Arquivo da tag: Espanhol

A melhor decisão é estudar espanhol em Barcelona

O Mediterrâneo banha as fantásticas praias de Barcelona, uma das cidades mais lindas da Espanha e uma das mais procuradas por turistas de todos os países do mundo. Muitos brasileiros entram ao continente europeu através da porta de entrada que é Barcelona. E não é raro que muitos decidam prolongar a temporada devido à necessidade de conhecer mais profundamente este destino que cativa os corações dos visitantes. É o momento de estudar espanhol em Barcelona!

Passear pela Rambla, conhecer o campo do Barça, curtir a Fonte Mágica de Montjuic e fazer nudismo numa das tantas praias da região formam parte das atividades de qualquer turista. Mas para aqueles brasileiros que desejem ficar mais tempo e aprender tudo sobre a região, sobre as tradições, cultura e história, nada é melhor do que estudar espanhol em Barcelona, unindo o útil ao agradável.

É mais comum do que se pensa fazer um intercambio de estudos ou optar por cursar uma pos graduação na Espanha, país que abre sempre as suas portas para quem quiser aprender e conhecer tudo sobre as tradições. Portanto estudar espanhol em Barcelona será fundamental, pois dessa forma será possível entender e compreender tudo, dominando uma língua que se fala em mais de 20 países ao redor do mundo.

Os benefícios de estudar espanhol em Barcelona

Existem diversos sotaques para uma mesma língua e com o espanhol não é diferente. O espanhol falado no México é mais claro, no entanto o espanhol falado na Argentina é mais rápido e o falado na Espanha tem uma pronuncia peculiar. Mas isso não deve preocupar a ninguém, pois esses sotaques diferentes também acontecem com o português de Portugal e o que se fala no Brasil. Mais ainda: dentro do próprio Brasil, o sotaque carioca é diferente do sotaque paulista e do sotaque nordestino!

O importante é exercitar o ouvido no local onde se está aprendendo uma língua. Neste caso, em Barcelona. E o que pode ser melhor do que aprender um idioma no país de origem? É interessante lembrar que o espanhol é originário de Castilla, um reino medieval da Península Ibérica.

Além disso, não há nada que cause mais satisfação do que andar pelas ruas de Barcelona entendendo tudo o que se fala, compreendendo as músicas, os cartazes, assistir a TV espanhola ou poder conversar sem problemas de comunicação com o pessoal do hotel ou de qualquer restaurante!

O espanhol é uma das línguas mais importantes em turismo

Hoje em dia, na área de turismo, o espanhol é tão importante quanto o inglês. Dominando o espanhol é possível viajar pela Europa sem nenhum problema. Conhecer pessoas interessantes, assistir peças de teatro, um bom show de música, poderá ser uma experiência inesquecível.

Existem muitos city tours, tanto na Europa quanto nos Estados Unidos, Ásia, Austrália, por exemplo, que são feitos com guias em espanhol devido a quantidade de pessoas que falam essa língua no mundo: são mais de 20 países que tem o espanhol como língua oficial. Aqueles que já viajaram pela Europa sabem que é mais fácil encontrar alguém que fale espanhol do que português.

Inclusive para quem gosta de trabalhar em turismo e está procurando emprego, saber falar o espanhol será a ferramenta mais importante para conseguir esse emprego!

Motivos para aprender a língua espanhola

  • Na América do Sul, Brasil é o único país onde não se fala o espanhol; dominando esse idioma, viajar pelo continente será um prazer, pois a comunicação com os nativos de cada país será fácil.

  • Viajar para Europa dominando o espanhol será muito importante, pois em todo o continente europeu, onde há turismo constante, o atendimento em hotéis, restaurantes, museus, etc. também é em espanhol.

  • Para quem gosta de ler, é importante dizer que a literatura em espanhol é a de maior originalidade, segundo críticos literários, possuindo vários Prêmios Nobel.

  • Cidadãos de diversos países no mundo possuem o espanhol com a língua materna.

  • Em mais de 20 países o espanhol é a língua oficial.

  • Na Assembléia Geral da ONU; o espanhol constitui uma das seis línguas oficiais.

Além de turismo, na tecnologia, nas ciências e nos negócios, o espanhol é a língua mais utilizada, junto com o inglês.

 

 

 

Atlético de Madrid oferece R$ 40 milhões por Lincoln, do Fla, diz jornal espanhol. Clube quer mais

Foto: Staff Images/Flamengo

Vinicius Junior pode não ser a única promessa do Flamengo rumo à Espanha. Segundo o jornal espanhol AS, o Atlético de Madrid está negociando a contratação do atacante Lincoln.

