Arquivo da tag: fatais

Acidente entre Belém e Pirpirituba deixa duas vítimas fatais

Um grave acidente na noite desta quarta-feira (25) na PB 073 que liga os municípios de Belém e Pirpirituba, agreste Paraibano, deixou duas vítimas fatais.

De acordo com as primeiras informações, houve uma colisão entre um carro e um caminhão. Uma das vítimas foi identificada até o momento por Gil taxista da cidade de Caiçara, ele estava em um Fiat uno de cor amarela, uma mulher que estava no banco do carona ficou gravemente ferida e não resistiu vindo a óbito.

 

Brejo online

 

 

Brasil registra mais de 1300 acidentes de origem elétrica em 2016, quase 600 fatais

Por definição, instalação elétrica é o conjunto de partes elétricas e não elétricas associadas e com características coordenadas entre si, que são necessárias ao funcionamento de uma parte determinada de um sistema elétrico. Em teoria, a instalação deve levar a eletricidade gerada em um determinado local até o ponto de consumo desta energia de forma eficiente, qualificada e, sobretudo, segura.

No Brasil, as instalações elétricas devem ser construídas, reformadas, verificadas e consertadas com base nas normas técnicas publicadas pela ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, como por exemplo, as normas ABNT NBR 5410/2004 – Instalações Elétricas em Baixa Tensão, ou ABNT NBR 14039/2005 – Instalações Elétricas em Média Tensão. Contudo a realidade é que parte destas instalações, principalmente as prediais, não seguem as normas e podem oferecer riscos aos seus usuários.

Uma pesquisa realizada pela Abracopel (Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade) e pelo Procobre (Instituto Brasileiro do Cobre), realizada em 1100 domicílios, entre 2013 e 2016, demonstra que ao menos um item não atende à norma técnica. Outro dado é em relação ao uso do Dispositivo Diferencial Residual, que atua para garantir segurança quando houver uma possibilidade de choque elétrico em tomadas, encontrado somente em 21% das casas.

A Associação e o Instituto utilizaram dados parciais, coletados via sistema de alertas da internet e redes sociais e chegaram a computar desta forma 1319 acidentes de origem elétrica no Brasil, no ano passado, sendo 599 destes, fatais.

“A situação em empresas é melhor, em geral, há uma maior preocupação com a segurança, mas isso representa pouco no universo de instalações elétricas brasileiras, tendo em vista o enorme número de residências com instalações comprometidas”, comenta Sergio Massao, responsável por desenvolvimento de negócios para a área de fios e cabos da UL na América Latina.

Não só no Brasil as instalações elétricas em âmbito doméstico provocam preocupação. Nos Estados Unidos segundo a Associação Nacional de Proteção ao Fogo (NFPA) 57% das casas americanas entre 2010 e 2014 tiveram uma situação de fogo resultante do mau funcionamento de fiação, luz ou transferência de energia. Somente os estragos de fiação foram responsáveis por 69% dos casos de incêndio, 56% das mortes e 66% dos custos associados a estragos residenciais.

Por lá, o equivalente às normas da ABNT para evitar perigos elétricos e assegurar os consumidores é a missão do Código Elétrico Nacional (NEC), lançado em 1896, como um documento de códigos e padrões de design, instalação e inspeção de fiação e equipamento para proteger pessoas e propriedades.

O NEC é legitimado por lei em quase todos os estados e municípios do país num esforço para aperfeiçoar a segurança em instalações elétricas. A UL tem um longo relacionamento com o NEC, 121 anos para ser exato. O fundador da UL, William Henry Merrill, participou da primeira reunião da NEC e foi presidente da NFPA. Desde então, os presidentes da UL tem trabalhado como líderes voluntários no desenvolvimento de edições do NEC ao longo dos anos.

No Brasil, em janeiro de 2014, o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior publicou a Portaria 51 elaborada pelo INMETRO, que aprovou os Requisitos de Avaliação da Conformidade para Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Este documento é a premissa para a certificação da instalação elétrica e permite que as instalações elétricas sejam certificadas no Brasil. A UL vem oferecendo o serviço de certificação voluntária para instalações comerciais e residenciais e inclusive já tem alguns projetos de novos edifícios que serão lançados com a certificação de suas instalações.

