifinais neste domingo, às 17h, no Estádio Almeidão.

pbagora

 

 

Fifa anuncia novo Mundial de Clubes, a cada 4 anos e com 24 times

A Fifa anunciou nesta sexta-feira a criação de um novo Mundial de Clubes, a ser disputado a cada quatro anos, com a presença de 24 times. A primeira edição será organizada em junho e julho de 2021, em local a ser definido, ocupando a janela deixada pela Copa das Confederações no calendário mundial.

Gianni Infantino realizou pronunciamento em Miami — Foto: AFP

Gianni Infantino realizou pronunciamento em Miami — Foto: AFP

A nova competição terá 24 clubes: oito da Europa, seis da América do Sul e as demais divididas entre os demais continentes. A Fifa deixou para cada confederação continental definir os critérios de classificação ao Mundial.

– Houve muitas discussões construtivas, com o presidente da Uefa. Estamos avançando nesse assunto. Temos a responsabilidade de tomar decisões, e tomamos a decisão, e nas próximas semanas essas discussões vão dar frutos. Hoje há clubes que representam mais do que uma cidade, um país. Há clubes que são internacionais, têm fãs por todos os lados. Será importante para eles tentar ser campeões mundiais – afirmou o presidente da Fifa, Gianni Infantino.

Ameaça de boicote da Europa

Horas antes do anúncio da Fifa, enquanto membros do conselho ainda estavam reunidos, os gigantes europeus fizeram uma ameaça oficial de boicote à nova competição. A Associação de Clubes Europeus (ECA, na sigla em inglês) afirmou por meio de carta para a Fifa que iria boicotar o torneio, por ser “frontalmente contra a aprovação” do novo formato e que “nenhum membro do ECA vai disputar essa competição”.

O documento está assinado por representantes de 15 dos maiores clubes da Europa, incluindo Juventus, Real Madrid, Ajax, PSG, Barcelona, Bayern de Munique, Manchester United e Benfica. Trata-se de mais uma batalha na guerra entre a Fifa e os grandes clubes europeus, que também se opuseram ao aumento do número de participantes da Copa do Mundo para 48 seleções — mas foram derrotados.

No lugar da Copa das Confederações

O Mundial de Clubes reformado vai substituir no calendário dois torneios que eram considerados fracasso de público, crítica e qualidade técnica: o velho Mundial de Clubes (disputado por sete clubes em dezembro) e a Copa das Confederações, que desaparece do calendário.

Ainda haverá duas edições do velho Mundial com sete clubes, em 2019 e 2020. A edição de 2021 ainda não tem local definido, uma vez que o calor do verão no Catar, no meio do ano, inviabilizaria a prática do futebol em alto nível. Desta forma, o torneio não será um evento-teste para as instalações da Copa do Mundo.

GE

 

Fifa divulga relatório e anuncia um prejuízo de US$ 369 milhões em 2016

fifaA Fifa registrou em 2016 perdas de US$ 369 milhões (R$ 1,1 bilhão na cotação atual), o que é explicado pela adoção de uma nova norma contábil, as investigações jurídicas e os investimentos imprudentes. A entidade teve de gastar com os custos legais em processos de corrupção, e ainda perdeu receita com patrocinadores.

Para piorar a situação, a Fifa espera por uma diminuição de receitas que deve apontar uma queda ainda maior no resultado de 2017. A Fifa espera voltar a apresentar um crescimento financeiro e apresentar US$ 1 bilhão (R$ 3,2 bilhões) de lucro em 2018, contando com as receitas da Copa do Mundo da Rússia – a maior parte através de direitos de transmissão.

Em comunicado publicado nesta sexta-feira, a entidade lembrou que é “notório a estagnação do comércio global, além de investigações sobre corrupção envolvendo funcionários”. Algo que gerou pressão global nas receitas da organização.

O documento publicado pela Fifa também aponta investimentos equivocados do ex-presidente Joseph Blatter, como o museu do futebol e um hotel quatro estrelas em Zurique, como determinantes para as perdas em 2016. O World Football Museum, como é chamado, causou um prejuízo de US$ 50 milhões (R$ 156 milhões) no ano passado.

Brasil vence Jogo da Amizade e assume a liderança do ranking da Fifa

fotos: Pedro Martins/MoWA Press
fotos: Pedro Martins/MoWA Press

O estádio Nilton Santos viveu uma noite especial nesta quarta-feira. Brasil e Colômbia mais uma vez se uniram pelas famílias que perderam parentes e sofreram com a queda do avião LaMia em 29 de novembro na região de Antióquia, na Colômbia.

