Arquivo da tag: Exame

Delegado pede exame de corpo de delito e convoca parentes de criança agredida em Mamanguape

A criança de dois anos de idade que sofreu agressões e espancamento do próprio padrasto será levada para a realização de exame de corpo de delito no Instituto de Medicina Legal (IML) em João Pessoa. O delegado de Rio Tinto, Deusdete Leitão, que acompanha o caso, confirmou em entrevista ao ClickPB que enviará um agente até o Hospital de Trauma, onde a criança está internada, para avaliar a sua situação e decidir quando será feito o exame.

“A partir do momento que tiver condições de fazer o exame. Quando tiver uma melhora aí vou solicitar”, ressaltou o delegado.

Ele comentou ainda que recebeu a documentação repassada pelo delegado plantonista e instaurou o inquérito para prosseguir com as investigações. Os parentes da criança serão convocados para prestar depoimento. O delegado Deusdete Leitão detalhou que pretende ouvir a mãe da criança, o padrasto e os avós maternos.

Os depoimentos deverão ser tomados logo após a realização do exame de corpo de delito. O delegado declarou ainda que se for necessário, irá colher os depoimentos nas residências dos envolvidos. O Conselho Tutelar da região deverá elaborar um relatório sobre o caso para enviar o documento ao delegado.

Até o momento ninguém foi ouvido pela polícia nem nenhuma prisão foi solicitada. Desdete Leitão antecipou ao ClickPB que, quando os agressores forem identificados, poderão ser autuados pela prática de maus tratos e lesão corporal. A mãe da criança, que tem 17 anos de idade, chegou a ser detida pela polícia, mas foi liberada pouco depois. Já o padrasto segue foragido.

De acordo com as primeiras informações, a criança, que tem dois anos de idade, teria sido agredida pelo próprio padrasto. O menino foi socorrido pelo avô materno, que o levou até o Hospital Infantil no bairro Valentina Figueiredo, em João Pessoa. De lá, precisou ser encaminhado até o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, também em João Pessoa.

De acordo com informações da assessoria do hospital, a criança segue internada na enfermaria infantil com quadro de saúde considerado regular. O menino não teve fraturas, mas apresenta vários hematomas pelo corpo e pelo rosto.

 

clickpb

 

 

Cientistas testam exame de sangue capaz de ‘prever’ metástase do câncer de mama

Vários centros no mundo estão pesquisando testes que se baseiam nas chamadas “Células Circulantes de Tumor” (CTC, na sigla em inglês) (Foto: Pennsylvania State University/Creative Commons )

Pesquisadores do Houston Methodist Hospital, nos Estados Unidos, estão testando exame de sangue capaz de detectar com antecedência se células do câncer de mama tendem a se disseminar para o cérebro.

O teste se baseia na detecção de uma espécie de “assinatura genética” de células de tumores metastáticos — o que permite diferenciá-las de outras estruturas do tumor, mais antigas.

O exame é particularmente importante, apontam os cientistas, porque cerca de 20% dos cânceres de mama vão sofrer metástase para o cérebro com o passar do tempo.

O artigo foi publicado nesta sexta-feira (4) na “Nature Communications” e se baseia em linhas de pesquisa que têm ganhado força no estudo de tumores metastáticos: as que investigam as chamadas “Células Circulantes de Tumor” (CTC, na sigla em inglês).

O feito do grupo Houston, liderado pelo pesquisador Dario Marchetti, foi confirmar que as CTCs de tumores de cérebro são diferentes de outras células circulantes.

A investigação dessas células para diferentes tipos de câncer é forte candidata para o desenvolvimento de variados testes capazes de analisar a progressão do câncer no futuro; e, com isso, permitir com que intervenções sejam feitas mais rapidamente.

Contribuição da pesquisa

O exame pode identificar “micro metástases” de um tumor de mama que ainda não estão visíveis em exames de imagem como a ressonância magnética.

Uma outra aplicação do teste é em pacientes que já tiveram tumores de cérebro detectados em exames de imagem – nesses casos, o exame poderia avaliar o sucesso ou não do tratamento a partir da detecção de células metastáticas no sangue.

Pesquisadores também pretendem que o exame possa ser um substituto para a biópsia, consideradas mais invasivas.

 G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Exame genético confirma que preso estuprou cinco na região de Campina Grande, diz polícia

Exames de material genético confirmaram que um homem preso em outubro do ano passado estuprou pelo menos cinco vítimas em Campina Grande e Esperança. O preso, de 42 anos, é suspeito de ter estuprado pelo menos 15 mulheres na região. A informação foi confirmada no domingo (7) pela polícia.

