Arquivo da tag: escritório

Imobiliária Remax-Live inaugura escritório em Solânea

A Imobiliária Remax-Live inaugurou, na última sexta-feira (31), seu escritório na cidade de Solânea. Com a presença de amigos, empreendedores e corretores, Marcos Júnior apresentou a todos as instalações e sua equipe de trabalho que já vem atuando no mercado imobiliário nas cidades de Solânea e Bananeiras.

Marcos Júnior agradeceu aos amigos que estiveram presentes destacando a vinda da Remax-Live para Solânea. “É um momento que só tenho a agradecer a minha família e aos meus amigos pela realização deste sonho. Agradeço a toda nossa equipe, que acreditou em nossa proposta aceitando o nosso convite para que juntos possamos ajudar as pessoas a realizarem seus sonhos de adquirir a casa própria, como também vender seu imóvel para realizar novos sonhos. E é com essa proposta que hoje inauguramos nossas instalações”, destacou Marcos Júnior proprietário da Remax-Live Solânea.

A Remax está instalada na rua Epitácio Pessoa em cima da Panificadora da Quadra.

 

Redação FN

 

 

Vital destaca conquistas da PB em maio: 3ª entrada da transposição, escritório da FAO e R$ 140 mi do PAC

vitalzinhoO Senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) destacou nesta quinta-feira (22) três grandes conquistas da Paraíba neste mês de maio, todas elas com a sua participação, direta ou indiretamente: a inclusão da terceira entrada no projeto de transposição de águas do Rio São Francisco, a instalação de um escritório da FAO em Campina Grande e o repasse de R$ 140 milhões da segunda etapa do Plano de Aceleração do Crescimento – PAC II para 52 municípios paraibanos.

Segundo ele, estas três ações significam muito para os paraibanos e são uma prova de que, além da pauta política, bem em evidência nesta etapa da pré-campanha eleitoral, a pauta administrativa também gera notícias interessantes para a imprensa e para o povo em geral, como o caso destes benefícios para a Paraíba garantidos pelo Governo Federal – inclusive com a sua ativa participação

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

*Transposição – *O primeiro fato destacado por Vital foi a confirmação, por parte da presidente Dilma, de que a terceira entrada da Transposição de Águas do Rio São Francisco na Paraíba, pelo Rio Piancó, uma antiga reivindicação dos paraibanos, sobretudo da região do Vale do Piancó, sairá do papel ainda este ano, pois o Ministério da Integração Nacional lançará edital para elaboração do projeto complementar executivo das obras até junho, segundo o ministro Francisco José Coelho Teixeira.

Vital tem participação direta nessa conquista. Ele próprio, só este ano, esteve por duas oportunidades no Ministério para cobrar a execução do projeto, a última delas há cerca de 40 dias. Ele mesmo já detalhou o projeto em recentes visitas a cidades do Vale do Piancó, a exemplo de Itaporanga. A garantia também foi dada na semana passada pela própria presidente Dilma, durante visita à Paraíba.

O projeto, segundo Vital, incluirá o Ramal Piancó na transposição, captando água do Canal Adutor do Eixo Norte para o Açude Condado, na Bacia Hidrográfica do Rio Piancó, na cidade de Conceição, projeto orçado em quase R$ 200 milhões que prevê a construção de um conjunto de adutoras que vai garantir a chegada da água para 18 municípios que possuem problemas em seu abastecimento.

“Será um canal com 29 quilômetros de extensão e vazão mínima de 3 mil metros cúbicos por segundo,beneficiando diretamente mais de 150 mil paraibanos, localizados na região do Vale do Piancó e adjacências”, destacou o parlamentar.

*Escritório da FAO – *O segundo fato foi a instalação do escritório regional da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) na Paraíba (em Campina Grande), ação que se tornou realidade graças ao trabalho de Vital. O escritório atuará no enfrentamento da fome e da desnutrição em todo o Nordeste, segundo o diretor-geral da FAO, o brasileiro José Graziano, que fez referências à luta do senador Vital para a instalação do escritório da FAO na Paraíba, mesma atitude tomada por outro diretor da FAO, o economista Alan Bojanic.

