Arquivo da tag: especialista

Dores de cabeça: especialista explica tipos e sintomas

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), dores de cabeça serão sentidas, em algum momento, por quase todas as pessoas, sendo que metade dos adultos no mundo já teve pelo menos uma das três variações mais comuns de dor de cabeça.

Porém, de acordo com a neurologista dra. Evelyn Esteves Dias, membro da Sociedade Brasileira de Cefaleia (SBC), ter dores de cabeça constantes não é normal. “Se não identificadas as causas e tratadas corretamente, o problema pode se tornar crônico e assim, permanecer uma patologia incapacitante e responsável por incômodos persistentes”, diz a médica.
Ainda segundo a neurologista, é importante reforçar que nem todas as dores de cabeça são iguais e nem têm as mesmas causas: “Existem mais de 150 tipos de cefaleia e identificar seus sintomas podem ajudar o médico a determinar a causa e o tratamento adequado”. Para auxiliar na identificação e diferenciação, a especialista elenca as mais frequentes:

Cefaleia tensional

“Presença de dor bilateral, ou seja, nos dois lados da cabeça. As partes frontal e posterior também podem ser afetadas. Esta dor, que costuma começar branda e piorar ao decorrer do dia ou com a realização de esforços, traz uma sensação de aperto na cabeça. Pode durar de 30 minutos a 7 dias e é mais comum nas mulheres que nos homens”, explica especialista.

Cefaleia em salvas

É um tipo menos comum, de acordo com a neurologista. “Caracterizada por uma dor muito forte, que já inicia intensa, e unilateral, apenas de um lado da cabeça. Pode durar de 15 minutos até 3 horas e a maioria dos casos ocorre durante a madrugada, fazendo com que o paciente acorde. Outro critério para que seja considerada cefaleia em salvas é a sensação de olho lacrimejando e coriza, ambas no mesmo lado da dor. Curiosamente, por ser uma dor bastante forte, pode confundir muitos pacientes, que pensam sofrer um AVC. Por isso, é normal o paciente procurar um neurologista após já ter passado por atendimento em pronto-socorro”, completa.

Enxaqueca

Diferente da cefaleia tensional, a enxaqueca é caracterizada por uma dor pulsátil, de forte intensidade e afeta 11% dos adultos em todo o mundo. No Brasil, a prevalência anual é de cerca 15%, acometendo por volta de 22% das mulheres e 9% dos homens³. “As dores podem ser unilaterais e bilaterais. Além disso, estão comumente acompanhadas de náuseas e vômitos, intolerância à luz ou ao som. É uma patologia mais recorrente em mulheres, devido às questões hormonais, e costuma durar entre quatro a 72 horas”, diz a neurologista.

Quando procurar um especialista

Quando a frequência de episódios é baixa, mudanças no estilo de vida e autocuidado podem auxiliar na promoção da saúde. Porém, dra. Evelyn recomenda que, caso o indivíduo sinta entre duas a três crises de dor de cabeça por semana, procure um neurologista ou clínico geral para um diagnóstico mais preciso e tratamento adequado.

É indicado que pacientes tenham um ‘diário da dor de cabeça’, para que tomem nota de todos os sintomas e assim, junto ao seu médico, identifiquem não apenas o tipo, mas os gatilhos que provocam a cefaleia.

Ansiedade, estresse, esgotamento cerebral e cobranças excessivas podem ser alguns dos principais desencadeadores da cefaleia no futuro, de acordo com a pesquisa ‘O futuro da dor de cabeça’, conduzida pela Worth Global Style Network (WGSN) em 2018. A dra. Evelyn ressalta que, no consultório, essas tendências já são notadas.

