Arquivo da tag: equipes

Equipes da Rádio Patrulha do 4º BPM e 7ª Companhia de Solânea lideram Campeonato de Futsal Brejo Seguro

Após quatro rodadas, as equipes da Rádio Patrulha do 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar), no grupo A com 10 pontos, e da 7ª Companhia Independente de Solânea, no grupo B com 12 pontos, estão liderando o 8º Campeonato de Futsal Brejo Seguro, promovido pelo 4º BPM. No grupo A, a disputa está mais acirrada e o líder está apenas 1 ponto à frente do segundo colocado, o time do Nufap do 4º BPM, e três pontos à frente do terceiro colocado, que é o 7º BPM de Santa Rita. No grupo B, a situação do primeiro colocado é mais confortável, pois está com 5 pontos a mais que o vice-líder, a equipe da CPE (Companhia de Policiamento Especializado) do 4º BPM, que tem 7 pontos.

Até o momento, 143 gols já foram marcados no Campeonato Brejo Seguro e o artilheiro da competição é o soldado Jailson, da 7ª Companhia Independente de Solânea, com 10 gols, e os vice-artilheiros são o cabo Wilson, da mesma Companhia, e o soldado recruta Jarbidiel, do Nufap do 4º BPM, ambos com sete gols.

A quinta rodada do Campeonato de Futsal Brejo Seguro prossegue na próxima terça-feira (7) e será a última fase classificatória, onde quatro equipes de cada grupo se classificam para a próxima fase, conforme informou o major Cândido, coordenador do evento esportivo.

A quinta rodada será aberta com o jogo do grupo B, entre a 2ª Companhia do 4º BPM, sediada em Alagoa Grande, que ocupa a penúltima colocação do grupo com apenas 4 pontos, mas ainda tem chance de classificação, e a CPE, também do 4º BPM, vice-líder com 7 pontos.Todas as partidas da competição estão sendo realizadas no ginásio do Sesc de Guarabira.

O Campeonato de Futsal Brejo Seguro prossegue até o mês de agosto, com a participação de 11 equipes, uma vez que uma foi desclassificada. Idealizado em 2012, o evento esportivo tem como objetivos desenvolver uma política de qualidade de vida, bem-estar, lazer e congraçamento, através da prática de atividade física entre agentes de segurança pública.

Assessoria 4º BPM

 

 

Ruy Fonseca cai do cavalo na final por equipes do hipismo em Deodoro

O brasileiro Ruy Fonseca caiu da montaria Tom Bombadill Too durante a prova final por equipes de saltos, no Centro Olímpico de Hipismo em Deodoro. O cavalo refugou em um dos obstáculos, provocando a queda do cavaleiro. Ruy Fonseca abandonou o percurso, e com isso deu adeus às chances de medalha na prova individual. Mas para a disputa por equipes, a queda não terá influência. A nota dele será descartada na somatória do desempenho dos brasileiros.

Ruy Fonseca cai do cavalo em prova do hipismo (Foto: Friso Gentsch/EFE)Ruy Fonseca cai do cavalo em prova do hipismo (Foto: Friso Gentsch/EFE)

Os 25 melhores cavaleiros no geral das três modalidades equestres (adestramento, saltos e cross country) vão para a grande final, que está marcada para as 14 horas desta terça-feira. Nesta manhã, estão sendo decididas as medalhas por equipes no concurso completo de equitação (CCE) com chances para o Brasil. Austrália, Nova Zelândia e França começaram o dia nas três primeiras posições.

Apesar da queda, Ruy Fonseca está bem e prefere não lamentar.

– Estávamos saltando bem, não sei se algo chamou a atenção dele [do cavalo]. Foi muito rápido. Infelizmente a gente não pode medir força com os cavalos. Algo pode ter tirado a atenção dele. Depois, ele quis dar um oi para a torcida brasileira [risos]. Não sou muito de ficar magoado.

G1

Acompanhe mais notícias do FN nas redes sociais: FacebookTwitterYoutube e Instagram

Entre em contato com a redação do FN:  WhatsApp (83) 99907-8550. 