O homem foi preso por moradores na zona rural do município de Esperança no dia 31 de outubro depois que ele teria tentando estuprar uma idosa, mas foi flagrado por vizinhos. Com ele, os policiais apreenderam uma pistola e uma motocicleta com placas do estado de Pernambuco.

Segundo a polícia, o material genético colhido em uma das mulheres vítimas de violência foi confrontado com outras amostras presentes no banco nacional de perfis genéticos, para que houvesse a confirmação sobre a autoria dos crimes.

O suspeito estava sendo procurado pela polícia há mais de três meses e, depois de preso, foi reconhecido por pelo menos 15 mulheres vítimas de estupro em Esperança, Areial, Montadas, Pocinhos, Lagoa Seca, São Sebastião de Lagoa de Roça e Remígio.

Os detalhes da investigação devem ser divulgados em coletiva de imprensa na manhã desta segunda-feira (8).

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Governo agiliza exame de patentes e entrada de genéricos no mercado

genericosO exame de patentes de medicamentos e a chegada de novos genéricos ao mercado serão agilizados com a assinatura de acordo entre a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi). A avaliação é dos presidentes da Anvisa, Jarbas Barbosa, e do Inpi, Luiz Otávio Pimentel.

Hoje (12), no Palácio do Planalto, em Brasília, foi assinada uma portaria conjunta que põe fim ao impasse de 16 anos entre os dois órgãos na área de produtos e processos farmacêuticos. A medida envolve mais de 20 mil pedidos de patente.

Saúde Pública

Com a nova regra, a Anvisa fica responsável pela análise dos pedidos com foco no impacto à saúde pública, enquanto o Inpi será responsável pelos critérios de patenteabilidade.

De acordo com Barbosa, a medida ajudar a ampliar o lançamento de produtos genéricos por conta da análise mais rápida. Isso porque o impasse entre os órgãos fazia com que a patente ficasse vigente por prazo superior ao previsto de 10 anos.

Enquanto a patente está vigente, não é possível lançar medicamentos genéricos. “Dá previsibilidade e o tempo da patente só vai ser o previsto na lei, não vai ter essa extensão indevida”, disse.

Agência Brasil

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Exame de DNA confirma que corpo achado em Bayeux é de Vivianny Crisley

viviannyA Delegacia de Homicídios recebeu na tarde desta segunda-feira (14) o resultado do exame de DNA que confirma que o corpo encontrado em um matagal no município de Bayeux, é da vendedora Vivianny Crisley, de 29 anos. Exames toxicológico e sexológico ainda estão em andamento.

De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança do Estado, o exame de DNA foi realizado em um resto de pele encontrado nos pés da vítima, conservado pelas sandálias que ela estava usando, já que o corpo foi queimado, não sendo necessário o uso de material ósseo.

A família já foi informada pelo delegado Reinaldo Nóbrega, responsável pelas investigações. Um suspeito de participar do crime já foi preso pela Polícia Civil e outros dois estão foragidos.

Vivianny desapareceu na noite do dia 20 de outubro, depois de sair de um bar na Zona Sul da Capital. As imagens do circuito de câmeras de segurança mostraram que ela saiu do estabelecimento acompanhada de um grupo de pessoas e que depois disso não teria sido mais vista pela família. O celular de Vivianny foi encontrado na feira livre da cidade Bayeux.

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Exame de toque retal dura menos que 15 segundos

O preconceito que ronda o temido exame de toque, essencial para a prevenção do câncer de próstata, ainda é visto com receio por grande parte dos homens. Mas será que ele é realmente um bicho de sete cabeças? De acordo com os especialistas, o teste, que deve ser realizado por homens acima de 40 anos, dura no máximo 15 segundos, é simples e praticamente indolor, além de não afetar em nada a masculinidade deles.

Para acabar de vez com o preconceito e incentivar a procura por um médico, o Minha Vida conversou com dois especialistas, que explicam como um único exame é capaz de salvar vidas. “Hoje, as chances de cura do câncer de próstata são enormes. A maioria dos casos que resulta em óbito acontece devido a um diagnóstico totalmente tardio”, explica o urologista Evandro Cunha, do Hospital Urológico de Brasília. “É a partir do exame de toque que o urologista pode analisar se a próstata apresenta alguma irregularidade”, alerta. Em geral, o câncer de próstata demora cerca de quatro anos para se manifestar, ou seja, o organismo leva um tempão para dar sinais de que algo não vai bem. Daí a importância de fazer o exame preventivo uma vez por ano. Portanto, quanto mais cedo for identificada uma anormalidade, mais eficiente será o tratamento.