 

 

portalcorreio

 

 

90% dos homens diagnosticados com câncer de próstata precocemente têm cura, afirma especialista

O Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima que 1.170 homens sejam diagnosticados com câncer de próstata na Paraíba. Desse total, 180 correspondem ao número de casos registrado na Capital paraibana. Aproveitando esta quarta-feira (27), data em que se comemora o Dia Internacional e Nacional de Combate ao Câncer e seguindo a campanha do Novembro Azul, o médico urologista do Hapvida em João Pessoa, Emerson Medeiros, afirma que 90% dos homens diagnosticados com câncer de próstata precocemente obtêm a cura e fala sobre o tratamento.

“Após diagnóstico da doença, o tratamento para o câncer de próstata pode ocorrer por meio de medicações, cirurgia ou radioterapia. Quanto mais cedo diagnosticar, mais fácil alcançar a cura. Já no caso de pacientes que detectam a doença em estado avançado, não existe mais o tratamento curativo, é preciso partir para radioterapia, quimioterapia, bloqueio hormonal e outras medicações”, explica o médico que complementa: “Uma vez operado, o acompanhamento deve ser contínuo e rotineiro”.

O especialista assegura que a necessidade de uma rotina médica junto ao urologista se dá pelo fato de o câncer de próstata ser uma doença que, na maior parte dos homens, não manifesta sintomas.

“Por não apresentar sintomas, o diagnóstico precoce para doença se dá por meio das consultas e exames de rotina, a exemplo do exame de toque, que é simples, durando em torno de 20 a 30 segundos”, esclarece.

Apesar de na maioria dos casos a doença não apresentar sintomas, Emerson Medeiros alerta para presença da dificuldade ao urinar, sangramento na urina e dor lombar que não cessa. “Esses três sintomas podem apontar para um possível diagnóstico do câncer de próstata”, pontua.

Frequência médica – Emerson Medeiros brinca: “os homens para irem ao médico precisam que haja um estímulo por parte de uma das três mulheres da vida deles: mãe, esposa ou filha”. Apesar da descontração, o especialista afirma que isso mostra como os homens ainda apresentam uma resistência cultural muito forte para procurar um médico. Segundo ele, isso é uma realidade que atinge não só o Brasil, mas diversos países, inclusive, os desenvolvidos.

“A mulher quando alcança a idade de deixar o pediatra segue com suas consultas rotineiras com uma ginecologista. O homem deixa o pediatra e não segue para nenhum especialista, quando deveria seguir acompanhando a saúde do seu corpo com as orientações de um urologista. Mas, em geral, o homem só busca uma especialidade médica quando sente alguma coisa, por achar que é invencível, infalível e nunca vai ter problema algum”, afirma o médico.

Emerson Medeiros afirma que a frequência ao médico urologista varia de acordo com a idade. Aos 40 anos para quem tem histórico familiar de câncer de próstata, necessitando nesse caso de maior atenção; e 45 anos para quem não possui o histórico da doença.

“A idade não anula a possibilidade de a doença surgir antes. Se o homem perceber qualquer diferença em seu corpo deve sempre buscar os cuidados médicos”, conclui.

Assessoria de Imprensa

 

 

Especialista critica alterações na reforma da Previdência: “Estão retirando direitos e dinheiro do bolso do trabalhador”

A reforma da Previdência proposta pelo governo de Jair Bolsonaro pode apertar demais os direitos sociais e acabar gerando problemas maiores, com aumento de pobreza no médio e longo prazo. O estabelecimento de um tempo mínimo de contribuição de 20 anos, o endurecimento na concessão das aposentadorias rurais e as reduções nos valores de pensões e auxílios estão entre as principais críticas. Para o professor Edson Franco, do Departamento de Finanças e Contabilidade da UFPB no geral, as regras da proposta dificultam o acesso e resultam em pagamentos menores do que os recebidos hoje e que o objetivo do governo nessa reforma é tão somente fazer com que sobre mais dinheiro, no que eles chamam de superávit primário, para fazer pagamento dos juros das dívidas.