O diário informa que os representantes do jogador estiveram na última quarta-feira em conversa com a diretoria do clube no estádio Vicente Calderón.

A multa de Lincoln no Flamengo é de 30 milhões de euros e a diretoria não tinha, inicialmente, a intenção de negociar o atleta de 17 anos.

O diário AS diz que o Flamengo topa a liberação por 15 milhões de euros, mas o Atlético de Madrid ofereceu 10 milhões de euros, quase R$ 40 milhões.

O Flamengo garantiu ao EXTRA que desconhece qualquer proposta pelo jogador. Segundo apurou a reportagem, a diretoria acha que Lincoln só deve sair por um valor bem maior.

O nome de Lincoln esteve no radar de clubes da Europa como Barcelona, Real Madrid, além de Manchester United e PSG. Os representantes de Lincoln são os mesmos de Vinicius Júnior.

Extra

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Forçar uma criança a comer é falta de respeito, diz pediatra espanhol

criancaO pediatra espanhol Carlos González, 56, foi definido pelo jornal britânico “The Guardian” como “o médico que quer que os pais quebrem as regras”. Ele diz, no entanto, que os pais devem retomar seus instintos, já que a sociedade complicou seu papel nos últimos tempos com normas que o especialista considera absurdas.

González é defensor do aleitamento materno sob livre demanda e da cama compartilhada. O médico critica o castigo e defende a criação com apego e o respeito às crianças. É autor do best-seller “Bésame Mucho – Como Criar seus Filhos com Amor”, lançado no Brasil, em 2015, pela Editora Timo. No livro, questiona comportamentos adotados para que o filho não fique mimado, como não pegá-lo no colo ou dar atenção quando chora.

Pai de três filhos, González vem neste mês ao Brasil para promover o lançamento do livro “Meu Filho Não Come!”, também da Timo, que já está em pré-venda.

Na publicação, não há dicas de como fazer as crianças rasparem o prato. O que ele quer é explicar que elas comem o que precisam –ainda que não atendam às expectativas dos pais– e que devem aprender a se alimentar sozinhas.

Em entrevista ao UOL, concedida por e-mail, González fala sobre os erros que os adultos cometem à mesa e de como incentivar os filhos a adotarem uma alimentação mais saudável.

UOL – Há pais que obrigam o filho a comer e fazem ameaças. O que você pensa sobre essas condutas?

Carlos González – Forçar a comer é inútil, porque as crianças comem sem que seja necessário obrigá-las. Além disso, a conduta é contraproducente, porque a única coisa que os pais conseguem é que os filhos odeiem a comida e mais ainda “aquela” comida, que eles insistem em servir e que geralmente é a mais saudável. Também é perigoso quando a estratégia funciona, porque temos uma grave epidemia de obesidade infantil. Acima de tudo, esse comportamento é uma falta de respeito com a criança.

UOL – Se a criança recusa a refeição após três garfadas, significa que está satisfeita?

González – Exatamente.

UOL – Mas há crianças com problemas de apetite?

González – Há crianças que não comem o suficiente. São reconhecidas por perder peso ou ganhar muito menos peso do que o normal. Nesses casos, o que os pais precisam fazer é consultar um médico para ver o que acontece com ela. Uma criança doente perde o apetite e emagrece. Mas, mesmo nesses casos, não se deve obrigá-la a comer. É preciso descobrir o problema, tratá-la adequadamente e, quando estiver curada, comerá sozinha.

UOL – Em seu livro, você diz que muitos pais têm alta expectativa quanto à fome dos filhos. O que significa isso?

González – Por anos, os pediatras deram recomendações exageradas sobre a quantidade de comida a ser dada às crianças. Na Espanha, por exemplo, era costume recomendar para um bebê de seis meses um purê de frutas contendo meia banana, meia pera, meia maçã e meia laranja. Para uma criança de sete quilos. Na mesma proporção, eu teria de comer cinco bananas, cinco peras, cinco maçãs e cinco laranjas. E eu não consigo comer isso. É claro que quase nenhum bebê come toda essa quantidade de frutas e, se o faz, não janta depois.

UOL – Há como calcular a quantidade de comida adequada, por idade?

González – O cálculo é muito fácil de fazer: olhe para o que seu filho come, é justamente essa quantidade que ele deve comer –a menos que seja obeso, então, deverá comer menos. Não há outra maneira de descobrir a não ser observar. É preciso ter em mente que nem todas as crianças comem a mesma quantidade, alguns comem o dobro e até o triplo de outras da mesma idade.