Exame é feito anualmente e identifica alterações na próstata - Foto: Getty Images
Exame é feito anualmente e identifica alterações na próstata

E, ao contrário das mulheres, os homens ainda apresentam muita resistência na hora da realização dos exames. “Diferente do público feminino, que tem por costume realizar os exames ginecológicos anualmente, os homens ainda são resistentes aos exames preventivos”, diz o oncologista Cid Buarque de Gusmão. “O exame de toque retal, apesar de ser o mais simples, é o que apresenta mais barreiras para sua realização, em virtude de problemas culturais. Mas é importante salientar que as complicações provenientes de uma doença certamente serão bem mais desagradáveis”, ressalta.

Ainda não se sente confortável para enfrentar uma consulta? Preparamos, junto com os especialistas, algumas dicas para você se sentir tranquilo na hora da visita ao seu médico. Confira:

Pense na sua saúde

De acordo com Evandro Cunha, uma das melhores técnicas para não se sentir desconfortável é pensar na sua saúde e bem-estar. “Quando o homem visa cuidar da saúde, ele esquece todos os preconceitos que envolvem o exame de toque. Isso porque, uma vida saudável vale muito mais que um simples exame”, alerta.

Nada de outro mundo

A atitude de cuidar da saúde é uma característica de homens muito bem resolvidos

Está pensando que o exame é demorado e complicado? Pode esquecer. “O exame de toque leva de 10 a 15 segundos. A única coisa que o especialista faz é introduzir o dedo na região retal (canal que liga o ânus ao reto) para verificar se existe alguma alteração na próstata”, explica Evandro Cunha. O exame físico dá informações sobre o volume, consistência, presença de irregularidades, limites, sensibilidade e mobilidade da próstata. “Se o órgão está inchado, o que é um sintoma anormal, o dedo não chega a ser introduzido por inteiro”, explica.

Esqueça a dor

O exame é a forma mais segura de diagnosticar o câncer de próstata - Foto: Getty Images
O exame é a forma mais segura de diagnosticar o câncer de próstata

Agora, se o problema para não enfrentar o exame de toque é o medo da dor, ele não tem motivo para existir. “Claro que não podemos medir a dor de alguém. Mas eu posso afirmar que, durante o exame, não existe nenhuma ameaça dolorosa. O que o paciente pode sentir é um incômodo durante os segundos em que o exame é realizado”, diz Cunha.

Experimente uma dose de bom humor

Para aumentar o nível de conforto durante a consulta com seu urologista, uma dica é somar uma boa dose de bom humor e deixar as tensões de lado. “Quando o paciente está seguro e bem humorado, a consulta flui muito melhor. Com um pouco de descontração tudo fica mais fácil e simples, até mesmo o exame de toque”, diz o urologista do Hospital Urológico de Brasília.

Pense que será rápido

Não consegue perder o receio do exame? Pense que serão apenas 15 segundos! “Outra dica para quem está muito nervoso, é lembrar que o exame é rápido. Na maioria dos casos o homem espera algo complicado e doloroso, mas isso não existe”, afirma o oncologista Cid Buarque de Gusmão.

Converse com sua mulher

Sua esposa (mãe ou amiga) pode ser uma boa companheira na hora de te ajudar a tomar a decisão certa. “As mulheres estão mais acostumadas a enfrentar esses tipos de exames. Então, costumam dar força para os homens ao explicar que nada é tão complicado quanto parece”, acrescenta Evando Cunha.

Sua masculinidade será totalmente preservada

Já ouviu falar que este exame fere sua masculinidade? O médico é categórico na hora da resposta. “Esse papo é recheado de preconceito e totalmente infantil. Um simples exame é incapaz de tirar a masculinidade de um homem. Muito pelo contrário, a atitude de cuidar da saúde é uma característica de homens muito bem resolvidos”, ressalta o urologista.

Experimente um ano de tranquilidade

O indicado é que o exame de toque seja realizado, no mínimo, uma vez por ano. “Depois de 15 segundos, o homem pode se sentir tranquilo (e prevenido). Claro que as visitas aos urologistas devem ser mais frequentes, mas em relação ao exame, ele pode se despreocupar”, ressalta Evandro Cunha.

minhavida

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Exame detecta risco de trombose por usar pílula anticoncepcional

anticoncepcionalDiversos casos de trombose associada ao uso de anticoncepcionais já viralizaram na internet, mulheres “vítimas da pílula” reúnem nas redes sociais alertas e depoimentos sobre as consequências do uso contínuo do medicamento, estudos confirmam que o risco é real. Essa onda de novas informações fez muitas mulheres abandonarem os anticoncepcionais. Mas, e quem não quer ou não pode? Corre risco?

