Arquivo da tag: ex-companheiro

Mulher é esfaqueada por ex-companheiro em CG

Uma mulher foi esfaqueada pelo ex-companheiro na manhã desta quarta-feira (30), em Campina Grande, no momento em que chegava ao seu local de trabalho, uma fábrica de biscoitos situada no Distrito Industrial. O homem foi detido por funcionários da empresa e está preso.

Segundo uma prima da vítima, o relacionamento da mulher com o suspeito durou mais de oito anos e havia acabado há alguns meses, por decisão dela. O homem, porém, não aceitava o término e chegou a fazer ameaças. “Ela foi na delegacia, fez B.O. e estava vivendo com medo. A delegacia só age quando a pessoa morre”, desabafou a parente.

Ainda conforme o relato da prima da vítima, o suspeito premeditou o crime. Ele esperou a ex-companheira se despedir do irmão, que sempre a levava até as imediações do local de trabalho, para atacar a vítima. “Ele esperou o momento certo para fazer isso com ela”, disse. “Ele correu por trás dela. Ela abriu a porta e entrou, aí ele invadiu a empresa e já foi esfaqueando, enquanto ela gritava pedindo para que ele não a matasse”, completou.

Funcionários da empresa detiveram o suspeito, o amarram e chamaram a polícia. O Portal Correio tentou contato com a Delegacia de Atendimento Especializado à Mulher de Campina Grande, mas as ligações não foram atendidas.

A vítima foi socorrida para o Hospital de Emergência e Trauma, onde segue internada em situação estável.

 

portalcorreio

 

 

Mulher é agredida com golpes de foice, na PB; principal suspeito é o ex-companheiro, diz delegada

Uma mulher de 51 anos foi vítima de uma tentativa de feminicídio na manhã desta quinta-feira (3), em Queimadas, no Agreste da Paraíba. De acordo com a delegada da Mulher, Juliana Brasil, responsável pelo caso, o principal suspeito do crime é o ex-companheiro da vítima, que não aceitava o fim do relacionamento. Conforme a delegada, a vítima teve a casa invadida pelo homem e foi atingida com diversos golpes de foice.

O caso aconteceu por volta das 6h, no Sítio Torrões, zona rural da cidade. Conforme a delegada, a vítima estava na casa onde mora quando o suspeito invadiu a residência e começou a agredi-la. Para se defender, a vítima ainda teria entrado em luta corporal com o homem, mas acabou sendo atingida com diversos golpes de foice.

Segundo relato de testemunhas à delegada, o ex-companheiro da vítima não aceitava o fim do relacionamento. “Ela estaria começando um novo relacionamento, e o homem não aceitava isso. Ela já havia solicitado uma medida protetiva contra ele em abril deste ano, mas a medida foi negada pela Justiça. O suspeito já tinha histórico de ser agressivo e extremamente violento com ela”, explicou Juliana Brasil.

Após o crime, o suspeito fugiu do local. A mulher foi levada por um amigo em um carro de passeio até o Hospital de Queimadas, mas depois precisou ser transferida para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande. Por volta das 11h20 desta quinta-feira, a assessoria do hospital informou que a mulher está internada com estado de saúde estável.

Ainda de acordo com a delegada responsável pelo caso, os filhos da vítima moravam próximo à casa da mãe e teriam chegado ao local minutos depois do crime. A Polícia Civil chegou a ir na casa do suspeito, mas o homem não estava no local. Na residência foram apreendidas uma espingarda e facas.

“O que a gente fica triste é saber que a Justiça negou a medida protetiva. Nesses casos, o suspeito é um possível agressor, a mulher já fica vulnerável mesmo com a medida, imagina sem. É muito triste, ela já tinha relatado que ele era violento com ela e, mesmo assim, não tinha proteção de nada, nem da Justiça”, enfatizou a delegada.

Até as 10h30 desta quinta-feira (3), as informações da delegada eram de que o policiais do Núcleo de Homicídios de Queimadas, junto com a Polícia Militar, estavam em diligências atrás do suspeito.

G1

 

Mulher é morta a facadas na PB e ex-companheiro é suspeito; ‘cena macabra’, diz delegado

Uma mulher foi morta e a filha dela, de 13 anos, foi esfaqueada na madrugada desta quarta-feira (28), em Condado, no Sertão da Paraíba. De acordo com o delegado da Seccional de Patos, Manoel Martins, responsável pelo caso, o principal suspeito do crime é o ex-companheiro da mulher, um homem de 39 anos, que teria arrombado a casa da vítima com uma alavanca e, em seguida, atacado a ex-companheira.

