Arquivo da tag: esquecer

Beber não ajuda a esquecer problemas e reforça lembrança ruim, diz estudo

homem-bebendoQuem acredita no ditado “beber para esquecer” pode ficar decepcionado com os resultados de um estudo publicado este mês na revista “Translational Psychiatry”. Segundo pesquisadores da Universidade Johns Hopkins (EUA), o consumo de álcool não só não ameniza ou acaba com as memórias ruins, como as reforça no cérebro.

O estudo tirou essas conclusões com uma experiência feita com ratos de laboratório. Os animais foram divididos em dois grupos: um bebeu água durante duas horas, e ao outro foi dada uma mistura de água misturada a com álcool. Depois, todos eles foram submetidos a um som e uma descarga elétrica. No dia seguinte, os roedores escutaram o mesmo som, mas dessa vez sem o choque. A conclusão foi que os ratos do segundo grupo ficam mais paralisados por medo da descarga que os do primeiro grupo. Uma análise molecular dos tecidos cerebrais também revelou que o álcool colaborou para perpetuar a sensação de medo.

Nos humanos, o equivalente seria a pessoas que sofrem com estresse pós-traumático e usam o álcool como uma espécie de “tratamento”, diz Norman Haughey, um dos pesquisadores. Pesquisas estimam que 60% a 80% dos norte-americanos com este transtorno usam a bebida como refúgio para os traumas.

Haughey declara que a pesquisa é só um primeiro passo e que a realidade de uma pessoa com estresse pós-traumático é muito mais complexa que a de um rato de laboratório, até porque muitas das vezes há uma interação entre álcool medicamentos antidepressivos e calmantes e isso poderia influenciar nestes primeiros resultados.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

 

Ginecologista é acusado de esquecer celular no corpo de paciente em parto

ginecologistaUm ginecologista foi acusado de ter deixado cair seu celular dentro do corpo de uma paciente durante uma cesariana em Amã, na Jordânia.

Segundo o jornal inglês “Daily Mirror”, o médico não teria percebido o incidente e acabou esquecendo o aparelho ainda no corpo de Hanan Mahmoud Abdul Karim, de 36 anos, após o nascimento do bebê.

A mulher havia dado à luz em um hospital privado na capital jordaniana no dia 24 de abril. Mas, durante a cesariana, o médico teria deixado seu telefone cair na paciente e não percebeu.

A mãe de Hanan disse que sua filha notou que algo estava vibrando em sua barriga ao chegar em casa. A mulher precisou passar por nova cirurgia para a retirada do aparelho.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

O porta-voz do Ministério da Saúde da Jordânia, Hatem Al Azrae, disse que a história é falsa.

G1

Famílias Paulino e Toscano prometem esquecer rivalidades em prol do desenvolvimento de Guarabira

familia-toscano e paulinoA histórica rivalidade entre as famílias Paulino e Toscano na cidade Guarabira pode ter uma trégua . Os dois deputados estaduais eleitos pelo povo guarabirense Raniery Paulino –PMDB e Camila Toscano – PSDB, prometem se unir por recursos para a região.

Se depender da deputada Camila Toscano (PSDB), a disputada política não será estendida à Assembleia. Na Casa, Camila dividirá espaço com o deputado Raniery Paulino (PMDB). “A rivalidade deve ser deixada de lado por algo maior: o bem da Paraíba”, prega.

Em visita recente a moradores de Guarabira Raniery reassumiu o compromisso de trabalhar ainda mais, a partir de 2015, no seu retorno para um novo mandato no Parlamento Estadual. “Um dia muito produtivo, onde pude ouvir a população e mostrar um pouco do nosso trabalho. Agradeço o carinho, o apoio e os testemunhos positivos sobre o nosso mandato. Fica o meu compromisso de fazer ainda mais em defesa do nosso povo”, disse Raniery.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Nas eleições deste ano, o deputado guarabirense Raniery Paulino (PMDB) obteve 35.007 votos. O resultado deixou Raniery credenciado para 2016, quando ocorrerá eleição municipal e, possivelmente, o PMDB terá candidato próprio.

O grupo Toscano, liderado pelo prefeito de Guarabira Zenóbio e pela então deputada estadual Léa Toscano, também saiu fortalecido dessa campanha. Camila Toscano (PSDB) foi eleita deputada com 32.682 votos.

Recentemente o portal Transparência Brasil apresentou o deputado estadual Raniery Paulino (PMDB) como o parlamentar mais atuante dentre os 36 com assento na Assembléia Legislativa da Paraíba. Raniery é o primeiro colocado num ranking elaborado pelo portal com os dez parlamentares mais atuantes da Casa de Epitácio Pessoa. Raniery Paulino foi o campeão na apresentação de projetos e requerimentos.

 

 

PBAgora

São Paulo bate Portuguesa e alcança pontuação para esquecer Série B

O São Paulo está livre da segunda divisão do Campeonato Brasileiro . Na noite deste sábado, a equipe sofreu no Morumbi, porém venceu a Portuguesa por 2 a 1, com gols de Rodrigo Caio e Aloísio, e atingiu 46 pontos. Nas contas da comissão técnica, é suficiente para esquecer o risco de descenso.

Pode ter sido a despedida do Morumbi na competição – pela qual o São Paulo volta a campo no próximo domingo, quando visita o Atlético-PR, em Curitiba – porque o clube foi punido com perda de mando de campo em quatro partidas. Se não conseguir redução de pena, será obrigado a fazer as últimas três rodadas como mandante a uma distância superior a 100 km da capital paulista.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Em contrapartida, a Portuguesa (com 39 pontos ganhos, ainda não livre ainda do risco de rebaixamento à Série B) volta a jogar em casa já na próxima rodada. Daqui a exatamente uma semana, o time recebe o Coritiba, em duelo direto na parte de baixo da tabela de classificação.