“É crucial ressaltar a importância de usar cabos e produtos certificados para ter confiabilidade nas instalacoes elétricas residenciais e comerciais. Existem muitos produtos ainda no mercado que, apesar de informar que são certificados, não são, colocando em risco a seguranca de todos e causando prejuizos. O investimento em bons cabeamentos certificados e as certificacoes de instalações representam, em média, menos de 10% do investimento de um edificacao, ou seja, o investimento é baixo quando tratamos de dar confiabilidade no projeto, sem risco a populacao, assegurando que o investimento nao seja perdido.”, explica Massao.

Sobre a UL

UL (Underwriters Laboratories) promove condições de vida e de trabalho seguras para as pessoas em todo o mundo por meio da aplicação da ciência para resolver os desafios de segurança e sustentabilidade. A Marca UL gera confiança, permitindo a adoção segura de novos produtos e tecnologias inovadoras.

Multinacional norte-americana, presente em mais 143 países, a UL está no Brasil desde 2000 quando iniciou as operações, com seis funcionários. Em 2013, a adquiriu o laboratório Testtech, de Porto Alegre, que atualmente conta com 50 funcionários e novas instalações em 2017. Atuando em diversas áreas no Brasil, a empresa ensaia , inspeciona, audita, certifica de acordo com as normas do INMETRO e ANATEL valida, verifica, assessora, treina e apoia outras empresas com soluções de software para segurança e sustentabilidade.

Assessoria 

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Acidente envolvendo dois carros deixa vítimas fatais entre Pirpirituba e Belém

acidenteUm acidente gravíssimo aconteceu na noite deste domingo (12), na rodovia PB 073 que liga os municípios de Pirpirituba e Belém nas proximidades do Bar do Brasil.

Segundo informações, dois veículos colidiram frontalmente sendo um Fiesta e um Fiat Strada de placas MOS 6555 de Guarabira-PB, 3 pessoas morreram no local com o impacto violento entre os carros.

Uma das vítimas trata-se de Edimilson Gêneses Araújo de Sousa, de 22 anos, filho de ‘Edmilson da Galinha’. Ele seguia no Fiesta.

Uma das duas vítimas que estavam no Fiat Strada, com placas de Guarabira, já foi identificada. Trata-se de um senhor conhecido como Zé Paulista, residente na Esplanada, em Guarabira/PB.

http://www.portalindependente.com/uploads/69.jpghttp://www.portalindependente.com/uploads/68.jpghttp://www.portalindependente.com/uploads/67.jpg
acidente
portalindependente

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Acidente com duas vítimas fatais na PB 107, rodovia que liga Casserengue a Solânea

acidenteAconteceu na tarde desta quinta-feira (29), um tombamento de moto por volta 13h30. O condutor de iniciais, C. P. S. 39 anos com o carona R. S. L. 51 anos, trafegavam na PB 107 em uma motocicleta Honda Fan 125c de cor preta, no sentido Casserengue à Solânea, nas proximidades da comunidade Saco dos Campos.

O condutor perdeu o controle da motocicleta vindo a cair a 47 metros à frente; com a gravidade do impacto, o carona chegou a óbito na hora, o mesmo não usava capacete; já o condutor que estava de capacete, ainda chegou a ser socorrido pela ambulância do município de Casserengue com equipe de plantão, sendo encaminhado para uns dos hospitais Campina Grande, mas não resistiu e veio a óbito no caminho.