“O que a gente viu foi uma cena macabra. Não dá pra dizer de quem é exatamente o sangue espalhado pela casa, porque a mulher foi esfaqueada, a filha dela, de 13 anos, também e, pelo que vimos, houve luta corporal e ele também deve ter ficado bastante ferido”, contou o delegado Manoel Martins.

O caso aconteceu por volta da 0h30, na rua Sebastião Barbosa dos Santos. Conforme o delegado, a Polícia Militar foi acionada ao local por volta da 1h. Ao chegar na casa, a polícia encontrou a mulher morta, a filha dela gravemente ferida e um menino de 5 anos, que também estava no local e, segundo o delegado, estava transtornado.

“O suspeito arrombou a casa pela porta da sala com uma alavanca. Lá dentro estava a mulher morta cheia de perfurações, a filha de 13 anos esfaqueada e um menino de 5 anos, que a gente ainda não sabe se é filho da vítima ou do suspeito”, relatou o delegado.

Na casa, além da mulher morta, identificada como Juberlúcia Oliveira da Silva, de 30 anos, a polícia encontrou a alavanca utilizada pelo suspeito para entrar na casa e uma faca. De acordo com o delegado, ainda não se sabe se a faca seria do suspeito ou se a vítima teria pego o objeto para se defender.

Polícia encontrou celular e documentos do suspeito

Segundo o delegado, a polícia acredita que o suspeito do crime também ficou ferido. “A polícia encontrou um grande rastro de sangue saindo da casa até um matagal próximo do local. O suspeito fugiu pra dentro dessa mata e lá nós encontramos o celular e todos os documentos dele”, contou.

Conforme o delegado, testemunhas relataram que o suspeito já havia premeditado o crime. “As primeira investigações revelaram que ele estava morando em São Paulo há algum tempo e que vivia ameaçando a ex-companheira de morte e aí ele teria vindo pra cidade só para matar a mulher”, frisou.

Menina de 13 anos em estado grave

Ainda de acordo com o delegado Manoel Martins, a filha da Juberlúcia de Oliveira, uma menina de 13 anos, foi encontrada ferida com diversos golpes de faca. A menina foi socorrida por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levada para o Hospital Regional de Patos.

“A menina está internada em estado grave na UTI do Hospital Regional de Patos. Só ela vai poder nos relatar o que de fato aconteceu dentro dessa casa. E isso só será possível após a recuperação dela, porque não podemos ouvir o menino de 5 anos, que também estava na casa. A criança também foi encontrada transtornada”, disse o delegado.

Até as 11h desta quarta-feira (28), as informações do delegado eram de que o suspeito do crime continuava foragido. “A gente acredita que ele não vai conseguir ficar muito tempo escondido, porque pela cena do crime, ele ficou muito ferido também. Então logo logo ele vai ter que procurar ajuda médica”, salientou Manoel Martins.

G1

 

Mulher desaparece e ex-companheiro dela é encontrado morto em Quixaba

Uma mulher está desaparecida desde a última quinta-feira (15), no município de Quixaba, no Sertão paraibano. De acordo com o delegado Galdêncio Neto, responsável pelo caso, a família da vítima registrou o desaparecimento dela na Polícia Civil e, um dia após o desaparecimento da mulher, o ex-companheiro dela foi encontrado morto.

Conforme o delegado, as primeiras investigações da polícia apontaram que o motorista Jozinaldo Queiroga da Costa, de 33 anos, ex-companheiro da mulher, teria ido buscá-la no trabalho, na quinta-feira (15). Depois disso, Maria da Conceição, de 32 anos, conhecida como “Ceiça”, não retornou para casa.

Um dia depois, na sexta-feira (16), a polícia encontrou Jozinaldo Queiroga morto. Segundo o delegado, o corpo do homem foi encontrado em uma casa abandonada no sítio Desterro, zona rural da cidade. A polícia acredita que ele se matou.

“Ela [Maria da Conceição] foi vista com ele na zona rural da cidade. A casa onde o corpo dele foi encontrado está abandonada. Ao chegar no local, encontramos ele enforcado na lateral da casa, no alpendre da residência. A polícia fez buscas na propriedade, mas não havia nenhum sinal de que ela esteve lá com ele”, informou o delegado à TV Paraíba, na manhã desta segunda-feira (19).

Família recebeu mensagens

A família de Maria da Conceição mora no bairro Monte Castelo, na cidade de Patos, também no Sertão paraibano. Ainda de acordo com o delegado Galdêncio Neto, a família recebeu mensagens anônimas do possível paradeiro da mulher, mas as investigações da polícia não confirmaram as informações.

“Nós recebemos informações de que o corpo da mulher estaria embaixo de uma ponte, no caminho entre Quixaba e Serra Negra, mas até então não encontramos nada. O aparelho do ex-companheiro dela foi encontrado pela polícia, mas estava bloqueado, então encaminhados para a perícia em João Pessoa”, explicou o delegado.

