Arquivo da tag: estimula

OAB repudia discriminação a nordestinos e estimula denúncia

marcusA Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) repudiou nesta segunda-feira 27 as manifestações de discriminação contra nordestinos após a reeleição da presidente Dilma Rousseff.

“O Brasil é uma nação plural, tolerante e respeitosa. Essas manifestações preconceituosas contra nordestinos advêm de uma minoria e merece ser repudiada pela sociedade brasileira”, disse o presidente nacional da OAB, Marcus Vinicius Furtado Coêlho.

As redes sociais foram tomadas de comentários preconceituosos e racistas depois da vitória de Dilma. Eleitores do PSDB publicaram ofensas contra quem seriam, segundo eles, responsáveis por um novo governo do PT. “A OAB, como voz constitucional do cidadão, repudia de forma veemente essas manifestações, contrárias ao conceito exposto na Carta Maior da construção de uma sociedade justa, solidária e fraterna”, diz nota da Ordem.

“O cidadão que se sentir ofendido ou que testemunhe atos de preconceito pode entrar com uma representação no Ministério Público Federal. O procedimento pode ser feito pela internet, neste link“, estimula a entidade.

 

brasil247

Deputado afirma que classe política estimula a abstenção do eleitorado

Janduhy CarneiroO deputado Janduhy Carneiro (PEN) externou a sua perplexidade com a súbita mudança de postura na militância política, ao ser provocado a comentar o apoio do deputado Gervásio Maia (PMDB) à reeleição do governador.

“É uma questão de foro íntimo”, ressalvou Janduhy, para registrar que “de uma hora para outra mudam o comportamento. Eu não consigo entender. Qual explicação vai se dar ao povo da Paraíba?” – indagou.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Janduhy observou que “a descrença” na classe política é pautada justamente pela mudança de comportamento, “e faz com que o eleitor deixe de ir às urnas”, provocando uma “abstenção altíssima”.

“Tudo isso é insatisfação com a classe política”, resumiu.

*com informações de jponline

Concurso de blogs estimula estudantes a compartilhar leituras em 16 países

 

Um dos principais desafios atuais em todos os sistemas educacionais do mundo é encontrar uma maneira de estimular o hábito da leitura entre os jovens. Um projeto da Organização dos Estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI) e da Fundação SM buscou unir o livro à internet, principal meio de comunicação entre os jovens. E o resultado surpreendeu os organizadores: mais de 800 alunos entre e 12 e 15 anos participaram da iniciativa “¿Qué estás leyendo? (O que estás lendo?)”, que incentivou os participantes a compartilhar informações sobre livros e outras plataformas de leitura.

Os participantes usaram diferentes ferramentas – imagens, texto e vídeos – para compartilhar dicas de obras que estão lendo ou que recomendam que sejam lidas. O concurso recebeu de março a agosto de 2012 a inscrição de mais de 800 jovens de 16 países – a maioria de língua espanhola. O país com a maior participação foi o Uruguai, com 224 blogs criados. A experiência foi apresentada durante reunião preparatória do Congresso das Línguas na Educação e na Cultura, em Salamanca, na Espanha.

A coordenadora do projeto, Inés Miret, avalia que o saldo foi muito positivo. Segunda ela, essa primeira edição do projeto funcionou como um piloto e na próxima etapa o objetivo é ampliar a participação, incluindo estudantes brasileiros. Até o fim do ano, será escolhido o melhor blog de cada país por um grupo de jurados que está sendo montado. Inés aposta que muitas páginas já têm um formato mais consolidado e deverão continuar funcionando depois do fim do concurso. Houve grande interação entres os blogueiros, que compartilhavam dicas e conteúdos.

Inés destaca que a internet, muitas vezes vista como inimiga pelas escolas, pode ser grande impulsionadora do hábito de leitura. “É interessante ver um recurso desse tipo, que aporta coisas diferentes para que as experiências sejam diferentes. A experiência literária sempre fez parte da educação, mas é interessante ver o que acontece quando transcendemos o âmbito da sala de aula ou da escola e o encontro entre leitores se dá por afinidade e não por proximidade física”, aponta Inés.

Além da experiência dos blogs, outros projetos de estímulo à leitura foram apresentados aos representantes dos países íbero-americanos. Na Costa Rica, o Ministério da Educação produziu uma campanha de televisão em que atletas, cantores, atores e músicos apresentavam seus livros preferidos e convidavam o público a “ler com eles”. O ministro da Educação, Leonardo Garnier, sugeriu que outros países façam isso, convocando os ídolos locais.

