Arquivo da tag: escapar

Agricultor tenta escapar de bandidos e é atingido por tiros, em Serraria

serrariaUm agricultor quase foi morto a tiros por bandidos que tentavam invadir a sua casa, no sítio Cuité dos Bittuis, em Serraria. A vítima contou à polícia que fechava a porta quando foi abordado por dois indivíduos encapuzados e armados de revólver.

Um dos acusados tentou impedir que o agricultor fechasse a porta. A vítima, no desespero, sacou de uma faca peixeira e desferiu um golpe contra o acusado, porém não o atingiu. Diante da reação do agricultor, os acusados efetuaram disparos contra ele, atingindo-o na perna esquerda.

A vítima foi socorrida pelo Samu para o hospital da cidade de Arara e em seguida para o hospital de Trauma de Campina Grande ,enquanto que os bandidos fugiram tomando destino ignorado.

Compareceu ao local da ocorrência a guarnição da viatura 6886, da Rotam, que efetuou diligências no sentido de localizar os acusados, porém sem êxito.

Focando a Notícia

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

Espanha acusa polícia brasileira de deixar escapar suposto assassino de família paraibana

familia-de-paraibanosÉ uma das poucas vezes que um crime é dado como resolvido sem que o principal suspeito seja preso, e apesar de a polícia de seu país de origem, o Brasil, ter deixado escapar o suposto assassino. “Não temos dúvida de que foi ele, François Patrick Nogueira, o sobrinho das vítimas”, afirmou o comandante Reyes em uma coletiva de imprensa convocada pelos responsáveis pela Guarda Civil espanhola nesta quarta-feira, dia 5 de outubro, em Guadalajara. “Temos numerosos indícios e provas cabais”, acrescentou, sem poder dizer quais, “em função do segredo do sumário sobre uma parte importante da investigação”.

O caso pode estar resolvido, mas o suspeito passeou há alguns dias pelas dependência policiais de sua cidade natal, João Pessoa (capital do estado da Paraíba) e os agentes que tomaram seu depoimento deixaram que saísse por onde tinha entrado.

Foi o que afirmaram ontem os agentes do Instituto Armado, que há 15 dias se dedicam a esclarecer um dos crimes mais truculentos de que se tem notícia na Espanha. Em 18 de setembro passado foram encontrados os corpos do brasileiro de 30 anos Marcos Campos Nogueira e sua mulher Janaína, da mesma idade e nacionalidade – ambos esquartejados – e de seus dois filhos pequenos – de um e quatro anos, degolados. Todos estavam em sacos plásticos lacrados, no chalé recém-alugado da localidade de Pioz (Guadalajara). “Havia a intenção de se desfazer dos corpos e destruir provas”, afirmam os investigadores.

O suposto autor do crime, segundo os investigadores, é o sobrinho de Marcos, François Patrick, de 20 anos, que conviveu quatro meses com a jovem família e que antecipou uma passagem para voltar ao Brasil de Madri no dia 20 de setembro passado, exatamente dois dias depois que os corpos das vítimas foram encontrados. “Em nenhum momento se dirigiu às autoridades, nem espanholas nem brasileiras, para denunciar a morte/desaparição de seus familiares”, afirmam os investigadores.

“Supomos que foi localizado”, afirmaram os responsáveis pela investigação na Espanha, incapazes de responder a pergunta de por que não foi preso. Diante da situação de incerteza, e sabendo que “pessoas de nacionalidade brasileira não são extraditáveis para a Espanha”, a Guarda Civil “vai emitir uma comissão rogatória ao Brasil para poder enviar para lá uma equipe de investigadores” que colabore com seus colegas brasileiros para capturar o principal suspeito do crime brutal. No entanto, os investigadores afirmavam nesta quarta-feira que “três dias depois da descoberta horrível dos corpos já foi possível apontar o principal suspeito ao juiz” e que por isso, em 22 de setembro passado, o Tribunal de Instrução número 1 de Guadalajara apresentava uma ordem internacional de prisão.

Diante das hipóteses iniciais oferecidas pelos investigadores, de que devido às características do quádruplo assassinato tendia-se a pensar em “matadores profissionais” ligados ao narcotráfico, uma linha de investigação se destaca agora acima de todas. Seria o caso de um crime com componentes passionais, “apesar de único”. O possível autor supostamente estava obcecado por sua tia, Janaína. Ela própria teria se queixado de sua atitude a familiares no Brasil durante os quatro meses em que compartilharam do mesmo teto. Mas, diante do caráter violento do garoto – “agrediu de maneira muito grave um professor no Brasil quando menor de idade” – e de seu “perfil psicótico”, a família tinha decidido se distanciar dele. Fugir. Esconder-se em Pioz. Ali o sobrinho os teria encontrado um mês depois e os teria assassinado, de faca na mão e “de maneira sequencial”, um a um.

