Arquivo da tag: Exercício

‘Estava no exercício do meu mandato’, diz Cida sobre uso de veículo oficial em protesto

A deputada estadual Cida Ramos (PSB) foi flagrada na manhã desta sexta-feira (14) participando de protestos da Greve Geral nos Bancários, bairro de João Pessoa. De acordo com imagens que circulam pelas redes sociais, a socialista estaria usando um carro alugado pelo governo do Estado para trancar uma das principais ruas do local.

“Primeiro eu quero deixar claro que estou no execício do meu mandato, eu fui eleita e esse pelo povo paraibano e eu estou no meu compromisso de campanha. Seria estranho se eu não estivesse na luta porque é a minha trajetória, eu venho das lutas sociais, o meu mandato levou essa mensagem de ampliação de direitos”, declarou.

Foto: Reprodução

Em entrevista concedida ao programa de rádio Arapuan Verdade, Cida lembrou que lidera uma frente parlamentar em defesa da Previdência Social e contra as reformas sugeridas pelo governo federal e garantiu que não estava cometendo nenhum erro ao utilizar o veículo oficial para protestar contra as mudanças.

“Nada mais correto do que eu estivesse na luta com os trabalhadores, não estava escondida. Quem tirou a foto e publicizou só fez algo que todo mundo já sabia, que eu estava nas ruas desde as 4 horas. É um direito do mandato como deputado e eu vou continuar fazendo sempre isso”, disse.

A parlamentar arrematou: “isso é um factoide criado por quem não tem coragem de discutir, de debater a política econômica do nosso país. São essas pessoas que defendem os bancos e grandes empresas. Estarei à tarde na mesma luta e aproveita para convocar todos às 15 horas na Lagoa em ato público”.

Yves Feitosa/Felipe Nunes

 

 

 

TCE-PB aprova contas da Câmara de Bananeiras no exercício de 2014

tceO Tribunal de Contas da Paraíba, reunido para a última sessão plenária do biênio iniciado em 2015, emitiu parecer contrário à aprovação das contas de 2013 encaminhadas a seu exame pelo ex-prefeito de Cachoeira dos Índios, Francisco Dantas Ricarte. Ele, que respondeu por despesas não licitadas, não recolhimento de contribuições previdenciárias e contratações sem concurso público, entre outras irregularidades, ainda pode recorrer dessa decisão.

Foram aprovadas as contas das Câmaras de Vereadores de Bananeiras, então presidente Ramom Moreira (2014, com ressalvas), Cacimba de Dentro, Logradouro, Tacima e Paulista (exercício de 2015, nesses últimos cinco casos).

A exemplo do relator Fernando Catão, o TCE entendeu pelo não provimento de recurso interposto pela ex-prefeita de Pedras de Fogo, Maria Clarice Ribeiro Borba, para modificar a decisão inicial contrária à aprovação das contas de 2011 por ela apresentadas.

O processo atinente às contas de 2013 da Empresa Paraibana de Abastecimento e Serviços Agrícolas (Empasa) foi retirado de pauta a fim de aguardar decisões relacionadas a processos licitatórios do mesmo período, conforme proposto, preliminarmente, pelo conselheiro Fernando Catão.

As contas da Agência de Regulação do Estado da Paraíba (AERP), constantes da pauta de julgamentos, foram aprovadas com ressalvas conforme proposta do relator Renato Sérgio Santiago Melo. Embargos de declaração interpostos além do prazo legal pelo ex-gestor da Secretaria de Estado da Juventude, Esporte e Lazer, Cristiano Zenaide Paiva, não foram conhecidos pelo TCE.

Em grau de recurso, o Tribunal manteve a irregularidade do processo de dispensa de licitação conduzido pelo ex-secretário da Saúde Waldson Dias de Souza para contrato de organização social encarregada da administração da UPA de Guarabira.

