Arquivo da tag: expulso

Aluno é expulso do Colégio da Polícia Militar após ser flagrado vendendo crack dentro da unidade

TV Correio
TV Correio

O estudante de 17 anos que foi detido dentro do Colégio da Polícia Militar, em João Pessoa, na tarde desta quarta-feira (20), comercializando crack, foi  expulso da unidade escolar, conforme informou a Delegacia da Infância e Juventude da Capital.

“O capitão Elmer Oliveira (diretor do colégio) esteve aqui na delegacia e disse que o aluno estava sumariamente expulso do colégio porque feriu gravemente o regimento”, disse um agente da delegacia.

De acordo com a delegacia, na tarde de ontem (20), alunos do 1º ano sentiram um cheiro semelhante à droga e comunicaram o caso a direção. Quando os policiais fizeram a revista na bolsa do aluno encontraram 42 pedras de crack.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O estudante, que é filho de um cabo da Polícia Militar, foi encaminhado para a Delegacia da Infância e Juventude. Ele prestou depoimento, foi feito o flagrante e liberado.

A reportagem tentou contato com a direção do colégio, mas o capitão Elmer não foi localizado para comentar sobre o caso.

 

 

Hyldo Pereira, Portalcorreio

Presidente do PT de Campina Grande é expulso do partido pelo Diretório Nacional

Alexandre AlmeidaO Presidente do Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores em Campina Grande, Alexandre Almeida, acaba de ser expulso do partido. A decisão foi tomada nesta noite pelo Diretório Nacional em Brasília.

 

Segundo a fonte que tem forte influência no Diretório Nacional, o partido decidiu expulsar Almeida por seis votos a zero. “Agora ele não pode nem recorrer ao Papa” brincou a fonte que preferiu não ver seu nome revelado nesta matéria.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O presidente estadual do PT da Paraíba, Rodrigo Soares, já havia sinalizado para uma punição severa de Almeida, já que o mesmo não havia cumprido os acordos fechados pelas instâncias estadual e nacional do partido. A situação de presidente do PT de Campina Grande se agravou depois que ele entrou com ações contra a direção municipal, estadual e nacional do Partido que inviabilizou uma a aliança com Daniella Ribeiro do PP.

 

 

Clilson Júnior
ClickPB

 

Com Neymar expulso, Ponte Preta vence Santos e segue na liderança

ponte-preta_santosNo duelo do paredão defensivo contra o bom poder de fogo, a Ponte Preta levou a melhor sobre o Santos. Em jogo marcado pelas expulsões de Artur e Neymar, que discutiram e receberam cartão vermelho no fim da etapa inicial, a Macaca venceu por 3 a 1, neste domingo, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, onde tem 100% de aproveitamento. Assim, seguiu na liderança do Paulistão, com 18 pontos. O Peixe, por sua vez, estacionou nos 14 pontos ganhos.

Bruno Silva e Alemão (duas vezes), revelado na base do Santos, marcaram para a Ponte Preta, enquanto André, centroavante do Peixe, encerrou o jejum de 13 jogos sem gols, insuficiente para ajudar o time a conseguir resultado melhor.

Agora, a Ponte Preta encara o São Bernardo, também no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, às 18h30m, no domingo. No mesmo dia e horário, o Santos recebe o XV de Piracicaba, confronto inicialmente marcado para a Vila Belmiro. A partida pode mudar de local em função do julgamento do estádio, marcado para esta segunda-feira, por conta das moedas atiradas a Paulo Henrique Ganso, do São Paulo, no clássico do dia 3 de fevereiro. Os dois jogos são válidos pela nona rodada do Paulistão.

Ponte sai na frente e Neymar é expulso

A novidade no lado da Ponte Preta foi a escalação do zagueiro Cléber, recuperado de lesão no tornozelo esquerdo. Pelo Santos, Muricy Ramalho inovou com uma formação no 4-5-1, sem um centroavante de referência. Apenas Neymar era o atacante de ofício. E os dois foram personagens na etapa inicial.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Depois de uma finalização do próprio craque loiro, foi a Macaca que abriu o placar. E em uma jogada estranha por parte de Rafael. No primeiro lance, o goleiro espalmou de forma esquisita o cruzamento de Cicinho. Na sequência, o peruano Ramirez deu lançamento perfeito para Bruno Silva. Aproveitando-se da pane geral da zaga santista, o volante chegou de trás e só completou para a rede, aos 11 minutos.