UOL – Se a criança recusa a comida, mas pede para fazer pequenos lanches pouco tempo depois, os pais devem dar?

González – Se a criança pedir espontaneamente –sem que os pais ofereçam– outros alimentos e se o pedido for razoável, não há razão para não dar. Agora, se o filho pedir doces, salgadinhos ou ainda algo que os pais não tenham à mão naquele momento –por exemplo, se não há tempo para preparar um macarrão ou se não há iogurtes na geladeira–, é só dizer educadamente: “Sinto muito, querido, isso não posso dar”.

UOL – Esconder alimentos no prato do filho que ele geralmente rejeita é uma tática válida?

González – Se a receita original tem aquele ingrediente que ele costuma rejeitar, não há problema em oferecer. Agora, colocar um ingrediente que não condiz com a receita e achar que a criança não vai perceber, parece-me bastante inútil. Por exemplo, colocar espinafre no molho de tomate. Dá para acreditar que é possível usar a verdura sem que o molho mude de cor ou sabor? É desnecessário fazer isso para que a criança coma meio grama de espinafre.

UOL – Quando a criança recusa um alimento, a opinião dela é definitiva?

González – A opinião dela não é definitiva. A melhor maneira –e isso não é garantia de sucesso– de uma criança aceitar comidas novas é colocar esse alimento repetidamente na mesa, sem fazer comentário algum, sem insistir, pressionar ou oferecer prêmios, caso ela experimente. É preciso ter em mente que há mudanças normais na aceitação de novos alimentos. Normalmente, os bebês comem de tudo –até jornal. Após um ano, começam a rejeitar as coisas que antes comiam e não aceitam alimentos novos. Na adolescência, voltam a aceitar coisas novas e, muitas vezes, com entusiasmo.

UOL – Qual é a forma mais eficiente de incentivar as crianças a comerem bem?

González – O importante é que os pais tenham bons hábitos alimentares. Bebam apenas água –não refrigerante, suco ou álcool; comam frutas de sobremesa, em vez laticínios ou bolos; tenham sempre verduras e legumes na mesa, e não abusem do sal, do açúcar ou da gordura. Se os pais comem bem, a criança acabará comendo também. Para que ela não coma doces, biscoitos e não beba refrigerante, basta não comprar esses itens. Se houver apenas alimentos saudáveis em casa, ela só vai comê-los. Entre essas coisas saudáveis, cada criança decidirá o que come, quanto come e quando come.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Solânea entrega Certificados á alunos da turma pioneira do Curso Básico de Espanhol pelo PRONATEC

 

turmaNa noite da quinta-feira (12) alunos da turma pioneira do Curso Básico de Espanhol pelo PRONATEC(Programa Nacional de acesso ao Ensino Técnico e Emprego) receberam os Certificados referentes a conclusão desta primeira etapa. A cerimonia de entrega ocorreu na Sede do Centro de Convivência e Fortalecimento de Vínculo – antigo PETI, com inicio as 19 horas 30 minutos, e contou com as presenças ilustres do Coordenador Geral do PRONATEC no Estado, Marcelo Ribeiro, do Professor da UFPB(Universidade Federal da Paraíba) e ministrante do Curso de Espanhol Básico , José Pessoa da Cruz, do Secretário de Educação do Município Wolfhagon Costa (Ofinho), do Representante da Administração Municipal, o Assessor de Comunicação,  Prof. Gederlandio A. Santos e  Representando a Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania, o instrutor do SCFV, Leandro Soares.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Marcelo Ribeiro parabenizou o Prefeito Beto do Brasil por não medir esforços no sentido de disponibilizar ao seus munícipes, cursos de capacitação técnica profissional. Adiantou ainda que já há projeto para o Curso de Espanhol intermediário para o município de Solânea e que a equipe da Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania vem tomando as medidas necessárias, para angariar mais este curso, já que outros também fazem parte da agenda da referida secretaria.

Beto do Brasil tem como meta ofertar cada vez mais, cursos profissionalizantes, de capacitação e aprendizado técnico. E somente este ano já proporcionou a conclusão dos cursos Eletricista, Corte e Costura, Confeiteiro, Contação de “estórias“, Inglês e Espanhol Básicos. Capacitar nossa gente é a certeza de construir a Cidade do Bem que queremos.

Fonte: Prof. Gederlandio A. Santos – Assessoria de Comunicação

Padre espanhol casado e anti-celibato briga na Justiça para voltar a dar aula de religião

O padre espanhol José Antonio Fernández Martínez, de 76 anos, é casado e tem cinco filhos. Nasceu e vive em Cieza, uma vila de 35 mil habitantes na região de Murcia, onde também ministrava, desde 1991, aulas de religião e ética em uma escola pública secundária.