“Foi um crime essa reforma na Previdência, porque atingiu mais a quem tem menos. A verdade é essa. A gente sempre defendeu que, antes da reforma da Previdência, o caminho para ajustar as contas do governo seria uma reforma tributária. Estão retirando direitos e dinheiro do bolso do trabalhador, seja com a reforma trabalhista, seja com a reforma da Previdência. A tendência é que numa possível reforma tributária também não se pense no trabalhador e na trabalhadora”, pontuou Edson.

Para o especialista o único ponto positivo da reforma da Previdência foi a não aprovação do sistema de capitalização. Quanto às regras de transição, Edson Franco entende que sua única finalidade foi dificultar o acesso do trabalhador à aposentadoria.

pbagora

 

 

Por dia, três paraibanos descobrem que têm tuberculose e especialista afirma que doença não só atinge ‘grupo de risco’

Transmitida pelo ar por meio da tosse, a tuberculose, doença causada pelo microorganismo chamado Mycobacterium tuberculosis, também conhecido como bacilo de koch, fez três vítimas por dia na Paraíba. Um total de 1.104 pessoas foi diagnosticado com a doença no ano passado, segundo a Secretaria de Estado da Saúde. Neste domingo (17), Dia Nacional de Combate à Tuberculose, o infectologista do Hapvida em João Pessoa, Fernando Chagas, aproveita a data para desmistificar algumas questões sobre a patologia e alertar que o tratamento deve começar de imediato e que a doença não atinge só “grupos de risco” como ainda está presente no imaginário das pessoas.

“A tuberculose é uma doença muito presente, que carrega muitos rótulos baseados em preconceitos e estigmas. A melhor forma de acabar com isso é, realmente, identificar e tratar quem está acometido. A doença pode acometer qualquer pessoa”, afirma o especialista que explicou ainda que a doença tem cura, sendo o mais importante iniciar o tratamento assim que for diagnosticado e permanecer em uso da medicação pelo tempo necessário.

Fernando Chagas esclarece que o diagnóstico é dado pela análise do escarro. “Existe um exame barato e rápido chamado baciloscopia de escarro, na qual é detectado na análise do escarro. O diagnóstico também pode ser feito pela biopsia e exames de imagem, como radiografia e tomografia computadorizada”, elenca.

A tuberculose pulmonar causa uma infecção que pode durar meses ou anos e vai destruindo, pouco a pouco, o pulmão. O médico esclarece que os sintomas iniciais podem ser tosse prolongada, durando mais de 30 dias, que pode ser seca, mas na maioria das vezes é produtiva, ou seja, com secreção. Surgimento de febre no final da tarde – esta também pode durar meses –, perda de pesa, podendo o indivíduo perder 10 kg em seis meses ou até mais. Além de fraqueza e falta de apetite.

Consequências – O médico infectologista Fernando Chagas destaca que a tuberculose acometendo os pulmões pode deixar sequelas. Dentre as quais o risco de sangramento, destruição do tecido pulmonar e cavitações nos pulmões. “Todos estes refletem uma vida de acompanhamento e cuidados do paciente com a saúde, porque fragiliza muito o sistema respiratório”, afirma.

Além disso, o especialista alerta: “Todo paciente com tuberculose deve fazer o exame do HIV, porque a tuberculose é ainda a doença que mais mata entre os portadores desse vírus”, conclui.

 

Assessoria de Imprensa

 

 

Lei que prioriza divórcio para vítimas de violência doméstica é sancionada: “Avanço”, diz especialista

A lei irá acelerar o divórcio para preservar integridade física e emocional da vítima
Na última quarta-feira (30), foi sancionada a lei 13.894/19, que garante assistência jurídica e assegura prioridade nos processos de separação e/ou divórcio à mulher vítima de violência doméstica.

Entretanto, os trechos que permitiam à mulher escolher entre dissolução da união estável e ação de divórcio no juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher foram vetados. Caberá ao juiz assegurar à mulher encaminhamento à assistência jurídica para o ajuizamento da ação de divórcio, separação judicial ou dissolução da união estável.