El Pais

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

10 pegadinhas (sem graça) que prejudicam o investidor e como escapar delas

economiaVocê fez o orçamento, cortou despesas, diminuiu dívidas e, finalmente, conseguiu economizar um pouco. A próxima fase tem um novo desafio: ser um bom investidor.

Um dos principais erros é não pesquisar quais os melhores destinos para seu dinheiro, segundo Paulo Figueiredo, diretor de Operações da assessoria de investimentos FN Capital. Antes de comprar um carro ou casa as pessoas costumam se informar e fazer comparações, diz ele. “Mas, na hora de investir, normalmente deixam tudo na mão do gerente do banco.”

O problema é que o gerente nem sempre é a pessoa mais indicada, já que ele é um funcionário do banco que precisa bater metas, e não necessariamente vai indicar o melhor produto para o cliente, diz Figueiredo. Ele listou os dez erros que mais atrapalham na hora de investir. Confira.

1) Não saber qual será o destino do dinheiro

Getty Images/iStockphoto

Antes de investir, é preciso saber para que aquele dinheiro será usado no futuro: será para aposentadoria, para reserva de emergência, para comprar um carro, para a escola das crianças? Essa resposta é necessária para saber em que tipo de aplicação o dinheiro deve ser colocado. O dinheiro de uma reserva de emergência, por exemplo, não pode ficar em um investimento que proíba o saque por um período de tempo, pois precisa estar disponível imediatamente.

2) Não pesquisar

Getty Images

O investidor deve se informar sobre os vários investimentos possíveis para seu dinheiro e também pesquisar as condições oferecidas por mais de um banco ou corretora. É preciso comparar as taxas de remuneração e taxas de administração em diversas instituições.

3) Só procurar os grandes bancos

Divulgação/JamesEdition

Muitos investidores procuram apenas os grandes bancos para aplicar seu dinheiro, seja por achar que as instituições menores não têm garantia, ou por acreditar que terão retorno melhor nas grandes instituições.

Segundo Figueiredo, corretoras, assessorias de investimento e gestoras normalmente conseguem negociar taxas de retorno maiores. “É comum um banco de menor porte oferecer taxas de retorno de até 140% do CDI, enquanto os grandes bancos dificilmente chegam a 100% do CDI”, diz. Isso acontece porque as instituições menores têm menos facilidade de obter dinheiro para se financiar, então remuneram melhor quem empresta para elas.

Mas é seguro investir nelas? Produtos com garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), como a poupança, o CDB e a LCI, têm a mesma garantia tanto para a instituição financeira grande quanto para a pequena. Em caso de quebra da instituição, o FGC reembolsa os prejuízos até um limite de R$ 250 mil, por CPF, por instituição financeira.

4) Achar que título de capitalização é investimento

Pedro Mrmestre/AFP

“O investidor precisa saber que o título de capitalização funciona como uma loteria, na qual a pessoa participa de um sorteio que pode lhe dar um bom dinheiro”, diz Figueiredo. Se não for sorteado, o rendimento do título é bem inferior ao da poupança –que tem rendido menos que a inflação.

5) Acreditar que só a poupança é segura

Thinkstock

A poupança tem a garantia de até R$ 250 mil pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Essa garantia é a mesma de diversos tipos de investimentos, tais comoCDB, LCI e LCA, que são alternativas mais rentáveis que a poupança. “Em termos de segurança, o Tesouro Direto é ainda mais seguro, pois quem garante é o próprio governo federal. Se o governo tiver problemas para honrar seus títulos, provavelmente os bancos estarão numa situação pior ainda”, diz.

6) Não diversificar seus investimentos

iStock

Os investimentos devem ser direcionados de acordo com o perfil do investidor e também de acordo com o objetivo da aplicação. Quem tem pouco dinheiro precisa juntar uma quantia suficiente para poder diversificar seus investimentos, mas Figueiredo diz que a partir de R$ 40 mil já é possível fazer isso. “É possível escolher entre CDBLCITesouro Direto, dependendo do perfil colocar uma parte em um fundo variável, tudo para melhorar a rentabilidade”, diz.

