Arquivo da tag: estudante

Palestra do Proerd abre a Semana do Estudante da CMB no Distrito do Tabuleiro

A Câmara Municipal de Bananeiras (CMB) tem promovido a Semana do Estudante, uma ação do Projeto Câmara na Escola. O projeto visa integrar o Legislativo e a Escola, promovendo ações educativas e de liberdade de expressão.

O cenário que recepcionou o projeto foi à Escola Municipal Miguel Filgueira Filho, acolhendo de modo especial o Presidente da Casa Odon Bezerra, Kilson Dantas (PSB), servidores da CMB, representante da Afink, o coordenador do Proerd Guarabira, Tenente Coronel Brandão da Policia Militar e demais policiais.

A palestra sobre prevenção às drogas proferida pelo Proerd vem de encontro com o caráter educativo, alertando sobre todos os malefícios que os entorpecentes podem causar no ser humano e ainda no ambiente familiar.

Além de contribuir com palestras educativas, o Câmara na Escola buscará garantir a participação dos alunos no processo de conhecimento do poder legislativo.

Ascom-CMB

 

Estudante é esfaqueado após discussão em escola na cidade de Caaporã

Um estudante de 18 anos foi esfaqueado, nesta quarta-feira (29), após uma discussão durante o horário de intervalo em uma escola municipal da cidade de Caaporã, na Grande João Pessoa. O suspeito é um aluno de 16 anos, que estuda na mesma instituição.

Segundo informações policiais, o suspeito foi detido após deixar a escola. Ficou constatado que o ele já tinha passagem pela polícia por roubos e furtos na região.

A vítima foi socorrida por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levada para o Hospital de Emergência e Trauma Humberto Lucena, na Capital.

Segundo o boletim divulgado no final da manhã pelo hospital, o jovem foi submetido a procedimentos médicos e seguia sendo atendido. No momento, o estado de saúde dele era estável.

 

portalcorreio

 

 

Estudante baleada em assalto na UEPB relata pânico: ‘Ninguém imaginava que era tiro’

“Ninguém imaginava que era tiro”, relatou a estudante Natalícia Silva, de 21 anos – baleada durante o assalto a um carro-forte na Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em Campina Grande. A aluna do 3º período do curso de pedagogia foi atingida com um tiro de raspão nas costas e, um dia após o crime, relembrou os momentos de pânico vividos por ela e os amigos da universidade.

“A gente tava tendo uma palestra no auditório com alguns professores e pediram pra que a gente descesse pro ‘hall’ da universidade porque iam dar procedimento a palestra lá embaixo, então a gente desceu e ficou sentado nas mesas. Daí a gente escutou um barulho, só que ninguém imaginava que era tiro, a gente pensou que era alguma encenação que fazia parte da palestra. Só depois, quando deu continuação aos tiros, a galera começou a correr e gritar: ‘é tiro, é tiro!’. Então gente correu pra tentar se esconder”, relata a estudante.

“Quando eu tava correndo eu senti algo me rasgando na região lombar, só que a gente continuou, tava todo mundo muito desesperado, a gente se deitou no chão, perto de uns armários pra tentar se esconder”, conta a estudante Natalícia Silva.

Na manhã desta segunda-feira (1º), quatro homens armados fingiram ser estudantes e anunciaram um assalto a um carro-forte que levava malotes de dinheiro para uma agência bancária localizada na Central de Aulas da UEPB.

Após ser baleada, Natalícia foi socorrida e levada para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande. A estudante recebeu alta ainda na tarde da segunda-feira (1º).

Tiroteio foi registrado na manhã desta segunda-feira (1º), na UEPB, em Campina Grande — Foto: Ana Sousa/TV Paraíba

Tiroteio foi registrado na manhã desta segunda-feira (1º), na UEPB, em Campina Grande — Foto: Ana Sousa/TV Paraíba

A jovem lembra do desespero dos colegas no local. “Na hora, quando eu entendi que eram tiros, eu pensei que era um massacre igual ao de Suzano (SP). Eu tava com minha amigas, mas na correria a gente se separou, cada uma correu pra um canto. Muitas meninas choravam, alguns tentavam acalmá-las”, recorda a estudante.