A Polícia Civil continua as investigações e pede o apoio da população, através do 197, para qualquer informação que ajude a localizar Maria da Conceição. “Já recebemos diversas mensagens apontando o paradeiro dela, mas nenhuma informação foi concretizada”, finalizou o delegado.

G1

 

Mulher é agredida por ex-companheiro e queimada com cigarro; suspeito é preso, na PB

Um homem foi preso na noite desta terça-feira (13) suspeito de agredir a ex-companheiro e provocar uma queimadura no pescoço dela com cigarro, no bairro da Torre, em João Pessoa. Ele foi preso depois que a mulher pediu socorro e os vizinhos chamaram a polícia.

A vítima e o suspeito tinha um relacionamento de oito anos, mas haviam se separado recentemente. No entanto, nesta terça, o homem foi até a casa da mulher, a agrediu, ameaçou e queimou parte do seu pescoço com cigarro.

De acordo com a delegada da mulher, Josenice de Andrade, os vizinhos relataram que as agressões são constantes. Em outros episódios, o homem teria sufocado a mulher e, quando ela já estava perto de desmaiar, ele parava e mandava ela respirar de novo.

Nesta terça-feira, além da queimadura, o homem puxou os cabelos da mulher, apertou o pescoço dela e ameaçou tocar fogo no colchão da cama dela. A mulher pediu socorro e os vizinhos chamaram a polícia.

O suspeito foi encaminhado para a Delegacia da Mulher, na Central de Polícia Civil. Ele está preso na carceragem e deve passar por audiência de custódia nesta quarta-feira (14). Segundo a delegada, a mulher nunca havia solicitado medida protetiva. No entanto, após a prisão, a medida já foi solicitada pela delegada e, se após a audiência de custódia o homem for solto, ele vai precisar cumprir as medidas protetivas que serão impostas pela Justiça.

G1

 

‘Medo de morrer’, diz mulher na PB que já prestou 10 boletins de ocorrência contra ex-companheiro

“Cada vez que eu vejo na televisão que um ex-companheiro matou a companheira e depois se matou, eu me vejo nessa situação. Sinto muito medo de morrer”. O trecho faz parte do desabafo da vendedora de 54 anos, moradora de Campina Grande, que já prestou dez boletins de ocorrência durante 12 anos, contra ameaças e agressões do ex-companheiro.

Segundo a mulher relatou à TV Cabo Branco, o relacionamento durou apenas um ano. A primeira medida protetiva solicitada data mais de uma década. São mais de dez solicitações. “Uma vez chamei os policiais e disseram que a medida [protetiva] estava vencida, por isso não prenderam ele”, declara a mulher.

Juntos, o casal tem uma filha que hoje vive com a mãe. “Ele está sambando com a cara da Justiça. Eu não estou tendo nenhum respaldo, estou a mercê dele”, desabafa. Hoje ela vive do trabalho para casa, da casa para o trabalho. “O que mais dói em mim é porque ele não tem punição, ele está solto e eu presa em casa”, diz.

Medidas protetivas

A coordenadora adjunta das Delegacias da Mulher no Estado, Renata Matias, explicou que muitas das medidas expedidas pela Justiça têm um prazo de vigência, que pode variar dependendo o caso. Depois da determinação, o agressor precisa ser notificado sobre a decisão.

Segundo a delegada Renata Matias, em caso de descumprimento, o suspeito pode responder a um outro processo, por descumprimento de decisão judicial, ou ser preso em flagrante. A delegada ressaltou que, em alguns casos, o descumprimento da medida ocorre juntamente a uma nova agressão verbal ou física.

De acordo com o Conselho Nacional de Justiça, as medidas protetivas podem ser o afastamento do agressor do lar ou local de convivência com a vítima, a fixação de limite mínimo de distância de que o agressor fica proibido de ultrapassar em relação à vítima e a suspensão da posse ou restrição do porte de armas, se for o caso.

O agressor também pode ser proibido de entrar em contato com a vítima, seus familiares e testemunhas por qualquer meio ou, ainda, pode ficar restrito a visitar os dependentes que sejam crianças ou adolescentes.

Outra medida que pode ser aplicada pelo juiz em proteção à mulher vítima de violência é a obrigação de o agressor pagar pensão alimentícia ou alimentos provisórios.

Os bens da vítima também podem ser protegidos por meio das medidas protetivas. Essa proteção se dá por meio de ações como bloqueio de contas, indisposição de bens, restituição de bens indevidamente subtraídos pelo agressor e prestação de caução provisória, mediante depósito judicial, por perdas e danos materiais causados pela prática de violência doméstica.