E-mail: jornalismo@focandoanoticia.com.br

 

1º Circuito de Vôlei de Areia de Tacima acontece em abril. Equipes receberam kit

kitsRepresentantes de equipes de vôlei de areia do Município de Tacima participaram na manhã desta terça-feira, 22 de março, de uma reunião com o Secretário de Esportes do Município, Paulo Fernandes. A reunião foi para definir o 1º Circuito de Vôlei de Areia de Tacima. O evento acontece em abril e contará com a participação de várias equipes do Município.

Durante a reunião foi entregue o kit de vôlei de praia para as equipes, composto por rede, bola e apito.

O evento começa no sábado, 02 de abril, no povoado do Braga, e segue por Cachoeirinha, Bilinguim, Bola, e Tacima.

De acordo com a organização do evento, de cada disputa sairão duas duplas que participarão da grande final, prevista para o dia 29 (sexta).

ACOMPANHE O FOCANDO A NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS:

FACEBOOK                TWITTER                    INSTAGRAM

Para participar as duplas devem realizar suas inscrições até o dia 31 de março, na Secretaria de Esportes do Município, localizada no Centro Administrativo. As inscrições são gratuitas, mas os participantes precisam comprovar residência no Município no ato da inscrição.

Cronograma

Dia 02 (Sábado) – Braga

Dia 03 (Domingo) – Cachoeirinha

Dia 10 (Sábado) – Bilinguim

Dia 16 (Sábado) – Bola

Dia 23 (Sábado) – Tacima

Dia 29 – Final do Super Torneio em Tacima.

Os jogos começam às 07h00.



….
Assessoria de Imprensa

Brasil pode enviar equipes para áreas afetadas pelo ebola

embolaO Brasil pode enviar equipes de saúde para regiões afetadas pela epidemia do ebola, caso o auxílio seja requisitado, afirmou o secretário de Vigilância do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa. “Se o pedido for feito, enviaremos, como já fizemos em Moçambique, em 2003”, disse. Na semana passada, a OMS (Organização Mundial da Saúde) deflagrou uma operação para tentar impedir o avanço da doença que neste ano já registrou 887 mortes em países da África Ocidental.

No início do mês, o Brasil enviou kits para Guiné e, na próxima, semana deverá despachar outros dez conjuntos para Libéria e Serra Leoa, com itens usados em catástrofes. Cada kit é suficiente para atender à necessidade de 500 pessoas, por três meses. Em 2003, o Brasil enviou uma equipe especialista em infecção hospitalar e um especialista em comunicação para atuar em estratégias de prevenção da doença.

Barbosa acredita que a eficácia das ações de contenção reforçadas pelo plano lançado há poucos dias pela OMS poderá ser avaliada dentro de três semanas. “É esse o período necessário. As infecções registradas agora são fruto de transmissões ocorridas nos últimos dias.” Embora a previsão para a redução de casos seja para meados e fim do mês, Barbosa afirma ser muito baixo o risco de o País registrar casos da doença.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook
Até agora, dois casos suspeitos foram notificados, mas rapidamente descartados. Um deles era um passageiro que desembarcou em Goiânia, procedente de Moçambique. Era pneumonia. Outro caso suspeito era de uma pessoa que desembarcou em Guarulhos, vindo da África do Sul. Era infecção urinária.

O Brasil não dispõe de kits para confirmar a doença. Em caso suspeito, a amostra poderá ser enviada para o Centro de Controle de Doenças, nos Estados Unidos.

― O resultado de um eventual caso suspeito pode ser obtido em dois dias. Mas ele é muito mais para confirmação. A doença tem sinais claros e todo caso suspeito será tratado de forma adequada.

Transmitido por um vírus, o ebola é fatal em cerca de 90% dos casos. A infecção ocorre através do contato com sangue, fluidos corporais da pessoa infectada ou de animais com a doença — sobretudo macacos, porcos-espinhos, capivaras. Ao contrário de outras doenças, no entanto, a transmissão do ebola ocorre geralmente quando o paciente já apresenta sintomas da infecção.

“Eles não passam despercebidos. Bastam horas para os sinais evoluírem de dores no corpo para diarreia, vômitos e hemorragias”, explicou o secretário. O período de incubação pode variar entre 2 e 21 dias. Barbosa admite haver a possibilidade de o paciente desembarcar no País ainda nesta fase.

― Mas nesse estágio, a contaminação não ocorre. E quando sintomas surgirem, a gravidade é tamanha que dificilmente ele deixará de procurar assistência médica.