Perdendo o meio de campo para a Ponte, o Santos passou a assustar só nas bolas paradas de Marcos Assunção. Em cruzamentos ou finalizações diretas, Édson Bastos trabalhou bem para evitar, principalmente, o gol de Durval, em cabeçada perigosa. A resposta ainda mais eficiente foi dada por Artur, que acertou o travessão de Rafael.

Já no fim do primeiro tempo, aos 46 minutos, foi justamente o lateral-direito da Ponte Preta que acabou expulso, assim como Neymar. Após jogada na área da Macaca, os dois discutiram. Houve troca de xingamentos. Em seguida, o zagueiro Cléber empurrou o rosto do santista, mas o árbitro Luiz Flávio de Oliveira decidiu expulsar Artur e Neymar, gerando reclamações do jogador loiro na saída para o intervalo.

No 10 contra 10, Ponte vence

Na volta para o segundo tempo, Muricy trocou Renê Júnior pelo centroavante André. Assim, Arouca teve de recuar como primeiro volante. Já o técnico Guto Ferreira improvisou Cicinho pela direita, para suprir a ausência de Artur na Ponte Preta.

Com os ânimos controlados, o jogo caiu bastante tecnicamente. Exceção feita a uma finalização de Bruno Peres, poucos lances assustaram os goleiros Édson Bastos e Rafael. Tanto que os dois treinadores promoveram mais alterações na tentativa de melhorar suas equipes.

No Santos, Felipe Anderson ganhou o lugar de Montillo, e Patito Rodriguez substitutiu Cícero. Na Ponte Preta, Wellington Bruno entrou na vaga de Ramirez, e Alemão ocupou a posição de William. O atacante revelado na base do Peixe foi o responsável por definir o placar. Em belo lançamento de Cicinho, ele saiu na cara de Rafael e fez 2 a 0, aos 36 minutos. O jogador preferiu não comemorar, em respeito ao antigo clube.

Ainda houve tempo para uma substituição inusitada. Com uma lesão muscular, o árbitro Luiz Flávio de Oliveira deu lugar a Rodrigo Braghetto, que terminou a partida no comando do apito.

Já no fim, André acabou com o jejum de 13 jogos e marcou o gol de honra do Peixe. Mas em seguida, em novo lance estranho de Rafael, Alemão aproveitou a bobeira e definu o 3 a 1.

Com 100% de aproveitamento no estádio Moisés Lucarelli, a Macaca, melhor defesa do Paulistão, bateu o Santos e continua na liderança isolada do estadual.

 

 

Globoesporte.com

Antes de morrer, estudante paraibano aparece amarrado após ser expulso de rave em PE

Créditos: Márcio Rangel
Créditos: Márcio Rangel

Um vídeo divulgado na noite desta sexta-feira (08), pela TV Correio/Record, mostra imagens de Hector Ígor Souza Lopes, 20 anos, antes de morrer na madrugada do último domingo (3), após sair de uma rave em Jaboatão dos Guararapes, no Estado de Pernambuco. O estudante paraibano havia sido expulso da festa.

Nas imagens, cedidas pela TV Clube/Record, ele aparece trajando apenas uma cueca e algemado, passando mal diante das pessoas que o cercavam. Mesmo percebendo que Hector Igor não estava bem, os populares que observavam sua situação, não acionaram atendimento médico para socorrer o paraibano.

Ainda não foi identificada a causa da morte do jovem, no entanto, existem duas hipóteses para o caso: espancamento ou overdose de entorpecentes. O jovem era estudante de Direito da Faculdade de Ciências Socais Aplicadas (Facisa), da cidade de Campina Grande.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A causa da morte do estudante só poderá ser confirmada com os laudos dos exames feitos pelo Instituto de Medicina Legal (IML) do bairro de Santo Amaro, no Recife. “Precisamos analisar todo o contexto. No momento não podemos afirmar nada”, disse a perita Leila Gouveia.

O corpo de Héctor foi enterrado na segunda-feira (04), em Campina Grande. O velório ocorreu na Igreja Presbiteriana das Malvinas.