O Jogo da Amizade lembrou não só dos que se foram, como dos sobreviventes ao trágico acidente e serviu para arrecadar toda a receita possível, seja com bilheteria ou patrocinadores, para que a Chapecoense possa indenizar a tantos familiares que ficaram desamparados.

Apesar do clima amistoso, a Seleção Brasileira não interrompeu sua boa fase e venceu a partida por 1 a 0 graças a gol de Dudu. O placar era o que menos interessava no Rio de Janeiro, mas, quer queira quer não, teve reflexos importantes. Com a vitória, o Brasil retomou a posição de líder do ranking da Fifa ao desbancar a Argentina e acabar com um jejum que perdurava desde maio de 2010.

Além disso, Tite segue sua caminhada surpreendente à frente da Seleção pentacampeã. O ex-técnico do Corinthians alcançou sua sétima vitória seguida. Vale lembrar que o Brasil é líder das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia, com 27 pontos. Os colombianos ocupam a sexta posição, com 18 pontos, um a menos que a Argentina, que hoje iria à repescagem.

A próxima convocação de Tite será realizada no início de março e não terá nenhuma restrição. A Seleção volta a disputar as Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018 em 23 de março, contra o Uruguai, em Montevidéu, e em 28 de março, diante do Paraguai, em São Paulo.

paraibaonline

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Morre aos 100 anos no Rio, João Havelange, ex-presidente da Fifa

joao-havelangeO ex-presidente da Federação Internacional de Futebol (Fifa) e ex-atleta olímpico, João Havelange, de 100 anos,  morreu na manhã desta terça-feira (16), no Hospital Samaritano, em Botafogo, Zona Sul do Rio. Ele estava internado para tratamento de uma pneumonia desde julho.

No final do ano passado, Havelange foi internado no mesmo hospital em decorrência de problemas pulmonares. Ele completou 100 anos de idade no último dia 8 de maio.

História
O brasileiro com raízes belgas foi um dos dirigentes mais importantes – e também mais questionados – da história do esporte mundial. Ele foi afastado do esporte em abril de 2013, quando renunciou ao cargo de presidente de honra da Fifa. Dois anos antes, ele já havia deixado de ser membro do Comitê Olímpico Internacional (COI).

Filho de um comerciante belga que fez fortuna no Rio de Janeiro, João Havelange chegou a ser atleta de diferentes modalidades. Mas destacou-se mesmo como dirigente esportivo: primeiro na CBD, depois no COI e por último na Fifa.

Havelange foi eleito para Fifa em 1974, entrando no lugar do inglês Sir Stanley Rous. Ele ficou no cargo mais até 1998, quando foi substituído pelo suíço Joseph Blatter, que só saiu após a série de denúncias de corrupção na entidade que causou a prisão de dirigentes – inclusive o brasileiro José Maria Marin.

Segundo o próprio site da Fifa, João Havelange comandou a entidade em um “período de profundas mudanças na organização”. Dentre as principais alterações, está o aumento no número de países na Copa do Mundo (de 16 para 32). Além disso, o brasileiro ajudou a criar novas competições de futebol.

Entre elas estão os Mundiais Sub-17 e Sub-20, no final da década de 80, e a Copa das Confederações e a Copa do Mundo feminina, no início da década de 90. De acordo com informações da página da Fifa, o número de funcionários da entidade aumentou de 12 para 120 na gestão de Havelange.

Durante a era Havelange, a Fifa organizou seis Copas do Mundo. A seleção brasileira ganhou uma delas, em 1994, nos Estados Unidos. Além de ter feito parte dessa entidade por 24 anos, o carioca também presidiu a CBD (Confederação Brasileira de Desportos), de 1956 a 1974.

A presença de João Havelange como dirigente esportivo não foi ocasional. Antes de frequentar escritórios, ele teve vivência assídua em campos, quadras e piscinas. Foi daí que tirou a base para a carreira que viria nos anos seguintes.