Bojanic afirmou que o escritório da FAO na Paraíba é o segundo implantado no Brasil. A ação de Vital para a instalação do escritório começou em 2011, buscando o apoio de todas as entidades vinculadas ao setor de agricultura e alimentação para fortalecer o pedido. Segundo o engenheiro Alan Bojanic, Vital foi um dos grandes responsáveis pela vinda da entidade à Paraíba.

*R$ 140 milhões – *O terceiro fato foi a garantia da presidente Dilma do repasse de R$ 140 milhões para 52 cidades paraibanas, fruto de ações de abastecimento d’água e saneamento básico, da segunda etapa do Plano de Aceleração do Crescimento – PAC II, através da Fundação Nacional da Saúde – Funasa. Vital foi o grande articulador, em Brasília, para que esse ano a liberação desse dinheiro ocorresse de forma diferenciada.

É que, nos anos anteriores, o Governo Federal priorizou a liberação dos recursos via Governo do Estado, com a Cagepa sendo a responsável pela execução das ações. Com isso, o Estado acabou comprometendo a plena aplicação das verbas, pois escolheu os municípios beneficiados de acordo com suas conveniências, a maioria delas, políticas.

Agora, por solicitação de Vital, os recursos serão priorizados com repasse direto aos municípios, gerando renda direta nas cidades (das 52 beneficiadas, 43 receberão diretamente – antes a relação era inversa, pois só uma minoria recebia os recursos de forma direta). A operação ocorrerá com o acompanhamento dos mecanismos de controle locais (Ministério Público, Câmaras Municipais, etc). “Isso dá a garantia de que os municípios contemplados não correrão risco de ficar sem os recursos por conta de qualquer conveniência política por parte do gestor estadual”, disse Vital.

Ressalte-se, neste aspecto, o trabalho feito pelo senador junto com o presidente da Câmara Federal, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN); e com o líder do PMDB no Senado Federal, Eunício Oliveira, para garantir os recursos; e junto aos ministros do Planejamento, Mirian Belchior; e da Casa Civil Aloísio Mercadante, além da ex-ministra-chefe da Casa Civil, Gleise Hoffmann; e da superintendência nacional da Funasa, para garantir o repasse direto aos municípios, cujos prefeitos pertençam a partidos tanto da base de apoio da presidente Dilma quanto da oposição. Foram várias reuniões com esse objetivo.

Esta semana o senador confirmou que o presidente nacional da Funasa, Antônio Henrique de Carvalho Pires, virá nesta sexta-feira (23) à Paraíba, para, junto com a superintendente estadual, Ana Cláudia Nóbrega Vital do Rêgo, dar todo o suporte técnico às cidades beneficiadas. A orientação é de que a superintendência estadual dê todo o suporte técnico que os prefeitos precisem.

Ascom

Telexfree bloqueia acesso de divulgadores a escritório virtual

Diretor Carlos Costa com telefone VoIP(Foto: Reprodução/ Facebook)
Diretor Carlos Costa com telefone VoIP
(Foto: Reprodução/ Facebook)

O acesso ao escritório virtual do site da empresa Telexfree está bloqueado desde esta segunda-feira (15) e, dessa forma, os associados não conseguem visualizar seus ganhos. Um comunicado foi feito na página do Facebook da companhia. De acordo com o advogado Horst Fuchs, a medida precisou ser tomada porque hackers tentaram invadir o sistema. Ainda não há prazo para a situação se normalizar.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

A Telexfree está sendo investigada por suspeita de pirâmide financeira, e desde o final de junho estão proibidos os pagamentos de comissões, bonificações e quaisquer vantagens oriundas da companhia aos divulgadores, além de novas adesões à rede, conforme decisão judicial. O descumprimento a qualquer das determinações pode gerar o pagamento de multa de R$100 mil por cada novo cadastramento ou recadastramento e por cada pagamento indevido.

O advogado explicou que o bloqueio do escritório virtual não tem ligação com decisão judicial. “Essa parte do portal continua bloqueada enquanto algumas medidas são tomadas pelos departamento de segurança e tecnologia de empresa. Hackers estavam tentando invadir o sistema e até que não esteja seguro, vamos manter como está, mas garantimos que os ganhos dos divulgadores continuam congelados”, disse.