A partir de agora os policiais que atenderem ocorrências de violência doméstica devem informar imediatamente a vítima sobre seus direitos e a assistência jurídica disponível.

A nova legislação também modifica a Lei 13.105/15 do Código Civil, passando a permitir que a mulher vítima de violência doméstica ajuíze as ações de divórcio, separação, anulação de casamento e reconhecimento ou dissolução de união estável no foro do seu domicílio ou de sua residência. Além disso, o Ministério Público terá a obrigação de intervir nestas ações.

Segundo a advogada Eleonora Mattos, do escritório Silvia Felipe e Eleonora Mattos Advogadas, especializada em Direito de Família e Sucessões, o conteúdo da lei é bastante positivo.

“Antes a mulher precisava promover um outro processo, perante uma das Varas da Família e das Sucessões, caso tivesse a intenção de romper juridicamente o relacionamento familiar que mantém com o agressor caso este se negasse a fazê-lo consensualmente. Agora com a lei, haverá a possibilidade de o rompimento do vínculo ser tratado pelo mesmo juiz especializado que analisa a questão criminal e as medidas protetivas”.

Sobre o escritório Silvia Felipe e Eleonora Mattos Advogadas
Trabalhando juntas desde 2007, as advogadas Silvia Felipe e Eleonora Mattos possuem um perfil firme, responsável e sensível às questões sociais e afetivas ligadas ao Direito de Família e Sucessões, área de suas exclusivas atuações profissionais em escritório que leva os seus nomes.

 

 

 

‘Prever e educar’, defende especialista contra crimes cibernéticos

“Prever e educar”. Essa seria a solução para evitar crimes cibernéticos, a partir da óptica do CEO e presidente da Samaia IT, Diego Harsteln. Ele está em João Pessoa (PB), onde participa do Fórum 2019 do Instituto Brasileiro de Segurança e Justiça (iBRASJUS Fórum 2019), que ocorre no Centro Cultural Ariano Suassuna, no Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB).

Diego explana nesta terça-feira (27) sobre ‘A Tecnologia como Instrumento de Governança, Gestão e de Potencialização da Capacidade Operativa do Sistema de Justiça Criminal’.

Ele explica como a tecnologia pode ser essencial para o campo da segurança pública. “A ideia é debater o problema que temos com milhões de fontes de dados, em redes sociais, mídias, ligações telefônicas etc. Como as áreas da segurança organizam esses dados e obtêm informações, com base nesse universo que cresce cada vez mais e boa parte não é estruturada”, afirmou, sobre a dificuldade de se organizar informações a partir do grande número de dados dispostos de diferentes formas.

Crimes cibernéticos
CEO e presidente da Samaia IT, Diego Harsteln (Foto: Divulgação/Nice Almeida)

Para solucionar um crime, por exemplo, o especialista entende que as informações precisariam ser mais concentradas. “A maneira mais simples de até mesmo solucionar um crime seria colocar todas essas informações no mesmo lugar, saber as perguntas certas que têm que ser feitas e, com a resposta certa, agir de maneira rápida”, explicou, afirmando que a resposta rápida a crimes é essencial para a segurança pública.

Sobre os crimes cibernéticos, Diego acredita se tratar de uma realidade cada vez mais presente entre pessoas e instituições, mas defende que há soluções. “O principal ponto é prevenir, adotar protocolos de segurança ou de uso de redes sociais, de [aplicativos] mensageiros, principalmente pessoas que têm visibilidade maior, que estão mais expostas e são mais assediadas, elas têm que tomar essa precauções que dificultem ataques cibernéticos. A ideia principal é prever e educar, como em todas as áreas”, finalizou.

Inteligência artificial e LGPD como soluções

O diretor de Justiça e Segurança Pública da Microsoft na América Latina, coronel Alfredo Deak Júnior, orienta como se proteger de golpes na internet. Ele também se apresenta no Painel 5 do evento com o tema ‘A Tecnologia como Instrumento de Governança, Gestão e de Potencialização da Capacidade Operativa do Sistema de Justiça Criminal’.