Participaram da sessão plenária, conduzida pelo vice-presidente André Carlo Torres Pontes (em razão da presença do titular Arthur Cunha Lima na solenidade de posse da nova Mesa Diretora da Assembleia Legislativa), os conselheiros Arnóbio Viana, Nominando Diniz, Fábio Nogueira, Fernando Catão e Marcos Costa. Também, os conselheiros substitutos Antonio Gomes Vieira Filho, Antonio Cláudio Silva Santos e Renato Sérgio Santiago Melo. O Ministério Público de Contas esteve representado pela procuradora geral Sheyla Barreto Braga de Queiroz.

 

Ascom/TCE-PB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Dieta e exercício reduzem acúmulo de proteínas ligadas a Alzheimer

 

AlzheimerUm estudo realizado por pesquisadores do Instituto Semel de Neurociências e Comportamento Humano da UCLA (Universidade da Califórnia em Los Angeles), nos Estados Unidos, descobriu que uma dieta saudável, atividade física regular e um índice de massa corporal normal pode reduzir a incidência de acúmulos de proteínas que estão associadas ao aparecimento do Alzheimer.

Na pesquisa, 44 adultos na faixa etária de 40-85, com modificações de memória leve, mas sem demência, foram submetidos a tomografia por emissão de pósitrons (em inglês chamada de PET Scan) que mede o nível de placas e emaranhados no cérebro.

A placa funciona como depósito de uma proteína tóxica chamada beta-amilóide nos espaços entre as células nervosas do cérebro. Já os emaranhados, estão ligados a proteína tau, que quando os micro túbulos não estão estáveis, pode levar ao aparecimento de estados de demência, como a doença de Alzheimer.

Os pesquisadores também coletaram informações sobre o índice de massa corporal dos participantes, os níveis de atividade física, dieta e outros fatores de estilo de vida. O estudo descobriu que cada um dos vários fatores do estilo de vida estavam ligados a níveis mais baixos de placas e emaranhados nos exames cerebrais.

“O fato de que poderíamos detectar essa influência do estilo de vida em um nível molecular antes do início de sérios problemas de memória nos surpreendeu”, disse Dr. David Merrill, o principal autor do estudo, que aparece na edição de setembro do American Journal of Psiquiatria Geriátrica.

O novo estudo é o primeiro a demonstrar como fatores de estilo de vida influenciam diretamente proteínas anormais em pessoas com perda de memória sutil que ainda não foram diagnosticados com demência. Os fatores de estilo de vida saudável, também têm sido relacionados a uma redução do cérebro e menores taxas de atrofia em pessoas com doença de Alzheimer.

“O estudo reforça a importância de viver uma vida saudável para prevenir a doença de Alzheimer, mesmo antes do desenvolvimento de demência clinicamente significativo”, disse Merrill. “Este trabalho dá uma visão fundamental não apenas para a capacidade dos doentes para prevenir a doença de Alzheimer, mas também a capacidade dos médicos para detectar essas mudanças”.

O próximo passo da pesquisa será combinar imagens com estudos de intervenção de dieta, exercício e outros fatores de estilo de vida modificáveis, como estresse e saúde cognitiva.

minhavida

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

TCE aprova prestação de contas do exercício de 2014 da Câmara de Solânea

camara-de-solaneaO Tribunal de Contas da Paraíba, reunido nesta quarta-feira (20), emitiu pareceres favoráveis à aprovação das contas apresentadas por cinco prefeitos paraibanos. Foram eles os de Pilões (Adriana Aparecida Souza de Andrade, exercício de 2013, com ressalvas e em fase de recurso), Serra Grande (Jairo Halley de Moura Cruz, 2014), Mulungu (Joana D’Arc Rodrigues Bandeira Ferraz, 2014), Itapororoca (Celso de Morais Andrade Neto, 2014) e Igaracy (Deusaleide Jerônimo Leite, 2013, contra o voto, pela reprovação, do relator Arnóbio Viana).