“Eu tava sentindo aquela dor só que a adrenalina do momento não deixou que eu achasse que fosse um tiro, depois quando tudo se acalmou mais, que eu falei que tava sentindo muita dor. As meninas olharam e falaram que tinha sido um tiro que eu tinha levado”, conta.

“As meninas me pediam pra ficar calma, que o tiro tinha sido de raspão, aí veio um funcionário do prédio e disse que os bandidos já tinham saído e que a polícia já tinha chegado, foi quando a gente se acalmou e eu vi que tinha sido um tiro de raspão mesmo”, lembra.

A estudante contou que os bombeiros e uma equipe médica chegaram ao local. “Estavam socorrendo os mais graves, então a gente desceu e uma menina de enfermagem fez um curativo em mim pra não ficar sangrando”.

Bombeiros foram acionados para socorrer estudantes feridos durante tiroteio na UEPB, em Campina Grande — Foto: Reprodução/TV Paraíba

Bombeiros foram acionados para socorrer estudantes feridos durante tiroteio na UEPB, em Campina Grande — Foto: Reprodução/TV Paraíba

Estudante levada para hospital

Uma professora da universidade levou Natalícia para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande. A madrinha da estudante, Luciete Barbosa, conta como recebeu a notícia de que a afilhada estava no hospital.

“Na mesma hora me ligaram e pediram pra que eu avisasse a mãe dela que ela tinha sido vítima de uma bala perdida, mas que tinha sido de raspão. Então minha filha foi avisar a mãe dela e graças a Deus não foi nada mais grave”, destaca.

Natalícia foi atendida e recebeu alta médica ainda na tarde desta segunda-feira (1º). Ela voltou para casa, na cidade de Queimadas, no Agreste. “Eu fui lá ontem quando ela chegou, ela tá deitadinha lá de repouso”, diz a madrinha Luciete Barbosa.

“O local onde a bala pegou está bastante inchado, mas estou fazendo os curativos como pediram os médicos. Espero melhorar em breve”, finaliza a estudante Natalícia Silva.

*Sob supervisão de Krys Carneiro

G1

 

Estudante baleada em tiroteio na UEPB, em Campina Grande, recebe alta

A estudante da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) ferida com um disparo de arma de fogo na manhã desta segunda-feira (1º) durante um assalto à agência bancária do Santander, que fica na instituição, foi liberada no início da tarde de hoje do Hospital de Trauma de Campina Grande.

Segundo o cirurgião geral Francisco Cláudio, do Trauma de Campina, ela sofreu um tiro de raspão na região lombar. Com quadro estável, após passar por exames e receber curativo, foi liberada.

A estudante, que não teve o nome revelado, foi ferida, juntamente com outras 11 pessoas, sendo um vigilante e o restante estudantes, durante a ação, que deixou alunos e professores aterrorizados.

O tiroteio foi registrado na manhã de hoje no campus da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) em Campina Grande. O tumulto aconteceu quando um grupo armado chegou em dois carros e explodiu um carro-forte que levava malotes de dinheiro para a agência do Santander, localizada na Central de Integração Acadêmica. Os assaltantes fugiram levando malotes de dinheiro.

O vigilante da universidade foi atingido por dois tiros, sendo um no pé esquerdo e outro na perna
direita. O quadro dele é estável e pode ser liberado ainda nesta segunda.

Outros estudantes, feridos após pularem do primeiro andar, tentando escapar do tiroteio, também já foram liberados.

O reitor da UEPB, Rangel Júnior, suspendeu as aulas pela manhã e admitiu que o período da tarde também pode ficar sem aulas por causa do clima de “terror” que tomou conta da instituição. As informações são do parlamentopb.

 

parlamentopb

 

 

Estudante é detido suspeito de apunhalar colega em escola de CG

Um estudante foi detido suspeito de apunhalar colega dentro de uma sala de aula numa escola de Campina Grande.  O adolescente de 16 anos foi apreendido suspeito de apunhalar outro na noite desta quinta-feira (23). De acordo com a polícia, o adolescente afirmou ter ferido o colega de classe porque estava sofrendo bullying.