“Deve-se prestar atenção na maior parte das ameaças, que são os ‘fishings’ [emails que ‘pescam’ dados pessoas do usuário através de links maliciosos], oferecendo prêmios ou produtos muito baratos. Esses representam 90% dos crimes cibernéticos. É importante conhecer a origem da mensagem, mas quando isso não for possível, deve-se observar com atenção o que há por trás dessa mensagem”.

Crimes cibernéticos
Coronel Alfredo Deak Júnior (Foto: Divulgação/Nice Almeida)

Como solução, Deak entende que as empresas devem se antecipar, usando ferramentas de inteligência artificial no combate aos crimes cibernéticos, e acredita que a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoas (LGPD) tem impacto positivo para colaborar com a segurança.

A LGPD foi sancionada em agosto de 2018 e dispõe sobre o tratamento de dados pessoais, inclusive nos meios digitais, por pessoa natural ou por pessoa jurídica de direito público ou privado, com o objetivo de proteger os direitos fundamentais de liberdade e de privacidade e o livre desenvolvimento da personalidade da pessoa natural.

“A lei traz uma obrigação maior para empresas públicas e privadas, garantindo que as informações pessoais e individuais sejam antecipadamente autorizadas para divulgação. É bom pra todo mundo nessa ‘briga’ contínua sobre direito à privacidade”, finalizou.

iBRASJUS Fórum 2019

O evento começou nessa segunda-feira (26) e segue até o próximo dia 28. Nessa segunda, o iBRASJUS Fórum 2019 foi aberto pelo vice-procurador-geral da República, Luciano Mariz Maia. Veja aqui a programação completa. 

Além do secretário nacional de Segurança Pública, o segundo dia do IBRASJUS Fórum 2019 conta com a participação do ex-secretário Nacional e consultor em Segurança Pública, Coronel José Vicente da Silva Filho, e do promotor de Justiça de São Paulo, Lincoln Gakiya.

 

 

portalcorreio

 

 

“Afrouxamento da lei vai liberar os motoristas para agirem de forma mais imprudente”, avalia especialista sobre projeto que altera Código de Trânsito

Um dos pontos do projeto do presidente Jair Bolsonaro que pretende alterar o Código Brasileiro de Trânsito pode potencializar as infrações de trânsito. Essa é a avaliação do presidente da comissão de trânsito da OAB de São Paulo, Rosan Coimbra.

O especialista aponta que o aumento de 20 para 40 pontos na carteira para que o motorista perca a habilitação significa, na prática, beneficiar o infrator.

“Me parece que este afrouxamento da lei vai liberar os motoristas para agirem de forma mais imprudente, o que constitui um risco para todos os usuários da via. Então, acreditamos que essa não é melhor solução”, alertou.

Rosan Coimba, contudo, elogiou a proposta que trata do recall, que é o chamamento das fábricas para que os proprietários dos veículos façam alterações ou adequações de substituição de peças por motivos de segurança. Pela proposta, o registro do veículo seria barrado por defeito de fabricação não corrigido, o que impede, por exemplo, a transferência de propriedade do veículo.

“É uma boa iniciativa e que visa efetivamente a segurança do veículo e a segurança de todos os usuários da via pública”, disse.

O documento entregue pelo governo também propõe a ampliação do prazo de validade da carteira de motorista de 5 para 10 anos e estabelece que as habilitações já expedidas antes da lei ser implantada tenham o prazo estendido automaticamente. O ponto mais polêmico é o que retira a exigência de exame toxicológico para motoristas profissionais, como caminhoneiros, e propõe ainda o fim da multa para veículos que circulem durante o dia, em rodovias de pista simples, sem o farol baixo.

Em relação ao uso de cadeirinhas infantis em veículos, o governo defende que a obrigatoriedade vire lei e não uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito, como ocorre atualmente.