A Corte manteve, em fase recursal e por maioria de votos, a reprovação às contas de 2012 do ex-prefeito de Itapororoca (Erilson Cláudio Rodrigues), em razão, notadamente, do não pagamento de salários ao funcionalismo. Erilson, todavia, livrou-se do débito superior a R$ 308,5 mil que lhe fora inicialmente imputado por gastos com combustíveis, mas agora documentalmente comprovados. Também foi mantida, em fase recursal, a desaprovação às contas de 2013 do prefeito de Curral de Cima (Nadir Fernandes de Farias).

Gastos com a folha de pagamento acima do limite legal contribuíram, entre outras falhas, para a reprovação das contas de 2013 encaminhadas pelo presidente da Câmara de Vereadores de Cruz do Espírito Santo, José Ediberto Gomes de Melo, conforme voto do conselheiro Fernando Catão, contra qual ainda cabe recurso.

Tiveram as contas de 2014 aprovadas os Encargos Gerais da Secretaria de Estado das Finanças e as Câmaras Municipais de Solânea e Ingá (com ressalvas, nos dois últimos casos).

Conduzida pelo presidente Arthur Cunha Lima, a sessão plenária teve as participações dos conselheiros André Carlo Torres Pontes, Arnóbio Viana, Fernando Catão, Fábio Nogueira e Marcos Costa. Também, dos conselheiros substitutos Antonio Cláudio Silva Santos e Renato Sérgio Santiago Melo. O Ministério Público de Contas esteve representado pelo subprocurador geral Manoel Antonio dos Santos Neto.

 

Focando a Notícia com Ascom/TCE-PB

 

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Corrida demais é tão prejudicial quanto exercício nenhum, diz estudo

Praticar corrida em excesso pode ser tão ruim para a saúde quanto não praticar exercício, segundo cientistas dinamarqueses.

Para cientistas, exercícios extremos não mudam chances de morrer em comparação com sedentarismo
Thinkstock/Getty Images

Para cientistas, exercícios extremos não mudam chances de morrer em comparação com sedentarismo

Pesquisadores do Hospital Frederiksberg, em Copenhague, estudaram voluntários – todos saudáveis – ao longo de 12 anos: mais de mil praticavam corrida, ao passo que quase 4 mil não praticavam exercícios.

As menores taxas de mortalidade couberam aos praticantes de corrida a ritmo leve e moderado; já os que praticavam corridas intensas não registraram estatísticas muito diferentes das do grupo sedentário.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Quem correu a um ritmo constante durante menos de duas horas e meia por semana teve menos chances de morrer no período. Já os que correram mais do que quatro horas por semana ou não fizeram exercício nenhum registraram o maior número de mortes.

A corrida ideal

Os cientistas analisaram questionários preenchidos pelos voluntários que participaram da pesquisa. A partir das respostas, eles concluíram que o ritmo ideal de corrida é cerca de oito quilômetros por hora – moderado. Além disso, eles concluíram que é melhor não correr mais do que três vezes por semana, por um total de até 2,5 horas.

As pessoas que praticavam corridas mais intensas – particularmente aqueles que corriam mais de três vezes por semana ou a um ritmo mais forte do que 11 quilômetros por hora – tinham as mesmas chances de morrer que aquelas que não praticavam exercício.

“Você não precisa fazer tanto exercício para sentir um bom impacto na sua saúde. Talvez, na verdade, você não devesse praticar tanto (exercício). Não há no mundo recomendações de um limite máximo para o exercício seguro, mas deveria haver”, disse o pesquisador Jacob Louis Marott.

Caminhada vigorosa

Os pesquisadores ainda não sabem o que está por trás desta tendência, mas acreditam que mudanças no coração durante a prática de exercícios extremos podem oferecer uma explicação.

Em suas conclusões, os pesquisadores sugerem que “exercícios pesados, de resistência, podem induzir a um remodelamento patológico estrutural do coração e artérias no longo prazo”.

