Arquivo da tag: escolhe

De figurante a Casa dos Artistas: como Silvio escolhe quem apresenta jornal

sheherazade-silvio-santosDesde outubro de 2016, um rapaz de 18 anos apresenta um telejornal nas manhãs do SBT e recebe críticas pela dificuldade de falar e pelas dancinhas ao vivo. Dudu Camargo é mais uma aposta de Silvio Santos, que costuma garimpar profissionais sem experiência em televisão ou sem projeção nacional para comandar os programas jornalísticos da emissora.

O faro de Silvio para revelar jornalistas já foi mais apurado. Em 1988, por exemplo, lançou o primeiro âncora (apresentador de telejornal que emite opinião) da TV brasileira e contratou Boris Casoy, que trabalhava em jornal impresso e nunca havia sentado em uma bancada antes de ser contratado pelo SBT.

O caso de Boris, porém, é exceção. Nos últimos anos, Silvio preferiu apelar para beleza feminina e polêmicas para contratar jornalistas. Foi o que aconteceu com Cynthia Benini e Analice Nicolau, que saíram da “Casa dos Artistas” para apresentar telejornal de minissaia. Já Rachel Sheherazade e Neila Medeiros viralizaram na internet com comentários ácidos.

Com as escolhas, Silvio entra em “guerra” com o departamento de jornalismo. Os escolhidos viram queridinhos e dificilmente deixam a emissora. Para evitar demissões, os protegidos chegam a ir até a porta do cabeleireiro de Silvio, Jassa, para conversar com o dono do SBT.

Se depender de Silvio Santos, Dudu Camargo e seus outros queridinhos continuarão apresentando telejornais no SBT, gostem ou não das escolhas dele.

Cinco jornalistas “queridinhos” de Silvio Santos

  • Divulgação

    Cynthia Benini e Analice Nicolau

    Duas crias da “Casa dos Artistas 2” viraram apresentadoras de telejornal nas mãos de Silvio Santos. Cynthia Benini era formada em jornalismo, mas trabalhava como atriz. Já Analice era modelo e fez até “Teste de Fidelidade” com João Kleber. Juntas, elas apresentaram o “Jornal do SBT” e o “SBT Notícias Breves”, em que os destaques não era o jornalismo, mas as pernas cruzadas das novas apresentadoras, que apareciam de minissaia. Cynthia deixou o SBT em setembro de 2015 e não é mais tão “queridinha”. Analice quase teve o mesmo destino, mas conversou com Silvio no salão de Jassa e conseguiu permanecer na emissora

  • Roberto Nemanis/SBT

    Rachel Sheherazade

    Rachel Sheherazade apresentava um telejornal local na TV Tambaú, afiliada do SBT na Paraíba, e era quase desconhecida até um comentário dela chamando Carnaval de “negócio dos ricos” viralizar na internet (o vídeo original tem mais de 1,2 milhão de acessos), em 2011. A jornalista impressionou Silvio Santos, que a chamou para ancorar o “SBT Brasil”. Em rede nacional, ela já endossou a justiça com as próprias mãos e foi criticada por defensores de direitos humanos. Após quase perder patrocínio do Governo Federal, o SBT proibiu Sheherazade de opinar no telejornal

  • Mariane Lima/Divulgação

    Neila Medeiros

    Outra jornalista que chamou a atenção de Silvio foi Neila Medeiros, que até 2013 apresentava o “SBT Brasília” e, como Sheherazade, emitia opiniões fortes. Ele a chamou às pressas para apresentar uma nova versão do “Aqui Agora”, que trocou de nome na véspera. Na chamada, o SBT anunciou Neila como “a única jornalista capaz de apresentar sozinha o ‘SBT Notícias’, enfrentando Datena e Marcelo Rezende”. O telejornal, no entanto, fracassou e saiu do ar após dois meses. Neila ficou dois anos em São Paulo e voltou para Brasília em 2015

  • Reprodução

    Dudu Camargo

    A revelação mais controversa de Silvio Santos nos últimos anos é o novo “intocável” do patrão. Dudu Camargo, que começou como modelo e figurante no SBT e na Record, fez um único teste para apresentar o “Primeiro Impacto” e estreou em 12 de outubro de 2016, o que fez muitas pessoas acreditarem que era um especial de Dia das Crianças por causa das roupas largas e da aparência jovem do âncora de 18 anos. Dudu gagueja, erra pronúncias, rebola e até “tira a roupa” ao vivo, mas não sai do SBT por ordem de Silvio, que optou por dispensar duas jornalistas mais experientes, Patrícia Rocha e Joyce Ribeiro

tvefamosos

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

 

 

MEC escolhe penitenciária feminina da Paraíba para implantar programa contra discriminação

embaixador culturalA Penitenciária de Recuperação Feminina Maria Júlia Maranhão, em João Pessoa, recebeu a visita do embaixador da cultura afroindígena do Brasil, Tiago Nagô. No encontro, a diretora da unidade, Cinthya Almeida, falou das experiências com os projetos de ressocialização. Os dois discutiram a implementação de ações que promovam a luta contra as diferentes formas de discriminação, entre elas, a étnico-racial, cultural, religiosa e de gênero. A visita ocorreu na manhã da terça-feira (6).