Divulgadores
Com o bloqueio do escritório virtual, muitos divulgadores usaram a página da Telexfree do Facebook para reclamarem ou, ainda assim, apoiarem a empresa. Uma mulher escreveu que pretende sair da companhia. “Acabou! Pra mim não dá mais, chega de farsa Telexfree! Na hora entrar nessa pirâmide (…) foi muito rápido e agora na hora de me pagarem é uma novela mexicana! Exigimos transparência.”

Outra divulgadora se mostrou desconfiada do bloqueio. “Não podíamos fazer nada mesmo, mas parece que fizeram [o bloqueio] de propósito, para aqueles que querem guardar provas não possa printar (sic) a tela, por exemplo, do valor da adesão paga, onde diz seu nome, e quando foi paga a adesão. Também printar (sic) a tela da parte de renda para verificar quanto o divulgador já recebeu e quanto falta, para qualquer coisa os que saíram no prejuízo receber da Justiça os valores (…) para nos indenizar caso a empresa não volte. Acredito na empresa, mas esta difícil. Não sei porque esta medida de travar o nosso acesso ao backoffice, estanho isso”, escreveu.

Justiça do Acre
A juíza Thaís Borges, da 2ª Vara Cível da Comarca de Rio Branco, no Acre, julgou favorável a medida proposta pelo Ministério Público do Estado do Acre para suspender as atividades da Telexfree, no último dia 18. Com a decisão, foram suspensos os pagamentos e a adesão de novos contratos à empresa até o julgamento final da ação principal, sob pena de multa diária de R$ 500 mil em caso de descumprimento e de R$ 100 mil por cada novo cadastramento. A magistrada afirmou que a decisão não configura o fim da empresa, apenas suspende as atividades durante o processo investigativo.

Os advogados da empresa chegaram a entrar com pedido de reconsideração após a decisão da juíza, mas que foi negado pelo Tribunal de Justiça do Acre.

Julgamento recurso Telexfree (Foto: Rayssa Natani / G1)Julgamento recurso Telexfree no Acre (Foto: Rayssa Natani / G1)
G1

Polícia Militar faz busca e apreensão na casa e escritório de ex-prefeito

mandado de segurançaA casa e um escritório do ex-prefeito da cidade de Fagundes, Agreste paraibano, Gilberto Muniz Dantas, foram alvos de uma operação de busca e apreensão de documentos determinada pela Justiça da Comarca de Queimadas. O mandado de segurança foi concedido pela juíza Flávia de Souza Baptista, a pedido do atual prefeito daquele município, José Murilo Freire Duarte Junior, na última sexta-feira (22), mas foi cumprida apenas nesta terça-feira (25)

O mandado de busca e apreensão foi ajuizado logo no início da atual gestão. No local, homens da Polícia Militar e um oficial de Justiça recolheram documentos oficiais da Prefeitura que, segundo o atual gestor, teriam sido levados pelo ex-prefeito.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

De acordo com informações da Polícia Militar do 2º BPM, foram recolhidos documentos como prestação de contas e balancete do exercício de dezembro de 2012, processos licitatórios dos anos de 2009, 2010, 2011 E 2012, relatório de execução orçamentária do 6º bimestre de 2012, relatório de gestão fiscal do 2º bimestre de 2012, histórico financeiro de todos os servidores municipais, notas de empenho, notas fiscais, recibos, contratos e convênios.

O material recolhido pelas autoridades foi entregue ao Fórum de Queimadas para ser analisado.  Na última quarta-feira (20), o Tribunal de Contas da Paraíba (TCE-PB), determinou o bloqueio das contas bancárias da prefeitura por não apresentação dos balancetes referentes a dezembro de 2012.

A Prefeitura de Fagundes recorreu da decisão e por meio de ofício ao TCE, alegou que em razão da ausência de transição entre a atual e a ex-gestão impossibilitou a entrega dos documentos. As contas já foram desbloqueadas por determinação do conselheiro Umberto Silveira Porto.

 

 

Hyldo Pereira,Portalcorreio

Você já precisou fazer reuniões no banheiro do escritório?

Johanna Goodman/The New York Times
Johanna Goodman/The New York Times

Administro uma empresa de consultoria e uma de nossas clientes passou por essa situação. Com um alto cargo em uma grande empresa, ela descobriu que sua agenda estava lotada de reuniões presenciais e por telefone. Uma vez que os funcionários tinham dificuldades para encontrá-la em sua mesa, começaram a segui-la até o banheiro com pastas nas mãos, esperando respostas para suas perguntas. (Na verdade, só as mulheres podiam fazer isso, é claro. Os homens ficavam esperando do lado de fora.)