Vitima Fatal o Carona

Vitima Fatal o Carona

03

04

Por Redação/TV WEB CIDADE

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Acidente deixa duas vítimas fatais na rodovia PB 075, que liga Alagoa Grande à Alagoinha

Foto: Portal do Júlio
Foto: Portal do Júlio

Um grave acidente aconteceu na noite do último domingo (1), na rodovia PB 075, que liga Alagoa Grande à Alagoinha, um veículo Corsa, de cor preta, placas OGB 6898, João Pessoa, capotou nas proximidades do distrito de Canafístula, no carro estava Antonio da Silva Gonçalves Junior, 24 anos (Junior Fazendinha) e Wellington Paulo da Silva, 25 anos (Manga), ambos não resistiram e veio a óbito no local.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

As primeiras informações que foram divulgadas por pessoas ligadas ás vítimas, os dois seguiam para cidade de Guarabira, acompanhar o show de Anitta, que se apresentou na Festa da Luz 2015.

No local compareceu o Corpo de Bombeiros onde prestou todos os procedimentos legais, e a Polícia Militar para isolar a área.

 

nordeste1

Caminhoneiros são as maiores vítimas de acidentes de trabalho fatais

caminhoneiroOs caminhoneiros são os trabalhadores que mais morrem nos estados de Minas Gerais e São Paulo. Foi o que mostrou uma pesquisa inédita divulgada neste mês sobre acidentes de trabalho fatais nos dois estados, relativa aos anos de 2006 a 2008.

De acordo com o estudo, 15% dos 823 trabalhadores que morreram em decorrência da atividade laboral em Minas Gerais nesse período eram motoristas de caminhão; outros 5,7% eram serventes de obras e 3,7%, trabalhadores da agropecuária em geral. No estado São Paulo, a pesquisa revelou números semelhantes. Os caminhoneiros foram maiores vítimas entre os 2.252 mortos equivalendo a 11%, seguidos pelos serventes de obras (3,7%) e trabalhadores de linha de produção (3,1%).

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O estudo relaciona os dados de declarações de óbitos com as Comunicações de Acidentes do Trabalho (CAT) e foram divulgados em uma pesquisa do órgão governamental Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho (Fundacentro), em parceria com a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) de São Paulo.

De acordo com a pesquisadora Monica La Porte Teixeira, do Seade, o trabalho em ambiente completamente externo contribui para o maior índice de acidentes entre os caminhoneiros. “Eles estão expostos a acidentes no exercício da sua profissão e no trajeto, quando vem e voltam do trabalho. Correm o risco de violência e precisam trabalhar até 15 horas diárias. Tudo isso leva eles a sofrerem a tendência de ter um acidente”, explica.

A pesquisa também mostrou que a média de idade dos trabalhadores vítimas de acidentes fatais é de 37 anos e que cerca de 80% das mortes são de pessoas sem o ensino médio completo. “O que a gente percebeu é que os acidentes de trabalho atingem as camadas mais populares, os trabalhadores que estão na rua, expostos, e [em empregos] que tem pouca necessidade de alfabetização mais qualificada”, afirma a pesquisadora Rosa Maria Vieira de Freitas, também do SEADE, que contribuiu no corpo técnico da pesquisa.

 

Bases de dados diferentes

As pesquisadoras explicam que o estudo veicula informações de três fontes diferentes para análise de dados: o CAT do Ministério da Previdência Social, o Sistema de Declaração de Óbitos (DO) da Fundação Seade para o Estado de São Paulo, e o Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde para o Estado de Minas Gerais.

Os dados, segundo elas, nem sempre batem com as informações geradas pela Previdência Social. Há casos em que declarações de óbito de acidentes de trabalho não geraram a CAT, por exemplo. Em outras situações, a CAT que indica acidente de trabalho não tem declaração de óbito correspondente.

De acordo com as pesquisadoras, o estudo trabalhou com as informações de forma conjunta, identificando casos comuns e elaborando uma base de dados mais completa. “A gente tentou nessa veiculação ter o número [de mortes em acidentes de trabalho] mais perto do real. Existem diversas fontes de informação sobre acidentes de trabalho e nenhuma abarca toda a população trabalhadora. Queremos proporcionar uma melhora da informação para a criação de políticas públicas mais coerentes com a realidade”, destaca Rosa.

Para a Monica La Porte Teixeira, a pesquisa mostra a necessidade de unificar as bases de informação para facilitar a elaboração de diretrizes para políticas públicas. “Se cada base cobrisse a população trabalhadora [total], talvez a gente encontrasse um número maior de acidente do trabalho”, defende.