Agência Brasil.

Ranking estimula a excelência nas universidades, dizem especialistas

O RUF (Ranking Universitário Folha) ajudará a melhorar o ensino superior no país, afirma o presidente do Inep (instituto do Ministério da Educação responsável pelas avaliações no setor).
Lançado ontem, o RUF é o primeiro ranking de universidades brasileiras. Analisou a qualidade da pesquisa e do ensino, a reputação no mercado de trabalho e a inovação nas instituições de ensino.

“É um instrumento que vai além do sistema atual e faz com que as instituições passem a buscar a excelência, e não apenas a fuga da supervisão”, afirmou Luiz Cláudio Costa, que preside o Inep.

Ele se referiu ao mecanismo do Ministério da Educação chamado de IGC (Índice Geral de Cursos), que usa basicamente o desempenho dos alunos de graduação em uma prova (Enade), proporção de professores com doutorado e notas da pós-graduação.

No IGC, as instituição são classificadas em cinco níveis. As que ficam nos dois mais baixos passam por processo de supervisão do ministério.

“Como o ranking mostra com transparência quais são os indicadores avaliados, as instituições podem saber onde devem melhorar”, disse Costa, ex-secretário de Ensino Superior do ministério.

Ele afirma que o indicador pode ser aprimorado se consultar também os coordenadores de pós-graduação das universidades, para saber quais escolas estão fornecendo bons pós-graduandos.

Segundo ele, algumas escolas podem ter alta produção científica, mas corpo de pesquisadores antigo, sem contribuição para a renovação da ciência no país.

Editoria de arte/Folhapress

REGIONALIZAÇÃO

Secretário executivo da Andifes (representante dos reitores das universidades federais), Gustavo Balduino afirmou que o ranking pode ajudar as instituições a localizar seus pontos fracos.

Ele aponta, porém, limitações na metodologia. Uma é que o ranking não consegue captar a relevância da instituição para a sua região.

“Não há universidade mais importante no Amapá do que a universidade no Amapá”, disse Balduino. “Ou seja, é melhor ajudar a desenvolver sua região ou criar pesquisa de impacto internacional?”

No RUF, 7 das 10 melhores instituições são federais. A lista foi liderada pela USP.

O presidente da Anup (Associação Nacional das Universidades Particulares), Abib Salim Cury, disse que a iniciativa é “positiva, porque permite ao pessoal saber como a sua instituição está”.

Para as próximas edições, diz, as instituições poderiam ser consultadas “para ajudar a melhorar os critérios”.

O RUF foi criado pelo grupo liderado pelo cienciometrista (área que estuda a produção científica) Rogério Meneghini, em conjunto com a Redação da Folha.

O grupo de Meneghini foi responsável pelo levantamento da produção científica das instituições e da inovação (criação de patentes).

O Datafolha apurou a reputação das escolas entre recursos humanos e cientistas. (FÁBIO TAKAHASHI)

Folha

Concurso estimula discussão sobre fontes de energia entre estudantes do ensino médio

“Qual é a melhor fonte de energia para nosso futuro?” O questionamento é o tema da edição deste ano do Concurso de Trabalhos Escritos e Desenhos pelo Dia Mundial da Ciência pela Paz e pelo Desenvolvimento. A iniciativa, voltada para estudantes do ensino médio do Brasil, recebe inscrições de trabalhos e desenhos sobre o tema até o próximo dia 3 de setembro.

De acordo com o regulamento do concurso, a ideia é incentivar a iniciação científica e tecnológica entre estudantes do ensino médio do Brasil e promover o debate sobre os “impactos da pesquisa e os avanços da ciência e da tecnologia para o desenvolvimento e a sustentabilidade do planeta”.

Os/as interessados/as em participar devem preencher a ficha de inscriçãoe enviar um trabalho escrito e/ou um desenho até o dia 3 de setembro. As produções devem ter sido elaboradas pelos/as estudantes de forma individual, contar com a orientação de um/a professor/a (facultativa para caso de desenhos) e abordar questões sociais, ambientais, éticas e econômicas a respeito da temática.