O jogo

Neste sábado, apenas duas posições foram mudadas por Muricy Ramalho em relação ao jogo de meio de semana, pela Copa Sul-americana. Luis Fabiano, sem condições físicas ideais, deu lugar a Ademilson, ao passo que Paulo Henrique Ganso, suspenso no torneio continental, retomou a posição ocupada momentaneamente por Jadson.

Mas havia uma diferença clara no desenho tático da equipe. Em vez do esquema tático 3-5-2, o São Paulo distribuía seus três zagueiros em uma linha de quatro, com Paulo Miranda bem aberto pelo lado direito. E foi com essa formação que vieram alguns sustos no início, por iniciativa do meia Souza, que comandava a Portuguesa e arriscou um chute defendido por Rogério Ceni em dois tempos.

Marcos Bezerra/Futura Press

Aloisio entra em dividida com Valdomiro durante a vitória do São Paulo sobre a Portuguesa no Morumbi

Souza também tentou ajudar seu time defensivamente e, aos sete minutos, afastou bola pela linha de fundo. Só que, na cobrança de escanteio de Douglas, o lateral direito são-paulino pegou a própria sobre e levantou a bola novamente para o meio da área. Rodrigo Caio se antecipou e a cabeceou no canto esquerdo de Lauro para abrir o placar. Foi seu quarto gol com a camisa tricolor, todos (de cabeça) neste ano.

A reação da torcida não poderia ser outra que não de festa e gritos esperando uma goleada. A expectativa, no entanto, não se confirmou. Aos 18 minutos, Antônio Carlos poderia ter renovado essa esperança se tivesse concluído melhor de cabeça um cruzamento de Douglas pelo lado direito. O zagueiro subiu com tempo errado e mandou a bola à esquerda da meta rubro-verde.

Mesmo com dificuldade para prender a bola por muito tempo, a Portuguesa passou aos poucos a chegar com maior perigo ao campo de ataque. Graças também por um recuo do São Paulo, que insistiu em trocar passes no campo de defesa sem se desfazer da bola mesmo quando pressionado. Rodrigo Caio, Paulo Miranda e Denilson quase complicaram a saída em alguns momentos.

O risco defensivo irritou Rogério Ceni, que desistiu de atuar como líbero e começou a se livrar da bola, agradando à torcida atrás dele. Mas não só isso o incomodava. O goleiro também criticou seus companheiros após um cabeceio de Gilberto, completamente livre de marcação, à sua esquerda. Antônio Carlos encarou o capitão de frente e ouviu a bronca sem esboçar nenhuma reação.

O gol da Portuguesa parecia próximo. Como de fato estava. Após Marcelinho aproveitar bobeada de Rodrigo Caio e ganhar escanteio, a equipe visitante chegou ao empate. Aos 41 minutos, a zaga são-paulina não afastou bola pelo alto, e Luis Ricardo ficou com a sobra dentro da área. De primeira, o lateral direito (que interessa ao Tricolor) chutou no ângulo esquerdo de Rogério Ceni e empatou.

A ligeira melhora do time treinado por Guto Ferreira quase o colocou em vantagem antes até do intervalo. Três minutos depois do gol, Gilberto recebeu ótimo cruzamento vindo da esquerda e cabeceou bem, mas Rogério Ceni esticou a mão e fez defesa melhor ainda, espalmando a bola para escanteio e salvando o São Paulo no primeiro tempo.

Na segunda etapa, o São Paulo voltou mais ligado – e também mais “humilde”, como pediu Maicon, em entrevista no intervalo – e quase anotou o segundo gol aos nove minutos. Um bate-rebate dentro da área só não balançou a rede porque Moisés, em cima da linha, fez o corte. No minuto seguinte, Ademilson não aproveitou rebote de frente para o gol ao chutar a bola por cima do travessão, para desespero nas arquibancadas.

A equipe da casa, que pouco depois reclamou corretamente de pênalti em Aloísio, pôs o Morumbi abaixo aos 32 minutos. Com gol do centroavante, que aproveitou esforço de Ademilson na linha de fundo e só teve o trabalho de concluir ao gol vazio, já que Lauro havia deixado a meta para tentar se antecipar ao outro homem de frente. Um gol que, graças à trave (a qual evitou o empate no fim), decretou a vitória e tirou a Série B da lista de preocupações.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 2 X 1 PORTUGUESA

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 2 de novembro de 2013 (sábado)
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Assistentes: Rogerio Zanardo (SP) e Vicente Romano Neto (SP)
Público: 50.802 pagantes
Renda: R$ 623.1290,00
Cartão amarelo: Denilson (São Paulo)

Gols
SÃO PAULO:
 Rodrigo Caio, ao sete minutos do primeiro tempo, e Aloísio, aos 32 minutos do segundo tempo
PORTUGUESA: Luis Ricardo, aos 41 minutos do primeiro tempo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rodrigo Caio e Antônio Carlos; Douglas (Welliton), Denilson, Maicon, Ganso e Reinaldo; Ademilson (Wellington) e Aloísio (Lucas Evangelista)
Técnico: Muricy Ramalho

PORTUGUESA: Lauro; Luis Ricardo, Lima, Valdomiro, e Rogério; Willian Arão, Bruno Henrique (Wanderson), Moisés e Souza (Henrique); Marcelinho (Bruninho) e Gilberto
Técnico: Guto Ferreira

 

*Com Gazeta