7) Não saber quais os custos da aplicação

id-work/iStock

Não saber qual é a taxa de administração do fundo, não saber se o plano de previdência tem taxa de carregamento, não saber se vai pagar Imposto de Renda ou se é isento. Muitas vezes o investidor está apenas interessado na rentabilidade bruta da aplicação, mas esquece (ou não é informado) que esses custos podem comprometer seu ganho no fim das contas.

8) Achar que desempenho passado é garantia

Thinkstock

Não é porque uma aplicação teve um bom desempenho no passado que irá repetir isso no futuro. A rentabilidade da aplicação vai depender de fatores como a condição da economia e os custos do investimento. “Além de se informar sobre o passado, o investidor precisa perguntar qual é a rentabilidade média projetada para o futuro”, diz.

9) Investir em previdência privada sem conhecer bem

Getty Images

A previdência privada pode ser um bom investimento para o futuro, mas é preciso ficar atento. Há a modalidade que beneficia quem declara Imposto de Renda pelo modelo completo (PGBL), há a que serve para quem declara pelo simplificado. A previdência também tem dois modelos de tributação e pode ter várias taxas. É um investimento de longo prazo, mas às vezes é oferecida para pessoas que vão precisar do dinheiro em pouco tempo. Fique atento.

10) Concentrar todo o dinheiro em um único lugar

Getty Images/iStockphoto

A garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) é de R$ 250 mil por CPF, por instituição financeira. Se um investidor tiver R$ 500 mil numa instituição que tiver um problema, por exemplo, só será indenizado em R$ 250 mil e perderá o restante. Nesse caso, o melhor seria ele ter dividido os recursos, deixando R$ 250 mil numa instituição e o restante, em outra. Portanto, vale diversificar não só os investimentos, mas a própria instituição.

Uol

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

Delegada tenta escapar de assalto, mas bate carro em muro de associação, em JP

Reprodução/Instagram/vinicius_qap
Reprodução/Instagram/vinicius_qap

Uma delegada da Polícia Civil, que atua na Grande João Pessoa, sofreu uma tentativa de assalto na tarde desta quinta-feira (13) no bairro do Bessa, na Zona Leste de João Pessoa. Na hora de fugir dos assaltantes, a delegada bateu o veículo em um muro de uma associação, mas não teve ferimentos.

Segundo informações de testemunhas, a delegada estaria dentro do seu carro quando foi abordada por dois homens e uma moto que teriam pedido para que ela descesse e entregasse as chaves do veículo.

Na tentativa de fugir, a delegada teria acelerado o carro e batido contra o muro de uma associação.

Ainda segundo testemunhas, após a batida, os bandidos fugiram.

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

 

portalcorreio

Motorista preso por tentar escapar da ‘Lei Seca’ paga fiança de 10 mil reais

Lei SecaUm motorista preso depois tentar escapar do bloqueio da Operação Lei Seca. Ele só foi liberado após o pagamento da fiança de R$ 10 mil e ainda terá que pagar a multa no valor de quase R$ 2 mil, por embriaguez ao volante. O condutor tentou desviar da fiscalização, montada na noite dessa sexta-feira (20), na Avenida Ruy Carneiro, em João Pessoa, jogando o carro para cima dos agentes.

Obrigado a parar, o condutor, que não quis fazer o teste do bafômetro, foi levado para o Distrito Integrado de Segurança Pública (Disp) e vai responder por direção perigosa e embriaguez ao volante. Na primeira noite das fiscalizações especiais programadas para o período do Natal e Ano Novo, 34 motoristas foram flagrados dirigindo embriagados em João Pessoa e Campina Grande e nove foram presos.

 

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Em João Pessoa, foram 16 flagrantes e quatro prisões. Já em Campina Grande, onde a Operação Lei Seca foi realizada nas imediações do Açude Velho, em parceira com as Polícias Civil e Militar e Superintendência de Trânsito e Transporte Público (STTP), foram flagrados 18 motoristas embriagados e cinco foram presos.

 

Somando os números da Operação Lei Seca, referentes às ações realizadas em João Pessoa e Campina Grande, no último final de semana, foram aplicados 353 testes do bafômetro.

 

Balanço – Desde que foi criada, em setembro do ano passado, a Operação Lei Seca já abordou 42.407 veículos e aplicou 38.693 testes do bafômetro. Neste período, 2.997 motoristas foram flagrados dirigindo sob efeito do álcool e 391 foram presos. Só neste ano, foram aplicados 29.740 testes do bafômetro.