Assim como minha cliente, a maioria dos executivos passa uma parte significativa do dia em reuniões e quanto mais alto é o cargo, pior a situação. Grandes executivos carregam a maior parte do peso, mas nossa cultura de reuniões excessivas afeta funcionários de todos os níveis. Basta olhar ao redor no escritório. Onde está todo mundo?

A cultura de reuniões corporativas é insustentável e pouco produtiva. A quantas reuniões sem uma pauta prévia você foi na semana passada? Quantas resultaram em uma nova ideia? Quantas vezes se perguntou o que estava fazendo ali?

O tempo é uma mercadoria. Portanto, todo o tempo gasto em reuniões deveria gerar um retorno sobre o investimento. Mas com que frequência pensamos dessa maneira a respeito do tempo e estabelecemos expectativas para reuniões que produzam resultados reais? De acordo com a minha experiência a resposta é: raramente. Esse é apenas um dos resultados de uma cultura de reuniões excessivas.

É chegado o momento de fazer uma revolução nas reuniões. Em vez de aceitar automaticamente o próximo pedido de reunião, pare e pense a respeito do retorno sobre o investimento. Essa reunião o ajudará a conquistar seus objetivos? De que maneira o objetivo da reunião – pois espero que ao menos o objetivo tenha sido declarado – se alinha com as prioridades estratégicas da empresa? Participar é a melhor forma de gastar seu tempo neste momento? Se as respostas forem negativas, revolte-se – não aceite o pedido de reunião.

Se não houver maneira de evitar sua presença e a reunião tiver sido agendada de última hora, questione sua duração. O grupo realmente precisa de uma hora inteira para uma atualização do status do projeto?

Nosso desenvolvedor de websites, por exemplo, agenda telefonemas de atualização de apenas 25 minutos. Conseguimos fazer todo o necessário nesse tempo e, então, sobram cinco minutos para abordar qualquer assunto que não esteja na pauta, ou para desenvolver novas ideias.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Existem outras formas de encurtar as reuniões, ou de eliminar sua necessidade. O assunto pode ser abordado por meio de outro formato, como e-mail ou mensagens instantâneas? Pense em investir em tecnologias que permitem que colegas compartilhem documentos na tela do computador, sem a necessidade de uma reunião.

Para reuniões presenciais, sugira que todos fiquem em pé. Isso é extremamente eficaz, uma vez que a fadiga logo ataca as pernas e todos se sentem incentivados a manter as reuniões mais curtas.

Ao diminuir a duração das reuniões, o foco é automaticamente limitado. Em minha empresa, chamamos isso de espremer o recipiente – ou seja, encurtar as coisas. Como resultado, eliminamos parte das “rebarbas” da reunião, incluindo todo o papo desnecessário que nos desvia do tópico.

À medida que você estreita o foco da reunião, torna-se muito mais fácil se concentrar nos resultados que deseja obter. Em todas as nossas pautas, após identificarmos o assunto, incluímos uma lista de pontos que detalham os resultados que esperamos da reunião. Em qualquer momento, qualquer participante pode levantar esses pontos e ver se ainda estamos fazendo progresso. Essa conversa vai nos levar aos resultados desejados? Se a resposta for negativa, podemos mudar de rumo imediatamente.

Ao dar uma pauta aos participantes, é possível manter o controle da reunião em relação aos objetivos declarados, fazendo com que os funcionários se concentrem nos assuntos em questão. Incluir os resultados desejados ajuda os envolvidos a se prepararem para a reunião da maneira que funciona melhor para cada um.

Uma revolução na maneira como as reuniões são feitas criará uma nova cultura corporativa. Para começar, obviamente ocorrerão menos reuniões. Além disso, as reuniões restantes serão mais curtas e concentradas, produzindo um retorno claro ao investimento.

No caso daquela executiva sênior que não podia fazer uma pausa em paz, ela acabou liderando a revolução das reuniões em sua empresa. Tenho o prazer de informar que agora ela consegue finalmente ir desacompanhada ao banheiro.

 

 

NYT – Carson Tate