 

agenciadoradio

 

 

Chocolate em excesso pode provocar problemas de ordem psicológica, alerta especialista

Dizer que a época mais doce do ano acaba de bater à porta de muitos brasileiros é verdade. Afinal, o Brasil é um país rico na tradição do consumo de chocolate nesse período de Páscoa. O que ocorre também é que para algumas pessoas essa fase doce dura o ano inteiro e, quando isso ocorre, é preciso estar atento aos sinais que podem indicar que o indivíduo seja um chocólatra, o que, de acordo com a psicóloga do Hapvida em João Pessoa, Danielle Azevedo, o sujeito que se caracteriza como tal pode ser considerado “um consumidor compulsivo do chocolate, como o próprio nome já sugere”.

A psicóloga explica que indivíduos que comem chocolate frequentemente não são necessariamente pessoas que precisam de tratamento. O alerta vai para quem extrapola no consumo. “Minha preocupação é com quem come o chocolate de forma excessiva, pois nenhum tipo de excesso na vida é saudável. Além disso, há ainda as questões relacionadas às consequências do uso do açúcar ou do cacau indevidamente. Ressaltamos o aumento de peso, distúrbios endócrinos inclusive e as consequências emocionais podem repercutir negativamente no paciente”, ressalta.

O chocólatra propriamente dito, na maioria dos casos vai buscar substituir uma refeição pelo chocolate. “Por mais irreal que isso possa parecer esses casos existem e é preciso um acompanhamento especializado porque trata-se de uma dependência de ordem psicológica que afeta a vida do indivíduo e saúde como um todo”, alerta a psicóloga.

Apesar de algumas pessoas serem chocólatras, a especialista esclarece que o vício em chocolate não pode ser visto como o vício de drogas ou álcool, por exemplo, pois não há abstinência química, é apenas psicológica. “O que na verdade prejudica a pessoa que é chocólatra não é o chocolate em si, mas a dependência adquirida com a sensação de bem estar, euforia e excitação trazida pela substância que é liberada no sistema nervoso central, o precursor da serotonina,  fazendo com que quem se acostumou com a sensação sinta um incômodo ao ficar sem a sensação causada pelo consumo do chocolate”, explica.

A psicóloga deixa o alerta. “Chocolate é bom? É! Mas o consumo deve ser sempre feito de forma consciente e saudável para que o momento em que se prova um pedaço seja um tempo de prazer e satisfação momentânea e não de dependência. A dica é comer com responsabilidade e aproveitar essa época tão doce com sabedoria e bastante saúde”, conclui.

 

Assessoria de Imprensa

 

 

Especialista diz que medo de ficar sem tecnologia é doença; veja como identificar a nomofobia

nomofobiaOs avanços tecnológicos não trouxeram apenas novas ferramentas de interação social, mas também uma nova doença: a nomofobia, caracterizada pelo medo e pânico de ficar desconectado e incapacitado de se comunicar por meio de aparelhos celulares e computadores.

Segundo José Roberto Marques, especialista comportamental e presidente do Instituto Brasileiro de Coaching (IBC), a doença não é relacionada ao tempo que a pessoa passa utilizando os aparelhos, mas aos prejuízos que o uso acarreta.

Além disso, o problema pode estar associado a sintomas de ansiedade e depressão, já que as pessoas afetadas pela nomofobia costumam se sentir rejeitadas quando ninguém telefona e enfrentam síndrome de abstinência quando estão sem o aparelho.

Causas e sintomas da nomofobia

De acordo com o especialista, os principais fatores de risco para a nomofobia são: baixa autoestima; dificuldade em relacionamentos sociais; incapacidade de desligar o telefone ou computador; verificação obsessiva da caixa de entrada de e-mails ou chamadas de celular; sentir a necessidade de estar online cada vez mais ou preocupação contínua com a bateria de celulares ou notebooks.