Em novembro de 1996, o jornal regional La Verdad publicou uma foto de Martínez na assembleia do Movimento Pró-Celibato Opcional. Seus membros se diziam também pró-aborto. O padre perdeu o emprego.

Desde então, Martínez briga na Justiça para voltar a dar aulas em escola pública. Seu caso foi parar na Corte Europeia de Direitos Humanos, que analisa nesta quarta-feira (30/01), mais de 15 anos depois da demissão, sua última tentativa de retornar às classes por via legal. O padre afirma, com base no Artigo 8 da Convenção Europeia de Direitos Humanos, que não teve respeitados seu direito à vida privada e familiar e que foi discriminado por ser casado e ter vários filhos.

Segundo a Corte, Martínez foi ordenado padre em 1961 e, em 1984, pediu ao Vaticano dispensa do celibato, o que conseguiu em 1997. Mesmo antes disso, ainda em 1985, ele se casou no civil. “Meu nome é Fernández Martínez e eu sou um padre casado”, dizia ele aos alunos no primeiro dia de aula, de acordo com reportagem do jornal El País. “Eu me apaixonei”, contou, sobre sua mulher.

A diocese de Cartagena, que sabia do casamento de Martínez, retirou sua Declaração Eclesiástica de Idoneidade – documento necessário para ministrar aulas de religião – logo em seguida à publicação da reportagem sobre sua presença na assembleia do Movimento Pró Celibato Opcional. O padre estava acompanhado da mulher e dos cinco filhos. “Você acredita que passamos 15 anos demonstrando que ir a uma reunião do movimento pelo celibato opcional não é crime? Eu estou assombrado”, disse ao jornal.

A epopeia de Martínez passou pelo tribunal trabalhista de Murcia, que até entendeu que ele havia sido discriminado por ser casado e membro do movimento. Mas concluiu que o cargo de professor de religião na Espanha é “excepcional” e que as razões da demissão foram “puramente religiosas”.

Na ação, o padre questiona o Estado espanhol pela demissão, que já se disse incapaz de interferir nos assuntos da Igreja Católica com base em um acordo que garante autonomia a comunidades religiosas no país. Enquanto isso, a diocese afirma que tem seus critérios para definir quem pode e quem não pode ministrar aulas de religião.

Hoje ocorre a última audiência do caso na Corte, em Estrasburgo, na França. José Antonio Fernández Martínez afirma que ser casado e ter filhos é parte de sua liberdade de expressão. Em julgamento anterior, na mesma Corte, no ano passado, o padre viu seu pedido rejeitado. Mas apelou da decisão ao saber que dois dos juízes eram católicos convictos.

 

 

Roberto Almeida

do Opera Mundi

Jornal espanhol diz que Hugo Chávez está em coma induzido

O jornal espanhol ABC noticiou na noite dessa terça-feira (1º) que o estado de saúde do presidente venezuelano piorou e que ele estaria em coma induizido. Chávez está em Cuba desde o começo de dezembro, quando realizou uma cirurgia para a remoção de um tumor. A última notícia oficial era de que o presidente havia passado o dia “tranquilo” e “estável”.

De acordo com a reportagem, uma desconexão da assistência artificial que mantém o presidente vivo havia sido programada, mas que poderia acontecer a qualquer momento. O jornal não cita os nomes das fontes consultadas.

As autoridades venezuelanas seguem informando que Chávez está vivo e que se recupera da cirurgia, feita no último dia 11. Mas, na segunda-feira (31), o vice-presidente e herdeiro político designado por Chávez Nicolás Maduro disse em cadeia de rádio e televisão que o líder enfrentava “novas complicações” em seu estado de saúde.

Apesar de comunicados constantes, o governo venezuelano não deu quase detalhes sobre o procedimento pelo qual passou Chávez, nem sobre suas atuais condições. Segundo o jornal ABC, desde a operação do dia 11, o presidente teria uma constante febre, perda de consciência e pouca resposta a antibióticos. O periódico informa ainda que Chávez não comeu nada sólido desde que foi operado e é alimentado de maneira intravenosa “devido à extração de quase meio metro de intestino, segundo fontes da inteligencia com  acesso a sua equipe médica.”