“A pesquisa mostra que você não precisa correr maratonas para manter sua saúde”, disse Maureen Talbot, enfermeira especializada em problemas cardíacos da organização British Heart Foundation.

“A orientação nacional (britânica) recomenda 150 minutos de atividades moderadas por semana. Pode parecer muito, mas até uma caminhada vigorosa é um bom exercício”, acrescentou.

 

iG

O exercício físico que mais emagrece

Qual é o melhor exercício para perder 20 quilos? É o levantamento mais lento de garfo, poderiam dizer os médicos, fisiologistas e profissionais de educação física. Fazendo-se as contas, é fácil entender por que a dieta faz mais diferença na perda de peso que o exercício físico. O corpo perde massa quando gasta mais energia do que ingere. De toda a energia gasta por uma pessoa, 15% a 25% correspondem àatividade física. Quem tem uma dieta de 3.000 calorias por dia (bem acima da recomendada para um adulto não-atleta) e gasta 2.500 calorias para estar vivo teria de queimar pelo menos 600 calorias extras com exercícios se quisesse emagrecer sem mexer na dieta.

Mas os exercícios de alto gasto energético, como o boxe, são pesados demais para os obesos sedentários. A falta de preparo e as doenças associadas à obesidade, como diabetes e hipertensão, poderiam nocautear o obeso muito antes de terminar o primeiro round. Para fins de perda de peso, portanto, mais vale reduzir o tamanho do prato. Então, para que serve o exercício se não é para queimar as calorias a mais?

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

exercício físico “ensina” o corpo a usar os combustíveis fornecidos pelos alimentos de forma mais eficiente. No sedentário, afirma o médico do esporte Paulo Zogaib, o metabolismo está acostumado a estocar em forma de gordura quase tudo que entra. Como o corpo do sedentário se mexe pouco e gasta pouca energia, as calorias contidas em doces, massas, carnes e frituras vão quase todas aumentar os estoques de gordura dentro das células adiposas.

Quando a pessoa começa a se exercitar, os músculos precisam de mais energia do que estavam acostumados a usar, e o metabolismo é obrigado a se ajustar à nova necessidade. É aí, nesse ajuste, que começam a surgir os benefícios. Um deles é a maior capacidade de transformar gordura armazenadaem energia. No sedentário, durante a atividade física, o corpo usa quase somente açúcar (glicose) como combustível. Mas o açúcar sozinho não serve para esforços de longa duração. Na queima do açúcar, fica um resíduo metabólico chamado ácido lático, que causa a dor da cãibra e limita o tempo de esforço. A gordura armazenada é um combustível mais eficiente, e é o condicionamento físico que mostra ao corpo.

A questão é qual exercício vai ter melhor resultado em cada pessoa. O tempo de esforço que cada um suporta depende do peso corporal, da quantidade de massa muscular, da capacidade de consumo de oxigênio e de muitos outros fatores. Segundo Zogaib, não vale a pena apostar todas as fichas num exercício muito difícil, que vá esgotar suas energias em dois minutos. Nem num muito fácil, que se possa suportar por uma hora mas que não vá mudar nada no metabolismo. “O ideal é procurar um nível de esforço que seja difícil e que se possa continuar por 20 a 30 minutos”, diz. Normalmente, isso equivale a algo entre 60% e 70% da carga máxima que você aguenta, que pode ser medida pelos batimentos cardíacos.

A chave para ter resultado sempre é não se acomodar no esforço confortável. Como o corpo condicionado fica mais capaz de realizar esforço, exercitar-se aquém dessa capacidade significa descansar. É preciso dificultar um pouco mais o exercício a cada vez.