Veja vídeo:

 

Pollyana Sorrentino com informações do FolhaPE

Neymar é expulso, mas Santos arranca empate com o Grêmio

Não adiantou ter marcação individual, por zona ou uma tática coletiva para anular Neymar. Nem ver a torcida do Grêmio atordoá-lo ao ponto de ser expulso. Mesmo com um a menos, o Santos segurou o Grêmio e arrancou empate em 1 a 1, na noite deste domingo, no Olímpico, pela 27 rodada do Brasileirão. E poderia ter sido pior para os donos da casa. No último lance do jogo, Bernardo cobrou falta no travessão e quase virou o jogo.

O resultado foi ótimo ao líder Fluminense e ao vice Atlético-MG, que viram a ascensão tricolor diminuir de ritmo. Agora com 50 pontos, o time gaúcho está nove pontos atrás dos cariocas e três, dos mineiros. O Peixe, por sua vez, está em 13º com 34 pontos.

Os dois times voltam a jogar sábado, nas suas casas, mas em horários diferentes. O Santos recebe o Inter, às 16h20m, e o Grêmio, o Cruzeiro, às 18h30m.

Depois do jogo, o centroavante Marcelo Moreno afirmou que o Grêmio relaxou depois da expulsão de Neymar.

– A gente trabalhou todo o tempo para fazer o segundo gol, mas não conseguiu manter o nível no segundo tempo. Acho que a gente relaxou quando o Neymar foi expulso.

Já o técnico do Santos, Muricy Ramalho, reclamou da arbitragem, que mandou para rua o craque da Vila:

– Ele (Neymar) toma porrada o tempo todo e não fazem nada. Ele só caiu por cima (do Pará), não fez nada. Falam que ele é cai-cai, mas ele não faz isso e continua tomando porrada igual.

Pressão deu resultado

Antes mesmo de o jogo começar, a preocupação tricolor com Neymar era evidente. O jogador fora vaiado ao ter o nome anunciado no sistema de som e ao subir ao campo para o aquecimento. O único momento de trégua aconteceu quando um banco de crianças, que esperava a entrada do time do Grêmio em campo, não se aguentou e cercou o ídolo: uma menina, visivelmente emocionada, se agarrou ao jogador e caminhou com ele por quase todo o campo até o vestiário.

Neymar na partida do Santos contra o Grêmio (Foto: Futura Press)Neymar recebeu muitas vaias da torcida no Olímpico (Foto: Futura Press)

Bem diferente do comportamento do restante do público e da equipe gremista. Sem violência – diga-se de passagem -, a parceria encontrou em vaias, gritos, marcação firme e posicionamento correto as táticas para controlar a estrela santistas e da Seleção. Tudo, claro, acrescido da perfeita atuação de Pará. Responsável por marcar o camisa 11, o lateral-direito, que só atuou com o pagamento de multa, afinal está emprestado pelo Peixe, ainda conseguiu atacar.

Foi assim que saiu o primeiro ataque gaúcho. Aos 12 minutos, Pará cruzou da linha de fundo e Marcelo Moreno bateu de primeira por cima do gol de Rafael. O lance gerou uma série ataques. O centroavante acertou uma cabeçada no travessão, mesmo recurso usado por Gilberto Silva, que parou nas mãos de arqueiro rival. Moreno ainda bateu cruzado para fora, mas a pressão foi aumentando, aumentando até que… Zé Roberto cobrou falta, Werley subiu mais do que a zaga e, também de cabeça, abriu o placar: 1 a 0, aos 33. Foi o oitavo gol do zagueiro no ano, o quinto de cabeça.

E Neymar? Ele mostrou a qualidade habitual. Parece ter um ímã nos pés tal o controle de bola. Mas encontrou, por vezes, marcação tripla. Só conseguiu um chute de longe, defendido por Marcelo Grohe.

Expulsão não atrapalhou

Em desvantagem no placar, o Santos voltou com Bernardo no segundo tempo na vaga de Pato Rodrigues. Mas teve um Neymar um jogador incomodado. Diferente do habitual. Levou amarelo, aos cinco minutos, por reclamação. E foi expulso, dois minutos mais tarde, depois de se embolar e cair com Pará.