João Havelange (Foto: Felipe Dana/AP)João Havelange morreu nesta terça-feira, aos 100 anos (Foto: Felipe Dana/AP)

 

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Fifa decide passar a Copa de 2022 no Catar para novembro e dezembro

Preocupação com temperaturas no Catar vinham desde 2010, quando que o país ganhou o direito de sediar a Copa (AP)
Preocupação com temperaturas no Catar vinham desde 2010, quando que o país ganhou o direito de sediar a Copa (AP)

Após cancelar a entrevista coletiva que Joseph Blatter daria nesta sexta-feira, a Fifa emitiu um comunicado às 10h (de Brasília) anunciando, entre outras coisas, que a Copa do Mundo de 2022, no Catar, será disputada entre os dias 21 de novembro e 18 de dezembro. Além disso, revelou que o próximo encontro do Comitê Executivo da entidade, em dezembro, mudará de local: no lugar do Japão, que recebe o Mundial de Clubes, os dirigentes se reunirão novamente em Zurique, ainda sem data definida.

Os anúncios aconteceram logo após a entrevista marcada com Joseph Blatter ser cancelada. Após atrasá-la por mais de uma hora, a entidade não justificou a razão que a levou a cancelar a coletiva do presidente da Fifa, que serviria para tornar público o que foi debatido durante a semana de reuniões do Comitê Executivo da Fifa, e apenas divulgou o comunicado.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Mudança de data no Mundial do Catar

Com o anúncio, a Fifa coloca um ponto final na discussão envolvendo a mudança no calendário para a Copa do Mundo de 2022. O calor durante o verão no país do Oriente Médio causava preocupação e o debate se arrastava desde 2010, quando a candidatura do país asiático venceu a disputa para levar o Mundial para lá. A solução encontrada foi passar o torneio para o fim do ano, quando as temperaturas são mais amenas.

– Aprovado o calendário internacional de jogos para o período entre 2018 e 2024, incluindo as datas de competição para o Copa do Mundo de 2022, que acontecerá de 21 de novembro a 18 de dezembro de 2022 – comunicou a Fifa, no comunicado.

Mais informações em instantes.

Blatter Fifa catar copa do mundo 2022 (Foto: AP)Preocupação com temperaturas no Catar vinham desde 2010, quando que o país ganhou o direito de sediar a Copa (AP)
Por Martín Fernandez

Zico vai à Fifa, pede mudanças a Blatter e é ironizado por Platini

 Foto: Marcelo Carnaval / Agência O Globo
Foto: Marcelo Carnaval / Agência O Globo

Zico visitou o presidente da Fifa, Joseph Blatter, em Zurique, na tarde desta quinta-feira. O ex-jogador foi falar sobre candidatura para suceder o dirigente na eleição de 26 de fevereiro. O ex-jogador brasileiro entregou a ao atual comandante da entidade uma carta na qual sugere mudanças no processo eleitoral da entidade.

-É um absurdo, tenho 45 anos de futebol, como jogador e técnico, em vários continentes, e preciso do apoio formal de cinco federações nacionais, que sofrem pressão das respectivas confederações e por isso não vão me apoiar – declarou.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

As críticas de Zico ao processo eleitoral foram recebidas com ironia por Michel Platini, presidente da Uefa e o favorito a suceder Blatter no comando da Fifa. Enquanto segurava o elevador para subir a seu quarto no hotel Baur Au Lac, em Zurique, o mesmo onde foram presos vários dirigentes da Fifa no dia 27 de maio.

– Ah, Zico não tem as cinco cartas? Eu lamento. Regras são regras – declarou o francês, abriu os braços e virou as palmas das mãos para cima.

Para ser candidato a presidência da Fifa, é preciso ter o apoio de pelo menos cinco das 209 federações nacionais de futebol. Zico diz ter o apoio da CBF, mas a confederação ainda não lhe entregou a carta. Marco Polo Del Nero afirmou que, se Zico conseguir as outra quatro, lhe dará a quinta.

O ex-jogador da seleção brasileira e do Flamengo está especialmente decepcionado com a federação do Japão – país onde atuou como jogador do Kashima Antlers e foi técnico da seleção nacional. O Japão deve apoiar o príncipe Ali, da Jordânia, também candidato a suceder Blatter. Nos próximos dias, o atual técnico do Goa F.C., da Índia, deve se encontrar com o presidente da Federação dos Estados Unidos, Sunil Gulati. Zico também tenta uma reunião com Domenico Scala, presidente do comitê de reformas da Fifa.