O secretário de Administração Penitenciária, Wallber Virgolino, falou da importância do intercâmbio cultural: “Vivemos uma época em que, mais do que nunca, temos que estar atentos a estas demandas sociais, como é o caso do preconceito em todas as suas modalidades, a exemplo do racismo, que deve ser combatido em todos os espaços, inclusive dentro do sistema prisional”.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook
Tiago Nagô disse que essa iniciativa faz parte do Programa de Gestão e Manutenção do Ministério da Educação e assegura a implementação de políticas públicas afirmativas, previstas em leis federais e no Estatuto da Igualdade Racial. “Escolhemos a Penitenciária de Recuperação Feminina Maria Júlia Maranhão pelo trabalho sério e competente que já é desenvolvido, e nosso objetivo é reduzir os níveis de reincidência, ajudando na recuperação das presas por meio de medidas que auxiliem na sua educação, capacitação profissional e na busca da conscientização psicológica, social e religiosa, além de fomentar o conhecimento sobre a educação afrodescendente”, explicou.

Direitos humanos – O Brasil é signatário de todas as declarações, tratados e acordos internacionais elaborados para a proteção e a promoção dos direitos humanos e do desenvolvimento. Isso inclui aqueles que versam sobre o combate às desigualdades, desde os mais gerais, como a Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948), até os mais específicos, como a Convenção Internacional sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial (1966).

PBAGORA com Assessoria

Secretário de Cartaxo diz que só Couto pode unir PT e que ele escolhe lugar na chapa

luiz coutoO secretário adjunto de articulação política, Josenildo Feitosa, declarou ontem durante assinatura da licitação da revitalização da Lagoa, que somente o deputado federal Luiz Couto pode o unir todo o PT para as disputas eleitorais de 2014.

Feitosa disse ainda que o deputado federal é um dos melhores nomes que o partido tem para um cargo majoritário no pleito de 2014 e que ele, caso aceita compor com o grupo do atual prefeito Luciano Cartaxo, é quem escolhe o cargo que queira disputar, ou a cabeça de chapa como candidato a governador ou a senatória.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Luiz Couto já anunciou que deve disputar o Processo de Eleição Direta (PED) do partido que deve acontecer em novembro, mas admitiu a possibilidade de compor com o candidato apoiado pelo prefeito, Charlington Machado, se for para receber o apoio.

Da redacão com Wscom

Brasil escolhe “O Palhaço” para concorrer a indicação ao Oscar

 

O Ministério da Cultura escolheu na quinta-feira (20) o filme “O Palhaço”, dirigido e protagonizado por Selton Mello, para representar o Brasil na disputa por uma indicação ao Oscar de melhor filme em língua estrangeira em 2013.

o palhaçoSelton Melo, em O Palhaço.

O Ministério espera que o filme seja escolhido pela Academia de Hollywood como um dos cinco finalistas a concorrer na categoria de Melhor Filme Estrangeiro, entre os que serão apresentados por 60 países para a 85ª edição do Oscar. Os indicados serão anunciados no próximo dia 24 de fevereiro.

O filme, que conta a história de um palhaço que passa por uma crise existencial e pensa em abandonar o circo em que trabalha com seu pai, foi escolhido entre uma lista de 16 filmes inscritos.
“O Palhaço” se impôs ante produções como “À Beira do Caminho”, de Breno Silveira; “Heleno”, de José Henrique Fonseca, “Xingu”, de Cao Hamburger, e “Billi Pig”, de José Eduardo Belmonte.

A escolha foi feita por uma comissão especial formada por Ana Paula Dourado Santana, Ana Luiza Azevedo, Andre Sturm, Carlos Eduardo Rodrigues, Flávio Tambellini, George Torquato Firmeza, José Geraldo Couto e Lauro Escorel. A decisão, consensual, dos seis membros presentes da comissão considerou critérios artísticos e da capacidade de distribuição e promoção do filme no exterior.

“Creio que a maior inovação que fazemos com a escolha do ‘Palhaço’, reside no seu potencial. Esta indicação tem que ser vista como um prêmio também, é um aval de que um filme pode ir além. Espero que isso seja positivo para uma produção que já é sucesso”, afirmou a secretária do Audiovisual do Ministério da Cultura, Ana Paula Dourado Santana, em comunicado.

O último filme brasileiro indicado ao Oscar foi “Cidade de Deus”, em 2003, que concorreu nas categorias melhor fotografia, melhor direção, melhor edição e melhor roteiro adaptado.

Na categoria de melhor filme estrangeiro, o Brasil disputou o Oscar pela última vez com “Central do Brasil”, em 1998.

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood vai anunciar no dia 10 de janeiro a lista de indicados ao Oscar. A 85a edição do Oscar será realizado em 24 de fevereiro, em Los Angeles.

Veja o trailer:

Com agências