Segundo o boletim de ocorrência, o caso aconteceu por volta das 20h25 na Escola Estadual Walnyza Borborema Cunha Lima, localizada no bairro do Ligeiro, quando a vítima, um adolescente de 17 anos, foi surpreendida com uma punhalada nas costas dentro da sala de aula.

A PM e uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram acionadas até o local. A vítima foi levada para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande. A unidade de saúde informou que o adolescente foi atendido e recebeu alta na manhã desta sexta-feira (24).

O adolescente apreendido foi conduzido para a Central de Polícia Civil de Campina Grande acompanhado da mãe, onde foi ouvido e liberado

pbagora

Estudante fica ferida em tiroteio na saída da escola em João Pessoa, diz polícia

Tiroteio foi registrado na entrada de escola na noite de segunda (4) em João Pessoa (Foto: Reprodução/TV Cabo Branco)

Uma estudante de 22 anos ficou ferida após ser baleada acidentalmente em frente à escola Anayde Beiriz, no Bairro das Indústrias, em João Pessoa, na noite de segunda-feira (4). De acordo com a Polícia Militar, a vítima tinha saído da aula, quando dois homens se aproximaram e atiraram contra um homem que estava perto dela. A estudante acabou atingida no tiroteio.

Ainda segundo informações da Polícia Militar, o caso foi registrado por volta das 21h (horário local). Uma equipe da PM estava perto da escola e socorreu a jovem. A estudante foi levada para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. Os suspeitos dos disparos fugiram do local em uma moto.

A estudante deu entrada no Hospital de Trauma de João Pessoa com um ferimento no abdômen. Os policiais militares realizaram buscas, mas até o início da manhã desta terça-feira (5), os suspeitos não tinham sido localizados e presos.

Conforme boletim médico divulgado pelo Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, a jovem passou por procedimentos médicos e seguia internada até as primeiras horas desta terça-feira (5). O estado de saúde da vítima é considerado regular.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Jovem tenta matar estudante a tiros por causa de rixa em escola e acaba preso

Reprodução
Imagem ilustrativa

Um jovem de 22 anos foi preso, na madrugada desta sexta-feira (19), suspeito de tentar matar a tiros um estudante de 16 anos na noite dessa quinta (18). O crime aconteceu em frente a uma escola no bairro Jardim Planalto, em João Pessoa.

Segundo a Polícia Militar, o suspeito contou com auxílio de mais um rapaz na ação criminosa. Este cúmplice ainda não foi localizado. A dupla teria chegado à escola em uma motocicleta, um deles desceu do veículo e atirou contra o adolescente.

A vítima foi socorrida por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, onde seguia internado em situação regular até a publicação desta matéria.

Ainda conforme a PM, um dos suspeitos foi preso no bairro dos Novais e reconhecido pela vítima. “Logo após o crime, levantamos a informação de que um dos suspeitos era também aluno da escola, inclusive reconhecido pela própria vítima. Passamos a realizar buscas e conseguimos localizar o acusado no bairro dos Novais, escondido em uma casa”, contou o tenente Borges Neto.

De acordo com o policial, o motivo do crime teria sido uma desavença que eles tiveram na escola. “Tanto o suspeito quanto a vítima relataram que o motivo seria porque os dois estavam se ‘encarando’ demais, o que eles interpretaram como uma ameaça, mas que não levaram nem à direção da escola e nem aos policiais que fazem a ronda na unidade de ensino, até que um decidiu resolver tentando matar o outro”, completou.

A arma usada no crime não foi localizada. O suspeito preso foi autuado por tentativa de homicídio na Central de Polícia Civil, no Geisel.

Portal Correio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Polícia Militar apreende adolescente suspeito de assassinar estudante universitária em João Pessoa

jovemA Polícia Militar apreendeu, na tarde desta sexta-feira (17), um adolescente suspeito de matar a estudante universitária Meirylane Thaís, no bairro de Tambiá, na noite de quarta-feira (15), em João Pessoa.

Em contato com o Portal MaisPB, o coronel Lívio Delgado informou que a apreensão aconteceu no Porto do Capim.

O secretário de Segurança Pública e Defesa Social,  Cláudio Lima, acompanha o caso e aguarda a apresentação do menor.