Por Martín Fernandez

Blatter renuncia ao cargo de presidente da Fifa e convoca nova eleição

blatter-300x146O presidente da Fifa Joseph Blatter renunciou ao cargo nesta terça-feira. O mandatário foi reeleito na semana passada e pediu para que uma nova eleição seja realizada. A decisão de deixar a Fifa ocorre em meio ao maior escândalo da entidade, que resultou na detenção de sete dirigentes às vésperas do pleito, que teve Blatter como vencedor.

”Um novo presidente será eleito para me suceder. Vou continuar a exercer minha função como presidente até um novo presidente ser escolhido”, afirmou Blatter em um pronunciamento realizado na sede da Fifa.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

O anúncio de renúncia pegou de surpresa, ainda mais pelo fato de que Blatter havia pedido apoio de todos para governar mais um mandato na Fifa. Acusado de inúmeros envolvimentos em corrupção, Blatter negou a todos e inclusive atacou a ação da polícia norte-americana, que coordenou a prisão dos dirigentes.

A data da nova eleição será definida pelo Comitê Executivo da entidade e pode ocorrer entre dezembro e março. O processo de transição será comandado por Domenico Scala, membro do comitê.

UOL

Cafezinho aponta novas ligações entre Globo e máfia da FIFA

globoO Cafezinho teve acesso, com exclusividade, a documentos que ilustram as relações comerciais íntimas, societárias, entre a Globo e J. Hawilla, o bandidão confesso preso pelo FBI no recente escândalo de corrupção da Fifa.

Os nomes da família global são João Roberto Marinho e Flávia Daudt Marinho, filha de José Roberto Marinho.

Os irmãos Marinho tem usado seus filhos para burlar o decreto lei 236, que limita o número de emissoras em mãos de um proprietário.

A própria Traffic, empresa diretamente ligada aos esquemas de corrupção da Fifa, traz fortes ligações com a Globo, na pessoa de José Geraldo Góes, um dos sócios da Traffic.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Góes aparece em todas as listas de membros societários nas empresas onde os J. Hawilla (ele ou seus filhos) tem participação, incluindo a TV Aliança Paulista e TV Bauru, da qual os Marinho também são sócios.

As tvs dos Hawilla em São Paulo retransmitem o sinal da Globo. São duplamente, portanto, controladas pela Globo: via conteúdo, que é dela, e via participação societária.

A TV Tem, também do interior de São Paulo, reúne a turma toda na lista de sócios: João Roberto Marinho, dois filhos de J.Hawilla, o onipresente José Geraldo Góes, e a empresa Bonanza.

As empresas Bonanza e Lunar aparecem sempre associadas aos Marinho; são usadas para controlar afiliadas da Globo no interior de São Paulo.

José Geraldo Góes é também presidente do Desportivo, um clube de futebol administrado pela Traffic.

Quer dizer, não só administrado. O Traffic é dono do Desportivo, através da empresa T Desenvolvimento, que possui uma participação na sociedade no valor de R$ 102 milhões.

Sempre que você olha para as empresas de J. Hawilla, esbarra com o nome de José Geraldo Góes, em posição superior, como diretor, secretário ou acionista. Góes também é sócio de várias tvs controladas pela Globo.

A mídia não vai investigar isso? Não vai sequer dar a informação de que os Hawilla e os Marinho são sócios diretos em várias empresas no Brasil?

E que, através de Góes, todos eles, Hawilla e Marinho também tem ligações uns com outros em paraísos fiscais?

Ou será que a mídia brasileira continuará insistindo em qualquer factóide barato contra o PT, inventado às pressas, em conluio com setores políticos da PF, para abafar investigações que liguem Hawilla aos negócios da Globo?

Há muitos detalhes picantes e mal explicados. Por exemplo, José Geraldo Góes, que nessa história toda aparece como um laranja oficial de todos esses empreendimentos, é sócio da Continental Sports Marketing, com sede nas ilhas Cayman, uma das empresas que aparecem como sócias da Traffic.

Aliás, é incrível a velocidade como as empresas da Globo vivem mudando seus quadros, fundindo-se, mudando de nome, transferindo valores para outras, sempre com intuito de não pagar impostos.

É preciso entender uma coisa: o poder da Globo, que é excessivo e prejudica a democracia, além de ter nascido de uma ditadura, tem como principal fonte de renda o futebol brasileiro, que a emissora vampiriza há décadas.

Os clubes ficam cada vez mais endividados, e a Globo cada vez mais rica. A cartolagem de José Maria Marin, Ricardo Teixeira, J. Hawilla, entre outros, responde por essa situação. São todos aliados da Globo.