O que parecia ser o começo do fim, na verdade, abriu a reação do Peixe. O Grêmio se desarrumou. E sofreu o empate, aos 12, com Bruno Rodrigo. O zagueiro chutou de dentro da área após Durval escorar cobrança de escanteio de Bernardo.

A igualdade murchou o time gaúcho. Por momentos, deu a impressão de ter um a menos. Quase levou a virada com André, que bateu cruzado. Só com a entrada de Leandro a partida teve outra reviravolta.

O atacante quase marcou aos 28: tomou a frente de Durval, mas chutou para fora. Abusando de chutões e cruzamentos para área, o Grêmio não teve forçar para fazer o segundo. E no último lance do jogo, quase levou a virada. Bernardo sairia na cara de Marcelo Grohe. Léo Gago fez a falta e acabou expulso. Na cobrança, o próprio meia bateu e a bola explodiu no travessão.

Globoesporte.com

Kleber é expulso logo no início, mas Grêmio segura Verdão no Pacaembu

Em 15 minutos, o torcedor palmeirense se encheu de esperança. Parecia que chegaria ao fim o o martírio que o time vive no Brasileirão deste ano. Com um jogador a mais a partir dos 16 do primeiro tempo – Kleber, sim, ele mesmo, foi expulso -, o Verdão controlou todo o jogo, encurralou o Grêmio, criou chances, mas faltou o gol. Faltou só um gol. O empate por 0 a 0 aumenta o clima tenso e a pressão sobre a equipe, figura constante na zona do rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Para os gaúchos, um ponto comemorado como se fossem três.

Kleber quase ajudou o ex-clube. Vaiado pela torcida desde o momento em que seu nome apareceu no telão, o atacante recebeu cartão amarelo por reclamação, aos 12 minutos, e levou o vermelho, aos 15, depois de um choque com Henrique em que teria deixado o cotovelo de forma proposital.

O Grêmio deixa São Paulo com um ponto valioso por atuar com um homem a menos por mais de 70 minutos. Com 41 pontos, os gaúchos estão a três do vice Fluminense e do líder Atlético-MG, que tem dois jogos a menos (encara o Corinthians neste domingo e o Flamengo, em duelo adiado, no dia 26).

O Palmeiras se animou, teve a partida nas mãos ao sufocar o adversário durante quase todo o tempo, mas não conseguiu aliviar o mau momento. O incentivo vindo das arquibancadas se transformou em nervosismo e vaias. São agora quatro partidas sem vencer, desempenho que o mantém no grupo dos quatro piores, com apenas 17 pontos, em 17º lugar. O perigo de cair novamente para a Série B é cada vez mais real.

Na próxima rodada, o Palmeiras volta a jogar em casa. Recebe o Sport, quinta-feira, às 21h, no Pacaembu. O Grêmio recebe o Atlético-GO, quarta-feira, às 20h30min, no estádio Olímpico.

luan palmeiras kleber grêmio brasileirão (Foto: Nelson Antoine / Agência Estado)Luan, do Palmeiras, em disputa de bola com Kleber, do Grêmio  (Foto: Nelson Antoine / Agência Estado)

Palmeiras domina, mas não marca; Kleber é expulso

A necessidade de uma vitória para aliviar a pressão fez o Palmeiras colocar o Grêmio contra a parede. No embalo da torcida, que compareceu em número apenas razoável ao Pacaembu (o público total foi de 12.035 pessoas), mostrou vontade, lutou em todos os lances, mas não foi capaz de furar a boa marcação armada pelo Grêmio e construir uma vantagem mínima.

Felipão optou por um esquema com três volantes e acabou minando as forças ofensivas do time. Luan, de volta após 14 partidas, o estreante Tiago Real e o ídolo Barcos se destacaram, mas não puderam resolver. Os paulistas esbarraram na muralha construída por Vanderlei Luxemburgo em frente à área e só levaram perigo em chutes de longe de Artur e João Vitor.

O domínio alviverde aumentou ainda mais aos 15 minutos. Muito vaiado pela torcida palmeirense, o atacante Kleber foi expulso depois de uma dividida com Henrique na intermediária. A arbitragem entendeu que o Gladiador acertou uma cotovelada no adversário – ele já havia sido punido com cartão amarelo por reclamação três minutos antes.