“Quando o corpo se ajusta ao maior consumo de energia, surgem os benefícios”
PAULO ZOGAIB, médico do esporte

Os exercícios contínuos de longa duração (caminhada, corrida de fundo, natação) foram por muito tempo considerados a melhor opção para emagrecer. Mais recentemente, no entanto, percebeu-se que é mais fácil perder peso combinando esses exercícios (chamados aeróbicos) com os exercícios de força, que aumentam a massa muscular. Isso porque os músculos são grandes consumidores de energia. A musculação aumenta esse consumo não só durante, mas também horas depois do exercício. Num estudo com adolescentes obesos realizado pelo Grupo de Estudos da Obesidade (GEO) na Universidade Federal de São Paulo, a eficácia dessa combinação foi testada e comparada com aquela antiga, recomendada pelo Colégio Americano de Medicina do Esporte. Todos os voluntários seguiram durante um ano a mesma terapia, que inclui exercícios monitorados, orientação nutricional, atendimento psicológico e atendimento clínico. Mas, na hora dos exercícios, ao longo de 14 semanas, eles foram divididos em dois grupos. Parte deles fez 60 minutos de caminhada ou corrida na esteira, três vezes por semana, enquanto os demais fizeram 30 minutos de exercício na esteira mais 30 minutos de musculação.

BENEFÍCIOS
Fernanda tornou-se mais assídua na musculação ao perceber as mudanças no corpo, que vão além daperda de peso

Esses 30 minutos de musculação não eram iguais em todas as sessões. A cada dia da semana havia um treino com cargas diferentes. E, a cada quatro semanas, a sobrecarga usada mudava. É a periodização. “Esse tipo de treino normalmente é proposto para atletas e esportistas”, diz Denis Foschini, autor do estudo. Ao final, ele observou nos voluntários do grupo da musculação um melhor ganho de saúde em comparação com o primeiro grupo. Foram registrados melhores resultados em matéria de resistência à insulina, colesterol, força e massa muscular, taxa metabólica de repouso e diminuição da dor. “O grupo que fez só esteira perdeu força, enquanto o da musculação aumentou a força muscular em 300%, em média”.

Luis Filipe Galo, de 19 anos, entrou no programa pesando 98 quilos e saiu com 74. Ele ficou surpreso quando, após a bateria de exames que a equipe da Unifesp encomendou, no começo do ano passado, foi diagnosticado como obeso, com problemas no fígado, resistência à insulina e um tumor maligno na tiroide. Até então, sua barriguinha proeminente, nem tão grande assim, não incomodava muito e ele levava tranquilo sua vida sedentária. Por sugestão da mãe, inscreveu-se no programa da universidade. Logo que começou com os exercícios e a dieta, aderiu ao novo estilo de vida. “No começo dói o corpo todo. Mas adorei tudo desde a primeira semana”, diz Galo. Agora ele tem de se cuidar por conta própria. Sem a tiroide por causa do tumor, pretende manter o peso numa academia assim que se recuperar da cirurgia.

Ainda que a perda de peso seja lenta, os resultados das alterações metabólicas podem ser sentidos longe do espelho. À medida que se adapta aos novos esforços, o corpo sofre menos para executar movimentos que antes eram um suplício. A estudante Fernanda Larissa Camilo já tinha tentado diversas vezes perder peso numa academia. A inibição diante de sarados e magrinhas e o tédio na musculação a levavam a desistir. Depois de um ano de terapia com o GEO, já acha o exercício prazeroso. “Fico feliz quando consigo aumentar a carga”.

Os especialistas afirmam que é mais importante apreciar as pequenas mudanças e adotar para sempre o hábito de se mexer que realizar grandes esforços e emagrecer rapidamente. Com o tempo, um lance de escada que antes causava suadouro exagerado, dor nos joelhos e preguiça passa a fazer parte do cotidiano. Mais disposto e sem dores, o ex-obeso começa automaticamente a se movimentar mais e a gastar mais energia. É um longo processo, mas ele funciona.