Mulher segura imagem de Chávez ao rezar pelo presidente em igreja de Caracas, nesta segunda-feira (31) (Foto: Ariana Cubillos/AP)Mulher segura imagem de Chávez ao rezar pelo presidente em igreja de Caracas, nesta segunda-feira (31) (Foto: Ariana Cubillos/AP)
G1

Bipolarizado, Espanhol chegará ao fim com maior disparidade da história

Não é novidade para ninguém o fato de Real Madrid e Barcelona mandarem e desmandarem já há alguns anos no Campeonato Espanhol. Donos dos últimos oito títulos, os dois gigantes transformaram a edição de 2011/2012 em uma competição paralela. A maior da história, diga-se, como deverá ser confirmada em sua 38ª e última rodada neste fim de semana.

Campeão com duas rodadas de antecedência, o time de José Mourinho e Cristiano Ronaldo precisa apenas fazer o dever de casa contra o Mallorca, domingo, no Santiago Bernabéu, para estabelecer o recorde de 100 pontos – a equipe, inclusive, já é dona do melhor ataque, com 117 gols marcados. O artilheiro do Espanhol, por sua vez, defende o arquirrival: Lionel Messi soma 50 dos 112 gols do Barça, vice-campeão com 90 pontos, que visitará o Bétis, neste sábado.

carreata de comemoração do título do Real Madrid (Foto: EFE)Real levou o seu 32º título com duas rodadas de antecedência e pode chegar a pontuação recorde (EFE)

Valencia, o pior terceiro?

Léguas atrás está o Valencia, último campeão fora da dupla, em 2003/2004. Jonas, Diego Alves & Cia., no entanto, precisam derrotar o Real Sociedad, também neste sábado, fora de casa, para não se tornarem o pior terceiro colocado dos últimos 15 campeonatos – quando havia 20 clubes e as vitórias já valiam três pontos. Os Ché somam 61 pontos e já estão classificados para a Liga dos Campeões, enquanto o Málaga, quarto colocado, com 55, deverá conseguir a vaga na Champions com uma pontuação histórica – abaixo da casa dos 60.

– Penso que o gigantismo em que se converteram os Superclássicos ninguém parece ser capaz de parar. Os dois viraram empresas muito fortes e os grandes jogadores vão preferir por eles. Quase em qualquer parte do mundo, os torcedores de Argentina, Marrocos, Brasil, México, Japão e outros têm os seus times e Real Madrid ou Barcelona – disse o jornalista Pablo San Román, da agência de notícias “AFP”.

Jonas valencia gol real betis (Foto: Agência Reuters)Valencia, do brasileiro Jonas, pode ser pior terceiro
colocado da história recente (Foto: Reuters)

– Por ora essa bipolaridade parece que não irá mudar, mas não sabemos do futuro. O futebol não é matemática, um dos clubes, ou até os dois, podem ter uma crise ou até mesmo um time encontrar um bom treinador e bons jogadores, como aconteceu com o Valencia de Rafa Benítez. O que está claro é que todo o mundo quer ver um Real Madrid x Barcelona e isso cria uma pressão enorme em todos os níveis. Árbitros, torcidas, meios de comunicação… Todos querem mais e mais Superclássicos – afirmou Pablo.

Protesto do ‘G12’ não deve surtir efeito

Há, no entanto, quem seja contra a bipolaridade. E justamente os que mais sofrem: os times médios ou pequenos do Campeonato Espanhol. Apesar de três espanhóis terem alcançado as semifinais da Liga Europa – o campeão foi o Atlético de Madri em decisão contra o Athletic Bilbao -, a distância de pontuação no Campeonato Espanhol configura uma grave desigualdade.

Em setembro, quando Barcelona e Real Madrid já aplicavam suas goleadas nas primeiras rodadas, representantes de 12 dos 20 clubes formaram o “G12”, com o intuito de lugar por um campeonato mais justo. A principal cobrança era em cima dos direitos de televisão, já que os dois gigantes faturaram quase 50% das receitas (€ 250 milhões) em 2010/2011 em negociações individuais.

– Acho injusto que Real Madrid ou Barcelona recebam mais dinheiro das televisões, pois isso os permite diretamente a ter jogadores como Cristiano Ronaldo, David Villa, Alexis Sánchez, manter Lionel Messi e tantos outros. O presidente do Sevilla, Del Nido, teve razão quando encabeçou o protesto. Mas, sinceramente, tudo indica que 2013 siga a mesma coisa. O Málaga, que tem o investimento forte do Qatar, ainda precisa de muitas contratações para chegar a um nível parecido – encerrou.

Taça, Atlético de Madrid campeão da Liga Europa (Foto: Agência AFP)Se na Espanha o título parece impossível, Atlético se tornou bicampeão da Liga Europa (Foto: Agência AFP)
Globoesporte.com