O esporte que os brasileiros mais amam é exibido em horários antipáticos ao trabalhador, porque a Globo não quer perder audiência de suas novelas.

E ainda temos o esquema de venda de jogadores, outro negócio milionário explorado por Hawilla e, portanto, também pela Globo.

Não podemos esquecer que o esquema de sonegação da Globo nas Ilhas Virgens Britâncias, que lhe valeu multa de R$ 615 milhões da Receita Federal (a qual até agora a Globo não provou que pagou), envolveu também o futebol. A emissora tentou comprar, sem pagar impostos, os direitos de transmissão da Copa do Mundo de 2002.

Esses direitos de transmissão são o núcleo da corrupção da Fifa.

Tem mais: nos documentos que vazamos, contendo o processo de sonegação da Globo, há listas com as transferências milionárias da Globo para o clube dos 13, que durante anos controlou os direitos de transmissão dos campeonatos brasileiros. São valores impressionantes, bem maiores, inclusive, que aqueles relacionados à Copa do Mundo, mostrando a importância essencial do futebol para o orçamento da Globo. Procurem lá.

Mas sobre isso falaremos depois.

Essa história espalha pontas incandescentes de manipulação, corrupção, sonegação, para todos os lados. Todos vão tem que ajudar a examinar esses documentos e entendê-los, já que a Polícia Federal do Zé está ocupada demais fabricando factoides anti-PT para a Globo…

*

brasil247

Fifa decide não punir Zúñiga por falta que tirou Neymar da Copa do Mundo

A CBF cobrou, os torcedores brasileiros reclamaram, mas a Fifa não vai punir o colombiano Zúñiga pela falta no jogo pelas quartas de final que tirou Neymar da Copa do Mundo. O Comitê Disciplinar da entidade soltou um comunicado oficial explicando porque não poderia punir o jogador colombiano. No mesmo aviso, o comitê também nega o pedido da CBF para retirar o segundo cartão amarelo de Thiago Silva, que suspende o capitão brasileiro para o jogo contra a Alemanha.

Segundo o Comitê Disciplinar da Copa, o lance não escapou aos olhos dos árbitros em campo, que é a primeira das duas condições cumulativas para que o artigo 77 a) do Código Disciplinar da Fifa seja aplicado.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

No caso do artigo 77 b), que também permite que o Comitê reveja um lance, também não pode ser usado porque nenhum cartão foi mostrado ao jogador Zuñiga. Esse artigo só pode ser aplicado caso o árbitro mostre algum cartão para o jogador errado.

Quanto ao pedido da CBF para que o cartão amarelo que Thiago Silva  recebeu no jogo contra a Colômbia, e que o suspende do jogo desta terça-feira contra a Alemanha, o comitê alegou que não existem bases legais para o requerimento. Dessa forma, o capitão brasileiro segue suspenso para as semifinais.

Neymar fraturou a terceira vértebra lombar após sofrer uma joelhada do colombiano Zúñiga, nas costas, pouco antes do final do segundo tempo. O jogo terminou com vitória do Brasil, por 2 a 1, e classificação para a semifinal, mas a perda de seu principal jogador acabou sendo uma grande derrota para o Brasil.

Zuniga entrada em Neymar jogo Brasil x Colômbia (Foto: Reuters)O lance em que Zúñiga machuca Neymar no jogo entre Brasil e Colômbia (Foto: Reuters)

Depois de ter sido atendido em um hospital em Fortaleza e retornar com a delegação, o camisa 10 da seleção decidiu não continuar na Granja Comary e seguiu de helicóptero para sua casa, no Guarujá. Neymar se mantém em repouso e recebe visitas apenas de amigos e familiares.

O médico da seleção, José Luiz Runco descartou qualquer possibilidade de Neymar voltar à seleção caso o Brasil vença a Alemanha e avance à final. Segundo o médico, o jogador precisa de tempo para calcificar a lesão e entrar em campo seria arriscado a seu futuro como atleta. Inicialmente, o tempo de estimado para o retorno após uma lesão desse tipo é entre 40 e 45 dias.

No dia seguinte ao ocorrido, Zúñiga usou as redes sociais para desejar melhoras a Neymar e dizer que não teve maldade na jogada. O colombiano recebeu apoio dos companheiros e de seu povo, que se manifestou a seu favor na calorosa recepção da seleção a Bogotá, nesse domingo.

fratura neymar lado esquerdo (Foto: arte esporte)

Por