 

De janeiro até hoje, 2.147 motoristas foram flagrados dirigindo embriagados e 281 foram presos.  Em todo o ano de 2012, foram flagrados 850 motoristas embriagados e 110 foram presos.

Secom PB

 

Ao menos um carioca vai cair. Veja do que cada time precisa para escapar

Os jogos deste domingo deixaram seis times na briga contra o rebaixamento. A situação ainda está indefinida, mas um fato já está garantido: um grande clube carioca vai disputar a Série B em 2014. Nenhuma combinação de resultados na última rodada salva Fluminense e Vasco da degola ao mesmo tempo.

Os seis times ameaçados são Fluminense, Vasco, Coritiba, Criciúma, Inter e Portuguesa. Veja o que cada um precisa fazer para se salvar da degola no próximo domingo.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

INFO REBAIXAMENTO 3 (Foto: ARTE ESPORTE)Crédito: Arte/Globoesporte.com

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Globoesporte.com

Botafogo cede empate amargo no Almeidão contra o Sergipe e deixa liderança escapar

torcidaO Botafogo até que saiu na frente no primeiro tempo, mas não conseguiu segurar o resultado e cedeu o empate para equipe de Sergipe em um a um, na tarde deste sábado (8), no Estádio Almeidão. A partida foi válida pela segunda rodada da primeira fase da Série D do Campeonato Brasileiro.

Com o empate, o Belo, ocupa a terceira posição com dois pontos. O alvinegro empatou sua segunda partida. O jogo de estreia foi contra o Juazerense e ficou em 1 a 1, neste sábado, o Botafogo repetiu o placar dentro de casa contra o Sergipe e ficou no 1 a 1.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

Já o empate mantém a equipe sergipana na liderança do grupo A4 da competição, com 4 pontos.

O próximo desafio do Botafogo será contra o CSA fora de casa no dia 7 de julho. (Intervalo para Copa das Confederações). O CSA perdeu neste sábado por 2 a 0 para o Vitória da Conquista e segue na lanterna da competição.

O Jogo

O primeiro tempo foi dominado pelo Botafogo, a equipe de Sergipe, sentiu o gol do Belo aos 32 minutos. O gol foi de Thiaguinho que aproveitou a falha da dupla de zaga colorada, Léo e Cláudio Baiano, chutou forte e não deu chances ao goleiro Pablo.

O intervalo serviu para o Sergipe se acertar tecnicamente, tanto é, que o técnico Genivaldo Sales, mostrou que iria para frente e colocou mais um atacante. Ele tirou o zagueiro Léo e colocou o atacante Leandro Kível.

A mudança surtiu efeito logo no início do segundo tempo, quando o Sergipe empatou a partida aos cinco minutos com o gol de Leandro Kível, que recebeu o passe de Fabinho Cambalhota e bateu colocado não dando oportunidade para Genivaldo na defesa. O autor do gol estreou no Brasileirão da Série D neste sábado. Ele havia disputado o campeonato estadual pelo River Plate e foi o artilheiro em Sergipe com dez gols.

O Botafogo no final da partida pressionou a equipe de Sergipe que conseguiu se defender bem. A partida terminou empatada em um a um com gosto de derrota para o Belo.

FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO 1 X 1 SERGIPE

Local: Estádio Almeidão (2ª rodada da 1ª fase da Série D do Brasileirão)
Dia: Sábado 08-06-13
Publico pagante: 4.814; Não pagantes: 398
Renda: 47.069.00.

Arbitragem: Emerson Luiz Sobral (PE), Marcelino Castro de Nazaré (PE) e Karla Santana (PE).

SERGIPE

Pablo, Parral, Emerson, Cláudio Baiano e David; Léo, Fernando Pilar, Wallace, e Rafael; Lucão e Fabinho Cambalhota.

BOTAFOGO
Genivaldo, Ferreira, Éverton, André Lima e Celico; Hércules, Zaquel, Fábio Neves e Doda; Warley e Thiaguinho.

 

Por Priscila Andrade

Homem é assassinado após escapar de tentativa de homicídio no mesmo dia

 

Ronielson disse que não tinha medo de morrer

Ronielson dos Santos Cordeiro, 20 anos, foi vítima de uma tentativa de homicídio na tarde de ontem no bairro de Mangabeira, mas a noite não teve a mesma sorte. Ele estava na companhia de Lenilson Oliveira Silva, 23 anos, na comunidade Nova Mangabeira, quando foi surpreendido por dois homens em uma moto preta, como conta testemunhas.
Ronielson morreu na hora e Lenilson foi socorrido para o Hospital de Emergência e Trauma.
Logo após escapar do atentado de ontem a tarde, Ronielson disse que não tinha medo de morrer.
A Polícia Militar realizou rondas pela localidade em busca dos acusados, mas não obteve êxito.