A estudante universitária Meirylane Thaís foi assassinado com um tiro na cabeça após supostamente reagir a uma tentativa de assalto. O crime aconteceu quando a vítima caminhava para uma universidade particular, onde cursava Biomedicina.

De acordo com a polícia, a universitária estava acompanhada por uma amiga quando foi abordada por dois homens em uma moto.

Um dos bandidos sacou a arma e ordenou que a vítima entregasse sua bolsa e relógio. Logo em seguida, o suspeito efetuou um disparo que atingiu a cabeça da vítima.

MaisPB

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Detido menor suspeito de matar estudante a tesourada e paulada em escola de JP

delagaciaFoi detido na noite desta quinta-feira (15) um adolescente suspeito de assassinar um estudante de 13 anos a tesourada e paulada dentro da Escola Jacy Costa, na tarde da última segunda-feira (12), no bairro de Mangabeira, na Zona Sul de João Pessoa. Segundo a Polícia Civil, a apreensão ocorreu no mesmo bairro onde o crime aconteceu, nas proximidades da casa do rapaz apontado como autor do crime.

O suspeito, de 16 anos, foi encaminhado para a Delegacia da Infância e da Juventude. Até o fechamento desta matéria, ele ainda não havia prestado depoimento e a polícia ainda iria decidir para onde ele seria encaminhado.

Policiais que registraram a apreensão informaram que o suspeito não estudava na escola onde o assassinato ocorreu. Ele não alegou quais teriam sido as motivações para o crime.

portalcorreio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

Presidente do STF diz que preso custa 13 vezes mais do que um estudante no Brasil

carmem-luciaA presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Cármen Lúcia, afirmou nessa quinta-feira, 10, que um preso custa 13 vezes mais do que um estudante no Brasil. A declaração foi feita durante o 4º Encontro do Pacto Integrador de Segurança Pública Interestadual e da 64ª Reunião do Colégio Nacional de Secretários de Segurança Pública (Consesp), em Goiânia (GO).

“Um preso no Brasil custa R$ 2,4 mil por mês e um estudante do ensino médio custa R$ 2,2 mil por ano. Alguma coisa está errada na nossa Pátria amada”, afirmou.

“Darcy Ribeiro fez em 1982 uma conferência dizendo que, se os governadores não construíssem escolas, em 20 anos faltaria dinheiro para construir presídios. O fato se cumpriu. Estamos aqui reunidos diante de uma situação urgente, de um descaso feito lá atrás”, lembrou a ministra.

As informações foram divulgadas pelo CNJ. No evento, Cármen Lúcia afirmou que a violência no país exige mudanças estruturantes e o esforço conjunto de governos e da União.

“O crime não tem as teias do Estado, as exigências formais e por isso avança sempre. Por isso são necessárias mudanças estruturais. É necessária a união dos poderes executivos nacionais, dos poderes dos estados, e até mesmo dos municípios, para que possamos dar corpo a uma das maiores necessidades do cidadão, que é ter o direito de viver sem medo. Sem medo do outro, sem medo de andar na rua, sem medo de saber o que vai acontecer com seu filho”, disse.

Desde que assumiu a presidência do CNJ, a ministra tem visitado presídios para ver as condições das unidades. Até o momento, Rio Grande do Norte e Distrito Federal receberam visitas de surpresa, e a ideia é inspecionar todos os Estados.

“A cada nove minutos, uma pessoa é morta violentamente no Brasil. Nosso país registrou mais mortes em cinco anos do que a guerra da Síria. Estamos, conforme já disse o Supremo Tribunal Federal, em estado de coisas inconstitucionais. Eu falo que estamos em estado de guerra. Temos uma Constituição em vigor, instituição em funcionamento e cidadão reivindicando direitos. Precisamos superar vaidades de detentores de competências e, juntos, fazer alguma coisa”, declarou a ministra.

O encontro realizado em Goiânia teve a presença do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, que apresentou o Plano Nacional de Segurança Pública. A ação tem como principais metas reduzir os homicídios e os casos de violência contra a mulher, além de racionalizar o sistema penitenciário e a proteção das fronteiras.

paraibaja

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br