Os trabalhos escritos devem ter no mínimo dez páginas e seguir as normas especificadas no regulamentodo concurso. As produções devem ser enviadas, juntamente com o formulário de inscrição, para o correio eletrônico: cienciaparatodos@unesco.org.br. Trabalhos manuscritos podem ser entregues pessoalmente ou enviados por correio (Setor de Ciências Naturais da Unesco – SAUS Quadra 5, Bloco H, Lote 6, Ed. Unesco/IBICT/CNPq, Sala do Protocolo n° 1004 CEP 70070-912, Brasília/DF). A comissão avaliadora do concurso observará aspectos como: originalidade, criatividade, inovação, coerência com o tema, lógica de argumentação, domínio do conteúdo, construção textual e apresentação.

Os desenhos também devem seguir as normas do regulamentoespecíficas da categoria. A ficha de inscrição deve ser colada no verso da obra, juntamente com uma frase sobre o desenho. As produções devem ser enviadas por correio ou entregues pessoalmente na Unesco. Os trabalhos serão avaliados de acordo com: originalidade, criatividade, impacto visual, coerência com o tema, qualidade e apresentação.

A lista com as 20 produções selecionadas (dez trabalhos escritos e dez desenhos) e com documentação aprovada será divulgada no dia 22 de outubro. Os 20 trabalhos serão publicados em livro. Estudantes, professores/as que orientaram as produções e as escolas receberão certificado do Concurso e uma coleção de publicações na área de Ciências. Os/as três melhores colocados/as em cada categoria serão conhecidos/as no início de novembro e serão convidados a visitar instituições de ensino e pesquisa.

O Concurso, promovido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) em parceira com outras entidades, faz parte das celebrações pelo Dia Mundial da Ciência pela Paz e pelo Desenvolvimento (10 de novembro),instituído pela ONU em 2001. No Brasil, a data passou a ser comemorada também no dia 10 de novembro, mas somente a partir de 2005. Esta edição do concurso ainda marca 2012 como o Ano Internacional de Energia Sustentável para Todos.

Para mais informações, acesse: http://eventos.unesco.org.br/diadaciencia

Adital

Tempo no horário eleitoral estimula barganha entre partidos e governos

Às vésperas das convenções municipais que definirão as coligações dos candidatos a prefeito, os partidos abriram a temporada de negociações e ofertaram espaço nos governos, vagas no Legislativo e ajuda para eleger vereadores de legendas aliadas, com o objetivo de angariar segundos a mais na propaganda eleitoral gratuita, no rádio e na TV.

O critério mais valorizado nos acordos interpartidários não é o programa de governo para as cidades ou a identidade ideológica entre as legendas, mas o tempo que cada sigla tem no horário eleitoral gratuito, que, na realidade, custará R$ 606 milhões em renúncia fiscal para o governo.

Os governadores têm cedido espaço nas secretarias em troca de alianças com seus candidatos nas capitais. Os prefeitos que concorrem à reeleição condicionam a manutenção dos aliados em seus governos ao apoio a suas candidaturas. Parlamentares chegam até a se licenciar da Câmara dos Deputados ou da Assembleia para permitir que um suplente assuma a sua cadeira no Legislativo e, em troca, apoie certa candidatura a prefeito.

As alianças pelo País reproduzem a disputa pelo PP, de Paulo Maluf, promovida por PT e PSDB, em São Paulo, na semana passada. Para conseguir 1 minuto e 35 segundos na TV, ao pré-candidato José Serra (PSDB), o governador Geraldo Alckmin (PSDB) sinalizou com a Secretaria de Habitação, com capacidade anual de investir R$ 1,5 bilhão.

Mas o governo federal atravessou a negociação e entregou para o PP, de Maluf, a Secretaria de Saneamento Ambiental, do Ministério das Cidades, que tem orçamento de R$ 2,2 bilhões. A articulação deixou o pré-candidato do PT, Fernando Haddad, com um minuto a mais de tempo de TV que o adversário tucano.

A ação do governo federal também se reproduziu a favor do candidato petista em Salvador (BA), Nelson Pelegrino. O líder estadual do PR, o ex-governador baiano César Borges, foi nomeado vice-presidente de Governo da Caixa Econômica Federal. Pelegrino e Borges reuniram-se na quinta-feira para tratar da coligação.

Os governadores também entram com o peso da máquina para atuar a favor dos seus candidatos. O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), atuou a favor de sua candidata em João Pessoa, Estelizabel Bezerra. Foi a campo e costurou acordo com o PC do B em troca da Secretaria Executiva de Meio Ambiente.