Fonte: REVISTA ÉPOCA

Projeto exige graduação em pedagogia para exercício de cargos de direção e supervisão escolar

pedagogiaA Câmara dos Deputados analisa projeto que exige graduação no curso de pedagogia para quem exercer os cargos de profissionais da educação. A proposta (PL 7014/13), do deputado Ademir Camilo (Pros-MG), estabelece que os cargos de administração, planejamento, inspeção, supervisão e orientação educacional em educação básica deverão ser necessariamente ocupados por pedagogo.

Atualmente, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB – Lei 9.394/96) permite o exercício de cargos de direção e supervisão escolar também por profissionais com pós-graduação em educação, mesmo que tenham graduação em outra área.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Para Camilo, um profissional com formação em qualquer outra área de graduação superior, apenas com um título de especialista em educação, não tem uma base integral e humana suficiente para atender os alunos. De acordo com o deputado, “o exercício de determinadas funções requer uma formação consistente, robusta e embasada”.

Tramitação – O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado pelas comissões de Educação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta: PL-7014/2013

Autor: Agência Câmara

Cerveja como hidratante ideal após o exercício, mito ou realidade?

cervejaSan José, 13 abr (EFE).- Após uma jornada intensa de exercícios, muitos desejam saciar a sede com uma cerveja bem gelada, ainda mais se o sol estiver forte, mas será que essa é a melhor opção para se reidratar ou isso não passa de um mito?

Segundo um estudo do Centro de Pesquisa em Ciências do Movimento Humano (Cimohu) da Universidade da Costa Rica (UCR), a cerveja não é uma boa escolha após fazer esporte, porque não ajuda na recuperação do líquido perdido.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Esta nova análise contradiz outras publicações que foram divulgadas nos últimos anos nos meios de comunicação internacionais.

Um exemplo é o estudo apresentado em Bruxelas em 2011 durante o “VI Simpósio Europeu em Cerveja e Saúde”, onde especialistas médicos asseguraram que o consumo moderado de cerveja após praticar exercício físico é tão efetivo como a água para a reidratação e a recuperação.

Nesse momento, pesquisadores espanhóis da Universidade de Granada expuseram seus resultados e recomendaram o consumo da bebida fermentada para todas as pessoas que não tivessem nenhuma contraindicação.

Com o novo estudo divulgado na Costa Rica, se rompe esse velho mito de que a cerveja é um hidratante ideal.

“Faz sentido que algumas pessoas pensem que a cerveja pode servir para se hidratar, mas na realidade o que acontece é que se sentem bem porque é muito refrescante, é diferente. Para me refrescar posso fazer isso com um pedaço de melancia”, declarou à Agência Efe o pesquisador Luis Fernando Aragón.

Segundo o especialista, a diferença deste estudo para outros realizados é que foi usada unicamente a cerveja como hidratante, enquanto análise experimentais de outros países utilizaram um pouco de cerveja (41%) e mais um tanto de água (59%).

O estudo da UCR comparou a conservação de líquido, a alcoolemia, o tempo de reação e o equilíbrio após perder líquido por exercício no calor e recuperar essa perda com água, cerveja sem álcool e cerveja com álcool.

Foram recolhidas amostras de 11 pessoas acostumadas a beber cerveja e com uma condição física apropriada para realizar exercícios físicos durante uma hora para desidratar até 2% da massa corporal.

“Após três horas de monitoração, quando os participantes tomaram cerveja, só conservaram uma quarta parte do líquido, o resto foi urinado. Se comparado com cerveja sem álcool e com água, foi observado que mantinham 50% de líquido no corpo”, explicou Aragón.

O pesquisador assegurou que nem pelo menos a água ajuda a repor os nutrientes que se perdem durante o exercício.

O estudo não trabalhou com bebidas hidratantes, mas Aragón assinalou que suas propriedades incluem mistura de água e sais minerais como sódio, potássio, magnésio e cloros, que conservam entre 60% e 70% do líquido corporal.

A análise da UCR, além disso, demonstrou uma deterioração dos reflexos dos participantes de dois centésimos de segundo e o equilíbrio se deteriorou 36% comparado com a água e a cerveja sem álcool.