Além da orientação médica, as mulheres contam com exames genéticos que detectam com precisão a predisposição à trombose e podem ajudar na hora de decidir qual método contraceptivo usar. São exames caros e, por isso, nem sempre pedidos pelos ginecologistas antes da prescrição da pílula.

O que os exames detectam é a trombofilia, doença que altera a coagulação do sangue e aumenta a formação de coágulos e a obstrução dos vasos sanguíneos (trombose). Ela pode ser genética (herdada dos pais) ou adquirida, como nos casos de mulheres que usam a pílula.

Segundo a biomédica Gabriela Becker, especialista em exames que traçam a trombofilia, a doença decorre de uma mutação nos genes ligados ao processo de coagulação — a alteração no fator 5 aumenta de três a oitenta vezes a chance da trombose cerebral e no gene da protrombina torna o risco sete vezes maior.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Ministério da Saúde restringe exame para mulheres acima de 50 anos

mamaNo lançamento da campanha nacional do Outubro Rosa, o Ministério da Saúde e Instituto Nacional do Câncer divulgaram uma pesquisa que revela que em 66,2% dos casos de câncer de mama, foram as próprias pacientes que detectaram o tumor. Para médicos, esse índice é reflexo da falha no rastreamento da doença, que se agrava com a recomendação de que a mamografia deve ser feita a partir dos 50 anos, 10 a mais do que o preconizado pela Sociedade Brasileira de Mastologia. O prognóstico dos especialistas é que essa medida dificultará ainda mais o diagnóstico precoce, que aumenta as chances de cura.

Ieda Nóbrega foi uma das mulheres que descobriu o câncer de mama no autoexame. Com o tratamento, conseguiu vencer a doença e conta sua história feliz há 15 anos. “Descobri através do toque. Na hora não me assustei, porque a gente já ouvia tanto falar nisso. Quando fui à mastologista, e o resultado da biópsia deu positivo para carcinoma ductal in situ, meu mundo desabou. Decidi fazer logo a mastectomia e fiz apenas quatro sessões de quimioterapia. Tinha um casal de filhos, o mais novo é especial. Pensava logo que eu estava sentenciada à morte e quem cuidaria dele? O apoio da família é fundamental porque pude encarar o tratamento com resignação e fé. Não fui a primeira e nem a última. Não havia casos na família e fazia mamografia anualmente, de um ano para outro, a surpresa. Por estar no início, me curei. Fazia avaliação trimestral, depois semestral e agora anual”, narrou a funcionária pública aposentada.

A pesquisa. O estudo, realizado pelo Instituto Avon e o Núcleo de Pesquisa Epidemiológica da Divisão Populacional do Inca, mostrou que dois terços das mulheres identificaram a doença, em estágios inicial e intermediário também, quando a chance de cura é maior. Para o Ministério da Saúde, o resultado indica que é possível detectar o tumor no início e procurar ajuda médica.

MS explica

“O Ministério da Saúde segue a orientação da Organização Mundial de Saúde e estudos que comprovam maior incidência da doença e eficiência do exame entre os 50 e 59 anos. As mamografias no país cresceram 37%, no comparativo entre os primeiros semestres de 2010 e 2016, passando de 1,6 milhão para 2,2 milhões. Na faixa etária de 50 a 69 anos (prioritária), o aumento foi maior no período (64%), saindo de 854 mil para 1,4 milhão de mamografias”.

Consenso médico

A mastologista Joana Barros refutou a recomendação do Ministério da Saúde para realização da mamografia a cada dois anos, a partir dos 50 anos, que não é suficiente e vai piorar as estatísticas letais. “É uma orientação política e econômica. A incidência começa a aumentar a partir dos 40 anos e existe um consenso da Sociedade Brasileira de Mastologia para que seja feito anualmente nesta faixa etária. O MS contraria a Lei Federal 11.664/2008, que garante esse direito. A repercussão é ruim, sobretudo para a população feminina”, declarou. Para Joana, o diagnóstico em mulheres mais jovens continuará sendo realizado na rede privada. No entanto, as mulheres que dependem da rede pública serão prejudicadas, pois, abaixo dos 50 anos só com recomendação médica e na atenção básica o profissional não estaria tão atento. “Tem médico com falta de preparo, que pede antes dos 40 ou só depois dos 50. O MS libera abaixo de 50 quando a lesão já está perceptível e já vai com operação. O importante é que seja feita a mamografia de rastreio, quando ainda não há sintomas. No setor público o acesso é negado, o diagnóstico é tardio, elas próprias descobrem a doença, o que torna a cura limitada ou anulada”, disse Joana.