Sem apoio do governador, o PMDB, do pré-candidato José Maranhão, ofereceu ao PTB até vaga na Câmara. O presidente municipal da sigla, Benjamin Maranhão, é deputado e se licenciará abrindo espaço para o suplente, Armando Abílio, do PTB.

Governos. Em Pernambuco, o governador Eduardo Campos (PSB) costurou frente com 15 partidos para apoiar o seu candidato em Recife, Geraldo Júlio, ex-secretário de Desenvolvimento Econômico. A ação garante a ele, por enquanto, o maior tempo de TV. As legendas que apoiam a candidatura ocupam espaços no governo: o PR, por exemplo, tem a Secretaria de Turismo, o PP a de Esporte, e o PTB, o Detran.

A mesma fórmula foi reproduzida por Cid Gomes (PSB), no Ceará, onde o governador empregou capital político para desamarrar o apoio a Elmano de Freitas, candidato do PT, com o qual rompeu, na disputa em Fortaleza. Fechou alianças com dez partidos em torno de Roberto Cláudio, que terá quase três minutos a mais na TV que o petista.

Em Porto Alegre, o candidato à reeleição, José Fortunati (PDT), construiu arco de alianças de 11 partidos, como PTB, PP e PMDB, que têm cargos no governo. O prefeito chegou a dizer que seria “incoerente” a permanência em seu governo de secretários que apoiassem outro candidato. Ele ofereceu espaço para o PT, que terá candidato próprio, em troca de aliança. Na segunda-feira, ao confirmar o apoio ao prefeito, os dirigentes do DEM pediram “posição de destaque” na gestão Fortunati.

Também candidato à reeleição, o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), formou aliança com 18 partidos, que deve dar a ele mais de um terço de todo o tempo de TV da corrida carioca.

As legendas que estão com ele fazem parte do seu governo, com pastas que vão da Pessoa com Deficiência até Administração e Ciência e Tecnologia.

Para o marqueteiro Nelson Biondi, mudanças na lei eleitoral que restringiram showmícios e outdoors aumentaram a importância da exposição na TV: “Nas cidades grandes, a TV é praticamente a única forma de expor o candidato. O tamanho da coligação tem relação direta com a importância que a TV ganhou”.

Biondi destaca que o mais importante não é o bloco de propaganda com todos os candidatos, mas as inserções, de 15 ou 30 segundos, na programação. “O horário eleitoral pega o cara na condição de eleitor. Já nas inserções o eleitor assiste como consumidor, está mais desprevenido.”

Segundo o cientista político Fabiano Santos, do Instituto de Estudos Sociais e Políticos (Iesp), da Uerj, além do tempo de TV, os candidatos querem mostrar capacidade de agregar. “É a sinalização para eleitorado e sociedade de ampliação do arco, capacidade de agregar forças”, disse.

Fonte: estadão

Campanha estimula doação de sangue no período junino

O Hemocentro da Paraíba, em parceria com o Centro ProAtivo e o DoeSangue PB, realiza a campanha “Sangue Junino”, nos dias 15 e 16 de junho em João Pessoa e Campina Grande respectivamente. A ação conjunta tem como objetivo sensibilizar a população sobre a importância da doação, além de aumentar o numero de bolsas de sangue no estoque dos hemocentros, já que neste período cresce o número de acidentes de trânsito, além de vítimas de queimaduras.

Em João Pessoa, esta será a segunda edição da campanha e os doadores poderão procurar, no dia 15, o Hemocentro, que fica localizado na Av. Pedro II, número 1.119 e também a unidade de coleta móvel, instalada no Parque Sólon de Lucena, próximo a Lagoa. O movimento está sendo ampliado para a cidade de Campina Grande, e as doações poderão ser feitas no Hemocentro Regional e na Praça da Bandeira, onde ficará a Unidade de Coleta Móvel, no dia 16.

Movimento Doe Sangue – O movimento é liderado por jovens voluntários que tem como principal objetivo estimular a doação de sangue, divulgando pedidos de doações, informações sobre a importância da doação de sangue, notícias e dicas. Tudo é feito através das mídias sociais, tendo como principal ferramenta o twitter: twitter.com/DoeSanguePB.

Centro Proativo – é um projeto de cunho social com objetivos amplos, que visa oferecer oportunidades para mudança de vida efetiva das pessoas, além de ajudar aqueles que mais precisam.

Secom-JP