Mesmo com um a mais, o Palmeiras não conseguiu criar oportunidades claras para marcar. Maikon Leite entrou na vaga de João Vitor e pouco fez. O Grêmio só chegou ao ataque aos 44. Zé Roberto recebeu passe em profundidade na área, driblou o goleiro Bruno e chutou. A bola tocou no braço de Thiago Heleno, mas a arbitragem mandou o lance seguir, revoltando os tricolores.

henrique palmeiras zé roberto grêmio brasileirão (Foto: Cesar Greco / Agência Estado)Henrique, do Palmeiras, disputa com Zé Roberto,
do Grêmio (Foto: Cesar Greco / Agência Estado)

Mais pressão do Verdão e…0 a 0

Scolari tentou dar mais qualidade ao Palmeiras com a entrada de Correa no lugar de Artur. O volante foi improvisado na lateral direita, e o Verdão passou a insistir mais por aquele lado. Apesar de os primeiros minutos se transformarem em um treino de ataque contra defesa, os paulistas não levaram perigo ao goleiro gremista. Na melhor jogada, Tiago Real bateu da entrada da área e quase acertou o canto direito de Marcelo Grohe.

Assim como na primeira etapa, o Grêmio se trancou atrás e buscou apenas os contra-ataques. E foi em um deles que os gaúchos quase abriram o placar, aos dez. Zé Roberto fez bela jogada pela esquerda e, na saída de Bruno, tocou a bola para trás. Com o gol vazio, Marcelo Moreno chutou e a bola explodiu em Maurício Ramos.

O passar do tempo trouxe nervosismo à torcida e contaminou a equipe. O Palmeiras passou a errar mais passes e, por alguns momentos, se descontrolou. Bem marcado, Barcos sofreu com a falta de espaço. Novamente, a solução foi arriscar em chutes de longe. Maikon Leite foi quem mais se aproximou do gol em duas finalizações perigosas de fora da área.

Aos 40, o lance que definiu o empate por 0 a 0. Barcos fez boa jogada pela direita, passou por um marcador e tocou por cobertura. A bola passou pelo goleiro gremista e caprichosamente beijou o travessão. Era o fim do jogo.

Globoesporte.com

Cabo é expulso da PM da PB; 21 já foram banidos neste comando

Foi publicado na manhã da terça-feira (21) no Diário Oficial do Estado da Paraíba (DOE) o comunicado da exclusão do policial militar Natanael Virgínio da Rocha Júnior da corporação. O cabo da PM foi expulso após ser indiciado em um Inquérito Policial Militar. De acordo com o comandante geral da PM da Paraíba, coronel Euller Chaves, o cabo foi excluído por ter cometido várias ações de indisciplina, dentre elas, o crime de extorsão.

Ainda de acordo com o coronel, a decisão do desligamento do servidor foi tomada pelo conselho de disciplina da corporação, que avaliou o conjunto de infrações e sugeriu expulsá-lo. Na publicação do DOE aparece como justificativa para a decisão, a conclusão do inquérito, que aponta participação em organização criminosa e em outros ilícitos.

A equipe de reportagem do G1 não conseguiu entrar em contato Natanael Virgínio, mas o comandante Euller Chaves informou que ele recorre da decisão ao governador da Paraíba, único que poderia reverter sua punição.

De acordo com Euller Chaves, nos 20 meses em que ele está à frente do comando, pelo menos 21 servidores da PM foram expulsos da corporação. Segundo ele, esse número é encarado como natural pelos trabalhadores, mas um alerta quanto à disciplina que deve ser mantida na Polícia Militar pParaibana. ” São 10 mil funcionários da PM e é necessário que eles respeitem as determinações da corporação. Assim, o trabalho da polícia fica mais disciplinado, mais monitorado”, explicou o comandante geral.

O policial expulso tinha 13 anos com a farda da PM, estava lotado no 12º Batalhão, e ainda poderá recorrer da decisão ao governador do Estado. O coronel Euller Chaves explicou que quem tiver mais de dez anos na corporação e cometer qualquer infração é submetido ao conselho de disciplina. Os servidores com menos tempo, passam por um processo administrativo disciplinar.

G1 PB