De acordo com a lei, mais de uma medida pode ser aplicado ao mesmo caso, podendo ser substituídas a qualquer momento por outras de maior eficácia, sempre que os direitos reconhecidos pela Lei Maria da Penha forem violados.

G1

 

Mulher fica ferida após discussão com ex-companheiro, em João Pessoa

Uma mulher ficou ferida na manhã desta quinta-feira (23) depois de uma discussão com o ex-companheiro, no bairro do Alto do Mateus, em João Pessoa. De acordo com informações repassadas pelo irmão da vítima à Polícia Militar, a mulher teria se cortado com uma faca durante a discussão.

A Polícia Militar foi acionada por moradores, que encontraram a mulher ferida na rua. O irmão da vítima explicou que ela estava bebendo com o ex-companheiro, quando pegou uma faca. O suspeito teria tentado retirar a faca da mão dela e, nesse momento, ela teria cortado o dedo.

O suspeito, que foi levado para a Central de Polícia Civil, em João Pessoa, contou que a mulher caiu na rua e bateu a cabeça. Ele saiu correndo com a faca e, quando estava entrando em um ônibus, foi preso pela polícia.

Conforme relatou o suspeito, ele está separado da mulher há seca de uma semana. A Polícia Civil vai investigar o caso. A mulher aguardava atendimento do Samu até as 7h20.

Foto: Walter Paparazzo/G1

G1

 

Mulher é agredida e baleada no olho, na PB; suspeito é o ex-companheiro, diz polícia

Uma mulher de 25 anos foi vítima de uma tentativa de feminicídio na noite da terça-feira (21), em Teixeira, no Sertão da Paraíba. De acordo com a Polícia Militar, o suspeito é o ex-companheiro da vítima que, após agredir a mulher, atirou com uma espingarda no olho esquerdo dela.

O caso aconteceu por volta das 19h40, no Sítio São Francisco, zona rural da cidade. De acordo com a polícia, o ex-companheiro da vítima foi até a casa dela e começou a agredir a filha do casal. Na tentativa de socorrer a filha, a mulher também foi agredida pelo suspeito com vários socos na cabeça.

Conforme a PM, após ser agredida, a vítima ligou para a Polícia Militar, mas o homem fugiu do local. Policiais foram até a casa da atual mulher do suspeito, que informou que ele também não estava na residência.

Enquanto a polícia procurava pelo homem, ele teria voltado na casa da ex-mulher e atirado com uma espingarda no olho esquerdo dela, depois fugiu do local. A vítima foi socorrida por vizinhos até o Hospital Sancho Leite, em Teixeira. Em seguida, ela precisou ser encaminhada para o Hospital Regional de Patos.

Na manhã desta quarta-feira (22), a polícia informou que a mulher também precisou ser transferida para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande. De acordo com a assessoria de imprensa da unidade hospitalar, o estado de saúde dela é estável.

Até as 12h desta quarta, a assessoria do hospital havia informado que a mulher estava sob avaliação médica e que, caso precisasse passar por cirurgia, seria transferida novamente para outro hospital da cidade. Ainda segundo a polícia, o suspeito, de 40 anos, não havia sido localizado.

G1

 

Mulher é assassinada a golpes de faca pelo ex-companheiro em Pedra Branca

vitimaUma mulher foi assassinada a golpes de faca na noite deste sábado, 20, em frente a um colégio, na cidade de Pedra Branca, região de Itaporanga, na Paraíba.

De acordo com informações policiais, o principal suspeito é o ex-companheiro da vítima, conhecido por Doca, que mesmo estando separado, nutria um grande ciúme de Branca, como era conhecida a mulher que tinha um filho com Doca.

A polícia realizou diligências na região, mas não conseguiu localizar o suspeito.

Redação WSCOM

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Idosa de 78 anos é morta com tiro no peito; polícia suspeita de ex-companheiro

Imagem: Jaceline Marques
Imagem: Jaceline Marques

Uma idosa de 78 anos foi assassinada na manhã deste sábado (30) no município de Riachão do Poço (distante 44 quilômetros de João Pessoa), na região da Mata paraibana. O suspeito pelo crime é o ex-companheiro da vítima.

De acordo com informações da Polícia Militar, a mulher estava no quintal de casa regando as plantas quando foi surpreendida pelo acusado. Maria Iniréia dos Santos foi atingida no peito e teve morte imediata.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A polícia suspeita que o acusado pelo crime é o ex-companheiro da vítima, que não teve o nome divulgado. O corpo foi encaminhado à Gerência de Medicina e Odontologia Legal (Gemol), no bairro do Cristo Redentor, em João Pessoa.

A Polícia Militar realiza rondas a procura do acusado pelo crime, mas, até às 11h deste sábado (30), não havia localizado o homem.

 

 

portalcorreio