Atualmente o Brasil conta com seis bases diferentes de informação que tratam de acidentes de trabalho fatais: o Dataprev, gerenciado pelo Ministério da Previdência Social, com registros das Comunicações de Acidentes do Trabalho (CAT); o Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), gerenciado pelo Ministério da Saúde, com registros das Declarações de Óbito (DO); o Sistema de Informações Hospitalares (SIH), também gerenciado pelo Ministério da Saúde; a Relação Anual das Informações Sociais (Rais), gerenciado pelo Ministério do Trabalho e Emprego, com dados sobre movimentação dos empregados com contrato formal de trabalho; e o Sistema de Informações de Agravos de Notificação (SINAN), do Ministério da Saúde.

 

 

brasildefato

Colisão entre motos faz quatro vítimas fatais; acidente aconteceu entre Lagoa de Dentro e Pedro Régis


Um grave acidente foi registrado na noite desse sábado (24), entre as cidades paraibanas de Pedro Régis e Lagoa de Dentro. Segundo informações, uma colisão entre duas motocicletas resultou na morte de quatro pessoas, sendo que três morreram na hora e um faleceu após ser levado para a unidade hospitalar em Jacaraú.

De acordo com as primeiras informações, duas dessas vítimas residiam em Duas Estradas, e as outras duas residiam em Pedro Régis.



Fonte: Portal Independente, com fotos de Josiene  Januario

Focando a Notícia

Acidente deixa três vítimas fatais em Araruna

Três pessoas morreram em um grave acidente na Rodovia que liga Araruna a cidade de Tacima. O acidente aconteceu por volta das 10 horas da manhã desta terça-feira, 21.

Um carro Fiat Uno sobrou em uma curva bem acentuada colidindo com um caminhão da Coca-Cola. Na colisão morreram os senhores João Domingos de 42 anos, Adriano da Silva Barros de 26 anos e Sales Pereira da Silva de 36 anos. As vítimas moravam no sítio Balanços de Araruna.

O motorista e duas pessoas que vinham no caminhão nada sofreram.

 

Veja fotos:

 

 

 

 

 

Por: Diário de Araruna/ Foto: Jasiel Bernardo

Divulgado nomes das vítimas fatais do acidente envolvendo caminhão e caminhonete em Esperança


Pelo menos seis pessoas morreram no início da noite desta terça-feira (22) em um grave acidente no quilômetro 91 da BR-104, entre as cidades de Esperança e Remígio, no agreste paraibano.

As primeiras informações dão conta que cinco das vítimas morreram no local e outra faleceu quando estava sendo transportada para o hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande.

De acordo com a secretária de Saúde do município de Esperança, Cecília Alexandre, sete pessoas feridas foram levadas para o hospital da cidade onde forma feitos os primeiros socorros. Depois todos foram encaminhados para a cidade de Campina Grande. No entanto, no meio do caminho uma das mulheres não teria resistido aos ferimentos, vindo a óbito. Ainda segundo Cecília Alexandre, a maioria das vítimas seria da cidade de Arara, para onde o transporte alternativo se dirigia no momento da colisão.

De acordo com informações preliminares Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente envolveu dois veículos, sendo uma caminhonete Veraneio e um caminhão de rede de lojas.

Equipes do Samu e Corpo de Bombeiros foram ao local e o trânsito na rodovia ficou bastante lento. No momento chove bastante na região.

Confira lista de mortos:

– Carlos César Morais Batista, de 32 anos; (Motorista do caminhão do Armazém Paraíba)

– Matias Ferreira de Medeiros, de 42 anos; (Motorista da Veraneio)

– Givanilton Elias Batista, de 25 anos;

– James Russeu do Nascimento, de 42 anos;

– Marleide Batista de Arruda, de 40 anos;

– (Sexta vítima ainda não identificada até o fechamento da matéria);

 

Movimentação em Frente ao Hospital Municipal

Por Michele Marques