O secretário disse que a informação sobre a doença nos serviços médicos de referência já foi reforçada. Ele descartou, no entanto, a possibilidade de se distribuir panfletos informativos para viajantes que desembarcam no Brasil. Essa medida já foi adotada em outras ocasiões, como H1N1. “Mas ebola tem características muito distintas. Não há risco de a doença ser transmitida pelo ar. Nem mesmo de o paciente não suspeitar que foi infectado”, ponderou.

 

 

Estadão

 

Polícia Federal vai instalar 35 equipes em cidades da PB para coibir abusos eleitorais

pfO presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, desembargador Saulo Henriques de Sá e Benevides, se reuniu nesta quinta-feira com o superintendente da Polícia Federal na Paraíba, Nivaldo Farias de Almeida, para discutir temas relativos à segurança das Eleições 2014. O superintendente da PF informou que já tem um planejamento elaborado para instalar 35 equipes em 23 cidades polos do Estado que servirão de base para o efetivo.

A Polícia Federal vai atuar nesses locais durante o período eleitoral com o objetivo de coibir os abusos cometidos e punir os crimes eleitorais que vierem a ocorrer. O superintendente declarou que sua equipe trabalhará, principalmente, com inteligência e tecnologia. “Nas eleições, a melhor polícia é aquela que não aparece”, disse o delegado, ressaltando ainda que no período eleitoral há uma equipe de plantão orientada sobre como proceder nos casos de crimes eleitorais.

CURTA o FOCANDO A NOTÍCIA no Facebook

O presidente do TRE solicitou a presença de um representante da Polícia Federal nas reuniões que realizará com juízes das zonas eleitorais e comando da Polícia Militar em João Pessoa, Campina Grande e Patos para trocar informações e traçar estratégias de trabalho.

“Nós queremos que os juízes informem às autoridades de segurança pública quais os principais problemas que enfrentam em suas regiões, quais os municípios onde a situação é mais crítica e, por outro lado, que essas autoridades indiquem um interlocutor a quem o juiz de cada comarca deve procurar para informar as decisões judiciais que devem ser cumpridas”, explicou o desembargador Saulo Benevides.

Portal Correio

Cartilha orienta equipes de saúde no atendimento às vítimas de queimadura

O material  integra um conjunto de ações para a Linha de Cuidado ao Trauma da Rede de Urgência e Emergência

Para auxiliar as equipes de saúde de todo o País na assistência às vítimas de queimaduras, reduzindo o agravo da lesão e o risco do óbito, foi produzida a Cartilha para Tratamento de Emergências das Queimaduras. O material é uma parceria do Ministério da Saúde (MS) e da Câmara Técnica de Queimaduras do Conselho Federal de Medicina, e integra um conjunto de ações para a Linha de Cuidado ao Trauma da Rede de Urgência e Emergência.

Divulgação/Universidade Federal de São Paulo o Brasil conta com 45 unidades hospitalares habilitadas em assistência a vítima de queimaduras espalhados pelo País

  • o Brasil conta com 45 unidades hospitalares habilitadas em assistência a vítima de queimaduras espalhados pelo País

Os 424,5 mil exemplares da cartilha que foram produzidos já seguiram para as secretarias estaduais e municipais de saúde, hospitais gerais e especializados, postos e centros de saúde, unidades básicas, policlínicas, unidades de pronto atendimento geral e especializada, e outros serviços de saúde.

Segundo o coordenador geral de Média e Alta Complexidade do ministério, José Eduardo Fogolin, apesar de já existirem inúmeros manuais e publicações que auxiliam na assistência de saúde a vítimas de queimaduras, o material disponibilizado agora visa orientar as equipes em âmbito nacional.

A cartilha possui 17 páginas e conta com linguagem concisa e de fácil manuseio para que o profissional encontre, inicialmente, informações sobre o principal órgão atingido pelo agravo, a pele. Em seguida, está descrito todo o passo a passo para o atendimento inicial das vítimas de queimadura nos diferentes graus (1º, 2º e 3º).

As orientações estão baseadas na análise da superfície do corpo afetada pela queimadura, na profundidade, na extensão do agravo, no agente causador e nas circunstâncias em que ocorreram as queimaduras.