Na média, a alcoolemia subiu acima de 0,8 gramas por litro de sangue no final da reidratação com cerveja, e estava na média acima de 0,5 no final das três horas.

A quantidade de cerveja ingerida foi a mesma que se tinha perdido por sudoração, cerca de 1.600 mililitros na média, o que representa quatro latas e meia da bebida fermentada, com um nível de álcool de 4,6%.

Aragón explicou que embora a cerveja tenha malta e eletrolitos que são favoráveis para a reidratação, tem em concentrações muito baixas que não servem para marcar uma diferença.

 

 

EFE

Prefeito de Remígio em exercício André do Sesp inaugura Posto da Patrulha Rural

postoO Prefeito em exercício André do Sesp inaugurou na noite deste domingo (02/02) o Posto da Patrulha Rural no bairro de Lagoa do Mato, em Remigio. O Posto da patrulha Rural irá contar com efetivo de quatro homens e uma viatura, e irá servir a população de Lagoa do Mato e regiões circunvizinhas, aumentando assim a segurança da região. Na oportunidade, André do Sesp também assinou a ordem de serviço para construção de uma Academia na praça naquela localidade.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Em sua fala, o Prefeito em exercício André do Sesp falou da importância daquele evento: “Estamos reformando o posto de saúde e a Lagoa, vamos construir uma academia de saúde, uma escola e um ginásio, e agora estamos entregando um posto de polícia. A mais de doze anos, Lagoa do Mato não via uma obra, e em nosso governo, em apenas um ano, estamos fazendo mais de cinco” – falou o gestor.DSC_0561

Logo após a cerimonia de inauguração e assinatura da Ordem de Serviço, a festa ficou por conta de forró dos primos, que colocou o público presente para dançar.

Confira as fotos

SECOME PMR

Canto, dieta e exercício amenizam ronco e problemas bucais

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock

Além de prejudicar a saúde em geral, o ronco traz prejuízos para a saúde bucal. Normalmente, os roncadores pessoas que respiram pelo nariz, o que provoca a xerostomia – boca seca. As consequências vão desde uma simples cárie até gengivite e mau hálito.

 

Por mais que pareça uma história de terror, passar a noite com a boca aberta também dá chance para insetos e microrganismos entrarem no organismo e desencadearem doenças.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Para evitar esse incômodos, há meios de diminuir o ronco. Placas intraorais, mudanças de hábitos e até o canto são indicados.

 

Cante
Por três meses, 60 participantes de uma pesquisa do hospital Royal Devon and Exeter, Inglaterra, fizeram aulas de canto para melhorar a tonificação dos músculos da garganta. Os exercícios foram desenvolvidos especificamente para pessoas que roncam. Os pacientes que fizeram estes exercícios conseguiram diminuir e até acabar com o problema. A atividade precisa ser diária durante três meses. O estudo concluiu que os exercícios vocais funcionam para as pessoas que sofrem de uma forma simples de ronco ou apneia do sono leve ou moderada.

 

Melhore a alimentação
Com alguns quilinhos a mais é possível que o ronco aumente, já que a gordura que fica acumulada na garganta pode dificultar a passagem de ar.

 

Faça exercícios físicos
A endorfina – que traz sensação de bem-estar ao corpo –, liberada durante os exercícios, é responsável pelas boas noites de sono. Os sedentários levam mais tempo para dormir: são em média dez minutos, contra sete dos que se exercitam regularmente.

 

Não ingira bebida alcoólica 
Assim como alguns remédios tranquilizantes, a bebida alcoólica relaxa a musculatura, e a língua ainda pode atrapalhar a saída de ar.

 

Durma de lado
De barriga para cima, a língua pode obstruir a passagem de ar, uma vez que fica mais próxima ao céu da boca.

 

Pare de fumar
O tabaco incha a garganta e irrita as vias respiratórias.

 

 

Terra