“A vida é dividida antes e depois do câncer. Eu mudei para melhor. É uma segunda chance de vida. A gente aprende muita coisa quando participa de um processo desse. Enxergar coisas que antes não via, se valorizar mais. É possível retomar a vida e mais alguma coisa qe antes não fazíamos. Há pressa de viver, mais sede de vida. Passei a sair mais, dançar, me distrair, ir à praia”, Ieda Nóbrega, aposentada.

 

Bruna Vieira do Correio da Paraíba com assessoria

 

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Caminhoneiros terão que fazer exame toxicológico para obter ou renovar habilitação

caminhoneirosOs motoristas que forem obter ou renovar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) nas categorias C, D e E serão obrigados, a partir de 30 de abril, a fazer exame toxicológico de “larga janela” – usado para verificar o consumo de drogas por longos períodos. Caso o laudo, que terá validade de 30 dias, constate o uso de drogas ou substâncias proibidas, o motorista será considerado inapto temporariamente.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O exame, que deverá ser feito em clínicas credenciadas pelo Departamento Nacional de Trânsito, vai testar, no mínimo, a presença de maconha e derivados, cocaína e derivados incluindo, crack e merla, opiáceos incluindo codeína, morfina e heroína, ecstasy (MDMA e MDA), anfetamina e metanfetamina.

Para conseguir a autorização para obter ou renovar a CNH, o motorista deve obter resultados negativos para um período mínimo de 90 dias, retroativos à data da coleta. Para o teste, serão coletados material biológico que poderá ser cabelos ou pelos; na ausência desses, unhas.

De acordo com resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), publicada hoje (30) no Diário Oficial da União, os motoristas que não se submeterem ao exame também serão considerados inaptos temporários ou inabilitados enquanto não apresentarem o laudo negativo do exame toxicológico.

De acordo com o Contran, a medida atende a dispositivo da Lei 12.619, de 30 de abril de 2012, conhecida como Lei do Motorista, que obriga o condutor das categorias C, D e E a submeter-se a teste e a programa de controle de uso de droga e de bebida alcoólica, instituído pelo empregador, com a ciência do empregado.

Agência Brasil

Universidade Federal da Paraíba é uma das dez que mais aprova no exame da OAB no Brasil

UFPBA lista das instituições de ensino que mais aprovam advogados no Exame da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) foi divulgada recentemente pela FGV Projetos, que organiza a prova.

Como em outras edições do estudo, as universidades públicas ocupam o topo do ranking. A primeira posição ficou com a Universidade Federal de Viçosa, com taxa de aprovação média de 77%.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O estudo foi feito com base nos resultados do XI ao XIII exames. Clique nas fotos para ver as 10 faculdades com alunos e egressos mais bem-sucedidos na avaliação.

1. Fundação Universidade Federal de Viçosa

Município: Viçosa (MG)
Total de inscritos nas três edições do exame: 112
Taxa de aprovação: 77%

2. Universidade Federal de Juiz de Fora

Município: Juiz de Fora (MG)
Total de inscritos nas três edições do exame: 221
Taxa de aprovação: 76%

3. Universidade de São Paulo

Município: Ribeirão Preto (SP)
Total de inscritos nas três edições do exame: 78
Taxa de aprovação: 73%

4. Universidade Federal de Pernambuco

Município: Recife (PE)
Total de inscritos nas três edições do exame: 302
Taxa de aprovação: 70%

5. Universidade Federal de Minas Gerais

Município: Belo Horizonte (MG)
Total de inscritos nas três edições do exame: 466
Taxa de aprovação: 70%

6. Universidade Federal do Ceará

Município: Fortaleza (CE)
Total de inscritos nas três edições do exame: 256
Taxa de aprovação: 67%

7. Universidade Federal da Paraíba

Município: João Pessoa (PB)
Total de inscritos nas três edições do exame: 313
Taxa de aprovação: 65%

8. Universidade Federal de Santa Catarina

Município: Florianópolis (SC)
Total de inscritos nas três edições do exame: 184
Taxa de aprovação: 64%

9. Universidade Federal do Espírito Santo

Município: Vitória (ES)
Total de inscritos nas três edições do exame: 153
Taxa de aprovação: 63%

10. Universidade Federal do Piauí

Município: Teresina (PI)
Total de inscritos nas três edições do exame: 128
Taxa de aprovação: 63%

Revista Exame