No Brasil

Os casos de queimadura no País representam um agravo significativo à saúde pública. O ano passado foram registradas 1.437 internações em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) de Queimados, com taxa de óbito de 17,95% das internações, ou seja, 258 pessoas mortas. Já em 2010, ocorreram 1.283 internações em UTI, com 233 mortes ou 18,16% de percentual de óbito.

Atualmente, o Brasil conta com 45 unidades hospitalares habilitadas em assistência a vítima de queimaduras, espalhados pelas cinco regiões do País.

De acordo com informações da cartilha, entre os casos de queimaduras notificados, a maior parte acontece nas próprias residências das vítimas e, quase metade das ocorrências envolve a participação de crianças. Dentre as queimaduras mais comuns – tendo a criança como vítima – estão as decorrentes de escaldamentos (manipulação de líquidos quentes, como água fervente, pela curio¬sidade característica da idade) e as decorrentes de violência doméstica. Já entre os entre os adultos do sexo masculino, as queimaduras mais frequentes ocorrem em situações de trabalho.

O material informa, ainda, que os idosos também compreendem um grupo de risco alto para queimaduras, devido à sua menor capacidade de reação e às suas limitações físicas. Para as mulheres adultas, os casos mais frequentes de queimaduras estão relacionados às situações domésticas, como o cozimento de alimentos e acidentes com botijão de gás.

De uma forma geral, para toda a população, as queimaduras provocadas pelo uso de álcool líquido e outros inflamáveis são as predominantes.

Acesse na íntegra o conteúdo da Cartilha para Tratamento de Emergências das Queimaduras.

Portal Brasil

Governo Dilma elevará em até 100% repasses a equipes de saúde que tiverem bom desempenho

 

(Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr)

A terceira etapa de avaliação do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (Pmaq) foi lançada na quarta-feira (4), no auditório da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), em Brasília. Serão avaliadas 17.482 Equipes de Saúde da Família (ESF) que atendem 3.972 municípios brasileiros. O programa, criado em 2011, destina mais recursos para as Unidades Básicas de Saúde (UBS) que cumprem metas na qualificação do trabalho das equipes de saúde.
Ao todo, serão destinados quase R$ 800 milhões para as equipes bem avaliadas pelo Pmaq em 2012. A previsão é que este valor seja ainda maior ano que vem. O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, garantiu que as equipes que atingirem padrões de qualidade terão até o dobro de recursos. “Com isso vamos incentivar os municípios a se esforçarem no atendimento ao usuário do SUS [Sistema Único de Saúde]. Não basta atender, queremos também um atendimento de qualidade”, explicou o ministro.
Para definição da qualidade das equipes, os avaliadores entrevistarão usuários e profissionais e analisarão o atendimento prestado, a infraestrutura e a disponibilidade de medicamentos. Este conjunto de critérios compõe uma certificação, pelo qual será definido o desempenho das equipes.

Monitoramento


As avaliações do Pmaq tiveram início em novembro do ano passado e seguem até julho deste ano. Até lá, todas as equipes de atenção básica já terão sido visitadas por uma equipe de avaliadores da qualidade.
Pelo programa, serão verificados indicadores como atendimento pré-natal, acompanhamento de pessoas em situação crônica, redução do tempo de espera por consulta e adequada atenção à saúde do idoso. Ao ter sua adesão ao programa efetivada, o município recebe 20% do Componente de Qualidade do PAB-variável, o que representa valor adicional de até R$ 2,2 mil por equipe a cada mês. A verificação in loco do ministério, que determinará novos valores de repasse para o município, acontece seis meses após a adesão ao programa. Nas situações em que o desempenho da equipe for considerado ótimo, o município poderá receber mensalmente até R$ 11 mil por equipe.
O programa prevê um conjunto de estratégias que apoiarão os municípios e equipes a alcançarem bons resultados. Ao longo do programa, o resultado será comparado entre as equipes, evidenciando a evolução do trabalho de cada grupo.
Além de avaliar a satisfação do usuário, acesso, utilização e qualidade dos serviços, o ministério estipulará metas para os municípios. Para isso, serão emitidos certificados de desempenho, o que contará com o envolvimento de instituições de ensino e pesquisa, além dos gestores municipais, estaduais e federal. O programa também estimula a educação permanente, o apoio institucional e monitoramento.

Fonte: Ministério da Saúde

Focando a Notícia