Já os sintomas da doença são: incômodos e irritação acima do normal quando a rede de internet não funciona; tentativas fracassadas de passar menos tempo com aparelhos eletrônico; utilizar a internet para fugir de problemas; e incapacidade de desligar celulares ou computadores quando necessário.

Ainda segundo o especialista, uma das saídas para escapar da nomofobia é deixar a vida online de lado e se dedicar cada vez mais a vida social, saindo com amigos, frequentar locais com bom número de pessoas, viajar, realizar exercícios físicos e ficar algum tempo diariamente sem aparelhos como celular e computador.

portalcorreio

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

 

Especialista alerta para cuidados na captação de água da chuva armazenada em cisternas

Sérgio Amaral/MDS
Sérgio Amaral/MDS

Com as chuvas registradas recentemente na Paraíba, os agricultores se preparam para armazenar água através de cisternas. Natural de São José do Sabugi, a 276 km de João Pessoa, o agricultor Iranildo Araújo possui duas cisternas na propriedade dele, sendo uma que capta água da chuva, que serve para consumo humano, e uma barragem subterrânea, para irrigar o plantio.

Iranildo possui uma família de cinco pessoas, que consomem a água armazenada em uma cisterna construída com areia e placas de cimento. Com profundidade de pouco mais de dois metros e capacidade para guardar até 16 mil litros de água, a cisterna pode aguentar até um ano sem reabastecimento.

“Eu tenho essa cisterna desde 2004 e nunca mais passei necessidade de água dentro da minha casa. A última chuva grande que ela recebeu foi em abril de 2014 e de lá para cá não choveu muito, mas mesmo assim ainda temos seis mil litros de água”, disse o agricultor.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

De acordo com Iranildo, a cisterna de consumo humano e a barragem subterrânea foram construídas com recursos do programa ‘Um milhão de cisternas no Semiárido’, realizado pela Ação Social Diocesana de Patos e pelo governo federal.

Para o agricultor, o programa deixa como responsabilidade o pagamento do pedreiro, do ajudante e da obra de escavação do local. “Do meu bolso gastei R$ 150, já que também participei da construção como ajudante do pedreiro para economizar. Concluímos o trabalho em quatro ou cinco dias e a partir daí nunca mais precisei beber água de poço ou cacimba, que trazia doenças para mim e minha família”, afirmou.

Para a cisterna de consumo próprio, o sistema funciona através da captação de água da chuva por calhas colocadas no telhado. Para garantir que a água não esteja contaminada, a primeira chuva não é captada.

“Quando percebemos que vai chover retiramos a ligação entre a calha e a cisterna, para que a sujeira do telhado vá para o chão e não polua a água boa. Depois de um tempo, religamos a calha e a cisterna começa a armazenar”, disse Iranildo.

Já a barragem subterrânea foi construída em 2008. O processo envolve escavação do terreno, colocação de lonas e pedras para armazenar a água em um reservatório ‘invisível’. É com essa água que o agricultor irriga a plantação de feijão, jerimum, cheiro-verde, milho, acerola, goiaba, limão e outros produtos.

Especialista alerta

De acordo com Luiz Roberto Pladevall, especialista em Saneamento e Meio Ambiente, a tentativa de armazenar água é válida, já que a seca prolongada afeta a região, mas ele alertou sobre os devidos cuidados no processo de construção e armazenamento da água.

“O morador deve utilizar um dispositivo para proteger essa caixa e tirar os resíduos sólidos como folhas, galhos e areia. É importante manter o reservatório longe do alcance das crianças, tampá-lo pra evitar a proliferação do mosquito da dengue e, caso for instalar numa laje, ter a certeza que o local tem estrutura para suportar a carga. Temos que lembrar também que essa água só deve ser utilizada para limpeza de pisos, nas descargas sanitárias ou para regar jardins e plantações, mas nunca deve ser destinada para consumo humano”, falou Luiz Roberto.

 

portalcorreio