Fonte: Wscom Online
Foto: Aguinaldo Mota

Grupo Clarín se apega a brechas para tentar escapar da Lei de Meios

Governo argentino anuncia que tem início nesta segunda (17) processo de transferência de concessões de rádio e TV concentradas nas mãos de poucos grupos

Grupo Clarín se apega a brechas para tentar escapar da Lei de MeiosResistência do Clarín a se adequar à lei de contenção ao seu monopólio na mídia

desperta também reações populares (CC/vanessasilva.blogspot)

 

O Grupo Clarín anunciou apresenta nesta segunda (17) recurso à decisão judicial emitida na sexta-feira a favor do cumprimento integral da Lei de Meios Audiovisuais. O maior conglomerado midiático da Argentina se apegou a uma brecha deixada pela segunda instância para descumprir a sentença do juiz Horácio Alfonso, que determinou a constitucionalidade do novo marco legal e o fim da validade da liminar que amparava a empresa.[bb]

O Clarín vai argumentar a Alfonso que não pôde apresentar sua versão dos fatos. Além disso, vai se valer de um “fio solto” deixado pela Sala 1 da Câmara Civil e Comercial, que afirmou no último dia 6 que a medida cautelar que desobriga o gigante midiático de cumprir com os mecanismos de desconcentração previstos na Lei de Meios tem validade até “sentença definitiva”.

A decisão foi tomada a poucas horas do 7D, data que o Executivo havia escolhido como chave para o cumprimento das novas medidas. Naquele dia, os grupos que tinham concessões de rádio e TV em excesso, de acordo com os novos parâmetros, deveriam apresentar um plano de adequação – dos 21, apenas o Clarín não o fez. Mas, na véspera, a Sala 1 foi recomposta com juízes acusados de ligação com o gigante da comunicação, e tomou uma decisão a favor do grupo, deixando ainda uma brecha em aberto da qual agora se vale a empresa.

Para o governo, a sentença da última sexta-feira é a definitiva ao finalmente, após três anos de espera, validar a legislação como constitucional. Mas, para o Clarín, a sentença definitiva se dará quando não houver mais possibilidade de recurso, o que pode levar anos. A empresa já avisou que, caso Alfonso não delibere em favor do adiamento, irá diretamente à Câmara de Apelações. Já a Casa Rosada pretende se valer de um mecanismo judicial recentemente aprovado, o per saltum, para levar o caso diretamente à Corte Suprema.

Transferência de ofício

Em entrevista a um programa da emissora pública na noite de domingo, o presidente da Autoridade Federal de Serviços de Comunicação Audiovisual (Afsca), Martín Sabbatella, afirmou que terá início hoje a transferência da titularidade de concessões de rádio e TV. Há duas situações. No caso das empresas que apresentaram plano de adequação, o órgão regulador avalia a proposta e eventualmente apresenta observações que precisam ser respondidas em até 10 dias. Os grupos de comunicação podem ser divididos entre os sócios, ou as licenças de operação podem ser vendidas. Os novos canais surgidos daí não podem compartilhar estrutura, mão de obra e programação.

A segunda situação diz respeito exclusivamente ao Clarín, único que não apresentou voluntariamente um plano para se adaptar à Lei de Meios. “Há uma lei, com um juiz que disse que é constitucional. Presido o organismo de aplicação da lei e estamos trabalhando pela aplicação. Sendo assim, a partir de amanhã (hoje) o que faremos é a adequação à lei”, avisou Sabbatella.

A Afsca e um órgão do Ministério do Planejamento farão um estudo de valor e de alcance populacional de todas as licenças em posse dos diferentes grupos. No caso do Clarín, caso não surja nova decisão judicial, a adaptação será feita a partir das concessões de menor valor, até que se atinja os limites estabelecidos pela legislação. Estas licenças são obrigatoriamente colocadas em licitação e, no caso de emissoras sem fins de lucro, haverá concursos para escolher a melhor oferta de programação, sem necessidade de que se apresente uma proposta financeira. A expectativa é de que todo o processo de avaliação esteja concluído dentro de 100 dias.

Fonte: Rede Brasil Atual
Focando a Notícia